Orientação Técnica:     “Caminhos da Escrita”de 07 a 09 de Novembro de 2012 – EFAP/SPTema 2: A reescrita do texto:   a lín...
Objetivos1. Algumas concepções de gramática2. Gramática: relação com língua, texto, sujeito3. Com qual gramática trabalhar...
Algumas concepções de gramática (I)• A gramática normativa: conjunto sistemático de  normas e regras para bem falar e escr...
Algumas concepções de gramática (II)• A gramática internalizada: os princípios e  regras pelos quais se constroem as expre...
Gramática: relação com língua, texto, sujeito (I)1) Texto como produto do pensamento(representação mental).Língua: represe...
Gramática: relação com língua, texto, sujeito (II)  3) Texto: concepção interacional; texto enquanto  lugar da interação e...
Texto na perspectiva  sociointeracional da linguagem (I)• Inter-ação entre sujeitos sociais:Produtor do texto: “projeto d...
Texto na perspectiva     sociointeracional da linguagem (II)• 1. O produtor: estratégias de organização textual  e sinaliz...
A gramática na sala de aula• Concepção de gramática compatível com  concepção de língua, texto, sujeito na  perspectiva so...
O trabalho com a língua na sala de aula• Avaliar a realidade linguística dos alunos para  ampliar suas experiências linguí...
1. Quem é o produtor do texto?2. Quem é o destinatário do texto?3. Qual o objetivo?4. Quando ele foi produzido/veiculado?5...
http://www.entreguesuaarma.gov.br/conheca-a-campanha/cartaz-po%C
Escolhas linguísticas e efeitos de sentido    A sociedade deve impor limites à autodestruição do ser humano?      Discutir...
Questão Polêmica: A sociedade deve impor limites à autodestruição do ser humano?       “Se não há danos para terceiros, o ...
Ficha de avaliação• Instrumento para ajudar a direcionar o olhar em  relação às escolhas feitas, às construções  sintática...
Avaliação feita pelos alunosMulheres podem ter o mesmo comportamento sexual que os homens?•Repetição de palavras “homem” e...
Reflexões finais• A avaliação da produção textual do aluno não pode ser  em apenas em função de regras não cumpridas e err...
BibliografiaBRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por uminteracionismo sociodiscursivo. 2. ed. Trad...
Obrigada!     PCNP Ana Cristina Fermino            Direitos Autorais:     Profa. Dra. Lília Santos Abreu-Tardelli         ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Língua em contexto

2.552 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.552
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.147
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Língua em contexto

