SlideShare uma empresa Scribd logo
E.M. Manoel Porto FilhoNelton Araujonelton.manoel@gmail.comA Era das Revoluções
Você sabe o que vamos estudar este ano?Vou dar algumas dicas
INDUSTRIA, FÁBRICA, CLASSE MÉDIA, CLASSE TRABALHADORA, CAPITALISMO, SOCIALISMO, LIBERAL, CONSERVADOR, ESQUERDA, DIREITA, GREVE, NACIONALIDADE, CIENTISTA,CRISE ECONÔMICA, JORNALISMO, IDEOLOGIAVc conhece essas palavras?
Você acha que essas palavras são importantes para você?

Recomendado para você

O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil

O documento discute o processo de abolição da escravidão no Brasil em 6 pontos principais: 1) A pressão inglesa pelo fim do tráfico de escravos, 2) A extinção do tráfico de escravos em 1850, 3) O surgimento do movimento abolicionista brasileiro na década de 1860, 4) Leis como a Lei do Ventre Livre de 1871 e a Lei dos Sexagenários de 1885 que aboliram a escravidão gradualmente, 5) Os efeitos socioeconômicos da abolição para ex-escravos

A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti

O documento descreve a história da independência do Haiti, incluindo a revolta de escravos liderada por Toussaint L'Ouverture que levou à primeira independência na América Latina em 1804. Apesar de sua independência, o Haiti sofreu repetidas intervenções estrangeiras, principalmente da França e dos Estados Unidos, que exploraram economicamente o país e impuseram ditaduras. O povo haitiano resistiu bravamente à opressão ao longo da história.

Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial

A Baixa Idade Média entre os séculos XI e XVI foi um período de grandes transformações comerciais e urbanas na Europa. A reabertura do comércio no Mediterrâneo e o intenso comércio de especiarias entre o Oriente e Ocidente estimularam o crescimento de cidades portuárias como Veneza e Gênova. Inovações agrícolas também aumentaram a produção e população, culminando no renascimento das cidades e mudança do cenário do Ocidente. A economia monetária e surgimento

renascimento comercial
A Era das revoluçõesTodas essaspalavrassurgiram ou tomaram o sentidoque conhecemos entre 1789 e 1914
A Era das revoluçõesE essas revoluções foram a maior transformaçãoda história humana desde os tempos remotos quando o homem inventou a agricultura, a escrita, a cidadee o Estado.
“O Longo século XIX”Mas o que significa isso?O que vamos estudar no 8° ano?
Um século não tem 100 anos? Como pode haver séculos“breves” ou séculos “longos”?

Recomendado para você

As revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-anoAs revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-ano

As revoluções inglesas ocorreram devido ao crescimento da burguesia calvinista durante o período Tudor e Stuart, que se opunha aos privilégios da Igreja Anglicana e da monarquia autoritária. Isso levou à Guerra Civil Inglesa entre parlamentaristas e realistas e à execução de Carlos I, inaugurando o governo puritano de Cromwell. Posteriormente, a Revolução Gloriosa depôs o católico Jaime II e colocou no trono Guilherme de Orange, estabelecendo o

Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa

1) Martinho Lutero criticou escândalos e práticas da Igreja Católica, como a venda de indulgências, levando à Reforma Protestante na Alemanha. 2) A Reforma Protestante se espalhou pela Europa com novas religiões como o Luteranismo e o Calvinismo. 3) A Igreja Católica lançou a Contrarreforma para combater a Reforma e reafirmar seus dogmas no Concílio de Trento.

Revolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por HobsbawmRevolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por Hobsbawm

A Revolução Francesa começou como uma tentativa da aristocracia de recuperar poder do Estado, mas subestimou as intenções da burguesia e a crise socioeconômica. Isso levou o Terceiro Estado a se declarar Assembleia Nacional Constituinte e aprovar a Declaração dos Direitos do Homem. A revolução radicalizou-se com a República Jacobina, mas depois a burguesia retomou o controle sob o Diretório.

Calendário Cronológico = fixo em datas fixas.Calendário cronológico x histórico
Calendário Cronológico = fixo em datas.2001 – Início do Século XXI1900 – Fim do Século XIX1500 – Fim do Século XV1701 – Início do Século XVII0 – Início e fim de século nenhum, ok?Calendário cronológico x histórico
Calendário cronológico x históricoCalendário Histórico PERÍODO HISTÓRICO ou ERA HISTÓRICA
É um período histórico que vai desde 1789 até 1914Mas porquê essas datas?“O longo século XIX”

Recomendado para você

Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos

O documento descreve a história do Reino Franco sob a dinastia Merovíngia e Carolíngia, desde a união com os Romanos sob Meroveu até a divisão do Império Carolíngio pelo Tratado de Verdun em 843. Sob os Carolíngios, Carlos Magno expandiu o reino através de conquistas militares e estabeleceu uma administração centralizada, porém o Império se fragmentou após sua morte.

