SlideShare uma empresa Scribd logo
Interbits – SuperPro ® Web
1. (Fuvest 2015) Examine estas imagens produzidas no antigo Egito:
As imagens revelam
a) o caráter familiar do cultivo agrícola no Oriente Próximo, dada a escassez de mão de obra e
a proibição, no antigo Egito, do trabalho compulsório.
b) a inexistência de qualquer conhecimento tecnológico que permitisse o aprimoramento da
produção de alimentos, o que provocava longas temporadas de fome.
c) o prevalecimento da agricultura como única atividade econômica, dada a impossibilidade de
caça ou pesca nas regiões ocupadas pelo antigo Egito.
d) a dificuldade de acesso à água em todo o Egito, o que limitava as atividades de plantio e
inviabilizava a criação de gado de maior porte.
e) a importância das atividades agrícolas no antigo Egito, que ocupavam os trabalhadores
durante aproximadamente metade do ano.
2. (Ufsm 2015) No período Neolítico, os caçadores e coletores já haviam adquirido razoável
experiência cultural a fim de identificar animais para a caça e plantas para usos diversos.
Nesse tempo, por volta de 10.000 a. C., além de caçar e coletar frutos e sementes, nossos
antepassados passaram a ter condição de interferir ainda mais na natureza, domesticando
animais e cultivando plantas. Pelos registros existentes, isso teria acontecido primeiramente
nas regiões atualmente chamadas de China, América Central, Peru e Oriente Próximo. Essa
transformação nas formas de vida no planeta é chamada de revolução
a) ecológica, por ser o primeiro momento de contato entre os seres humanos e a natureza.
b) urbana, por haver permitido a fixação e a sedentarização dos humanos.
c) suméria, por ter sido realizada pelos sumérios antes de qualquer outro povo.
d) agrícola, por ter permitido maior domínio sobre a natureza e surgimento das aldeias.
e) iluminista, por ter se difundido rapidamente em todo o mundo como uma luz.
3. (G1 - ifsp 2014) Leia o texto, a seguir, que explica os mecanismos de escravização na
Assíria da Antiguidade.
Os pequenos cultivadores, que tomavam valores ou mercadorias emprestados, deviam
encontrar-se constantemente na impossibilidade de reembolsar seus credores, os quais se
ressarciam escravizando-os. O resultado dessa situação é que pessoas arruinadas vendiam
seus filhos para subsistir. Entretanto, a grande massa de escravos provinha dos prisioneiros de
guerra, resultados de operações militares.
(GARELLI, Paul. Oriente próximo asiático: impérios mesopotâmicos, Israel. São Paulo: EDUSP,
1982, p.120. Adaptado)
Considerando as informações apresentadas, é correto afirmar que a escravidão da Assíria
antiga
a) empregava predominantemente a mão de obra de negros africanos escravizados em
batalhas.
b) estava relacionada às práticas econômicas de empréstimos e às guerras de expansão
territorial.
Página 1 de 4
Interbits – SuperPro ® Web
c) resultava do excesso populacional na Assíria durante o período de expansão do Império
Islâmico.
d) baseava-se na discriminação racial aos povos de origem judaica que circulavam como
nômades.
e) organizava-se de acordo com o modelo econômico mercantilista, visando à acumulação de
capitais.
4. (Ufsm 2013)
O mapa acima indica os diversos caminhos do povo hebreu na Antiguidade, destacando a
migração de Ur para a Palestina (por volta de 1900 a.C.), a ida ao Egito (1700 a.C.), o Êxodo
(1200 a.C.), a deportação para a Babilônia e o regresso à Palestina (século VI a.C.). A partir
desses dados, pode-se inferir:
a) O povo hebreu realizou trocas comerciais e culturais com o Egito e a Mesopotâmia, e essas
trocas influíram na sua formação cultural e religiosa.
b) Como se percebiam como “povo eleito por Deus”, os hebreus recusavam qualquer influência
das culturas e das religiões dos povos do Oriente Médio.
c) A força política e militar dos hebreus se impôs sobre os reinos do Oriente Médio, originando
uma cultura e religião dominantes na região.
d) As migrações dos povos da Antiguidade eram raras, devido às péssimas condições das
estradas e à precariedade dos meios de transporte.
