SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
INTERNET
                  E FAMÍLIA
           Um guia para ajudar as crianças

                  quando estão online




© World Association of Newspapers and News Publishers - 2010

 Associação Nacional de Jornais/Programa Jornal e Educação

                            2011
UMA PUBLICAÇÃO DA
Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA)

PATROCINADA POR
Norske Skog

TEXTO
Fraga

ILUSTRAÇÕES
Fraga

NOVO DESIGN

Diego Borges, Zero Hora (Brasil)
EDIÇÃO DE

Aralynn McMane, WAN-IFRA


AGRADECIMENTOS A

Roxana Morduchowicz, Ministério da Educação da Argentina, pelo texto original

CLARÍN, Argentina, pelo design original

Microsoft Dinamarca, por ‘BE A SH@RK ONLINE’,

Patricia Agatston, de www.cyberbullyhelp.com, pela informação sobre
cyberbullying

Lucas D’Amore do jornal CLARÍN, Argentina, pelo design original

Fly Design (Argentina), pela arte original



Os autores desejam expressar seu reconhecimento e gratidão às seguintes
organizações e publicações por suas ideias: OFCOM Report. Media Literacy. Londres,
2006; Parent Resource Center – iKeepSafe Coalition, 2008
(http://ikeepsafe.org/PRC/), Palo Alto Medical Foundation, Teen Safety on the Internet
(http://www.pamf.org/teen/life/risktaking/internet.html) y www.cyberbullyhelp.com.



Tradução: Cristiane Parente (Programa Jornal e Educação - ANJ) / Revisão: Aparecida Borelli
Conteúdos deste guia


                   Introdução



                    Internet



                O código familiar



    Usos da Internet - Buscando informacão



 Usos da Internet - Como saber que é verdade?



       Usos da Internet - “Copiar e colar”



Usos da Internet – Fóruns de chat e redes sociais



            Usos da Internet – Blogs



       Sites não desejados - Pornografia



        Sites não desejados – Pedofilia



                 Cyberbullying



       10 recomendações para os adultos
Introdução

Esta publicação visa a favorecer uma maior consciência e um melhor entendimento
da internet e do seu uso entre os mais jovens. As páginas a seguir mostram alguns
riscos associados ao uso das novas tecnologias e propõem algumas estratégias para
sua redução.

Falar dos perigos da internet para as crianças tornou-se um tema recorrente entre os
adultos. Tanto como em outras épocas se falava dos perigos da TV e, antes, dos
perigos do rádio e do cinema. Porém, é importante destacar que não queremos
demonizar a internet e as novas tecnologias.

Assim como acontece nos meios de comunicação tradicionais, não existe uma relação
linear de causa-efeito entre o que oferece a internet e o comportamento do usuário.
Dito de outro modo, os conteúdos da internet não determinam a maneira pela qual se
comportará quem navega por eles. Da mesma forma que um programa de televisão
não é a causa direta do modo como se comporta o telespectador quando termina de
ver o programa.

Os contextos pessoais, familiares e sociais são fundamentais na hora de pensar em
como um indivíduo – criança ou adulto - utiliza e se apropria de um meio de
comunicação.

A tecnologia – bem como os meios de comunicação – é de grande utilidade, mas, traz
consigo alguns riscos que as páginas seguintes querem ajudar a reduzir, oferecendo
aos adultos informações que os capacitem a orientar melhor as crianças e os jovens
sobre o uso da internet.



                               Expressões de apoio


“Hoje em dia, na era digital, a juventude do mundo está cada vez mais conectada à
internet para obter todo tipo de informação. Isso tem ampliado a demanda por
respostas educativas para ensinar a navegar com eficácia. O guia da Associação
Mundial de Jornais – WAN, Internet e Família, é ao mesmo tempo oportuno e
necessário. Todas as crianças do mundo poderão tirar proveito desta publicação. Este
guia é vital tanto para as famílias como para a sociedade civil no século XXI.”

   Paul Mihailidis - Diretor da Academy on Media & Global Change, de Salzburgo e
membro do Conselho da National Association for Media Literacy Education (NAMLE),
                                                                        dos EUA.

“Os jovens passam muitas horas por dia usando a Internet, daí a importância de os
pais saberem como orientar crianças e adolescentes quando navegam. Este guia
cumpre com essa necessidade. Agradecemos aos jornais que o tornam acessível a
todos.”

                     Juan Carlos Tedesco - Ministerio de la Educación, da Argentina.
"Este manual não procura assustar as pessoas a respeito dos perigos da internet. O
propósito é envolver pais e jovens de forma significativa na discussão sobre seu uso,
equipá-los com as ferramentas necessárias para tomar decisões críticas e ajudar as
famílias a desenvolver uma compreensão do impacto da internet em suas vidas."

Chido Onumah - Coordenador de “Youth Media & Communication Initiative”, na Nigéria
                                                                    e no Canadá.

"Internet e meios de comunicação digitais são parte da vida cotidiana dos jovens de
hoje. É essencial ajudá-los a entender e usar melhor essas ferramentas, a partir de
uma reflexão cuidadosa e de forma criativa. Iniciativas como este guia são recursos
valiosos para o êxito desse esforço."

Evelyne Bevort, Diretora Associada do CLEMI (Centre de Liaison de l'Enseignement et
            des Médias d'Information - Centro de Ligação do Ensino e dos Meios de
                                Comunicação, do Ministério da Educação da França)
Internet...

Cada usuário de internet é diferente, vive em um contexto particular e distinto, e
atravessa uma série de experiências que determinarão parcialmente o uso que faz das
novas tecnologías. É importante recordar o potencial positivo e a riqueza de conteúdo
que a internet oferece a seus usuários. Por isso, antes de abordar os riscos
associados à rede, destacam-se algumas de suas muitas vantagens.




• Possibilita uma comunicação com maior rapidez e fluidez.

• Coloca pessoas de distintos lugares em contato.

• Promove o intercâmbio multicultural entre seus usuários.

• Apresenta informação abundante e diversa.

• Facilita e amplia as possibilidades de investigação.

• Permite acessar instantaneamente a informação atual.

• Favorece uma interatividade maior entre o usuário e a tecnologia.

• Estimula a criatividade a partir da produção de blogs e páginas pessoais.

• Propicia a sociabilidade ao permitir chats e jogos entre usuários.

• Cria novos espaços de diálogo e intercâmbio entre adultos e crianças.



Sem deixar de lado a grande riqueza de conteúdos que a internet oferece e sua

utilidade na vida cotidiana, devemos tomar algumas medidas para evitar riscos e

aproveitar seu potencial. Uma dessas medidas é o uso conjunto da internet por

crianças e adultos.
O código familiar



Por mais que os adultos preferissem que as crianças não tivessem acesso a certos

conteúdos ou sites, que não compartilhassem informação ou entrassem em contato

com outras pessoas, dar um não muitas vezes não basta para frear sua curiosidade.



Um “código familiar” consensuado é a melhor maneira de incluir as crianças na

elaboração de uma série de regras sobre os usos da internet. Tê-las junto nessa

elaboração as ajudará a entender melhor a web e também a

sentirem-se mais responsáveis ao navegar. Ainda que não exista um código familiar

único, porque não existe família única, estas são algumas ideias que podem

resultar úteis para sua elaboração:



Antes de formular o código, assegure-se de…



   Colocar o computador em locais de uso comum (como salas, por exemplo), que
     permitem ver - a todo momento - o que fazem as crianças quando navegam. Não
     é bom colocá-lo em ambientes privados, como os quartos.

   Imprimir o código familiar e colá-lo perto do computador, para que
     recordem (as crianças e seus amigos, quando as visitarem) as condições de uso
     que elas mesmas ajudaram a construir.

   Entender que a melhor maneira de saber como as crianças usam a web é os
     adultos da casa também serem usuários de internet.

   Propor regras para três aspectos: formas de uso, segurança pessoal e
     o que fazer diante do inesperado e do não desejado.



Um exemplo de código familiar consensuado...

1. Ninguém está autorizado a mudar o lugar do computador. Ele deve estar sempre na
sala.

2. Ninguém está autorizado a visitar sites pornográficos, racistas ou que incitem o ódio
ao outro.

3. Não é permitido que ninguém cometa agressões ou faça ameaças por e-mail, chat
ou qualquer outra forma de comunicação na rede.

4. Ninguém está autorizado a visitar fóruns de chats privados que podem ser
inseguros. Antes de entrar em um novo fórum, deve-se conversar em familia.

5. Ninguém está autorizado a navegar durante mais de ….. hora(s) por vez (o número
de horas vai depender da idade das crianças).

6. Ninguém está autorizado a comprar objetos pela internet ou a assinar/ inscrever-se
em serviços que não sejam previamente conversados em familia.

7. Ninguém está autorizado a expor informação pessoal ou familiar (nome, idade,
sexo, endereço, telefone, etc.) em fóruns, chats, MSN ou e-mail.

8. Ninguém está autorizado a encontrar-se pessoalmente com “amigos” conhecidos
pela internet sem autorização e presença dos adultos.

9. Ninguém deve responder a um e-mail desconhecido, agressivo, não desejado ou a
um spam. Nesses casos, debe-se avisar sempre aos adultos.