francosimperio carolingiocarlos magno
Seminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneoSeminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneo

[1] O documento discute o Renascimento e o Iluminismo, movimentos históricos que floresceram na Europa entre os séculos 15 e 18. [2] O Renascimento surgiu na Itália e valorizou a cultura clássica greco-romana, o humanismo, o individualismo e o uso da razão. [3] Já o Iluminismo defendia valores como liberdade, razão e democracia, combatendo o absolutismo e a ignorância, e influenciou revoluções políticas como a Revolução Francesa.

iluminismoitaliafraternidade
Conquista e colonização da América
Conquista e colonização da AméricaConquista e colonização da América
Conquista e colonização da América

O documento descreve a conquista e colonização da América por diferentes potências europeias. Detalha a colonização espanhola da América do Sul e Central, com foco no México e Peru, e a exploração de recursos como ouro e prata. Também aborda a colonização inglesa da América do Norte, dividida entre colônias de exploração no sul e povoamento no norte. Por fim, resume brevemente a presença francesa, holandesa e portuguesa no Novo Mundo.

“O longo século XIX”Início: 1789Revolução Francesa e Revolução Industrial1789 – Consolidação do capitalismo e dos valores burgueses, através da Revolução Francesa e a revolução Industrial “O Início do longo século XIX”
“O Longo século XIX”Final: 1914 Colapso do capitalismo liberal
O QUE IMPORTA SABER SOBRE O SÉCULO XX, SE EU JÁ ESTOU NO XXI?
Só se pode compreender ou julgarsobre um fatoou um período histórico quando se sabe sobre ele!“O longo século XIX”

Recomendado para você

Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas

A Revolução Inglesa ocorreu de 1642 a 1689 e resultou na limitação do poder real em prol do Parlamento. A revolução começou como um conflito entre o rei Carlos I, que defendia o absolutismo, e o Parlamento, liderado por presbiterianos, puritanos e nobres liberais. Isso levou à guerra civil entre realistas e parlamentaristas. Posteriormente, sob Oliver Cromwell, instaurou-se uma república puritana repressiva. Após a Restauração da monarquia, a "Revolução Gloriosa"

Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial

O documento descreve a administração colonial do Brasil pelos portugueses. Inicialmente, o país foi dividido em 15 capitanias hereditárias doadas a nobres, mas este sistema fracassou. Posteriormente, foi criado o sistema de governo geral centralizado na Bahia para melhor administrar a colônia. As cidades eram administradas por câmaras municipais.

história
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime

O documento descreve o Antigo Regime na França, caracterizado pela monarquia absoluta e sociedade dividida em três estados. O rei Luís XIV personificou o auge do absolutismo real através de luxos e obras grandiosas como Versalhes. No final do século XVIII, o Terceiro Estado se rebelou contra os altos impostos e privilégios dos outros estados, dando início à Revolução Francesa.

Impossívelentender o século XXI sem entender que ele é fruto do século XX.Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
E é Impossívelentender o século XX sem entender que ele é fruto do século XIX.Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
Nãodá pra entender fato ou período histórico nenhum sem analisar o que o antecedeu, ou seja, seu...Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
Processos históricos são as mudanças ou permanencias  que ocorreram  ao longo do tempo. ...PROCESSO HISTÓRICO

Recomendado para você

Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial começou em 1914 e opôs as potências aliadas da Tríplice Entente (Reino Unido, França e Rússia) contra as potências centrais da Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria-Hungria e Itália). A guerra foi marcada por violentos combates nas trincheiras na Frente Ocidental e grandes baixas dos dois lados. Os Estados Unidos entraram na guerra em 1917 ao lado da Entente, o que contribuiu para a derrota das potências centrais no ano se

A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa

O documento descreve a montagem do sistema colonial no Brasil entre 1500-1822. Inicialmente, o Brasil foi explorado de forma predatória para extração de pau-brasil. Posteriormente, Portugal estabeleceu as capitanias hereditárias para colonização, que fracassaram. Isso levou à criação dos governos gerais para maior centralização administrativa.

história do brasilamérica portuguesacolonização
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL

O documento resume o processo de abolição da escravatura no Brasil em 3 etapas: 1) O movimento abolicionista que pressionou pela abolição através de ideias e propaganda. 2) Leis como a Lei do Ventre Livre que aboliram gradualmente a escravatura. 3) A vida difícil dos libertos após a Lei Áurea sem receber apoio e tendo que competir com imigrantes.

