SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
A arte egípcia
Surgimento
A arte Egípcia surgiu a mais de 3000 anos A.C., mas é entre 1560 e 1309 A.C. que a
pintura Egípcia se destaca em procurar refletir os movimentos dos corpos e por
apresentar preocupação com a delicadeza das formas.
O local a ser trabalhado primeiramente recebia um revestimento de gesso branco e
em seguida se aplicava a tinta sobre gesso. Essa tinta era uma espécie de cola
produzida com cores minerais.
Os egípcios ao esculpir e pintar tinham o propósito de relatar os acontecimentos de
sua época, as histórias dos Faraós, deuses e do seu povo em menor escala, já que as
pessoas não podiam ser representadas ao lado de deuses e nem dentro de templos.
Provavelmente eles não tiveram a intenção de nos deixar a "arte" de seus criadores.
Pintura
O faraó contratava artistas para desenhar nas paredes
pirâmides - túmulos dos faraós - a representação
detalhada da sua vida, de modo que a pintura egípcia
registra parte da história do Egito.
A dimensão das pessoas e objetos não caracterizava
uma relação de proporção e distância, mas sim os
níveis hierárquicos daquela sociedade. Assim, o faraó
era sempre o maior dentre as figuras representadas
numa pintura.
Características da Pintura
•Ausência de três dimensões
•Ausência de sombra
•Utilização de cores convencionais
•Ausência de indicação do relevo
•Ângulos restritos de visão: de frente, de
perfil ou de cima (Lei do Frontalidade)
Tintas
• As tintas eram extraídas na natureza
• Preto (kem): associado à noite e à morte .A cor preta era obtida do carvão de
madeira ou de pirolusite (óxido de manganésio do deserto do Sinai).
• Branco (hedj): simbolizava a pureza e da verdade. O branco era extraído do
cal ou gesso.
• Vermelho (decher): representava a energia, o poder e a sexualidade e era
encontrado em substâncias ocres.
• Amarelo (ketj): estava associado à eternidade e era extraído do óxido de
ferro hidratado (limonite).
• Verde (uadj): simboliza a regeneração e a vida e era obtido da malaquite do
Sinai.
• Azul (khesebedj): Estava associado ao rio Nilo e ao céu. O azul era extraído
do carbonato de cobre.
Escultura
A maior parte das esculturas do Egito Antigo
são representações dos faraós e dos deuses,
apresentados em formas frontais, estáticas e
sem qualquer expressão facial.
As esculturas dos faraós eram representadas
sempre na mesma posição: homem de pé e
com o pé esquerdo à frente, homem sentado
de pernas cruzadas ou sentado com a mão
esquerda apoiada na coxa.
Características da Escultura
•Formas estáticas
•Formas isentas de expressão facial
•Seguimento da convenção: em pé ou
sentado
Arquitetura
A arquitetura deste período reflete a
funcionalidade, o que lhe conferia solidez e
durabilidades incomparáveis para época.
As pirâmides do deserto de Gizé são as
obras arquitetônicas mais famosas da
arquitetura egípcia. É também na região de
Gizé que se localiza a esfinge mais
famosa, a Grande Esfinge de Gizé.
Características da Arquitetura
•Solidez e durabilidade
•Sentimento de eternidade
•Aspecto misterioso e impenetrável
•Imobilidade solene

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmicaArte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
Professor Gilson Nunes
 
Historia da arte primeiras civilizacoes
Historia da arte primeiras civilizacoesHistoria da arte primeiras civilizacoes
Historia da arte primeiras civilizacoes
George Alex
 
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antigaArtes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
hbilinha
 
História arte grega
História arte gregaHistória arte grega
História arte grega
ceufaias
 
Pintura na grécia antiga
Pintura na grécia antigaPintura na grécia antiga
Pintura na grécia antiga
MarisaPinto97
 
Revisão história da arte ocidental
Revisão história da arte ocidentalRevisão história da arte ocidental
Revisão história da arte ocidental
escola
 

Mais procurados (20)

Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega
 
Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmicaArte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
Arte Grega: princípio, a pintura em cerâmica
 
A Cerâmica Grega
A Cerâmica GregaA Cerâmica Grega
A Cerâmica Grega
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
2 a arte no egito
2  a arte no egito2  a arte no egito
2 a arte no egito
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Historia da arte primeiras civilizacoes
Historia da arte primeiras civilizacoesHistoria da arte primeiras civilizacoes
Historia da arte primeiras civilizacoes
 
Arte grega 2017
Arte grega 2017Arte grega 2017
Arte grega 2017
 
Antiguidade e idade média
Antiguidade e idade médiaAntiguidade e idade média
Antiguidade e idade média
 
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antigaArtes 03 gênesis 1º ano  mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
Artes 03 gênesis 1º ano mesopotâmia - egito - grécia e roma antiga
 
História arte grega
História arte gregaHistória arte grega
História arte grega
 
Pintura na grécia antiga
Pintura na grécia antigaPintura na grécia antiga
Pintura na grécia antiga
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
História da arte 1
História da arte 1História da arte 1
História da arte 1
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
GréCia Antiga Arte
GréCia  Antiga ArteGréCia  Antiga Arte
GréCia Antiga Arte
 
Módulo 1 pintura e cerâmica grega regular
Módulo 1   pintura e cerâmica grega regularMódulo 1   pintura e cerâmica grega regular
Módulo 1 pintura e cerâmica grega regular
 
