SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
ARTES VISUAIS E MÚSICA 
UM POUCO DA HISTÓRIA... 
O mundo da arte é concreto e vivo podendo ser observado, 
compreendido e apreciado. Através da experiência artística o ser humano 
desenvolve sua imaginação e criação aprendendo a conviver com seus 
semelhantes, respeitando as diferenças e sabendo modificar sua realidade. A 
arte dá e encontra forma e significado como instrumento de vida na busca do 
entendimento de quem somos, onde estamos e o que fazemos no mundo. 
de uma tela pintada como sendo arte? 
Conhecendo mais sobre o tema 
Para podermos responder a essas perguntas devemos, antes de mais 
nada, saber que a arte é conhecimento. A arte é uma das primeiras 
manifestações da humanidade como forma do ser humano marcar sua 
presença criando objetos e formas (pintura nas cavernas, templos religiosos, 
roupas, quadros, filmes etc) que representam sua vivência no mundo, 
comunicando e expressando suas idéias, sentimentos e sensações para os 
outros. 
Desta maneira, quando o ser humano faz arte, ele cria um objeto 
artístico que não precisa nos mostrar exatamente como as coisas são no 
mundo natural ou vivido e sim, como as coisas podem ser, de acordo com a 
sua visão. 
A função da arte e o seu valor, portanto, não estão no retrato fiel da 
realidade, mas sim, na representação simbólica do mundo humano. 
Para existir a arte são precisos três elementos: 
o artista, o observador e a obra de arte. 
O primeiro elemento é o artista, aquele que cria a obra, partindo do seu 
conhecimento concreto, abstrato e individual transmitindo e expressando suas 
idéias, sentimentos, emoções em um objeto artístico (pintura, escultura, 
desenho etc) que simbolize esses conceitos. Para criar a obra o artista 
necessita conhecer e experimentar os materiais com que trabalha quais as 
técnicas que melhor se encaixam à sua proposta de arte e como expor seu 
conhecimento de maneira formal no objeto artístico. 
O outro elemento é o observador, que faz parte do público que tem o 
contato com a obra, partindo num caminho inverso ao do artista – observa a 
obra para chegar ao conhecimento de mundo que ela contém. Para isso o 
observador precisa de sensibilidade, disponibilidade para entendê-la e algum 
conhecimento de história e história da arte, assim poderá entender o contexto 
em que a obra foi produzida e fazer relação com o seu próprio contexto.
Por fim, a obra de arte ou o objeto artístico, faz parte de todo o 
processo, indo da criação do artista até o entendimento e apreciação do 
observador. A obra de arte guarda um fim em si mesma sem precisar de um 
complemento ou “tradução”, desde que isso não faça parte da proposta do 
artista. 
Sugestões de atividades com imitação 
INTRODUÇÃO 
Pretende-se com este plano de aula que o aluno compreenda 
mensagens corporais delicadas e representações simples por imitação, 
observando o ambiente à sua volta para poder perceber diferentes posições, 
posturas, gestos de si mesmo e dos demais. Além disso, espera-se com as 
atividades preparar os alunos para entender a linguagem não verbal, de tal 
modo que possam manejar sua comunicação e transmissão de sentimentos. 
Para isso, serão utilizados jogos competitivos simples (individuais, em pares ou 
em equipe), que incluem correr, pegar, fugir e também adquirir a consciência 
de espaço e dos outros jogadores. Esses jogos incluem também a prática e o 
desenvolvimento de diversas maneiras de lançar, receber e transladar uma 
bola ou outro objeto. 
OBJETIVOS 
Desenvolver a criatividade, promover e exercitar o desenvolvimento físico e 
pessoal em um contexto de respeito e valorização do ser humano, promover o 
interesse e a capacidade de conhecer a realidade, utilizar o conhecimento e 
selecionar informação relevante. 
PROCEDIMENTOS 
