SlideShare uma empresa Scribd logo
A Parábola do Semeador
LEAN,
07/02/10
Apresentação aula parabola do semeador
CONCEITOS INICIAIS:
O QUE É UMA ALEGORIA?
O QUE E UMA FÁBULA?
O QUE É UMA PARÁBOLA?
O QUE É UMA ALEGORIA?
• Expressão de uma idéia através de uma imagem, um quadro, um ser vivo
etc.;
• É uma figura de linguagem, mais especificamente de uso retórico, que
produz a virtualização do significado, ou seja, sua expressão transmite um
ou mais sentidos que o da simples compreensão ao literal. Diz b para
significar a. Uma alegoria não precisa ser expressa no texto escrito: pode
dirigir-se aos olhos e, com freqüência, encontra-se
na pintura, escultura ou noutras formas de linguagem
MITO DA CAVERNA - PLATÃO
O QUE É UMA FÁBULA?
• fábulas (do LATIM fábula, significando "história, jogo, narrativa",
literalmente "o que é dito")1
são uma aglomeração de composições literárias
em que os personagens são animais que apresentam características
humanas , tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias terminam com
um ensinamento moral de caráter instrutivo
O QUE É UMA PARABOLA?
• Parábola (do grego Παραβολή, "comparação, ilustração, analogia") é uma
narrativa curta que, mediante o emprego de linguagem figurada, transmite
um conteúdo moral, sendo por isso erroneamente confundida com a fabula
fábula.
A Parábola do Semeador - filme
LEAN,
07/02/10
O REINO DOS CEUS
DENTRO DE NÓS
(Lc, 8:11)
O Reino de Deus, divino, imortal,
escapa naturalmente da visão dos
humanos – Caminho verdade e vida .
Cap. 107 – Emmanuel – diz antes uma
frase dura: Os olhos da carne pode ver
apenas duas coisas, o que está morto
ou o que vai morrer
O mundo das formas sempre esta em
transição
Descobrindo gradativamente o reino de
Deus em nós mesmos ante a
espiritualidade maior.
Livro: Benção de paz – cap. 39
........O reino divino se manifestara mais
rapidamente onde estivermos – SE
EXTERIORIZA
Livro: Fonte viva cap.84
Seremos admitidos do aprendizado do
evangelho cultivando o reino de Deus
que começa na vida íntima. = É UMA
CONTRUÇÃO INTERIOR – LEVA
TEMPO – EXIGE ESFORÇO
Livro: Livro: Fonte viva cap.15
........Inicia-se, consolida-se e
resplandece no íntimo do coração --
Livro: Pão nosso – cap. 81
(portanto  é  uma  construção  interior 
leva tempo, e trabalho)
A MÁGICA NÃO FAZ O TRABALHO BEM FEITO, 
MAS O TRABALHO BEM FEITO FAZ A MÁGICA .
 WALT DISNEY
PARA UM TRABALHO PERFEITO LEVA-
SE 10.000 HORAS DE ATIVIDADE.
Jornalista americano.
A CONSTRUÇÃO INTERIOR, DO REINO 
DE DEUS EM NÓS É OBRA DO 
ESFORÇO, PRECISAMOS CUIDADAR 
DAS SEMENTES DEPOSITADAS EM NÓS
Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto 
semeava, uma parte da semente caiu ao longo do 
caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram.
1. QUEM É O SEMEADOR?
Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto
semeava, uma parte da semente caiu ao longo do
caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram.
1. O QUE É A SEMENTE?
“A Semente é a
palavra de Deus.”
(Lc, 8:11)
“A lição do evangelho é
semente viva porque tem um
potencial germinador.”
(Vinha de Luz – Cap. 40)
“Jesus é nosso caminho
permanente para o divino
amor.”
(Pão Nosso– Cap. 25)
“O campo onde é semeado –
é o terreno de teu coração.”
(Pão Nosso– Cap. 25)
“As Sementes
santificantes virão
sob as mais
variadas
circunstâncias.”
(Pão nosso cap.25)
QUAIS OS TIPOS DE SOLOS?
“....O campo onde é
semeado....”
(Pão nosso cap.25)
“....O coração
humano é receptivo
tanto quanto o
solo....”
(Pão nosso cap.81)
2 - PEDREGULHOS2 - PEDREGULHOS
3 - ESPINHEIROS3 - ESPINHEIROS 4 – SOLO FÉRTIL4 – SOLO FÉRTIL
1 – BEIRA DO CAMINHO1 – BEIRA DO CAMINHO
Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto
semeava, uma parte da semente caiu ao longo do
caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram.
Explicação de Jesus:
A todos que ouvem a palavra do reino, e não a compreendem, vem
o maligno e a arrebata o que lhes foi semeado no coração
Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto
semeava, uma parte da semente caiu ao longo do
caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram.
1. Primeiro tipo de solo: SEMENTES
CAIRAM AO LONGO (a beira) DO
CAMINHO?
2. SIGNIFICADO: São as pessoas que não entende
os ensinos ministrados. MAS POR QUE NÃO
ENTENDEM?
Por que não se interessam das coisas da alma
não dando devido valor, Palavras ficam
exteriorizadas, por fora de sua mente.
