SlideShare uma empresa Scribd logo
ARREPENDIMENTO
E FÉ PARA
Prof: Jessé Lopes
SALVAÇÃO
A Bíblia fala sobre a necessidade do
arrependimento e fé para a salvação.
A verdadeira fé, isto é, a fé
salvadora, sempre estará
acompanhada do arrependimento.
Ambos são dons de Deus, e
resultam da regeneração operada
pelo Espírito Santo no pecador.
INTRODUÇÃO
Tanto a palavra “arrependimento” quanto a
palavra “fé” são usadas de forma muito ampla. Elas
podem ter diferentes significados para diferentes
pessoas. As pessoas se declaram crentes em muitas
coisas, assim como também se declaram arrependidas
de diferentes formas. No caso do arrependimento, por
exemplo, muitas vezes ele é confundido com outros
sentimentos, como o remorso.
Segundo a Bíblia, o verdadeiro arrependimento
para a salvação consiste numa mudança profunda de
pensamentos, afeições, convicções, compromissos e
atitudes. O pecador não apenas reprova seu pecado,
mas também sente um grande pesar por ele.
Já a fé verdadeira é aquela que consiste em uma
compreensão, aceitação e confiança plena na
revelação de Deus nas Escrituras como verdades
eternas. Através da fé verdadeira, o pecador confia
exclusivamente em Cristo para a sua salvação.
DEFINIÇÃO
DEFINIÇÃO TEOLÓGICA
Desse modo, podemos apresentar um bom
conceito para arrependimento, que envolva tanto
uma mudança de mente, quanto uma “virada” ou
um “giro” de volta para Deus, nas palavras do
teólogo pentecostal Myer Pearlman:
“Arrependimento é uma santa tristeza pelo
pecado, seguida de abandono deste. É uma total
reviravolta feita pela pessoa que descobriu estar
andando pelo caminho errado. É um ato da
vontade mediante o qual a pessoa, sob
convicção, altera totalmente sua atitude para
com Deus e com o pecado”.
DEFINIÇÃO EXEGÉTICA
Segundo o Dicionário Vine (1), o termo
arrependimento no texto grego é “metanoia”
(meta – “depois”, implicando mudança” e noeõ –
“perceber”, cognato de nous – “mente, o lugar
da reflexão moral”). A palavra, quase sempre
com significado teológico, fala de uma “reflexão
tardia, mudança de mente, arrependimento”. O
Dicionário de Teologia Bíblica (2) acrescenta que
metanoia (ou a palavra cognata metaoeô)
“expressam a completa reorientação da pessoa,
embora um verbo que signifique ‘virar’
(epistrephô) também seja usado”.
DEFINIÇÃO EXEGÉTICA
FÉ é uma palavra que significa "confiança",
"crença", "credibilidade". A fé é um
sentimento de total de crença em algo ou
alguém, ainda que não haja nenhum tipo de
evidência que comprove a veracidade da
proposição em causa.
De acordo com a etimologia, a PALAVRA FÉ
tem origem no Grego "pistia" que indica a
noção de acreditar e no Latim "fides", que
remete para uma atitude de fidelidade.
Ação do
ESPÍRITO SANTO no
ARREPENDIMENTO.
O Espírito Santo opera o
arrependimento na conversão do ser
humano (Jo 16.8). Somente Ele pode
conhecer e esquadrinhar
profundamente o coração do homem, e
os que estão abertos ao seu mover
podem perceber as situações que
precisam de confissão sincera diante de
Deus. Outrossim, a purificação do
pecado por meio do arrependimento é
uma condição que precede o batismo
no Espírito Santo (At 2.37-39).
A FÉ salvífica.
É uma atitude do intelecto e do coração
para com Deus em que o homem abandona a
vida de pecado para confiar exclusivamente na
obra salvadora de Cristo na cruz (At 16.30,31; Gl
2.16). Logo, a fé salvífica não consiste somente
em crer em algumas coisas, mas confiar na
pessoa de Cristo (Jo 3.18). Ela é um dom de Deus
(Ef 2.8), cujo autor é Cristo (Hb 12.2) e que se
origina do ouvir a Palavra de Deus (Rm 10.17),
algo imprescindível para se obter a salvação (Jo