As atividades podem ser realizadas na sala de aula ou na quadra. A turma será 
organizada em grupos, de acordo com a atividade. 
1. Convide os alunos para que, aos pares, façam duas atividades. Na primeira 
etapa, peça que um dos dois alunos diga o nome de um objeto e que o outro 
imite 
os movimentos desse objeto. Por exemplo, imitação de máquinas em 
locomoção (carros, barcos, aviões, planadores) ou imitação de máquinas sem 
deslocamento (guindaste, impressora, fotocopiadora, câmera de vídeo etc.). 
Durante a atividade, os alunos vão trocando de papel. O jogo também pode ser 
feito em
trios, em grupos de cinco ou em grandes grupos. Numa segunda etapa, conte 
aos alunos uma história que envolva diversos animais. Peça aos alunos que se 
desloquem livremente pelo espaço, imitando os animais ou pessoas. Se for 
uma história que aconteceu em uma selva, por exemplo, eles podem imitar 
macacos, elefantes, leões, indígenas, fotógrafos, personagens fictícios, como o 
Tarzan. Outra opção é contar uma história que se passe em um zoológico ou 
em um circo. 
2. O safári fotográfico. Nessa atividade, distribua os alunos em três grupos. Um 
deles deverá imitar animais (de diferentes grupos e tipos). Outro imitará os 
membros do safári e o outro imitará as atividades que acontecem na selva 
(caça, dança, pesca). Enquanto um grupo imita, os outros tentam adivinhar o 
que estão imitando. A cada rodada de adivinhação, os grupos devem trocar de 
papel. 
3. O armazém de brinquedos. Cada aluno escolhe ser um brinquedo e imita 
seus movimentos. A turma deve se dividir em dois grupos. Os alunos do 
primeiro grupo começam imitando os brinquedos que escolheram e, a um sinal 
do professor, acabam as pilhas, tornando o movimento mais lento até parar. 
Em seguida, os alunos do grupo que ficou como observador escolhem os 
brinquedos de que mais gostaram. Depois disso, invertem-se os papéis. 
4. A grande orquestra. Todo o grupo se coloca em semicírculo e é designado 
um instrumento musical para cada aluno ou grupo de alunos. Um fica com o 
papel de diretor da orquestra e com seus gestos indicará o começo, a 
execução e o final da música. Como variação, pode ser que a orquestra se 
transforme em uma banda de rua e desfile enquanto toca. O diretor da 
orquestra deve indicar a cada aluno que instrumento tocar, por meio de gestos 
e da imitação do som do instrumento. 
5. Os eletrodomésticos. Cada aluno imagina que está utilizando um aparelho 
eletrodoméstico igual ao de seus pais (oriente aqueles que não tiverem ideia, 
sugerindo que imitem um liquidificador, uma batedeira, uma enceradeira, uma 
cafeteira, uma máquina de cortar grama, uma furadeira). Numa primeira etapa, 
peça aos alunos que imitem o uso do aparelho. Depois, que se transformem no 
equipamento. 
6. Convide os alunos a formar um círculo. Conte a eles que todos vão dormir 
um pouco para descansar. O grupo reunido imitará diferentes formas de dormir 
conforme o seu comando: com frio e cobertores, com calor no verão, roncando, 
sonhando, com pesadelos, tranquilamente, sonâmbulo. 
Depois da última atividade, analise com os alunos a importância da observação 
para poder imitar. Peça a eles sugestões e comentários sobre as atividades. 
AVALIAÇÃO 
Uma possibilidade de avaliação das atividades pode ser feita por meio 
de uma pauta de observação individual contendo os seguintes itens: 
O aluno reage perante as informações auditivas que estão ao seu redor, 
empregando o movimento de gestos?
O aluno reage perante as informações visuais que estão ao seu redor, 
empregando o movimento de gestos? 
"Um excelente educador não é um ser humano perfeito, mas alguém que tem 
serenidade para se esvaziar e sensibilidade para aprender" (Augusto Cury)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º anoMary Alvarenga
 
Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos Miriã Cristina
 
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidianoPonto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidianoRaphael Lanzillotte
 
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?Liziane84
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioMarcia Oliveira
 
Aula 02 arte digital
Aula 02 arte digitalAula 02 arte digital
Aula 02 arte digitalVenise Melo
 
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docx
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docxATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docx
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docxDaniel Arena
 
Arte - plano de curso-2016
Arte  - plano de curso-2016Arte  - plano de curso-2016
Arte - plano de curso-2016Mary Alvarenga
 
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantil
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação InfantilPlano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantil
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantiladrianalobo
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arteLANCIATIAGO
 
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumondAtividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 

Mais procurados (20)

Plano de curso arte 5º ano
Plano de curso arte   5º anoPlano de curso arte   5º ano
Plano de curso arte 5º ano
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos Plano de aula História em quadrinhos
Plano de aula História em quadrinhos
 
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidianoPonto e Linha - na Arte e no cotidiano
Ponto e Linha - na Arte e no cotidiano
 
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?
PROJETO: QUE HISTÓRIA SUA FOTOGRAFIA TEM PARA CONTAR?
 
Projeto tarsila
Projeto tarsilaProjeto tarsila
Projeto tarsila
 
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1Prova de arte 6ano 3b pronta 1
Prova de arte 6ano 3b pronta 1
 
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino MédioAvaliação de Arte 2º Ensino Médio
Avaliação de Arte 2º Ensino Médio
 
Aula 02 arte digital
Aula 02 arte digitalAula 02 arte digital
Aula 02 arte digital
 
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docx
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docxATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docx
ATIVIDADE ARTES VISUAIS 21.docx
 
Instrumentos musicais não convencionais
Instrumentos musicais não convencionais Instrumentos musicais não convencionais
Instrumentos musicais não convencionais
 
Arte - plano de curso-2016
Arte  - plano de curso-2016Arte  - plano de curso-2016
Arte - plano de curso-2016
 
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantil
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação InfantilPlano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantil
Plano de aula - Adriana Lobo - Educação Infantil
 
AVALIAÇÃO 1ºB - (9º ANO) 2023.docx
AVALIAÇÃO 1ºB - (9º ANO) 2023.docxAVALIAÇÃO 1ºB - (9º ANO) 2023.docx
AVALIAÇÃO 1ºB - (9º ANO) 2023.docx
 
Simulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arteSimulado 6º ano arte
Simulado 6º ano arte
 
Guia de aprendizagem arte
Guia de aprendizagem   arteGuia de aprendizagem   arte
Guia de aprendizagem arte
 
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
EJA: AVALIAÇÃO DE ARTES - 6º E 7º ANO - A HISTÓRIA DAS CORES E O TEATRO.
 
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumondAtividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Apostila de arte
 

Destaque

ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...Vis-UAB
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )graduartes
 
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISTrazzi
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )graduartes
 
Linguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasLinguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasAcacio Arouche
 
Gênero retrato e autorretrato
Gênero retrato e autorretratoGênero retrato e autorretrato
Gênero retrato e autorretratoJunior Onildo
 
Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da ArteJoão Gomes
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da artedpport
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroMoesio Alves
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Fabiola Oliveira
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioGeo Honório
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IEliane Sanches
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestreFabiola Oliveira
 

Destaque (20)

ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
ATIVIDADES PRÁTICAS NA DISCIPLINA DE ARTES VISUAIS NO ENSINO MÉDIO Um modo de...
 
Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )Linguagens da artes (atividades )
Linguagens da artes (atividades )
 
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAISOFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
OFICINA LINGUAGENS ARTÍSTICAS- ARTES VISUAIS
 
Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )Linguagens da artes (conteudos )
Linguagens da artes (conteudos )
 
Linguagens Artísticas
Linguagens ArtísticasLinguagens Artísticas
Linguagens Artísticas
 
Gênero retrato e autorretrato
Gênero retrato e autorretratoGênero retrato e autorretrato
Gênero retrato e autorretrato
 
Linguagem da Arte
Linguagem da ArteLinguagem da Arte
Linguagem da Arte
 
DEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTEDEFINIÇÕES DE ARTE
DEFINIÇÕES DE ARTE
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
Artes atividades
Artes   atividadesArtes   atividades
Artes atividades
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Aula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médioAula de artes para o ensino médio
Aula de artes para o ensino médio
 
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembroAvaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
Avaliação de global de artes 6º e 7º ano setembro
 
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
Avaliação diagnóstica arte 8 ano 2013
 
Avaliação de Artes
Avaliação de ArtesAvaliação de Artes
Avaliação de Artes
 
Artes Visuais
Artes Visuais Artes Visuais
Artes Visuais
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental IApostila de Arte Ensino Fundamental I
Apostila de Arte Ensino Fundamental I
 
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre7º ano avaliação de arte 1º bimestre
7º ano avaliação de arte 1º bimestre
 

Semelhante a Arte e Música História

Oficina de Jogos Teatrais.docx
Oficina de Jogos Teatrais.docxOficina de Jogos Teatrais.docx
Oficina de Jogos Teatrais.docxLizSchuster2
 
Oficina jogos teatrais
Oficina jogos teatraisOficina jogos teatrais
Oficina jogos teatraisTom Ricardo
 
Atps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoAtps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoleticiamenezesmota
 
Portfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaPortfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaCarol Mendoza
 
Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)Luis Silva
 
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_201201 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012soniamarys
 
Atividades de quebra gelo
Atividades de quebra geloAtividades de quebra gelo
Atividades de quebra geloDiogo Barros
 
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadeJogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadePriscilla Barbosa
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlVinicius de Nepomuceno
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Sheila Rodrigues
 
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadeJogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadeluana almeida
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºARose Silva
 
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a Fotografia
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a FotografiaVer Olhar e Perceber: um mundo novo com a Fotografia
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a FotografiaCarolina Corção
 
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumond
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumondQuadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumond
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumondSimoneHelenDrumond
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaRose Silva
 

Semelhante a Arte e Música História (20)

Oficina de Jogos Teatrais.docx
Oficina de Jogos Teatrais.docxOficina de Jogos Teatrais.docx
Oficina de Jogos Teatrais.docx
 
Oficina jogos teatrais
Oficina jogos teatraisOficina jogos teatrais
Oficina jogos teatrais
 
Atps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreaçãoAtps de artes, criatividade e recreação
Atps de artes, criatividade e recreação
 
Atps artes, criatividade e recreaçao
Atps artes, criatividade e recreaçaoAtps artes, criatividade e recreaçao
Atps artes, criatividade e recreaçao
 
Portfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol MendozaPortfólio Carol Mendoza
Portfólio Carol Mendoza
 
Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)Vamos falar de arte(1)
Vamos falar de arte(1)
 
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_201201 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012
01 objeto de aprendizagem nome_fisicalidade_agosto_2012
 
Psicomotricidade pacto
Psicomotricidade   pactoPsicomotricidade   pacto
Psicomotricidade pacto
 
Atividades de quebra gelo
Atividades de quebra geloAtividades de quebra gelo
Atividades de quebra gelo
 
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadeJogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
 
Serigrafia apresentação
Serigrafia apresentaçãoSerigrafia apresentação
Serigrafia apresentação
 
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_htmlApresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
Apresentação_Projeto_Educativo_masc-ceu_html
 
Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014Apostila de arte_artes_visuais_2014
Apostila de arte_artes_visuais_2014
 
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidadeJogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
Jogos e brincadeiras para desenvolver a lateralidade
 
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºAProposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
Proposições de Arte Escola Azarias Leite 1ºA
 
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a Fotografia
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a FotografiaVer Olhar e Perceber: um mundo novo com a Fotografia
Ver Olhar e Perceber: um mundo novo com a Fotografia
 
