SlideShare uma empresa Scribd logo
Brasil – O resultado
da Marolinha do
LULA
O IBGE publicou o resultado do PIB Brasileiro de 2015. O resultado, muito ruim, já era previsto
pela maioria dos analistas econômicos, menos pelos componentes do Governo. Recebemos os
-3,80% com perplexidade e com a certeza de que o resultado do PIB para 2016 será igual ou
pior que este. A tal Marolinha da crise internacional falada pelo então Presidente LULA chegou
finalmente ao Brasil agigantada como um tsunami e prestes a nos engolir.
CIRINEU JOSÉ DA COSTA – ENGº MSC 28/08/2105
UNIDADES DA PETROBRÁS NA BACIA DO RIO URUCU-AMAZONIA
A notícia não poderia ser pior: PIB 2015 recua 3,8%. Apenas a agropecuária cresceu.
A conta indústria recuou 6,2% e a conta serviços recuou 2,7% O crescimento
econômico e a sustentabilidade são parâmetros essenciais para o desenvolvimento de
um país.
A crise instalada após a eleição da Presidente Dilma para o segundo mandato paralisou
o país. Precisamos de uma saída política, econômica e social para superação da crise.
O Brasil ainda é considerado um exportador de matéria-prima (comodities). Os
produtos primários não possuem alto valor agregado e estão sujeitos a grandes variações
de preços ao sabor do mercado e das especulações.
Não podemos ignorar o fator ESTRATÉGICO embutido em cada item de recurso
natural não renovável que é exportado in natura. Jazidas de hematita, bauxita,
manganês, ouro, prata, cobre e outros metais uma vez esgotadas, não nascem
novamente. O que serão as jazidas de Minas Gerais e do Pará daqui a algumas décadas.
O que iremos exportar? Como iremos suprir nossa indústria de transformação?
O mercado internacional compra, estoca e revende os recursos naturais não renováveis
dos países pobres e em desenvolvimento. Os países ricos procuram preservar suas
reservas de recursos naturais comprando suas necessidades no mercado de comodities
internacional, abastecido pelos países mais pobres.
Hoje o Brasil possui uma taxa de crescimento populacional bem menor do que a que
apresentava no século passado. No sistema econômico atual, com uso intensivo dos
recursos naturais e a população com crescimento vegetativo positivo e vivendo cada vez
mais poderá ocorrer o sufocamento do sistema biofísico de apoio. Devemos, mesmo
assim, nos preocupar em manter um crescimento positivo para ter capacidade de
absorver a mão-de-obra que se apresenta anualmente no mercado de trabalho.
A renda per capita (PIB per capita) de diversos países tem crescido (China 6,9%, EUA
2,4%, Reino Unido 2,2%, França 1,2%, Alemanha 1,7%) e a desculpa de uma crise
internacional generalizada não se aplica.
Excluindo-se a Venezuela e a Argentina, todos os outros países da América do Sul tem
apresentado algum crescimento do PIB.
Qual o motivo de estarmos apresentando um resultado tão ruim?
O governo anterior ao de LULA fez uma reestruturação do sistema bancário nacional,
refinanciou as dívidas dos entes federados, extinguiu os bancos públicos estaduais e
municipais e aprovou a Lei de Responsabilidade Fiscal que normatiza a conduta fiscal
do Presidente da República, Governadores e Prefeitos.
Com a casa organizada o país atravessou crises e conseguiu surfar numa onda
desenvolvimentista até o fim do segundo mandato de LULA.
Os desmandos, a ocupação de cargos técnicos na administração direta e nas estatais por
pessoas sem competência e ligadas diretamente ao partido (como se fosse uma quota
partidária) foi destruindo a capacidade administrativa e formando a inércia que
provocou a derrocada do país.
Os “companheiros” passaram a saquear os cofres públicos cada vez com mais
feracidade e sem temer a JUSTIÇA, pois no nosso país dificilmente um corrupto era
processado e punido.
Conseguiram quebrar a maior empresa do nosso país: a Petrobrás. Além dos desvios de
recursos através de propinas para membros da diretoria, políticos e partidos políticos
conseguiram aprovar leis que obrigavam a estatal a investir dinheiro que ela já não mais
possuía, promoveram a aquisição de unidades a preços superfaturados (como a refinaria
de Pasadena nos Estados Unidos) e a venda abaixo do preço de custo de ativos
existentes no exterior (como unidades na Argentina, vendidos a preço de banana para o
grupo da ex-presidente Cristina). Nossa estrela maior foi afundada num mar de dívidas e
de projetos superfaturados e inacabados.
Os governos do PT (federal, estaduais e municipais) sempre devem ter quotas de vagas
para os “companheiros” para que nunca fiquem desempregados. O Suplicy perdeu o
mandato de Senador e foi encaixado na Prefeitura de São Paulo como Secretário
Municipal, o Padilha perdeu o cargo de Ministro e ganhou uma vaguinha de Secretário
de Saúde da cidade de São Paulo. Junto com eles provavelmente vieram os assessores
que devem também ter sido colocados na prefeitura paulistana ou em outras espalhadas
pelo país.
Se formos procurar em outras administrações petistas espalhadas pelo país, veremos que
estão lotadas de “companheiros” importados de outros locais de onde tiveram que sair
por algum motivo, mas tiveram os seus empregos preservados e muitas vezes com um
salário até melhor que o anterior.
A economia real não consegue carregar nas costas tantos desvios de conduta. Os