Vindo os pássaros do céu a comeram –
significado?
maligno – tudo que é de mal, as paixões das
criaturas humanas, nossas tendências
inferiores.
“Receando ser ele mesmo, tornasse pessoa espelho, a
refletir as conveniências dos outros, ou, homem-
parede, a reagir contra todas às vibrações que lhe são
dirigidas antes de as examinar”
(Joanna de Angelis-Homem Integral)
Outra caiu nos lugares pedregosos onde não havia
muita terra; e logo nasceu porque a terra onde
estava não tinha profundidade. Mas o Sol tendo se
erguido em seguida, a queimou; e, como não tinha
raízes, secou.
Explicação de Jesus: “O que foi
semeado em solo rochoso, este é o que
ouuve a palavra e a recebe logo com
alegria, MAS NÃO TEM RAIZ EM SI
MESMO, sendo antes de pouca
duração; em lhe chegando a angústia
ou a perseguição por causa da palavra
logo se escandaliza”
São aqueles que acolheram a
palavra com alegria, com
entusiasmo, contudo há apenas
interesse superficial
Quando vier qualquer tribulação (o
sol queimou), no trabalho, na seara
do bem ele desiste.
“O ser humano possui profundidade
que deve ser penetrada, superando
a superficialidade no dia a dia”
(Joanna de Angelis)
Outra caiu nos espinheiros, e os espinhos, vindo
a crescer, a sufocaram.
Explicação de Jesus: “O que foi
semeado em espinhos, este é o que
ouuve a palavra porem os cuidados do
mundo e facinação das riquezas
sufocam a palavra, e fica infrutífera.
O que são os espinhos?
São aqueles que sabem ouvir,
entendem a mensagem, as
lições, contudo os espinhos a
sufocam.
• Interesses pessoais
• Atividades e sedução do mundo material
• Gosos dos bens terrestres
Os espinhos são as nossas sombras, que ficam escondidas e
crescem e quando desejamos partir para uma renovação moral,
pois as boas raízes começam a crescer, as nossas melhores
qualidades e as maiores virtudes são contaminadas por estes
espinhos, por estas sombras
“Toda vez que a pessoa tenta a conscientização intima,
o encontro com o “eu” profundo, a busca interior, as
sensações predominantes nas paisagens físicas,
perturbam-lhe a decisão, impedindo a experiência”
(Joanna de Angelis)
“A aquisição da consciência é um processo
lento e profundo, porque se encontra em
germe no próprio “ser”, como a pérola
preciosa na concha escura no molúsculo...”
(Joanna de Angelis)
Outra, enfim, caiu em boa terra, e deu frutos,
alguns grãos rendendo cento por um, outros
sessenta e outros trinta.
Que ouça aquele que tem ouvidos para ouvir".
(Mateus, cap. 13, 1 a 9)
Aquele que ouve e compreende a mensagem
espiritual, interiorizado-a para sua vida.
É o adepto sincero que reconhece a grandeza
dos ensinamentos, colocando em prática.
Verdadeira expressão da caridade.
Explicação de Jesus: “Mas o que foi
semeado em boa terra é o que ouve a
palavra a compreende; este frutifica e ,
produz a cem, a sessenta, a trinta por
um”.
Conforme o que produzirmos, estamos revelando
que tipo de solo é nossa alma, de acordo com
que reproduzimos na forma de atitude.
Jesus semeia, mas
cada um segundo a sua
obra
“Nesse homem atribulado dos nossos dias, a
Divindade deposita confiança em favor de uma
renovação para um mundo melhor e uma sociedade
mais feliz, buscar os valores que lhes dormem
soterrados no íntimo é a razão de sua existência
corporal no momento, encontrar-se com a vida,
enfrentá-la e triunfar eis o seu fanal.”
(Joanna de Angelis)
“Quantos de vós aqui presentes darão frutos?
Quantos de vós que estão aqui vão permitir
que tudo que vocês escutaram e escutam se
enraízem, transformem vocês e sigam a
adiante se transformando nessa árvore que
dará frutos e que vão gerar novas e boas
sementes?
(Bezerra de Menezes)
PARÁBOLA DO SEMEADORPARÁBOLA DO SEMEADOR
“(...) NÃO MENOS JUSTA APLICAÇÃO ENCONTRA ELA (A
PARÁBOLA DO SEMEADOR) NAS DIFERENTES CATEGORIAS DE
ESPÍRITAS ” (...) AK § 6
PRENDEM-SE
AOS
FENÔMENOS
MATERIAS E
NENHUMA
CONSEQUÊNCI
A TIRAM DELES
PREOCUPAM-SEPREOCUPAM-SE
COM O BRILHOCOM O BRILHO
NASNAS
COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES
; APÓS OUVI-LAS,; APÓS OUVI-LAS,
CONSERVAM-SECONSERVAM-SE
FRIOS EFRIOS E
INDIFERENTESINDIFERENTES
RECONHECEM E
ADMIRAM OS
BONS
CONSELHOS,
PARA SEREM
APLICADOS NOS
OUTROS, E NÃO
EM SI PRÓPRIOS
AS
INSTRUÇÕES
DOS ESPÍRITOS
SÃO QUAIS
SEMENTES QUE
CAEM EM
TERRA BOA E
DÃO FRUTOS
APLICAÇÃO
ÀS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS
LONGOLONGO
DO CAMINHODO CAMINHO
LUGARLUGAR
PEDREGOSOPEDREGOSO
