SlideShare uma empresa Scribd logo
CONHECENDO A MATÉRIA
       E SUAS TRANSFORMAÇÕES


Professor: Marcos Suendel
2° Capítulo
Química 1° ANO



              PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
UNIFORME




           PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
UNIFORME




           PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
UNIFORME




ÁGUA NO COPO TODA UNIFORME
           PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
NÃO UNIFORME




               PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
UNIFORME


                      ÁGUA + ÓLEO




ÁGUA + SAL


             PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
ÁGUA + SAL
                        UNIFORME




 ÁGUA + SAL
NÃO UNIFORME
               PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
1.COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:

 HOMOGÊNEA
    é aquele que apresenta as mesmas
propriedades em qualquer parte de sua
extensão em que seja examinado. Ou
seja, é toda uniforme.



                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
SISTEMA HOMOGÊNEO




ÁGUA                          ÁGUA + SAL
       PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:

 HETEROGÊNEO
    é aquele que não apresenta as mesmas
propriedades em qualquer parte de sua
extensão em que seja examinado.




                 PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
SISTEMA HETEROGÊNEO




      PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:

            OBSERVAÇÃO:
 Classificar   um   sistema    como
 HOMOGÊNEO ou HETEROGÊNEO é
 muito relativo, ou seja, depende do
 aparelho que estamos usado para
 estudar o Sistema.


                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
FASES DE UM SISTEMA:
                                 FASE 12
                                  FASE




                           ÓLEO

                           ÁGUA

             PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
GRANITO
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
FASES DE UM SISTEMA:

 Fases   são as diferentes porções
  homogêneas, limitadas por superfícies
  de separação, que constituem um
  sistema heterogêneo.
 Em um sistema heterogêneo, as
  porções homogêneas são denominadas
  fases.

                 PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
SISTEMA HETEROGÊNEO
      2 FASES LÍQUIDAS




ÓLEO


                                       ÁGUA
           PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
3 FASES SÓLIDAS
      PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
QUANTO AO NÚMERO DE FASES...

 Os sistemas podem ser classificados
  em:
 Monofásico → Que tem um única
  fase.
 Polifásico → Que tem mais de uma
  fase. O sistema polifásico pode ter
  duas, três ou mais fases.

                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
GELO

                            ÁGUA

                             SAL




PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
2 COMPONENTES

                              ÁGUA

                               SAL



                            3 FASES
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
2 COMPONENTES

                            3 FASES




PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PURA. MISTURADA.

 Mistura →
 é qualquer sistema formado de duas ou
  mais substâncias puras, denominadas
  componentes.
 Pode      ser      homogênea        ou
  heterogênea, conforme apresente ou não
  as mesmas propriedades em qualquer
  parte de sua extensão em que seja
  examinada.     PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PURA. MISTURADA.

 Pura →
 Que não está misturada com nenhum
 outra substância.




                 PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
Substância Pura
           Sistema                   (Um só
                                  componente)
          Homogêneo
           (Uma só                    Mistura
             fase)                  Homogênea
                                    (Mais de um
Matéria                             componente)

                                  Substância pura: Um
            Sistema               único componente em
          Heterogêneo             formas sólida, líquida
           ( Mais de              ou gasosa, diferentes.
           uma fase)
                                      Mistura Heterogênea
                        PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.
   CALOR




GELO (SÓLIDO)   ÁGUA (LÍQUIDO)                   ÁGUA (VAPOR)

                     PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.

 Esses três estados – Sólido, Líquido e
  Gasoso – são chamados de estados
  físicos da água ou estados de
  agregação da matéria.
 Mudança de estado físico é a
  transformação de um estado para outro.


                 PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.
 Essa mudanças recebem nomes:




  SOLIDIFICAÇÃO
  VAPORIZAÇÃO
   SUBLIMAÇÃO
   LIQUEFAÇÃO
      FUSÃO     PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
FUSÃO          VAPORIZAÇÃO


SÓLIDO       LÍQUIDO                        GASOSO

    SOLIDIFICAÇÃO         LIQUEFAÇÃO



         SUBLIMAÇÃO
                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.

