SlideShare uma empresa Scribd logo
Brasil : Colonial , Imperial e Republicano
Tópicos: Introdução Brasil Colonial Brasil Imperial Brasil Republicano Conclusão
Introdução A estrutura política e administrativa da colonização seguiu o modelo português: Patrimonialismo Prática de distribuição de cargos baseada na troca de favores e na afeição
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: A Carta, de Pero Vaz de Caminha Expedições de Martim Afonso – 1530 Colonização Capitanias Hereditárias – 1534/1759 Economia Governo Geral – 1548/1759 Vice-reinado Brasil - Reino
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: A Carta Pero Vaz de Caminha: primeiro documento oficial sobre o Brasil Expedições de Martim Afonso – 1530 expedições exploradoras poderes para nomear funcionários e doar terras de sesmaria Colonização interesse de franceses, holandeses e ingleses  leva Portugal a iniciar a colonização
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Capitanias Hereditárias – 1534/1759 primeiro sistema administrativo implantado no Brasil regime baseado no patrimonialismo da Coroa estrutura política e administrativa era permeada por distribuição de cargos devido a critérios de afeição e troca de favores era uma concessão de exploração de serviços concedida a particulares direitos régios, justiça, distribuição de terras, arrecadação de dízimos e fundação de povoações o regime fracassou apenas Pernambuco e São Vicente prosperaram MAS, dificultou o estabelecimento de estrangeiros na colônia
BRASIL COLONIAL  Capitanias Hereditárias
BRASIL COLONIAL - ECONOMIA
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Governo Geral 1548/1759 objetivos: apoiar melhor e com mais segurança as capitanias centralizou o poder, mas não terminou com as capitanias criados os cargos de ouvidor geral, provedor mor da fazenda e capitão mor da costa regime patrimonialista e com centro decisório em Portugal
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Governo Geral 1548/1759 traços da época até hoje existentes na AP brasileira: presença dominante do Estado elite econômica associada e dependente do Estado proteção contra concorrência controle administrativo dos preços limite artificial da oferta vantagens e subsídios na compra de matéria prima estes aspectos geraram um “capitalismo protegido”: privatista na propriedade e semi-estatal na gestão
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Vice-reinado em 1574 o Brasil foi dividido em 2 vice-reinos 1580 – União Ibérica não havia preocupação em divisa de terras 1581 – governo do Brasil unificado em Salvador 1640 – fim da União Ibérica 1640 a 1718 – título de vice-rei usado apenas por governadores de alta fidalguia após 1720 passou a ser utilizado por todos
BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Vice-reinado Administração do Marquês de Pombal _ secretário de estado do rei D. José I, de Portugal novo impulso administrativo e comercial à colônia: transferência da capital para o Rio de Janeiro (proximidade das minas e dos conflitos de fronteira do sul) criação do subsídio literário (imposto para as aulas régias) autorização do casamento com indígenas favorecimento das indústrias de origem agrícola (anil, cochonilha e laticínios) impulso á construção naval expulsão dos jesuítas de Portugal  e províncias extinção das Capitanias Hereditárias (transformadas em capitanias gerais) criação das Juntas de Justiça nas comarcas (sede das capitanias), impulsionando o crescimento de vilas
Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal
BRASIL COLONIAL Transferência da Família Real Portuguesa – 1808 fugindo das tropas de Napoleão 1808 a 1821- heranças deixadas: burocracia, patrimonialismo, distribuição de cargos e centralização do poder Política Interna elevação do Brasil a Reino Unido e sede da Coroa abertura dos portos brasileiros aumento de arrecadação, revogação do monopólio, desenvolvimento da agricultura e comércio, acordos comerciais internacionais instalação de serviços públicos criação do Banco do Brasil e de ministérios remuneração dos servidores públicos (diferenciada dos portugueses)
BRASIL COLONIAL Política Externa declaração de guerra à França anexação da Guiana Francesa (restituída em 1817) subordinação às orientações administrativas e econômicas inglesas recebimento de diplomatas estrangeiros no Brasil assinatura de tratados de paz restituição da Guiana Francesa assinatura de tratados de navegação fim do tráfico de escravos
BRASIL COLONIAL Retorno da Família Real para Portugal - 1821 derrota de Napoleão em 1817 volta da estabilidade política na Europa D. Pedro permanece como regente Brasil mantém sua estrutura política passa a ter deputados na Corte de Lisboa portugueses tentam retomar o pacto colonial o Brasil declara-se independente em 1822
BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 Segundo reinado – 1831/1889
BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 Dom Pedro I monarquia com aspecto democrata apesar do patrimonialismo, alguns anseios populares eram acatados vilas são promovidas a cidades maior importância política e administrativa 1824 – primeira Constituição inspirada nas constituições francesa e estadunidense Poder Executivo fortemente centralizado fiscalização permanente do Imperador – Poder Moderador devia velar pela harmonia entre os poderes Senado vitalício – indicado pelo Imperador Câmara de Deputados eleita a cada 4 anos podia ser dissolvida pelo imperador
BRASIL IMPERIAL
BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 período marcado por: guerras internas e externas insolvência do Banco do Brasil crescimento da dívida pública tratados de comércio com França e Inglaterra criação dos Conselhos Gerais das Províncias criação do Supremo Tribunal de Justiça necessidade de assumir o trono português, pacificar revolução em Portugal e os conflitos internos no Brasil: levaram à abdicação em favor de Pedro II, que no tempo não tinha a maoridade
BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Segundo reinado – 1831/1889 Fase das Regências – 1831/1840 Regência Trina Provisória Regência Trina Permanente 1831/1835 Ato Adicional à Constituição – 1834 experiência de república e de sistema parlamentarista Assembléias Legislativas Provinciais regência una, eleita pelo voto popular limitação do Poder Moderador para o regente Fase da Antecipação da Maioridade – 1840/1850 decretada em 1840 visou combater as revoltas enfatizou o parlamentarismo com forma de governo
Dom Pedro II
BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Segundo reinado – 1831/1889 Fase da Prosperidade – 1871/1889 o Grande Gabinete - Visconde do Rio Branco Lei do Ventre Livre reforma de pessoal e serviço dos Correios normas para promoção dos militares novo quadro de pessoal dos empregados do Tesouro e da Fazenda primeiro recenseamento geral da população escolas públicas primárias na Corte tratados com o Paraguai imigração de estrangeiros naturalização de estrangeiros
BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Primeira República – 1889/1930 Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 Terceira República – 1945/1964 Quarta República – 1964/1985 Nova República – 1985/....
BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Primeira República – 1889/1930 Constituição de 1891 República representativa federativa retorno aos três poderes reorganização dos serviços da administração federal Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 período do Estado Burocrático Carta de 1934 Estado Novo – 1937 consolidação de normas trabalhistas reforma do ensino médio e superior criação de novos territórios reforma jurídica
Getúlio Vargas
BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Terceira República – 1945/1964 grande impulso econômico plano rodoviário redemocratização dos três poderes construção da Usina Siderúrgica Nacional aproveitamento hidrelétrico lei de financiamento de serviços públicos municipais Governo JK plano de metas para energia, transporte, educação, indústria, etc crescimento da produção industrial construção de Brasília normas e contratação do servidor público, contagem de tempo de serviço, plano de assistência e plano de classificação de cargos imposto único de combustíveis e lubrificantes líquidos
Juscelino Kubitsheck
BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Quarta República – 1964/1985 Estado autoritário-burocrático eleição indireta e 5 presidentes militares criação do Banco Central correção monetária normas sobre participação dos municípios nas cotas dos tributos da União criação do Conselho Interministerial de Preços criação das empresas Nacionais de Turismo, Telecomunicações e Aeronáutica programa estratégico de desenvolvimento – orçamento plurianual de investimentos
BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Quinta República – 1985/..... Estado gerencial retorno às eleições diretas administrações com foco neoliberal privatizações
BRASIL REPUBLICANO José Sarney  tornou-se presidente após o adoecimento e posterior morte de  Tancredo Neves , entre março e abril de 1985. Sarney foi eleito vice-presidente da República na chapa de Tancredo Neves por eleição indireta, superando o candidato  Paulo Maluf . Seu mandato se caracterizou pela consolidação da  democracia  brasileira, mas também por uma grave crise econômica, que evoluiu para um quadro de  hiperinflação  histórica e  moratória . O Plano Cruzado Na área econômica, o governo Sarney adotou uma política considerada bastante heterodoxa. Entre as medidas de maior destaque estão o  Plano Cruzado , em  1986 : congelamento geral de preços por 12 meses, e a adoção do "gatilho salarial" (reajuste automático de salários sempre que a inflação atingia ou ultrapassava os 20%). O Plano Cruzado a princípio teve efeito na contenção dos preços e no aumento do poder aquisitivo da população. Milhares de consumidores passaram a fiscalizar os preços no comércio e a denunciar as remarcações, ficando conhecidos como "fiscais do Sarney". No decorrer do ano o Cruzado foi perdendo sua eficiência, com uma grave crise de abastecimento, a cobrança de ágio disseminada entre fornecedores e a volta da inflação. O governo manteve o congelamento até as eleições estaduais de 1986, tentando obter os maiores dividendos políticos possíveis do plano.
