SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA
HISTÓRIA DA
DA
MATEMÁTICA
MATEMÁTICA
HISTÓRIA
HISTÓRIA DA
DA
MATEMÁTICA
MATEMÁTICA
dos primórdios até Roma
Os seres humanos tiveram, independentemente do período
histórico, a necessidade de contar.
Não da forma como fazemos hoje, ou seja, quantificando
observações da maneira mais exata possível.
A preocupação essencial nos primórdios da contagem era a
comparação, saber se há mais ou menos de algo.
TEMPOS PRIMITIVOS
(30.000 a. C)
Desenvolveram modelos para determinar o
tamanho das terras, para aproveitar as
vantagens dos períodos de cheias do rio Nilo;
Usavam partes do corpo humano para
estabelecer medidas, como: pés, antebraço e o
braço;
Elaboraram uma escrita onde cada símbolo
correspondia 10 ou a múltiplos de 10
(corresponde aos dez dedos que temos nas
mãos);
Utilizam a matemática para observar os astros e
criaram o calendário que hoje conhecemos.
EGITO
(3.500 a. C)
Havia a necessidade de resolver problemas
de natureza econômica e comercial;
Desenvolveram o sistema sexagenal que
deu origem a divisão das horas e dos
minutos;
Sistema de numeração cuneiforme
(tábuas de argila);
Matemática para fins práticos e
concretos.
MESOPOTÂMIA
(1.800 a 1.500 a. C)
GRÉCIA ANTIGA
(600 a 300 a. C)
Matemática para fins práticos e filosóficos;
Era requisito para os filósofos da época o
conhecimento da matemática, especialmente
da geometria;
Teorizaram a natureza dos números:
ímpares, primos, compostos e etc;
Desenvolveram a matemática como ciência;
Teorema de Tales e Teorema de Pitágoras.
Os romanos aplicaram o conhecimento dos gregos em suas
construções como: aquedutos, rede de estradas e sistema de
cobrança de impostos;
A matematica contribuiu imensamente para o desenvolvimento
da “engenharia” da época;
Os números romanos eram simbolizados por letras:
ROMA ANTIGA
(300 a. C. ao séc. V)
I II III IV V VI VII VIII IX X
L C M
Foram desenvolvidos antes do conceito de zero ser amplamente
utilizado na matemática, pois não havia um símbolo para representar
o conceito de “nada”;
Frequentemente os romanos usavam o número IIII (4) ao invés do
IV, podendo ainda ser observado em alguns relógios antigos;
Era comum o uso de numerais romanos na contabilidade em alguns
países europeus, bem depois da difusão do moderno sistema indo-
arábico (1, 2, 3, ...) que para eles era mais fácil de falsificar;
Os números romanos foram bastante utilizados em livros
europeus do século XVIII.
CURIOSIDADES SOBRE OS NÚMEROS ROMANOS
AQUEDUTOS E SAÚDE PÚBLICA NA ROMA
Desenvolvidos pela primeira vez por
volta de 312 a. C, usavam a
gravidade para transportar água ao
longo de dutos de pedra, chumbo e
concreto até o centro das cidades;
Os aquedutos libertaram as cidades
romanas da dependência dos
suprimentos de água próximos e se
mostraram inestimáveis ​
​
na promoção
da saúde pública e do saneamento.
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
BEZERRA, Juliana. História da Matemática. Disponível em:
https://www.todamateria.com.br/historia-da-matematica/
SOUZA, Eronildo de Jesus. Sobre a história dos números. Disponível em:
http://www.ifba.edu.br/dca/corpo_docente/mat/ejs/sobre_a_historia_dos_nu
meros.pdf
RIBEIRO, Deisy. Tour na Itália. Disponível em: https://tournaitalia.com/10-
inovacoes-da-roma-antiga/

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula Roma Antiga matemática e história romana

Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
1a¹ _tempo
1a¹ _tempo1a¹ _tempo
1a¹ _tempo
viviancostta
 