10.Qualquer dúvida, inquietação, problema, angústia ou situação desagradável deverá
ser informada aos adultos da casa.
Usos da Internet

Buscando informação



A internet costuma ser uma das fontes mais consultadas pelos adolescentes quando

realizam um trabalho escolar. Há informação abundante, e as crianças sentem que

podem encontrar tudo de que necessitam na rede. Porém, as milhões de páginas da

web que estão diante delas para resolver suas dúvidas ou para que consigam a

informação que precisam podem dificultar sua busca.



Dispor de uma fonte quase ilimitada de informações não significa saber utilizá-la.

Aprender a buscar o que se necessita é um dos desafios mais importantes que a

internet nos coloca hoje. Vejamos, portanto, algumas recomendações para orientar as

crianças nessa busca:



• Eleger o buscador. Em primeiro lugar, é importante selecionar um buscador que

guiará as crianças até a informação de que necessitam. O mais popular é o Google,

mesmo sem ser o único capaz de resolver as dúvidas dos usuários.

Independentemente do buscador ter sido identificado ou não, os passos seguintes são

também fundamentais.



• Saber o que perguntar. Os buscadores realizam uma tarefa menos efetiva se o

usuário escreve só uma palavra e, sobretudo, se essa palavra é ambígua a respeito da

informação desejada. Definir a pergunta com clareza é a primeira condição para uma

busca exitosa da informação de que se precisa.



• Ser específico. É conveniente utilizar mais de uma palavra, para evitar vocábulos

isolados que podem ter vários significados. O buscador não sabe qual das opções é a

que se quer. A maior especificidade é condição essencial para a efetividade da busca.

Essa especificidade supõe, às vezes, introduzir uma frase (no lugar de uma palavra)
para deixar pouco espaço para a multiplicidade de significados. Se uma palavra ou

uma frase dão lugar a poucos ou a muitos resultados, será conveniente repensar a

pergunta.



• Definir o idioma. A busca pode realizar-se em páginas da web de diferentes

idiomas. Se as crianças querem só as páginas em português, devem assegurar-se – já

tendo definida a pergunta – de indicar ao buscador que só querem páginas em

português. Isso reduzirá os sites que serão apresentados e contribuirá para a

especificidade da demanda.



• Averiguar as prioridades. Quando o buscador resolve a busca, apresenta uma

quantidade de páginas da web nas quais a criança pode encontrar a informação de

que necessita. Esses sites têm uma ordem. Alguns ocupam os primeiros lugares, mas

isso não significa necessariamente que sejam os mais confiáveis. É conveniente que

os usuários averiguem porque essas páginas ocupam o primeiro lugar nas sugestões

do buscador. É por que pagam por isso? É por que são as que têm a maior quantidade

de “links”? É pelo número de visitas que o site recebe? A resposta a essas questões

também ajudará num melhor resultado da busca.



• Usar mais de um buscador. Uma das maneiras mais efetivas para uma busca

confiável é consultar mais de um servidor e mais de uma página da web. Essa é a

melhor garantia de variedade e pluralidade.
Usos da Internet

Como saber que é verdade?



A maioria das crianças que usa a internet mostra uma elevada credibilidade à sua

informação. Elas buscam dados, fazem tarefa e formulam perguntas cujas respostas

anotam, sem analisar a fonte da qual recebem a informação.



É importante que as crianças aprendam que, assim como não se pede conselho a

alguém em quem não se pode confiar na vida real, o mesmo acontece com a rede.

É conveniente saber quem é que na rede responde às perguntas das crianças.



Não é nada fácil saber se o que lemos na internet é confiável. Mas há muito que

podemos fazer para verificar essa questão:



• Utilizar mais de uma fonte de informação. Não só comparando livros, jornais, revistas

especializadas e a internet, mas também, diferentes sites da web. Se um site contradiz

outro, saberemos que ao menos um deles está equivocado.

• Diferenciar fatos de opiniões. Se o site apresenta opiniões, buscar outras maneiras

(outras páginas da web ou outras fontes) para explorar os fatos que possam respaldar

ou não essas opiniões.

• Analisar quanto o site investigou antes de oferecer a informação e o quanto foi

investigado, analisado pelo pesquisador (criança ou adulto) antes de satisfazer-se com

a informação obtida. Além disso, monitorar o site para ver de quanto em quanto tempo

ele é atualizado.

• Comprovar os “links” do site. Quando as crianças navegam na internet vão de uma

página a outra via “links”. Saber quais são os “links” vinculados ao site é um

bom indicador para avaliar a credibilidade dessa página. Averiguar que outros sites

recomendam e a que outros sites remetem é útil para conhecer a seriedade da

informação que oferecem.
• Pensar nas organizações, entidades e instituições da vida cotidiana que são

confiáveis quando dão informação e buscar suas páginas na web. Se podemos

acreditar nelas no mundo real, é possível que também possamos confiar no que dizem

pela internet. Por exemplo, as notícias publicadas nas páginas da web de jornais

são previamente revisadas por um jornalista profissional.
Jornais online: uma boa opção para começar



Quem quer que esteja buscando informações atuais fará bem começando pela visita
às páginas da web dos jornais, visto que a maioria dos conteúdos que elas
apresentam foi escrita por repórteres que trabalham para eles.

São jornalistas profissionais, qualificados para desempenhar essa função, que sabem
como comunicar e descrever os fatos, assim como comparar e contrastar informações
e fontes, além de saber quais fontes são as mais confiáveis e fidedignas. Os sites de
jornais nos oferecem, geralmente, toda a cobertura exaustiva sobre um fato, não só a
informação resumida que aparece em outras páginas.

Os jornais mesmos endossam sua informação online, como fazem diariamente com a
edição impressa, garantindo sua confiabilidade. Mas também existem outras
organizações informativas profissionais, como as entidades televisivas, que são
igualmente dignas de confiança.
Usos da Internet

“Copiar e colar”



Duas palavras parecem figurar entre as mais populares da web quando as crianças

fazem a tarefa para a escola: “copiar e colar”. Com frequência encontram textos em

um site e os copiam e colam em seus próprios trabalhos escolares.



Muitas crianças acreditam que tudo que está na internet pode ser copiado e utilizado

literalmente e sem referência. É necessário explicar a elas o que significa o conceito

de plágio – tomar ideias de outro e fazê-las passar como próprias – logo que começam

a fazer investigações/pesquisas para a escola.



O sistema mais comum entre elas é o “copiar e colar”: o aluno extrai um

documento de um site e o copia textualmente em seu próprio trabalho escolar, sem

referência nem menção do autor ou da fonte. Isso faz crer que os alunos foram os

criadores desse texto. O problema não é somente o plágio, mas suas consequências

para a promoção do pensamento crítico dos estudantes. A habilidade para refletir

criticamente sobre um texto diminui se ele é copiado e colado textualmente.



Como podemos explicar isso às crianças?



• É valioso e correto utilizar as fontes que nos a internet nos oferece, sempre e quando

as citamos, mencionamos quais são e de onde obtivemos as informações.

• É importante estimular que as crianças reescrevam com suas próprias palavras a

informação que encontraram na web, ao invés de copiá-la tal qual está. Nesse caso,

também é importante que no final citem as páginas e os sites que as ajudaram.

• É conveniente que as crianças leiam e releiam várias vezes a informação da internet

antes de utilizá-la, para verificar sua seriedade.

• É importante que os adultos da casa participem da pesquisa com as crianças e as
ajudem na busca da informação em diferentes sites.

• O mais valioso nessa busca é ensinar às crianças como avaliar os sites, que

perguntas devem ser formuladas diante do texto e de que maneira analisar sua

procedência.

• É bom que os adultos recomendem às crianças sites de instituições sérias, cuja

qualidade da informação é indiscutível.

• É importante lembrar às crianças que, para um profesor, é fácil comprovar a cópia,

porque muitos alunos recorrem ao mesmo site e seus trabalhos terminam sendo

idênticos.

• Usar várias fontes, analisá-las, citá-las e reescrever a informação com suas próprias

palavras é sempre a melhor opção.
Usos da Internet

Salas de chat e redes sociais

As salas de chat são espaços digitais onde as pessoas podem, sem se conhecer
pessoalmente, interagir, trocar ideias e conversar. Os servidores de chat contam com
temas específicos, entre os quais os especialmente concebidos para jovens e
adolescentes.

Uma rede social oferece mais vantagens ao usuário: uma página da web pessoal com
seu perfil, com distintos níveis de acesso à informação oferecida e maior interatividade
entre um grupo definido de contatos, aos quais comumente chamamos “amigos”. O
termo “amigo” tem nas redes sociais um significado distinto do que existe na vida real,
sendo qualquer um que tenha sido convidado a visitar uma página da web pessoal,
mediante um convite do usuário proprietário do site.

Em ambos os casos, porém, pode haver participantes que mintam sobre sua idade e
sejam de fato adultos mal intencionados que representam uma ameaça para os jovens
que participam do grupo. Em geral, esse tipo de pessoa acaba confessando que
mentiu em relação à sua idade, o que deveria fazer com que as crianças percebessem
que estão tratando com adultos e, por conseguinte, interrompessem toda a
comunicação. As salas de chat não deveriam ser um lugar para estabelecer relações
com estranhos que nem sempre são o que dizem ser.