José Sarney
BRASIL REPUBLICANO Fernando Affonso Collor de Mello , conhecido simplesmente como  Fernando Collor , ( Rio de Janeiro ,  12 de agosto  de  1949 ) é um  empresário  e  político   brasileiro , atualmente filiado ao  Partido Trabalhista Brasileiro . Foi o primeiro presidente da República eleito pelo voto direto após o  Regime Militar , em  1989 , pelo período de  1990  e  1992 . O governo foi marcado pela implementação do  Plano Collor , pela abertura do mercado nacional às importações e pelo início do  Programa Nacional de Desestatização . Renunciou ao cargo em razão de um processo de  impeachment  fundamentado em acusações de  corrupção . Teve seus direitos cassados por oito anos, e só seria eleito para cargo público novamente em  2006 , tomando posse como senador por  Alagoas  em  2007 .
Fernando Collor
BRASIL REPUBLICANO Itamar Franco Em  1992 , Collor foi acusado de  corrupção  e sofreu um processo de  impeachment  pelo Congresso Nacional e se licencia do governo. Itamar assume, interinamente a presidência em  2 de outubro  de 1992, sendo formalmente aclamado presidente em  27 de dezembro  de 1992, quando Collor renunciou à presidência. O Brasil estava no meio de uma grave crise econômica, tendo a  inflação  chegado a 1100% em 1992, e alcançado quase 6000% no ano seguinte. Itamar trocou de ministros da economia várias vezes, até que  Fernando Henrique Cardoso  assumisse o  Ministério da Fazenda . Em fevereiro de  1994 , o governo Itamar lançou o  Plano Real , elaborado pelo Ministério da Fazenda a partir de idealização do economista  Edmar   Bacha , que estabilizou a economia e acabou com a crise  hiperinflacionária . Beneficiado pelo sucesso do plano, Fernando Henrique Cardoso passou a ser o candidato oficial à sucessão de Itamar, e foi eleito presidente em outubro de  1994 , assumindo a presidência em  1 de janeiro  de  1995 .
Itamar Franco
BRASIL REPUBLICANO Fernando Henrique Cardoso  ( Rio de Janeiro ,  18 de junho  de  1931 ) é um  sociólogo ,  professor universitário  e  político   brasileiro . Foi  presidente do Brasil  por dois mandatos consecutivos, de  1° de janeiro  de  1995  a  31 de dezembro  de  2002 . É co-fundador e, desde  2001 , presidente de honra do  PSDB  (Partido da Social Democracia Brasileira).  No primeiro mandato FHC conseguiu a aprovação de uma emenda constitucional que criou a reeleição para os cargos eletivos do Executivo, sendo o primeiro presidente brasileiro a ser reeleito. Em seu governo houve diversas denúncias de  corrupção , dentre as quais merecem destaque as acusações de compra de parlamentares para aprovação da reeleição e de favorecimento de alguns grupos financeiros no processo de  privatização  de empresas  estatais .
Fernando Henrique Cardoso
BRASIL REPUBLICANO Luiz Inácio Lula da Silva  é um  político   brasileiro  e atual  presidente  da  República Federativa do Brasil , desde  1º de janeiro  de  2003   A gestão é caracterizada por um governo de continuidade da estabilidade econômica da administração de Fernando Henrique, e uma  balança comercial  crescentemente superavitária. Em seu governo, a  dívida interna  passou de 731 bilhões de reais (em 2002) para um trilhão e cem bilhões de reais em dezembro de 2006, diminuindo, todavia a proporção da dívida sobre  Produto Interno Bruto  com relação à  década de 1990 . Concomitantemente, a dívida externa teve uma queda de 168 bilhões de reais, fruto principalmente da valorização do Real frente ao dólar e das volumosas compras de dólares realizadas pelo Banco Central, utilizadas em parte para recomprar a dívida (a exemplo do que foi feito com o  C-Bond ). Também é marcada por manter o corte de investimentos públicos, a exemplo da gestão anterior. Durante o governo Lula houve incremento na geração de empregos. Segundo o IBGE, de 2003 a 2006 a taxa de desemprego caiu e o número de pessoas contratadas com carteira assinada (mais 985 mil) cresceu, enquanto o total de empregos sem carteira assinada diminuiu 3,1%. Já o total de pessoas ocupadas cresceu 8,6% no período de 2003 a 2006.
Luiz Inácio Lula da Silva (Lula)
CONCLUSÃO Questão para reflexão: Qual a correspondência entre o regime de Capitanias Hereditárias e a Administração municipal do Brasil de hoje?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
Professor
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
Vinicius Coelho
 