governos só querem aumentar a carga tributária para arrecadar mais, invés de
promoverem uma reforma administrativa para diminuir gastos e aumentar a eficiência
da máquina pública.
A Presidente Dilma disse que extinguiu ministérios. Ela tinha quase quarenta ministros!
Quantos cargos foram cortados? Os ministérios simplesmente foram fundidos um no
outro ficando o resultante com um volume igual à soma dos dois anteriores. Não houve
resultado prático algum. Será que precisamos de mais que 12(doze) ministros?
Se somarmos as máquinas públicas na esfera federal, estaduais e municipais no âmbito
dos três poderes veremos que temos um absurdo de efetivo e usado de forma ineficiente,
pois não proporcionam serviços públicos de qualidade para os cidadãos que pagam os
impostos.
A queda do PIB do Brasil prenuncia o aumento do desemprego. Os setores da economia
produzindo menos demandarão menor número de pessoas trabalhando. A falta de
emprego gera a inadimplência das pessoas que por sua vez gera a crise no sistema de
serviços, bancário e creditício. As pessoas, sem crédito, compram menos e a marola de
lojas fechando as portas nos shoppings centers só vai aumentando e com essa marola
vai engrossando a fila dos comerciários desempregados.
A quebra do comércio tem ação direta na indústria que produz os produtos vendidos
pelas lojas e o volume de desempregados aumenta em escala exponencial. Famílias
desempregadas implica em transferências de filhos de escolas particulares para as
públicas, o que gera uma pressão sobre as redes públicas de ensino ocasionando, no
mínimo, um número excessivo de alunos por classe.
Se analisarmos a nossa história republicana, desde que foi instalada em 15 de novembro
de 1889 pelo Marechal Deodoro da Fonseca, nunca vivenciamos um mar de corrupção
como este instalado pelo governo petista, começando pelo escândalo do mensalão e
agora com o petróleo escancarado pela operação lava-jato. Sabe-se lá o que a Justiça irá
descobrir quando investigar os casos de financiamento internacional do BNDES!
Não podemos negar que chegamos a uma encruzilhada. Para onde ir?
Após a campanha das DIRETAS JÁ que culminou com a eleição de Tancredo Neves
para a presidência do Brasil, num pleito indireto nós tivemos como Presidente o Sr José
Sarney, dissidente do partido que apoiava o Governo Militar (ARENA) e que era o
candidato a Vice-Presidente na chapa de Tancredo que veio a falecer antes da posse. O
Governo Sarney fez uma tentativa de conter a inflação galopante com o Plano Cruzado,
criando uma nova moeda de duração efêmera e efeitos vagos.
Nosso primeiro presidente eleito pelo voto direto (Fernando Collor de Mello) sofreu um
processo de impeachment acusado de corrupção, teve seu mandato cassado e assumiu o
Vice-presidente que implantou o Plano Real para combater a inflação introduzindo a
URV (Unidade real de valor) que foi pouco a pouco tomando a forma de moeda e
passou a se denominar Real, nossa moeda até os dias de hoje. O seu Ministro Fernando
Henrique Cardoso foi eleito Presidente, engendrou uma medida constitucional para ser
reeleito e fez a cama para que seu rival Luís Inácio Lula da Silva pudesse ficar 8 anos
no poder e ainda eleger seu sucessor, a Presidente atual Dilma.
O Governo Lula foi permeado por escândalos de corrupção que só não foram
investigados a fundo devido ao forte apoio popular que seu governo teve. Já no Governo
Dilma o mesmo não aconteceu. Seu governo de coalisão não funcionou bem devido a
sua índole de “não dialogar” com os parlamentares. Os escândalos de corrupção
aumentaram de tal forma que foi impossível para o Ministério Público e Polícia Federal
não aprofundar as investigações. Na medida em que os atos de corrupção são apontados
e levantados os valores astronômicos desviados da Petrobrás e de outros órgãos
públicos seu governo foi perdendo apoio popular e sua base de sustentação foi sendo
desmontada. Hoje o Governo Dilma está claudicante e dificilmente escapará de ser
processado por crime de responsabilidade pelas “pedaladas fiscais” ou então a sua
reeleição será impugnada no TSE pelo uso de caixa 2 oriundo do “petrolão”. A Dilma
ainda poderá ser processada por crime de responsabilidade pelo período em que foi
Presidente do Conselho da Petrobrás, período em que aconteceram enormes desvios de
dinheiro da companhia e que estão sendo investigados inclusive por autoridades norte-
americanas, pois a companhia tem ações no mercado de Nova Iorque.
Se a Presidente Dilma quiser salvar o que resta do seu governo terá que romper com os
acordos de cargos e ministérios, romper com o clientelismo do PT e formar uma nova
base de apoio com Partidos e Políticos que se importem com os destinos do Brasil. Sua
equipe de governo está desacreditada. Nada que qualquer ministro fale é ou será levado
em conta pela maioria da população.
O Impeachment não é GOLPE. Ele é um remédio constitucional.
A renúncia, muitas das vezes, pode ser encarada não como um ato de covardia, mas sim
como um ato de coragem de quem se descobre sem condições de conduzir o barco e
passa leme para aquele que conhece o traçado do trajeto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
Delcídio do Amaral
 
Brasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuroBrasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuro
Fernando Alcoforado
 
Cartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo LulaCartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo Lula
Joao Carlos Passari
 
Jornal digital 04 06-18
Jornal digital 04 06-18Jornal digital 04 06-18
Jornal digital 04 06-18
Jornal Correio do Sul
 
Cartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo LulaCartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo Lula
Marcelo Bancalero
 
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
Fernando Alcoforado
 
Análise sobre a divisao do estado do para
Análise sobre a divisao do estado do paraAnálise sobre a divisao do estado do para
Análise sobre a divisao do estado do para
JR Pasta
 
Agenda 45 1
Agenda 45 1Agenda 45 1
Agenda 45 1
Davi Carvalho
 
O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
Fernando Alcoforado
 
Governo Lula e a Crise
Governo Lula e a CriseGoverno Lula e a Crise
Governo Lula e a Crise
Gleisi Hoffmann
 
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Manoel Marcondes Neto
 
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Jamildo Melo
 
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Enio Economia & Finanças
 
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do períodoGoverno Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Manoel Romão
 
Tribuna classista 25
Tribuna classista 25Tribuna classista 25
Tribuna classista 25
Anasor Searom
 
2015jan_carga tributaria
2015jan_carga tributaria2015jan_carga tributaria
2015jan_carga tributaria
Juliana Elias
 
GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)
Roberta Emmanuelle
 
Tc 24
Tc 24Tc 24
Lula Presidente 2006
Lula Presidente 2006Lula Presidente 2006
Lula Presidente 2006
Guilherme Moreira
 
O brasil rumo ao colapso econômico
O brasil rumo ao colapso econômico O brasil rumo ao colapso econômico
O brasil rumo ao colapso econômico
Fernando Alcoforado
 

Mais procurados (20)

Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
Delcídio do Amaral - Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo - ...
 
Brasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuroBrasil diante de um trágico futuro
Brasil diante de um trágico futuro
 
Cartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo LulaCartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo Lula
 
Jornal digital 04 06-18
Jornal digital 04 06-18Jornal digital 04 06-18
Jornal digital 04 06-18
 
Cartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo LulaCartilha de realizações no governo Lula
Cartilha de realizações no governo Lula
 
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
A pilhagem dos cofres públicos pelos poderes da república agrava as contas pú...
 