5.24). Embora um dom de Deus, a fé precisa ser
exercida pelo crente para confirmar a sua
salvação.
SALVAÇÃO por
meio da FÉ
A salvação é pela graça
mediante a fé (Ef 2.8), uma condição
necessária para se obtê-la, pois sem
a fé não se pode crer no sacrifício
vicário de Cristo. Assim, o
arrependimento produzido pelo
convencimento do Espírito Santo e a
fé, como dom divino, exercida pela
pessoa, operam conjuntamente para
a glória de Deus.
Estás
ARREPENDIDO
“É impossível alguém se
arrepender de fato sem ter
uma profunda decepção
consigo mesmo”
A W TOZER
“Arrependimento e fé são
graças que recebemos, não
alvos que alcançamos”
JOHN BLANCHARD
“Pecado e inferno estão casados, a
não ser que o arrependimento
anuncie o divórcio”
C H SPURGEON
“Por que tarda o avivamento? A
resposta é muito simples. Tarda porque
muitos pregadores e evangelistas estão
mais preocupados com dinheiro, fama
e aceitação pessoal do que em levar os
perdidos ao arrependimento”
LEONARD RAVENHIL
Tanto o arrependimento quanto a fé são condições
inseparáveis para a salvação (Mateus 21:32; Marcos 1:15; Atos
20:21). Não há salvação sem arrependimento e fé. Como foi
dito, ambos são dons de Deus resultantes do novo nascimento
(Atos 11:18; Filipenses 1:29).
Neste ponto também existe uma discussão teológica
acerca do que vem primeiro: o arrependimento ou a fé? Na
verdade essa discussão é improdutiva. O fato é que o
arrependimento e a fé para salvação sempre aparecem
paralelamente e intimamente relacionados.
Uma fé desassociada do arrependimento genuíno, na
verdade não é a fé salvadora. Do mesmo modo, um
arrependimento que não esteja acompanhado da fé em Cristo,
não se trata de um arrependimento genuíno.
Em outras palavras, ninguém poderá se voltar do pecado
para Deus pela fé sem antes odiar o pecado e abandoná-lo
mediante o arrependimento. Assim também, ninguém se
arrependerá de seu pecado se não houver compreensão,
aceitação e confiança na verdade de Deus e de sua graça e
misericórdia oferecida em Cristo.
Este é o sacrifício que agrada a
Deus, o sacrifício onde há
arrependimento genuíno.
“Os sacrifícios para Deus são o
espírito quebrantado; a um
coração quebrantado e contrito
não desprezarás, ó Deus”
(Sl 51.17).
O culto que
AGRADA a DEUS
O culto que agrada a Deus é aquele onde há
arrependimento no coração e mudança de
hábitos, onde as boas obras sejam manifestas
como frutos deste arrependimento: “Busquem o
bem, não o mal, para que tenham vida. Então o
SENHOR, o Deus dos Exércitos, estará com
vocês, conforme vocês afirmam… Afastem de
mim o som das suas canções e a música das
suas liras. Em vez disso, corra a retidão como
um rio, a justiça como um ribeiro perene!” (Am
5.14,23,24; Conf. Mt 3.8: “Produzi, pois, frutos
dignos de arrependimento”, ou seja, “Dêem fruto
que mostre o arrependimento!”.
CONCLUSÃO
Embora hoje a pregação do arrependimento
esteja tão ausente em muitos púlpitos
evangélicos, visto que foi substituída por
pregações pragmáticas, de autoajuda, e
centralizadas no alívio momentâneo das aflições
humanas em detrimento da bem-aventurança
eterna, ou até por verdadeiros shows de Stand
Up Comedy (humor gospel), permanece o fato de
que o chamado ao arrependimento é a pregação
urgente que Deus ordena-nos fazer ao mundo, tal
como os profetas, Jesus e os apóstolos tanto
fizeram: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos,
para que sejam apagados os vossos pecados, e
venham assim os tempos do refrigério pela
presença do Senhor” (At 3.19; Mt 3.12).
Prof: Jessé Lopes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
Gcom digital factory
 
