SlideShare uma empresa Scribd logo
OS DEZ
MANDAMENTOS
DO SENHOR
1º Trimestre de 2014
Lição 7
Pr. Moisés Sampaio de Paula
TEXTO ÁUREO
2

"Porque o fim da lei é Cristo para justiça
de todo aquele que crê"
(Rm 10.4).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
VERDADE PRÁTICA
3

A Lei expõe e condena os nossos
pecados, porém, o Senhor Jesus Cristo,
pelo seu sangue expiador, nos perdoa e
nos justifica mediante a fé.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
OBJETIVOS
4

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
 Conhecer os propósitos dos Dez
Mandamentos.
 Compreender o conceito de cada
mandamento.
 Saber que os Dez Mandamentos referem-se a
relação do homem com Deus e o próximo.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Palavra chave
5

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Esboço da Lição
6

I. OS PROPÓSITOS DA LEI
1. O Decálogo (Êx 20.3-17).
2. Objetivos do Concerto divino.

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.1-17)
1. O primeiro mandamento.
2. O segundo mandamento
3. O terceiro mandamento.
4. O quarto mandamento.

III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS
1. O quinto mandamento.
2. O sexto mandamento.
3. O sétimo mandamento.
4. O oitavo mandamento.
5. O nono mandamento
6. O décimo mandamento

Pr. Moisés Sampaio de Paula
INTRODUÇÃO
7







Hoje estudaremos uma síntese
concernente aos Dez Mandamentos
que foram entregues por Deus a
Moisés.
Muitos pensam que os preceitos
morais da Lei foram somente para o
Antigo Pacto.
Todavia, Jesus ressaltou, no Sermão
do Monte, que os preceitos morais
da Lei são eternos e imutáveis, por
isso precisamos conhecê-los.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
8

1. O Decálogo (Êx 20.3-17).
2. Objetivos do Concerto divino.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
9

1. O Decálogo (Êx 20.3-17).




O termo Decálogo literalmente
significa "dez enunciados" ou
"declarações" (Êx 34.28; Dt 4.13).
Ele foi proferido por Deus no Sinai
(Êx 20.1), mas também escrito por
Ele em duas tábuas de pedra (Êx
31.18). O Decálogo exprime a vontade de Deus em
relação ao ser humano. É, na verdade, um
resumo da lei moral de Deus.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
10

2. Objetivos do Concerto divino.


A lei foi dada por Deus a Israel com os
seguintes objetivos:

a) Prover um padrão de justiça.

b) Identificar e expor a malignidade do
pecado.
c) Revelar a santidade de Deus.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
11

2. Objetivos do Concerto divino.
Prover um padrão de justiça.

a) Prover um padrão de justiça.
A lei entregue pelo Senhor a Moisés é
um padrão de moralidade para o
caráter e a conduta do homem, seja
ele judeu, seja ele gentio (Dt 4.8; Rm
7.12).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
12

2. Objetivos do Concerto divino.
Identificar e expor a malignidade do pecado.

b) Identificar e expor a malignidade do
pecado.
A lei não faz do ser humano um pecador,
mas faz com que ele se reconheça como
um transgressor. Ela expõe a malignidade
do pecado, mas ao mesmo tempo aponta
o caminho da sua expiação pela fé em
Deus através dos sacrifícios que eram
oferecidos no Tabernáculo (Lv 4-7).
Pr. Moisés Sampaio de Paula

"Veio, porém, a lei para que
a ofensa abundasse"; isto é,
fosse devidamente
conhecida (Rm 5.20).
"Pela lei vem o
conhecimento do pecado",
ou seja, o conhecimento
pleno da transgressão (Rm
3.20; 7.7).
I. OS PROPÓSITOS DA LEI
13

2. Objetivos do Concerto divino.
Revelar a santidade de Deus.

c) Revelar a santidade de Deus.
O Senhor revela a sua santidade por
intermédio da lei mosaica (Êx 24.15-17;
Lv 19.1,2), de igual forma, em o Novo
Pacto, Ele revela a todo o mundo o seu
seu amor através do seu Filho Jesus (Jo
3.16; Rm 5.8). A lei foi dada por Deus
para conduzir a humanidade a Cristo (Rm
10.4).
Pr. Moisés Sampaio de Paula
SINOPSE DO TÓPICO (1)
14

A Lei de Deus, entregue a
Moisés tinha os seguintes
propósitos para Israel:
1. prover um padrão de
justiça;
2. identificar e
3. expor a malignidade do
pecado; revelar a
santidade de Deus.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
Perguntas
15

1. Qual o significado do termo
"Decálogo"?
R. O termo Decálogo literalmente significa dez
enunciados ou declarações.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Perguntas
16

2. De acordo com a lição, o que o
Decálogo exprime?
R. O Decálogo exprime a vontade de Deus em
relação ao ser humano.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Perguntas
17

3. Quais os objetivos do Concerto
divino?

R. Prover um padrão de justiça; identificar e
expor a malignidade do pecado; revelar a
santidade de Deus.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
18

A relação do
homem com
Deus.

A relação do
homem com
o próximo.

'Amarás o
Senhor, teu
Deus, de todo o
teu coração, e de
toda a tua
alma, e de todo
o teu
pensamento'
(Mt 22.37),

Amarás o teu
próximo como a
ti mesmo' (Mt
22.39)

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Tabela comparativa
19

Mandamento
Amar a Deus sobre todas
as coisas
Não terás outros deuses
além de d'Ele
Não farás para ti nenhum
ídolo
Não dirás em vão o nome
do SENHOR, o teu Deus
Lembra-te do dia de
sábado para o santificar
Honra teu pai e tua mãe
Não matarás
Não adulterarás
Não furtarás***
Não darás falso
testemunho contra o teu
próximo

Judaico

Anglicano, Presbiteriano e
demais protestantes.