Seguem algumas recomendações para usar ativamente e com toda segurança uma
sala de chat:

    Os pais devem lembrar a seus filhos que não devem fornecer nenhuma
      informação privada; como endereços, números de telefone ou fotos.
    Os pais devem conversar com seus filhos sobre as salas de chat e redes
      sociais de que eles gostam.
    As crianças e os adolescentes deveriam participar de salas de chat e redes
      sociais correspondentes à sua idade.
    Os participantes devem cortar toda comunicação com qualquer pessoa do
      grupo de chat que faça comentários inadequados ou revele que mentiu a
      respeito de qualquer tema.
    As crianças e os adolescentes deveriam usar as salas de chat só para falar
      com amigos reais de suas vidas e com a família.


As redes sociais são amplamente utilizadas pelos jovens. Apesar de algumas redes
serem reservadas a usuários maiores de idade, quem indica a idade que possui é o
próprio usuário, e estudos realizados em vários países revelam que muitos
adolescentes e jovens com idades menores que a permitida frequentam assiduamente
essas redes. Facebook, Habbo, MySpace e Twitter estão entre as redes internacionais
mais populares.

- Facebook (www.facebook.com). Criada em 2004 por estudantes da Universidade de
Harvard, Estados Unidos, Facebook opera em mais de 60 idiomas e é, hoje em dia,
uma das maiores redes do mundo que permite contactar e comunicar-se com novos e
antigos amigos. Os usuários publicam informação pessoal e profissional, postam
fotografias, compartilham música e vídeos, e formam grupos baseados em intereses
comuns. Seus membros devem ter, no mínimo, 13 anos.

- Habbo, antes Habbo Hotel (www.habbo.com) é um entorno virtual que estimula os
jovens a criarem avatares pessoais, com habitações virtuais (privadas) e habitações
públicas onde todos podem “chatear”. Os usuários podem mobiliar virtualmente seus
ambientes empregando para isso os Habbo Créditos, adquiridos com dinheiro real, ou
adotar um animal de estimação. A rede foi criada na Finlândia, em 2000, e desde o
início mostrou um cuidado especial para garantir a segurança online com uma
moderação ativa, a educação dos usuários e o filtro automático de linguagem, com o
chamado Filtro Bobba, que substitui todo tipo de palavras ofensivas pela palavra
“bobba”. Disponível em 11 idiomas, seu uso se estende a mais de 30 países com
membros de idades compreendidas entre 11 e 16 anos.

- MySpace (www.MySpace.com) foi definida originalmente como uma rede social.
Desde seu lançamento, em 2003, foi ganhando popularidade ao permitir a grupos de
música criar seus próprios perfis, convertendo-se com isso em uma plataforma para
sua promoção. Os usuários dessa rede podem carregar e difundir música de forma
legal. Existente em uma dúzia de idiomas e países, seus membros devem ter 13 anos,
no mínimo.

- Twitter (www.twitter.com) veio à luz em 2006. Essa rede permite a seus usuários
enviar breves mensagens de texto com, no máximo, 140 caracteres, no modo SMS,
conhecidas como “tweets”. Segundo dados estatísticos, diariamente se transmitem
mais de 3 milhões de tweets.
Usos da Internet

Blogs



Os blogs são uma espécie de diário online nos quais as crianças, os adolescentes e
os adultos podem escrever sobre muitos temas. Porém, não são privados e, na
maioria dos casos, qualquer um pode acessá-los. Os blogs podem ser também uma
maneira de conectar-se com pessoas com quem se compartilha interesses comuns,
de colocar-se em dia com a vida dos amigos ou de obter informação sobre outros
lugares e culturas. Ao mesmo tempo, podem constituir-se um perigo para os jovens
que os usam como diários íntimos ou que entram por acaso em um blog com conteúdo
inapropriado.

Seguem algumas coisas que precisamos saber sobre os blogs:

    É conveniente usar sites da web que qualificam os blogs, seja filtrando os
      maus, seja assinalando os bons.
    Alguns bloggers indicam seu nome completo, sua escola, seu endereço e/ou
      número de telefone. Isso não deve ser feito. É perigoso, porque uma pessoa
      com más intenções pode muito facilmente localizar uma criança.
    Os usuários devem usar fotos em blogs com precaução, pois outros podem
      torná-las públicas ou usá-las de maneira imprópria.
    Alguns blogs têm sistemas de segurança ou de privacidade. Os usuários
      devem ativá-los para manter sua informação pessoal em um âmbito mais
      privado. Por exemplo, os perfis deveriam ser visíveis unicamente para os
      amigos.
    Comunique-se regularmente com seus filhos a respeito dos blogs dos quais
      participam. Uma comunicação assídua diminuirá o temor que os jovens têm de
      que os pais os obriguem a retirar-se de um blog se souberem de sua
      participação.
    Os pais podem criar seus próprios blogs familiares e pedir aos filhos que os
      ajudem.
Sites não desejados

Pornografia



Quando as crianças usam a Internet, os sites para navegar são ilimitados e alguns

usos da web são arriscados ou não adequados para elas. Os sites pornográficos e a

pedofilia são dois exemplos de uso de internet não desejado.



A primeira medida que os adultos podem tomar é colocar filtros e bloqueadores em

relação a esses conteúdos. Também existem outras alternativas:



• Não autorizar as crianças a usar seu e-mail pessoal para inscrever-se em serviços,

publicações ou informações da Internet.

• Utilizar sempre um endereço eletrônico da família, ao qual os adultos tenham acesso.

• Construir um código familiar consensuado com as crianças, que explicite quais são

os conteúdos – entre eles os pornográficos - não autorizados.

• Buscar páginas da web nas quais adultos e crianças possam navegar juntos.

• Verificar com o servidor de iternet quais são as ofertas de filtros e bloqueadores

desses conteúdos que estão disponíveis.

• Não se limitar somente a falar dos sites na web. E-mails não desejados e spans

podem ser veículos de conteúdos pornográficos não desejados também.

• Explicar às crianças a necessidade de apagá-los antes de lê-los. Nunca os

responder.

• Ensinar às crianças que, diante de qualquer e-mail ou site que as faça sentir-se mal

ou incomodadas, devem contar aos adultos da casa, que sempre as ajudarão a

resolver o problema e a sentirem-se melhor.
Sites não desejados

Pedofilia



• A principal preocupação dos adultos – em relação à pedofilia - costuma ser a respeito

 dos fóruns de chat. É conveniente explicar às crianças que nem todos os fóruns são

 seguros e enfatizar a necessidade de compartilhar com os adultos quais são os que

 elegeram para “chatear”.

• Averiguar com o servidor as formas de bloquear o acesso a fóruns de chat não

 seguros para crianças.

• Solicitar ao servidor recomendações sobre fóruns apropriados para os mais jovens.

• Não autorizar as crianças a dar informações pessoais pela internet. Se já o fizeram,

 explicar a elas porque não devem fazê-lo nunca mais e monitorar a informação

 que foi passada adiante.

• Perguntar e interessar-se pelos amigos “da rede”, tanto quanto pelos reais. É

 conveniente que os adultos conheçam quem são e saibam com quem seus filhos

 conversam em chats.

• Explicar às crianças que os amigos de internet são desconhecidos no mundo real. Se

 as crianças querem encontrar-se pessoalmente com eles, devem ir sempre

 acompanhadas de um adulto.

    Ensinar às crianças que, diante de qualquer e-mail ou site que as faça sentir-se

mal ou incomodadas, devem contar aos adultos da casa, que sempre as

ajudarão a resolver o problema e a sentirem-se melhor.
Cyberbullying

O que é Cyberbullying?



O cyberbullying, termo em inglês ainda não traduzido para o português, é o uso da
internet e de dispositivos de comunicação eletrônica para enviar ou difundir
mensagens difamatórias, imagens, vídeos ou outros conteúdos para importunar,
perseguir um indivíduo ou grupo.

O cyberbullying pode acontecer de várias maneiras, como, por exemplo, enviando-se
comentários ou imagens embaraçosas a um chat ou a sites, redes sociais, portais
online de jogos, celulares, correios eletrônicos, entre outras formas. Com frequência é
difícil ou simplesmente impossível determinar a identidade do importunador.

Por que é perigoso?

O cyberbullying é uma forma emocional de agressão que provoca sentimentos de
medo, isolamento e humilhação nas vítimas. Os resultados de investigações que
aconteceram na última década constatam que o bullying pode afetar seriamente a
saúde mental e física das pessoas, e seu desenvolvimento intelectual.

Prevenção

Os pais devem tratar o tema cyberbullying com seus filhos em discussões regulares
sobre a segurança da internet e o uso apropriado das novas tecnologias.

Alguns conselhos:

    Explicar às crianças e aos adolescentes que a internet tem um grande
      potencial e pode ser muito útil em nossas vidas, mas que seu objetivo nunca
      deve ser ferir os outros.
    Deixar claro, nas conversas com os filhos sobre o uso da internet e do código
      familiar, que utilizar internet ou celular para comprometer alguém ou ferir seus
      sentimentos é contrário aos princípios e valores da familia.
    Ensinar aos menores como atuar diante desses casos de bullying online em
      função de sua gravidade:
       1. Se é pequeno, ignorar, eliminar ou bloquear o acesso à pessoa que o
           envia;
       2. Se é mais sério ou invasivo, informar aos administradores do site (no caso
           de se tratar de uma rede social) ou remeter a mensagem à direção da
           escola (se a mensagem é de outro aluno);
       3. Em qualquer caso, deve-se consultar um adulto da casa.
    Estimular as crianças a denunciar os casos de cyberbullying dos quais sejam
      testemunhas.


