SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto Empresa
Conceito de Empresa
• Uma empresa é uma unidade económico-social,
constituída por elementos humanos, materiais e
técnicos, que tem como objetivo obter
utilidades através da sua participação no
mercado de bens e serviços.
Uma empresa
• Pode ser económica ou social
• Constituídas por:
• Pessoas,
• Materiais,
• Técnicos.
• Que tem o objetivo de produzir:
• Bens,
• Serviços.
Classificadas pela atividade
económica que produzem
• Primária:
• Recursos obtidos através da natureza:
• Agrícolas,
• Pesqueiras,
• Pecuárias.
Classificadas pela atividade
económica que produzem
• Secundária:
• Transformação de matérias-primas:
• Industriais.
• Construção civil.
Classificadas pela atividade
económica que produzem
• Terciária:
• Prestação de serviços e de comércio.
De acordo com a sua constituição
jurídica
• Empresas individuais:
• Que pertencem a uma única pessoa.
De acordo com a sua constituição
jurídica
• Sociedades:
• Constituídas por várias pessoas:
• Anónimas,
• Responsabilidade
limitada.
O que é a responsabilidade?
A responsabilidade perante terceiros tem como a solvabilidade
da empresa e as a forma como o património do empresário
responde, no caso de ser decretada a insolvência da empresa.
Tipos de responsabilidade
• Responsabilidade limitada
Em situação de insolvência e se o património da empresa
não for suficiente para o pagamento das dívidas.
O património dos empresários fica salvaguardado.
Tipos de responsabilidade
• Responsabilidade Ilimitada
Em situação de insolvência e se o património da
empresa não for suficiente para o pagamento das
dívidas.
O património dos empresários não fica
salvaguardado e responde perante essas dívidas.
Tipos de responsabilidade
• Empresário em Nome Individual: Esta
forma jurídica tem as seguintes características:
• titulada por um único indivíduo ou pessoa singular;
• A firma, ou nome comercial, deverá ser constituída pelo
nome civil completo ou abreviado do empresário
individual e poderá incluir, ou não, uma expressão alusiva
ao seu negócio ou à forma como pretende divulgar a sua
empresa no meio empresarial;
Empresário em Nome Individual:
• Não há um montante mínimo obrigatório para o capital
social;
• Não existe separação entre o património pessoal e
o património do negócio, pelo que os bens próprios
do empreendedor estão afetos à exploração da atividade
económica;
• A responsabilidade é ilimitada, sendo que o
empreendedor responde pelas dívidas contraídas no
exercício da atividade com todos os bens que integram
o seu património.
Estabelecimento Individual de
Responsabilidade Limitada
• É titulada por um único indivíduo ou pessoa singular;
• A firma deve ser composta pelo nome civil, por extenso ou abreviado, do
empreendedor. Este nome pode ser acrescido, ou não, da referência ao ramo de
atividade, mais o aditamento obrigatório Estabelecimento Individual de
Responsabilidade Limitada ou E.I.R.L O capital social não pode ser inferior
a € 5.000 e pode ser realizado em numerário, coisas ou direitos que possam ser
alvo de penhora. Contudo, a parte em dinheiro não pode ser inferior a 2/3 do
capital mínimo (n.º 1 e n.º 3 do art. 3.º do Decreto-Lei n.º 248/86, de 25 de
agosto);
Estabelecimento Individual de
Responsabilidade Limitada
• Existe uma separação entre o património pessoal do
empreendedor e o património afeto à empresa, pelo
que os bens próprios do empreendedor não se encontram
afetos à exploração da atividade económica;
• Pelas dívidas resultantes da atividade económica
respondem apenas os bens a ela afetos. Em caso de
falência do empreendedor, e caso se prove que não
decorria uma separação total dos bens, o falido responde
com todo o seu património pelas dívidas contraídas.
Sociedade Unipessoal por Quotas:
 A sociedade unipessoal por quotas tem as seguintes
características:
 Tem um único sócio que pode ser uma pessoa singular ou
coletiva;
 O sócio é titular da totalidade do capital social;
 A responsabilidade do sócio encontra-se limitada ao montante
do capital social;
 O capital social é livremente fixado no contrato de sociedade,
exceto nos casos em que a Lei prevê o contrário;