1

Prefácio

Adventista do sétimo
dia.
Baseia-se do 1º ao
4º****
1

1
1
2
2

2

3

3

3

2

3

4/sábado

4/domingo**

4/domingo**

3/domingo**

4/sábado

5
6
7
8

5
6
7
8

5
6
7
8

4
5
6
7

5
6
7
8

9

9

9

8

9

Não cobiçarás (a mulher do
teu próximo)
Não cobiçarás (nada do
que pertença a teu
próximo)

Católico romano,
Luterano*

1

Ortodoxa

2

9
10

10

10

10
10

Divisão dos Dez Mandamentos por religião/denominação
Pr. Moisés Sampaio de Paula
Subsídio Bibliológico
20

"O Dez Mandamentos
• Os Dez Mandamentos, aqui registrados (cf. Dt 5.6-21), foram
escritos pelo próprio Deus em duas tábuas de pedra e entregues a
Moisés e ao povo de Israel (31.18; Dt 4.13; 10.4).
• A guarda dos mandamentos proveu um meio de Israel procurar
viver em retidão diante de Deus, agradecido pelo seu livramento do
Egito; ao mesmo tempo, tal obediência era um requisito para os
israelitas habitarem na Terra Prometida (Dt 41.14; 14 [...]).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Subsídio Bibliológico
21

"O Dez Mandamentos
(1)Os Dez Mandamentos são o resumo da lei moral de Deus para
Israel, e descrevem as obrigações para com Deus e o próximo. Cristo
e os apóstolos afirmam que, como expressões autênticas da santa
vontade de Deus, eles permanecem obrigatórios para o crente do NT
(Mt 22.37-39; Mc 12.28-34; Lc 10.27; Rm 13.9; Gl 5.14; Lv 19.18; Dt
6.5; 10.12; 30.6).
Conforme esses trechos do NT, os Dez Mandamentos resumem-se
no amor a Deus e ao próximo; guardá-los não é apenas uma questão
de práticas externas, mas também requer uma atitude do coração
[...]. Logo, a lei demanda uma justiça espiritual interior que se
expressa em retidão exterior e em santidade.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
Subsídio Bibliológico
22

"O Dez Mandamentos

(2) Os preceitos civis e cerimoniais do AT, que regiam o culto e a
vida social de Israel [...] já não são obrigatórios para o crente do NT.
Eram tipos de sombras de coisas melhores vindouras, e cumpriramse em Jesus Cristo (Hb 10.1; Mt 7.12; 22.37-40; Rm 13.8; Gl 5.14;
6.2). Mesmo assim, contêm sabedoria e princípios espirituais a todas
as gerações [...]" (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD,
1995, p.145).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
23

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
1. O primeiro mandamento.
2. O segundo mandamento
3. O terceiro mandamento.
4. O quarto mandamento.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
24

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
1. O primeiro mandamento.
"Não terás outros deuses diante de
mim" (Êx 20.3).
 Neste primeiro mandamento, Deus
se revela como o único e verdadeiro
Deus (Dt 6.4).
 Naquela época havia entre as
nações falsos deuses. Um exemplo
disso é o Egito, onde o povo de
Israel estivera por 430 anos.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
25

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
1. O primeiro mandamento.
"Não terás outros deuses diante de mim" (Êx 20.3).
 Nossa adoração e culto devem ser dirigidos somente
ao único e verdadeiro Deus.
1. Não devemos cultuar nem os anjos (Ap 19.10),
2. nem os homens (At 10.25,26) ou
3. quaisquer símbolos.

O primeiro mandamento da lei, reafirmado em o
Novo Testamento, foi a respeito da adoração
somente a Deus (1 Co 8.4-6; 1 Tm 1.17; Ef 4.5,6; Mt
4.10).
Pr. Moisés Sampaio de Paula
26

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
1. O primeiro mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não terás outros
deuses diante de mim"
(Êx 20.3).

Trata a respeito da
adoração somente a
Deus

Pr. Moisés Sampaio de Paula
27

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
2. O segundo mandamento
"Não farás para ti imagem de escultura" (Êx
20.4-6).
 Aqui Deus proíbe terminantemente o uso
de imagens idolátricas. "Deus é Espírito",
disse Jesus (Jo 4.24). Então, não há como
adorá-lo por meio de imagens.
 Querer adorar a Deus por meio de
imagens visíveis é falta de fé, pois Cristo é
a imagem de Deus (Cl 1.13-23).
 É abominação ao Senhor a idolatria, ou
seja, ter ídolos e ser idólatra (Dt 7.25).
Pr. Moisés Sampaio de Paula
28

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
2. O segundo mandamento
"Não farás para ti imagem de
escultura" (Êx 20.4-6).
 Para o crente, um ídolo é tudo o que
ocupa o primeiro lugar em sua vida,
em seu coração, em seu tempo e em
sua vontade.
 Há muita gente na igreja se
arruinando espiritualmente por causa
dos "ídolos do coração".

Esse "ídolo" pode ser:
1. Acúmulo de riqueza,
2. A busca pela
grandeza, pelo
sucesso e pela fama.
3. Pode ser também a
busca pela
popularidade,
4. A busca pelo prazer
desenfreado.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
29

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
2. O segundo mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não farás para ti
imagem de escultura"
(Êx 20.4-6).

Proíbe terminantemente
o uso de imagens
idolátricas

Pr. Moisés Sampaio de Paula
30

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
3. O terceiro mandamento.
"Não tomarás o nome do Senhor, teu
Deus, em vão" (Êx 20.7).
 O nome de Deus representa:
1.
2.
3.
4.

