SlideShare uma empresa Scribd logo
Epidemiologia das Doenças
Crônicas Não Transmissíveis
Prof. Thiago Freitas
O que teremos hoje?
qO que são as DCNT?
• Conceito
qA problemática e magnitude das DCNT
• Contextualização
qQuais os principais fatores determinantes das DCNT?
• Etiologia
qQuais as formas de enfrentamento das DCV que as
políticas publicas nos sugere?
Conceito
• As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) são
doenças multifatoriais que se desenvolvem no
decorrer da vida e são de longa duração.
– Persistência de doenças parasitárias, infecciosas e desnutrição,
características de países subdesenvolvidos.
-- Problemas de saúde reprodutiva, com mortes maternas e óbitos
infantis por causas consideradas evitáveis.
– Desafio das doenças crônicas, com sedentarismo, tabagismo,
alimentação inadequada e obesidade.
– Crescimento das causas externas em decorrência do aumento da
violência e dos acidentes de trânsito.
Perfil Epidemiológico Brasileiro caracterizado por tripla
carga de doenças:
Perfil Epidemiológico Brasileiro
• Doenças Crônicas Não Transmissíveis: problema de saúde de maior
magnitude à cerca de 70% das causas de mortes
Acidente
Vascular
Cerebral
Infarto
Hipertensão
Arterial
Câncer
Diabetes
Doenças
Respiratórias
Crônicas
< 1a 1-4a 5-9a 10-14a 15-19a 20-29a 30-39a 40-49a 50-59a 60 e +
1
Afecções
perinatais
Causas
externas
Causas
externas
Causas
externas
Causas
externas
Causas
externas
Causas
externas
D. aparelho
circulatório
D. aparelho
circulatório
D. aparelho
circulatório
2
Mal
formação
congênita
Mal
formação
congênita
Neoplasias Neoplasias Neoplasias DIP DIP
Causas
externas
Neoplasias Neoplasias
3
Causas
externas
D. do
aparelho
respiratório
D. do
Sistema
nervoso
D. do
Sistema
nervoso
D. do
Sistema
nervoso
Neoplasias
D. aparelho
circulatório
Neoplasias
D. do
aparelho
digestivo
D. do
aparelho
respiratório
4
D. do
aparelho
respiratório
DIP DIP DIP
D. aparelho
circulatório
D. aparelho
circulatório
Neoplasias
D. do
aparelho
digestivo
Causas
externas
D. Endóc.
Nut. e Met.
5 DIP Neoplasias
D. aparelho
circulatório
D. aparelho
circulatório
DIP
D. do
aparelho
respiratório
D. do
aparelho
digestivo
DIP
D. do
aparelho
respiratório
D. do
aparelho
digestivo
6
D. Endóc.
Nut. e Met.
D. do
Sistema
nervoso
D. do
aparelho
respiratório
D. do
aparelho
respiratório
D. do
aparelho
respiratório
D. do
Sistema
nervoso
D. do
aparelho
respiratório
D. do
aparelho
respiratório
DIP
Causas
externas
7 Neoplasias
D. do
sangue
Mal
formação
congênita
Mal
formação
congênita
D. do
aparelho
digestivo
D. do
aparelho
digestivo
D. do
Sistema
nervoso
D. Endóc.
Nut. e Met.
D. Endóc.
Nut. e Met.
DIP
Principais causas de morte por faixa etária - Recife, 2006 a 2012
-Fonte: SIM/GVEPI/SEVS/SMS-Recife
As várias Transições: Uma questão Mundial
Demográfica: Envelhecimento populacional acelerado
Epidemiológica: Mortalidade por DANT supera DT
Dupla carga de doenças
Nutricional: ­ ­ ­ Obesidade e ¯ ¯ ¯ Subnutrição
Mudanças na Alimentação e ¯ ¯ ¯ Atividade Fisica
Globalização: Difusão rápida de hábitos e padrões de
comportamento
Fatores de Risco
• SOCIOECONÔMICOS:
- Renda, escolaridade, ocupação, condições ambientais, estresse psicossocial;
• COMPORTAMENTAIS:
- Tabagismo, álcool, sedentarismo, inadequação alimentar e a excesso de peso;
• GENÉTICO/HEREDITÁRIO
Conceito de Risco
Na maioria das doenças não-infecciosas é impossível afirmar-se
claramente sua associação a um agente causal.
O termo RISCO é usado, neste sentido, para indicar probabilidade de
doença, e não certeza de sua ocorrência em todos os casos.
Fatores de Risco
• Não existe apenas um fator, mas vários fatores ou múltiplas causas
na determinação desse grupo de patologias;
• Podem agir isoladamente ou em interação;
MULTICAUSALIDADE
FATORES
SOCIOECONÔMICOS
FATORES AMBIENTAIS
FATORES CULTURAIS
FATORES GENÉTICOS
Fatores de Risco
DOENÇA NÃO INFECCIOSA
Baixa patogenicidade constitui uma das características marcantes
das doenças não-infecciosas, em comparação com doenças
decorrentes da exposição a agentes infecciosos.
SUSCEPTIBILIDADE INDIVIDUAL
Patogenicidade: “produção”
de sintomas em maior ou
menor proporção no
hospedeiro infectado
Doença Crônica Não Transmissível
• A ação necessária para produzir perturbações bioquímicas
primárias em nível celular pode ser resultante de um dos seguintes
tipos de exposição:
à Exposição Aguda
à Exposição reiterada e intermitente
à Exposição Múltipla
Tipos de Exposição
• Exposição Aguda ao fator de risco que se apresenta em alta
concentração
Tipos de Exposição
• Reiterada e Intermitente ao fator de risco durante algum tempo
Tipos de Exposição
• Exposição múltipla a fatores de risco que atuam sinergicamente
Óbitos por Doenças Crônicas Não Transmissíveis
1991-2010
Taxa de internação hospitalar por 4 grupos de
DCNT: 2000-2009
2000
2003
2004
2008
Global Strategy for the Prevention and
Control of Noncommunicable Diseases
Global Strategy on Diet,
Physical Activity and Health
Action Plan 2008-2013 on the Global Strategy for the
Prevention and Control of NCDs
2010
2009
2011
Global Strategy to
Reduce the Harmful Use
of Alcohol
WHO Global Status
Report on NCDs
Political Declaration on NCDs
2013
2020
WHO Action Plan for the Prevention and Control of NCDs for 2013-2020
Global Mile stones : Prevention and Control of NCDs
Plano Nacional de Enfrentamento das DCNT
(2011 – 2022)
• Objetivo: promover o desenvolvimento e a implementação de políticas públicas
efetivas, integradas, sustentáveis e baseadas em evidências para a prevenção e o
controle das DCNT e seus fatores de risco e fortalecer os serviços de saúde voltados às
doenças crônicas;
• Aborda os 4 principais grupos de doenças (circulatórias, câncer, respiratórias crônicas e
diabetes);
• Fatores de risco modificáveis (tabagismo, álcool, inatividade física, alimentação não
saudável e obesidade)
• Define diretrizes e ações em: a) vigilância, informação, avaliação e monitoramento; b)
promoção da saúde; c) cuidado integral
Política Nacional de Promoção da Saúde
ØAlimentação Saudável
ØPrática Corporal/Atividade Física
ØPrevenção e controle do tabagismo
ØRedução da morbimortalidade em decorrência do uso abusivo de
álcool e outras drogas
ØRedução da morbimortalidade por acidentes de trânsito
ØPrevenção da violência e estímulo à cultura de paz
ØPromoção do desenvolvimento sustentável
Obrigado!
thiago-25@hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
Proqualis
 