Sociedade Unipessoal por Quotas:
 O valor da quota pode ser variável, mas nunca inferior a €
1,00;
 Apenas o património da sociedade responde perante
credores pelas dívidas da sociedade;
 A denominação da empresa deve obrigatoriamente conter
a expressão “sociedade unipessoal” ou “unipessoal”
seguida de “Limitada” ou “Lda”.
Sociedade em Nome Coletivo:
 Permite constituir um tipo de sociedade de responsabilidade
ilimitada, em que os sócios respondem ilimitada e
subsidiariamente em relação à sociedade e solidariamente
entre si, perante os credores sociais. A sociedade em nome
coletivo tem as seguintes características:
 Tem um mínimo de dois sócios;
 Admite sócios de indústria;
 Não exige um montante mínimo obrigatório para o capital social;
Sociedade em Nome Coletivo:
 A responsabilidade dos sócios abrange o valor das suas entradas
e os bens que integram o seu património pessoal;
 Os sócios respondem subsidiariamente em relação à sociedade
e solidariamente com os outros sócios no que respeita a
credores;
 Apesar de admitir contribuições de indústria, o seu valor não é
considerado no capital social;
 A denominação da empresa deve obrigatoriamente conter o
nome, completo ou abreviado, o apelido ou a firma de todos,
alguns ou, pelo menos, um dos sócios, seguido de "e
Companhia", "Cia" ou outro nome que indicie a existência de
mais sócios, como por exemplo “e Irmãos”.
• Permite criar um tipo de sociedade adequado para quem
pretende desenvolver uma atividade económica com duas
ou mais pessoas singulares e/ou coletivas e em que o
capital social da empresa esteja dividido por quotas. A
sociedade por quotas tem as seguintes
características:
• Tem dois ou mais sócios que podem ser pessoas singulares ou
coletivas;
• Não admite contribuições de indústria;
• A responsabilidade dos sócios encontra-se limitada ao capital
social, exceto nos casos em que a Lei prevê o contrário;
• O capital social pode ser fixado livremente pelos sócios, exceto
em empresas reguladas por legislação especial;
Sociedade por Quotas
• O valor da quota pode ser variável, mas nunca
inferior a € 1,00;
• O contrato da sociedade deve mencionar o montante
de cada quota e a identificação do respetivo titular;
• Apenas o património da sociedade responde perante
os credores pelas dívidas da sociedade;
• A denominação da empresa deve conter a expressão
“Limitada” ou "Lda".
Sociedade Anónima
• Permite constituir um tipo de sociedade em que o capital é
dividido por títulos representativos facilmente
transmissíveis (ações) e em que cada sócio limita a sua
responsabilidade e participação ao valor das ações que
subscreveu. A sociedade anónima tem as seguintes
características:
• Tem um mínimo de cinco sócios, designados por acionistas, que
podem ser pessoas singulares ou coletivas;
• Não admite contribuições de indústria;
• Pode constituir-se com um único sócio desde que esse sócio seja
uma sociedade;
Sociedade Anónima
• A responsabilidade dos sócios encontra-se limitada
ao valor das ações por si subscritas;
• O capital social não pode ser inferior a € 50.000,00 e
está dividido em ações de igual valor nominal;
• Apenas o património da sociedade responde perante
credores pelas dívidas da sociedade;
• A denominação da empresa deve obrigatoriamente
conter a expressão “sociedade anónima” ou “SA”.
Sociedade em Comandita
• Sociedade na qual cada um dos sócios comanditários
responde apenas pela sua entrada.
• A firma da sociedade é formada pelo nome de um
dos sócios, no mínimo, e pelo aditamento "Em
Comandita" ou "Comandita por Ações"
Empresas definidas com a respetiva
titularidade do capital
• Privadas:
• Cujo capital está nas mãos de particulares.
