SlideShare uma empresa Scribd logo
1ª Conferência Territorial sobre
 Assistência Técnica e
     Extensão Rural
    ATER para a Agricultura Familiar e
           Reforma Agrária e o
Desenvolvimento Sustentável do Brasil Rural
O PORQUÊ DAS CONFERÊNCIAS DE ATER

- O Conhecimento é um Direito Universal;
- O Governo Federal iniciou a reconstrução do Sistema de ATER
- Construção do PNATER;
- Aprovada e Sancionada a Lei 12.188/2010 – Objetivo de
    aperfeiçoar as políticas para atender as demandas dos
    agricultores;
- Necessidade de construir diretrizes que respondam aos novos
    desafios apontados para a ATER no Brasil;
-   As Conferências se realizam com o propósito de consolidar
    uma Ater para a diversidade da agricultura familiar.
OBJETIVO:


Propor diretrizes, prioridades e estratégias para
o Programa Nacional de Assistência Técnica e
Extensão    Rural   –   Pronater,   tendo   como
referência a Política Nacional de Ater – PNATER
e em atendimento à Lei nº 12.188 de 11 de
janeiro de 2010 e suas regulamentações.
Conteúdo das Conferências

• Apresentação sobre o documento base -
  Contextualização da Ater no Brasil;

• Trabalhos em grupo com base nos eixos temáticos;

• Escolha de delegados;

• Aprovação do documento final pela plenária.
LINHA DO TEMPO DA ATER



                              2003
                1980 a 2000
1948 a 1970




   O que aconteceu com a Ater nestas
               décadas?
LINHA DO TEMPO DA ATER




                                    2003
                 1980 a 2000
1948 a 1970
                                  RETOMADA DA
                 DESMONTE DAS         ATER
                INSTITUIÇÕES DE
CRIAÇAO DA            ATER
 ACAR-MG

CRIAÇÃO DAS
  ANCAR’S
LINHA DO TEMPO DA ATER

                  Políticas de Substituição das Importações
                         •Desenvolvimento da Indústria
                        •Modernização da Agricultura –
                               “Revolução Verde”
 1948 a 1970              • Crescimento da Economia



                               • Êxodo rural
 IMPACTOS                      • Aumento da Pobreza rural e
                               Urbana – “Favelização”
                               • Degradação ambiental
                               • Concentração da riqueza e
                               posse da terra
 • A economia Cresceu
 • Criação Parque Industrial
 • Exportação de Mercadorias
LINHA DO TEMPO DA ATER
                        •Crise do Desenvolvimento
                        • Mudança de Paradigma do
                          Desenvolvimento
                        •Extensão Alternativa
  1980 a 2000

                               • Redemocratização
                               • Consolidação conceitos:
  IMPACTOS                       Desenvolvimento Rural
                                 Sustentável e Agricultura
                                 Familiar
                               • Primeiras Políticas diferenciadas
• Globalização –               – Pronaf
  reestruturação produtiva     • Movimentos sociais
• Estado mínimo                • Terceiro Setor
• Fim dos subsídios
LINHA DO TEMPO DA ATER

                                   • Governo Popular
                           •Desenvolvimento Rural Sustentável
                       • Estratégias de Desenvolvimento Territorial
   2003 - 2011


 • Políticas de Inclusão
 • Desenvolvimento Rural Sustentável com base
   na Agricultura Familiar
 • Política Nacional de Ater - PNATER
 • Lei da Agricultura Familiar
 • Ampliação das políticas diferenciadas
 • Construção e Apropriação do saber
 • Participação e Gestão Social
Eixos Temáticos das Conferências:

Eixo 1: Ater para o Desenvolvimento Rural Sustentável

Eixo 2: Ater para a Diversidade da Agricultura Familiar e a Redução
       das Desigualdades
Eixo 3: Ater e Políticas públicas
Eixo 4: Gestão, Financiamento, Demanda e Oferta de Serviços de
       Ater
Eixo 5: Metodologia de Ater – Abordagem de Extensão Rural:
ORIENTAÇÕES PARA OS TRABALHOS EM GRUPOS


1 - Divisão dos participantes em grupos de trabalho: no
momento da inscrição os participantes receberam crachás com
fundo colorido identificando os eixos correspondentes a cada
grupo.

CADA PARTICIPANTE DEVE OBSERVAR A COR DO FUNDO DO
                    SEU CRACHÁ

2 - Cada grupo irá trabalhar um eixo, fazendo a leitura do texto
correspondente que está apresentado no Documento Base
e, em seguida, validar ou ajustar as proposições constantes no
documento e também acrescentar outras proposições que se
observar não contempladas.