Aula 4 prevenção
Aula 4 prevençãoAula 4 prevenção
Aula 4 prevenção
Jesiele Spindler
 
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
Instituto Consciência GO
 
Questões saúde pública
Questões saúde públicaQuestões saúde pública
Questões saúde pública
Ismael Costa
 
Caderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aidsCaderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aids
Mara Soares
 
Vigilância epidemiológico aluno
Vigilância epidemiológico alunoVigilância epidemiológico aluno
Vigilância epidemiológico aluno
Inapex
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
José Luis Müller
 
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Eventos Adversos Pós-vacinação
Eventos Adversos Pós-vacinaçãoEventos Adversos Pós-vacinação
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res MedAula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Sandra Flôr
 
Aula 3 sis e doenças de notificação compulsória
Aula 3   sis e doenças de notificação compulsóriaAula 3   sis e doenças de notificação compulsória
Aula 3 sis e doenças de notificação compulsória
Narafgf
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
Gladyanny Veras
 
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsóriaLista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Karynne Alves do Nascimento
 
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividade
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividadePandemia de medo_e_covid_19_agressividade
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividade
IracemaBunga
 
Caso clinico hanseníase
Caso clinico hanseníaseCaso clinico hanseníase
Caso clinico hanseníase
Osmarino Gomes Pereira
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
Welisson Porto
 
Artigo bioterra v16_n1_04
Artigo bioterra v16_n1_04Artigo bioterra v16_n1_04
Artigo bioterra v16_n1_04
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
Saber interáreas SESI 005 - LIMEIRA
 
70 anos historia_saude_crianca
70 anos historia_saude_crianca70 anos historia_saude_crianca
70 anos historia_saude_crianca
Fran Lima
 

Mais procurados (20)

Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
Aula 1: Assistência segura a gestação, parto e puerpério na Covid-19 - Esther...
 