Análise sobre a divisao do estado do para
Análise sobre a divisao do estado do paraAnálise sobre a divisao do estado do para
Análise sobre a divisao do estado do para
 
Agenda 45 1
Agenda 45 1Agenda 45 1
Agenda 45 1
 
O medo venceu a esperança
O medo venceu a esperançaO medo venceu a esperança
O medo venceu a esperança
 
Governo Lula e a Crise
Governo Lula e a CriseGoverno Lula e a Crise
Governo Lula e a Crise
 
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
Marcondes Neto no Brasil Econômico - 02/07/2015 - P. 31
 
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
Documento critico-ao-primeiro-ano-do-governo-dilma1
 
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
Resumo. o ajuste fiscal do governo dilma rousseff 2015
 
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do períodoGoverno Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
Governo Lula-Dilma: Uma análise Econômica do período
 
Tribuna classista 25
Tribuna classista 25Tribuna classista 25
Tribuna classista 25
 
2015jan_carga tributaria
2015jan_carga tributaria2015jan_carga tributaria
2015jan_carga tributaria
 
GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)GOVERNO LULA (2002-2010)
GOVERNO LULA (2002-2010)
 
Tc 24
Tc 24Tc 24
Tc 24
 
Lula Presidente 2006
Lula Presidente 2006Lula Presidente 2006
Lula Presidente 2006
 
O brasil rumo ao colapso econômico
O brasil rumo ao colapso econômico O brasil rumo ao colapso econômico
O brasil rumo ao colapso econômico
 

Semelhante a Brasil – o resultado da marolinha do lula

Vamos juntos reconstruir o Brasil
Vamos juntos reconstruir o BrasilVamos juntos reconstruir o Brasil
Vamos juntos reconstruir o Brasil
Olímpio Cruz Neto
 
10 soluções para melhorar o brasil
10 soluções para melhorar o brasil10 soluções para melhorar o brasil
10 soluções para melhorar o brasil
Peter otaneR
 
Carta aberta
Carta abertaCarta aberta
Carta aberta
aipaf
 
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDFJornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
tarcisiothiago
 
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº 568 an 19 abril 2016.ok
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº  568 an 19 abril 2016.okAGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº  568 an 19 abril 2016.ok
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº 568 an 19 abril 2016.ok
Roberto Rabat Chame
 
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futurosO gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
Fernando Alcoforado
 
O indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesiaO indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesia
Miguel Rosario
 
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
Lucas Barbosa Pelissari
 
Brasil de joelhos
Brasil de joelhosBrasil de joelhos
Brasil de joelhos
Antonio Carlos Rosset Filho
 
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUASCARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
Marcos Hermano Ribeiro
 
O destino de lula é o lixo da história
O destino de lula é o lixo da históriaO destino de lula é o lixo da história
O destino de lula é o lixo da história
Fernando Alcoforado
 
Folha 332
Folha 332Folha 332
Folha 332
cocopequeno007
 
O fim melancólico da desastrosa era pt
O fim melancólico da desastrosa era ptO fim melancólico da desastrosa era pt
O fim melancólico da desastrosa era pt
Fernando Alcoforado
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
Frédéric Decatoire
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
Frédéric Decatoire
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
Frédéric Decatoire
 
Programa jose maria_de_almeida
Programa jose maria_de_almeidaPrograma jose maria_de_almeida
Programa jose maria_de_almeida
Luis Nassif
 
Moraliza brasil
Moraliza brasilMoraliza brasil
Moraliza brasil
Dário Zelli
 
Mobilização vai tomar vulto na internet
Mobilização vai tomar vulto na internetMobilização vai tomar vulto na internet
Mobilização vai tomar vulto na internet
Eudes de Jesus
 
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
Fernando Alcoforado
 

Semelhante a Brasil – o resultado da marolinha do lula (20)

Vamos juntos reconstruir o Brasil
Vamos juntos reconstruir o BrasilVamos juntos reconstruir o Brasil
Vamos juntos reconstruir o Brasil
 
10 soluções para melhorar o brasil
10 soluções para melhorar o brasil10 soluções para melhorar o brasil
10 soluções para melhorar o brasil
 
Carta aberta
Carta abertaCarta aberta
Carta aberta
 
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDFJornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
Jornal Vigia dos Vales, 42 Anos. 21-09-2016 - Edição 1.077 - Versão em PDF
 
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº 568 an 19 abril 2016.ok
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº  568 an 19 abril 2016.okAGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº  568 an 19 abril 2016.ok
AGRISSÊNIOR nOÍCIAS - nº 568 an 19 abril 2016.ok
 
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futurosO gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
O gigantesco impasse político do brasil e seus cenários futuros
 
O indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesiaO indiscreto ódio da burguesia
O indiscreto ódio da burguesia
 
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
Balançoconjunturaldasituaçãodo brasil grupobrasilmar07
 
Brasil de joelhos
Brasil de joelhosBrasil de joelhos
Brasil de joelhos
 
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUASCARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
CARTA DO POVO BRASILEIRO -GRITO DAS RUAS
 
O destino de lula é o lixo da história
O destino de lula é o lixo da históriaO destino de lula é o lixo da história
O destino de lula é o lixo da história
 
Folha 332
Folha 332Folha 332
Folha 332
 
O fim melancólico da desastrosa era pt
O fim melancólico da desastrosa era ptO fim melancólico da desastrosa era pt
O fim melancólico da desastrosa era pt
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
 
Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68Reporter capixaba 68
Reporter capixaba 68
 
Programa jose maria_de_almeida
Programa jose maria_de_almeidaPrograma jose maria_de_almeida
Programa jose maria_de_almeida
 
Moraliza brasil
Moraliza brasilMoraliza brasil
Moraliza brasil
 
Mobilização vai tomar vulto na internet
Mobilização vai tomar vulto na internetMobilização vai tomar vulto na internet
Mobilização vai tomar vulto na internet
 
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
Em defesa de uma nova assembleia constituinte para superar a crise atual no b...
 

Mais de CIRINEU COSTA

Aene project a medium city public students obesity study
Aene project   a medium city public students obesity studyAene project   a medium city public students obesity study
Aene project a medium city public students obesity study
CIRINEU COSTA
 
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderesTeoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
CIRINEU COSTA
 
O custo do dinheiro taxa de juros
O custo do dinheiro taxa de jurosO custo do dinheiro taxa de juros
O custo do dinheiro taxa de juros
CIRINEU COSTA
 
Reflexões sobre a política
Reflexões sobre a políticaReflexões sobre a política
Reflexões sobre a política
CIRINEU COSTA
 
A reforma previdenciária
A reforma previdenciáriaA reforma previdenciária
A reforma previdenciária
CIRINEU COSTA
 
Análise de risco e retorno
Análise de  risco e retornoAnálise de  risco e retorno
Análise de risco e retorno
CIRINEU COSTA
 
O bem monetário versus tempo
O bem monetário versus tempoO bem monetário versus tempo
O bem monetário versus tempo
CIRINEU COSTA
 
Demonstrações financeiras
Demonstrações financeirasDemonstrações financeiras
Demonstrações financeiras
CIRINEU COSTA
 
Educação um salto para o futuro
Educação    um salto para o futuroEducação    um salto para o futuro
Educação um salto para o futuro
CIRINEU COSTA
 
O apetite do governo e a fome do povo
O apetite do governo e a fome do povoO apetite do governo e a fome do povo
O apetite do governo e a fome do povo
CIRINEU COSTA
 
Física fácil(4)
Física fácil(4)Física fácil(4)
Física fácil(4)
CIRINEU COSTA
 
A miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileiraA miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileira
CIRINEU COSTA
 
Brasil o que fazer para crescer
Brasil o que fazer para crescerBrasil o que fazer para crescer
Brasil o que fazer para crescer
CIRINEU COSTA
 
Brazil internal war between powers the equilibrium theory
Brazil  internal war between powers  the equilibrium theoryBrazil  internal war between powers  the equilibrium theory
Brazil internal war between powers the equilibrium theory
CIRINEU COSTA
 
Brasil a guerra interna entre os poderes a teoria do equilibrio
Brasil  a guerra interna entre os poderes  a teoria do equilibrioBrasil  a guerra interna entre os poderes  a teoria do equilibrio
Brasil a guerra interna entre os poderes a teoria do equilibrio
CIRINEU COSTA
 
Análise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacionalAnálise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacional
CIRINEU COSTA
 
Física fácil(3)
Física fácil(3)Física fácil(3)
Física fácil(3)
CIRINEU COSTA
 
São paulo falta de água ou de ação governamental
São paulo falta de água ou de ação governamentalSão paulo falta de água ou de ação governamental
São paulo falta de água ou de ação governamental
CIRINEU COSTA
 
Seguro desemprego versus emprego
Seguro desemprego versus empregoSeguro desemprego versus emprego
Seguro desemprego versus emprego
CIRINEU COSTA
 