ENTREENTRE
ESPINHOSESPINHOS TERRA BOATERRA BOA
Apresentação aula parabola do semeador
“E os que estão sobre a pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem
com alegria; mas como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e, na
época da tentação, se desviam.”
Lc. 8:13 (Explicação da Parábola do Semeador).
(Emmanuel (esp.), Chico Xavier (psicog.), 1949, Caminho, Verdade e Vida, Cap. 124, FEB)
“...nas experiências religiosas não é aconselhável repousar
alguém sobre a firmeza espiritual dos outros; enquanto o
imprevidente descansa em bases estranhas, provavelmente
estará tranqüilo, mas, se não possui raízes de segurança em si
mesmo, desviar-se-á nas épocas difíceis...”
“A palavra “pedra”, entre nós, costuma simbolizar rigidez e impedimento;
no entanto, convém não esquecer que Jesus, de vez em quando, a ela
recorria para significar a firmeza.”
Segundo Emmanuel:
No terreno cheio de pedrasNo terreno cheio de pedras
A semente tentou se firmarA semente tentou se firmar
Mas a terra era muita escassaMas a terra era muita escassa
Não tinha onde se arraigarNão tinha onde se arraigar
E então a pequena plantinhaE então a pequena plantinha
Que era muito fragilzinhaQue era muito fragilzinha
O sol começou a queimar...O sol começou a queimar...
No meio dos espinheirosNo meio dos espinheiros
Outras sementes foram descansarOutras sementes foram descansar
E a custa de muita lutaE a custa de muita luta
Conseguiram até germinarConseguiram até germinar
Mas eram muitos espinhosMas eram muitos espinhos
E apertavam tanto os brotinhosE apertavam tanto os brotinhos
Que começaram a sufocar...Que começaram a sufocar...
Quanto mais a planta cresciaQuanto mais a planta crescia
Mas se sentia apertarMas se sentia apertar
Os espinhos eram tão afiadosOs espinhos eram tão afiados
Começaram a lhe machucarComeçaram a lhe machucar
Foi muito difícil a lutaFoi muito difícil a luta
Mas a planta perdeu a disputaMas a planta perdeu a disputa
E morreu por falta de ar...E morreu por falta de ar...
Mas então eis que algumas sementesMas então eis que algumas sementes
Terra boa puderam encontrarTerra boa puderam encontrar
E com muita felicidadeE com muita felicidade
Nesse solo foram se abrigarNesse solo foram se abrigar
Elas ficaram muito contentesElas ficaram muito contentes
Com todos os nutrientesCom todos os nutrientes
Que tinham pra se alimentar...Que tinham pra se alimentar...
E nesse terreno benditoE nesse terreno bendito
Começaram a frutificarComeçaram a frutificar
Árvores belas, frondosasÁrvores belas, frondosas
Surgiram naquele pomarSurgiram naquele pomar
Até cem frutos por sementeAté cem frutos por semente
Pra alimentar muita gentePra alimentar muita gente
Elas conseguiram dar...Elas conseguiram dar...
A parábola do semeadorA parábola do semeador
Jesus terminou de contarJesus terminou de contar
E aquele que tiver ouvidosE aquele que tiver ouvidos
Faça o favor de escutarFaça o favor de escutar
E abrigue no seu coraçãoE abrigue no seu coração
Mais essa grande liçãoMais essa grande lição
Que o Mestre veio ensinar.Que o Mestre veio ensinar.
“A Semente é a
palavra de Deus.”
(Lc, 8:11)
“Jesus é o Sublime Semeador da Terra e
a Humanidade é a Lavoura de Deus em
Suas Divinas Mãos.”
(Emmanuel, In: Ceifa de Luz)
1 - BEIRA DO CAMINHO1 - BEIRA DO CAMINHO
2 - PEDREGULHOS2 - PEDREGULHOS
3 - ESPINHEIROS3 - ESPINHEIROS
4 - BOA TERRA4 - BOA TERRA
PARÁBOLA DO SEMEADORPARÁBOLA DO SEMEADOR
“(...) NÃO MENOS JUSTA APLICAÇÃO ENCONTRA ELA (A
PARÁBOLA DO SEMEADOR) NAS DIFERENTES CATEGORIAS DE
ESPÍRITAS ” (...) AK § 6
PRENDEM-SE
AOS
FENÔMENOS
MATERIAS E
NENHUMA
CONSEQUÊNCI
A TIRAM DELES
PREOCUPAM-SEPREOCUPAM-SE
COM O BRILHOCOM O BRILHO
NASNAS
COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES
; APÓS OUVI-LAS,; APÓS OUVI-LAS,
CONSERVAM-SECONSERVAM-SE
FRIOS EFRIOS E
INDIFERENTESINDIFERENTES
RECONHECEM E
ADMIRAM OS
BONS
CONSELHOS,
PARA SEREM
APLICADOS NOS
OUTROS, E NÃO
EM SI PRÓPRIOS
AS
INSTRUÇÕES
DOS ESPÍRITOS
SÃO QUAIS
SEMENTES QUE
CAEM EM
TERRA BOA E
DÃO FRUTOS
APLICAÇÃO
ÀS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS
LONGOLONGO
DO CAMINHODO CAMINHO
LUGARLUGAR
PEDREGOSOPEDREGOSO
ENTREENTRE
ESPINHOSESPINHOS TERRA BOATERRA BOA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
home
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
Isnande Mota Barros
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
Denise Tofoli
 