Ele mesmo;
Sua divina natureza;
Seu infinito poder e
Seu santo caráter.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
31

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
3. O terceiro mandamento.
"Não tomarás o nome do Senhor, teu
Deus, em vão" (Êx 20.7).
 Este mandamento, portanto, diz
respeito à santidade do Senhor.
 Tomar o nome do Todo-Poderoso
em vão é mencioná-lo:
1.

2.
3.
4.

De modo banal,
Profano,
Secular e
Irreverente.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
32

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
3. O terceiro mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não tomarás o nome
Este mandamento,
do Senhor, teu Deus, em portanto, diz respeito à
vão" (Êx 20.7).
santidade do Senhor.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
33

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
4. O quarto mandamento. "
"Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx
20.8-11).
 O sábado era um dia de descanso e de adoração a
Deus. O termo sábado vem do hebraico shabbath
(cessar; interromper). Em Gênesis 2.3 está escrito
que: Deus "descansou" (literalmente "cessou", no
sentido de alguém interromper o que estava
fazendo).
 A expressão "lembra-te“ indica que o sábado já fora
dado por Deus no princípio, e que já era observado
para descanso do trabalho e adoração a Deus (Gn
Pr. Moisés Sampaio de Paula
2.1-3; Êx 20.10).
34

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
4. O quarto mandamento. "
"Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx
20.8-11).
 No Novo Testamento não há um só versículo que
ordene a guarda do sábado como dia fixo
santificado para descanso e adoração ao Senhor.
 O sábado foi dado como um "sinal" do pacto do
Sinai entre Deus e Israel. Assim, o sábado
assinala Israel como povo especial de Deus (Êx
31.12,13,17; Ez 20.10-12). A respeito dos demais
mandamentos não está dito que eles são
"sinais".
Pr. Moisés Sampaio de Paula
35

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
4. O quarto mandamento. "
"Lembra-te do dia de sábado, para o
santificar" (Êx 20.8-11).
 O sábado assinala Israel como povo
especial de Deus (Êx 31.12,13,17; Ez
20.10-12).

Para nós, o princípio que
permanece é um dia de
descanso na semana, para nosso
benefício físico e espiritual (Cf.
Mc 2.27,28).
Pr. Moisés Sampaio de Paula

Nós, cristãos,
observamos o
domingo como dia
de culto, pois Cristo
ressuscitou no
primeiro dia da
semana (Lc 24.1-3).
36

II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117)
4. O quarto mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Lembra-te do dia de
sábado, para o
santificar" (Êx 20.8-11).

Para nós, o princípio que
permanece é um dia de
descanso na semana,
para nosso benefício
físico e espiritual (Cf. Mc
2.27,28).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
SINOPSE DO TÓPICO (2)
37

Do primeiro ao quarto
mandamento, o Decálogo
apresenta leis para situar a
relação do homem com
Deus.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Perguntas
38

4. O que significa tomar o nome de Deus
em vão?
R. É mencioná-lo de modo banal, profano,
secular e irreverente.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
39

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
1. O quinto mandamento.
2. O sexto mandamento.
3. O sétimo mandamento.
4. O oitavo mandamento.
5. O nono mandamento
6. O décimo mandamento

Pr. Moisés Sampaio de Paula
40

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
1. O quinto mandamento.
"Honra a teu pai e a tua mãe" (Êx
20.12).
 Honrar é respeitar e obedecer, por
amor, à autoridade dos pais, e com
eles cooperar em tudo.
 É o primeiro mandamento contendo
uma promessa de Deus: "Para que
se prolonguem os teus dias."

Pr. Moisés Sampaio de Paula
41

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
1. O quinto mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Honra a teu pai e a tua Honrar é respeitar e
mãe" (Êx 20.12).
obedecer, por amor, à
autoridade dos pais, e
com eles cooperar em
tudo.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
42

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
2. O sexto mandamento.
"Não matarás" (Êx 20.13).
 No original, o termo rasah equivale a
matar o ser humano de modo doloso,
premeditado, planejado.
 Este mandamento ressalta a
sacralidade da vida humana como
dádiva de Deus (At 17.25-28).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
43

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
2. O sexto mandamento.
"Não matarás" (Êx 20.13).
 Há também aqueles que matam o
próximo no sentido moral, social e
espiritual, mediante a mentira, a
falsidade, a difamação, a calúnia, a
maledicência e o falso testemunho (1
Jo 3.15).
 Atualmente há muitos que foram
atingidos mortalmente em sua honra e
praticamente "morreram".
Pr. Moisés Sampaio de Paula
44

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
1. O sexto mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não matarás" (Êx
20.13).

Ressalta a sacralidade da
vida humana como
dádiva de Deus (At
17.25-28).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
45

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
3. O sétimo mandamento.
"Não adulterarás" (Êx 20.14).
 Este mandamento do Senhor está
vinculado à sacralidade, pureza e
respeito absoluto ao sexo, ao
matrimônio e à família.
 O adultério é um ato sexual ilícito e
pecaminoso, de um cônjuge com outra
pessoa estranha ao casamento.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
46

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
3. O sétimo mandamento.
"Não adulterarás" (Êx 20.14).
 Enquanto a lei condenava a prática do
ato, o Novo Testamento vai além condena os motivos ocultos no coração
que levam ao adultério (Mt 5.27,28).
 Portanto, mais que condenar o ato
praticado, Deus espera que em todo o
tempo dominemos nossos desejos e nos
submetamos ao domínio do Espírito
Santo.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
47

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
3. O sétimo mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não adulterarás" (Êx
20.14).