Slides organização carteis, trustes...
Slides organização carteis, trustes...Slides organização carteis, trustes...
Slides organização carteis, trustes...
kklaa
 
Teoria Geral do Estado
Teoria Geral do EstadoTeoria Geral do Estado
Teoria Geral do Estado
PreOnline
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
Daniel Alves Bronstrup
 
Princípios metodológicos e escolas geográficas
Princípios metodológicos e escolas geográficasPrincípios metodológicos e escolas geográficas
Princípios metodológicos e escolas geográficas
Alexandre Sampaio
 
Blocos econômicos
Blocos econômicosBlocos econômicos
Blocos econômicos
Artur Lara
 
O neoliberalismo
O neoliberalismoO neoliberalismo
O neoliberalismo
Rodrigo Baglini
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Resumo : Evolução da Constituição Brasileira
Resumo : Evolução da Constituição BrasileiraResumo : Evolução da Constituição Brasileira
Resumo : Evolução da Constituição Brasileira
Anne Santos
 
Geopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais IGeopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais I
João José Ferreira Tojal
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumoDitadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumo
Cecília Chagas
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
Uilson Pereira da Silva
 
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULASISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
A constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
A constituição de 1824 - Prof. Altair AguilarA constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
A constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Estado Contemporâneo
Estado ContemporâneoEstado Contemporâneo
Estado Contemporâneo
Artur Lara
 
As Constituições brasileiras
As Constituições brasileirasAs Constituições brasileiras
As Constituições brasileiras
Edenilson Morais
 
A Nova Ordem Mundial (PDF)
A Nova Ordem Mundial (PDF)A Nova Ordem Mundial (PDF)
A Nova Ordem Mundial (PDF)
Paulo Alexandre
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
Artur Lara
 

Mais procurados (20)

A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
Estado nação, território e poder
Estado nação, território e poderEstado nação, território e poder
Estado nação, território e poder
 
Slides organização carteis, trustes...
Slides organização carteis, trustes...Slides organização carteis, trustes...
Slides organização carteis, trustes...
 
Teoria Geral do Estado
Teoria Geral do EstadoTeoria Geral do Estado
Teoria Geral do Estado
 
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
3º ano - Brasil de 1945 a 1964.
 
Princípios metodológicos e escolas geográficas
Princípios metodológicos e escolas geográficasPrincípios metodológicos e escolas geográficas
Princípios metodológicos e escolas geográficas
 
Blocos econômicos
Blocos econômicosBlocos econômicos
Blocos econômicos
 
O neoliberalismo
O neoliberalismoO neoliberalismo
O neoliberalismo
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Resumo : Evolução da Constituição Brasileira
Resumo : Evolução da Constituição BrasileiraResumo : Evolução da Constituição Brasileira
Resumo : Evolução da Constituição Brasileira
 
Geopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais IGeopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais I
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 
Ditadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumoDitadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumo
 
População mundial
População mundialPopulação mundial
População mundial
 
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULASISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
 
A constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
A constituição de 1824 - Prof. Altair AguilarA constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
A constituição de 1824 - Prof. Altair Aguilar
 
Estado Contemporâneo
Estado ContemporâneoEstado Contemporâneo
Estado Contemporâneo
 
As Constituições brasileiras
As Constituições brasileirasAs Constituições brasileiras
As Constituições brasileiras
 
A Nova Ordem Mundial (PDF)
A Nova Ordem Mundial (PDF)A Nova Ordem Mundial (PDF)
A Nova Ordem Mundial (PDF)
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
 

Destaque

Livro introdução à bioquimica básica
Livro   introdução à bioquimica básicaLivro   introdução à bioquimica básica
Livro introdução à bioquimica básica
leandro carrera
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
Nefer19
 
Tn+76 flip novo
Tn+76 flip novoTn+76 flip novo
Tn+76 flip novo
Sydney Dias
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Nefer19
 
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismoBioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Adrianne Mendonça
 
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
Nefer19
 
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
Nefer19
 
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIOPREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
p3ninh4
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Terra: Evidências da Criação
Terra: Evidências da CriaçãoTerra: Evidências da Criação
Terra: Evidências da Criação
André Luiz Marques
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Nefer19
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
Nefer19
 
O continente americano
O continente americanoO continente americano
O continente americano
Alexandre Quadrado
 
Aula 4 oba 2014 sistema solar
Aula 4 oba 2014 sistema solarAula 4 oba 2014 sistema solar
Aula 4 oba 2014 sistema solar
Instituto Iprodesc
 
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º AnoO Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
Nefer19
 
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
Nefer19
 
Sist sol marcoscalil
Sist sol marcoscalilSist sol marcoscalil
Sist sol marcoscalil
Marcos Calil
 
Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2
Poliedro2asp
 
Apostila De Algebra Linear
Apostila De Algebra LinearApostila De Algebra Linear
Apostila De Algebra Linear
Jackeline Costa
 

Destaque (20)

Livro introdução à bioquimica básica
Livro   introdução à bioquimica básicaLivro   introdução à bioquimica básica
Livro introdução à bioquimica básica
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2017)
 
Tn+76 flip novo
Tn+76 flip novoTn+76 flip novo
Tn+76 flip novo
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
 
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismoBioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
 
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
A Formação do Território Brasileiro- 7º Ano 2016
 
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (características) -7º ANO (2016)
 
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIOPREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2017)
 
Terra: Evidências da Criação
Terra: Evidências da CriaçãoTerra: Evidências da Criação
Terra: Evidências da Criação
 
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)Egito Antigo (6º Ano - 2016)
Egito Antigo (6º Ano - 2016)
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
 
O continente americano
O continente americanoO continente americano
O continente americano
 
Aula 4 oba 2014 sistema solar
Aula 4 oba 2014 sistema solarAula 4 oba 2014 sistema solar
Aula 4 oba 2014 sistema solar
 
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 1 - 7º Ano (2016)
 
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º AnoO Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano
 
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
O espaço rural no Brasil (Reforma Agrária) -7º ANO (2016)
 
Sist sol marcoscalil
Sist sol marcoscalilSist sol marcoscalil
Sist sol marcoscalil
 
Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2
 
Apostila De Algebra Linear
Apostila De Algebra LinearApostila De Algebra Linear
Apostila De Algebra Linear
 

Semelhante a Brasil Colonial, Imperial E Republicano

História da Administração Pública
História da Administração PúblicaHistória da Administração Pública
História da Administração Pública
José Claudio Dos Santos Júnior
 
Aula 4 hist em
Aula 4   hist emAula 4   hist em
Aula 4 hist em
Walney M.F
 
Brasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmpBrasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmp
Péricles Penuel
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republica
crie_historia9
 
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptxADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
EdsonArajo38
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
MarisaPatel
 
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
DANILOSANTOSRIBEIRO1
 
Fim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da repúblicaFim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da república
vanessasequeira
 
Fluxograma Império-Luso-Brasileiro
Fluxograma Império-Luso-BrasileiroFluxograma Império-Luso-Brasileiro
Fluxograma Império-Luso-Brasileiro
Glauciela Sobrinho
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
nadinefs
 
1ª Republica
1ª Republica1ª Republica
1ª Republica
Carlos Vieira
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Inês e Beatriz
 
Crise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da MonarquiaCrise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da Monarquia
Sílvia Mendonça
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
Valéria Shoujofan
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
Valesca Defante
 
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITAHistória economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
FACULDADE ESPÍRITA
 
A Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.pptA Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.ppt
RenataRodrigues504820
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
RenataRodrigues504820
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
guest600ffe1
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
cruchinho
 

Semelhante a Brasil Colonial, Imperial E Republicano (20)

História da Administração Pública
História da Administração PúblicaHistória da Administração Pública
História da Administração Pública
 
Aula 4 hist em
Aula 4   hist emAula 4   hist em
Aula 4 hist em
 
Brasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmpBrasil colonial 1 tmp
Brasil colonial 1 tmp
 
HistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª RepublicaHistóRia 1ª Republica
HistóRia 1ª Republica
 
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptxADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
ADMINISTRAÇÃObrasilCOLONIAL.pptx
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
1ª SÉRIE EM - História - Disputas e controle colonial.pptx
 
Fim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da repúblicaFim da monarquia e implantação da república
Fim da monarquia e implantação da república
 
Fluxograma Império-Luso-Brasileiro
Fluxograma Império-Luso-BrasileiroFluxograma Império-Luso-Brasileiro
Fluxograma Império-Luso-Brasileiro
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
 
1ª Republica
1ª Republica1ª Republica
1ª Republica
 
Da queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da RepúblicaDa queda da Monarquia à Implantação da República
Da queda da Monarquia à Implantação da República
 
Crise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da MonarquiaCrise E Queda Da Monarquia
Crise E Queda Da Monarquia
 
República Velha
República VelhaRepública Velha
República Velha
 
2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI 2M4 G3 - Fase D João VI
2M4 G3 - Fase D João VI
 
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITAHistória economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
História economica do brasil – do imperio à republica - FACULDADE ESPIRITA
 
A Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.pptA Corte portuguesa ppt.ppt
A Corte portuguesa ppt.ppt
 
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.pptA Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
A Corte portuguesa no Brasil o Reino Unido.ppt
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
 