 A vaporização pode ocorrer de três
maneiras:
 EVAPORAÇÃO,
 EBULIÇÃO
 E CALEFAÇÃO.



                                VAPORIZAÇÃO
                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.

 Evaporação:
 Esse processo ocorre de maneira bem
lenta e à temperatura ambiente. Pode se
tomar como exemplo a evaporação da
água da roupa que é deixada no varal para
secar.


                  PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.

 Ebulição:
 É um processo mais rápido que ocorre a
uma temperatura fixa. Tal processo é
facilmente observado quando se coloca a
água para ferver.



                 PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.

 Calefação:
 É o processo mais rápido e ocorre
quando a fonte de calor está a uma
temperatura muito maior do que a
temperatura de ebulição da substância.
Tome como exemplo uma gota de água
sobre uma chapa muito quente.

                PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
PROFESSOR: MARCOS SUENDEL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Principais vidrarias e equipamentos de laboratório
Principais vidrarias e equipamentos de laboratórioPrincipais vidrarias e equipamentos de laboratório
Principais vidrarias e equipamentos de laboratório
Fabiano Araujo
 
Material de laboratório docx
Material de laboratório docxMaterial de laboratório docx
Material de laboratório docx
moitix
 
Vidraria.
Vidraria.Vidraria.
Vidraria.
heitormonteiro
 
Vidrarias de laboratório
Vidrarias de laboratórioVidrarias de laboratório
Vidrarias de laboratório
evelizebarbosa
 
Aula vidrarias
Aula vidrariasAula vidrarias
Aula vidrarias
Lucas Costa Guimarães
 
Apostila quimica experimental parfor 2011
Apostila quimica experimental parfor 2011Apostila quimica experimental parfor 2011
Apostila quimica experimental parfor 2011
ProfessorHelioQueiroz
 
Vidrarias(l)
Vidrarias(l)Vidrarias(l)
Vidrarias(l)
Fabiano Araujo
 
Aula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de LaboratórioAula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de Laboratório
Paulo Marcelo Pontes
 
Introdução ao laboratório de química
Introdução ao laboratório de químicaIntrodução ao laboratório de química
Introdução ao laboratório de química
curtindoaquimica
 
Vidraria 9 ano
Vidraria 9 anoVidraria 9 ano
Vidraria 9 ano
Andrea Ternero
 
Principais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratórioPrincipais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratório
cmdantasba
 
Vidrarias
VidrariasVidrarias
Vidrarias
Nagary Nai
 
Neiva
NeivaNeiva
Equipamentos utilizados em laboratório de química
Equipamentos utilizados em laboratório de químicaEquipamentos utilizados em laboratório de química
Equipamentos utilizados em laboratório de química
Poliano123
 
Propriedades Coligativas
Propriedades ColigativasPropriedades Coligativas
Propriedades Coligativas
José Miguel Dos Santos
 

Mais procurados (15)

Principais vidrarias e equipamentos de laboratório
Principais vidrarias e equipamentos de laboratórioPrincipais vidrarias e equipamentos de laboratório
Principais vidrarias e equipamentos de laboratório
 
Material de laboratório docx
Material de laboratório docxMaterial de laboratório docx
Material de laboratório docx
 
Vidraria.
Vidraria.Vidraria.
Vidraria.
 
Vidrarias de laboratório
Vidrarias de laboratórioVidrarias de laboratório
Vidrarias de laboratório
 
Aula vidrarias
Aula vidrariasAula vidrarias
Aula vidrarias
 
Apostila quimica experimental parfor 2011
Apostila quimica experimental parfor 2011Apostila quimica experimental parfor 2011
Apostila quimica experimental parfor 2011
 
Vidrarias(l)
Vidrarias(l)Vidrarias(l)
Vidrarias(l)
 
Aula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de LaboratórioAula de materiais de Laboratório
Aula de materiais de Laboratório
 
Introdução ao laboratório de química
Introdução ao laboratório de químicaIntrodução ao laboratório de química
Introdução ao laboratório de química
 
Vidraria 9 ano
Vidraria 9 anoVidraria 9 ano
Vidraria 9 ano
 
Principais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratórioPrincipais vidrarias de laboratório
Principais vidrarias de laboratório
 