...PROCESSO HISTÓRICOPercebemos diferenças e  semelhanças, os conflitos e contradições e as solidariedades, igualdades e desigualdades nas sociedades.
Entendendo o Processo HistóricoCompararproblemasAtuaisPosicionar-se de forma Crítica ao Presente!E  o Kiko?
A escolha é sua...Quem não está nem aíQuem entende a história
Pq oséculo XIX é o século do crescimentoe consolidaçãodo que chamamos decapitalismoliberal, da burguesiano poder sem ninguém para desafiá-la (ou seja, hegemônica), da Europa como centro do mundo.Mas por que  o “longo século XIX”?

Recomendado para você

A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais

O documento descreve a transição da Europa medieval para os Estados modernos, com a fragmentação do poder feudal e a ascensão dos reinos centralizados de Portugal, Espanha e França entre os séculos XI-XV. Fatores como a Peste Negra, revoltas camponesas e o avanço do Islã levaram à crise do feudalismo e à aliança entre reis, nobreza, clero e burguesia em prol do absolutismo monárquico.

1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna

Este documento resume a transição da Idade Média para a Idade Moderna na Europa, abordando a Baixa Idade Média, a crise do sistema feudal, e o Renascimento Comercial e Urbano.

aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdfaula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf

O documento discute o período histórico conhecido como "O Breve Século XX", que abrange de 1914 a 1991. Este período foi marcado por grandes transformações e conflitos, especialmente entre o capitalismo e o comunismo. O texto explica os conceitos de calendário cronológico e histórico para entender como se define este "Breve Século XX".

eric hobsbawneraextrem
Para entender o século XIXPara entender o “longo século XIX” é necessário entender o que chamamos de “tempos modernos”
O que foram os “Tempos modernos?”Vale a pena ver de novo...
Período que vai desde o século XIV à 1789Vale a pena ver de novo...
Transformações na Sociedade FeudalSurgimento da BurguesiaA Idade Moderna é a Idade da ascensão política da Burguesia.

Recomendado para você

Aula 1 - 9 ano
Aula 1 -  9 anoAula 1 -  9 ano
Aula 1 - 9 ano

O documento discute o século XX, referido como "O Breve Século XX", e o século XIX, chamado de "O Longo Século XIX". Explica que o século XX só pode ser compreendido à luz do século XIX, período das grandes revoluções industriais e políticas que transformaram a sociedade e deram origem ao capitalismo moderno. Também aborda os principais eventos históricos dos séculos XIX e XX e conceitos como Iluminismo, Antigo Regime e Revolução Francesa.

Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)

O documento discute o período histórico conhecido como "O Breve Século XX" (1914-1991). Ele apresenta o contexto do longo século XIX e como as revoluções industriais e francesa levaram ao surgimento do capitalismo liberal e das classes sociais. Também aborda os principais eventos do século XX como as guerras mundiais e o fim do mundo soviético.

O que é sociologia
O que é sociologiaO que é sociologia
O que é sociologia

O documento discute a história da sociologia como ciência. Começa explicando que a sociologia é uma das ciências sociais que tem como objeto de estudo os fenômenos sociais. Depois, descreve que no final do século XVIII, as revoluções industrial e francesa levaram pensadores como Auguste Comte a questionarem a estrutura social e a propor uma abordagem científica para compreender a sociedade, marcando o surgimento da sociologia. Por fim, contextualiza o desenvolvimento da sociologia no contexto das transformações sociais e econômicas da ép

sociologia
Transformações na Sociedade FeudalAumento desproporcional da população2) Fome+ Epidemias + Crise econômica + revolta camponesas = Crise do Sec. XIV
Como resolver esse abacaxi...Senhores feudais entregavam o poder de suas terras  para o rei em troca de segurança econômica e  de seus privilégiosAssim surgia o Antigo Regime...
O Antigo RegimeSociedade Aristocrática, ou seja, que pregava a desigualdade entre os homensFavorecia apenas uma pequenaparcelados súditos do rei.Direito de Nascença x Direito de Fortuna
Sociedade estratificada ou estamental

Recomendado para você

Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptNascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt

O documento descreve o contexto histórico do surgimento da Sociologia, desde a pré-história até a Idade Moderna. Fatores como a Revolução Científica, a Revolução Industrial e o Iluminismo levaram ao desenvolvimento das ciências humanas e do positivismo, criando as condições para o estabelecimento da Sociologia como ciência da sociedade.

#origem da sociologia
Aula 1 8 ano 1
Aula 1   8 ano 1Aula 1   8 ano 1
Aula 1 8 ano 1

O documento apresenta um resumo sobre o período histórico entre os séculos XVIII e XIX, conhecido como Era das Revoluções. Aborda temas como a ascensão da burguesia e do capitalismo, o absolutismo monárquico, a Igreja, a sociedade estratificada, e o mercantilismo, contextualizando conceitos importantes para entender a história e o presente.