     CADA PARTICIPANTE IRÁ RECEBER UMA CÓPIA DO
        DOCUMENTO BASE RELACIONADA AO EIXO
                  CORRESPONDENTE
EIXOS
Eixo 1: Ater para o Desenvolvimento Rural Sustentável –
COR BRANCA
Facilitadores:

Eixo 2: Ater para a Diversidade da Agricultura Familiar e a
Redução das Desigualdades - COR VERDE
Faclitadores :

Eixo 3: Ater e Políticas Públicas – COR VERMELHA
Facilitadores:

Eixo 4: Gestão, Financiamento, Demanda e Oferta de Serviços
de Ater – COR AZUL
Facilitadoras:

Eixo 5: Metodologia de Ater – Abordagem de Extensão Rural -
COR AMARELA
Facilitadoras:
3. Cada grupo deverá escolher um coordenador e um relator.

4. Os grupos terão 2 horas para o trabalho e 10 minutos para
apresentação na plenária.

5. Cada relator apresenta as proposições dos eixos
correspondestes ao seu grupo de trabalho.

6. Cabe a plenária avaliar as proposições trazidas pelos
gruposfazendo os ajustes necessários para aprovação final.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no BrasilPoliticas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
UFPB
 
Palestra Politicas Publicas no Meio Rural
Palestra Politicas Publicas no Meio RuralPalestra Politicas Publicas no Meio Rural
Palestra Politicas Publicas no Meio Rural
AMATER Cooperativa de Trabalho
 
Aula politicas publicas e desenvolvimento rural
Aula politicas publicas e desenvolvimento ruralAula politicas publicas e desenvolvimento rural
Aula politicas publicas e desenvolvimento rural
Cris Godoy
 
Ciências Sociais Agrárias
Ciências Sociais AgráriasCiências Sociais Agrárias
Ciências Sociais Agrárias
Décio Cotrim
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
FETAEP
 
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
cppcomunicacao
 
Desenvolvimento rural 11 4
Desenvolvimento rural 11 4Desenvolvimento rural 11 4
Desenvolvimento rural 11 4
Joao Paulo Curto
 
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
JORGE LUIZ ZORRER DA SILVA
 
Informe Rural - 09/01/14
Informe Rural -  09/01/14Informe Rural -  09/01/14
Informe Rural - 09/01/14
Informe Rural
 
2.mód13 fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
2.mód13   fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader2.mód13   fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
2.mód13 fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
Pelo Siro
 
Agricultura familiar
Agricultura familiarAgricultura familiar
Agricultura familiar
echotangonet
 
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
FAO
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
FETAEP
 
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
iicabrasil
 
Informe rural 18/04/2013
Informe rural 18/04/2013Informe rural 18/04/2013
Informe rural 18/04/2013
Informe Rural
 
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
Edinho Silva
 
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA - vi...
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA -  vi...Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA -  vi...
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA - vi...
Adilson P Motta Motta
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
FETAEP
 
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
FETAEP
 
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
FAO
 

Mais procurados (20)

Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no BrasilPoliticas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
Politicas Públicas de Desenvolvimento Rural no Brasil
 
Palestra Politicas Publicas no Meio Rural
Palestra Politicas Publicas no Meio RuralPalestra Politicas Publicas no Meio Rural
Palestra Politicas Publicas no Meio Rural
 
Aula politicas publicas e desenvolvimento rural
Aula politicas publicas e desenvolvimento ruralAula politicas publicas e desenvolvimento rural
Aula politicas publicas e desenvolvimento rural
 
Ciências Sociais Agrárias
Ciências Sociais AgráriasCiências Sociais Agrárias
Ciências Sociais Agrárias
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
Cartilha de Orientação do PRONAF 2019/2020
 
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
I Seminário da Pesca Artesanal e Assistência Técnica em Pernambuco
 
Desenvolvimento rural 11 4
Desenvolvimento rural 11 4Desenvolvimento rural 11 4
Desenvolvimento rural 11 4
 
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada     Parobé   2015
Projeto de aquisição de uma patrulha agrícola mecanizada Parobé 2015
 
Informe Rural - 09/01/14
Informe Rural -  09/01/14Informe Rural -  09/01/14
Informe Rural - 09/01/14
 
2.mód13 fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
2.mód13   fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader2.mód13   fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
2.mód13 fundo europeu agrícola de desenvolvimento rural (feader
 
Agricultura familiar
Agricultura familiarAgricultura familiar
Agricultura familiar
 
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
Ano Internacional da Agricultura Familiar 2014
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
Cartilha de Orientação do PRONAF 2020/2021
 
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
 
Informe rural 18/04/2013
Informe rural 18/04/2013Informe rural 18/04/2013
Informe rural 18/04/2013
 
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
Balanço Final do Governo Lula - livro 2 (cap.3)
 
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA - vi...
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA -  vi...Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA -  vi...
Plano Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Bom Jardim - MA - vi...
 