Financial management autonomy in brazilian public schools 2
Financial management autonomy in brazilian public schools 2Financial management autonomy in brazilian public schools 2
Financial management autonomy in brazilian public schools 2
CIRINEU COSTA
 

Mais de CIRINEU COSTA (20)

Aene project a medium city public students obesity study
Aene project   a medium city public students obesity studyAene project   a medium city public students obesity study
Aene project a medium city public students obesity study
 
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderesTeoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
 
O custo do dinheiro taxa de juros
O custo do dinheiro taxa de jurosO custo do dinheiro taxa de juros
O custo do dinheiro taxa de juros
 
Reflexões sobre a política
Reflexões sobre a políticaReflexões sobre a política
Reflexões sobre a política
 
A reforma previdenciária
A reforma previdenciáriaA reforma previdenciária
A reforma previdenciária
 
Análise de risco e retorno
Análise de  risco e retornoAnálise de  risco e retorno
Análise de risco e retorno
 
O bem monetário versus tempo
O bem monetário versus tempoO bem monetário versus tempo
O bem monetário versus tempo
 
Demonstrações financeiras
Demonstrações financeirasDemonstrações financeiras
Demonstrações financeiras
 
Educação um salto para o futuro
Educação    um salto para o futuroEducação    um salto para o futuro
Educação um salto para o futuro
 
O apetite do governo e a fome do povo
O apetite do governo e a fome do povoO apetite do governo e a fome do povo
O apetite do governo e a fome do povo
 
Física fácil(4)
Física fácil(4)Física fácil(4)
Física fácil(4)
 
A miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileiraA miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileira
 
Brasil o que fazer para crescer
Brasil o que fazer para crescerBrasil o que fazer para crescer
Brasil o que fazer para crescer
 
Brazil internal war between powers the equilibrium theory
Brazil  internal war between powers  the equilibrium theoryBrazil  internal war between powers  the equilibrium theory
Brazil internal war between powers the equilibrium theory
 
Brasil a guerra interna entre os poderes a teoria do equilibrio
Brasil  a guerra interna entre os poderes  a teoria do equilibrioBrasil  a guerra interna entre os poderes  a teoria do equilibrio
Brasil a guerra interna entre os poderes a teoria do equilibrio
 
Análise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacionalAnálise do cenário da política tributária nacional
Análise do cenário da política tributária nacional
 
Física fácil(3)
Física fácil(3)Física fácil(3)
Física fácil(3)
 
São paulo falta de água ou de ação governamental
São paulo falta de água ou de ação governamentalSão paulo falta de água ou de ação governamental
São paulo falta de água ou de ação governamental
 
Seguro desemprego versus emprego
Seguro desemprego versus empregoSeguro desemprego versus emprego
Seguro desemprego versus emprego
 
Financial management autonomy in brazilian public schools 2
Financial management autonomy in brazilian public schools 2Financial management autonomy in brazilian public schools 2
Financial management autonomy in brazilian public schools 2
 