• Públicas:
• Controladas pelo Estado.
Empresas definidas com a respetiva
titularidade do capital
• Mistas:
• O capital é partilhado por:
• Particulares,
• Estado.
• Autogestão:
• O capital é propriedade dos trabalhadores.
Departamentos inerentes à empresa
Administração
Departamento
Técnico
Departamento
Financeiro
Contabilidade
Tesouraria
Direção
Comercial
Departamento
Comercial
Caracterização
• As funções do departamento financeiro de uma
empresa incluem:
• gestão do dinheiro,
• gestão de investimentos,
• gestão do risco financeiro,
• relações com os investidores.
Departamento
financeiro
caracterização
• Controlo de atividades dos vendedores.
• Definição dos territórios dos vendedores.
• Levantamento de necessidades dos clientes.
• Elaboração de proposta.
• Propor a reposição de stocks.
Departamento
comercial
ELEMENTOS DE GESTÃO
IMPORTANTES
• Balanço Patrimonial.
• Demonstração do Resultado do Exercício.
• Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos:
• Na utilização do Disponível,
• No recebimento do Contas a Receber,
• Na captação de Empréstimos ou Financiamentos,
• No reinvestimento dos Lucros,
• No aumento do Capital pelos Sócios ou Acionistas.
Contabilidade
ELEMENTOS DE GESTÃO
IMPORTANTES
• As aplicações dos recursos são os investimentos realizados
pela empresa para:
• Aumento dos Ativos,
• Redução dos Passivos,
• Aumentar do Património Líquido.
Contabilidade
Tipos de Risco
CONSERVADOR
• O cliente conservador tem a segurança como ponto
decisivo para as suas aplicações. Embora você possa ser
um investidor conservador, pode investir uma parte pequena
dos seus recursos em Renda Variável. Mantendo uma alta
percentagem em Renda Fixa, você não perde o essencial da
sua estratégia. Você também pode colocar 100% dos seus
investimentos em Renda Fixa. Este tipo de estratégia
também pode ser usada para investimentos de curto prazo,
nos quais você não pode arriscar o seu património.
DINÂMICO
• É aquele investidor que busca a boa rentabilidade que a
Renda Variável pode oferecer a médio e longo prazo e
que tem disposição para suportar os riscos na busca de
resultados melhores.
• Mesmo as estratégias mais agressivas apresentam uma boa
fatia de investimento em Renda Fixa para proteção do
património. Se você investe 100% dos seus recursos em
Renda Variável, podem ocorrer grandes perdas nos seus
investimentos.
MODERADO
• O investidor que prefere a segurança da Renda Fixa, mas
também quer participar na rentabilidade da Renda Variável.
Para esse investidor,, a segurança é importante, mas
também quer retornos acima da média. Um risco médio é
aceitável.
• Nestas estratégias, a maior parte dos recursos é aplicada em
Fundos de Investimento com risco mínimo ou moderado,
como Fundos de Renda Fixa e Fundos Balanceados.
• Você também pode diversificar os seus investimentos
aplicando uma parcela em Fundos de Renda Variável.
Riscos considerados críticos
(% de empresas)
• 61% Evolução dos mercados financeiros
• 57% Restrições de liquidez e crédito
• 57% Recessão económica prolongada
• 35% Evolução da regulamentação e
legislação
Riscos considerados críticos
(% de empresas)
• 26% Evolução da concorrência
• 26% Qualidade e segurança dos produtos e
serviços
• 26% Instabilidade política
• 22% Margens de negócio
• 22% Evolução da procura
• 17% Segurança das infraestruturas e equipamentos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
José Marques Pereira Junior
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
Milton Henrique do Couto Neto
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
Celso Alfaia Barbosa
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Professora Patricia Lima
 