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
Cartilha de Orientação do PRONAF 2016/2017
 
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
Pauta do Grito da Terra Brasil 2012
 
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
 

Semelhante a Apresentação conferência

A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
Geovans1
 
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptxAULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
alanacp1
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
CarlosMelo486412
 
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, populaçãoAula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
Gerson Coppes
 
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcsa extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
alanacp1
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
CarlosMelo486412
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
ssuserb964fe
 
Pac- O espaço rural e as industrias
Pac- O espaço rural e as industriasPac- O espaço rural e as industrias
Pac- O espaço rural e as industrias
Cardeal Costa Nunes
 
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptxhistorico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
OtakuFedido2
 
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas ComunitáriasProjecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
goncalofgaspar
 
Índices de rendimento da agropecuária brasileira
Índices de rendimento da agropecuária brasileiraÍndices de rendimento da agropecuária brasileira
Índices de rendimento da agropecuária brasileira
iicabrasil
 
Agricultura familiar brasileña en el PNAE
Agricultura familiar brasileña en el PNAEAgricultura familiar brasileña en el PNAE
Agricultura familiar brasileña en el PNAE
FAO
 
Pac
PacPac
Pac
AbLaZe
 
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democraciaApresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
brandermarlonxavier
 
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
Josete Sampaio
 
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdfIV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
AliceSoares89
 
Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
Movimento Nacional de Catadores de Materiais RecicláveisMovimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
CRESS-MG
 
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
Érlei José de Araújo
 
Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
Wladimir Farias Tenorio Filho
 
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiarAula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Cris Godoy
 

Semelhante a Apresentação conferência (20)

A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL________________
 
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptxAULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
AULA 2 extensão ruralaula 3.1 extensão.pptx
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 2 2016 T1 e 2.ppt
 
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, populaçãoAula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
Aula 8 - Conferências do meio ambiente, capitalismo, população
 
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcsa extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
a extensãoruralhistoria.hcdcuusjxjkcvhjxcs
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
 
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.pptA EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
A EXTENSÃO RURAL NO BRASIL Sociologia e Extensão 1 2014.ppt
 
Pac- O espaço rural e as industrias
Pac- O espaço rural e as industriasPac- O espaço rural e as industrias
Pac- O espaço rural e as industrias
 
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptxhistorico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
historico-da-extensao-rural-no-brasil-2019 (1).pptx
 
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas ComunitáriasProjecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
Projecto: Cartaxo Concelho Agrícola - Hortas Comunitárias
 
Índices de rendimento da agropecuária brasileira
Índices de rendimento da agropecuária brasileiraÍndices de rendimento da agropecuária brasileira
Índices de rendimento da agropecuária brasileira
 
Agricultura familiar brasileña en el PNAE
Agricultura familiar brasileña en el PNAEAgricultura familiar brasileña en el PNAE
Agricultura familiar brasileña en el PNAE
 
Pac
PacPac
Pac
 
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democraciaApresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
Apresenta iii conaes cnes 2 economia e democracia
 
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
Relatório final piemonte do paraguaçu e1 1
 
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdfIV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
IV. As Politicas Europeias -Slides 1-23.pdf
 
Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
Movimento Nacional de Catadores de Materiais RecicláveisMovimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis
 
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
GASTRONOMIA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: bases para a indução do desenvolvimen...
 
Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
 
Aula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiarAula politicas publicas na agricultura familiar
Aula politicas publicas na agricultura familiar
 

