SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Os primeiros tempos....
• O Brasil continuou a ser agroexportador;
• A população continuou sem participação;
• A República não representava o
  pensamento de todos que torceram pela
  sua instauração;
• O Brasil tornou-se federalista, defendido
  pelas elites de SP eMG.
               Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Republica da Espada
                1889-1894
• Foi o período que correspondeu aos
  dois governos iniciais do
  Brasil, constituídos pelos militares, os
  marechais:
• Manuel Deodoro da Fonseca
• Floriano Vieira Peixoto

               Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Governo Provisório
               1889-1891
• Até que fossem
  realizadas no país
  novas eleições e uma
  nova
  constituição, Deodor
  o da Fonseca liderou
  um Governo
  Provisório Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Governo Provisório
                  1889-1891
• Marechal dissolveu as assembleias provinciais
  e as Câmaras municipais.
• Demitiu e indicou novos presidentes para as
  províncias;
• Uma elite civil e militar passou a administrar o
  Brasil;
• As negociações políticas envolveram vários
  partidos republicanos, do RJ,SP;

                  Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
A crise econômica
• Rui Barbosa, Ministro
  da Fazenda, e m
  1890, criou uma
  política de incentivo a
  criação de empresas
  industriais e
  comerciais no país.

                Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Encilhamento
• Para fortalecer o crédito Rui Barbosa permitiu
  que alguns bancos emitissem papel-moeda
  para ser emprestado.
• A facilidade de crédito induziu o surgimento
  de empresas fantasmas, cujas ações eram
  negociadas na Bolsa de valores;
• A nova política fez aumentar a inflação;
• O resultado foi uma enorme crise e falência.

                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Constituição de 1891
• Refletiu o liberalismo e a influência norte-
  americana.
• O país tornou-se Estados Unidos do Brasil;
• As províncias tornaram-se Estados e ganharam
  autonomia (constituição, impostos, eleger gov.)
• Voto passou a ser direto, excluindo
  analfabetos, mendigos, mulheres, soldados e
  menores de 21 anos.

                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Constituição de 1891
• O mandato do presidente seria de 4 anos;
• A Igreja separou-se do Estado;
• Instituiu-se o registro de
  nascimento, casamento e atestado de óbito.

• O Deodoro da Fonseca permaneceu como
  presidente graças a pressão dos Militares
  sobre os deputados.
                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Governo Constitucional de
        Deodoro
• Marechal Deodoro passou a enfrentar forte
  oposição do Congresso;
• Em 3 de novembro de 1891, um decreto
  fechou o Congresso;
• Os ferroviários declararam greve ameaçando o
  abastecimento;
• Doente e receando uma guerra, Deodoro
  renunciou em 23 de novembro de 1891.

                Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Governo de Floriano Peixoto
• Para conseguir apoio popular, diminuiu preços
  dos aluguéis dos operários;
• Isentou de impostos a carne e os gêneros de
  primeira necessidade;
• Incentivou a industrialização;
• Passou a fiscalizar a aplicação do erário
  publico;
• Isto não foi suficiente para evitar movimentos;
                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Revolução Federalista
                         1893-1895
Federalistas                            Republicanos
• Maragatos                                   • Chimangos ou
• Líder: Gaspar Silveira                        Picapaus
  Martins                                     • Líder: Júlio de
• Defendiam a                                   Castilhos
  instalação de um
  regime                                      • Defendiam um
  Parlamentarista                               Presidencialismo
• Paz foi assinada em                           forte, centralizador
  1895.                                       • Estavam com Floriano
                                                Peixoto
                    Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Revolta da Armada 1893
• Foi a disputa pelo poder entre oficiais do Exército
  e da Marinha e representantes de grupos Sociais;
• Marinha era mais elitista, oligárquica.
• Em 13 de setembro de 1893, navios da Armada
  bombardearam o RJ.
• O governo com apoio popular e de SP revidou.
• Os rebeldes vieram para o sul
• O Rigor de Floriano lhe rendeu o apelido de
  Marechal de Ferro;

                   Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
República das Oligarquias
• Na sucessão os mais beneficiados foram
  os paulistas;
• Em março de 1894, elegeu-se Prudente
  de Morais, ligado ao PRP;
• A partir desse momento o poder passou
  para as elites agrárias, principalmente
  para São Paulo e Minas Gerais.

               Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
MECANISMOS DE SUSTENTAÇÃO
           POLÍTICA
• Para garantir o poder as elites rurais
  criaram:

• A Política dos Governadores;
• Política do Café com Leite;
• Comissão de Verificação de Poderes.
              Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Política dos              Comissão de
    Governadores          Verificação de Poderes
• Acordo entre o          • Composta por 5
  Presidente da Republica   parlamentares, ganh
  e os Presidentes de       ou direito de
  Estado para obter
  apoio.
                            diplomar candidatos
                            que interessavam ao
• Em troca, o executivo
  na interferia nas         governo.
  eleições                • E “degolar” os
  estaduais, garantindo     opositores.
  sua permanência.


                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Política do Café com Leite
 Consistiu na alternância de
   paulistas e mineiros na
  presidência da República
   durante toda a Primeira
          República.

         Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Coronelismo
Este nome foi dado, pois a política era controlada e
  comandada pelos coronéis (ricos fazendeiros).

 - Voto de Cabresto: Os coronéis compravam votos
 para seus candidatos ou trocavam votos por bens
 matérias. Como o voto era aberto, os coronéis
 mandavam capangas para os locais de votação, com
 objetivo de intimidar os eleitores e ganhar votos. As
 regiões controladas politicamente pelos coronéis
 eram conhecidas como currais eleitorais.
                   Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Coronelismo
- Fraude eleitoral: os coronéis costumam alterar
   votos, sumir com urnas e até mesmo
   patrocinavam a prática do voto fantasma. Este
   último consistia na falsificação de documentos
   para que pessoas pudessem votar várias vezes
   ou até mesmo utilizar o nome de falecidos nas
   votações.



                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Coronelismo
• Fim do coronelismo
• Com a Revolução de 1930 e a chegada
  de Getúlio Vargas à presidência da
  República, o coronelismo perdeu força e
  deixou de existir em várias regiões do Brasil.
• Apesar disso, algumas práticas do
  coronelismo, como, por exemplo, a compra de
  votos e fraudes eleitorais continuou
  existindo, por muito tempo, em algumas
  regiões.
                 Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
• Durante a PR, o estímulo ás atividades
  agroexportadoras esteve entre as
  prioridades do governo;
• O café foi o principal produto de
  exportação (beneficiou –se da abertura
  de linhas de crédito e da vinda dos
  imigrantes)
• No início do sec. XX o café passou por
  momentos de crise provenientes da
  superprodução, assim:
               Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
• Os governos estaduais decidiram interferir
  e garantir um preço mínimo com:
• Convênio de Taubaté- o governo em 1906
  firmou acordo com o governos de SP, MG e
  RJ e determinou que os três estados
  comprariam a safra prevista por um preço
  fixado, de maneira que evitasse a
  desvalorização.
• Os estoques seriam armazenados e
  fornecidos de acordo com a procura.

                Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Outros produtos no mercado...
• Cacau
• cana-de-açúcar
• Borracha




              Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
O desenvolvimento industrial
• A concentração de capitais acabou
  contribuindo para a expansão da atividade
  industrial em algumas cidades;
• Os investimentos vinham dos
  cafeicultores, imigrantes e do capital
  internacional;
• Mulheres e crianças eram mão de obra barata
• As condições de trabalho eram rigorosas e
  brutais;
• Não havia legislação trabalhista;
                Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
A imprensa
• Após a proclamação da
  República, em
  1889, parte da
  imprensa ajudou a criar
  entre os brasileiros uma
  imagem positiva do
  regime.
• Surgiram revistas de
  cunho
  literário, político, satíric
  o.               Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
Modernização nas cidades
• Rio e São Paulo passaram por um processo de
  modernização inspirado em Paris;
• Foram criados novos bairros, a expansão dos
  serviços de esgotos, água canalizada e
  transporte coletivo;
• Apesar dos esforços as grandes cidades
  enfrentavam problemas com a criminalidade e
  com as inundações.

                Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
Janaína Tavares
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
Nívia Sales
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
isameucci
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
Vivihistoria
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Elaine Bogo Pavani
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
Geová da Silva
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
Marcos Azevedo
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
Marcos Oliveira
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Fatima Freitas
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
Daniel Alves Bronstrup
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
Jerry Guimarães
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
Daniel Alves Bronstrup
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Munis Pedro
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
Nefer19
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Primeira República
Primeira RepúblicaPrimeira República
Primeira República
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
Brasil imperial
Brasil imperialBrasil imperial
Brasil imperial
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Chegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasilChegada da família real ao brasil
Chegada da família real ao brasil
 
Aula revolução industrial
Aula revolução industrialAula revolução industrial
Aula revolução industrial
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Colonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-americaColonizacao espanhola-america
Colonizacao espanhola-america
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 
Mineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil ColôniaMineração no Brasil Colônia
Mineração no Brasil Colônia
 
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
1° ano - E.M. - Primeiras civilizações
 
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romanoRoma Antiga - monarquia, república e império romano
Roma Antiga - monarquia, república e império romano
 
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
A Reforma Protestante - 7º ANO (2017)
 
3º ano era vargas
3º ano   era vargas3º ano   era vargas
3º ano era vargas
 

Destaque

Primeira república
Primeira repúblicaPrimeira república
Primeira república
Evanilde Chuva
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
João Medeiros
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
Valéria Shoujofan
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
Fabio Santos
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
carlosbidu
 
Brasil primeira republica
Brasil primeira republicaBrasil primeira republica
Brasil primeira republica
sandrabastos2010
 
Slide república velha
Slide república velhaSlide república velha
Slide república velha
Isabel Aguiar
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasil
Lucas Degiovani
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Marcia Klein
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
Elaine Bogo Pavani
 
A proclamação da república no Brasil
A proclamação da república no BrasilA proclamação da república no Brasil
A proclamação da república no Brasil
Sylvio Bazote
 
A República Velha (1894 1930)
A República Velha (1894 1930)A República Velha (1894 1930)
A República Velha (1894 1930)
Isaquel Silva
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Professora Natália de Oliveira
 
A República Oligárquica - 9º ano
A República Oligárquica - 9º anoA República Oligárquica - 9º ano
A República Oligárquica - 9º ano
Profª Bruna Morrana
 
Brasil república 9º ano
Brasil república 9º anoBrasil república 9º ano
Brasil república 9º ano
Eloy Souza
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
cectrabalho
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Aparecido Alcântara
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
Douglas Barraqui
 
Primeira república no brasil
Primeira república no brasilPrimeira república no brasil
Primeira república no brasil
Naiani Fenalti
 

Destaque (20)

Primeira república
Primeira repúblicaPrimeira república
Primeira república
 
Brasil - Primeira república
Brasil - Primeira repúblicaBrasil - Primeira república
Brasil - Primeira república
 
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
História do Brasil: A República Velha ou Primeira República (1889-1930) - Pro...
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
 
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
BRASIL REPÚBLICA: O INÍCIO
 
Brasil primeira republica
Brasil primeira republicaBrasil primeira republica
Brasil primeira republica
 
Slide república velha
Slide república velhaSlide república velha
Slide república velha
 
A proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasilA proclamação da república no brasil
A proclamação da república no brasil
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
A proclamação da república no Brasil
A proclamação da república no BrasilA proclamação da república no Brasil
A proclamação da república no Brasil
 
A República Velha (1894 1930)
A República Velha (1894 1930)A República Velha (1894 1930)
A República Velha (1894 1930)
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
A República Oligárquica - 9º ano
A República Oligárquica - 9º anoA República Oligárquica - 9º ano
A República Oligárquica - 9º ano
 
Brasil república 9º ano
Brasil república 9º anoBrasil república 9º ano
Brasil república 9º ano
 