Este mandamento do
Senhor está vinculado à
sacralidade, pureza e
respeito absoluto ao
sexo, ao matrimônio e à
família.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
48

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
4. O oitavo mandamento.
"Não furtarás" (Êx 20.15).
 Furtar é apoderar-se oculta ou
disfarçadamente daquilo que pertence
a outrem.
 Isso abrange toda forma de
desonestidade, de mentira, de
ocultação, por palavra e por atos.
 É preciso respeitar os bens dos outros.
Ter honestidade e pureza nos atos; no
viver, no agir, no proceder.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
49

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
4. O oitavo mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não furtarás" (Êx
20.15).

Furtar é apoderar-se
oculta ou
disfarçadamente daquilo
que pertence a outrem.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
50

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
5. O nono mandamento
"Não dirás falso testemunho contra o teu
próximo" (Êx 20.16).
 Este mandamento do Senhor trata da
nossa honestidade e sinceridade no
uso da palavra em relação aos outros.
 Falso testemunho é falar mal dos
outros; acusar e culpar injustamente;
difamar; caluniar; mentir (Tg 4.11).

Pr. Moisés Sampaio de Paula
51

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
5. O nono mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não dirás falso
Este mandamento do
testemunho contra o
Senhor trata da nossa
teu próximo" (Êx 20.16). honestidade e
sinceridade no uso da
palavra em relação aos
outros.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
52

III. O ZELO PRECIPITADO DE MOISÉS E
SUA FUGA (ÊX 2.11-22)
6. O décimo mandamento
"Não cobiçarás" (Êx 20.17).
 Este mandamento é o respeito ético
a tudo o que pertence aos outros.
 Isto abrange o controle e o domínio
dos apetites da alma, dos impulsos,
desejos e vontade do crente.
 Cobiçar é querer o que pertence a
alguém. Querer as coisas dos outros
é um desejo insano que precisa ser
debelado.
Pr. Moisés Sampaio de Paula
53

III. A CONTINUAÇÃO DOS
MANDAMENTOS DIVINOS
6. O décimo mandamento.
MANDAMENTO

OBJETIVO

"Não cobiçarás" (Êx
20.17).

Este mandamento é o
respeito ético a tudo o
que pertence aos outros.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
SINOPSE DO TÓPICO (3)
54

Do quinto ao décimo
mandamento, o Decálogo
apresenta leis que tratam da
relação do homem com o
próximo.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Perguntas
55

5. Fale a respeito do décimo
mandamento.
R. Este mandamento é o respeito ético a tudo o
que pertence aos outros. Isto abrange o
controle e o domínio dos apetites da alma, dos
impulsos, desejos e vontade do crente.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
Conclusão
56



A Lei expõe e condena os
nossos pecados, porém, o
Senhor Jesus Cristo, pelo
seu sangue expiador, nos
perdoa e nos justifica
mediante a fé.

Pr. Moisés Sampaio de Paula
57

Pr. Moisés Sampaio de Paula

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
Antonio Filho
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
Cesar Oliveira
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
Ednilson do Valle
 
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
EVANGELISTA SOARES
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
Rosana Eugenio Dos Santos
 
Aula 2 - Gênesis
Aula 2 - GênesisAula 2 - Gênesis
Aula 2 - Gênesis
Gustavo Zimmermann
 
70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
RODRIGO FERREIRA
 
8. tribunal de cristo
8. tribunal de cristo8. tribunal de cristo
8. tribunal de cristo
Moisés Sampaio
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Natalino das Neves Neves
 
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristoLição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Erberson Pinheiro
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Éder Tomé
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
André Rocha
 
BEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de CristoBEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de Cristo
Daniel de Carvalho Luz
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
IBMemorialJC
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
PIB Penha
 
Atos
AtosAtos
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Éder Tomé
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
RODRIGO FERREIRA
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
Respirando Deus
 

Mais procurados (20)

A realidade do inferno.
A realidade do inferno.A realidade do inferno.
A realidade do inferno.
 
EPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDROEPÍSTOLAS DE PEDRO
EPÍSTOLAS DE PEDRO
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOSESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
ESCATOLOGIA: VISÃO GERAL PANORÂMICA FINAIS DOS TEMPOS
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
Aula 2 - Gênesis
Aula 2 - GênesisAula 2 - Gênesis
Aula 2 - Gênesis
 
70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
 
8. tribunal de cristo
8. tribunal de cristo8. tribunal de cristo
8. tribunal de cristo
 
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulaçãoEscatologia  parte 2_ibadep_a grande tribulação
Escatologia parte 2_ibadep_a grande tribulação
 
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristoLição 11 - A segunda vinda de cristo
Lição 11 - A segunda vinda de cristo
 
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus CristoLição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
Lição 11 - A Ressurreição de Jesus Cristo
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
BEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de CristoBEMA - O Tribunal de Cristo
BEMA - O Tribunal de Cristo
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua DeidadeLição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
Lição 2 - A Humanidade de Jesus Cristo e a Sua Deidade
 
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
Escatologia - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, Bodas do Cordeiro, Ceia das ...
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
 

Destaque

49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
Erivaldo Fernandes
 
A obra de deus (watchman nee)
A obra de deus (watchman nee)A obra de deus (watchman nee)
A obra de deus (watchman nee)
Deusdete Soares
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)
Jonatas Mendes
 
Livro ebook-o-grande-privilegio
Livro ebook-o-grande-privilegioLivro ebook-o-grande-privilegio
Livro ebook-o-grande-privilegio
Mateus Bragança
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Teologia do novo testamento
Jose Ventura
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
Jackeline Póvoas
 

Destaque (6)

49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
49360476 george-eldon-ladd-teologia-do-novo-testamento
 
A obra de deus (watchman nee)
A obra de deus (watchman nee)A obra de deus (watchman nee)
A obra de deus (watchman nee)
 
A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)A liberação do espírito (watchman nee)
A liberação do espírito (watchman nee)
 