História
HistóriaHistória
História
Caroline Borges
 
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
Zaqueu Oliveira
 
Arte romana 2019
Arte romana 2019Arte romana 2019
Arte romana 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
História dos números do natural ao racional
História dos números   do natural ao racionalHistória dos números   do natural ao racional
História dos números do natural ao racional
sandraprof
 
Revisão 1º ano 1º bimestre
Revisão 1º ano 1º bimestreRevisão 1º ano 1º bimestre
Revisão 1º ano 1º bimestre
Loyane De Faria Rodarte
 
Seminário hist. paisagismo - parte 2
Seminário   hist. paisagismo - parte 2Seminário   hist. paisagismo - parte 2
Seminário hist. paisagismo - parte 2
Ariana Vieira
 
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptxSISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
EmmersonWarleiEmmers
 
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdfartigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
JCSantos25
 
História da matematica
História da matematicaHistória da matematica
História da matematica
angerba7
 
Antiguidade e idade média
Antiguidade e idade médiaAntiguidade e idade média
Antiguidade e idade média
Antonio Carlos Souza
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
cattonia
 
História dos números
História dos númerosHistória dos números
História dos números
sandraprof
 
Urbanismo roma xp[1]
Urbanismo roma xp[1]Urbanismo roma xp[1]
Urbanismo roma xp[1]
Cristina Mariano
 
Civilizacoes dos Grandes Rios
Civilizacoes dos Grandes RiosCivilizacoes dos Grandes Rios
Civilizacoes dos Grandes Rios
Maria Barroso
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras Civilizaçoes
Fabio Santos
 
Numeros de outros lugares 25 cópias de cada frente e verso
Numeros de outros lugares   25 cópias de cada frente e versoNumeros de outros lugares   25 cópias de cada frente e verso
Numeros de outros lugares 25 cópias de cada frente e verso
Otávio Sales
 
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempoTécnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
Cibertrans RN
 

Semelhante a Aula Roma Antiga matemática e história romana (20)

Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
RECORDANDO NÚMEROS - 4º OU 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1
 
1a¹ _tempo
1a¹ _tempo1a¹ _tempo
1a¹ _tempo
 
História
HistóriaHistória
História
 
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
A matemática do Egito e Mesopotâmia .Artigo baseados em pesquisas bibliográfi...
 
Arte romana 2019
Arte romana 2019Arte romana 2019
Arte romana 2019
 
História dos números do natural ao racional
História dos números   do natural ao racionalHistória dos números   do natural ao racional
História dos números do natural ao racional
 
Revisão 1º ano 1º bimestre
Revisão 1º ano 1º bimestreRevisão 1º ano 1º bimestre
Revisão 1º ano 1º bimestre
 
Seminário hist. paisagismo - parte 2
Seminário   hist. paisagismo - parte 2Seminário   hist. paisagismo - parte 2
Seminário hist. paisagismo - parte 2
 
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptxSISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução.pptx
 
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdfartigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
artigo 01 _ Matemática da pré história ao Egito Antigo.pdf
 
História da matematica
História da matematicaHistória da matematica
História da matematica
 
Antiguidade e idade média
Antiguidade e idade médiaAntiguidade e idade média
Antiguidade e idade média
 
Era digital
Era digitalEra digital
Era digital
 
História dos números
História dos númerosHistória dos números
História dos números
 
Urbanismo roma xp[1]
Urbanismo roma xp[1]Urbanismo roma xp[1]
Urbanismo roma xp[1]
 
Civilizacoes dos Grandes Rios
Civilizacoes dos Grandes RiosCivilizacoes dos Grandes Rios
Civilizacoes dos Grandes Rios
 
Primeiras Civilizaçoes
Primeiras CivilizaçoesPrimeiras Civilizaçoes
Primeiras Civilizaçoes
 