Surgimento sociologia i
Surgimento sociologia iSurgimento sociologia i
Surgimento sociologia i

O documento discute o surgimento da sociologia no século XIX como uma resposta às transformações sociais, políticas e econômicas da época, como a Revolução Francesa e Industrial. Três acontecimentos foram fundamentais: 1) mudanças culturais com o Iluminismo; 2) mudanças políticas com a queda da monarquia na França; 3) mudanças econômicas com a Revolução Industrial. Pensadores como Saint-Simon e Comte usaram métodos científicos para entender e racionalizar a nova ordem social trazida pela modernidade

As Bases de Sustentação do Antigo RegimeO Aboslutismo O ESTADO SOU EU, P$%¨#@!
As Bases de Sustentação do Antigo RegimeA Igreja“O Direito Divino dos Reis”“Se o Rei está no poder, é pq Deus assim o quis. Não enche!”
O Mercantilismo
Movimento de Renovação artísticaMudanças na Europa - Renascimento

Recomendado para você

capitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptxcapitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptx

1) O documento discute as transformações sociais que ocorreram entre os séculos 15 e 18 na Europa, incluindo a expansão do comércio, o crescimento das cidades, a Revolução Industrial e a Revolução Francesa. 2) Essas transformações sociais criaram novas perguntas e desafios que levaram ao surgimento da Sociologia no século 19 como forma de compreender a sociedade moderna. 3) A Sociologia surgiu principalmente nas cidades para estudar problemas como a desigualdade social que se tornaram evidentes no contexto urb

SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxSSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx

O documento descreve o contexto histórico do surgimento da Sociologia, destacando as revoluções científicas, o Iluminismo, a Revolução Industrial e o desenvolvimento do capitalismo, que trouxeram grandes transformações sociais e econômicas na Europa, despertando o interesse em estudar scientificamente a sociedade.

ciência e modernidade
REVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptxREVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptx

O documento descreve o contexto histórico do surgimento da Sociologia, destacando as revoluções científicas, o Iluminismo, a Revolução Industrial e o desenvolvimento do capitalismo, que trouxeram grandes transformações sociais e econômicas na Europa entre os séculos XV e XIX e despertaram o interesse em estudar sistematicamente a sociedade.

Início na mudança dos valores  da Idade MédiaMudanças na Europa - RenascimentoAntropocentrismoHUMANISMO
Renascimento e Humanismo – Choque com os dogmas da IgrejaMudanças na Europa – Reforma
Lutero e Calvino: rompimento com a Igreja CatólicaIgreja Protestante – Ligada aos valores da burguesiaContrarreforma: Mudanças na Igreja Católica para combater  a ReformaMudanças na Europa – Reforma
Se houve fome, logo, gente morreuAgora, Pare e pense...

Recomendado para você

Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weberQuintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber

1) O documento apresenta uma introdução sobre as origens da sociologia e as transformações sociais resultantes da industrialização na Europa entre os séculos 16 e 19, incluindo mudanças nas estruturas de classes, na família e nas condições de trabalho. 2) Apresenta resumidamente os principais autores clássicos da sociologia - Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber - e os temas centrais abordados em seus trabalhos. 3) Fornece um breve resumo dos capítulos do livro sobre cada autor, incluindo conce

Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber

Este documento apresenta uma introdução sobre a emergência da sociologia como campo científico no século 19 na Europa. Discute as mudanças econômicas, políticas e sociais resultantes da industrialização, como o crescimento das cidades, novas condições de trabalho e transformações nas estruturas familiares. Também aborda os desafios intelectuais em interpretar as turbulências sociais da época e como isso contribuiu para o desenvolvimento da sociologia.

Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber

Este documento apresenta uma introdução sobre a emergência da sociologia como campo científico no século 19 na Europa. Discute as mudanças econômicas, políticas e sociais resultantes da industrialização, como o crescimento das cidades, novas condições de trabalho e transformações nas estruturas familiares. Também aborda os desafios intelectuais em interpretar as turbulências sociais da época e como isso contribuiu para o desenvolvimento da sociologia.

clássicos da sociologia
Se houve epidemia, logo, gente morreuAgora, Pare e pense...
E se houve guerras, logo... Isso aí mesmo!Agora, Pare e pense...
Como produzir mais se não há mão-de-obra? Assim a economia européia estava ESTAGNADAMas como solucionar isso?Pare e pense...(sei que é difícil, mas vamos tentar)
EXPANDINDO-SE PARA FORA DA EUROPA!

Recomendado para você

QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...

Este documento apresenta uma introdução sobre a emergência da sociologia como campo científico no século 19 na Europa. Discute as mudanças econômicas, políticas e sociais resultantes da industrialização, como o crescimento das cidades, novas condições de trabalho e transformações nas estruturas familiares. Também aborda os desafios intelectuais em interpretar as turbulências sociais da época e como isso contribuiu para o desenvolvimento da sociologia.