Aula 4 prevenção
Aula 4 prevençãoAula 4 prevenção
Aula 4 prevenção
 
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
Vigilância Epidemiológica e o Uso da Epidemiologia
 
Questões saúde pública
Questões saúde públicaQuestões saúde pública
Questões saúde pública
 
Caderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aidsCaderno de atencao hiv aids
Caderno de atencao hiv aids
 
Vigilância epidemiológico aluno
Vigilância epidemiológico alunoVigilância epidemiológico aluno
Vigilância epidemiológico aluno
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
Vigilância e Prevenção do Óbito Infantil, Fetal e Materno: Eixo Estratégico V...
 
Eventos Adversos Pós-vacinação
Eventos Adversos Pós-vacinaçãoEventos Adversos Pós-vacinação
Eventos Adversos Pós-vacinação
 
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
Covid-19: como as ESCOLAS devem voltar as aulas com SEGURANÇA?
 
Aula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res MedAula Vig Epidemiologica Res Med
Aula Vig Epidemiologica Res Med
 
Aula 3 sis e doenças de notificação compulsória
Aula 3   sis e doenças de notificação compulsóriaAula 3   sis e doenças de notificação compulsória
Aula 3 sis e doenças de notificação compulsória
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
 
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsóriaLista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
Lista de doenças, agravos e eventos em saúde pública - notificação compulsória
 
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividade
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividadePandemia de medo_e_covid_19_agressividade
Pandemia de medo_e_covid_19_agressividade
 
Caso clinico hanseníase
Caso clinico hanseníaseCaso clinico hanseníase
Caso clinico hanseníase
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
 
Artigo bioterra v16_n1_04
Artigo bioterra v16_n1_04Artigo bioterra v16_n1_04
Artigo bioterra v16_n1_04
 
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
9º ano A (Grupo 3) - Pandemias
 
70 anos historia_saude_crianca
70 anos historia_saude_crianca70 anos historia_saude_crianca
70 anos historia_saude_crianca
 

Semelhante a Aula 15

A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
Oncoguia
 
Indicadores do estado de saude de uma população
Indicadores do estado de saude de uma populaçãoIndicadores do estado de saude de uma população
Indicadores do estado de saude de uma população
Carla Brites
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Mario Gandra
 
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da populaçãoSaúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
Patrícia Santos
 
Fatores de saude de uma populacao
Fatores de saude de uma populacaoFatores de saude de uma populacao
Fatores de saude de uma populacao
ANA EMILIA FORMIGA MARQUES
 
Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08
gisa_legal
 
Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08
Marcos Vinícius Silva
 
Expedições Fiocruz 2012 1/5
Expedições Fiocruz 2012 1/5Expedições Fiocruz 2012 1/5
Expedições Fiocruz 2012 1/5
nextfiocruz
 
Indicadores do Estado de Saúde da População
Indicadores do Estado de Saúde da PopulaçãoIndicadores do Estado de Saúde da População
Indicadores do Estado de Saúde da População
Marcos Cruz
 
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_2011201202_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
Teresa Monteiro
 
SaúDe Individual E ComunitáRia
SaúDe Individual E ComunitáRiaSaúDe Individual E ComunitáRia
SaúDe Individual E ComunitáRia
Sérgio Luiz
 
Exposição 02 redes de atenção a saúde
Exposição 02 redes de atenção a saúdeExposição 02 redes de atenção a saúde
Exposição 02 redes de atenção a saúde
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
 
Epidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidadeEpidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidade
Elaine Bedin
 
DANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptxDANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptx
ssuser51d27c1
 
Risco e prevenção aula 27-05-13
Risco e prevenção   aula 27-05-13Risco e prevenção   aula 27-05-13
Risco e prevenção aula 27-05-13
Inaiara Bragante
 
Epidemiologia descritiva
Epidemiologia descritivaEpidemiologia descritiva
Epidemiologia descritiva
Jeferson de Paula
 
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãOIndicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
DAVIDbeatriz
 
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitária
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitáriaCiências 9º ano - saúde individual e comunitária
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitária
Patrícia Silva
 
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdfEPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
JooMarceloFerreiraBr
 
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
SniaRodrigues98
 

Semelhante a Aula 15 (20)

A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - Impacto Mundial do Câ...
 