(Conselhos do guia “Cyber Bullying Quick Reference Guide for Parents”, de
Patti Agatston. Para mais informação, acesse: www.cyberbullyhelp.com.)
10 Recomendações para os adultos



1. Navegar juntos na internet. Tal como acontece com outros meios de

comunicação, a melhor maneira de os adultos conhecerem o uso que as crianças

fazem da internet, é navegar junto com elas pela web. Isso permite compreender o

que fazem quando navegam, conhecer seus sites preferidos e a forma como usam a

internet. A chave dessa navegação compartilhada é, como sempre, o diálogo.


2. Construir juntos o “Código Familiar Internet”. Promover a discussão com as

crianças, para escreverem juntos um código familiar sobre a utilização da internet: o

tempo de uso por dia, os conteúdos, os sites que podem visitar, as regras para uso de

chats, etc.



3. Estimular as crianças para que contem o que as incomoda. Às vezes, e sem

querer, as crianças encontram na internet sites que podem incomodá-las. É

conveniente explicar a elas que não há por que guardar uma mensagem ou página da

web que as faz sentir-se mal. É bom que saibam que sempre se sentirão

melhor ao compartilhar essa informação com a família.



4. Manter o computador numa sala compartilhada. Quando as crianças

usam o computador sozinhas em seus quartos, a capacidade dos adultos em

compartilhar os conteúdos com elas diminui. É conveniente colocar o computador

numa sala (de estar ou jantar).



5. Manter o computador portátil também na sala. Algumas casas contam com

computadores portáteis (netbooks, notebooks, etc.). Nesses casos, também é

importante que esses equipamentos ocupem um lugar na sala. Sua mudança para o

quarto das crianças, para um uso solitário, obstrui a comunicação.
6. Explicar às crianças que não devem dar dados pessoais. Muitas

crianças disponibilizam dados pessoais pela internet não só a “amigos” novos,

mas para receber a informação que as interessa. É conveniente deixar claro que,

em nenhum caso, mandem dados sobre elas. E que, mesmo se quiserem subscrever-

se em alguna página ou site, é melhor criar um e-mail da família para receber a

informação ou a mensagem.



7. Utilizar mais de uma página da web na tarefa escolar. A internet é uma das

fontes que as crianças costumam usar para a tarefa da escola. Porém, é importante

explicar a elas o valor de recorrer sempre a mais de um site, de buscar informação em

páginas com pontos de vista diferentes e sempre citar as fontes utilizadas.



8. Monitorar o chat. Crianças e adolescentes gostam de “chatear”. Esse é um dos

principais usos que fazem da web. É importante saber que os fóruns de chat que

utilizam são seguros, e é bom, como adultos, poder participar deles, se necessário. É

conveniente que o adulto conheça os amigos com os quais as crianças costumam

“chatear”.



9. Contactar o servidor. É importante checar com o servidor quais são os

mecanismos que oferece para proteger as crianças menores quando usam a

internet. É bom contactá-lo e pedir a instalação desses mecanismos.



10. Utilizar filtros. Ainda que o diálogo, a comunicação e o consenso

sejam ferramentas muito importantes para conhecer o uso que as crianças fazem

da internet, os filtros ou outros sistemas de proteção também são válidos. É

conveniente averiguar as melhores opções – além das que o servidor oferece –

que podem ser utilizadas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem alanadatsch
 
Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem alanadatsch
 
Jovens e mídia paloma cristina
Jovens e mídia   paloma cristinaJovens e mídia   paloma cristina
Jovens e mídia paloma cristinaRedeci Uftm
 
Interesses dos Jovens na Internet
Interesses dos Jovens na InternetInteresses dos Jovens na Internet
Interesses dos Jovens na InternetFilipa Ferreira
 
Território Selvagem
Território SelvagemTerritório Selvagem
Território Selvagemmaxmilliano
 
Guia de segurança On line
Guia de segurança On lineGuia de segurança On line
Guia de segurança On lineTharas On Line
 
Boas+PráTicas+Legais+No
Boas+PráTicas+Legais+NoBoas+PráTicas+Legais+No
Boas+PráTicas+Legais+NoLuís Lima
 
Internet segura
Internet seguraInternet segura
Internet segurajulia811
 
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PT
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PTO5 - Cyberbullying guide - Short version - PT
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PTInterMediaKT
 
Atualidades 1 - 9º ano
Atualidades 1 - 9º anoAtualidades 1 - 9º ano
Atualidades 1 - 9º anoTaisly Mazza
 
Vanessa ativ 2.2 - REDES
Vanessa  ativ 2.2 - REDESVanessa  ativ 2.2 - REDES
Vanessa ativ 2.2 - REDESVanessa Machado
 
Guia Uso Seguro - Tecnologias
Guia Uso Seguro - TecnologiasGuia Uso Seguro - Tecnologias
Guia Uso Seguro - TecnologiasAna Paula Silva
 

Mais procurados (17)

Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem
 
Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem Projeto Integrado de Aprendizagem
Projeto Integrado de Aprendizagem
 
Jovens e mídia paloma cristina
Jovens e mídia   paloma cristinaJovens e mídia   paloma cristina
Jovens e mídia paloma cristina
 
Interesses dos Jovens na Internet
Interesses dos Jovens na InternetInteresses dos Jovens na Internet
Interesses dos Jovens na Internet
 
Território Selvagem
Território SelvagemTerritório Selvagem
Território Selvagem
 
Avg ebook
Avg ebookAvg ebook
Avg ebook
 
Guia de segurança On line
Guia de segurança On lineGuia de segurança On line
Guia de segurança On line
 
Boas+PráTicas+Legais+No
Boas+PráTicas+Legais+NoBoas+PráTicas+Legais+No
Boas+PráTicas+Legais+No
 
Dicas redes sociais
Dicas redes sociaisDicas redes sociais
Dicas redes sociais
 
Internet segura
Internet seguraInternet segura
Internet segura
 
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PT
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PTO5 - Cyberbullying guide - Short version - PT
O5 - Cyberbullying guide - Short version - PT
 
Atualidades 1 - 9º ano
Atualidades 1 - 9º anoAtualidades 1 - 9º ano
Atualidades 1 - 9º ano
 
Vanessa ativ 2.2 - REDES
Vanessa  ativ 2.2 - REDESVanessa  ativ 2.2 - REDES
Vanessa ativ 2.2 - REDES
 
AFT GI Oficina
AFT GI OficinaAFT GI Oficina
AFT GI Oficina
 
Guia Uso Seguro - Tecnologias
Guia Uso Seguro - TecnologiasGuia Uso Seguro - Tecnologias
Guia Uso Seguro - Tecnologias
 
Geração Y
Geração YGeração Y
Geração Y
 
43 878
43 87843 878
43 878
 

Destaque

Qual o papel da mãe na família cristã
Qual o papel da mãe na família cristãQual o papel da mãe na família cristã
Qual o papel da mãe na família cristãRosângela Oliveira
 
Palestra sobre o papel de cada um na familia
Palestra sobre o papel de cada um na familiaPalestra sobre o papel de cada um na familia
Palestra sobre o papel de cada um na familiaMilas Aldrin Alves
 
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!Rosângela Oliveira
 
Pais x filhos. educação sábia para os dias atuais.
Pais  x filhos. educação sábia para os dias atuais.Pais  x filhos. educação sábia para os dias atuais.
Pais x filhos. educação sábia para os dias atuais.Seduc MT
 
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhos
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhosFortalecendo o relacionamento entre pais e filhos
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhosVilmar Nascimento
 
A mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênçãoA mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênçãoVilmar Nascimento
 
นำเสนอSlideshare2
นำเสนอSlideshare2นำเสนอSlideshare2
นำเสนอSlideshare2edukuslide
 
Art nouveau in italy
Art nouveau in italyArt nouveau in italy
Art nouveau in italyreflets
 
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambini
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambiniProgetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambini
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambiniElaborAZIONI.org
 
6th month dia
6th month dia6th month dia
6th month diaevcsike
 
Mostra cinema venezia 2011
Mostra cinema venezia 2011Mostra cinema venezia 2011
Mostra cinema venezia 2011film-al-cinema
 
כלי גוגל
כלי גוגלכלי גוגל
כלי גוגלnoemyp
 
Colecta Escuela San Ignacio
Colecta Escuela San IgnacioColecta Escuela San Ignacio
Colecta Escuela San IgnacioIM Textil
 

Destaque (20)

Qual o papel da mãe na família cristã
Qual o papel da mãe na família cristãQual o papel da mãe na família cristã
Qual o papel da mãe na família cristã
 
Palestra sobre o papel de cada um na familia
Palestra sobre o papel de cada um na familiaPalestra sobre o papel de cada um na familia
Palestra sobre o papel de cada um na familia
 
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
A MULHER SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS!
 
A mulher virtuosa
A mulher virtuosaA mulher virtuosa
A mulher virtuosa
 
Pais x filhos. educação sábia para os dias atuais.
Pais  x filhos. educação sábia para os dias atuais.Pais  x filhos. educação sábia para os dias atuais.
Pais x filhos. educação sábia para os dias atuais.
 