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumond
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumondQuadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumond
Quadro teóricoanalítico descritivo simone helen drumond
 
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
Apostila de Artes Visuais (revisada e ampliada 2014)
 
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rochaproposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
proposições do ensino da Arte para o ensino Médio escola Henrique rocha
 
ensino_arte_ciclo1.pdf
ensino_arte_ciclo1.pdfensino_arte_ciclo1.pdf
ensino_arte_ciclo1.pdf
 

Arte e Música História

  • 1. ARTES VISUAIS E MÚSICA UM POUCO DA HISTÓRIA... O mundo da arte é concreto e vivo podendo ser observado, compreendido e apreciado. Através da experiência artística o ser humano desenvolve sua imaginação e criação aprendendo a conviver com seus semelhantes, respeitando as diferenças e sabendo modificar sua realidade. A arte dá e encontra forma e significado como instrumento de vida na busca do entendimento de quem somos, onde estamos e o que fazemos no mundo. de uma tela pintada como sendo arte? Conhecendo mais sobre o tema Para podermos responder a essas perguntas devemos, antes de mais nada, saber que a arte é conhecimento. A arte é uma das primeiras manifestações da humanidade como forma do ser humano marcar sua presença criando objetos e formas (pintura nas cavernas, templos religiosos, roupas, quadros, filmes etc) que representam sua vivência no mundo, comunicando e expressando suas idéias, sentimentos e sensações para os outros. Desta maneira, quando o ser humano faz arte, ele cria um objeto artístico que não precisa nos mostrar exatamente como as coisas são no mundo natural ou vivido e sim, como as coisas podem ser, de acordo com a sua visão. A função da arte e o seu valor, portanto, não estão no retrato fiel da realidade, mas sim, na representação simbólica do mundo humano. Para existir a arte são precisos três elementos: o artista, o observador e a obra de arte. O primeiro elemento é o artista, aquele que cria a obra, partindo do seu conhecimento concreto, abstrato e individual transmitindo e expressando suas idéias, sentimentos, emoções em um objeto artístico (pintura, escultura, desenho etc) que simbolize esses conceitos. Para criar a obra o artista necessita conhecer e experimentar os materiais com que trabalha quais as técnicas que melhor se encaixam à sua proposta de arte e como expor seu conhecimento de maneira formal no objeto artístico. O outro elemento é o observador, que faz parte do público que tem o contato com a obra, partindo num caminho inverso ao do artista – observa a obra para chegar ao conhecimento de mundo que ela contém. Para isso o observador precisa de sensibilidade, disponibilidade para entendê-la e algum conhecimento de história e história da arte, assim poderá entender o contexto em que a obra foi produzida e fazer relação com o seu próprio contexto.
  • 2. Por fim, a obra de arte ou o objeto artístico, faz parte de todo o processo, indo da criação do artista até o entendimento e apreciação do observador. A obra de arte guarda um fim em si mesma sem precisar de um complemento ou “tradução”, desde que isso não faça parte da proposta do artista. Sugestões de atividades com imitação INTRODUÇÃO Pretende-se com este plano de aula que o aluno compreenda mensagens corporais delicadas e representações simples por imitação, observando o ambiente à sua volta para poder perceber diferentes posições, posturas, gestos de si mesmo e dos demais. Além disso, espera-se com as atividades preparar os alunos para entender a linguagem não verbal, de tal modo que possam manejar sua comunicação e transmissão de sentimentos. Para isso, serão utilizados jogos competitivos simples (individuais, em pares ou em equipe), que incluem correr, pegar, fugir e também adquirir a consciência de espaço e dos outros jogadores. Esses jogos incluem também a prática e o desenvolvimento de diversas maneiras de lançar, receber e transladar uma bola ou outro objeto. OBJETIVOS Desenvolver a criatividade, promover e exercitar o desenvolvimento físico e pessoal em um contexto de respeito e valorização do ser humano, promover o interesse e a capacidade de conhecer a realidade, utilizar o conhecimento e selecionar informação relevante. PROCEDIMENTOS As atividades podem ser realizadas na sala de aula ou na quadra. A turma será organizada em grupos, de acordo com a atividade. 