Indicadores do estado de saude de uma população
Indicadores do estado de saude de uma populaçãoIndicadores do estado de saude de uma população
Indicadores do estado de saude de uma população
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
 
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da populaçãoSaúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
Saúde individual e comunitária indicadores do estado de saúde da população
 
Fatores de saude de uma populacao
Fatores de saude de uma populacaoFatores de saude de uma populacao
Fatores de saude de uma populacao
 
Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08
 
Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08Cartilha agsaude08
Cartilha agsaude08
 
Expedições Fiocruz 2012 1/5
Expedições Fiocruz 2012 1/5Expedições Fiocruz 2012 1/5
Expedições Fiocruz 2012 1/5
 
Indicadores do Estado de Saúde da População
Indicadores do Estado de Saúde da PopulaçãoIndicadores do Estado de Saúde da População
Indicadores do Estado de Saúde da População
 
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_2011201202_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
02_CN9_indicadores_estado_saúde_tc_20112012
 
SaúDe Individual E ComunitáRia
SaúDe Individual E ComunitáRiaSaúDe Individual E ComunitáRia
SaúDe Individual E ComunitáRia
 
Exposição 02 redes de atenção a saúde
Exposição 02 redes de atenção a saúdeExposição 02 redes de atenção a saúde
Exposição 02 redes de atenção a saúde
 
Epidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidadeEpidemiologia da obesidade
Epidemiologia da obesidade
 
DANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptxDANT DCNT.pptx
DANT DCNT.pptx
 
Risco e prevenção aula 27-05-13
Risco e prevenção   aula 27-05-13Risco e prevenção   aula 27-05-13
Risco e prevenção aula 27-05-13
 
Epidemiologia descritiva
Epidemiologia descritivaEpidemiologia descritiva
Epidemiologia descritiva
 
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãOIndicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
Indicadores Do Estado De SaúDe De Uma PopulaçãO
 
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitária
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitáriaCiências 9º ano - saúde individual e comunitária
Ciências 9º ano - saúde individual e comunitária
 
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdfEPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
EPIDEMIOLOGIA - Copia.pdf
 
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
1-Saúde individual e saúde comunitária.ppsx
 

Mais de Thiago Freitas

Imuno 3
Imuno 3Imuno 3
Grafico e tabela
Grafico e tabelaGrafico e tabela
Grafico e tabela
Thiago Freitas
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
Thiago Freitas
 
Tipos de estudo
Tipos de estudoTipos de estudo
Tipos de estudo
Thiago Freitas
 
Validade
ValidadeValidade
Validade
Thiago Freitas
 
A logica da investigacao
A logica da investigacaoA logica da investigacao
A logica da investigacao
Thiago Freitas
 
Aula 8 e 9 SUS
Aula 8 e 9   SUSAula 8 e 9   SUS
Aula 8 e 9 SUS
Thiago Freitas
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 16
Aula 16Aula 16
Aula 8
Aula 8 Aula 8
AULA 7
AULA 7AULA 7
Aula 14
Aula 14Aula 14
Aula 6 - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
Aula 6  - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDESAula 6  - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
Aula 6 - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
Thiago Freitas
 

Mais de Thiago Freitas (13)

Imuno 3
Imuno 3Imuno 3
Imuno 3
 
Grafico e tabela
Grafico e tabelaGrafico e tabela
Grafico e tabela
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
 
Tipos de estudo
Tipos de estudoTipos de estudo
Tipos de estudo
 
Validade
ValidadeValidade
Validade
 
A logica da investigacao
A logica da investigacaoA logica da investigacao
A logica da investigacao
 
Aula 8 e 9 SUS
Aula 8 e 9   SUSAula 8 e 9   SUS
Aula 8 e 9 SUS
 
Aula 9
Aula 9Aula 9
Aula 9
 
Aula 16
Aula 16Aula 16
Aula 16
 
Aula 8
Aula 8 Aula 8
Aula 8
 
AULA 7
AULA 7AULA 7
AULA 7
 
Aula 14
Aula 14Aula 14
Aula 14
 
Aula 6 - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
Aula 6  - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDESAula 6  - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
Aula 6 - ANATOMIA E FUNCOES DOS TECIDOS LINFOIDES
 

Último

Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
E-Commerce Brasil
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Leonardo Espírito Santo
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
E-Commerce Brasil
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
EMERSON BRITO
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
E-Commerce Brasil
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
E-Commerce Brasil
 

Último (13)

Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
Conferência Goiás I Perspectivas do Pix 2024: novidades e impactos no varejo ...
 