Os sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médicoOs sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médico
nelmarvoc
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Sergio Menezes
 
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
Angela Ewerling
 
Parábola do Semeador
Parábola do SemeadorParábola do Semeador
Parábola do Semeador
igmateus
 
Parábola da figueira seca
Parábola da figueira secaParábola da figueira seca
Parábola da figueira seca
alice martins
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Divulgador do Espiritismo
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
Izabel Cristina Fonseca
 
Parabola do Joio e do Trigo
Parabola do Joio e do TrigoParabola do Joio e do Trigo
Parabola do Joio e do Trigo
Patricia Farias
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
CeiClarencio
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
Sergio Menezes
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
Divulgador do Espiritismo
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
Parábolas de Jesus Filho pródigo
Parábolas de Jesus Filho pródigoParábolas de Jesus Filho pródigo
Parábolas de Jesus Filho pródigo
Jhonatan Felipe
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
Roseli Lemes
 

Mais procurados (20)

A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)A Porta Estreita (Palestra Espírita)
A Porta Estreita (Palestra Espírita)
 
Caracteres da perfeição
Caracteres da perfeiçãoCaracteres da perfeição
Caracteres da perfeição
 
Os trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última horaOs trabalhadores da última hora
Os trabalhadores da última hora
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
O homem no mundo
O homem no mundoO homem no mundo
O homem no mundo
 
Os sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médicoOs sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médico
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMOAMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
AMAR AO PRÓXIMO COMO A SI MESMO
 
Parábola do Semeador
Parábola do SemeadorParábola do Semeador
Parábola do Semeador
 
Parábola da figueira seca
Parábola da figueira secaParábola da figueira seca
Parábola da figueira seca
 
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiososPalestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
Palestra Espírita - Bem aventurados os misericordiosos
 
Fé pela ótica espírita
Fé pela ótica espíritaFé pela ótica espírita
Fé pela ótica espírita
 
Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado Aquele que se eleva será rebaixado
Aquele que se eleva será rebaixado
 
Parabola do Joio e do Trigo
Parabola do Joio e do TrigoParabola do Joio e do Trigo
Parabola do Joio e do Trigo
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
 
Cristo Consolador
Cristo ConsoladorCristo Consolador
Cristo Consolador
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Parábolas de Jesus Filho pródigo
Parábolas de Jesus Filho pródigoParábolas de Jesus Filho pródigo
Parábolas de Jesus Filho pródigo
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 

Destaque

Dinâmica a parábola do semeador
Dinâmica a parábola do semeadorDinâmica a parábola do semeador
Dinâmica a parábola do semeador
GRUPO ESCOTEIRO JOÃO OSCALINO
 
Atividades da parábola do semeador
Atividades da parábola do semeadorAtividades da parábola do semeador
Atividades da parábola do semeador
Associação de Pais C appalmesc
 
O semeador
O semeadorO semeador
Parabola do Semeador
Parabola do SemeadorParabola do Semeador
Parabola do-semeador
Parabola do-semeadorParabola do-semeador
Parabola do-semeador
cesar2006
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Cláudio Luciano
 
Apresentação parábola do semeador.
Apresentação parábola do semeador.Apresentação parábola do semeador.
Apresentação parábola do semeador.
Sandra Cecília Rocha
 
Mensagem de Chico Xavier
Mensagem de Chico XavierMensagem de Chico Xavier
Mensagem de Chico Xavier
Carolina Bernardes
 
A parábola do semeador
A parábola do semeadorA parábola do semeador
A parábola do semeador
Tatiana Bonfim
 
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Pregando as parábolas de jesus   o semeadorPregando as parábolas de jesus   o semeador
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Rev. Giovanni Guimarães
 
O semeador
O semeadorO semeador
O semeador
Marcelo Lieuthier
 
A parábola do semeador
A parábola do semeadorA parábola do semeador
A parábola do semeador
Alice Lirio
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
Candice Gunther
 
O Semeador
O SemeadorO Semeador
O Semeador
leopp2005
 
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSicaImagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
ProfMario De Mori
 
Evangelizamor aula 1
Evangelizamor  aula 1Evangelizamor  aula 1
Evangelizamor aula 1
Vitor Hugo
 
Meal fase ii - 2012
Meal   fase ii - 2012Meal   fase ii - 2012
Meal fase ii - 2012
Wellington Oliveira
 
Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Aula 31 - Mocidade Espírita
Aula 31  - Mocidade EspíritaAula 31  - Mocidade Espírita
Aula 31 - Mocidade Espírita
Flávio Darin Buongermino
 

Destaque (20)

Dinâmica a parábola do semeador
Dinâmica a parábola do semeadorDinâmica a parábola do semeador
Dinâmica a parábola do semeador
 
Atividades da parábola do semeador
Atividades da parábola do semeadorAtividades da parábola do semeador
Atividades da parábola do semeador
 
O semeador
O semeadorO semeador
O semeador
 
Parabola do Semeador
Parabola do SemeadorParabola do Semeador
Parabola do Semeador
 
Parabola do-semeador
Parabola do-semeadorParabola do-semeador
Parabola do-semeador
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 
Apresentação parábola do semeador.
Apresentação parábola do semeador.Apresentação parábola do semeador.
Apresentação parábola do semeador.
 