Tipos de empresas
Tipos de empresasTipos de empresas
Tipos de empresas
Murtinheira1964
 
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - EmpreendedorismoEmpreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Milton Henrique do Couto Neto
 
Classificacao das Empresas
Classificacao das EmpresasClassificacao das Empresas
Classificacao das Empresas
Nyedson Barbosa
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
Letícia Vilela de Aquino
 
Tipos de organização
Tipos de organizaçãoTipos de organização
Tipos de organização
Robson Costa
 
Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e Seleção
Caroline Ricci
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
Ricardo F. Nantes
 
Aula 1 - Gestão de Pessoal
Aula 1   - Gestão de PessoalAula 1   - Gestão de Pessoal
Aula 1 - Gestão de Pessoal
Rafael Gonçalves
 
Etapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo SeletivoEtapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo Seletivo
Wandick Rocha de Aquino
 
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por CompetênciasGestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
Marcos Alves
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
Patrícia Cruz Rodrigues Marion
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
alemartins10
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Rui Loureiro
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
Maiquel Santos
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Prof. Leonardo Rocha
 
Perfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorPerfil Empreendedor
Perfil Empreendedor
UEG
 

Mais procurados (20)

Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Gestão de Pessoas
 Gestão de Pessoas Gestão de Pessoas
Gestão de Pessoas
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Tipos de empresas
Tipos de empresasTipos de empresas
Tipos de empresas
 
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - EmpreendedorismoEmpreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
 
Classificacao das Empresas
Classificacao das EmpresasClassificacao das Empresas
Classificacao das Empresas
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
Tipos de organização
Tipos de organizaçãoTipos de organização
Tipos de organização
 
Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e Seleção
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Aula 1 - Gestão de Pessoal
Aula 1   - Gestão de PessoalAula 1   - Gestão de Pessoal
Aula 1 - Gestão de Pessoal
 
Etapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo SeletivoEtapas do Processo Seletivo
Etapas do Processo Seletivo
 
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por CompetênciasGestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
Gestão de Pessoas - Contexto atual e Gestão por Competências
 
Introdução à Economia
Introdução à EconomiaIntrodução à Economia
Introdução à Economia
 
Fundamentos da Administração
Fundamentos da AdministraçãoFundamentos da Administração
Fundamentos da Administração
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
Aula 5  - Teoria das Relações HumanasAula 5  - Teoria das Relações Humanas
Aula 5 - Teoria das Relações Humanas
 
Perfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorPerfil Empreendedor
Perfil Empreendedor
 

Destaque

Tipologias de Empresas
Tipologias de EmpresasTipologias de Empresas
Tipologias de Empresas
Ines Soares
 
Tipologias de empresas comercias (3)
Tipologias de empresas comercias (3)Tipologias de empresas comercias (3)
Tipologias de empresas comercias (3)
soraiafilipa17
 
Tipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciaisTipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciais
tiaguinho1
 
Tipologia de empresas
Tipologia de empresasTipologia de empresas
Tipologia de empresas
Gabriel Carmona FeFighter
 
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
Edgar Varela Gonçalves
 
Tipologias de empresas Comercias
Tipologias de empresas ComerciasTipologias de empresas Comercias
Tipologias de empresas Comercias
joaninha09
 
Tipologias Lógicas
Tipologias LógicasTipologias Lógicas
Tipologias Lógicas
Kaska Lucas
 
Tipologias lógicas
Tipologias lógicas Tipologias lógicas
Tipologias lógicas
Bananazul
 
marcas y modelos de router
marcas y modelos de routermarcas y modelos de router
marcas y modelos de router
Karen Argueta
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalho
Patricia Silva
 
Trabalho de icc topologias
Trabalho de icc topologiasTrabalho de icc topologias
Trabalho de icc topologias
marcomonteiropt
 
Tipologias lógicas icc trabalho . . ..
Tipologias lógicas    icc trabalho . . ..Tipologias lógicas    icc trabalho . . ..
Tipologias lógicas icc trabalho . . ..
Leandro Silva
 
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresasAspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Marcio Hilgemberg
 
Sebenta de Direito Comercial Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos (F...
Sebenta de Direito Comercial  Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos  (F...Sebenta de Direito Comercial  Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos  (F...
Sebenta de Direito Comercial Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos (F...
A. Rui Teixeira Santos
 
51161222 tipologia-textual
51161222 tipologia-textual51161222 tipologia-textual
51161222 tipologia-textual
Éric Santos
 
Tipologia textual - descrição e narração
Tipologia textual - descrição e narraçãoTipologia textual - descrição e narração
Tipologia textual - descrição e narração
Gedalias .
 
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
A. Rui Teixeira Santos
 
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
A. Rui Teixeira Santos
 
Organizaçao do ponto de venda jp
Organizaçao do ponto de venda   jpOrganizaçao do ponto de venda   jp
Organizaçao do ponto de venda jp
Joao Silva
 
Ponto 6 tipologia textual
Ponto 6   tipologia  textualPonto 6   tipologia  textual
Ponto 6 tipologia textual
Guilherme Antony
 

Destaque (20)

Tipologias de Empresas
Tipologias de EmpresasTipologias de Empresas
Tipologias de Empresas
 
Tipologias de empresas comercias (3)
Tipologias de empresas comercias (3)Tipologias de empresas comercias (3)
Tipologias de empresas comercias (3)
 
Tipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciaisTipologias de empresas comerciais
Tipologias de empresas comerciais
 
Tipologia de empresas
Tipologia de empresasTipologia de empresas
Tipologia de empresas
 
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
Tipologiasdeempresascomerciais 120113101244-phpapp02
 
Tipologias de empresas Comercias
Tipologias de empresas ComerciasTipologias de empresas Comercias
Tipologias de empresas Comercias
 
Tipologias Lógicas
Tipologias LógicasTipologias Lógicas
Tipologias Lógicas
 
Tipologias lógicas
Tipologias lógicas Tipologias lógicas
Tipologias lógicas
 
marcas y modelos de router
marcas y modelos de routermarcas y modelos de router
marcas y modelos de router
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalho
 
Trabalho de icc topologias
Trabalho de icc topologiasTrabalho de icc topologias
Trabalho de icc topologias
 
Tipologias lógicas icc trabalho . . ..
Tipologias lógicas    icc trabalho . . ..Tipologias lógicas    icc trabalho . . ..
Tipologias lógicas icc trabalho . . ..
 
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresasAspectos jurídicos na abertura de empresas
Aspectos jurídicos na abertura de empresas
 
Sebenta de Direito Comercial Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos (F...
Sebenta de Direito Comercial  Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos  (F...Sebenta de Direito Comercial  Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos  (F...
Sebenta de Direito Comercial Professor Doutor A. Rui Teixeira dos Santos (F...
 
51161222 tipologia-textual
51161222 tipologia-textual51161222 tipologia-textual
51161222 tipologia-textual
 
Tipologia textual - descrição e narração
Tipologia textual - descrição e narraçãoTipologia textual - descrição e narração
Tipologia textual - descrição e narração
 
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
Resumo das aulas de Direito Comercial do Prof. Rui Teixeira Santos (Claudia G...
 
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
Direito Comercial - Apontamentos das aulas do Prof. Doutor Rui Teixeira Santo...
 
Organizaçao do ponto de venda jp
Organizaçao do ponto de venda   jpOrganizaçao do ponto de venda   jp
Organizaçao do ponto de venda jp
 
Ponto 6 tipologia textual
Ponto 6   tipologia  textualPonto 6   tipologia  textual
Ponto 6 tipologia textual
 

Semelhante a A empresa

a empresa.pptx
a empresa.pptxa empresa.pptx
a empresa.pptx
DuarteTeles5
 
Formas jurídicas de empresa
Formas jurídicas de empresaFormas jurídicas de empresa
Formas jurídicas de empresa
Vasco Andorinha
 
Critério jurídico amanda fonseca
Critério jurídico   amanda fonsecaCritério jurídico   amanda fonseca
Critério jurídico amanda fonseca
turmaec11a
 
Critérios de classificação das empresas rafia
Critérios de classificação das empresas   rafiaCritérios de classificação das empresas   rafia
Critérios de classificação das empresas rafia
turmaec11a
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
turmaec11a
 
O que é uma Sociedade por Quotas ?
O que é uma Sociedade por Quotas ?O que é uma Sociedade por Quotas ?
O que é uma Sociedade por Quotas ?
Catarina Simões
 
Segundo este critério silvania
Segundo este critério silvaniaSegundo este critério silvania
Segundo este critério silvania
turmaec11a
 
Tipos de sociedades
Tipos de sociedadesTipos de sociedades
Tipos de sociedades
rosangelafremes
 
Tipos de sociedades
Tipos de sociedadesTipos de sociedades
Tipos de sociedades
rosangelafremes
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
turmaec11a
 
Dicas formalize sua empresa
Dicas formalize sua empresaDicas formalize sua empresa
Dicas formalize sua empresa
apostilacontabil
 
Alvaro.pacc
Alvaro.paccAlvaro.pacc
Alvaro.pacc
turmaec11a
 
Alvaro.pacc
Alvaro.paccAlvaro.pacc
Alvaro.pacc
turmaec11a
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
turmaec11a
 
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startupPrincipais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
Associação Nacional de Jovens Empresários
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
turmaec11a
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
turmaec11a
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
turmaec11a
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
turmaec11a
 
Diferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresasDiferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresas
Arileia Araujo
 

Semelhante a A empresa (20)

a empresa.pptx
a empresa.pptxa empresa.pptx
a empresa.pptx
 
Formas jurídicas de empresa
Formas jurídicas de empresaFormas jurídicas de empresa
Formas jurídicas de empresa
 
Critério jurídico amanda fonseca
Critério jurídico   amanda fonsecaCritério jurídico   amanda fonseca
Critério jurídico amanda fonseca
 
Critérios de classificação das empresas rafia
Critérios de classificação das empresas   rafiaCritérios de classificação das empresas   rafia
Critérios de classificação das empresas rafia
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
 
O que é uma Sociedade por Quotas ?
O que é uma Sociedade por Quotas ?O que é uma Sociedade por Quotas ?
O que é uma Sociedade por Quotas ?
 