Brasil – o resultado da marolinha do lula

  • 1. Brasil – O resultado da Marolinha do LULA O IBGE publicou o resultado do PIB Brasileiro de 2015. O resultado, muito ruim, já era previsto pela maioria dos analistas econômicos, menos pelos componentes do Governo. Recebemos os -3,80% com perplexidade e com a certeza de que o resultado do PIB para 2016 será igual ou pior que este. A tal Marolinha da crise internacional falada pelo então Presidente LULA chegou finalmente ao Brasil agigantada como um tsunami e prestes a nos engolir. CIRINEU JOSÉ DA COSTA – ENGº MSC 28/08/2105 UNIDADES DA PETROBRÁS NA BACIA DO RIO URUCU-AMAZONIA
  • 2. A notícia não poderia ser pior: PIB 2015 recua 3,8%. Apenas a agropecuária cresceu. A conta indústria recuou 6,2% e a conta serviços recuou 2,7% O crescimento econômico e a sustentabilidade são parâmetros essenciais para o desenvolvimento de um país. A crise instalada após a eleição da Presidente Dilma para o segundo mandato paralisou o país. Precisamos de uma saída política, econômica e social para superação da crise. O Brasil ainda é considerado um exportador de matéria-prima (comodities). Os produtos primários não possuem alto valor agregado e estão sujeitos a grandes variações de preços ao sabor do mercado e das especulações. Não podemos ignorar o fator ESTRATÉGICO embutido em cada item de recurso natural não renovável que é exportado in natura. Jazidas de hematita, bauxita, manganês, ouro, prata, cobre e outros metais uma vez esgotadas, não nascem novamente. O que serão as jazidas de Minas Gerais e do Pará daqui a algumas décadas. O que iremos exportar? Como iremos suprir nossa indústria de transformação? O mercado internacional compra, estoca e revende os recursos naturais não renováveis dos países pobres e em desenvolvimento. Os países ricos procuram preservar suas reservas de recursos naturais comprando suas necessidades no mercado de comodities internacional, abastecido pelos países mais pobres. Hoje o Brasil possui uma taxa de crescimento populacional bem menor do que a que apresentava no século passado. No sistema econômico atual, com uso intensivo dos recursos naturais e a população com crescimento vegetativo positivo e vivendo cada vez mais poderá ocorrer o sufocamento do sistema biofísico de apoio. Devemos, mesmo assim, nos preocupar em manter um crescimento positivo para ter capacidade de absorver a mão-de-obra que se apresenta anualmente no mercado de trabalho. A renda per capita (PIB per capita) de diversos países tem crescido (China 6,9%, EUA 2,4%, Reino Unido 2,2%, França 1,2%, Alemanha 1,7%) e a desculpa de uma crise internacional generalizada não se aplica. Excluindo-se a Venezuela e a Argentina, todos os outros países da América do Sul tem apresentado algum crescimento do PIB. Qual o motivo de estarmos apresentando um resultado tão ruim? O governo anterior ao de LULA fez uma reestruturação do sistema bancário nacional, refinanciou as dívidas dos entes federados, extinguiu os bancos públicos estaduais e
  • 3. municipais e aprovou a Lei de Responsabilidade Fiscal que normatiza a conduta fiscal do Presidente da República, Governadores e Prefeitos. Com a casa organizada o país atravessou crises e conseguiu surfar numa onda desenvolvimentista até o fim do segundo mandato de LULA. Os desmandos, a ocupação de cargos técnicos na administração direta e nas estatais por pessoas sem competência e ligadas diretamente ao partido (como se fosse uma quota partidária) foi destruindo a capacidade administrativa e formando a inércia que provocou a derrocada do país. Os “companheiros” passaram a saquear os cofres públicos cada vez com mais feracidade e sem temer a JUSTIÇA, pois no nosso país dificilmente um corrupto era processado e punido. Conseguiram quebrar a maior empresa do nosso país: a Petrobrás. Além dos desvios de recursos através de propinas para membros da diretoria, políticos e partidos políticos conseguiram aprovar leis que obrigavam a estatal a investir dinheiro que ela já não mais possuía, promoveram a aquisição de unidades a preços superfaturados (como a refinaria de Pasadena nos Estados Unidos) e a venda abaixo do preço de custo de ativos existentes no exterior (como unidades na Argentina, vendidos a preço de banana para o grupo da ex-presidente Cristina). Nossa estrela maior foi afundada num mar de dívidas e de projetos superfaturados e inacabados. Os governos do PT (federal, estaduais e municipais) sempre devem ter quotas de vagas para os “companheiros” para que nunca fiquem desempregados. O Suplicy perdeu o mandato de Senador e foi encaixado na Prefeitura de São Paulo como Secretário Municipal, o Padilha perdeu o cargo de Ministro e ganhou uma vaguinha de Secretário de Saúde da cidade de São Paulo. Junto com eles provavelmente vieram os assessores que devem também ter sido colocados na prefeitura paulistana ou em outras espalhadas pelo país. Se formos procurar em outras administrações petistas espalhadas pelo país, veremos que estão lotadas de “companheiros” importados de outros locais de onde tiveram que sair por algum motivo, mas tiveram os seus empregos preservados e muitas vezes com um salário até melhor que o anterior. A economia real não consegue carregar nas costas tantos desvios de conduta. Os governos só querem aumentar a carga tributária para arrecadar mais, invés de promoverem uma reforma administrativa para diminuir gastos e aumentar a eficiência da máquina pública. A Presidente Dilma disse que extinguiu ministérios. Ela tinha quase quarenta ministros! Quantos cargos foram cortados? Os ministérios simplesmente foram fundidos um no outro ficando o resultante com um volume igual à soma dos dois anteriores. Não houve resultado prático algum. Será que precisamos de mais que 12(doze) ministros?