Vidrarias
VidrariasVidrarias
Vidrarias
 
Neiva
NeivaNeiva
Neiva
 
Equipamentos utilizados em laboratório de química
Equipamentos utilizados em laboratório de químicaEquipamentos utilizados em laboratório de química
Equipamentos utilizados em laboratório de química
 
Propriedades Coligativas
Propriedades ColigativasPropriedades Coligativas
Propriedades Coligativas
 

Destaque

PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICAPRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
Marcos França
 
A matéria e suas transformações
A matéria e suas transformaçõesA matéria e suas transformações
A matéria e suas transformações
Karol Maia
 
CARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONOCARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONO
Marcos França
 
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
Carolina Suisso
 
Ficha com frases pt
Ficha com frases ptFicha com frases pt
Ficha com frases pt
Sara Oliveira
 
Letra g forma
Letra g formaLetra g forma
Letra g forma
myespaco
 
3.classficação.dos.fênomenos.1 m
3.classficação.dos.fênomenos.1 m3.classficação.dos.fênomenos.1 m
3.classficação.dos.fênomenos.1 m
Valmiro Menezes
 
Estados da máteria
Estados da máteriaEstados da máteria
Estados da máteria
JoseAlexandreRocha
 
Ana carla e Gabriele
Ana carla e GabrieleAna carla e Gabriele
Ana carla e Gabriele
Edivaldo S de Abreu
 
Jaqueline e Paulo
Jaqueline e PauloJaqueline e Paulo
Jaqueline e Paulo
Edivaldo S de Abreu
 
Inérciaforçadeatrito
InérciaforçadeatritoInérciaforçadeatrito
Inérciaforçadeatrito
Valmiro Menezes
 
Aula 02 transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
Aula 02   transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...Aula 02   transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
Aula 02 transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Atividades com letra g
Atividades com letra  gAtividades com letra  g
Atividades com letra g
kellycrys
 
Físico química 7ºAno
Físico química 7ºAnoFísico química 7ºAno
Físico química 7ºAno
professoramarisa
 
Plano anual 2012/2013
Plano anual 2012/2013Plano anual 2012/2013
Plano anual 2012/2013
fmpr123
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matéria
Marcos Franco
 
bioficia fen quimicos e fisicos
bioficia fen quimicos e fisicosbioficia fen quimicos e fisicos
bioficia fen quimicos e fisicos
Adila Trubat
 
Lista de exercícios classificação, propriedades e transformações da matéria
Lista de exercícios   classificação, propriedades e transformações da matériaLista de exercícios   classificação, propriedades e transformações da matéria
Lista de exercícios classificação, propriedades e transformações da matéria
Profª Alda Ernestina
 
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matériaFenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
Karol Maia
 
Fenômenos e propriedades da matéria
Fenômenos e propriedades da matériaFenômenos e propriedades da matéria
Fenômenos e propriedades da matéria
Carlos Priante
 

Destaque (20)

PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICAPRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
PRIMEIRA VISÃO DA QUÍMICA
 
A matéria e suas transformações
A matéria e suas transformaçõesA matéria e suas transformações
A matéria e suas transformações
 
CARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONOCARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONO
 
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
9º ano - 1º bimestre - Matéria e suas propriedades
 
Ficha com frases pt
Ficha com frases ptFicha com frases pt
Ficha com frases pt
 
Letra g forma
Letra g formaLetra g forma
Letra g forma
 
3.classficação.dos.fênomenos.1 m
3.classficação.dos.fênomenos.1 m3.classficação.dos.fênomenos.1 m
3.classficação.dos.fênomenos.1 m
 
Estados da máteria
Estados da máteriaEstados da máteria
Estados da máteria
 
Ana carla e Gabriele
Ana carla e GabrieleAna carla e Gabriele
Ana carla e Gabriele
 
Jaqueline e Paulo
Jaqueline e PauloJaqueline e Paulo
Jaqueline e Paulo
 
Inérciaforçadeatrito
InérciaforçadeatritoInérciaforçadeatrito
Inérciaforçadeatrito
 
Aula 02 transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
Aula 02   transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...Aula 02   transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
Aula 02 transformações físicas e químicas - 1º ano - com tarefas mínimas da...
 