Segundo este critério silvania
Segundo este critério silvaniaSegundo este critério silvania
Segundo este critério silvania
 
Tipos de sociedades
Tipos de sociedadesTipos de sociedades
Tipos de sociedades
 
Tipos de sociedades
Tipos de sociedadesTipos de sociedades
Tipos de sociedades
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
 
Dicas formalize sua empresa
Dicas formalize sua empresaDicas formalize sua empresa
Dicas formalize sua empresa
 
Alvaro.pacc
Alvaro.paccAlvaro.pacc
Alvaro.pacc
 
Alvaro.pacc
Alvaro.paccAlvaro.pacc
Alvaro.pacc
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
 
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startupPrincipais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
Principais erros legais a evitar no lançamento de uma startup
 
Critérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresasCritérios de classificação das empresas
Critérios de classificação das empresas
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
 
Filipa .pacc
Filipa .paccFilipa .pacc
Filipa .pacc
 
Diferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresasDiferenças entre tipos de empresas
Diferenças entre tipos de empresas
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 

A empresa

  • 2. Conceito de Empresa • Uma empresa é uma unidade económico-social, constituída por elementos humanos, materiais e técnicos, que tem como objetivo obter utilidades através da sua participação no mercado de bens e serviços.
  • 3. Uma empresa • Pode ser económica ou social • Constituídas por: • Pessoas, • Materiais, • Técnicos. • Que tem o objetivo de produzir: • Bens, • Serviços.
  • 4. Classificadas pela atividade económica que produzem • Primária: • Recursos obtidos através da natureza: • Agrícolas, • Pesqueiras, • Pecuárias.
  • 5. Classificadas pela atividade económica que produzem • Secundária: • Transformação de matérias-primas: • Industriais. • Construção civil.
  • 6. Classificadas pela atividade económica que produzem • Terciária: • Prestação de serviços e de comércio.
  • 7. De acordo com a sua constituição jurídica • Empresas individuais: • Que pertencem a uma única pessoa.
  • 8. De acordo com a sua constituição jurídica • Sociedades: • Constituídas por várias pessoas: • Anónimas, • Responsabilidade limitada.
  • 9. O que é a responsabilidade? A responsabilidade perante terceiros tem como a solvabilidade da empresa e as a forma como o património do empresário responde, no caso de ser decretada a insolvência da empresa.
  • 10. Tipos de responsabilidade • Responsabilidade limitada Em situação de insolvência e se o património da empresa não for suficiente para o pagamento das dívidas. O património dos empresários fica salvaguardado.
  • 11. Tipos de responsabilidade • Responsabilidade Ilimitada Em situação de insolvência e se o património da empresa não for suficiente para o pagamento das dívidas. O património dos empresários não fica salvaguardado e responde perante essas dívidas.
  • 12. Tipos de responsabilidade • Empresário em Nome Individual: Esta forma jurídica tem as seguintes características: • titulada por um único indivíduo ou pessoa singular; • A firma, ou nome comercial, deverá ser constituída pelo nome civil completo ou abreviado do empresário individual e poderá incluir, ou não, uma expressão alusiva ao seu negócio ou à forma como pretende divulgar a sua empresa no meio empresarial;
  • 13. Empresário em Nome Individual: • Não há um montante mínimo obrigatório para o capital social; • Não existe separação entre o património pessoal e o património do negócio, pelo que os bens próprios do empreendedor estão afetos à exploração da atividade económica; • A responsabilidade é ilimitada, sendo que o empreendedor responde pelas dívidas contraídas no exercício da atividade com todos os bens que integram o seu património.
  • 14. Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada • É titulada por um único indivíduo ou pessoa singular; • A firma deve ser composta pelo nome civil, por extenso ou abreviado, do empreendedor. Este nome pode ser acrescido, ou não, da referência ao ramo de atividade, mais o aditamento obrigatório Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada ou E.I.R.L O capital social não pode ser inferior a € 5.000 e pode ser realizado em numerário, coisas ou direitos que possam ser alvo de penhora. Contudo, a parte em dinheiro não pode ser inferior a 2/3 do capital mínimo (n.º 1 e n.º 3 do art. 3.º do Decreto-Lei n.º 248/86, de 25 de agosto);