Mensagem de Chico Xavier
Mensagem de Chico XavierMensagem de Chico Xavier
Mensagem de Chico Xavier
 
A parábola do semeador
A parábola do semeadorA parábola do semeador
A parábola do semeador
 
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Pregando as parábolas de jesus   o semeadorPregando as parábolas de jesus   o semeador
Pregando as parábolas de jesus o semeador
 
O semeador
O semeadorO semeador
O semeador
 
A parábola do semeador
A parábola do semeadorA parábola do semeador
A parábola do semeador
 
Parábola do semeador
Parábola do semeadorParábola do semeador
Parábola do semeador
 
O Semeador
O SemeadorO Semeador
O Semeador
 
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSicaImagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
Imagem NãO é Tudo, VisãO MetafíSica
 
Evangelizamor aula 1
Evangelizamor  aula 1Evangelizamor  aula 1
Evangelizamor aula 1
 
Meal fase ii - 2012
Meal   fase ii - 2012Meal   fase ii - 2012
Meal fase ii - 2012
 
Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
 
Aula 31 - Mocidade Espírita
Aula 31  - Mocidade EspíritaAula 31  - Mocidade Espírita
Aula 31 - Mocidade Espírita
 

Semelhante a Apresentação aula parabola do semeador

Palavra e responsabilidade
Palavra e responsabilidadePalavra e responsabilidade
Palavra e responsabilidade
arianerodrigues
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
Denise Aguiar
 
Boletim informativo fev2014
Boletim informativo fev2014Boletim informativo fev2014
Boletim informativo fev2014
fespiritacrista
 
Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015
fespiritacrista
 
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp018 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
As bem aventuranças
As bem aventuranças As bem aventuranças
As bem aventuranças
Izabel Cristina Fonseca
 
O Poder da Palavra
O Poder da PalavraO Poder da Palavra
O Poder da Palavra
Ricardo Azevedo
 
Roteiro 1 existência de deus
Roteiro 1   existência de deusRoteiro 1   existência de deus
Roteiro 1 existência de deus
Bruno Cechinel Filho
 
Há muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do paiHá muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do pai
Gianete Rocha
 
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-19548 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
paulasa pin
 
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e AlucinacoesL Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
Fernando Pinto
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
Ceile Bernardo
 
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céuAndre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
havatar
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Tiburcio Santos
 
A região do Umbral
A região do UmbralA região do Umbral
A região do Umbral
Eduardo Henrique Marçal
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Cynthia Castro
 
O Poder Magnético das Palavras
O Poder Magnético das PalavrasO Poder Magnético das Palavras
O Poder Magnético das Palavras
igmateus
 
imortalidade da alma.pdf
imortalidade da alma.pdfimortalidade da alma.pdf
imortalidade da alma.pdf
AndrPlez1
 
As 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucessoAs 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucesso
Elmo Batista
 
014c - O rol dos Anjos na vida
014c - O rol dos Anjos na vida014c - O rol dos Anjos na vida
014c - O rol dos Anjos na vida
OrdineGesu
 

Semelhante a Apresentação aula parabola do semeador (20)

Palavra e responsabilidade
Palavra e responsabilidadePalavra e responsabilidade
Palavra e responsabilidade
 
Existência de Deus
Existência de DeusExistência de Deus
Existência de Deus
 
Boletim informativo fev2014
Boletim informativo fev2014Boletim informativo fev2014
Boletim informativo fev2014
 
Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015Boletim informativo set2015
Boletim informativo set2015
 
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp018 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
 
As bem aventuranças
As bem aventuranças As bem aventuranças
As bem aventuranças
 
O Poder da Palavra
O Poder da PalavraO Poder da Palavra
O Poder da Palavra
 
Roteiro 1 existência de deus
Roteiro 1   existência de deusRoteiro 1   existência de deus
Roteiro 1 existência de deus
 
Há muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do paiHá muitas moradas na casa do pai
Há muitas moradas na casa do pai
 
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-19548 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
 
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e AlucinacoesL Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
L Mediuns CAP06 Aparicoes e Alucinacoes
 
Aula Vida Espirita
Aula Vida EspiritaAula Vida Espirita
Aula Vida Espirita
 
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céuAndre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
 
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3Palestra ese 03   muitas moradas  20160223 v3
Palestra ese 03 muitas moradas 20160223 v3
 
A região do Umbral
A região do UmbralA região do Umbral
A região do Umbral
 
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
Evolução Em Dois Mundos - Primeira Parte - Capítulo X - Palavra e Responsabil...
 