Livro ebook-o-grande-privilegio
Livro ebook-o-grande-privilegioLivro ebook-o-grande-privilegio
Livro ebook-o-grande-privilegio
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Teologia do novo testamento
 
GRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGAGRÉCIA ANTIGA
GRÉCIA ANTIGA
 

Semelhante a Os dez mandamentos do Senhor

Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhorLição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
Pr. Andre Luiz
 
Lição 07 os dez mandamentos do senhor
Lição 07   os dez mandamentos do senhorLição 07   os dez mandamentos do senhor
Lição 07 os dez mandamentos do senhor
Pentecostes Pentecostes
 
Lição 4 jesus e a lei ebd
Lição 4   jesus e a lei ebdLição 4   jesus e a lei ebd
Lição 4 jesus e a lei ebd
Nayara Mayla Brito Damasceno
 
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aulaO Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
Luis Carlos Oliveira
 
Lição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da leiLição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da lei
Pr. Andre Luiz
 
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
Lourinaldo Serafim
 
Lição 4
Lição 4Lição 4
Lição 1 Deus dá a sua lei ao povo de Israel
Lição 1   Deus dá a sua lei ao povo de IsraelLição 1   Deus dá a sua lei ao povo de Israel
Lição 1 Deus dá a sua lei ao povo de Israel
Daniel Viana
 
Lição 4 Jesus e a lei
Lição 4 Jesus e a leiLição 4 Jesus e a lei
Lição 4 Jesus e a lei
Ev.Antonio Vieira
 
Os dez mandamentos
Os dez mandamentosOs dez mandamentos
Os dez mandamentos
Vinicio Pacifico
 
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
Natalino das Neves Neves
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
O padrão da lei moral
O padrão da lei moralO padrão da lei moral
O padrão da lei moral
Moisés Sampaio
 
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
yosseph2013
 
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptxLectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
LeandroAndrade96491
 
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentosLivro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Wellington Amaro de Souza
 
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John GillResumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Pr. Régerson Molitor
 
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no SinaiLição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
Éder Tomé
 
O decálogo
O decálogo O decálogo
O decálogo
RibamarCantanhede3
 
Livro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betelLivro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betel
Emerson1711
 

Semelhante a Os dez mandamentos do Senhor (20)

Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhorLição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
Lição 7 (1° 14) os dez mandamentos do senhor
 
Lição 07 os dez mandamentos do senhor
Lição 07   os dez mandamentos do senhorLição 07   os dez mandamentos do senhor
Lição 07 os dez mandamentos do senhor
 
Lição 4 jesus e a lei ebd
Lição 4   jesus e a lei ebdLição 4   jesus e a lei ebd
Lição 4 jesus e a lei ebd
 
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aulaO Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
 
Lição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da leiLição 02 - O padrão moral da lei
Lição 02 - O padrão moral da lei
 
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
LIÇÃO 02 – O PADRÃO DA LEI MORAL
 
Lição 4
Lição 4Lição 4
Lição 4
 
Lição 1 Deus dá a sua lei ao povo de Israel
Lição 1   Deus dá a sua lei ao povo de IsraelLição 1   Deus dá a sua lei ao povo de Israel
Lição 1 Deus dá a sua lei ao povo de Israel
 
Lição 4 Jesus e a lei
Lição 4 Jesus e a leiLição 4 Jesus e a lei
Lição 4 Jesus e a lei
 
Os dez mandamentos
Os dez mandamentosOs dez mandamentos
Os dez mandamentos
 
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
2015 1 TRI_LIÇÃO 13 - A IGREJA E A LEI DE DEUS
 
A igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deusA igreja e a lei de deus
A igreja e a lei de deus
 
O padrão da lei moral
O padrão da lei moralO padrão da lei moral
O padrão da lei moral
 
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
As Leis Civis Entregue por Moisés aos Israelitas - lição 10
 
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptxLectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
Lectio_Divina_do_Decalogo xxxxxxxxxx.pptx
 
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentosLivro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
 
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John GillResumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
 
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no SinaiLição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
Lição 7 - O Decálogo: A Aliança no Sinai
 
O decálogo
O decálogo O decálogo
O decálogo
 
Livro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betelLivro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betel
 

Mais de Moisés Sampaio

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
Moisés Sampaio
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
Moisés Sampaio
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
Moisés Sampaio
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
Moisés Sampaio
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
Moisés Sampaio
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
Moisés Sampaio
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
Moisés Sampaio
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
Moisés Sampaio
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
Moisés Sampaio
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
Moisés Sampaio
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
Moisés Sampaio
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
Moisés Sampaio
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Moisés Sampaio
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
Moisés Sampaio
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
Moisés Sampaio
 

Mais de Moisés Sampaio (20)