Numeros de outros lugares 25 cópias de cada frente e verso
Numeros de outros lugares   25 cópias de cada frente e versoNumeros de outros lugares   25 cópias de cada frente e verso
Numeros de outros lugares 25 cópias de cada frente e verso
 
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempoTécnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
Técnicas e tecnologias de comunicação ao longo do tempo
 

Mais de Carlos Fernando Oliveira

Teoria da relatividade de albert einstein.pptx
Teoria da relatividade de albert einstein.pptxTeoria da relatividade de albert einstein.pptx
Teoria da relatividade de albert einstein.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdflista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
Carlos Fernando Oliveira
 
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdfLista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
Carlos Fernando Oliveira
 
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.pptaula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
Carlos Fernando Oliveira
 
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptxaula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelosaula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
Carlos Fernando Oliveira
 
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptxQuímica-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
Conceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptxConceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
Acústica.pptx
Acústica.pptxAcústica.pptx
Acústica.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
resumo-mapas.pptx
resumo-mapas.pptxresumo-mapas.pptx
resumo-mapas.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
leis e teorias.pptx
leis e teorias.pptxleis e teorias.pptx
leis e teorias.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
aula logica.ppt
aula logica.pptaula logica.ppt
aula logica.ppt
Carlos Fernando Oliveira
 
Medicoes_e_Erros.ppt
Medicoes_e_Erros.pptMedicoes_e_Erros.ppt
Medicoes_e_Erros.ppt
Carlos Fernando Oliveira
 
HM_Parte2.pdf
HM_Parte2.pdfHM_Parte2.pdf
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsxÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
Carlos Fernando Oliveira
 
Cinemática.pptx
Cinemática.pptxCinemática.pptx
Cinemática.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptxGRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
Calorimetria.pptx
Calorimetria.pptxCalorimetria.pptx
Calorimetria.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
calor sensivel-2ano.pptx
calor sensivel-2ano.pptxcalor sensivel-2ano.pptx
calor sensivel-2ano.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 
calor latente.pptx
calor latente.pptxcalor latente.pptx
calor latente.pptx
Carlos Fernando Oliveira
 

Mais de Carlos Fernando Oliveira (20)

Teoria da relatividade de albert einstein.pptx
Teoria da relatividade de albert einstein.pptxTeoria da relatividade de albert einstein.pptx
Teoria da relatividade de albert einstein.pptx
 
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdflista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
lista de revisão p2 1 ano Em mecanica.pdf
 
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdfLista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
Lista5_2018-exercicios de fisica para o EM.pdf
 
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.pptaula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
aula_1_termometria_oara_o_segundo_ano_d_ensino_medio.ppt
 
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptxaula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
aula1vetoresparaoprimeiroanodosensinomedio.pptx
 
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelosaula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
aula 13 atomo Bohr, e comparação com outros modelos
 
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptxQuímica-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
Química-Modelo-atômico-de-Bohr.-9º-ano-ppt.pptx
 
Conceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptxConceito de onda e som.pptx
Conceito de onda e som.pptx
 
Acústica.pptx
Acústica.pptxAcústica.pptx
Acústica.pptx
 
resumo-mapas.pptx
resumo-mapas.pptxresumo-mapas.pptx
resumo-mapas.pptx
 
leis e teorias.pptx
leis e teorias.pptxleis e teorias.pptx
leis e teorias.pptx
 
aula logica.ppt
aula logica.pptaula logica.ppt
aula logica.ppt
 
Medicoes_e_Erros.ppt
Medicoes_e_Erros.pptMedicoes_e_Erros.ppt
Medicoes_e_Erros.ppt
 
HM_Parte2.pdf
HM_Parte2.pdfHM_Parte2.pdf
HM_Parte2.pdf
 
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsxÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
ÓPTICA GEOMÉTRICA +++.ppsx
 
Cinemática.pptx
Cinemática.pptxCinemática.pptx
Cinemática.pptx
 
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptxGRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
GRANDEZAS FÍSICAS_NOTAÇÃO CIENTÍFICA_ENSINO MÉDIO_2023.pptx
 