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
Antonio Filho
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Éder Tomé
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
RODRIGO FERREIRA
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
RODRIGO FERREIRA
 
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus RochaCristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Matheus Rocha
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
A Epistola aos Romanos
A Epistola aos RomanosA Epistola aos Romanos
A Epistola aos Romanos
Márcio Martins
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
Robson Rocha
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
Respirando Deus
 
Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1
Moisés Sampaio
 
A diferença é a oração
A diferença é a oraçãoA diferença é a oração
A diferença é a oração
Julio Simões
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Christian Lepelletier
 
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
Éder Tomé
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
Alberto Nery
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
Moisés Sampaio
 
O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
Junior Cesar Santiago
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Éder Tomé
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
guestc5d870
 

Mais procurados (20)

Doutrina do homem
Doutrina do homemDoutrina do homem
Doutrina do homem
 
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
Lição 01 ( inspiração divina e autoridade da bíblia)
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
 
Estudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de JoãoEstudo do evangelho de João
Estudo do evangelho de João
 
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus RochaCristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
 
Panorama da História do Cristianismo
Panorama da História do CristianismoPanorama da História do Cristianismo
Panorama da História do Cristianismo
 
A Epistola aos Romanos
A Epistola aos RomanosA Epistola aos Romanos
A Epistola aos Romanos
 
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igrejaSeminário sobre a história da igreja. parte 1   a origem da igreja
Seminário sobre a história da igreja. parte 1 a origem da igreja
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1
 
A diferença é a oração
A diferença é a oraçãoA diferença é a oração
A diferença é a oração
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
Jeremias - Resumo do 2 Trimestre 2017
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015O verdadeiro cristão 01.02.2015
O verdadeiro cristão 01.02.2015
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser ResistidoLição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
Lição 5 – Um inimigo que Precisa ser Resistido
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 

Semelhante a Arrependimento e fe para salvacao

Arrependimento e fé
Arrependimento e féArrependimento e fé
Arrependimento e fé
antonio ferreira
 
Arrependimento e fé
Arrependimento e féArrependimento e fé
Arrependimento e fé
Antonio Ferreira
 
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhasInstitutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Instituto Teológico Gamaliel
 
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptxsoteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
bpclaudio11
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
Ivan Barreto
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
Ivan Barreto
 
Cristo aquele que_cura
Cristo aquele que_curaCristo aquele que_cura
Cristo aquele que_cura
tadslideshare
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Éder Tomé
 
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da faltaMuitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
antonio ferreira
 
Preparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptxPreparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptx
Adão Silva
 
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pinkA obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
puritanosdf
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Roberto Trindade
 
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Claudio Marcio
 
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
Gerson G. Ramos
 
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
Gerson G. Ramos
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
Antonio Ferreira
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
Antonio Ferreira
 
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdfDiscipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
A GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORAA GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORA
paulodetarsopontes
 
Os meios da graça
Os meios da graçaOs meios da graça
Os meios da graça
Guilherme Souza Oliveira
 

Semelhante a Arrependimento e fe para salvacao (20)

Arrependimento e fé
Arrependimento e féArrependimento e fé
Arrependimento e fé
 
Arrependimento e fé
Arrependimento e féArrependimento e fé
Arrependimento e fé
 
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhasInstitutogamaliel.com crenças não removem montanhas
Institutogamaliel.com crenças não removem montanhas
 
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptxsoteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
soteriologia-doutrina220207183119 (1).pptx
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
 
Meios de graça na igreja
Meios de graça na igrejaMeios de graça na igreja
Meios de graça na igreja
 
Cristo aquele que_cura
Cristo aquele que_curaCristo aquele que_cura
Cristo aquele que_cura
 
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a SalvaçãoLição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
Lição 09 - Arrependimento e Fé para a Salvação
 
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da faltaMuitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
Muitas pessoas não conseguem receber o que eles oram por causa da falta
 
Preparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptxPreparação para o Crisma.pptx
Preparação para o Crisma.pptx
 
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pinkA obra do espírito santo na salvação   arthur walkington pink
A obra do espírito santo na salvação arthur walkington pink
 
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - SoteriologiaDoutrinas Bíblicas - Soteriologia
Doutrinas Bíblicas - Soteriologia
 
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra   21.03.2016
Princípios para o crescimento e desenvolvimento na palavra 21.03.2016
 
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
Discernimento: a salvaguarda do reavivamento_Lição_original com textos_832013
 