Mais de Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem

Apresentação scs
Apresentação scsApresentação scs
Caisan
CaisanCaisan
Apresentação sisan
Apresentação sisanApresentação sisan
Apresentação forum tripartite pleno executivo
Apresentação forum tripartite   pleno executivoApresentação forum tripartite   pleno executivo
Apresentação forum tripartite pleno executivo
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Apresentação ci intitucional 2014
Apresentação ci   intitucional 2014Apresentação ci   intitucional 2014
Apresentação ci intitucional 2014
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Apresentação paa moises maceio 3
Apresentação paa moises maceio 3Apresentação paa moises maceio 3
Apresentação paa moises maceio 3
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Apresentação caisan maceio mariana
Apresentação caisan maceio marianaApresentação caisan maceio mariana
Apresentação caisan maceio mariana
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público de acordo com a pol...
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público  de acordo com a pol...Vantagens do muicipio de participar do consorcio público  de acordo com a pol...
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público de acordo com a pol...
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma atualizada
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma  atualizadaApresentação da política nacional de resíduos sólidos mma  atualizada
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma atualizada
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Lei no 11.107 de 6 de abril de 2005 (1)
Lei no 11.107  de 6 de abril de 2005 (1)Lei no 11.107  de 6 de abril de 2005 (1)
Lei no 11.107 de 6 de abril de 2005 (1)
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Semana da agua
Semana da aguaSemana da agua
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Apres padrãƒo
Apres padrãƒoApres padrãƒo
Apresentação[1]
Apresentação[1]Apresentação[1]
Programação dos157anos de Aracaju.
Programação dos157anos de Aracaju.Programação dos157anos de Aracaju.
Programação dos157anos de Aracaju.
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Consocial umbauba
Consocial umbaubaConsocial umbauba
Emenda de iniciativa popular
Emenda de iniciativa popularEmenda de iniciativa popular
Emenda de iniciativa popular
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 
Slides comunicação mst
Slides comunicação mstSlides comunicação mst
Apresentação conferência 2011
Apresentação conferência 2011 Apresentação conferência 2011
Apresentação conferência 2011
Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem
 

Mais de Portal Alarde - Informação Sem Maquiagem (19)

Apresentação scs
Apresentação scsApresentação scs
Apresentação scs
 
Caisan
CaisanCaisan
Caisan
 
Apresentação sisan
Apresentação sisanApresentação sisan
Apresentação sisan
 
Apresentação forum tripartite pleno executivo
Apresentação forum tripartite   pleno executivoApresentação forum tripartite   pleno executivo
Apresentação forum tripartite pleno executivo
 
Apresentação ci intitucional 2014
Apresentação ci   intitucional 2014Apresentação ci   intitucional 2014
Apresentação ci intitucional 2014
 
Apresentação paa moises maceio 3
Apresentação paa moises maceio 3Apresentação paa moises maceio 3
Apresentação paa moises maceio 3
 
Apresentação caisan maceio mariana
Apresentação caisan maceio marianaApresentação caisan maceio mariana
Apresentação caisan maceio mariana
 
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público de acordo com a pol...
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público  de acordo com a pol...Vantagens do muicipio de participar do consorcio público  de acordo com a pol...
Vantagens do muicipio de participar do consorcio público de acordo com a pol...
 
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma atualizada
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma  atualizadaApresentação da política nacional de resíduos sólidos mma  atualizada
Apresentação da política nacional de resíduos sólidos mma atualizada
 
Lei no 11.107 de 6 de abril de 2005 (1)
Lei no 11.107  de 6 de abril de 2005 (1)Lei no 11.107  de 6 de abril de 2005 (1)
Lei no 11.107 de 6 de abril de 2005 (1)
 
Semana da agua
Semana da aguaSemana da agua
Semana da agua
 
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
Audiencia publica ldo, loa e ppa 2014
 
Apres padrãƒo
Apres padrãƒoApres padrãƒo
Apres padrãƒo
 
Apresentação[1]
Apresentação[1]Apresentação[1]
Apresentação[1]
 
Programação dos157anos de Aracaju.
Programação dos157anos de Aracaju.Programação dos157anos de Aracaju.
Programação dos157anos de Aracaju.
 
Consocial umbauba
Consocial umbaubaConsocial umbauba
Consocial umbauba
 
Emenda de iniciativa popular
Emenda de iniciativa popularEmenda de iniciativa popular
Emenda de iniciativa popular
 
Slides comunicação mst
Slides comunicação mstSlides comunicação mst
Slides comunicação mst
 
Apresentação conferência 2011
Apresentação conferência 2011 Apresentação conferência 2011
Apresentação conferência 2011
 