Calorimetria.pptx
Calorimetria.pptxCalorimetria.pptx
Calorimetria.pptx
 
calor sensivel-2ano.pptx
calor sensivel-2ano.pptxcalor sensivel-2ano.pptx
calor sensivel-2ano.pptx
 
calor latente.pptx
calor latente.pptxcalor latente.pptx
calor latente.pptx
 

Último

Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

Aula Roma Antiga matemática e história romana

  • 2. Os seres humanos tiveram, independentemente do período histórico, a necessidade de contar. Não da forma como fazemos hoje, ou seja, quantificando observações da maneira mais exata possível. A preocupação essencial nos primórdios da contagem era a comparação, saber se há mais ou menos de algo. TEMPOS PRIMITIVOS (30.000 a. C)
  • 3. Desenvolveram modelos para determinar o tamanho das terras, para aproveitar as vantagens dos períodos de cheias do rio Nilo; Usavam partes do corpo humano para estabelecer medidas, como: pés, antebraço e o braço; Elaboraram uma escrita onde cada símbolo correspondia 10 ou a múltiplos de 10 (corresponde aos dez dedos que temos nas mãos); Utilizam a matemática para observar os astros e criaram o calendário que hoje conhecemos. EGITO (3.500 a. C)
  • 4. Havia a necessidade de resolver problemas de natureza econômica e comercial; Desenvolveram o sistema sexagenal que deu origem a divisão das horas e dos minutos; Sistema de numeração cuneiforme (tábuas de argila); Matemática para fins práticos e concretos. MESOPOTÂMIA (1.800 a 1.500 a. C)
  • 5. GRÉCIA ANTIGA (600 a 300 a. C) Matemática para fins práticos e filosóficos; Era requisito para os filósofos da época o conhecimento da matemática, especialmente da geometria; Teorizaram a natureza dos números: ímpares, primos, compostos e etc; Desenvolveram a matemática como ciência; Teorema de Tales e Teorema de Pitágoras.
  • 6. Os romanos aplicaram o conhecimento dos gregos em suas construções como: aquedutos, rede de estradas e sistema de cobrança de impostos; A matematica contribuiu imensamente para o desenvolvimento da “engenharia” da época; Os números romanos eram simbolizados por letras: ROMA ANTIGA (300 a. C. ao séc. V) I II III IV V VI VII VIII IX X L C M
  • 7. Foram desenvolvidos antes do conceito de zero ser amplamente utilizado na matemática, pois não havia um símbolo para representar o conceito de “nada”; Frequentemente os romanos usavam o número IIII (4) ao invés do IV, podendo ainda ser observado em alguns relógios antigos; Era comum o uso de numerais romanos na contabilidade em alguns países europeus, bem depois da difusão do moderno sistema indo- arábico (1, 2, 3, ...) que para eles era mais fácil de falsificar; Os números romanos foram bastante utilizados em livros europeus do século XVIII. CURIOSIDADES SOBRE OS NÚMEROS ROMANOS
  • 8. AQUEDUTOS E SAÚDE PÚBLICA NA ROMA Desenvolvidos pela primeira vez por volta de 312 a. C, usavam a gravidade para transportar água ao longo de dutos de pedra, chumbo e concreto até o centro das cidades; Os aquedutos libertaram as cidades romanas da dependência dos suprimentos de água próximos e se mostraram inestimáveis ​ ​ na promoção da saúde pública e do saneamento.
  • 9. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA BEZERRA, Juliana. História da Matemática. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/historia-da-matematica/ SOUZA, Eronildo de Jesus. Sobre a história dos números. Disponível em: http://www.ifba.edu.br/dca/corpo_docente/mat/ejs/sobre_a_historia_dos_nu meros.pdf RIBEIRO, Deisy. Tour na Itália. Disponível em: https://tournaitalia.com/10- inovacoes-da-roma-antiga/