Dinâmica: Mulher sábia
  Dinâmica: Mulher sábia  Dinâmica: Mulher sábia
Dinâmica: Mulher sábia
 
Pais e filhos
Pais e filhosPais e filhos
Pais e filhos
 
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhos
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhosFortalecendo o relacionamento entre pais e filhos
Fortalecendo o relacionamento entre pais e filhos
 
A mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênçãoA mulher como instrumento de bênção
A mulher como instrumento de bênção
 
นำเสนอSlideshare2
นำเสนอSlideshare2นำเสนอSlideshare2
นำเสนอSlideshare2
 
Art nouveau in italy
Art nouveau in italyArt nouveau in italy
Art nouveau in italy
 
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambini
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambiniProgetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambini
Progetto "TxT - TEMPO PER TUTTI", presentazione bambini
 
6th month dia
6th month dia6th month dia
6th month dia
 
Mostra cinema venezia 2011
Mostra cinema venezia 2011Mostra cinema venezia 2011
Mostra cinema venezia 2011
 
บทที่๗
บทที่๗บทที่๗
บทที่๗
 
כלי גוגל
כלי גוגלכלי גוגל
כלי גוגל
 
Colecta Escuela San Ignacio
Colecta Escuela San IgnacioColecta Escuela San Ignacio
Colecta Escuela San Ignacio
 
San francesco nelle Marche
San francesco nelle MarcheSan francesco nelle Marche
San francesco nelle Marche
 
需求
需求需求
需求
 
Fotorubio
FotorubioFotorubio
Fotorubio
 

Semelhante a 2011 guia internet e família - wan

Internet Segura para pais
Internet Segura para paisInternet Segura para pais
Internet Segura para paisPoliastu
 
O que sabe sobre segurança infantil?
O que sabe sobre segurança infantil?O que sabe sobre segurança infantil?
O que sabe sobre segurança infantil?Mais Segurança
 
Protejendo contra a pedofilia[1]
Protejendo contra a pedofilia[1]Protejendo contra a pedofilia[1]
Protejendo contra a pedofilia[1]Alice Lirio
 
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturno
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturnoGrupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturno
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturnoIFPR - Campus Jacarezinho
 
Atividade 5 Perigo Na Rede
Atividade 5 Perigo Na RedeAtividade 5 Perigo Na Rede
Atividade 5 Perigo Na Redeabramo
 
O uso da tecnologia
O uso da tecnologiaO uso da tecnologia
O uso da tecnologiaFabiana Sá
 
Oficina de Internet eEvangelização
Oficina de Internet eEvangelizaçãoOficina de Internet eEvangelização
Oficina de Internet eEvangelizaçãopjest
 
Literacia mediatica - internet 1
Literacia mediatica -  internet 1Literacia mediatica -  internet 1
Literacia mediatica - internet 1Rui Ventura
 
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdf
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdfCAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdf
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdfGUSTAVO LUIS
 
Uso seguro e criativo da web
Uso seguro e criativo da webUso seguro e criativo da web
Uso seguro e criativo da webFátima Amorim
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOJILAN C. GERAL
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOJILAN C. GERAL
 
Ficha tic-dr4
Ficha tic-dr4Ficha tic-dr4
Ficha tic-dr4karlnf
 
Navegue com-seguranca
Navegue com-segurancaNavegue com-seguranca
Navegue com-segurancaEllaine Rocha
 
O bom uso da internet 4-06052012-pps
O bom uso da internet 4-06052012-ppsO bom uso da internet 4-06052012-pps
O bom uso da internet 4-06052012-ppsAlexandre Mendes
 
Segurança na internet!!! f2suporte
Segurança na internet!!! f2suporteSegurança na internet!!! f2suporte
Segurança na internet!!! f2suporteWlademir RS
 
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.com
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.comSecurytynet - http://f2suporte.blogspot.com
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.comWlademir RS
 
Cartilha Safernet - Internet Segura
Cartilha Safernet - Internet SeguraCartilha Safernet - Internet Segura
Cartilha Safernet - Internet Segurapepontocom
 

Semelhante a 2011 guia internet e família - wan (20)

Internet Segura para pais
Internet Segura para paisInternet Segura para pais
Internet Segura para pais
 
O que sabe sobre segurança infantil?
O que sabe sobre segurança infantil?O que sabe sobre segurança infantil?
O que sabe sobre segurança infantil?
 
Protejendo contra a pedofilia[1]
Protejendo contra a pedofilia[1]Protejendo contra a pedofilia[1]
Protejendo contra a pedofilia[1]
 
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturno
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturnoGrupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturno
Grupo O BOTECÃO, tecnico em informática / subsequente / 1° modulo / noturno
 
Atividade 5 Perigo Na Rede
Atividade 5 Perigo Na RedeAtividade 5 Perigo Na Rede
Atividade 5 Perigo Na Rede
 
O uso da tecnologia
O uso da tecnologiaO uso da tecnologia
O uso da tecnologia
 
Oficina de Internet eEvangelização
Oficina de Internet eEvangelizaçãoOficina de Internet eEvangelização
Oficina de Internet eEvangelização
 
Literacia mediatica - internet 1
Literacia mediatica -  internet 1Literacia mediatica -  internet 1
Literacia mediatica - internet 1
 
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdf
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdfCAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdf
CAP6-ESTUDO-JUVENTUDES-EM-3.pdf
 
Uso seguro e criativo da web
Uso seguro e criativo da webUso seguro e criativo da web
Uso seguro e criativo da web
 
08 11
08 1108 11
08 11
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
 
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADOTECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO MUNDO GLOBALIZADO
 
Ficha tic-dr4
Ficha tic-dr4Ficha tic-dr4
Ficha tic-dr4
 
Power Point De Tice
Power Point De TicePower Point De Tice
Power Point De Tice
 
Navegue com-seguranca
Navegue com-segurancaNavegue com-seguranca
Navegue com-seguranca
 
O bom uso da internet 4-06052012-pps
O bom uso da internet 4-06052012-ppsO bom uso da internet 4-06052012-pps
O bom uso da internet 4-06052012-pps
 
Segurança na internet!!! f2suporte
Segurança na internet!!! f2suporteSegurança na internet!!! f2suporte
Segurança na internet!!! f2suporte
 
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.com
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.comSecurytynet - http://f2suporte.blogspot.com
Securytynet - http://f2suporte.blogspot.com
 
Cartilha Safernet - Internet Segura
Cartilha Safernet - Internet SeguraCartilha Safernet - Internet Segura
Cartilha Safernet - Internet Segura
 

Último

VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 

Último (20)

VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 

2011 guia internet e família - wan

  • 1. INTERNET E FAMÍLIA Um guia para ajudar as crianças quando estão online © World Association of Newspapers and News Publishers - 2010 Associação Nacional de Jornais/Programa Jornal e Educação 2011
  • 2. UMA PUBLICAÇÃO DA Associação Mundial de Jornais e Editores de Notícias (WAN-IFRA) PATROCINADA POR Norske Skog TEXTO Fraga ILUSTRAÇÕES Fraga NOVO DESIGN Diego Borges, Zero Hora (Brasil) EDIÇÃO DE Aralynn McMane, WAN-IFRA AGRADECIMENTOS A Roxana Morduchowicz, Ministério da Educação da Argentina, pelo texto original CLARÍN, Argentina, pelo design original Microsoft Dinamarca, por ‘BE A SH@RK ONLINE’, Patricia Agatston, de www.cyberbullyhelp.com, pela informação sobre cyberbullying Lucas D’Amore do jornal CLARÍN, Argentina, pelo design original Fly Design (Argentina), pela arte original Os autores desejam expressar seu reconhecimento e gratidão às seguintes organizações e publicações por suas ideias: OFCOM Report. Media Literacy. Londres, 2006; Parent Resource Center – iKeepSafe Coalition, 2008 (http://ikeepsafe.org/PRC/), Palo Alto Medical Foundation, Teen Safety on the Internet (http://www.pamf.org/teen/life/risktaking/internet.html) y www.cyberbullyhelp.com. Tradução: Cristiane Parente (Programa Jornal e Educação - ANJ) / Revisão: Aparecida Borelli
  • 3. Conteúdos deste guia Introdução Internet O código familiar Usos da Internet - Buscando informacão Usos da Internet - Como saber que é verdade? Usos da Internet - “Copiar e colar” Usos da Internet – Fóruns de chat e redes sociais Usos da Internet – Blogs Sites não desejados - Pornografia Sites não desejados – Pedofilia Cyberbullying 10 recomendações para os adultos
  • 4. Introdução Esta publicação visa a favorecer uma maior consciência e um melhor entendimento da internet e do seu uso entre os mais jovens. As páginas a seguir mostram alguns riscos associados ao uso das novas tecnologias e propõem algumas estratégias para sua redução. Falar dos perigos da internet para as crianças tornou-se um tema recorrente entre os adultos. Tanto como em outras épocas se falava dos perigos da TV e, antes, dos perigos do rádio e do cinema. Porém, é importante destacar que não queremos demonizar a internet e as novas tecnologias. Assim como acontece nos meios de comunicação tradicionais, não existe uma relação linear de causa-efeito entre o que oferece a internet e o comportamento do usuário. Dito de outro modo, os conteúdos da internet não determinam a maneira pela qual se comportará quem navega por eles. Da mesma forma que um programa de televisão não é a causa direta do modo como se comporta o telespectador quando termina de ver o programa. Os contextos pessoais, familiares e sociais são fundamentais na hora de pensar em como um indivíduo – criança ou adulto - utiliza e se apropria de um meio de comunicação. A tecnologia – bem como os meios de comunicação – é de grande utilidade, mas, traz consigo alguns riscos que as páginas seguintes querem ajudar a reduzir, oferecendo aos adultos informações que os capacitem a orientar melhor as crianças e os jovens sobre o uso da internet. Expressões de apoio “Hoje em dia, na era digital, a juventude do mundo está cada vez mais conectada à internet para obter todo tipo de informação. Isso tem ampliado a demanda por respostas educativas para ensinar a navegar com eficácia. O guia da Associação Mundial de Jornais – WAN, Internet e Família, é ao mesmo tempo oportuno e necessário. Todas as crianças do mundo poderão tirar proveito desta publicação. Este guia é vital tanto para as famílias como para a sociedade civil no século XXI.” Paul Mihailidis - Diretor da Academy on Media & Global Change, de Salzburgo e membro do Conselho da National Association for Media Literacy Education (NAMLE), dos EUA. “Os jovens passam muitas horas por dia usando a Internet, daí a importância de os pais saberem como orientar crianças e adolescentes quando navegam. Este guia cumpre com essa necessidade. Agradecemos aos jornais que o tornam acessível a todos.” Juan Carlos Tedesco - Ministerio de la Educación, da Argentina.
  • 5. "Este manual não procura assustar as pessoas a respeito dos perigos da internet. O propósito é envolver pais e jovens de forma significativa na discussão sobre seu uso, equipá-los com as ferramentas necessárias para tomar decisões críticas e ajudar as famílias a desenvolver uma compreensão do impacto da internet em suas vidas." Chido Onumah - Coordenador de “Youth Media & Communication Initiative”, na Nigéria e no Canadá. "Internet e meios de comunicação digitais são parte da vida cotidiana dos jovens de hoje. É essencial ajudá-los a entender e usar melhor essas ferramentas, a partir de uma reflexão cuidadosa e de forma criativa. Iniciativas como este guia são recursos valiosos para o êxito desse esforço." Evelyne Bevort, Diretora Associada do CLEMI (Centre de Liaison de l'Enseignement et des Médias d'Information - Centro de Ligação do Ensino e dos Meios de Comunicação, do Ministério da Educação da França)
  • 6. Internet... Cada usuário de internet é diferente, vive em um contexto particular e distinto, e atravessa uma série de experiências que determinarão parcialmente o uso que faz das novas tecnologías. É importante recordar o potencial positivo e a riqueza de conteúdo que a internet oferece a seus usuários. Por isso, antes de abordar os riscos associados à rede, destacam-se algumas de suas muitas vantagens. • Possibilita uma comunicação com maior rapidez e fluidez. • Coloca pessoas de distintos lugares em contato. • Promove o intercâmbio multicultural entre seus usuários. • Apresenta informação abundante e diversa. • Facilita e amplia as possibilidades de investigação. • Permite acessar instantaneamente a informação atual. • Favorece uma interatividade maior entre o usuário e a tecnologia. • Estimula a criatividade a partir da produção de blogs e páginas pessoais. • Propicia a sociabilidade ao permitir chats e jogos entre usuários. • Cria novos espaços de diálogo e intercâmbio entre adultos e crianças. Sem deixar de lado a grande riqueza de conteúdos que a internet oferece e sua utilidade na vida cotidiana, devemos tomar algumas medidas para evitar riscos e aproveitar seu potencial. Uma dessas medidas é o uso conjunto da internet por crianças e adultos.
  • 7. O código familiar Por mais que os adultos preferissem que as crianças não tivessem acesso a certos conteúdos ou sites, que não compartilhassem informação ou entrassem em contato com outras pessoas, dar um não muitas vezes não basta para frear sua curiosidade. Um “código familiar” consensuado é a melhor maneira de incluir as crianças na elaboração de uma série de regras sobre os usos da internet. Tê-las junto nessa elaboração as ajudará a entender melhor a web e também a sentirem-se mais responsáveis ao navegar. Ainda que não exista um código familiar único, porque não existe família única, estas são algumas ideias que podem resultar úteis para sua elaboração: Antes de formular o código, assegure-se de…  Colocar o computador em locais de uso comum (como salas, por exemplo), que permitem ver - a todo momento - o que fazem as crianças quando navegam. Não é bom colocá-lo em ambientes privados, como os quartos.  Imprimir o código familiar e colá-lo perto do computador, para que recordem (as crianças e seus amigos, quando as visitarem) as condições de uso que elas mesmas ajudaram a construir.  Entender que a melhor maneira de saber como as crianças usam a web é os adultos da casa também serem usuários de internet.  Propor regras para três aspectos: formas de uso, segurança pessoal e o que fazer diante do inesperado e do não desejado. Um exemplo de código familiar consensuado... 1. Ninguém está autorizado a mudar o lugar do computador. Ele deve estar sempre na sala. 2. Ninguém está autorizado a visitar sites pornográficos, racistas ou que incitem o ódio ao outro. 3. Não é permitido que ninguém cometa agressões ou faça ameaças por e-mail, chat
  • 8. ou qualquer outra forma de comunicação na rede. 4. Ninguém está autorizado a visitar fóruns de chats privados que podem ser inseguros. Antes de entrar em um novo fórum, deve-se conversar em familia. 5. Ninguém está autorizado a navegar durante mais de ….. hora(s) por vez (o número de horas vai depender da idade das crianças). 6. Ninguém está autorizado a comprar objetos pela internet ou a assinar/ inscrever-se em serviços que não sejam previamente conversados em familia. 7. Ninguém está autorizado a expor informação pessoal ou familiar (nome, idade, sexo, endereço, telefone, etc.) em fóruns, chats, MSN ou e-mail. 8. Ninguém está autorizado a encontrar-se pessoalmente com “amigos” conhecidos pela internet sem autorização e presença dos adultos. 9. Ninguém deve responder a um e-mail desconhecido, agressivo, não desejado ou a um spam. Nesses casos, debe-se avisar sempre aos adultos. 10.Qualquer dúvida, inquietação, problema, angústia ou situação desagradável deverá ser informada aos adultos da casa.
  • 9. Usos da Internet Buscando informação A internet costuma ser uma das fontes mais consultadas pelos adolescentes quando realizam um trabalho escolar. Há informação abundante, e as crianças sentem que podem encontrar tudo de que necessitam na rede. Porém, as milhões de páginas da web que estão diante delas para resolver suas dúvidas ou para que consigam a informação que precisam podem dificultar sua busca. Dispor de uma fonte quase ilimitada de informações não significa saber utilizá-la. Aprender a buscar o que se necessita é um dos desafios mais importantes que a internet nos coloca hoje. Vejamos, portanto, algumas recomendações para orientar as crianças nessa busca: • Eleger o buscador. Em primeiro lugar, é importante selecionar um buscador que guiará as crianças até a informação de que necessitam. O mais popular é o Google, mesmo sem ser o único capaz de resolver as dúvidas dos usuários. Independentemente do buscador ter sido identificado ou não, os passos seguintes são também fundamentais. • Saber o que perguntar. Os buscadores realizam uma tarefa menos efetiva se o usuário escreve só uma palavra e, sobretudo, se essa palavra é ambígua a respeito da informação desejada. Definir a pergunta com clareza é a primeira condição para uma busca exitosa da informação de que se precisa. • Ser específico. É conveniente utilizar mais de uma palavra, para evitar vocábulos isolados que podem ter vários significados. O buscador não sabe qual das opções é a que se quer. A maior especificidade é condição essencial para a efetividade da busca. Essa especificidade supõe, às vezes, introduzir uma frase (no lugar de uma palavra)