O Poder Magnético das Palavras
O Poder Magnético das PalavrasO Poder Magnético das Palavras
O Poder Magnético das Palavras
 
imortalidade da alma.pdf
imortalidade da alma.pdfimortalidade da alma.pdf
imortalidade da alma.pdf
 
As 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucessoAs 7 leis espirituais para o sucesso
As 7 leis espirituais para o sucesso
 
014c - O rol dos Anjos na vida
014c - O rol dos Anjos na vida014c - O rol dos Anjos na vida
014c - O rol dos Anjos na vida
 

Último

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 

Último (14)

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 

Apresentação aula parabola do semeador

  • 1. A Parábola do Semeador LEAN, 07/02/10
  • 3. CONCEITOS INICIAIS: O QUE É UMA ALEGORIA? O QUE E UMA FÁBULA? O QUE É UMA PARÁBOLA?
  • 4. O QUE É UMA ALEGORIA? • Expressão de uma idéia através de uma imagem, um quadro, um ser vivo etc.; • É uma figura de linguagem, mais especificamente de uso retórico, que produz a virtualização do significado, ou seja, sua expressão transmite um ou mais sentidos que o da simples compreensão ao literal. Diz b para significar a. Uma alegoria não precisa ser expressa no texto escrito: pode dirigir-se aos olhos e, com freqüência, encontra-se na pintura, escultura ou noutras formas de linguagem MITO DA CAVERNA - PLATÃO
  • 5. O QUE É UMA FÁBULA? • fábulas (do LATIM fábula, significando "história, jogo, narrativa", literalmente "o que é dito")1 são uma aglomeração de composições literárias em que os personagens são animais que apresentam características humanas , tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo
  • 6. O QUE É UMA PARABOLA? • Parábola (do grego Παραβολή, "comparação, ilustração, analogia") é uma narrativa curta que, mediante o emprego de linguagem figurada, transmite um conteúdo moral, sendo por isso erroneamente confundida com a fabula fábula.
  • 7. A Parábola do Semeador - filme LEAN, 07/02/10
  • 8. O REINO DOS CEUS DENTRO DE NÓS (Lc, 8:11)
  • 9. O Reino de Deus, divino, imortal, escapa naturalmente da visão dos humanos – Caminho verdade e vida . Cap. 107 – Emmanuel – diz antes uma frase dura: Os olhos da carne pode ver apenas duas coisas, o que está morto ou o que vai morrer O mundo das formas sempre esta em transição
  • 10. Descobrindo gradativamente o reino de Deus em nós mesmos ante a espiritualidade maior. Livro: Benção de paz – cap. 39 ........O reino divino se manifestara mais rapidamente onde estivermos – SE EXTERIORIZA Livro: Fonte viva cap.84 Seremos admitidos do aprendizado do evangelho cultivando o reino de Deus que começa na vida íntima. = É UMA CONTRUÇÃO INTERIOR – LEVA TEMPO – EXIGE ESFORÇO Livro: Livro: Fonte viva cap.15 ........Inicia-se, consolida-se e resplandece no íntimo do coração -- Livro: Pão nosso – cap. 81 (portanto  é  uma  construção  interior  leva tempo, e trabalho)
  • 14. Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto semeava, uma parte da semente caiu ao longo do caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram. 1. O QUE É A SEMENTE?
  • 15. “A Semente é a palavra de Deus.” (Lc, 8:11)
  • 16. “A lição do evangelho é semente viva porque tem um potencial germinador.” (Vinha de Luz – Cap. 40) “Jesus é nosso caminho permanente para o divino amor.” (Pão Nosso– Cap. 25) “O campo onde é semeado – é o terreno de teu coração.” (Pão Nosso– Cap. 25)
  • 17. “As Sementes santificantes virão sob as mais variadas circunstâncias.” (Pão nosso cap.25)
  • 18. QUAIS OS TIPOS DE SOLOS?
  • 19. “....O campo onde é semeado....” (Pão nosso cap.25) “....O coração humano é receptivo tanto quanto o solo....” (Pão nosso cap.81)
  • 20. 2 - PEDREGULHOS2 - PEDREGULHOS 3 - ESPINHEIROS3 - ESPINHEIROS 4 – SOLO FÉRTIL4 – SOLO FÉRTIL 1 – BEIRA DO CAMINHO1 – BEIRA DO CAMINHO
  • 21. Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto semeava, uma parte da semente caiu ao longo do caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram. Explicação de Jesus: A todos que ouvem a palavra do reino, e não a compreendem, vem o maligno e a arrebata o que lhes foi semeado no coração
  • 22. Aquele que semeia, saiu a semear; e, enquanto semeava, uma parte da semente caiu ao longo do caminho, e vindo os pássaros do céu a comeram. 1. Primeiro tipo de solo: SEMENTES CAIRAM AO LONGO (a beira) DO CAMINHO? 2. SIGNIFICADO: São as pessoas que não entende os ensinos ministrados. MAS POR QUE NÃO ENTENDEM? Por que não se interessam das coisas da alma não dando devido valor, Palavras ficam exteriorizadas, por fora de sua mente. Vindo os pássaros do céu a comeram – significado? maligno – tudo que é de mal, as paixões das criaturas humanas, nossas tendências inferiores.