O brasil na primeira republica
O brasil na primeira republicaO brasil na primeira republica
O brasil na primeira republica
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
Da espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquicaDa espada a república oligarquica
Da espada a república oligarquica
 
Primeira república no brasil
Primeira república no brasilPrimeira república no brasil
Primeira república no brasil
 

Semelhante a O brasil na primeira republica

Slide-República Velha-convertido (2).pptx
Slide-República Velha-convertido (2).pptxSlide-República Velha-convertido (2).pptx
Slide-República Velha-convertido (2).pptx
NyronFernandesPereir1
 
Historia... O Brasil da Primeiro República
Historia... O Brasil da  Primeiro República Historia... O Brasil da  Primeiro República
Historia... O Brasil da Primeiro República
Matheus Oliveira
 
Historia
Historia Historia
Historia
Matheus Oliveira
 
O Bras
O BrasO Bras
República velha 1
República velha 1República velha 1
República velha 1
harlissoncarvalho
 
2.a república e a constituição
2.a república e a constituição2.a república e a constituição
2.a república e a constituição
valdeck1
 
História do brasil república
História do brasil repúblicaHistória do brasil república
História do brasil república
Jainny F.
 
A república velha prudente e campos salles
A república velha   prudente e campos sallesA república velha   prudente e campos salles
A república velha prudente e campos salles
Nelia Salles Nantes
 
A república velha prudente e campos salles
A república velha   prudente e campos sallesA república velha   prudente e campos salles
A república velha prudente e campos salles
Nelia Salles Nantes
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
Nelia Salles Nantes
 
República Velha - características gerais
República Velha - características geraisRepública Velha - características gerais
República Velha - características gerais
carlosbidu
 
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptxAULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
MarcelMonteiro3
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
Yara Ribeiro
 
Resumo republica dos fazendeiros
Resumo republica dos fazendeirosResumo republica dos fazendeiros
Resumo republica dos fazendeiros
emersongoncalves
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
guesta48e0f
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
lgreggio10
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
lgreggio10
 
Coronelismo e Guerra de Canudos conflito que mudou o Brasil
Coronelismo  e Guerra de Canudos conflito que  mudou o BrasilCoronelismo  e Guerra de Canudos conflito que  mudou o Brasil
Coronelismo e Guerra de Canudos conflito que mudou o Brasil
Ricardo Diniz campos
 
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de CanudosCoronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
Ricardo Diniz campos
 
A republica da espada
A republica da espadaA republica da espada
A republica da espada
Gabriel Domingues
 

Semelhante a O brasil na primeira republica (20)

Slide-República Velha-convertido (2).pptx
Slide-República Velha-convertido (2).pptxSlide-República Velha-convertido (2).pptx
Slide-República Velha-convertido (2).pptx
 
Historia... O Brasil da Primeiro República
Historia... O Brasil da  Primeiro República Historia... O Brasil da  Primeiro República
Historia... O Brasil da Primeiro República
 
Historia
Historia Historia
Historia
 
O Bras
O BrasO Bras
O Bras
 
República velha 1
República velha 1República velha 1
República velha 1
 
2.a república e a constituição
2.a república e a constituição2.a república e a constituição
2.a república e a constituição
 
História do brasil república
História do brasil repúblicaHistória do brasil república
História do brasil república
 
A república velha prudente e campos salles
A república velha   prudente e campos sallesA república velha   prudente e campos salles
A república velha prudente e campos salles
 
A república velha prudente e campos salles
A república velha   prudente e campos sallesA república velha   prudente e campos salles
A república velha prudente e campos salles
 
A república da espada
A república da espadaA república da espada
A república da espada
 
República Velha - características gerais
República Velha - características geraisRepública Velha - características gerais
República Velha - características gerais
 
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptxAULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
AULA SOBRE OS PERÍODOS DA ERA VARGAS - A ERA VARGAS.pptx
 
Republica velha
Republica velhaRepublica velha
Republica velha
 
Resumo republica dos fazendeiros
Resumo republica dos fazendeirosResumo republica dos fazendeiros
Resumo republica dos fazendeiros
 