Stg slide 1
Stg slide 1Stg slide 1
Stg slide 1

O documento discute a modernidade, sua emergência e características, e debates sobre seu fim ou continuidade em sociedades contemporâneas. A modernidade emerge nos séculos XVI-XVII com o desenvolvimento da ciência, Estados centralizados e mudanças econômicas e sociais. Consolida-se no século XVIII com a Revolução Industrial, Estado-nação e racionalidade. Alguns defendem que entramos em era pós-moderna, enquanto outros falam em modernidade tardia ou líquida.

Jornadaxviii willian
Jornadaxviii willianJornadaxviii willian
Jornadaxviii willian

Este documento discute a ascensão e queda da maçonaria no Brasil, abordando: 1) O papel da maçonaria no Império e na Primeira República, quando exerceu grande influência política; 2) O projeto secreto maçônico no Segundo Império para controlar a Igreja e promover o progresso do país; 3) O declínio da maçonaria na República Velha devido a cisões internas em 1927.

Essa saída em busca de novas áreasde exploração  é chamada de Expansão  Marítima
Expansão Marítima- Objetivos
Expansão Marítima- Objetivos
Expansão Marítima- Objetivos

Recomendado para você

2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila

Trabalho de literatura brasileira sobre a obra O Cortiço de Aluizio de Azevedo desenvolvido pelos alunos Gabriel, Matheus e Victor Afonso do 2º Az do Colégio Atenas.

Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico

1) O período entre 1715-1815 foi marcado por ambiguidade devido a novas estruturas econômicas e ideológicas e pelas Revoluções Liberais. 2) Os salões desempenharam um papel cultural importante como centros de discussão iluminista. 3) O Iluminismo pregava a razão, liberdade individual e progresso através da ciência e rejeitava a tradição e o absolutismo.

hca11ºensino profissional
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela LiberdadeO Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade

1. O documento discute a história da cidade do Porto como um "baluarte da liberdade" desde a Idade Média, destacando suas lutas por liberdades e privilégios contra senhores feudais e o poder central de Lisboa. 2. No século XIX, o Porto teve um papel de protagonismo nos movimentos liberais e reformadores contra o absolutismo. 3. No século XX, o Porto continuou participando de lutas pela liberdade, como a revolta republicana de 31 de Janeiro de 1891 e a revolta de 1927, ap

Expansão Marítima- Objetivos
Consolidação da força do AbsolutismoCrescimento da burguesiaAdoção das práticas mercantilistas por toda EuropaOcupação de novos territórios fora da EuropaExpansão Marítima - Consequencias
E o que essa imagem tem a ver?
Cenas do próximo capítulo...

Recomendado para você

Iluminismo (aula)
Iluminismo (aula)Iluminismo (aula)
Iluminismo (aula)

O documento descreve o Iluminismo, um movimento filosófico do século XVIII caracterizado pela confiança na razão e nas ciências. Apresenta seus principais filósofos como Voltaire, Montesquieu e Rousseau, que criticaram o absolutismo e defenderam a liberdade, igualdade e propriedade privada. Também discute suas ideias sobre economia liberal com Adam Smith e a Revolução Industrial e Científica que influenciaram o Iluminismo.

Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa

O documento apresenta uma revisão sobre o período histórico do século XX, chamado de "Breve Século XX", que vai de 1914 a 1991. Aborda os principais acontecimentos deste período como as Guerras Mundiais, o surgimento e fim do comunismo e a luta entre capitalismo e comunismo. Explica também a importância de entender este período para compreender o século XXI.

Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa

O documento discute o período histórico entre 1914-1991 conhecido como "O Breve Século XX". Este foi um período marcado pela luta entre o capitalismo e o comunismo, que culminou no fim do mundo comunista em 1991 com o colapso da União Soviética.

Em 1 minuto, responda:“O que você achou da aula de hoje? O que poderia melhorar?”Você não é  obrigado a assinar seu nome , mas seja sincero!Avaliação de 1 minuto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
Privada
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
Nome Sobrenome
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
historiando
 
Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial
Aulas de História
 
As revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-anoAs revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-ano
Lucas Degiovani
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
Revolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por HobsbawmRevolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por Hobsbawm
Aléxia Martins
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
Carlos Zaranza
 
Seminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneoSeminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneo
Gian Vargas
 
Conquista e colonização da América
Conquista e colonização da AméricaConquista e colonização da América
Conquista e colonização da América
Elton Zanoni
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
Professor de História
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
MarisaPatel
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Carlos Teles de Menezes Junior
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
Edenilson Morais
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
Bruce Portes
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
Daniel Alves Bronstrup
 

Mais procurados (20)

Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)Idade média   baixa idade média (séc. xi-xv)
Idade média baixa idade média (séc. xi-xv)
 
O fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasilO fim da escravidão negra no brasil
O fim da escravidão negra no brasil
 
A independência do haiti
A independência do haitiA independência do haiti
A independência do haiti
 
Renascimento Comercial
Renascimento ComercialRenascimento Comercial
Renascimento Comercial
 
As revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-anoAs revolucoes inglesas - 8-ano
As revolucoes inglesas - 8-ano
 
Reforma religiosa
Reforma religiosaReforma religiosa
Reforma religiosa
 
Revolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por HobsbawmRevolução Francesa por Hobsbawm
Revolução Francesa por Hobsbawm
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
 
Seminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneoSeminario mundo contemporaneo
Seminario mundo contemporaneo
 
Conquista e colonização da América
Conquista e colonização da AméricaConquista e colonização da América
Conquista e colonização da América
 
Revoluções inglesas
Revoluções inglesasRevoluções inglesas
Revoluções inglesas
 
Brasil colonial
Brasil colonialBrasil colonial
Brasil colonial
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
A colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesaA colonização da América portuguesa
A colonização da América portuguesa
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias NacionaisA Formação das Monarquias Nacionais
A Formação das Monarquias Nacionais
 
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna1º ano - transição da idade média para a idade moderna
1º ano - transição da idade média para a idade moderna
 

Semelhante a Aula 1 - 8 ano

aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdfaula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
ian25101995
 
Aula 1 - 9 ano
Aula 1 -  9 anoAula 1 -  9 ano
Aula 1 - 9 ano
profnelton
 
Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)
profnelton
 
O que é sociologia
O que é sociologiaO que é sociologia
O que é sociologia
Aldenei Barros
 
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptNascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
claudia25650
 
Aula 1 8 ano 1
Aula 1   8 ano 1Aula 1   8 ano 1
Aula 1 8 ano 1
profnelton
 
Surgimento sociologia i
Surgimento sociologia iSurgimento sociologia i
Surgimento sociologia i
Lucio Braga
 
capitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptxcapitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptx
RODOLFORODRIGUESGOME1
 
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxSSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
NaldoArajo4
 
REVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptxREVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptx
HIUANAROSAVALADAO
 
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weberQuintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
nandoflorippa
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
Everton Pimenta
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
Everton Pimenta
 
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
CoriolandoJunior2
 
Stg slide 1
Stg slide 1Stg slide 1
Stg slide 1
Zetler
 
Jornadaxviii willian
Jornadaxviii willianJornadaxviii willian
Jornadaxviii willian
Jose Renato Dos Santos
 
2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila
claudia murta
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
Carla Freitas
 
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela LiberdadeO Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade
Luisa Lamas
 
Iluminismo (aula)
Iluminismo (aula)Iluminismo (aula)

Semelhante a Aula 1 - 8 ano (20)

aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdfaula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
aula1-9ano-110218190153-phpapp01.pdf
 
Aula 1 - 9 ano
Aula 1 -  9 anoAula 1 -  9 ano
Aula 1 - 9 ano
 
Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)Aula 1  -  "A Era dos Extremos" (atualizada)
Aula 1 - "A Era dos Extremos" (atualizada)
 
O que é sociologia
O que é sociologiaO que é sociologia
O que é sociologia
 
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptNascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
 
Aula 1 8 ano 1
Aula 1   8 ano 1Aula 1   8 ano 1
Aula 1 8 ano 1
 
Surgimento sociologia i
Surgimento sociologia iSurgimento sociologia i
Surgimento sociologia i
 
capitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptxcapitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptx
 
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxSSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
 
REVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptxREVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptx
 
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weberQuintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
Quintaneiro; barbosa; oliveira. um toque de clássicos marx, durkheim e weber
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
 
Um toque de classicos durkheim marx weber
Um toque de classicos   durkheim marx weberUm toque de classicos   durkheim marx weber
Um toque de classicos durkheim marx weber
 
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
QUINTANEIRO, Tânia - Um Toque de Clássicos - (Sociologia) Durkheim Marx Weber...
 