Atividades com letra g
Atividades com letra  gAtividades com letra  g
Atividades com letra g
 
Físico química 7ºAno
Físico química 7ºAnoFísico química 7ºAno
Físico química 7ºAno
 
Plano anual 2012/2013
Plano anual 2012/2013Plano anual 2012/2013
Plano anual 2012/2013
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matéria
 
bioficia fen quimicos e fisicos
bioficia fen quimicos e fisicosbioficia fen quimicos e fisicos
bioficia fen quimicos e fisicos
 
Lista de exercícios classificação, propriedades e transformações da matéria
Lista de exercícios   classificação, propriedades e transformações da matériaLista de exercícios   classificação, propriedades e transformações da matéria
Lista de exercícios classificação, propriedades e transformações da matéria
 
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matériaFenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
 
Fenômenos e propriedades da matéria
Fenômenos e propriedades da matériaFenômenos e propriedades da matéria
Fenômenos e propriedades da matéria
 

Semelhante a Capítulo 02 conhecendo a matéria e suas transformações

Misturas solubilidade
Misturas solubilidadeMisturas solubilidade
Misturas solubilidade
Vínicius Gabriel
 
Misturas & Solubilidade
Misturas  & SolubilidadeMisturas  & Solubilidade
Misturas & Solubilidade
Vínicius Gabriel
 
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
Vania Lima "Somos Físicos"
 
Unidade ii substâncias e misturas
Unidade ii   substâncias e misturasUnidade ii   substâncias e misturas
Unidade ii substâncias e misturas
Cristiano Franco
 
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
ThaisHanna
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
matheusrl98
 
Pré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º anoPré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º ano
madalenapico
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
quipibid
 
Apostila de Química Aplicada
Apostila de Química AplicadaApostila de Química Aplicada
Apostila de Química Aplicada
José Vitor Alves
 
Pp quimica 10 08_12
Pp quimica 10 08_12Pp quimica 10 08_12
Pp quimica 10 08_12
samuelrgrg
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
Vithória Almeida
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
Vithória Almeida
 
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
Jane Paula
 
Trabalho - Apresentações
Trabalho -   ApresentaçõesTrabalho -   Apresentações
Trabalho - Apresentações
EEB Francisco Mazzola
 

Semelhante a Capítulo 02 conhecendo a matéria e suas transformações (14)

Misturas solubilidade
Misturas solubilidadeMisturas solubilidade
Misturas solubilidade
 
Misturas & Solubilidade
Misturas  & SolubilidadeMisturas  & Solubilidade
Misturas & Solubilidade
 
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
"Somos Físicos" Misturas Heterogêneas
 
Unidade ii substâncias e misturas
Unidade ii   substâncias e misturasUnidade ii   substâncias e misturas
Unidade ii substâncias e misturas
 
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
37737_7546cfcb21cfd9799cb77aa2266acef7.pdf
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Pré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º anoPré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º ano
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Apostila de Química Aplicada
Apostila de Química AplicadaApostila de Química Aplicada
Apostila de Química Aplicada
 
Pp quimica 10 08_12
Pp quimica 10 08_12Pp quimica 10 08_12
Pp quimica 10 08_12
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
 
Separação de misturas
Separação de misturas Separação de misturas
Separação de misturas
 
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
www.slideshare.net/janeclecia/aula de substâncias e misturas.
 