  • 10. para deixar pouco espaço para a multiplicidade de significados. Se uma palavra ou uma frase dão lugar a poucos ou a muitos resultados, será conveniente repensar a pergunta. • Definir o idioma. A busca pode realizar-se em páginas da web de diferentes idiomas. Se as crianças querem só as páginas em português, devem assegurar-se – já tendo definida a pergunta – de indicar ao buscador que só querem páginas em português. Isso reduzirá os sites que serão apresentados e contribuirá para a especificidade da demanda. • Averiguar as prioridades. Quando o buscador resolve a busca, apresenta uma quantidade de páginas da web nas quais a criança pode encontrar a informação de que necessita. Esses sites têm uma ordem. Alguns ocupam os primeiros lugares, mas isso não significa necessariamente que sejam os mais confiáveis. É conveniente que os usuários averiguem porque essas páginas ocupam o primeiro lugar nas sugestões do buscador. É por que pagam por isso? É por que são as que têm a maior quantidade de “links”? É pelo número de visitas que o site recebe? A resposta a essas questões também ajudará num melhor resultado da busca. • Usar mais de um buscador. Uma das maneiras mais efetivas para uma busca confiável é consultar mais de um servidor e mais de uma página da web. Essa é a melhor garantia de variedade e pluralidade.
  • 11. Usos da Internet Como saber que é verdade? A maioria das crianças que usa a internet mostra uma elevada credibilidade à sua informação. Elas buscam dados, fazem tarefa e formulam perguntas cujas respostas anotam, sem analisar a fonte da qual recebem a informação. É importante que as crianças aprendam que, assim como não se pede conselho a alguém em quem não se pode confiar na vida real, o mesmo acontece com a rede. É conveniente saber quem é que na rede responde às perguntas das crianças. Não é nada fácil saber se o que lemos na internet é confiável. Mas há muito que podemos fazer para verificar essa questão: • Utilizar mais de uma fonte de informação. Não só comparando livros, jornais, revistas especializadas e a internet, mas também, diferentes sites da web. Se um site contradiz outro, saberemos que ao menos um deles está equivocado. • Diferenciar fatos de opiniões. Se o site apresenta opiniões, buscar outras maneiras (outras páginas da web ou outras fontes) para explorar os fatos que possam respaldar ou não essas opiniões. • Analisar quanto o site investigou antes de oferecer a informação e o quanto foi investigado, analisado pelo pesquisador (criança ou adulto) antes de satisfazer-se com a informação obtida. Além disso, monitorar o site para ver de quanto em quanto tempo ele é atualizado. • Comprovar os “links” do site. Quando as crianças navegam na internet vão de uma página a outra via “links”. Saber quais são os “links” vinculados ao site é um bom indicador para avaliar a credibilidade dessa página. Averiguar que outros sites recomendam e a que outros sites remetem é útil para conhecer a seriedade da informação que oferecem.
  • 12. • Pensar nas organizações, entidades e instituições da vida cotidiana que são confiáveis quando dão informação e buscar suas páginas na web. Se podemos acreditar nelas no mundo real, é possível que também possamos confiar no que dizem pela internet. Por exemplo, as notícias publicadas nas páginas da web de jornais são previamente revisadas por um jornalista profissional.
  • 13. Jornais online: uma boa opção para começar Quem quer que esteja buscando informações atuais fará bem começando pela visita às páginas da web dos jornais, visto que a maioria dos conteúdos que elas apresentam foi escrita por repórteres que trabalham para eles. São jornalistas profissionais, qualificados para desempenhar essa função, que sabem como comunicar e descrever os fatos, assim como comparar e contrastar informações e fontes, além de saber quais fontes são as mais confiáveis e fidedignas. Os sites de jornais nos oferecem, geralmente, toda a cobertura exaustiva sobre um fato, não só a informação resumida que aparece em outras páginas. Os jornais mesmos endossam sua informação online, como fazem diariamente com a edição impressa, garantindo sua confiabilidade. Mas também existem outras organizações informativas profissionais, como as entidades televisivas, que são igualmente dignas de confiança.
  • 14. Usos da Internet “Copiar e colar” Duas palavras parecem figurar entre as mais populares da web quando as crianças fazem a tarefa para a escola: “copiar e colar”. Com frequência encontram textos em um site e os copiam e colam em seus próprios trabalhos escolares. Muitas crianças acreditam que tudo que está na internet pode ser copiado e utilizado literalmente e sem referência. É necessário explicar a elas o que significa o conceito de plágio – tomar ideias de outro e fazê-las passar como próprias – logo que começam a fazer investigações/pesquisas para a escola. O sistema mais comum entre elas é o “copiar e colar”: o aluno extrai um documento de um site e o copia textualmente em seu próprio trabalho escolar, sem referência nem menção do autor ou da fonte. Isso faz crer que os alunos foram os criadores desse texto. O problema não é somente o plágio, mas suas consequências para a promoção do pensamento crítico dos estudantes. A habilidade para refletir criticamente sobre um texto diminui se ele é copiado e colado textualmente. Como podemos explicar isso às crianças? • É valioso e correto utilizar as fontes que nos a internet nos oferece, sempre e quando as citamos, mencionamos quais são e de onde obtivemos as informações. • É importante estimular que as crianças reescrevam com suas próprias palavras a informação que encontraram na web, ao invés de copiá-la tal qual está. Nesse caso, também é importante que no final citem as páginas e os sites que as ajudaram. • É conveniente que as crianças leiam e releiam várias vezes a informação da internet antes de utilizá-la, para verificar sua seriedade. • É importante que os adultos da casa participem da pesquisa com as crianças e as
  • 15. ajudem na busca da informação em diferentes sites. • O mais valioso nessa busca é ensinar às crianças como avaliar os sites, que perguntas devem ser formuladas diante do texto e de que maneira analisar sua procedência. • É bom que os adultos recomendem às crianças sites de instituições sérias, cuja qualidade da informação é indiscutível. • É importante lembrar às crianças que, para um profesor, é fácil comprovar a cópia, porque muitos alunos recorrem ao mesmo site e seus trabalhos terminam sendo idênticos. • Usar várias fontes, analisá-las, citá-las e reescrever a informação com suas próprias palavras é sempre a melhor opção.
  • 16. Usos da Internet Salas de chat e redes sociais As salas de chat são espaços digitais onde as pessoas podem, sem se conhecer pessoalmente, interagir, trocar ideias e conversar. Os servidores de chat contam com temas específicos, entre os quais os especialmente concebidos para jovens e adolescentes. Uma rede social oferece mais vantagens ao usuário: uma página da web pessoal com seu perfil, com distintos níveis de acesso à informação oferecida e maior interatividade entre um grupo definido de contatos, aos quais comumente chamamos “amigos”. O termo “amigo” tem nas redes sociais um significado distinto do que existe na vida real, sendo qualquer um que tenha sido convidado a visitar uma página da web pessoal, mediante um convite do usuário proprietário do site. Em ambos os casos, porém, pode haver participantes que mintam sobre sua idade e sejam de fato adultos mal intencionados que representam uma ameaça para os jovens que participam do grupo. Em geral, esse tipo de pessoa acaba confessando que mentiu em relação à sua idade, o que deveria fazer com que as crianças percebessem que estão tratando com adultos e, por conseguinte, interrompessem toda a comunicação. As salas de chat não deveriam ser um lugar para estabelecer relações com estranhos que nem sempre são o que dizem ser. Seguem algumas recomendações para usar ativamente e com toda segurança uma sala de chat:  Os pais devem lembrar a seus filhos que não devem fornecer nenhuma informação privada; como endereços, números de telefone ou fotos.  Os pais devem conversar com seus filhos sobre as salas de chat e redes sociais de que eles gostam.  As crianças e os adolescentes deveriam participar de salas de chat e redes sociais correspondentes à sua idade.  Os participantes devem cortar toda comunicação com qualquer pessoa do grupo de chat que faça comentários inadequados ou revele que mentiu a respeito de qualquer tema.  As crianças e os adolescentes deveriam usar as salas de chat só para falar com amigos reais de suas vidas e com a família. As redes sociais são amplamente utilizadas pelos jovens. Apesar de algumas redes serem reservadas a usuários maiores de idade, quem indica a idade que possui é o próprio usuário, e estudos realizados em vários países revelam que muitos adolescentes e jovens com idades menores que a permitida frequentam assiduamente essas redes. Facebook, Habbo, MySpace e Twitter estão entre as redes internacionais mais populares. - Facebook (www.facebook.com). Criada em 2004 por estudantes da Universidade de Harvard, Estados Unidos, Facebook opera em mais de 60 idiomas e é, hoje em dia, uma das maiores redes do mundo que permite contactar e comunicar-se com novos e antigos amigos. Os usuários publicam informação pessoal e profissional, postam
  • 17. fotografias, compartilham música e vídeos, e formam grupos baseados em intereses comuns. Seus membros devem ter, no mínimo, 13 anos. - Habbo, antes Habbo Hotel (www.habbo.com) é um entorno virtual que estimula os jovens a criarem avatares pessoais, com habitações virtuais (privadas) e habitações públicas onde todos podem “chatear”. Os usuários podem mobiliar virtualmente seus ambientes empregando para isso os Habbo Créditos, adquiridos com dinheiro real, ou adotar um animal de estimação. A rede foi criada na Finlândia, em 2000, e desde o início mostrou um cuidado especial para garantir a segurança online com uma moderação ativa, a educação dos usuários e o filtro automático de linguagem, com o chamado Filtro Bobba, que substitui todo tipo de palavras ofensivas pela palavra “bobba”. Disponível em 11 idiomas, seu uso se estende a mais de 30 países com membros de idades compreendidas entre 11 e 16 anos. - MySpace (www.MySpace.com) foi definida originalmente como uma rede social. Desde seu lançamento, em 2003, foi ganhando popularidade ao permitir a grupos de música criar seus próprios perfis, convertendo-se com isso em uma plataforma para sua promoção. Os usuários dessa rede podem carregar e difundir música de forma legal. Existente em uma dúzia de idiomas e países, seus membros devem ter 13 anos, no mínimo. - Twitter (www.twitter.com) veio à luz em 2006. Essa rede permite a seus usuários enviar breves mensagens de texto com, no máximo, 140 caracteres, no modo SMS, conhecidas como “tweets”. Segundo dados estatísticos, diariamente se transmitem mais de 3 milhões de tweets.