Brasil Colonial, Imperial E Republicano

  • 1. Brasil : Colonial , Imperial e Republicano
  • 2. Tópicos: Introdução Brasil Colonial Brasil Imperial Brasil Republicano Conclusão
  • 3. Introdução A estrutura política e administrativa da colonização seguiu o modelo português: Patrimonialismo Prática de distribuição de cargos baseada na troca de favores e na afeição
  • 4. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: A Carta, de Pero Vaz de Caminha Expedições de Martim Afonso – 1530 Colonização Capitanias Hereditárias – 1534/1759 Economia Governo Geral – 1548/1759 Vice-reinado Brasil - Reino
  • 5. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: A Carta Pero Vaz de Caminha: primeiro documento oficial sobre o Brasil Expedições de Martim Afonso – 1530 expedições exploradoras poderes para nomear funcionários e doar terras de sesmaria Colonização interesse de franceses, holandeses e ingleses leva Portugal a iniciar a colonização
  • 6. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Capitanias Hereditárias – 1534/1759 primeiro sistema administrativo implantado no Brasil regime baseado no patrimonialismo da Coroa estrutura política e administrativa era permeada por distribuição de cargos devido a critérios de afeição e troca de favores era uma concessão de exploração de serviços concedida a particulares direitos régios, justiça, distribuição de terras, arrecadação de dízimos e fundação de povoações o regime fracassou apenas Pernambuco e São Vicente prosperaram MAS, dificultou o estabelecimento de estrangeiros na colônia
  • 7. BRASIL COLONIAL Capitanias Hereditárias
  • 8. BRASIL COLONIAL - ECONOMIA
  • 9. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Governo Geral 1548/1759 objetivos: apoiar melhor e com mais segurança as capitanias centralizou o poder, mas não terminou com as capitanias criados os cargos de ouvidor geral, provedor mor da fazenda e capitão mor da costa regime patrimonialista e com centro decisório em Portugal
  • 10. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Governo Geral 1548/1759 traços da época até hoje existentes na AP brasileira: presença dominante do Estado elite econômica associada e dependente do Estado proteção contra concorrência controle administrativo dos preços limite artificial da oferta vantagens e subsídios na compra de matéria prima estes aspectos geraram um “capitalismo protegido”: privatista na propriedade e semi-estatal na gestão
  • 11. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Vice-reinado em 1574 o Brasil foi dividido em 2 vice-reinos 1580 – União Ibérica não havia preocupação em divisa de terras 1581 – governo do Brasil unificado em Salvador 1640 – fim da União Ibérica 1640 a 1718 – título de vice-rei usado apenas por governadores de alta fidalguia após 1720 passou a ser utilizado por todos
  • 12. BRASIL COLONIAL Principais marcos do período colonial: Vice-reinado Administração do Marquês de Pombal _ secretário de estado do rei D. José I, de Portugal novo impulso administrativo e comercial à colônia: transferência da capital para o Rio de Janeiro (proximidade das minas e dos conflitos de fronteira do sul) criação do subsídio literário (imposto para as aulas régias) autorização do casamento com indígenas favorecimento das indústrias de origem agrícola (anil, cochonilha e laticínios) impulso á construção naval expulsão dos jesuítas de Portugal e províncias extinção das Capitanias Hereditárias (transformadas em capitanias gerais) criação das Juntas de Justiça nas comarcas (sede das capitanias), impulsionando o crescimento de vilas
  • 13. Sebastião José de Carvalho e Melo, Conde de Oeiras e Marquês de Pombal
  • 14. BRASIL COLONIAL Transferência da Família Real Portuguesa – 1808 fugindo das tropas de Napoleão 1808 a 1821- heranças deixadas: burocracia, patrimonialismo, distribuição de cargos e centralização do poder Política Interna elevação do Brasil a Reino Unido e sede da Coroa abertura dos portos brasileiros aumento de arrecadação, revogação do monopólio, desenvolvimento da agricultura e comércio, acordos comerciais internacionais instalação de serviços públicos criação do Banco do Brasil e de ministérios remuneração dos servidores públicos (diferenciada dos portugueses)
  • 15. BRASIL COLONIAL Política Externa declaração de guerra à França anexação da Guiana Francesa (restituída em 1817) subordinação às orientações administrativas e econômicas inglesas recebimento de diplomatas estrangeiros no Brasil assinatura de tratados de paz restituição da Guiana Francesa assinatura de tratados de navegação fim do tráfico de escravos
  • 16. BRASIL COLONIAL Retorno da Família Real para Portugal - 1821 derrota de Napoleão em 1817 volta da estabilidade política na Europa D. Pedro permanece como regente Brasil mantém sua estrutura política passa a ter deputados na Corte de Lisboa portugueses tentam retomar o pacto colonial o Brasil declara-se independente em 1822
