SlideShare uma empresa Scribd logo
O IMPÉRIO ROMANO DO ORIENTE
(IMPÉRIO BIZANTINO)
O IMPÉRIO BIZANTINO
Enquanto o Império
Romano do Ocidente era
invadido pelos povos
bárbaros o Império
Romano do Oriente
desenvolvia-se o
comércio que
impulsionava o
crescimento das
cidades.
O IMPÉRIO BIZANTINO
Alexandria
Niceia
Eram cidades
populosas e com
grandes construções
(igrejas, teatros,
circos, banhos
públicos e
hipódromos)
AS CIDADES IMPORTANTES
No hipódromo eram realizados
espetáculos de combates com
gladiadores, luta entre animais,
corridas de cavalos e
apresentações circenses.
O IMPÉRIO BIZANTINO
A capital do Império era Constantinopla que ficava no
limite entre a Ásia e a Europa, uma região de passagem
de rotas comerciais terrestre e marítimas.
CONSTANTINOPLA
O COMÉRCIO
marítimo era feito por
embarcações (grandes e
pequenas). O COMÉRCIO
terrestre era feito por
animais (camelos,
cavalos e burros)
O COMÉRCIO BIZANTINO
OS PRINCIPAIS PRODUTOS TRAZIDOS DO ORIENTE:
O COMÉRCIO BIZANTINO
OS PRINCIPAIS PRODUTOS TRAZIDOS DO OCIDENTE :
A HERANÇA ROMANA
Os bizantinos
consideravam-se os únicos
herdeiros do Império
Romano tanto é verdade
que os bizantinos
chamavam-se a si próprios
de romanos e deram o
nome de România á sua
terra.
A CULTURA BIZANTINA
Além da forte influência romana, a cultura bizantina foi
influenciada por outras culturas e religiões, entre
elas a grega, a cristã e as orientais (persa e chinesa).
Dos gregos herdaram o
idioma adotado
oficialmente no século VI.
As culturas orientais influenciaram os
bizantinos no gosto pela decoração e seda.
A principal obra
arquitetônica da Arte
Bizantina é a Igreja de Santa
Sofia em Constantinopla.
A CULTURA BIZANTINA
Os bizantinos herdaram dos romanos a forma de
organização das cidades, como construções
semelhantes à antiga capital.
CONSTANTINOPLA
RELIGIÃO BIZANTINA
Dos cristãos, os bizantinos incorporaram a
religião, dando a ela características próprias: a igreja
bizantina foi denominada IGREJA ORTODOXA e
passou a ser dirigida pelo patriarca de
Constantinopla.
GRANDE CISMA DO ORIENTE
No início do século XI, as diferenças ente o cristianismo do
Ocidente e o do Oriente provocaram uma divisão na
cristandade. Essa divisão fiou conhecida como o GRANDE
CISMA DO ORIENTE. A partir de então, a igreja ocidental
passou a ser chamada de Igreja Católica Apostólica
Romana, liderada pelo papa. A igreja bizantina, por sua vez,
foi chamada de Igreja Ortodoxa, liderada pelo patriarca.
A PRODUÇÃO DA SEDA
Uma das mais importantes influências da cultura oriental no
Império Bizantino foi a produção da seda. Os bizantinos
tiveram acesso aos segredos da produção da seda pelos
chineses e começaram a produzir seda de alta qualidade e a
exportá-la para a Europa Ocidental.
O GOVERNO DO JUSTIANO
Justiniano foi um dos mais importantes imperadores do
Império Bizantino. Ele governou o império entre 527 e 565.
Dentre seu feitos destacam-se reconquista de território do antigo
Império Romano, como o norte da África e a península Itálica.
O imperador era visto
como um mediador
entre Deus e o ser
humano.
O GOVERNO DO JUSTIANO
O GOVERNO DO JUSTIANO
Justiniano ordenou a construção de grandes
obras, como igrejas, palácios, pontes, estradas,
aquedutos e hospitais.
A catedral de Santa Sofia, construída
em Constantinopla (atual Istambul
(Turquia)) no seu governo tem uma
das maiores cúpulas do mundo e seu
interior é decorado com mosaicos
dourados.
O GOVERNO DO JUSTIANO
No seu governo juristas e estudiosos realizaram a compilação de
leis conhecida como Corpus Juris Civilis (Corpo do Direito
Civil) baseada nas antigas leis romanas e em novas leis
estabelecidas em seu governo.
A ARTE BIZANTINA
Pinturas, mosaicos, iluminuras, afrescos, esculturas,
literatura e arquitetura são as principais expressões
artísticas bizantinas que exaltavam acontecimentos
bíblicos, a vida dos santos e a importância da fé.
A arte bizantina teve influências gregas,
romanas, orientais e cristãs.
O LEGADO BIZANTINO
Países como a Rússia, a Bulgária, a Ucrânia e a
Hungria receberam grande influência da
cultura desenvolvida durante o Império
Bizantino. Como exemplo temos:
O alfabeto grego utilizado em Bizâncio tem
forte influência no alfabetos desses países.
A religião nesses países é Cristianismo
Ortodoxo.
A arquitetura e o planejamento urbano
sofreu forte influência desse império.
Catedral de São Basílio em
Moscou (Rússia).
Parlamento de
Budapeste, onde se reúne
a Assembleia Nacional da
Hungria.
ATIVIDADES
Abra seu livro na página 34 e 35 e observe com atenção
as características principais da cidade de Constantinopla.
ATIVIDADES
Exercícios de Compreensão
Página 36 Nos 13, 14, 15, 16, 17 e 18.
Expandindo os conteúdos
Página 36, 37 e 38 e 39 Nos 19, 20 e 21.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeiros Povoadores da América
Primeiros Povoadores da AméricaPrimeiros Povoadores da América
Primeiros Povoadores da América
edna2
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
Eduard Henry
 