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 

Os dez mandamentos do Senhor

  • 1. OS DEZ MANDAMENTOS DO SENHOR 1º Trimestre de 2014 Lição 7 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO 2 "Porque o fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê" (Rm 10.4). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 3. VERDADE PRÁTICA 3 A Lei expõe e condena os nossos pecados, porém, o Senhor Jesus Cristo, pelo seu sangue expiador, nos perdoa e nos justifica mediante a fé. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 4. OBJETIVOS 4 Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:  Conhecer os propósitos dos Dez Mandamentos.  Compreender o conceito de cada mandamento.  Saber que os Dez Mandamentos referem-se a relação do homem com Deus e o próximo. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 5. Palavra chave 5 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 6. Esboço da Lição 6 I. OS PROPÓSITOS DA LEI 1. O Decálogo (Êx 20.3-17). 2. Objetivos do Concerto divino. II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.1-17) 1. O primeiro mandamento. 2. O segundo mandamento 3. O terceiro mandamento. 4. O quarto mandamento. III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 1. O quinto mandamento. 2. O sexto mandamento. 3. O sétimo mandamento. 4. O oitavo mandamento. 5. O nono mandamento 6. O décimo mandamento Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 7. INTRODUÇÃO 7    Hoje estudaremos uma síntese concernente aos Dez Mandamentos que foram entregues por Deus a Moisés. Muitos pensam que os preceitos morais da Lei foram somente para o Antigo Pacto. Todavia, Jesus ressaltou, no Sermão do Monte, que os preceitos morais da Lei são eternos e imutáveis, por isso precisamos conhecê-los. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 8. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 8 1. O Decálogo (Êx 20.3-17). 2. Objetivos do Concerto divino. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 9. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 9 1. O Decálogo (Êx 20.3-17).   O termo Decálogo literalmente significa "dez enunciados" ou "declarações" (Êx 34.28; Dt 4.13). Ele foi proferido por Deus no Sinai (Êx 20.1), mas também escrito por Ele em duas tábuas de pedra (Êx 31.18). O Decálogo exprime a vontade de Deus em relação ao ser humano. É, na verdade, um resumo da lei moral de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 10. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 10 2. Objetivos do Concerto divino.  A lei foi dada por Deus a Israel com os seguintes objetivos: a) Prover um padrão de justiça. b) Identificar e expor a malignidade do pecado. c) Revelar a santidade de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 11. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 11 2. Objetivos do Concerto divino. Prover um padrão de justiça. a) Prover um padrão de justiça. A lei entregue pelo Senhor a Moisés é um padrão de moralidade para o caráter e a conduta do homem, seja ele judeu, seja ele gentio (Dt 4.8; Rm 7.12). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 12. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 12 2. Objetivos do Concerto divino. Identificar e expor a malignidade do pecado. b) Identificar e expor a malignidade do pecado. A lei não faz do ser humano um pecador, mas faz com que ele se reconheça como um transgressor. Ela expõe a malignidade do pecado, mas ao mesmo tempo aponta o caminho da sua expiação pela fé em Deus através dos sacrifícios que eram oferecidos no Tabernáculo (Lv 4-7). Pr. Moisés Sampaio de Paula "Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse"; isto é, fosse devidamente conhecida (Rm 5.20). "Pela lei vem o conhecimento do pecado", ou seja, o conhecimento pleno da transgressão (Rm 3.20; 7.7).
  • 13. I. OS PROPÓSITOS DA LEI 13 2. Objetivos do Concerto divino. Revelar a santidade de Deus. c) Revelar a santidade de Deus. O Senhor revela a sua santidade por intermédio da lei mosaica (Êx 24.15-17; Lv 19.1,2), de igual forma, em o Novo Pacto, Ele revela a todo o mundo o seu seu amor através do seu Filho Jesus (Jo 3.16; Rm 5.8). A lei foi dada por Deus para conduzir a humanidade a Cristo (Rm 10.4). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 14. SINOPSE DO TÓPICO (1) 14 A Lei de Deus, entregue a Moisés tinha os seguintes propósitos para Israel: 1. prover um padrão de justiça; 2. identificar e 3. expor a malignidade do pecado; revelar a santidade de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 15. Perguntas 15 1. Qual o significado do termo "Decálogo"? R. O termo Decálogo literalmente significa dez enunciados ou declarações. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 16. Perguntas 16 2. De acordo com a lição, o que o Decálogo exprime? R. O Decálogo exprime a vontade de Deus em relação ao ser humano. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 17. Perguntas 17 3. Quais os objetivos do Concerto divino? R. Prover um padrão de justiça; identificar e expor a malignidade do pecado; revelar a santidade de Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 18. 18 A relação do homem com Deus. A relação do homem com o próximo. 'Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento' (Mt 22.37), Amarás o teu próximo como a ti mesmo' (Mt 22.39) Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 19. Tabela comparativa 19 Mandamento Amar a Deus sobre todas as coisas Não terás outros deuses além de d'Ele Não farás para ti nenhum ídolo Não dirás em vão o nome do SENHOR, o teu Deus Lembra-te do dia de sábado para o santificar Honra teu pai e tua mãe Não matarás Não adulterarás Não furtarás*** Não darás falso testemunho contra o teu próximo Judaico Anglicano, Presbiteriano e demais protestantes. 1 Prefácio Adventista do sétimo dia. Baseia-se do 1º ao 4º**** 1 1 1 2 2 2 3 3 3 2 3 4/sábado 4/domingo** 4/domingo** 3/domingo** 4/sábado 5 6 7 8 5 6 7 8 5 6 7 8 4 5 6 7 5 6 7 8 9 9 9 8 9 Não cobiçarás (a mulher do teu próximo) Não cobiçarás (nada do que pertença a teu próximo) Católico romano, Luterano* 1 Ortodoxa 2 9 10 10 10 10 10 Divisão dos Dez Mandamentos por religião/denominação Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 20. Subsídio Bibliológico 20 "O Dez Mandamentos • Os Dez Mandamentos, aqui registrados (cf. Dt 5.6-21), foram escritos pelo próprio Deus em duas tábuas de pedra e entregues a Moisés e ao povo de Israel (31.18; Dt 4.13; 10.4). • A guarda dos mandamentos proveu um meio de Israel procurar viver em retidão diante de Deus, agradecido pelo seu livramento do Egito; ao mesmo tempo, tal obediência era um requisito para os israelitas habitarem na Terra Prometida (Dt 41.14; 14 [...]). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 21. Subsídio Bibliológico 21 "O Dez Mandamentos (1)Os Dez Mandamentos são o resumo da lei moral de Deus para Israel, e descrevem as obrigações para com Deus e o próximo. Cristo e os apóstolos afirmam que, como expressões autênticas da santa vontade de Deus, eles permanecem obrigatórios para o crente do NT (Mt 22.37-39; Mc 12.28-34; Lc 10.27; Rm 13.9; Gl 5.14; Lv 19.18; Dt 6.5; 10.12; 30.6). Conforme esses trechos do NT, os Dez Mandamentos resumem-se no amor a Deus e ao próximo; guardá-los não é apenas uma questão de práticas externas, mas também requer uma atitude do coração [...]. Logo, a lei demanda uma justiça espiritual interior que se expressa em retidão exterior e em santidade. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 22. Subsídio Bibliológico 22 "O Dez Mandamentos (2) Os preceitos civis e cerimoniais do AT, que regiam o culto e a vida social de Israel [...] já não são obrigatórios para o crente do NT. Eram tipos de sombras de coisas melhores vindouras, e cumpriramse em Jesus Cristo (Hb 10.1; Mt 7.12; 22.37-40; Rm 13.8; Gl 5.14; 6.2). Mesmo assim, contêm sabedoria e princípios espirituais a todas as gerações [...]" (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, p.145). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 23. 23 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 1. O primeiro mandamento. 2. O segundo mandamento 3. O terceiro mandamento. 4. O quarto mandamento. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 24. 24 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 1. O primeiro mandamento. "Não terás outros deuses diante de mim" (Êx 20.3).  Neste primeiro mandamento, Deus se revela como o único e verdadeiro Deus (Dt 6.4).  Naquela época havia entre as nações falsos deuses. Um exemplo disso é o Egito, onde o povo de Israel estivera por 430 anos. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 25. 25 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 1. O primeiro mandamento. "Não terás outros deuses diante de mim" (Êx 20.3).  Nossa adoração e culto devem ser dirigidos somente ao único e verdadeiro Deus. 1. Não devemos cultuar nem os anjos (Ap 19.10), 2. nem os homens (At 10.25,26) ou 3. quaisquer símbolos.  O primeiro mandamento da lei, reafirmado em o Novo Testamento, foi a respeito da adoração somente a Deus (1 Co 8.4-6; 1 Tm 1.17; Ef 4.5,6; Mt 4.10). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 26. 26 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 1. O primeiro mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não terás outros deuses diante de mim" (Êx 20.3). Trata a respeito da adoração somente a Deus Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 27. 27 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 2. O segundo mandamento "Não farás para ti imagem de escultura" (Êx 20.4-6).  Aqui Deus proíbe terminantemente o uso de imagens idolátricas. "Deus é Espírito", disse Jesus (Jo 4.24). Então, não há como adorá-lo por meio de imagens.  Querer adorar a Deus por meio de imagens visíveis é falta de fé, pois Cristo é a imagem de Deus (Cl 1.13-23).  É abominação ao Senhor a idolatria, ou seja, ter ídolos e ser idólatra (Dt 7.25). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 28. 28 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 2. O segundo mandamento "Não farás para ti imagem de escultura" (Êx 20.4-6).  Para o crente, um ídolo é tudo o que ocupa o primeiro lugar em sua vida, em seu coração, em seu tempo e em sua vontade.  Há muita gente na igreja se arruinando espiritualmente por causa dos "ídolos do coração". Esse "ídolo" pode ser: 1. Acúmulo de riqueza, 2. A busca pela grandeza, pelo sucesso e pela fama. 3. Pode ser também a busca pela popularidade, 4. A busca pelo prazer desenfreado. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 29. 29 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 2. O segundo mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não farás para ti imagem de escultura" (Êx 20.4-6). Proíbe terminantemente o uso de imagens idolátricas Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 30. 30 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 3. O terceiro mandamento. "Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão" (Êx 20.7).  O nome de Deus representa: 1. 2. 3. 4. Ele mesmo; Sua divina natureza; Seu infinito poder e Seu santo caráter. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 31. 31 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 3. O terceiro mandamento. "Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão" (Êx 20.7).  Este mandamento, portanto, diz respeito à santidade do Senhor.  Tomar o nome do Todo-Poderoso em vão é mencioná-lo: 1. 2. 3. 4. De modo banal, Profano, Secular e Irreverente. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 32. 32 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 3. O terceiro mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não tomarás o nome Este mandamento, do Senhor, teu Deus, em portanto, diz respeito à vão" (Êx 20.7). santidade do Senhor. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 33. 33 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 4. O quarto mandamento. " "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx 20.8-11).  O sábado era um dia de descanso e de adoração a Deus. O termo sábado vem do hebraico shabbath (cessar; interromper). Em Gênesis 2.3 está escrito que: Deus "descansou" (literalmente "cessou", no sentido de alguém interromper o que estava fazendo).  A expressão "lembra-te“ indica que o sábado já fora dado por Deus no princípio, e que já era observado para descanso do trabalho e adoração a Deus (Gn Pr. Moisés Sampaio de Paula 2.1-3; Êx 20.10).
  • 34. 34 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 4. O quarto mandamento. " "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx 20.8-11).  No Novo Testamento não há um só versículo que ordene a guarda do sábado como dia fixo santificado para descanso e adoração ao Senhor.  O sábado foi dado como um "sinal" do pacto do Sinai entre Deus e Israel. Assim, o sábado assinala Israel como povo especial de Deus (Êx 31.12,13,17; Ez 20.10-12). A respeito dos demais mandamentos não está dito que eles são "sinais". Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 35. 35 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 4. O quarto mandamento. " "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx 20.8-11).  O sábado assinala Israel como povo especial de Deus (Êx 31.12,13,17; Ez 20.10-12). Para nós, o princípio que permanece é um dia de descanso na semana, para nosso benefício físico e espiritual (Cf. Mc 2.27,28). Pr. Moisés Sampaio de Paula Nós, cristãos, observamos o domingo como dia de culto, pois Cristo ressuscitou no primeiro dia da semana (Lc 24.1-3).