  • 17. BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 Segundo reinado – 1831/1889
  • 18. BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 Dom Pedro I monarquia com aspecto democrata apesar do patrimonialismo, alguns anseios populares eram acatados vilas são promovidas a cidades maior importância política e administrativa 1824 – primeira Constituição inspirada nas constituições francesa e estadunidense Poder Executivo fortemente centralizado fiscalização permanente do Imperador – Poder Moderador devia velar pela harmonia entre os poderes Senado vitalício – indicado pelo Imperador Câmara de Deputados eleita a cada 4 anos podia ser dissolvida pelo imperador
  • 20. BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Primeiro reinado – 1822/1831 período marcado por: guerras internas e externas insolvência do Banco do Brasil crescimento da dívida pública tratados de comércio com França e Inglaterra criação dos Conselhos Gerais das Províncias criação do Supremo Tribunal de Justiça necessidade de assumir o trono português, pacificar revolução em Portugal e os conflitos internos no Brasil: levaram à abdicação em favor de Pedro II, que no tempo não tinha a maoridade
  • 21. BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Segundo reinado – 1831/1889 Fase das Regências – 1831/1840 Regência Trina Provisória Regência Trina Permanente 1831/1835 Ato Adicional à Constituição – 1834 experiência de república e de sistema parlamentarista Assembléias Legislativas Provinciais regência una, eleita pelo voto popular limitação do Poder Moderador para o regente Fase da Antecipação da Maioridade – 1840/1850 decretada em 1840 visou combater as revoltas enfatizou o parlamentarismo com forma de governo
  • 23. BRASIL IMPERIAL Principais marcos do Brasil Império: Segundo reinado – 1831/1889 Fase da Prosperidade – 1871/1889 o Grande Gabinete - Visconde do Rio Branco Lei do Ventre Livre reforma de pessoal e serviço dos Correios normas para promoção dos militares novo quadro de pessoal dos empregados do Tesouro e da Fazenda primeiro recenseamento geral da população escolas públicas primárias na Corte tratados com o Paraguai imigração de estrangeiros naturalização de estrangeiros
  • 24. BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Primeira República – 1889/1930 Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 Terceira República – 1945/1964 Quarta República – 1964/1985 Nova República – 1985/....
  • 25. BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Primeira República – 1889/1930 Constituição de 1891 República representativa federativa retorno aos três poderes reorganização dos serviços da administração federal Segunda República (Era Vargas) – 1930/1945 período do Estado Burocrático Carta de 1934 Estado Novo – 1937 consolidação de normas trabalhistas reforma do ensino médio e superior criação de novos territórios reforma jurídica
  • 27. BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Terceira República – 1945/1964 grande impulso econômico plano rodoviário redemocratização dos três poderes construção da Usina Siderúrgica Nacional aproveitamento hidrelétrico lei de financiamento de serviços públicos municipais Governo JK plano de metas para energia, transporte, educação, indústria, etc crescimento da produção industrial construção de Brasília normas e contratação do servidor público, contagem de tempo de serviço, plano de assistência e plano de classificação de cargos imposto único de combustíveis e lubrificantes líquidos
  • 29. BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Quarta República – 1964/1985 Estado autoritário-burocrático eleição indireta e 5 presidentes militares criação do Banco Central correção monetária normas sobre participação dos municípios nas cotas dos tributos da União criação do Conselho Interministerial de Preços criação das empresas Nacionais de Turismo, Telecomunicações e Aeronáutica programa estratégico de desenvolvimento – orçamento plurianual de investimentos
  • 30. BRASIL REPUBLICANO Principais marcos do Brasil República: Quinta República – 1985/..... Estado gerencial retorno às eleições diretas administrações com foco neoliberal privatizações