  • 4. Se somarmos as máquinas públicas na esfera federal, estaduais e municipais no âmbito dos três poderes veremos que temos um absurdo de efetivo e usado de forma ineficiente, pois não proporcionam serviços públicos de qualidade para os cidadãos que pagam os impostos. A queda do PIB do Brasil prenuncia o aumento do desemprego. Os setores da economia produzindo menos demandarão menor número de pessoas trabalhando. A falta de emprego gera a inadimplência das pessoas que por sua vez gera a crise no sistema de serviços, bancário e creditício. As pessoas, sem crédito, compram menos e a marola de lojas fechando as portas nos shoppings centers só vai aumentando e com essa marola vai engrossando a fila dos comerciários desempregados. A quebra do comércio tem ação direta na indústria que produz os produtos vendidos pelas lojas e o volume de desempregados aumenta em escala exponencial. Famílias desempregadas implica em transferências de filhos de escolas particulares para as públicas, o que gera uma pressão sobre as redes públicas de ensino ocasionando, no mínimo, um número excessivo de alunos por classe. Se analisarmos a nossa história republicana, desde que foi instalada em 15 de novembro de 1889 pelo Marechal Deodoro da Fonseca, nunca vivenciamos um mar de corrupção como este instalado pelo governo petista, começando pelo escândalo do mensalão e agora com o petróleo escancarado pela operação lava-jato. Sabe-se lá o que a Justiça irá descobrir quando investigar os casos de financiamento internacional do BNDES! Não podemos negar que chegamos a uma encruzilhada. Para onde ir? Após a campanha das DIRETAS JÁ que culminou com a eleição de Tancredo Neves para a presidência do Brasil, num pleito indireto nós tivemos como Presidente o Sr José Sarney, dissidente do partido que apoiava o Governo Militar (ARENA) e que era o candidato a Vice-Presidente na chapa de Tancredo que veio a falecer antes da posse. O Governo Sarney fez uma tentativa de conter a inflação galopante com o Plano Cruzado, criando uma nova moeda de duração efêmera e efeitos vagos. Nosso primeiro presidente eleito pelo voto direto (Fernando Collor de Mello) sofreu um processo de impeachment acusado de corrupção, teve seu mandato cassado e assumiu o Vice-presidente que implantou o Plano Real para combater a inflação introduzindo a URV (Unidade real de valor) que foi pouco a pouco tomando a forma de moeda e passou a se denominar Real, nossa moeda até os dias de hoje. O seu Ministro Fernando Henrique Cardoso foi eleito Presidente, engendrou uma medida constitucional para ser reeleito e fez a cama para que seu rival Luís Inácio Lula da Silva pudesse ficar 8 anos no poder e ainda eleger seu sucessor, a Presidente atual Dilma. O Governo Lula foi permeado por escândalos de corrupção que só não foram investigados a fundo devido ao forte apoio popular que seu governo teve. Já no Governo
  • 5. Dilma o mesmo não aconteceu. Seu governo de coalisão não funcionou bem devido a sua índole de “não dialogar” com os parlamentares. Os escândalos de corrupção aumentaram de tal forma que foi impossível para o Ministério Público e Polícia Federal não aprofundar as investigações. Na medida em que os atos de corrupção são apontados e levantados os valores astronômicos desviados da Petrobrás e de outros órgãos públicos seu governo foi perdendo apoio popular e sua base de sustentação foi sendo desmontada. Hoje o Governo Dilma está claudicante e dificilmente escapará de ser processado por crime de responsabilidade pelas “pedaladas fiscais” ou então a sua reeleição será impugnada no TSE pelo uso de caixa 2 oriundo do “petrolão”. A Dilma ainda poderá ser processada por crime de responsabilidade pelo período em que foi Presidente do Conselho da Petrobrás, período em que aconteceram enormes desvios de dinheiro da companhia e que estão sendo investigados inclusive por autoridades norte- americanas, pois a companhia tem ações no mercado de Nova Iorque. Se a Presidente Dilma quiser salvar o que resta do seu governo terá que romper com os acordos de cargos e ministérios, romper com o clientelismo do PT e formar uma nova base de apoio com Partidos e Políticos que se importem com os destinos do Brasil. Sua equipe de governo está desacreditada. Nada que qualquer ministro fale é ou será levado em conta pela maioria da população. O Impeachment não é GOLPE. Ele é um remédio constitucional. A renúncia, muitas das vezes, pode ser encarada não como um ato de covardia, mas sim como um ato de coragem de quem se descobre sem condições de conduzir o barco e passa leme para aquele que conhece o traçado do trajeto.