Apresentação conferência

  • 1. 1ª Conferência Territorial sobre Assistência Técnica e Extensão Rural ATER para a Agricultura Familiar e Reforma Agrária e o Desenvolvimento Sustentável do Brasil Rural
  • 2. O PORQUÊ DAS CONFERÊNCIAS DE ATER - O Conhecimento é um Direito Universal; - O Governo Federal iniciou a reconstrução do Sistema de ATER - Construção do PNATER; - Aprovada e Sancionada a Lei 12.188/2010 – Objetivo de aperfeiçoar as políticas para atender as demandas dos agricultores; - Necessidade de construir diretrizes que respondam aos novos desafios apontados para a ATER no Brasil; - As Conferências se realizam com o propósito de consolidar uma Ater para a diversidade da agricultura familiar.
  • 3. OBJETIVO: Propor diretrizes, prioridades e estratégias para o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – Pronater, tendo como referência a Política Nacional de Ater – PNATER e em atendimento à Lei nº 12.188 de 11 de janeiro de 2010 e suas regulamentações.
  • 4. Conteúdo das Conferências • Apresentação sobre o documento base - Contextualização da Ater no Brasil; • Trabalhos em grupo com base nos eixos temáticos; • Escolha de delegados; • Aprovação do documento final pela plenária.
  • 5. LINHA DO TEMPO DA ATER 2003 1980 a 2000 1948 a 1970 O que aconteceu com a Ater nestas décadas?
  • 6. LINHA DO TEMPO DA ATER 2003 1980 a 2000 1948 a 1970 RETOMADA DA DESMONTE DAS ATER INSTITUIÇÕES DE CRIAÇAO DA ATER ACAR-MG CRIAÇÃO DAS ANCAR’S
  • 7. LINHA DO TEMPO DA ATER Políticas de Substituição das Importações •Desenvolvimento da Indústria •Modernização da Agricultura – “Revolução Verde” 1948 a 1970 • Crescimento da Economia • Êxodo rural IMPACTOS • Aumento da Pobreza rural e Urbana – “Favelização” • Degradação ambiental • Concentração da riqueza e posse da terra • A economia Cresceu • Criação Parque Industrial • Exportação de Mercadorias
  • 8. LINHA DO TEMPO DA ATER •Crise do Desenvolvimento • Mudança de Paradigma do Desenvolvimento •Extensão Alternativa 1980 a 2000 • Redemocratização • Consolidação conceitos: IMPACTOS Desenvolvimento Rural Sustentável e Agricultura Familiar • Primeiras Políticas diferenciadas • Globalização – – Pronaf reestruturação produtiva • Movimentos sociais • Estado mínimo • Terceiro Setor • Fim dos subsídios
  • 9. LINHA DO TEMPO DA ATER • Governo Popular •Desenvolvimento Rural Sustentável • Estratégias de Desenvolvimento Territorial 2003 - 2011 • Políticas de Inclusão • Desenvolvimento Rural Sustentável com base na Agricultura Familiar • Política Nacional de Ater - PNATER • Lei da Agricultura Familiar • Ampliação das políticas diferenciadas • Construção e Apropriação do saber • Participação e Gestão Social
  • 10. Eixos Temáticos das Conferências: Eixo 1: Ater para o Desenvolvimento Rural Sustentável Eixo 2: Ater para a Diversidade da Agricultura Familiar e a Redução das Desigualdades Eixo 3: Ater e Políticas públicas Eixo 4: Gestão, Financiamento, Demanda e Oferta de Serviços de Ater Eixo 5: Metodologia de Ater – Abordagem de Extensão Rural:
  • 11. ORIENTAÇÕES PARA OS TRABALHOS EM GRUPOS 1 - Divisão dos participantes em grupos de trabalho: no momento da inscrição os participantes receberam crachás com fundo colorido identificando os eixos correspondentes a cada grupo. CADA PARTICIPANTE DEVE OBSERVAR A COR DO FUNDO DO SEU CRACHÁ 2 - Cada grupo irá trabalhar um eixo, fazendo a leitura do texto correspondente que está apresentado no Documento Base e, em seguida, validar ou ajustar as proposições constantes no documento e também acrescentar outras proposições que se observar não contempladas. CADA PARTICIPANTE IRÁ RECEBER UMA CÓPIA DO DOCUMENTO BASE RELACIONADA AO EIXO CORRESPONDENTE
  • 12. EIXOS Eixo 1: Ater para o Desenvolvimento Rural Sustentável – COR BRANCA Facilitadores: Eixo 2: Ater para a Diversidade da Agricultura Familiar e a Redução das Desigualdades - COR VERDE Faclitadores : Eixo 3: Ater e Políticas Públicas – COR VERMELHA Facilitadores: Eixo 4: Gestão, Financiamento, Demanda e Oferta de Serviços de Ater – COR AZUL Facilitadoras: Eixo 5: Metodologia de Ater – Abordagem de Extensão Rural - COR AMARELA Facilitadoras:
  • 13. 3. Cada grupo deverá escolher um coordenador e um relator. 4. Os grupos terão 2 horas para o trabalho e 10 minutos para apresentação na plenária. 5. Cada relator apresenta as proposições dos eixos correspondestes ao seu grupo de trabalho. 6. Cabe a plenária avaliar as proposições trazidas pelos gruposfazendo os ajustes necessários para aprovação final.