Escravidão indígena
Escravidão indígenaEscravidão indígena
Escravidão indígena
Nara Oliveira
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
Eduard Henry
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
Daniel Alves Bronstrup
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Mesopotamia slide
Mesopotamia slideMesopotamia slide
Mesopotamia slide
Isabel Aguiar
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Nefer19
 
Uniao iberica slide
Uniao iberica slideUniao iberica slide
Uniao iberica slide
Isabel Aguiar
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
Isaquel Silva
 
Povoamento do América
Povoamento do AméricaPovoamento do América
Povoamento do América
Patrícia Costa Grigório
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
Alex Ferreira dos Santos
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Slide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 anoSlide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 ano
profbrenoazevedo
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
Adail Silva
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
harlissoncarvalho
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
Professor de História
 

Mais procurados (20)

1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia1° ano - Mesopotâmia
1° ano - Mesopotâmia
 
Primeiros Povoadores da América
Primeiros Povoadores da AméricaPrimeiros Povoadores da América
Primeiros Povoadores da América
 
Baixa idade média
Baixa idade médiaBaixa idade média
Baixa idade média
 
Escravidão indígena
Escravidão indígenaEscravidão indígena
Escravidão indígena
 
Povos germânicos
Povos germânicosPovos germânicos
Povos germânicos
 
1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe 1º ano - Civilização Árabe
1º ano - Civilização Árabe
 
1° ano - Idade Média Ocidental
1° ano  - Idade Média Ocidental1° ano  - Idade Média Ocidental
1° ano - Idade Média Ocidental
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Mesopotamia slide
Mesopotamia slideMesopotamia slide
Mesopotamia slide
 
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º AnoOs Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
Os Reinos Bárbaros (2017) - 7º Ano
 
Uniao iberica slide
Uniao iberica slideUniao iberica slide
Uniao iberica slide
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
 
Povoamento do América
Povoamento do AméricaPovoamento do América
Povoamento do América
 
A Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonialA Escravidão no Brasil colonial
A Escravidão no Brasil colonial
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Slide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 anoSlide feudalismo 7 ano
Slide feudalismo 7 ano
 
Antigas civilizações
Antigas civilizações Antigas civilizações
Antigas civilizações
 
Mercantilismo
MercantilismoMercantilismo
Mercantilismo
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
8° ANO - REBELIÕES NA AMÉRICA PORTUGUESA.pptx
 

Destaque

água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculas
Victor Maciel
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
Nefer19
 
Guia de análises de acidentes de trabalho
Guia de análises de acidentes de trabalhoGuia de análises de acidentes de trabalho
Guia de análises de acidentes de trabalho
Josué Sampaio
 
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2016)
O Renascimento  - 7º Ano (2016)O Renascimento  - 7º Ano (2016)
O Renascimento - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
Nefer19
 