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
Conferência Goiás I Fraudes no centro-oeste em 2023
 
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
Conferência Goiás I Conteúdo que vende: Estratégias para o aumento de convers...
 
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamentoGuia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
Guia Definitivo do Feedback 2.0 como vc ter maturidade de relacionamento
 
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
Conferência Goiás I Os impactos da digitalização do Atacarejo no Brasil.
 
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
Conferência Goiás I Moda e E-commerce: transformando a experiência do consumi...
 
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
Conferência Goiás I E-commerce Inteligente: o papel crucial da maturidade dig...
 
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
Conferência Goiás I Prevenção à fraude em negócios B2B e B2C: boas práticas e...
 
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
Conferência Goiás I Como uma boa experiência na logística reversa pode impact...
 
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
Conferência Goiás I Uma experiência excelente começa quando ela ainda nem seq...
 
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊMANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
MANUAL DO REVENDEDOR TEGG TELECOM - O 5G QUE PAGA VOCÊ
 
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
Conferência Goiás I As tendências para logística em 2024 e o impacto positivo...
 
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
Conferência Goiás I Estratégias de aquisição e fidelização de clientes e opor...
 

Aula 15

  • 1. Epidemiologia das Doenças Crônicas Não Transmissíveis Prof. Thiago Freitas
  • 2. O que teremos hoje? qO que são as DCNT? • Conceito qA problemática e magnitude das DCNT • Contextualização qQuais os principais fatores determinantes das DCNT? • Etiologia qQuais as formas de enfrentamento das DCV que as políticas publicas nos sugere?
  • 3. Conceito • As Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) são doenças multifatoriais que se desenvolvem no decorrer da vida e são de longa duração.
  • 4.
  • 5. – Persistência de doenças parasitárias, infecciosas e desnutrição, características de países subdesenvolvidos. -- Problemas de saúde reprodutiva, com mortes maternas e óbitos infantis por causas consideradas evitáveis. – Desafio das doenças crônicas, com sedentarismo, tabagismo, alimentação inadequada e obesidade. – Crescimento das causas externas em decorrência do aumento da violência e dos acidentes de trânsito. Perfil Epidemiológico Brasileiro caracterizado por tripla carga de doenças:
  • 6. Perfil Epidemiológico Brasileiro • Doenças Crônicas Não Transmissíveis: problema de saúde de maior magnitude à cerca de 70% das causas de mortes Acidente Vascular Cerebral Infarto Hipertensão Arterial Câncer Diabetes Doenças Respiratórias Crônicas
  • 7. < 1a 1-4a 5-9a 10-14a 15-19a 20-29a 30-39a 40-49a 50-59a 60 e + 1 Afecções perinatais Causas externas Causas externas Causas externas Causas externas Causas externas Causas externas D. aparelho circulatório D. aparelho circulatório D. aparelho circulatório 2 Mal formação congênita Mal formação congênita Neoplasias Neoplasias Neoplasias DIP DIP Causas externas Neoplasias Neoplasias 3 Causas externas D. do aparelho respiratório D. do Sistema nervoso D. do Sistema nervoso D. do Sistema nervoso Neoplasias D. aparelho circulatório Neoplasias D. do aparelho digestivo D. do aparelho respiratório 4 D. do aparelho respiratório DIP DIP DIP D. aparelho circulatório D. aparelho circulatório Neoplasias D. do aparelho digestivo Causas externas D. Endóc. Nut. e Met. 5 DIP Neoplasias D. aparelho circulatório D. aparelho circulatório DIP D. do aparelho respiratório D. do aparelho digestivo DIP D. do aparelho respiratório D. do aparelho digestivo 6 D. Endóc. Nut. e Met. D. do Sistema nervoso D. do aparelho respiratório D. do aparelho respiratório D. do aparelho respiratório D. do Sistema nervoso D. do aparelho respiratório D. do aparelho respiratório DIP Causas externas 7 Neoplasias D. do sangue Mal formação congênita Mal formação congênita D. do aparelho digestivo D. do aparelho digestivo D. do Sistema nervoso D. Endóc. Nut. e Met. D. Endóc. Nut. e Met. DIP Principais causas de morte por faixa etária - Recife, 2006 a 2012 -Fonte: SIM/GVEPI/SEVS/SMS-Recife