  • 31. BRASIL REPUBLICANO José Sarney tornou-se presidente após o adoecimento e posterior morte de Tancredo Neves , entre março e abril de 1985. Sarney foi eleito vice-presidente da República na chapa de Tancredo Neves por eleição indireta, superando o candidato Paulo Maluf . Seu mandato se caracterizou pela consolidação da democracia brasileira, mas também por uma grave crise econômica, que evoluiu para um quadro de hiperinflação histórica e moratória . O Plano Cruzado Na área econômica, o governo Sarney adotou uma política considerada bastante heterodoxa. Entre as medidas de maior destaque estão o Plano Cruzado , em 1986 : congelamento geral de preços por 12 meses, e a adoção do "gatilho salarial" (reajuste automático de salários sempre que a inflação atingia ou ultrapassava os 20%). O Plano Cruzado a princípio teve efeito na contenção dos preços e no aumento do poder aquisitivo da população. Milhares de consumidores passaram a fiscalizar os preços no comércio e a denunciar as remarcações, ficando conhecidos como "fiscais do Sarney". No decorrer do ano o Cruzado foi perdendo sua eficiência, com uma grave crise de abastecimento, a cobrança de ágio disseminada entre fornecedores e a volta da inflação. O governo manteve o congelamento até as eleições estaduais de 1986, tentando obter os maiores dividendos políticos possíveis do plano.
  • 33. BRASIL REPUBLICANO Fernando Affonso Collor de Mello , conhecido simplesmente como Fernando Collor , ( Rio de Janeiro , 12 de agosto de 1949 ) é um empresário e político brasileiro , atualmente filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro . Foi o primeiro presidente da República eleito pelo voto direto após o Regime Militar , em 1989 , pelo período de 1990 e 1992 . O governo foi marcado pela implementação do Plano Collor , pela abertura do mercado nacional às importações e pelo início do Programa Nacional de Desestatização . Renunciou ao cargo em razão de um processo de impeachment fundamentado em acusações de corrupção . Teve seus direitos cassados por oito anos, e só seria eleito para cargo público novamente em 2006 , tomando posse como senador por Alagoas em 2007 .
  • 35. BRASIL REPUBLICANO Itamar Franco Em 1992 , Collor foi acusado de corrupção e sofreu um processo de impeachment pelo Congresso Nacional e se licencia do governo. Itamar assume, interinamente a presidência em 2 de outubro de 1992, sendo formalmente aclamado presidente em 27 de dezembro de 1992, quando Collor renunciou à presidência. O Brasil estava no meio de uma grave crise econômica, tendo a inflação chegado a 1100% em 1992, e alcançado quase 6000% no ano seguinte. Itamar trocou de ministros da economia várias vezes, até que Fernando Henrique Cardoso assumisse o Ministério da Fazenda . Em fevereiro de 1994 , o governo Itamar lançou o Plano Real , elaborado pelo Ministério da Fazenda a partir de idealização do economista Edmar Bacha , que estabilizou a economia e acabou com a crise hiperinflacionária . Beneficiado pelo sucesso do plano, Fernando Henrique Cardoso passou a ser o candidato oficial à sucessão de Itamar, e foi eleito presidente em outubro de 1994 , assumindo a presidência em 1 de janeiro de 1995 .
  • 37. BRASIL REPUBLICANO Fernando Henrique Cardoso ( Rio de Janeiro , 18 de junho de 1931 ) é um sociólogo , professor universitário e político brasileiro . Foi presidente do Brasil por dois mandatos consecutivos, de 1° de janeiro de 1995 a 31 de dezembro de 2002 . É co-fundador e, desde 2001 , presidente de honra do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). No primeiro mandato FHC conseguiu a aprovação de uma emenda constitucional que criou a reeleição para os cargos eletivos do Executivo, sendo o primeiro presidente brasileiro a ser reeleito. Em seu governo houve diversas denúncias de corrupção , dentre as quais merecem destaque as acusações de compra de parlamentares para aprovação da reeleição e de favorecimento de alguns grupos financeiros no processo de privatização de empresas estatais .
  • 39. BRASIL REPUBLICANO Luiz Inácio Lula da Silva é um político brasileiro e atual presidente da República Federativa do Brasil , desde 1º de janeiro de 2003 A gestão é caracterizada por um governo de continuidade da estabilidade econômica da administração de Fernando Henrique, e uma balança comercial crescentemente superavitária. Em seu governo, a dívida interna passou de 731 bilhões de reais (em 2002) para um trilhão e cem bilhões de reais em dezembro de 2006, diminuindo, todavia a proporção da dívida sobre Produto Interno Bruto com relação à década de 1990 . Concomitantemente, a dívida externa teve uma queda de 168 bilhões de reais, fruto principalmente da valorização do Real frente ao dólar e das volumosas compras de dólares realizadas pelo Banco Central, utilizadas em parte para recomprar a dívida (a exemplo do que foi feito com o C-Bond ). Também é marcada por manter o corte de investimentos públicos, a exemplo da gestão anterior. Durante o governo Lula houve incremento na geração de empregos. Segundo o IBGE, de 2003 a 2006 a taxa de desemprego caiu e o número de pessoas contratadas com carteira assinada (mais 985 mil) cresceu, enquanto o total de empregos sem carteira assinada diminuiu 3,1%. Já o total de pessoas ocupadas cresceu 8,6% no período de 2003 a 2006.
  • 40. Luiz Inácio Lula da Silva (Lula)
  • 41. CONCLUSÃO Questão para reflexão: Qual a correspondência entre o regime de Capitanias Hereditárias e a Administração municipal do Brasil de hoje?