Stg slide 1
Stg slide 1Stg slide 1
Stg slide 1
 
Jornadaxviii willian
Jornadaxviii willianJornadaxviii willian
Jornadaxviii willian
 
2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila2 az grupo-meninosdavila
2 az grupo-meninosdavila
 
Módulo 7 contexto histórico
Módulo 7   contexto históricoMódulo 7   contexto histórico
Módulo 7 contexto histórico
 
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela LiberdadeO Porto Nas Lutas Pela Liberdade
O Porto Nas Lutas Pela Liberdade
 
Iluminismo (aula)
Iluminismo (aula)Iluminismo (aula)
Iluminismo (aula)
 

Mais de profnelton

Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
profnelton
 
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
profnelton
 
O período entreguerras
O período entreguerrasO período entreguerras
O período entreguerras
profnelton
 
Principais datas históricas do brasil
Principais datas históricas do brasilPrincipais datas históricas do brasil
Principais datas históricas do brasil
profnelton
 
Campeonato história
Campeonato históriaCampeonato história
Campeonato história
profnelton
 
Inicio de século
Inicio de séculoInicio de século
Inicio de século
profnelton
 
Ano em século
Ano em séculoAno em século
Ano em século
profnelton
 
Inicio de século
Inicio de séculoInicio de século
Inicio de século
profnelton
 
Final de século
Final de séculoFinal de século
Final de século
profnelton
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
profnelton
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
profnelton
 
Extrativismo
ExtrativismoExtrativismo
Extrativismo
profnelton
 
Pecuária
PecuáriaPecuária
Pecuária
profnelton
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
profnelton
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
profnelton
 
Trabalho bimestral9 ano
Trabalho bimestral9 anoTrabalho bimestral9 ano
Trabalho bimestral9 ano
profnelton
 
Trabalho bimestral8ano
Trabalho bimestral8anoTrabalho bimestral8ano
Trabalho bimestral8ano
profnelton
 
1ª guerra mundial
1ª  guerra mundial1ª  guerra mundial
1ª guerra mundial
profnelton
 
Sistema colonial
Sistema colonial Sistema colonial
Sistema colonial
profnelton
 
Sistema colonial
Sistema colonial Sistema colonial
Sistema colonial
profnelton
 

Mais de profnelton (20)

Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
 
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. FrancesaRevisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
Revisão - Liberalismo/Rev. Industrial/ Rev. Francesa
 
O período entreguerras
O período entreguerrasO período entreguerras
O período entreguerras
 
Principais datas históricas do brasil
Principais datas históricas do brasilPrincipais datas históricas do brasil
Principais datas históricas do brasil
 
Campeonato história
Campeonato históriaCampeonato história
Campeonato história
 
Inicio de século
Inicio de séculoInicio de século
Inicio de século
 
Ano em século
Ano em séculoAno em século
Ano em século
 
Inicio de século
Inicio de séculoInicio de século
Inicio de século
 
Final de século
Final de séculoFinal de século
Final de século
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Extrativismo
ExtrativismoExtrativismo
Extrativismo
 
Pecuária
PecuáriaPecuária
Pecuária
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Trabalho bimestral9 ano
Trabalho bimestral9 anoTrabalho bimestral9 ano
Trabalho bimestral9 ano
 
Trabalho bimestral8ano
Trabalho bimestral8anoTrabalho bimestral8ano
Trabalho bimestral8ano
 
1ª guerra mundial
1ª  guerra mundial1ª  guerra mundial
1ª guerra mundial
 
Sistema colonial
Sistema colonial Sistema colonial
Sistema colonial
 
Sistema colonial
Sistema colonial Sistema colonial
Sistema colonial
 

Último

(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 

Último (20)