Rochas e solos
Rochas e solosRochas e solos
Rochas e solos
Guilherme Ribeiro
 
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismoBioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Adrianne Mendonça
 
Ap. fundamentos bioquímica
Ap. fundamentos bioquímicaAp. fundamentos bioquímica
Ap. fundamentos bioquímica
Fernanda Sanches
 
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Equipamentos observa sol calil
Equipamentos observa sol calilEquipamentos observa sol calil
Equipamentos observa sol calil
Instituto Iprodesc
 
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2
Poliedro2asp
 
A Divisão da História (2017) - 6º Ano
A Divisão da História (2017) - 6º AnoA Divisão da História (2017) - 6º Ano
A Divisão da História (2017) - 6º Ano
Nefer19
 
Relogio de sol analematico calil
Relogio de sol analematico calilRelogio de sol analematico calil
Relogio de sol analematico calil
Instituto Iprodesc
 
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
Instituto Iprodesc
 
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
Nefer19
 
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
Instituto Iprodesc
 
Analema de Vitruvius dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
Analema de Vitruvius  dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...Analema de Vitruvius  dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
Analema de Vitruvius dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
Marcos Calil
 

Destaque (20)

água e biomoléculas
água e biomoléculaságua e biomoléculas
água e biomoléculas
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
 
Guia de análises de acidentes de trabalho
Guia de análises de acidentes de trabalhoGuia de análises de acidentes de trabalho
Guia de análises de acidentes de trabalho
 
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
A paisagem, os lugares e o tempo e o espaço geográfica (módulos 5 e 7) - 6º A...
 
O Renascimento - 7º Ano (2016)
O Renascimento  - 7º Ano (2016)O Renascimento  - 7º Ano (2016)
O Renascimento - 7º Ano (2016)
 
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
As coordenadas geográficas - 6º ANO (2016)
 
Rochas e solos
Rochas e solosRochas e solos
Rochas e solos
 
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismoBioquimica   metabolismo catabolismo e anabolismo
Bioquimica metabolismo catabolismo e anabolismo
 
Ap. fundamentos bioquímica
Ap. fundamentos bioquímicaAp. fundamentos bioquímica
Ap. fundamentos bioquímica
 
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
As Regiões do Brasil - 7º Ano (2017)
 
Equipamentos observa sol calil
Equipamentos observa sol calilEquipamentos observa sol calil
Equipamentos observa sol calil
 
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2017)
 
Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2Evoluçao 1.2
Evoluçao 1.2
 
A Divisão da História (2017) - 6º Ano
A Divisão da História (2017) - 6º AnoA Divisão da História (2017) - 6º Ano
A Divisão da História (2017) - 6º Ano
 
Relogio de sol analematico calil
Relogio de sol analematico calilRelogio de sol analematico calil
Relogio de sol analematico calil
 
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
História da Astronomia - Johannes Kepler - Parte 6 de 7
 
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
O Territorio Brasileiro (Ocupação, Nação Brasileira e os Meios de Transporte)...
 
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
Aspectos populacionais do Brasil 2 - 7º Ano (2016)
 
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
4.2015 2.observação de objetos celestes noturnos
 
Analema de Vitruvius dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
Analema de Vitruvius  dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...Analema de Vitruvius  dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
Analema de Vitruvius dos relógios solares até o relógio de sol plano horizon...
 

Semelhante a O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano

Constantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptxConstantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptx
ssuser0d0c5a
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
Andrea Dressler
 
16.a.bizantino
16.a.bizantino16.a.bizantino
16.a.bizantino
Jose Ribamar Santos
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filé
mundica broda
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
dmflores21
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Danilo Virgens
 
Bizantinos
BizantinosBizantinos
Bizantinos
Fatima Freitas
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
Izaac Erder
 
império bizantino
império bizantinoimpério bizantino
império bizantino
mo_nalegna
 
O IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINOO IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINO
andersonsenar
 
Bizancio
BizancioBizancio
Bizancio
Claudio Souza
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Guilherme Drumond
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
Nelia Salles Nantes
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Colégio Super Star
 
1º estudo de história - 7º ano – fevereiro
1º estudo de história   - 7º ano – fevereiro 1º estudo de história   - 7º ano – fevereiro
1º estudo de história - 7º ano – fevereiro
Luiza Collet
 
A cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º anoA cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º ano
Associação de Pais C appalmesc
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Cristiane Seibt
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
Jadisson Vaz
 
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e BizantinaArte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
carollynha
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
Nelia Salles Nantes
 

Semelhante a O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano (20)

Constantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptxConstantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptx
 
Arte Bizantina
Arte BizantinaArte Bizantina
Arte Bizantina
 
16.a.bizantino
16.a.bizantino16.a.bizantino
16.a.bizantino
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filé
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Bizantinos
BizantinosBizantinos
Bizantinos
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
império bizantino
império bizantinoimpério bizantino
império bizantino
 
O IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINOO IMPÉRIO BIZANTINO
O IMPÉRIO BIZANTINO
 
Bizancio
BizancioBizancio
Bizancio
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
1º estudo de história - 7º ano – fevereiro
1º estudo de história   - 7º ano – fevereiro 1º estudo de história   - 7º ano – fevereiro
1º estudo de história - 7º ano – fevereiro
 
A cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º anoA cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º ano
 
Arte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantinaArte cristã primitiva e arte bizantina
Arte cristã primitiva e arte bizantina
 
Arte na idade média
Arte na idade médiaArte na idade média
Arte na idade média
 
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e BizantinaArte Cristã Primitiva e Bizantina
Arte Cristã Primitiva e Bizantina
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
 

Mais de Nefer19

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Nefer19
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
Nefer19
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 

Mais de Nefer19 (20)

As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2018)
 
China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)China Antiga - 6º Ano (2018)
China Antiga - 6º Ano (2018)
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
 
Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)Os Persas - 6º Ano (2018)
Os Persas - 6º Ano (2018)
 
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)Os Fenícios - 6º Ano (2018)
Os Fenícios - 6º Ano (2018)
 
O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)O Renascimento - 7º Ano (2018)
O Renascimento - 7º Ano (2018)
 
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)Tectonismo e Vulcanismo -  6º Ano (2018)
Tectonismo e Vulcanismo - 6º Ano (2018)
 
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
As Diferentes Regionalizações do Brasil - 7º Ano (2018)
 
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
A Terra e suas Transformações - 6º Ano (2018)
 
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)Egito Antigo - 6º Ano (2018)
Egito Antigo - 6º Ano (2018)
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
A Baixa Idade Média - 7º Ano (2018)
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2018)
 
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
Os Meios de Orientação - 6º Ano (2018)
 
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
Os Municípios e as Regiões Metropolitanas - 7º Ano (2018)
 
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
A Formação do Território Brasileiro - 7º Ano (2018)
 
África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)África Medieval - 7º Ano (2018)
África Medieval - 7º Ano (2018)
 
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
O Sistema Solar - 6º ANO (2018)
 
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
O Brasil no Mundo - 7º Ano (2018)
 