Revisão história da arte ocidental
Revisão história da arte ocidentalRevisão história da arte ocidental
Revisão história da arte ocidental
 
Arte na grécia
Arte na gréciaArte na grécia
Arte na grécia
 

Semelhante a A arte egípcia

Semelhante a A arte egípcia (20)

Arte no egito
Arte no egitoArte no egito
Arte no egito
 
Egito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptxEgito Antigo.pptx
Egito Antigo.pptx
 
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdfArte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
Arte egípcia e influencia da religião aula dia 10-04.pdf
 
A arte no egito
A arte no egitoA arte no egito
A arte no egito
 
02 IA-Arte Egipcia.pdf
02 IA-Arte Egipcia.pdf02 IA-Arte Egipcia.pdf
02 IA-Arte Egipcia.pdf
 
aula_3_-_arte_egipcia. Aula de arte egipicia.
aula_3_-_arte_egipcia. Aula de arte egipicia.aula_3_-_arte_egipcia. Aula de arte egipicia.
aula_3_-_arte_egipcia. Aula de arte egipicia.
 
ARTE EGIPCIA.ppt
ARTE    EGIPCIA.pptARTE    EGIPCIA.ppt
ARTE EGIPCIA.ppt
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Artes.nadyne
Artes.nadyneArtes.nadyne
Artes.nadyne
 
Artes.nadyne
Artes.nadyneArtes.nadyne
Artes.nadyne
 
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
 
Arte egipicia 1° ano
Arte egipicia 1° anoArte egipicia 1° ano
Arte egipicia 1° ano
 
Resumo da Arte Grega
Resumo da Arte GregaResumo da Arte Grega
Resumo da Arte Grega
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
Artes arte egípcia
Artes   arte egípciaArtes   arte egípcia
Artes arte egípcia
 
Arte egipicia
Arte egipiciaArte egipicia
Arte egipicia
 
Arte egipicia
Arte egipiciaArte egipicia
Arte egipicia
 
48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 

Último (20)

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 

A arte egípcia

  • 2. Surgimento A arte Egípcia surgiu a mais de 3000 anos A.C., mas é entre 1560 e 1309 A.C. que a pintura Egípcia se destaca em procurar refletir os movimentos dos corpos e por apresentar preocupação com a delicadeza das formas. O local a ser trabalhado primeiramente recebia um revestimento de gesso branco e em seguida se aplicava a tinta sobre gesso. Essa tinta era uma espécie de cola produzida com cores minerais. Os egípcios ao esculpir e pintar tinham o propósito de relatar os acontecimentos de sua época, as histórias dos Faraós, deuses e do seu povo em menor escala, já que as pessoas não podiam ser representadas ao lado de deuses e nem dentro de templos. Provavelmente eles não tiveram a intenção de nos deixar a "arte" de seus criadores.
  • 3.
  • 4.
  • 5. Pintura O faraó contratava artistas para desenhar nas paredes pirâmides - túmulos dos faraós - a representação detalhada da sua vida, de modo que a pintura egípcia registra parte da história do Egito. A dimensão das pessoas e objetos não caracterizava uma relação de proporção e distância, mas sim os níveis hierárquicos daquela sociedade. Assim, o faraó era sempre o maior dentre as figuras representadas numa pintura.
  • 6. Características da Pintura •Ausência de três dimensões •Ausência de sombra •Utilização de cores convencionais •Ausência de indicação do relevo •Ângulos restritos de visão: de frente, de perfil ou de cima (Lei do Frontalidade)
  • 7. Tintas • As tintas eram extraídas na natureza • Preto (kem): associado à noite e à morte .A cor preta era obtida do carvão de madeira ou de pirolusite (óxido de manganésio do deserto do Sinai). • Branco (hedj): simbolizava a pureza e da verdade. O branco era extraído do cal ou gesso. • Vermelho (decher): representava a energia, o poder e a sexualidade e era encontrado em substâncias ocres. • Amarelo (ketj): estava associado à eternidade e era extraído do óxido de ferro hidratado (limonite). • Verde (uadj): simboliza a regeneração e a vida e era obtido da malaquite do Sinai. • Azul (khesebedj): Estava associado ao rio Nilo e ao céu. O azul era extraído do carbonato de cobre.
  • 8. Escultura A maior parte das esculturas do Egito Antigo são representações dos faraós e dos deuses, apresentados em formas frontais, estáticas e sem qualquer expressão facial. As esculturas dos faraós eram representadas sempre na mesma posição: homem de pé e com o pé esquerdo à frente, homem sentado de pernas cruzadas ou sentado com a mão esquerda apoiada na coxa.
  • 9. Características da Escultura •Formas estáticas •Formas isentas de expressão facial •Seguimento da convenção: em pé ou sentado
  • 10. Arquitetura A arquitetura deste período reflete a funcionalidade, o que lhe conferia solidez e durabilidades incomparáveis para época. As pirâmides do deserto de Gizé são as obras arquitetônicas mais famosas da arquitetura egípcia. É também na região de Gizé que se localiza a esfinge mais famosa, a Grande Esfinge de Gizé.
  • 11. Características da Arquitetura •Solidez e durabilidade •Sentimento de eternidade •Aspecto misterioso e impenetrável •Imobilidade solene