Trabalho - Apresentações
Trabalho -   ApresentaçõesTrabalho -   Apresentações
Trabalho - Apresentações
 

Último

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 

Último (20)

Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 

Capítulo 02 conhecendo a matéria e suas transformações

  • 1. CONHECENDO A MATÉRIA E SUAS TRANSFORMAÇÕES Professor: Marcos Suendel 2° Capítulo Química 1° ANO PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 2. UNIFORME PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 3. UNIFORME PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 4. UNIFORME ÁGUA NO COPO TODA UNIFORME PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 5. NÃO UNIFORME PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 6. UNIFORME ÁGUA + ÓLEO ÁGUA + SAL PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 7. ÁGUA + SAL UNIFORME ÁGUA + SAL NÃO UNIFORME PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 8. 1.COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:  HOMOGÊNEA é aquele que apresenta as mesmas propriedades em qualquer parte de sua extensão em que seja examinado. Ou seja, é toda uniforme. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 9. SISTEMA HOMOGÊNEO ÁGUA ÁGUA + SAL PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 10. COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:  HETEROGÊNEO é aquele que não apresenta as mesmas propriedades em qualquer parte de sua extensão em que seja examinado. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 11. SISTEMA HETEROGÊNEO PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 12. COMO A MATÉRIA SE APRENSENTA:  OBSERVAÇÃO:  Classificar um sistema como HOMOGÊNEO ou HETEROGÊNEO é muito relativo, ou seja, depende do aparelho que estamos usado para estudar o Sistema. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 14. FASES DE UM SISTEMA: FASE 12 FASE ÓLEO ÁGUA PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 16. FASES DE UM SISTEMA:  Fases são as diferentes porções homogêneas, limitadas por superfícies de separação, que constituem um sistema heterogêneo.  Em um sistema heterogêneo, as porções homogêneas são denominadas fases. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 17. SISTEMA HETEROGÊNEO 2 FASES LÍQUIDAS ÓLEO ÁGUA PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 18. 3 FASES SÓLIDAS PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 19. QUANTO AO NÚMERO DE FASES...  Os sistemas podem ser classificados em:  Monofásico → Que tem um única fase.  Polifásico → Que tem mais de uma fase. O sistema polifásico pode ter duas, três ou mais fases. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 20. GELO ÁGUA SAL PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 21. 2 COMPONENTES ÁGUA SAL 3 FASES PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 22. 2 COMPONENTES 3 FASES PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 23. PURA. MISTURADA.  Mistura →  é qualquer sistema formado de duas ou mais substâncias puras, denominadas componentes.  Pode ser homogênea ou heterogênea, conforme apresente ou não as mesmas propriedades em qualquer parte de sua extensão em que seja examinada. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 24. PURA. MISTURADA.  Pura →  Que não está misturada com nenhum outra substância. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 25. Substância Pura Sistema (Um só componente) Homogêneo (Uma só Mistura fase) Homogênea (Mais de um Matéria componente) Substância pura: Um Sistema único componente em Heterogêneo formas sólida, líquida ( Mais de ou gasosa, diferentes. uma fase) Mistura Heterogênea PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 26. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA. CALOR GELO (SÓLIDO) ÁGUA (LÍQUIDO) ÁGUA (VAPOR) PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 27. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  Esses três estados – Sólido, Líquido e Gasoso – são chamados de estados físicos da água ou estados de agregação da matéria.  Mudança de estado físico é a transformação de um estado para outro. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 28. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  Essa mudanças recebem nomes: SOLIDIFICAÇÃO VAPORIZAÇÃO SUBLIMAÇÃO LIQUEFAÇÃO FUSÃO PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 30. FUSÃO VAPORIZAÇÃO SÓLIDO LÍQUIDO GASOSO SOLIDIFICAÇÃO LIQUEFAÇÃO SUBLIMAÇÃO PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 33. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  A vaporização pode ocorrer de três maneiras:  EVAPORAÇÃO,  EBULIÇÃO  E CALEFAÇÃO. VAPORIZAÇÃO PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 34. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  Evaporação:  Esse processo ocorre de maneira bem lenta e à temperatura ambiente. Pode se tomar como exemplo a evaporação da água da roupa que é deixada no varal para secar. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 35. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  Ebulição:  É um processo mais rápido que ocorre a uma temperatura fixa. Tal processo é facilmente observado quando se coloca a água para ferver. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL
  • 36. 4. TRANSFORMAÇÕES DA ÁGUA.  Calefação:  É o processo mais rápido e ocorre quando a fonte de calor está a uma temperatura muito maior do que a temperatura de ebulição da substância. Tome como exemplo uma gota de água sobre uma chapa muito quente. PROFESSOR: MARCOS SUENDEL