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
A Palavra: a base do reavivamento_Lição_original com textos_332013
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
A doutrina da santificação
A doutrina da santificaçãoA doutrina da santificação
A doutrina da santificação
 
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdfDiscipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
 
A GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORAA GRAÇA JUSTIFICADORA
A GRAÇA JUSTIFICADORA
 
Os meios da graça
Os meios da graçaOs meios da graça
Os meios da graça
 

Mais de Jessé Lopes

Honrando minha Familia
Honrando minha FamiliaHonrando minha Familia
Honrando minha Familia
Jessé Lopes
 
Vencendo conflitos familiares
Vencendo conflitos familiaresVencendo conflitos familiares
Vencendo conflitos familiares
Jessé Lopes
 
Restauração em meio ao caos
Restauração em meio ao caosRestauração em meio ao caos
Restauração em meio ao caos
Jessé Lopes
 
John Wesley
John WesleyJohn Wesley
John Wesley
Jessé Lopes
 
D. L. moody
D. L. moodyD. L. moody
D. L. moody
Jessé Lopes
 
Billy Graham
Billy GrahamBilly Graham
Billy Graham
Jessé Lopes
 
A. W. Tozer
A. W. TozerA. W. Tozer
A. W. Tozer
Jessé Lopes
 
O exemplo de Timóteo
O exemplo de TimóteoO exemplo de Timóteo
O exemplo de Timóteo
Jessé Lopes
 
Quem foi jezabel
Quem foi jezabelQuem foi jezabel
Quem foi jezabel
Jessé Lopes
 
Musica góspel x louvor
Musica góspel x louvorMusica góspel x louvor
Musica góspel x louvor
Jessé Lopes
 
Comunhão
ComunhãoComunhão
Comunhão
Jessé Lopes
 
A importância do discipulado
A importância do discipuladoA importância do discipulado
A importância do discipulado
Jessé Lopes
 
Salvação x Galardão
Salvação x GalardãoSalvação x Galardão
Salvação x Galardão
Jessé Lopes
 
Sacerdócio x Levitas
Sacerdócio x LevitasSacerdócio x Levitas
Sacerdócio x Levitas
Jessé Lopes
 
Quem foi Dorcas ?
Quem foi Dorcas ?Quem foi Dorcas ?
Quem foi Dorcas ?
Jessé Lopes
 
Princípios Doutrinários
Princípios DoutrináriosPrincípios Doutrinários
Princípios Doutrinários
Jessé Lopes
 
Fogo estranho diante de Deus
Fogo estranho diante de DeusFogo estranho diante de Deus
Fogo estranho diante de Deus
Jessé Lopes
 
FéFé
EBD e sua IMPORTÂNCIA
EBD e sua IMPORTÂNCIAEBD e sua IMPORTÂNCIA
EBD e sua IMPORTÂNCIA
Jessé Lopes
 
Contemporaneidade na Igreja
Contemporaneidade na IgrejaContemporaneidade na Igreja
Contemporaneidade na Igreja
Jessé Lopes
 

Mais de Jessé Lopes (20)

Honrando minha Familia
Honrando minha FamiliaHonrando minha Familia
Honrando minha Familia
 
Vencendo conflitos familiares
Vencendo conflitos familiaresVencendo conflitos familiares
Vencendo conflitos familiares
 
Restauração em meio ao caos
Restauração em meio ao caosRestauração em meio ao caos
Restauração em meio ao caos
 
John Wesley
John WesleyJohn Wesley
John Wesley
 
D. L. moody
D. L. moodyD. L. moody
D. L. moody
 
Billy Graham
Billy GrahamBilly Graham
Billy Graham
 
A. W. Tozer
A. W. TozerA. W. Tozer
A. W. Tozer
 
O exemplo de Timóteo
O exemplo de TimóteoO exemplo de Timóteo
O exemplo de Timóteo
 
Quem foi jezabel
Quem foi jezabelQuem foi jezabel
Quem foi jezabel
 
Musica góspel x louvor
Musica góspel x louvorMusica góspel x louvor
Musica góspel x louvor
 
Comunhão
ComunhãoComunhão
Comunhão
 
A importância do discipulado
A importância do discipuladoA importância do discipulado
A importância do discipulado
 
Salvação x Galardão
Salvação x GalardãoSalvação x Galardão
Salvação x Galardão
 
Sacerdócio x Levitas
Sacerdócio x LevitasSacerdócio x Levitas
Sacerdócio x Levitas
 
Quem foi Dorcas ?
Quem foi Dorcas ?Quem foi Dorcas ?
Quem foi Dorcas ?
 