Último

Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 

O Império Romano do Oriente (Império Bizantino) (2017) - 7º Ano

  • 1. O IMPÉRIO ROMANO DO ORIENTE (IMPÉRIO BIZANTINO)
  • 2. O IMPÉRIO BIZANTINO Enquanto o Império Romano do Ocidente era invadido pelos povos bárbaros o Império Romano do Oriente desenvolvia-se o comércio que impulsionava o crescimento das cidades.
  • 3. O IMPÉRIO BIZANTINO Alexandria Niceia Eram cidades populosas e com grandes construções (igrejas, teatros, circos, banhos públicos e hipódromos) AS CIDADES IMPORTANTES
  • 4. No hipódromo eram realizados espetáculos de combates com gladiadores, luta entre animais, corridas de cavalos e apresentações circenses.
  • 5. O IMPÉRIO BIZANTINO A capital do Império era Constantinopla que ficava no limite entre a Ásia e a Europa, uma região de passagem de rotas comerciais terrestre e marítimas.
  • 6. CONSTANTINOPLA O COMÉRCIO marítimo era feito por embarcações (grandes e pequenas). O COMÉRCIO terrestre era feito por animais (camelos, cavalos e burros)
  • 7. O COMÉRCIO BIZANTINO OS PRINCIPAIS PRODUTOS TRAZIDOS DO ORIENTE:
  • 8. O COMÉRCIO BIZANTINO OS PRINCIPAIS PRODUTOS TRAZIDOS DO OCIDENTE :
  • 9. A HERANÇA ROMANA Os bizantinos consideravam-se os únicos herdeiros do Império Romano tanto é verdade que os bizantinos chamavam-se a si próprios de romanos e deram o nome de România á sua terra.
  • 10. A CULTURA BIZANTINA Além da forte influência romana, a cultura bizantina foi influenciada por outras culturas e religiões, entre elas a grega, a cristã e as orientais (persa e chinesa). Dos gregos herdaram o idioma adotado oficialmente no século VI.
  • 11. As culturas orientais influenciaram os bizantinos no gosto pela decoração e seda.
  • 12. A principal obra arquitetônica da Arte Bizantina é a Igreja de Santa Sofia em Constantinopla.
  • 13. A CULTURA BIZANTINA Os bizantinos herdaram dos romanos a forma de organização das cidades, como construções semelhantes à antiga capital. CONSTANTINOPLA
  • 14. RELIGIÃO BIZANTINA Dos cristãos, os bizantinos incorporaram a religião, dando a ela características próprias: a igreja bizantina foi denominada IGREJA ORTODOXA e passou a ser dirigida pelo patriarca de Constantinopla.
  • 15. GRANDE CISMA DO ORIENTE No início do século XI, as diferenças ente o cristianismo do Ocidente e o do Oriente provocaram uma divisão na cristandade. Essa divisão fiou conhecida como o GRANDE CISMA DO ORIENTE. A partir de então, a igreja ocidental passou a ser chamada de Igreja Católica Apostólica Romana, liderada pelo papa. A igreja bizantina, por sua vez, foi chamada de Igreja Ortodoxa, liderada pelo patriarca.
  • 16. A PRODUÇÃO DA SEDA Uma das mais importantes influências da cultura oriental no Império Bizantino foi a produção da seda. Os bizantinos tiveram acesso aos segredos da produção da seda pelos chineses e começaram a produzir seda de alta qualidade e a exportá-la para a Europa Ocidental.
  • 17. O GOVERNO DO JUSTIANO Justiniano foi um dos mais importantes imperadores do Império Bizantino. Ele governou o império entre 527 e 565. Dentre seu feitos destacam-se reconquista de território do antigo Império Romano, como o norte da África e a península Itálica. O imperador era visto como um mediador entre Deus e o ser humano.
  • 18. O GOVERNO DO JUSTIANO
  • 19. O GOVERNO DO JUSTIANO Justiniano ordenou a construção de grandes obras, como igrejas, palácios, pontes, estradas, aquedutos e hospitais.
  • 20. A catedral de Santa Sofia, construída em Constantinopla (atual Istambul (Turquia)) no seu governo tem uma das maiores cúpulas do mundo e seu interior é decorado com mosaicos dourados.
  • 21. O GOVERNO DO JUSTIANO No seu governo juristas e estudiosos realizaram a compilação de leis conhecida como Corpus Juris Civilis (Corpo do Direito Civil) baseada nas antigas leis romanas e em novas leis estabelecidas em seu governo.
  • 22. A ARTE BIZANTINA Pinturas, mosaicos, iluminuras, afrescos, esculturas, literatura e arquitetura são as principais expressões artísticas bizantinas que exaltavam acontecimentos bíblicos, a vida dos santos e a importância da fé. A arte bizantina teve influências gregas, romanas, orientais e cristãs.
  • 23. O LEGADO BIZANTINO Países como a Rússia, a Bulgária, a Ucrânia e a Hungria receberam grande influência da cultura desenvolvida durante o Império Bizantino. Como exemplo temos: O alfabeto grego utilizado em Bizâncio tem forte influência no alfabetos desses países. A religião nesses países é Cristianismo Ortodoxo. A arquitetura e o planejamento urbano sofreu forte influência desse império.
  • 24. Catedral de São Basílio em Moscou (Rússia).
  • 25. Parlamento de Budapeste, onde se reúne a Assembleia Nacional da Hungria.
  • 26. ATIVIDADES Abra seu livro na página 34 e 35 e observe com atenção as características principais da cidade de Constantinopla.
  • 27. ATIVIDADES Exercícios de Compreensão Página 36 Nos 13, 14, 15, 16, 17 e 18. Expandindo os conteúdos Página 36, 37 e 38 e 39 Nos 19, 20 e 21.