  • 18. Usos da Internet Blogs Os blogs são uma espécie de diário online nos quais as crianças, os adolescentes e os adultos podem escrever sobre muitos temas. Porém, não são privados e, na maioria dos casos, qualquer um pode acessá-los. Os blogs podem ser também uma maneira de conectar-se com pessoas com quem se compartilha interesses comuns, de colocar-se em dia com a vida dos amigos ou de obter informação sobre outros lugares e culturas. Ao mesmo tempo, podem constituir-se um perigo para os jovens que os usam como diários íntimos ou que entram por acaso em um blog com conteúdo inapropriado. Seguem algumas coisas que precisamos saber sobre os blogs:  É conveniente usar sites da web que qualificam os blogs, seja filtrando os maus, seja assinalando os bons.  Alguns bloggers indicam seu nome completo, sua escola, seu endereço e/ou número de telefone. Isso não deve ser feito. É perigoso, porque uma pessoa com más intenções pode muito facilmente localizar uma criança.  Os usuários devem usar fotos em blogs com precaução, pois outros podem torná-las públicas ou usá-las de maneira imprópria.  Alguns blogs têm sistemas de segurança ou de privacidade. Os usuários devem ativá-los para manter sua informação pessoal em um âmbito mais privado. Por exemplo, os perfis deveriam ser visíveis unicamente para os amigos.  Comunique-se regularmente com seus filhos a respeito dos blogs dos quais participam. Uma comunicação assídua diminuirá o temor que os jovens têm de que os pais os obriguem a retirar-se de um blog se souberem de sua participação.  Os pais podem criar seus próprios blogs familiares e pedir aos filhos que os ajudem.
  • 19. Sites não desejados Pornografia Quando as crianças usam a Internet, os sites para navegar são ilimitados e alguns usos da web são arriscados ou não adequados para elas. Os sites pornográficos e a pedofilia são dois exemplos de uso de internet não desejado. A primeira medida que os adultos podem tomar é colocar filtros e bloqueadores em relação a esses conteúdos. Também existem outras alternativas: • Não autorizar as crianças a usar seu e-mail pessoal para inscrever-se em serviços, publicações ou informações da Internet. • Utilizar sempre um endereço eletrônico da família, ao qual os adultos tenham acesso. • Construir um código familiar consensuado com as crianças, que explicite quais são os conteúdos – entre eles os pornográficos - não autorizados. • Buscar páginas da web nas quais adultos e crianças possam navegar juntos. • Verificar com o servidor de iternet quais são as ofertas de filtros e bloqueadores desses conteúdos que estão disponíveis. • Não se limitar somente a falar dos sites na web. E-mails não desejados e spans podem ser veículos de conteúdos pornográficos não desejados também. • Explicar às crianças a necessidade de apagá-los antes de lê-los. Nunca os responder. • Ensinar às crianças que, diante de qualquer e-mail ou site que as faça sentir-se mal ou incomodadas, devem contar aos adultos da casa, que sempre as ajudarão a resolver o problema e a sentirem-se melhor.
  • 20. Sites não desejados Pedofilia • A principal preocupação dos adultos – em relação à pedofilia - costuma ser a respeito dos fóruns de chat. É conveniente explicar às crianças que nem todos os fóruns são seguros e enfatizar a necessidade de compartilhar com os adultos quais são os que elegeram para “chatear”. • Averiguar com o servidor as formas de bloquear o acesso a fóruns de chat não seguros para crianças. • Solicitar ao servidor recomendações sobre fóruns apropriados para os mais jovens. • Não autorizar as crianças a dar informações pessoais pela internet. Se já o fizeram, explicar a elas porque não devem fazê-lo nunca mais e monitorar a informação que foi passada adiante. • Perguntar e interessar-se pelos amigos “da rede”, tanto quanto pelos reais. É conveniente que os adultos conheçam quem são e saibam com quem seus filhos conversam em chats. • Explicar às crianças que os amigos de internet são desconhecidos no mundo real. Se as crianças querem encontrar-se pessoalmente com eles, devem ir sempre acompanhadas de um adulto.  Ensinar às crianças que, diante de qualquer e-mail ou site que as faça sentir-se mal ou incomodadas, devem contar aos adultos da casa, que sempre as ajudarão a resolver o problema e a sentirem-se melhor.
  • 21. Cyberbullying O que é Cyberbullying? O cyberbullying, termo em inglês ainda não traduzido para o português, é o uso da internet e de dispositivos de comunicação eletrônica para enviar ou difundir mensagens difamatórias, imagens, vídeos ou outros conteúdos para importunar, perseguir um indivíduo ou grupo. O cyberbullying pode acontecer de várias maneiras, como, por exemplo, enviando-se comentários ou imagens embaraçosas a um chat ou a sites, redes sociais, portais online de jogos, celulares, correios eletrônicos, entre outras formas. Com frequência é difícil ou simplesmente impossível determinar a identidade do importunador. Por que é perigoso? O cyberbullying é uma forma emocional de agressão que provoca sentimentos de medo, isolamento e humilhação nas vítimas. Os resultados de investigações que aconteceram na última década constatam que o bullying pode afetar seriamente a saúde mental e física das pessoas, e seu desenvolvimento intelectual. Prevenção Os pais devem tratar o tema cyberbullying com seus filhos em discussões regulares sobre a segurança da internet e o uso apropriado das novas tecnologias. Alguns conselhos:  Explicar às crianças e aos adolescentes que a internet tem um grande potencial e pode ser muito útil em nossas vidas, mas que seu objetivo nunca deve ser ferir os outros.  Deixar claro, nas conversas com os filhos sobre o uso da internet e do código familiar, que utilizar internet ou celular para comprometer alguém ou ferir seus sentimentos é contrário aos princípios e valores da familia.  Ensinar aos menores como atuar diante desses casos de bullying online em função de sua gravidade: 1. Se é pequeno, ignorar, eliminar ou bloquear o acesso à pessoa que o envia; 2. Se é mais sério ou invasivo, informar aos administradores do site (no caso de se tratar de uma rede social) ou remeter a mensagem à direção da escola (se a mensagem é de outro aluno); 3. Em qualquer caso, deve-se consultar um adulto da casa.  Estimular as crianças a denunciar os casos de cyberbullying dos quais sejam testemunhas. (Conselhos do guia “Cyber Bullying Quick Reference Guide for Parents”, de Patti Agatston. Para mais informação, acesse: www.cyberbullyhelp.com.)
  • 22. 10 Recomendações para os adultos 1. Navegar juntos na internet. Tal como acontece com outros meios de comunicação, a melhor maneira de os adultos conhecerem o uso que as crianças fazem da internet, é navegar junto com elas pela web. Isso permite compreender o que fazem quando navegam, conhecer seus sites preferidos e a forma como usam a internet. A chave dessa navegação compartilhada é, como sempre, o diálogo. 2. Construir juntos o “Código Familiar Internet”. Promover a discussão com as crianças, para escreverem juntos um código familiar sobre a utilização da internet: o tempo de uso por dia, os conteúdos, os sites que podem visitar, as regras para uso de chats, etc. 3. Estimular as crianças para que contem o que as incomoda. Às vezes, e sem querer, as crianças encontram na internet sites que podem incomodá-las. É conveniente explicar a elas que não há por que guardar uma mensagem ou página da web que as faz sentir-se mal. É bom que saibam que sempre se sentirão melhor ao compartilhar essa informação com a família. 4. Manter o computador numa sala compartilhada. Quando as crianças usam o computador sozinhas em seus quartos, a capacidade dos adultos em compartilhar os conteúdos com elas diminui. É conveniente colocar o computador numa sala (de estar ou jantar). 5. Manter o computador portátil também na sala. Algumas casas contam com computadores portáteis (netbooks, notebooks, etc.). Nesses casos, também é importante que esses equipamentos ocupem um lugar na sala. Sua mudança para o quarto das crianças, para um uso solitário, obstrui a comunicação.
  • 23. 6. Explicar às crianças que não devem dar dados pessoais. Muitas crianças disponibilizam dados pessoais pela internet não só a “amigos” novos, mas para receber a informação que as interessa. É conveniente deixar claro que, em nenhum caso, mandem dados sobre elas. E que, mesmo se quiserem subscrever- se em alguna página ou site, é melhor criar um e-mail da família para receber a informação ou a mensagem. 7. Utilizar mais de uma página da web na tarefa escolar. A internet é uma das fontes que as crianças costumam usar para a tarefa da escola. Porém, é importante explicar a elas o valor de recorrer sempre a mais de um site, de buscar informação em páginas com pontos de vista diferentes e sempre citar as fontes utilizadas. 8. Monitorar o chat. Crianças e adolescentes gostam de “chatear”. Esse é um dos principais usos que fazem da web. É importante saber que os fóruns de chat que utilizam são seguros, e é bom, como adultos, poder participar deles, se necessário. É conveniente que o adulto conheça os amigos com os quais as crianças costumam “chatear”. 9. Contactar o servidor. É importante checar com o servidor quais são os mecanismos que oferece para proteger as crianças menores quando usam a internet. É bom contactá-lo e pedir a instalação desses mecanismos. 10. Utilizar filtros. Ainda que o diálogo, a comunicação e o consenso sejam ferramentas muito importantes para conhecer o uso que as crianças fazem da internet, os filtros ou outros sistemas de proteção também são válidos. É conveniente averiguar as melhores opções – além das que o servidor oferece – que podem ser utilizadas.