Republica Brasileira
Republica BrasileiraRepublica Brasileira
Republica Brasileira
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
República velha
República velhaRepública velha
República velha
 
Coronelismo e Guerra de Canudos conflito que mudou o Brasil
Coronelismo  e Guerra de Canudos conflito que  mudou o BrasilCoronelismo  e Guerra de Canudos conflito que  mudou o Brasil
Coronelismo e Guerra de Canudos conflito que mudou o Brasil
 
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de CanudosCoronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
Coronelismo ,oligarquias ,Guerra de Canudos
 
A republica da espada
A republica da espadaA republica da espada
A republica da espada
 

Último

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 

O brasil na primeira republica

  • 2. Os primeiros tempos.... • O Brasil continuou a ser agroexportador; • A população continuou sem participação; • A República não representava o pensamento de todos que torceram pela sua instauração; • O Brasil tornou-se federalista, defendido pelas elites de SP eMG. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 3. Republica da Espada 1889-1894 • Foi o período que correspondeu aos dois governos iniciais do Brasil, constituídos pelos militares, os marechais: • Manuel Deodoro da Fonseca • Floriano Vieira Peixoto Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 4. Governo Provisório 1889-1891 • Até que fossem realizadas no país novas eleições e uma nova constituição, Deodor o da Fonseca liderou um Governo Provisório Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 5. Governo Provisório 1889-1891 • Marechal dissolveu as assembleias provinciais e as Câmaras municipais. • Demitiu e indicou novos presidentes para as províncias; • Uma elite civil e militar passou a administrar o Brasil; • As negociações políticas envolveram vários partidos republicanos, do RJ,SP; Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 6. A crise econômica • Rui Barbosa, Ministro da Fazenda, e m 1890, criou uma política de incentivo a criação de empresas industriais e comerciais no país. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 7. Encilhamento • Para fortalecer o crédito Rui Barbosa permitiu que alguns bancos emitissem papel-moeda para ser emprestado. • A facilidade de crédito induziu o surgimento de empresas fantasmas, cujas ações eram negociadas na Bolsa de valores; • A nova política fez aumentar a inflação; • O resultado foi uma enorme crise e falência. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 8. Constituição de 1891 • Refletiu o liberalismo e a influência norte- americana. • O país tornou-se Estados Unidos do Brasil; • As províncias tornaram-se Estados e ganharam autonomia (constituição, impostos, eleger gov.) • Voto passou a ser direto, excluindo analfabetos, mendigos, mulheres, soldados e menores de 21 anos. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 9. Constituição de 1891 • O mandato do presidente seria de 4 anos; • A Igreja separou-se do Estado; • Instituiu-se o registro de nascimento, casamento e atestado de óbito. • O Deodoro da Fonseca permaneceu como presidente graças a pressão dos Militares sobre os deputados. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 10. Governo Constitucional de Deodoro • Marechal Deodoro passou a enfrentar forte oposição do Congresso; • Em 3 de novembro de 1891, um decreto fechou o Congresso; • Os ferroviários declararam greve ameaçando o abastecimento; • Doente e receando uma guerra, Deodoro renunciou em 23 de novembro de 1891. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 11. Governo de Floriano Peixoto • Para conseguir apoio popular, diminuiu preços dos aluguéis dos operários; • Isentou de impostos a carne e os gêneros de primeira necessidade; • Incentivou a industrialização; • Passou a fiscalizar a aplicação do erário publico; • Isto não foi suficiente para evitar movimentos; Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 12. Revolução Federalista 1893-1895 Federalistas Republicanos • Maragatos • Chimangos ou • Líder: Gaspar Silveira Picapaus Martins • Líder: Júlio de • Defendiam a Castilhos instalação de um regime • Defendiam um Parlamentarista Presidencialismo • Paz foi assinada em forte, centralizador 1895. • Estavam com Floriano Peixoto Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 13. Revolta da Armada 1893 • Foi a disputa pelo poder entre oficiais do Exército e da Marinha e representantes de grupos Sociais; • Marinha era mais elitista, oligárquica. • Em 13 de setembro de 1893, navios da Armada bombardearam o RJ. • O governo com apoio popular e de SP revidou. • Os rebeldes vieram para o sul • O Rigor de Floriano lhe rendeu o apelido de Marechal de Ferro; Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 14. República das Oligarquias • Na sucessão os mais beneficiados foram os paulistas; • Em março de 1894, elegeu-se Prudente de Morais, ligado ao PRP; • A partir desse momento o poder passou para as elites agrárias, principalmente para São Paulo e Minas Gerais. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 15. MECANISMOS DE SUSTENTAÇÃO POLÍTICA • Para garantir o poder as elites rurais criaram: • A Política dos Governadores; • Política do Café com Leite; • Comissão de Verificação de Poderes. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 16. Política dos Comissão de Governadores Verificação de Poderes • Acordo entre o • Composta por 5 Presidente da Republica parlamentares, ganh e os Presidentes de ou direito de Estado para obter apoio. diplomar candidatos que interessavam ao • Em troca, o executivo na interferia nas governo. eleições • E “degolar” os estaduais, garantindo opositores. sua permanência. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 17. Política do Café com Leite Consistiu na alternância de paulistas e mineiros na presidência da República durante toda a Primeira República. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 18. Coronelismo Este nome foi dado, pois a política era controlada e comandada pelos coronéis (ricos fazendeiros). - Voto de Cabresto: Os coronéis compravam votos para seus candidatos ou trocavam votos por bens matérias. Como o voto era aberto, os coronéis mandavam capangas para os locais de votação, com objetivo de intimidar os eleitores e ganhar votos. As regiões controladas politicamente pelos coronéis eram conhecidas como currais eleitorais. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 19. Coronelismo - Fraude eleitoral: os coronéis costumam alterar votos, sumir com urnas e até mesmo patrocinavam a prática do voto fantasma. Este último consistia na falsificação de documentos para que pessoas pudessem votar várias vezes ou até mesmo utilizar o nome de falecidos nas votações. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 20. Coronelismo • Fim do coronelismo • Com a Revolução de 1930 e a chegada de Getúlio Vargas à presidência da República, o coronelismo perdeu força e deixou de existir em várias regiões do Brasil. • Apesar disso, algumas práticas do coronelismo, como, por exemplo, a compra de votos e fraudes eleitorais continuou existindo, por muito tempo, em algumas regiões. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 22. • Durante a PR, o estímulo ás atividades agroexportadoras esteve entre as prioridades do governo; • O café foi o principal produto de exportação (beneficiou –se da abertura de linhas de crédito e da vinda dos imigrantes) • No início do sec. XX o café passou por momentos de crise provenientes da superprodução, assim: Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 23. • Os governos estaduais decidiram interferir e garantir um preço mínimo com: • Convênio de Taubaté- o governo em 1906 firmou acordo com o governos de SP, MG e RJ e determinou que os três estados comprariam a safra prevista por um preço fixado, de maneira que evitasse a desvalorização. • Os estoques seriam armazenados e fornecidos de acordo com a procura. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 24. Outros produtos no mercado... • Cacau • cana-de-açúcar • Borracha Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 25. O desenvolvimento industrial • A concentração de capitais acabou contribuindo para a expansão da atividade industrial em algumas cidades; • Os investimentos vinham dos cafeicultores, imigrantes e do capital internacional; • Mulheres e crianças eram mão de obra barata • As condições de trabalho eram rigorosas e brutais; • Não havia legislação trabalhista; Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 26. A imprensa • Após a proclamação da República, em 1889, parte da imprensa ajudou a criar entre os brasileiros uma imagem positiva do regime. • Surgiram revistas de cunho literário, político, satíric o. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera
  • 27. Modernização nas cidades • Rio e São Paulo passaram por um processo de modernização inspirado em Paris; • Foram criados novos bairros, a expansão dos serviços de esgotos, água canalizada e transporte coletivo; • Apesar dos esforços as grandes cidades enfrentavam problemas com a criminalidade e com as inundações. Prof.ª Simone Pasqualotto Baldissera