Princípios Doutrinários
Princípios DoutrináriosPrincípios Doutrinários
Princípios Doutrinários
 
Fogo estranho diante de Deus
Fogo estranho diante de DeusFogo estranho diante de Deus
Fogo estranho diante de Deus
 
FéFé
 
EBD e sua IMPORTÂNCIA
EBD e sua IMPORTÂNCIAEBD e sua IMPORTÂNCIA
EBD e sua IMPORTÂNCIA
 
Contemporaneidade na Igreja
Contemporaneidade na IgrejaContemporaneidade na Igreja
Contemporaneidade na Igreja
 

Último

DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 

Último (16)

DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 

Arrependimento e fe para salvacao

  • 1. ARREPENDIMENTO E FÉ PARA Prof: Jessé Lopes SALVAÇÃO
  • 2. A Bíblia fala sobre a necessidade do arrependimento e fé para a salvação. A verdadeira fé, isto é, a fé salvadora, sempre estará acompanhada do arrependimento. Ambos são dons de Deus, e resultam da regeneração operada pelo Espírito Santo no pecador.
  • 4. Tanto a palavra “arrependimento” quanto a palavra “fé” são usadas de forma muito ampla. Elas podem ter diferentes significados para diferentes pessoas. As pessoas se declaram crentes em muitas coisas, assim como também se declaram arrependidas de diferentes formas. No caso do arrependimento, por exemplo, muitas vezes ele é confundido com outros sentimentos, como o remorso. Segundo a Bíblia, o verdadeiro arrependimento para a salvação consiste numa mudança profunda de pensamentos, afeições, convicções, compromissos e atitudes. O pecador não apenas reprova seu pecado, mas também sente um grande pesar por ele. Já a fé verdadeira é aquela que consiste em uma compreensão, aceitação e confiança plena na revelação de Deus nas Escrituras como verdades eternas. Através da fé verdadeira, o pecador confia exclusivamente em Cristo para a sua salvação.
  • 6. DEFINIÇÃO TEOLÓGICA Desse modo, podemos apresentar um bom conceito para arrependimento, que envolva tanto uma mudança de mente, quanto uma “virada” ou um “giro” de volta para Deus, nas palavras do teólogo pentecostal Myer Pearlman: “Arrependimento é uma santa tristeza pelo pecado, seguida de abandono deste. É uma total reviravolta feita pela pessoa que descobriu estar andando pelo caminho errado. É um ato da vontade mediante o qual a pessoa, sob convicção, altera totalmente sua atitude para com Deus e com o pecado”.
  • 7. DEFINIÇÃO EXEGÉTICA Segundo o Dicionário Vine (1), o termo arrependimento no texto grego é “metanoia” (meta – “depois”, implicando mudança” e noeõ – “perceber”, cognato de nous – “mente, o lugar da reflexão moral”). A palavra, quase sempre com significado teológico, fala de uma “reflexão tardia, mudança de mente, arrependimento”. O Dicionário de Teologia Bíblica (2) acrescenta que metanoia (ou a palavra cognata metaoeô) “expressam a completa reorientação da pessoa, embora um verbo que signifique ‘virar’ (epistrephô) também seja usado”.
  • 8. DEFINIÇÃO EXEGÉTICA FÉ é uma palavra que significa "confiança", "crença", "credibilidade". A fé é um sentimento de total de crença em algo ou alguém, ainda que não haja nenhum tipo de evidência que comprove a veracidade da proposição em causa. De acordo com a etimologia, a PALAVRA FÉ tem origem no Grego "pistia" que indica a noção de acreditar e no Latim "fides", que remete para uma atitude de fidelidade.
  • 9. Ação do ESPÍRITO SANTO no ARREPENDIMENTO.
  • 10. O Espírito Santo opera o arrependimento na conversão do ser humano (Jo 16.8). Somente Ele pode conhecer e esquadrinhar profundamente o coração do homem, e os que estão abertos ao seu mover podem perceber as situações que precisam de confissão sincera diante de Deus. Outrossim, a purificação do pecado por meio do arrependimento é uma condição que precede o batismo no Espírito Santo (At 2.37-39).