  • 15. Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada • Existe uma separação entre o património pessoal do empreendedor e o património afeto à empresa, pelo que os bens próprios do empreendedor não se encontram afetos à exploração da atividade económica; • Pelas dívidas resultantes da atividade económica respondem apenas os bens a ela afetos. Em caso de falência do empreendedor, e caso se prove que não decorria uma separação total dos bens, o falido responde com todo o seu património pelas dívidas contraídas.
  • 16. Sociedade Unipessoal por Quotas:  A sociedade unipessoal por quotas tem as seguintes características:  Tem um único sócio que pode ser uma pessoa singular ou coletiva;  O sócio é titular da totalidade do capital social;  A responsabilidade do sócio encontra-se limitada ao montante do capital social;  O capital social é livremente fixado no contrato de sociedade, exceto nos casos em que a Lei prevê o contrário; 
  • 17. Sociedade Unipessoal por Quotas:  O valor da quota pode ser variável, mas nunca inferior a € 1,00;  Apenas o património da sociedade responde perante credores pelas dívidas da sociedade;  A denominação da empresa deve obrigatoriamente conter a expressão “sociedade unipessoal” ou “unipessoal” seguida de “Limitada” ou “Lda”.
  • 18. Sociedade em Nome Coletivo:  Permite constituir um tipo de sociedade de responsabilidade ilimitada, em que os sócios respondem ilimitada e subsidiariamente em relação à sociedade e solidariamente entre si, perante os credores sociais. A sociedade em nome coletivo tem as seguintes características:  Tem um mínimo de dois sócios;  Admite sócios de indústria;  Não exige um montante mínimo obrigatório para o capital social;
  • 19. Sociedade em Nome Coletivo:  A responsabilidade dos sócios abrange o valor das suas entradas e os bens que integram o seu património pessoal;  Os sócios respondem subsidiariamente em relação à sociedade e solidariamente com os outros sócios no que respeita a credores;  Apesar de admitir contribuições de indústria, o seu valor não é considerado no capital social;  A denominação da empresa deve obrigatoriamente conter o nome, completo ou abreviado, o apelido ou a firma de todos, alguns ou, pelo menos, um dos sócios, seguido de "e Companhia", "Cia" ou outro nome que indicie a existência de mais sócios, como por exemplo “e Irmãos”.
  • 20. • Permite criar um tipo de sociedade adequado para quem pretende desenvolver uma atividade económica com duas ou mais pessoas singulares e/ou coletivas e em que o capital social da empresa esteja dividido por quotas. A sociedade por quotas tem as seguintes características: • Tem dois ou mais sócios que podem ser pessoas singulares ou coletivas; • Não admite contribuições de indústria; • A responsabilidade dos sócios encontra-se limitada ao capital social, exceto nos casos em que a Lei prevê o contrário; • O capital social pode ser fixado livremente pelos sócios, exceto em empresas reguladas por legislação especial;
  • 21. Sociedade por Quotas • O valor da quota pode ser variável, mas nunca inferior a € 1,00; • O contrato da sociedade deve mencionar o montante de cada quota e a identificação do respetivo titular; • Apenas o património da sociedade responde perante os credores pelas dívidas da sociedade; • A denominação da empresa deve conter a expressão “Limitada” ou "Lda".
  • 22. Sociedade Anónima • Permite constituir um tipo de sociedade em que o capital é dividido por títulos representativos facilmente transmissíveis (ações) e em que cada sócio limita a sua responsabilidade e participação ao valor das ações que subscreveu. A sociedade anónima tem as seguintes características: • Tem um mínimo de cinco sócios, designados por acionistas, que podem ser pessoas singulares ou coletivas; • Não admite contribuições de indústria; • Pode constituir-se com um único sócio desde que esse sócio seja uma sociedade;