  • 8. As várias Transições: Uma questão Mundial Demográfica: Envelhecimento populacional acelerado Epidemiológica: Mortalidade por DANT supera DT Dupla carga de doenças Nutricional: ­ ­ ­ Obesidade e ¯ ¯ ¯ Subnutrição Mudanças na Alimentação e ¯ ¯ ¯ Atividade Fisica Globalização: Difusão rápida de hábitos e padrões de comportamento
  • 9. Fatores de Risco • SOCIOECONÔMICOS: - Renda, escolaridade, ocupação, condições ambientais, estresse psicossocial; • COMPORTAMENTAIS: - Tabagismo, álcool, sedentarismo, inadequação alimentar e a excesso de peso; • GENÉTICO/HEREDITÁRIO
  • 10.
  • 11. Conceito de Risco Na maioria das doenças não-infecciosas é impossível afirmar-se claramente sua associação a um agente causal. O termo RISCO é usado, neste sentido, para indicar probabilidade de doença, e não certeza de sua ocorrência em todos os casos.
  • 12. Fatores de Risco • Não existe apenas um fator, mas vários fatores ou múltiplas causas na determinação desse grupo de patologias; • Podem agir isoladamente ou em interação; MULTICAUSALIDADE FATORES SOCIOECONÔMICOS FATORES AMBIENTAIS FATORES CULTURAIS FATORES GENÉTICOS
  • 13. Fatores de Risco DOENÇA NÃO INFECCIOSA Baixa patogenicidade constitui uma das características marcantes das doenças não-infecciosas, em comparação com doenças decorrentes da exposição a agentes infecciosos. SUSCEPTIBILIDADE INDIVIDUAL Patogenicidade: “produção” de sintomas em maior ou menor proporção no hospedeiro infectado
  • 14. Doença Crônica Não Transmissível • A ação necessária para produzir perturbações bioquímicas primárias em nível celular pode ser resultante de um dos seguintes tipos de exposição: à Exposição Aguda à Exposição reiterada e intermitente à Exposição Múltipla
  • 15. Tipos de Exposição • Exposição Aguda ao fator de risco que se apresenta em alta concentração
  • 16. Tipos de Exposição • Reiterada e Intermitente ao fator de risco durante algum tempo
  • 17. Tipos de Exposição • Exposição múltipla a fatores de risco que atuam sinergicamente
  • 18. Óbitos por Doenças Crônicas Não Transmissíveis 1991-2010
  • 19. Taxa de internação hospitalar por 4 grupos de DCNT: 2000-2009
  • 20.
  • 21.
  • 22. 2000 2003 2004 2008 Global Strategy for the Prevention and Control of Noncommunicable Diseases Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health Action Plan 2008-2013 on the Global Strategy for the Prevention and Control of NCDs 2010 2009 2011 Global Strategy to Reduce the Harmful Use of Alcohol WHO Global Status Report on NCDs Political Declaration on NCDs 2013 2020 WHO Action Plan for the Prevention and Control of NCDs for 2013-2020 Global Mile stones : Prevention and Control of NCDs
  • 23. Plano Nacional de Enfrentamento das DCNT (2011 – 2022) • Objetivo: promover o desenvolvimento e a implementação de políticas públicas efetivas, integradas, sustentáveis e baseadas em evidências para a prevenção e o controle das DCNT e seus fatores de risco e fortalecer os serviços de saúde voltados às doenças crônicas; • Aborda os 4 principais grupos de doenças (circulatórias, câncer, respiratórias crônicas e diabetes); • Fatores de risco modificáveis (tabagismo, álcool, inatividade física, alimentação não saudável e obesidade) • Define diretrizes e ações em: a) vigilância, informação, avaliação e monitoramento; b) promoção da saúde; c) cuidado integral
  • 24. Política Nacional de Promoção da Saúde ØAlimentação Saudável ØPrática Corporal/Atividade Física ØPrevenção e controle do tabagismo ØRedução da morbimortalidade em decorrência do uso abusivo de álcool e outras drogas ØRedução da morbimortalidade por acidentes de trânsito ØPrevenção da violência e estímulo à cultura de paz ØPromoção do desenvolvimento sustentável
  • 25.