1. Convide os alunos para que, aos pares, façam duas atividades. Na primeira etapa, peça que um dos dois alunos diga o nome de um objeto e que o outro imite os movimentos desse objeto. Por exemplo, imitação de máquinas em locomoção (carros, barcos, aviões, planadores) ou imitação de máquinas sem deslocamento (guindaste, impressora, fotocopiadora, câmera de vídeo etc.). Durante a atividade, os alunos vão trocando de papel. O jogo também pode ser feito em
  • 3. trios, em grupos de cinco ou em grandes grupos. Numa segunda etapa, conte aos alunos uma história que envolva diversos animais. Peça aos alunos que se desloquem livremente pelo espaço, imitando os animais ou pessoas. Se for uma história que aconteceu em uma selva, por exemplo, eles podem imitar macacos, elefantes, leões, indígenas, fotógrafos, personagens fictícios, como o Tarzan. Outra opção é contar uma história que se passe em um zoológico ou em um circo. 2. O safári fotográfico. Nessa atividade, distribua os alunos em três grupos. Um deles deverá imitar animais (de diferentes grupos e tipos). Outro imitará os membros do safári e o outro imitará as atividades que acontecem na selva (caça, dança, pesca). Enquanto um grupo imita, os outros tentam adivinhar o que estão imitando. A cada rodada de adivinhação, os grupos devem trocar de papel. 3. O armazém de brinquedos. Cada aluno escolhe ser um brinquedo e imita seus movimentos. A turma deve se dividir em dois grupos. Os alunos do primeiro grupo começam imitando os brinquedos que escolheram e, a um sinal do professor, acabam as pilhas, tornando o movimento mais lento até parar. Em seguida, os alunos do grupo que ficou como observador escolhem os brinquedos de que mais gostaram. Depois disso, invertem-se os papéis. 4. A grande orquestra. Todo o grupo se coloca em semicírculo e é designado um instrumento musical para cada aluno ou grupo de alunos. Um fica com o papel de diretor da orquestra e com seus gestos indicará o começo, a execução e o final da música. Como variação, pode ser que a orquestra se transforme em uma banda de rua e desfile enquanto toca. O diretor da orquestra deve indicar a cada aluno que instrumento tocar, por meio de gestos e da imitação do som do instrumento. 5. Os eletrodomésticos. Cada aluno imagina que está utilizando um aparelho eletrodoméstico igual ao de seus pais (oriente aqueles que não tiverem ideia, sugerindo que imitem um liquidificador, uma batedeira, uma enceradeira, uma cafeteira, uma máquina de cortar grama, uma furadeira). Numa primeira etapa, peça aos alunos que imitem o uso do aparelho. Depois, que se transformem no equipamento. 6. Convide os alunos a formar um círculo. Conte a eles que todos vão dormir um pouco para descansar. O grupo reunido imitará diferentes formas de dormir conforme o seu comando: com frio e cobertores, com calor no verão, roncando, sonhando, com pesadelos, tranquilamente, sonâmbulo. Depois da última atividade, analise com os alunos a importância da observação para poder imitar. Peça a eles sugestões e comentários sobre as atividades. AVALIAÇÃO Uma possibilidade de avaliação das atividades pode ser feita por meio de uma pauta de observação individual contendo os seguintes itens: O aluno reage perante as informações auditivas que estão ao seu redor, empregando o movimento de gestos?
  • 4. O aluno reage perante as informações visuais que estão ao seu redor, empregando o movimento de gestos? "Um excelente educador não é um ser humano perfeito, mas alguém que tem serenidade para se esvaziar e sensibilidade para aprender" (Augusto Cury)