  • 23. Sociedade Anónima • A responsabilidade dos sócios encontra-se limitada ao valor das ações por si subscritas; • O capital social não pode ser inferior a € 50.000,00 e está dividido em ações de igual valor nominal; • Apenas o património da sociedade responde perante credores pelas dívidas da sociedade; • A denominação da empresa deve obrigatoriamente conter a expressão “sociedade anónima” ou “SA”.
  • 24. Sociedade em Comandita • Sociedade na qual cada um dos sócios comanditários responde apenas pela sua entrada. • A firma da sociedade é formada pelo nome de um dos sócios, no mínimo, e pelo aditamento "Em Comandita" ou "Comandita por Ações"
  • 25. Empresas definidas com a respetiva titularidade do capital • Privadas: • Cujo capital está nas mãos de particulares. • Públicas: • Controladas pelo Estado.
  • 26. Empresas definidas com a respetiva titularidade do capital • Mistas: • O capital é partilhado por: • Particulares, • Estado. • Autogestão: • O capital é propriedade dos trabalhadores.
  • 27. Departamentos inerentes à empresa Administração Departamento Técnico Departamento Financeiro Contabilidade Tesouraria Direção Comercial Departamento Comercial
  • 28. Caracterização • As funções do departamento financeiro de uma empresa incluem: • gestão do dinheiro, • gestão de investimentos, • gestão do risco financeiro, • relações com os investidores. Departamento financeiro
  • 29. caracterização • Controlo de atividades dos vendedores. • Definição dos territórios dos vendedores. • Levantamento de necessidades dos clientes. • Elaboração de proposta. • Propor a reposição de stocks. Departamento comercial
  • 30. ELEMENTOS DE GESTÃO IMPORTANTES • Balanço Patrimonial. • Demonstração do Resultado do Exercício. • Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos: • Na utilização do Disponível, • No recebimento do Contas a Receber, • Na captação de Empréstimos ou Financiamentos, • No reinvestimento dos Lucros, • No aumento do Capital pelos Sócios ou Acionistas. Contabilidade
  • 31. ELEMENTOS DE GESTÃO IMPORTANTES • As aplicações dos recursos são os investimentos realizados pela empresa para: • Aumento dos Ativos, • Redução dos Passivos, • Aumentar do Património Líquido. Contabilidade
  • 33. CONSERVADOR • O cliente conservador tem a segurança como ponto decisivo para as suas aplicações. Embora você possa ser um investidor conservador, pode investir uma parte pequena dos seus recursos em Renda Variável. Mantendo uma alta percentagem em Renda Fixa, você não perde o essencial da sua estratégia. Você também pode colocar 100% dos seus investimentos em Renda Fixa. Este tipo de estratégia também pode ser usada para investimentos de curto prazo, nos quais você não pode arriscar o seu património.
  • 34. DINÂMICO • É aquele investidor que busca a boa rentabilidade que a Renda Variável pode oferecer a médio e longo prazo e que tem disposição para suportar os riscos na busca de resultados melhores. • Mesmo as estratégias mais agressivas apresentam uma boa fatia de investimento em Renda Fixa para proteção do património. Se você investe 100% dos seus recursos em Renda Variável, podem ocorrer grandes perdas nos seus investimentos.
  • 35. MODERADO • O investidor que prefere a segurança da Renda Fixa, mas também quer participar na rentabilidade da Renda Variável. Para esse investidor,, a segurança é importante, mas também quer retornos acima da média. Um risco médio é aceitável. • Nestas estratégias, a maior parte dos recursos é aplicada em Fundos de Investimento com risco mínimo ou moderado, como Fundos de Renda Fixa e Fundos Balanceados. • Você também pode diversificar os seus investimentos aplicando uma parcela em Fundos de Renda Variável.
  • 36. Riscos considerados críticos (% de empresas) • 61% Evolução dos mercados financeiros • 57% Restrições de liquidez e crédito • 57% Recessão económica prolongada • 35% Evolução da regulamentação e legislação
  • 37. Riscos considerados críticos (% de empresas) • 26% Evolução da concorrência • 26% Qualidade e segurança dos produtos e serviços • 26% Instabilidade política • 22% Margens de negócio • 22% Evolução da procura • 17% Segurança das infraestruturas e equipamentos