  • 23. “Receando ser ele mesmo, tornasse pessoa espelho, a refletir as conveniências dos outros, ou, homem- parede, a reagir contra todas às vibrações que lhe são dirigidas antes de as examinar” (Joanna de Angelis-Homem Integral)
  • 24. Outra caiu nos lugares pedregosos onde não havia muita terra; e logo nasceu porque a terra onde estava não tinha profundidade. Mas o Sol tendo se erguido em seguida, a queimou; e, como não tinha raízes, secou.
  • 25. Explicação de Jesus: “O que foi semeado em solo rochoso, este é o que ouuve a palavra e a recebe logo com alegria, MAS NÃO TEM RAIZ EM SI MESMO, sendo antes de pouca duração; em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra logo se escandaliza”
  • 26. São aqueles que acolheram a palavra com alegria, com entusiasmo, contudo há apenas interesse superficial Quando vier qualquer tribulação (o sol queimou), no trabalho, na seara do bem ele desiste.
  • 27. “O ser humano possui profundidade que deve ser penetrada, superando a superficialidade no dia a dia” (Joanna de Angelis)
  • 28. Outra caiu nos espinheiros, e os espinhos, vindo a crescer, a sufocaram.
  • 29. Explicação de Jesus: “O que foi semeado em espinhos, este é o que ouuve a palavra porem os cuidados do mundo e facinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.
  • 30. O que são os espinhos? São aqueles que sabem ouvir, entendem a mensagem, as lições, contudo os espinhos a sufocam. • Interesses pessoais • Atividades e sedução do mundo material • Gosos dos bens terrestres Os espinhos são as nossas sombras, que ficam escondidas e crescem e quando desejamos partir para uma renovação moral, pois as boas raízes começam a crescer, as nossas melhores qualidades e as maiores virtudes são contaminadas por estes espinhos, por estas sombras
  • 31. “Toda vez que a pessoa tenta a conscientização intima, o encontro com o “eu” profundo, a busca interior, as sensações predominantes nas paisagens físicas, perturbam-lhe a decisão, impedindo a experiência” (Joanna de Angelis) “A aquisição da consciência é um processo lento e profundo, porque se encontra em germe no próprio “ser”, como a pérola preciosa na concha escura no molúsculo...” (Joanna de Angelis)
  • 32. Outra, enfim, caiu em boa terra, e deu frutos, alguns grãos rendendo cento por um, outros sessenta e outros trinta. Que ouça aquele que tem ouvidos para ouvir". (Mateus, cap. 13, 1 a 9)
  • 33. Aquele que ouve e compreende a mensagem espiritual, interiorizado-a para sua vida. É o adepto sincero que reconhece a grandeza dos ensinamentos, colocando em prática. Verdadeira expressão da caridade.
  • 34. Explicação de Jesus: “Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra a compreende; este frutifica e , produz a cem, a sessenta, a trinta por um”.
  • 35. Conforme o que produzirmos, estamos revelando que tipo de solo é nossa alma, de acordo com que reproduzimos na forma de atitude. Jesus semeia, mas cada um segundo a sua obra “Nesse homem atribulado dos nossos dias, a Divindade deposita confiança em favor de uma renovação para um mundo melhor e uma sociedade mais feliz, buscar os valores que lhes dormem soterrados no íntimo é a razão de sua existência corporal no momento, encontrar-se com a vida, enfrentá-la e triunfar eis o seu fanal.” (Joanna de Angelis)
  • 36. “Quantos de vós aqui presentes darão frutos? Quantos de vós que estão aqui vão permitir que tudo que vocês escutaram e escutam se enraízem, transformem vocês e sigam a adiante se transformando nessa árvore que dará frutos e que vão gerar novas e boas sementes? (Bezerra de Menezes)
  • 37. PARÁBOLA DO SEMEADORPARÁBOLA DO SEMEADOR “(...) NÃO MENOS JUSTA APLICAÇÃO ENCONTRA ELA (A PARÁBOLA DO SEMEADOR) NAS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS ” (...) AK § 6 PRENDEM-SE AOS FENÔMENOS MATERIAS E NENHUMA CONSEQUÊNCI A TIRAM DELES PREOCUPAM-SEPREOCUPAM-SE COM O BRILHOCOM O BRILHO NASNAS COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES ; APÓS OUVI-LAS,; APÓS OUVI-LAS, CONSERVAM-SECONSERVAM-SE FRIOS EFRIOS E INDIFERENTESINDIFERENTES RECONHECEM E ADMIRAM OS BONS CONSELHOS, PARA SEREM APLICADOS NOS OUTROS, E NÃO EM SI PRÓPRIOS AS INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS SÃO QUAIS SEMENTES QUE CAEM EM TERRA BOA E DÃO FRUTOS APLICAÇÃO ÀS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS LONGOLONGO DO CAMINHODO CAMINHO LUGARLUGAR PEDREGOSOPEDREGOSO ENTREENTRE ESPINHOSESPINHOS TERRA BOATERRA BOA