  • 12. É uma atitude do intelecto e do coração para com Deus em que o homem abandona a vida de pecado para confiar exclusivamente na obra salvadora de Cristo na cruz (At 16.30,31; Gl 2.16). Logo, a fé salvífica não consiste somente em crer em algumas coisas, mas confiar na pessoa de Cristo (Jo 3.18). Ela é um dom de Deus (Ef 2.8), cujo autor é Cristo (Hb 12.2) e que se origina do ouvir a Palavra de Deus (Rm 10.17), algo imprescindível para se obter a salvação (Jo 5.24). Embora um dom de Deus, a fé precisa ser exercida pelo crente para confirmar a sua salvação.
  • 14. A salvação é pela graça mediante a fé (Ef 2.8), uma condição necessária para se obtê-la, pois sem a fé não se pode crer no sacrifício vicário de Cristo. Assim, o arrependimento produzido pelo convencimento do Espírito Santo e a fé, como dom divino, exercida pela pessoa, operam conjuntamente para a glória de Deus.
  • 16. “É impossível alguém se arrepender de fato sem ter uma profunda decepção consigo mesmo” A W TOZER “Arrependimento e fé são graças que recebemos, não alvos que alcançamos” JOHN BLANCHARD
  • 17. “Pecado e inferno estão casados, a não ser que o arrependimento anuncie o divórcio” C H SPURGEON “Por que tarda o avivamento? A resposta é muito simples. Tarda porque muitos pregadores e evangelistas estão mais preocupados com dinheiro, fama e aceitação pessoal do que em levar os perdidos ao arrependimento” LEONARD RAVENHIL
  • 18. Tanto o arrependimento quanto a fé são condições inseparáveis para a salvação (Mateus 21:32; Marcos 1:15; Atos 20:21). Não há salvação sem arrependimento e fé. Como foi dito, ambos são dons de Deus resultantes do novo nascimento (Atos 11:18; Filipenses 1:29). Neste ponto também existe uma discussão teológica acerca do que vem primeiro: o arrependimento ou a fé? Na verdade essa discussão é improdutiva. O fato é que o arrependimento e a fé para salvação sempre aparecem paralelamente e intimamente relacionados. Uma fé desassociada do arrependimento genuíno, na verdade não é a fé salvadora. Do mesmo modo, um arrependimento que não esteja acompanhado da fé em Cristo, não se trata de um arrependimento genuíno. Em outras palavras, ninguém poderá se voltar do pecado para Deus pela fé sem antes odiar o pecado e abandoná-lo mediante o arrependimento. Assim também, ninguém se arrependerá de seu pecado se não houver compreensão, aceitação e confiança na verdade de Deus e de sua graça e misericórdia oferecida em Cristo.
  • 19. Este é o sacrifício que agrada a Deus, o sacrifício onde há arrependimento genuíno. “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17).
  • 21. O culto que agrada a Deus é aquele onde há arrependimento no coração e mudança de hábitos, onde as boas obras sejam manifestas como frutos deste arrependimento: “Busquem o bem, não o mal, para que tenham vida. Então o SENHOR, o Deus dos Exércitos, estará com vocês, conforme vocês afirmam… Afastem de mim o som das suas canções e a música das suas liras. Em vez disso, corra a retidão como um rio, a justiça como um ribeiro perene!” (Am 5.14,23,24; Conf. Mt 3.8: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”, ou seja, “Dêem fruto que mostre o arrependimento!”.
  • 23. Embora hoje a pregação do arrependimento esteja tão ausente em muitos púlpitos evangélicos, visto que foi substituída por pregações pragmáticas, de autoajuda, e centralizadas no alívio momentâneo das aflições humanas em detrimento da bem-aventurança eterna, ou até por verdadeiros shows de Stand Up Comedy (humor gospel), permanece o fato de que o chamado ao arrependimento é a pregação urgente que Deus ordena-nos fazer ao mundo, tal como os profetas, Jesus e os apóstolos tanto fizeram: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor” (At 3.19; Mt 3.12).