(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 

Aula 1 - 8 ano

  • 1. E.M. Manoel Porto FilhoNelton Araujonelton.manoel@gmail.comA Era das Revoluções
  • 2. Você sabe o que vamos estudar este ano?Vou dar algumas dicas
  • 3. INDUSTRIA, FÁBRICA, CLASSE MÉDIA, CLASSE TRABALHADORA, CAPITALISMO, SOCIALISMO, LIBERAL, CONSERVADOR, ESQUERDA, DIREITA, GREVE, NACIONALIDADE, CIENTISTA,CRISE ECONÔMICA, JORNALISMO, IDEOLOGIAVc conhece essas palavras?
  • 4. Você acha que essas palavras são importantes para você?
  • 5. A Era das revoluçõesTodas essaspalavrassurgiram ou tomaram o sentidoque conhecemos entre 1789 e 1914
  • 6. A Era das revoluçõesE essas revoluções foram a maior transformaçãoda história humana desde os tempos remotos quando o homem inventou a agricultura, a escrita, a cidadee o Estado.
  • 7. “O Longo século XIX”Mas o que significa isso?O que vamos estudar no 8° ano?
  • 8. Um século não tem 100 anos? Como pode haver séculos“breves” ou séculos “longos”?
  • 9. Calendário Cronológico = fixo em datas fixas.Calendário cronológico x histórico
  • 10. Calendário Cronológico = fixo em datas.2001 – Início do Século XXI1900 – Fim do Século XIX1500 – Fim do Século XV1701 – Início do Século XVII0 – Início e fim de século nenhum, ok?Calendário cronológico x histórico
  • 11. Calendário cronológico x históricoCalendário Histórico PERÍODO HISTÓRICO ou ERA HISTÓRICA
  • 12. É um período histórico que vai desde 1789 até 1914Mas porquê essas datas?“O longo século XIX”
  • 13. “O longo século XIX”Início: 1789Revolução Francesa e Revolução Industrial1789 – Consolidação do capitalismo e dos valores burgueses, através da Revolução Francesa e a revolução Industrial “O Início do longo século XIX”
  • 14. “O Longo século XIX”Final: 1914 Colapso do capitalismo liberal
  • 15. O QUE IMPORTA SABER SOBRE O SÉCULO XX, SE EU JÁ ESTOU NO XXI?
  • 16. Só se pode compreender ou julgarsobre um fatoou um período histórico quando se sabe sobre ele!“O longo século XIX”
  • 17. Impossívelentender o século XXI sem entender que ele é fruto do século XX.Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
  • 18. E é Impossívelentender o século XX sem entender que ele é fruto do século XIX.Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
  • 19. Nãodá pra entender fato ou período histórico nenhum sem analisar o que o antecedeu, ou seja, seu...Nada, nada, nadinha mesmo é por acaso
  • 20. Processos históricos são as mudanças ou permanencias que ocorreram  ao longo do tempo. ...PROCESSO HISTÓRICO
  • 21. ...PROCESSO HISTÓRICOPercebemos diferenças e semelhanças, os conflitos e contradições e as solidariedades, igualdades e desigualdades nas sociedades.
  • 22. Entendendo o Processo HistóricoCompararproblemasAtuaisPosicionar-se de forma Crítica ao Presente!E o Kiko?
  • 23. A escolha é sua...Quem não está nem aíQuem entende a história
  • 24. Pq oséculo XIX é o século do crescimentoe consolidaçãodo que chamamos decapitalismoliberal, da burguesiano poder sem ninguém para desafiá-la (ou seja, hegemônica), da Europa como centro do mundo.Mas por que o “longo século XIX”?
  • 25. Para entender o século XIXPara entender o “longo século XIX” é necessário entender o que chamamos de “tempos modernos”
  • 26. O que foram os “Tempos modernos?”Vale a pena ver de novo...
  • 27. Período que vai desde o século XIV à 1789Vale a pena ver de novo...
  • 28. Transformações na Sociedade FeudalSurgimento da BurguesiaA Idade Moderna é a Idade da ascensão política da Burguesia.
  • 29. Transformações na Sociedade FeudalAumento desproporcional da população2) Fome+ Epidemias + Crise econômica + revolta camponesas = Crise do Sec. XIV
  • 30. Como resolver esse abacaxi...Senhores feudais entregavam o poder de suas terras para o rei em troca de segurança econômica e de seus privilégiosAssim surgia o Antigo Regime...
  • 31. O Antigo RegimeSociedade Aristocrática, ou seja, que pregava a desigualdade entre os homensFavorecia apenas uma pequenaparcelados súditos do rei.Direito de Nascença x Direito de Fortuna
  • 33. As Bases de Sustentação do Antigo RegimeO Aboslutismo O ESTADO SOU EU, P$%¨#@!
  • 34. As Bases de Sustentação do Antigo RegimeA Igreja“O Direito Divino dos Reis”“Se o Rei está no poder, é pq Deus assim o quis. Não enche!”
  • 36. Movimento de Renovação artísticaMudanças na Europa - Renascimento
  • 37. Início na mudança dos valores da Idade MédiaMudanças na Europa - RenascimentoAntropocentrismoHUMANISMO
  • 38. Renascimento e Humanismo – Choque com os dogmas da IgrejaMudanças na Europa – Reforma
  • 39. Lutero e Calvino: rompimento com a Igreja CatólicaIgreja Protestante – Ligada aos valores da burguesiaContrarreforma: Mudanças na Igreja Católica para combater a ReformaMudanças na Europa – Reforma
  • 40. Se houve fome, logo, gente morreuAgora, Pare e pense...
  • 41. Se houve epidemia, logo, gente morreuAgora, Pare e pense...
  • 42. E se houve guerras, logo... Isso aí mesmo!Agora, Pare e pense...
  • 43. Como produzir mais se não há mão-de-obra? Assim a economia européia estava ESTAGNADAMas como solucionar isso?Pare e pense...(sei que é difícil, mas vamos tentar)
  • 45. Essa saída em busca de novas áreasde exploração é chamada de Expansão Marítima
  • 50. Consolidação da força do AbsolutismoCrescimento da burguesiaAdoção das práticas mercantilistas por toda EuropaOcupação de novos territórios fora da EuropaExpansão Marítima - Consequencias
  • 51. E o que essa imagem tem a ver?
  • 52. Cenas do próximo capítulo...
  • 53. Em 1 minuto, responda:“O que você achou da aula de hoje? O que poderia melhorar?”Você não é obrigado a assinar seu nome , mas seja sincero!Avaliação de 1 minuto