  • 39. “E os que estão sobre a pedra, estes são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria; mas como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo, e, na época da tentação, se desviam.” Lc. 8:13 (Explicação da Parábola do Semeador). (Emmanuel (esp.), Chico Xavier (psicog.), 1949, Caminho, Verdade e Vida, Cap. 124, FEB) “...nas experiências religiosas não é aconselhável repousar alguém sobre a firmeza espiritual dos outros; enquanto o imprevidente descansa em bases estranhas, provavelmente estará tranqüilo, mas, se não possui raízes de segurança em si mesmo, desviar-se-á nas épocas difíceis...” “A palavra “pedra”, entre nós, costuma simbolizar rigidez e impedimento; no entanto, convém não esquecer que Jesus, de vez em quando, a ela recorria para significar a firmeza.” Segundo Emmanuel:
  • 40. No terreno cheio de pedrasNo terreno cheio de pedras A semente tentou se firmarA semente tentou se firmar Mas a terra era muita escassaMas a terra era muita escassa Não tinha onde se arraigarNão tinha onde se arraigar E então a pequena plantinhaE então a pequena plantinha Que era muito fragilzinhaQue era muito fragilzinha O sol começou a queimar...O sol começou a queimar...
  • 41. No meio dos espinheirosNo meio dos espinheiros Outras sementes foram descansarOutras sementes foram descansar E a custa de muita lutaE a custa de muita luta Conseguiram até germinarConseguiram até germinar Mas eram muitos espinhosMas eram muitos espinhos E apertavam tanto os brotinhosE apertavam tanto os brotinhos Que começaram a sufocar...Que começaram a sufocar...
  • 42. Quanto mais a planta cresciaQuanto mais a planta crescia Mas se sentia apertarMas se sentia apertar Os espinhos eram tão afiadosOs espinhos eram tão afiados Começaram a lhe machucarComeçaram a lhe machucar Foi muito difícil a lutaFoi muito difícil a luta Mas a planta perdeu a disputaMas a planta perdeu a disputa E morreu por falta de ar...E morreu por falta de ar...
  • 43. Mas então eis que algumas sementesMas então eis que algumas sementes Terra boa puderam encontrarTerra boa puderam encontrar E com muita felicidadeE com muita felicidade Nesse solo foram se abrigarNesse solo foram se abrigar Elas ficaram muito contentesElas ficaram muito contentes Com todos os nutrientesCom todos os nutrientes Que tinham pra se alimentar...Que tinham pra se alimentar...
  • 44. E nesse terreno benditoE nesse terreno bendito Começaram a frutificarComeçaram a frutificar Árvores belas, frondosasÁrvores belas, frondosas Surgiram naquele pomarSurgiram naquele pomar Até cem frutos por sementeAté cem frutos por semente Pra alimentar muita gentePra alimentar muita gente Elas conseguiram dar...Elas conseguiram dar...
  • 45. A parábola do semeadorA parábola do semeador Jesus terminou de contarJesus terminou de contar E aquele que tiver ouvidosE aquele que tiver ouvidos Faça o favor de escutarFaça o favor de escutar E abrigue no seu coraçãoE abrigue no seu coração Mais essa grande liçãoMais essa grande lição Que o Mestre veio ensinar.Que o Mestre veio ensinar.
  • 46. “A Semente é a palavra de Deus.” (Lc, 8:11)
  • 47. “Jesus é o Sublime Semeador da Terra e a Humanidade é a Lavoura de Deus em Suas Divinas Mãos.” (Emmanuel, In: Ceifa de Luz)
  • 48. 1 - BEIRA DO CAMINHO1 - BEIRA DO CAMINHO
  • 49. 2 - PEDREGULHOS2 - PEDREGULHOS
  • 50. 3 - ESPINHEIROS3 - ESPINHEIROS
  • 51. 4 - BOA TERRA4 - BOA TERRA
  • 52. PARÁBOLA DO SEMEADORPARÁBOLA DO SEMEADOR “(...) NÃO MENOS JUSTA APLICAÇÃO ENCONTRA ELA (A PARÁBOLA DO SEMEADOR) NAS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS ” (...) AK § 6 PRENDEM-SE AOS FENÔMENOS MATERIAS E NENHUMA CONSEQUÊNCI A TIRAM DELES PREOCUPAM-SEPREOCUPAM-SE COM O BRILHOCOM O BRILHO NASNAS COMUNICAÇÕESCOMUNICAÇÕES ; APÓS OUVI-LAS,; APÓS OUVI-LAS, CONSERVAM-SECONSERVAM-SE FRIOS EFRIOS E INDIFERENTESINDIFERENTES RECONHECEM E ADMIRAM OS BONS CONSELHOS, PARA SEREM APLICADOS NOS OUTROS, E NÃO EM SI PRÓPRIOS AS INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS SÃO QUAIS SEMENTES QUE CAEM EM TERRA BOA E DÃO FRUTOS APLICAÇÃO ÀS DIFERENTES CATEGORIAS DE ESPÍRITAS LONGOLONGO DO CAMINHODO CAMINHO LUGARLUGAR PEDREGOSOPEDREGOSO ENTREENTRE ESPINHOSESPINHOS TERRA BOATERRA BOA