  1. 1. Orientação Técnica: “Caminhos da Escrita”de 07 a 09 de Novembro de 2012 – EFAP/SPTema 2: A reescrita do texto: a língua em contexto Profa. Dra. Lília Santos Abreu-Tardelli
  2. 2. Objetivos1. Algumas concepções de gramática2. Gramática: relação com língua, texto, sujeito3. Com qual gramática trabalhar em sala de aula?4. Como trabalhar a língua em sala de aula?5. A língua em contexto: os efeitos de sentido no texto6. A reescrita como parte constituinte do processo de aprendizagem da escrita e da língua7. Reflexões finais
  3. 3. Algumas concepções de gramática (I)• A gramática normativa: conjunto sistemático de normas e regras para bem falar e escrever estabelecido por especialistas com base no uso da língua consagrado pelos bons escritores.• A gramática descritiva: um sistema de noções, de descrições estruturais, mediante as quais se descrevem os fatos de uma língua, as categorias, as funções e as relações que entram em sua construção. O menino tentou pegar ele de novo para prender ele na gaiola.• Na prática escolar: a gramática descritiva se transformou em um instrumento para as prescrições da gramática normativa.
  4. 4. Algumas concepções de gramática (II)• A gramática internalizada: os princípios e regras pelos quais se constroem as expressões e construções da língua do falante; é o saber linguístico que o falante de uma língua desenvolve.• Concepção que reconhece a existência de regras tanto na modalidade culta quanto na coloquial. Os dois irmão esperto *O dois irmão espertos *O dois irmãos espertos
  5. 5. Gramática: relação com língua, texto, sujeito (I)1) Texto como produto do pensamento(representação mental).Língua: representação do pensamentoLeitor/sujeito: captar as intenções do produtor. Exemplo: o que o autor quis dizer?2) Texto como produto de codificação de umprodutor e que será decodificado pelo receptor.Língua: códigoProdutor: passivo e decodificador
  6. 6. Gramática: relação com língua, texto, sujeito (II) 3) Texto: concepção interacional; texto enquanto lugar da interação em que os sentidos são construídos. Língua, texto e sujeito: os sentidos são construídos com base nos elementos linguísticos, na forma como esses elementos se organizam e na mobilização de saberes.
  7. 7. Texto na perspectiva sociointeracional da linguagem (I)• Inter-ação entre sujeitos sociais:Produtor do texto: “projeto de dizer”Leitor/ouvinte: participação na construção de sentido, a partir do contexto e de pistas e sinalizações que o texto lhe oferece.Produtor e interpretador: estrategistas(mobilizam uma série de estratégias para a produção de sentidos).
  8. 8. Texto na perspectiva sociointeracional da linguagem (II)• 1. O produtor: estratégias de organização textual e sinalizações textuais orientando o interlocutor para a construção de (possíveis) sentidos;• 2. O texto: organizado estrategicamente de uma forma ou outra para poder delimitar as possíveis leituras;• 3. O leitor/ouvinte que vai construir os sentidos conforme as sinalizações do texto, através da mobilização do contexto.
  9. 9. A gramática na sala de aula• Concepção de gramática compatível com concepção de língua, texto, sujeito na perspectiva sociointeracional.• Gramática enquanto um estudo das regras e princípios de construção de uma língua, considerando o contexto de produção e, consequentemente, os efeitos de sentidos que determinadas escolhas linguísticas podem provocar no leitor/ouvinte.
  10. 10. O trabalho com a língua na sala de aula• Avaliar a realidade linguística dos alunos para ampliar suas experiências linguísticas.• Levar o aluno a ter um outro domínio da língua por razões culturais, sociais e políticas.• Realizar um trabalho gramatical que ofereça ao aluno condições de domínio da modalidade culta necessário para a produção e compreensão de textos.
  11. 11. 1. Quem é o produtor do texto?2. Quem é o destinatário do texto?3. Qual o objetivo?4. Quando ele foi produzido/veiculado?5. De que modo o texto está linguisticamente organizado?6. Que efeitos de sentido o uso dos seguintes elementos linguísticos podem causar no leitor?  as conjunções e e quando  pronomes possessivos  o substantivo próprio  adjunto adverbial de lugar7. Que outros aspectos não verbais contribuem para criar o efeito de sentido do texto?
  12. 12. http://www.entreguesuaarma.gov.br/conheca-a-campanha/cartaz-po%C
  13. 13. Escolhas linguísticas e efeitos de sentido A sociedade deve impor limites à autodestruição do ser humano? Discutir o problema das drogas, patologia que assola todoo mundo, é como passar por um campo minado, cheio depreconceitos. Basta ver o critério arbitrário usado pelosgovernos, que muitas vezes liberam o consumo de drogas“leves”, como tabaco e álcool. Indústrias inteiras, construídassobre os corpos de seus consumidores. Entretanto, indústrias necessárias. A proibição nuncaimpediu o consumo, como é possível ver no império do crimecriado por Al Capone e no consumo de drogas de AmyWinehouse. [...]
  14. 14. Questão Polêmica: A sociedade deve impor limites à autodestruição do ser humano? “Se não há danos para terceiros, o indivíduo deve sersoberano nas suas ações e na consequência de suas ações”,foi o que disse o filósofo John Stuart Mill. De fato, se alguém por livre e espontâneo arbítriodecide rumar a autodestruição, via drogas ou qualqueroutro meio, quem são terceiros para impedi-lo, enquantoisso não os envolver? São humanos. Seres racionais com acapacidade de pensar se a decisão de se autodegradar feitapela pessoa, é realmente seu desejo, e quais são os motivosque repercurtiram para sua existência [...].
  15. 15. Ficha de avaliação• Instrumento para ajudar a direcionar o olhar em relação às escolhas feitas, às construções sintáticas realizadas e o efeito de sentido no texto, considerando a situação de comunicação.• Instrumento para fins de:a)Auto-avaliaçãob)Avaliação pelo par-alunoc)Avaliação pelo professor
  16. 16. Avaliação feita pelos alunosMulheres podem ter o mesmo comportamento sexual que os homens?•Repetição de palavras “homem” e “mulher”•Boa pesquisa e referência•Linguagem muito informal•Boa estratégia de introdução•Opinião explícita•Argumentos fracos•Conclusão coerente•Tema um pouco “flutuante”•Boa ortografia e gramática
  17. 17. Reflexões finais• A avaliação da produção textual do aluno não pode ser em apenas em função de regras não cumpridas e erros ortográficos, mas deve ser em função das estratégias usadas ou não usadas para o desenvolvimento da capacidade de produção textual. A gramática faz parte dessas estratégias que criam determinados efeitos de sentido no leitor.• A reescrita do texto e a leitura do outro são processos essenciais para o ensino da gramática, uma vez que possibilita ao aluno perceber os efeitos que as escolhas lexicais e sintáticas causam no leitor.
  18. 18. BibliografiaBRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por uminteracionismo sociodiscursivo. 2. ed. Trad. Anna Rachel Machado ePéricles Cunha. São Paulo: Educ, 2007.FRANCHI, C. Mas o que é mesmo “gramática”? [com] Esmeralda VailatiNegrão & Ana Lúcia Müller. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto,1997.______. Desvendando os segredos do texto: São Paulo: Cortez, 2002.TRAVAGLIA, L. C. Gramática ensino plural. 5ª ed. São Paulo: Cortez,2011.TRAVAGLIA, L. C. Gramática e interação: uma proposta para o ensinode gramática. 13ª. ed. São Paulo: Cortez, 2009.
  19. 19. Obrigada! PCNP Ana Cristina Fermino Direitos Autorais: Profa. Dra. Lília Santos Abreu-Tardelli UNESP - campus S. J. do Rio PretoInstituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas liliabreu@uol.com.br

×