  • 36. 36 II. OS DEZ MANDAMENTOS (ÊX 20.117) 4. O quarto mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Lembra-te do dia de sábado, para o santificar" (Êx 20.8-11). Para nós, o princípio que permanece é um dia de descanso na semana, para nosso benefício físico e espiritual (Cf. Mc 2.27,28). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 37. SINOPSE DO TÓPICO (2) 37 Do primeiro ao quarto mandamento, o Decálogo apresenta leis para situar a relação do homem com Deus. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 38. Perguntas 38 4. O que significa tomar o nome de Deus em vão? R. É mencioná-lo de modo banal, profano, secular e irreverente. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 39. 39 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 1. O quinto mandamento. 2. O sexto mandamento. 3. O sétimo mandamento. 4. O oitavo mandamento. 5. O nono mandamento 6. O décimo mandamento Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 40. 40 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 1. O quinto mandamento. "Honra a teu pai e a tua mãe" (Êx 20.12).  Honrar é respeitar e obedecer, por amor, à autoridade dos pais, e com eles cooperar em tudo.  É o primeiro mandamento contendo uma promessa de Deus: "Para que se prolonguem os teus dias." Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 41. 41 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 1. O quinto mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Honra a teu pai e a tua Honrar é respeitar e mãe" (Êx 20.12). obedecer, por amor, à autoridade dos pais, e com eles cooperar em tudo. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 42. 42 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 2. O sexto mandamento. "Não matarás" (Êx 20.13).  No original, o termo rasah equivale a matar o ser humano de modo doloso, premeditado, planejado.  Este mandamento ressalta a sacralidade da vida humana como dádiva de Deus (At 17.25-28). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 43. 43 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 2. O sexto mandamento. "Não matarás" (Êx 20.13).  Há também aqueles que matam o próximo no sentido moral, social e espiritual, mediante a mentira, a falsidade, a difamação, a calúnia, a maledicência e o falso testemunho (1 Jo 3.15).  Atualmente há muitos que foram atingidos mortalmente em sua honra e praticamente "morreram". Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 44. 44 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 1. O sexto mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não matarás" (Êx 20.13). Ressalta a sacralidade da vida humana como dádiva de Deus (At 17.25-28). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 45. 45 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 3. O sétimo mandamento. "Não adulterarás" (Êx 20.14).  Este mandamento do Senhor está vinculado à sacralidade, pureza e respeito absoluto ao sexo, ao matrimônio e à família.  O adultério é um ato sexual ilícito e pecaminoso, de um cônjuge com outra pessoa estranha ao casamento. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 46. 46 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 3. O sétimo mandamento. "Não adulterarás" (Êx 20.14).  Enquanto a lei condenava a prática do ato, o Novo Testamento vai além condena os motivos ocultos no coração que levam ao adultério (Mt 5.27,28).  Portanto, mais que condenar o ato praticado, Deus espera que em todo o tempo dominemos nossos desejos e nos submetamos ao domínio do Espírito Santo. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 47. 47 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 3. O sétimo mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não adulterarás" (Êx 20.14). Este mandamento do Senhor está vinculado à sacralidade, pureza e respeito absoluto ao sexo, ao matrimônio e à família. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 48. 48 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 4. O oitavo mandamento. "Não furtarás" (Êx 20.15).  Furtar é apoderar-se oculta ou disfarçadamente daquilo que pertence a outrem.  Isso abrange toda forma de desonestidade, de mentira, de ocultação, por palavra e por atos.  É preciso respeitar os bens dos outros. Ter honestidade e pureza nos atos; no viver, no agir, no proceder. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 49. 49 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 4. O oitavo mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não furtarás" (Êx 20.15). Furtar é apoderar-se oculta ou disfarçadamente daquilo que pertence a outrem. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 50. 50 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 5. O nono mandamento "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo" (Êx 20.16).  Este mandamento do Senhor trata da nossa honestidade e sinceridade no uso da palavra em relação aos outros.  Falso testemunho é falar mal dos outros; acusar e culpar injustamente; difamar; caluniar; mentir (Tg 4.11). Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 51. 51 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 5. O nono mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não dirás falso Este mandamento do testemunho contra o Senhor trata da nossa teu próximo" (Êx 20.16). honestidade e sinceridade no uso da palavra em relação aos outros. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 52. 52 III. O ZELO PRECIPITADO DE MOISÉS E SUA FUGA (ÊX 2.11-22) 6. O décimo mandamento "Não cobiçarás" (Êx 20.17).  Este mandamento é o respeito ético a tudo o que pertence aos outros.  Isto abrange o controle e o domínio dos apetites da alma, dos impulsos, desejos e vontade do crente.  Cobiçar é querer o que pertence a alguém. Querer as coisas dos outros é um desejo insano que precisa ser debelado. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 53. 53 III. A CONTINUAÇÃO DOS MANDAMENTOS DIVINOS 6. O décimo mandamento. MANDAMENTO OBJETIVO "Não cobiçarás" (Êx 20.17). Este mandamento é o respeito ético a tudo o que pertence aos outros. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 54. SINOPSE DO TÓPICO (3) 54 Do quinto ao décimo mandamento, o Decálogo apresenta leis que tratam da relação do homem com o próximo. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 55. Perguntas 55 5. Fale a respeito do décimo mandamento. R. Este mandamento é o respeito ético a tudo o que pertence aos outros. Isto abrange o controle e o domínio dos apetites da alma, dos impulsos, desejos e vontade do crente. Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 56. Conclusão 56  A Lei expõe e condena os nossos pecados, porém, o Senhor Jesus Cristo, pelo seu sangue expiador, nos perdoa e nos justifica mediante a fé. Pr. Moisés Sampaio de Paula