e) As migrações de povos tornaram-se possíveis com as facilidades criadas pelas sociedades
estatais no Egito e Mesopotâmia.
5. (Ufrgs 2013) Durante o reinado de Hamurábi na Babilônia (1792 – 1750 a.C.), foi escrita
uma relação de sentenças legais que, modernamente, é conhecida pelo nome de Código de
Hamurábi.
O objetivo da obra era
a) estabelecer uma ordem constitucional para fundar o Estado imperial mesopotâmico.
b) enaltecer a pessoa do rei, associando-a ao poder, à justiça e à sabedoria.
c) proporcionar aos cidadãos do império um código legal universal e aplicável a todas as
situações conflituosas.
d) impor a lei do Talião como norma exclusiva para a ordem constitucional mesopotâmica.
e) promover a igualdade jurídica entre todos os súditos do rei.
Página 2 de 4
Interbits – SuperPro ® Web
Gabarito:
Resposta da questão 1:
[E]
A agricultura – marca básica da passagem do Paleolítico para o Neolítico – foi a base das
primeiras civilizações antigas, como o Egito Antigo. Parte central da economia egípcia, a
agricultura movimentava todos os segmentos sociais egípcios, como mostram as imagens.
Resposta da questão 2:
[D]
A chamada Revolução Neolítica ou Revolução Agrícola diz respeito ao advento da agricultura e
suas consequências no período Neolítico.
Resposta da questão 3:
[B]
O texto deixa bem claro os tipos de escravidão empregados na Assíria: (1) por razões
financeiras (empréstimos ou dívidas) e (2) por motivos de guerra (conquistas territoriais).
Resposta da questão 4:
[A]
A alternativa [A] apresenta informações corretas sobre o povo hebreu, no entanto, não tem
relação direta com os deslocamentos apresentados no texto, muitos deles realizados por
imposição de outros povos ou fugas de situações adversas.
Resposta da questão 5:
[B]
O Código de Hamurabi é atualmente considerado não somente uma coleção de leis que
deveriam ser aplicadas universalmente nos domínios do rei, como também como uma
composição literária que visava enaltecer o seu poder e suas qualidades como justo e promotor
da ordem. Servia como um paradigma, como exemplo do que leva a ser justo e a justiça no
reino de Hamurabi. Tendo como centro o enaltecimento da pessoa sagrada do monarca, seu
sentido é ir ao encontro da justificação do poder do rei. Portanto, conceitos como o de
“cidadão”, “ordem constitucional” e “igualdade jurídica” são completamente estranhos àquele
tipo de sociedade.
Página 3 de 4
Interbits – SuperPro ® Web
Resumo das questões selecionadas nesta atividade
Data de elaboração: 11/03/2015 às 09:06
Nome do arquivo: PROVA HISTÓRIA GERAL 3 ANO CHIQUINHO_APOIO
Legenda:
Q/Prova = número da questão na prova
Q/DB = número da questão no banco de dados do SuperPro®
Q/prova Q/DB Grau/Dif. Matéria Fonte Tipo
1.............135938.....Baixa.............História..........Fuvest/2015.........................Múltipla escolha
2.............137397.....Baixa.............História..........Ufsm/2015............................Múltipla escolha
3.............130410.....Baixa.............História..........G1 - ifsp/2014.......................Múltipla escolha
4.............124444.....Média.............História..........Ufsm/2013............................Múltipla escolha
5.............125457.....Média.............História..........Ufrgs/2013............................Múltipla escolha
Página 4 de 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A civilização romana
A civilização romanaA civilização romana
A civilização romana
Eduardo Mariño Rial
 
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O EgitoCorreção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
Patrícia Morais
 
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
valtervnunes
 
Crise no império romano
Crise no império romanoCrise no império romano
Crise no império romano
Eduardo Mariño Rial
 
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º diaCobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
Isaquel Silva
 
UPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro diaUPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro dia
Jornal do Commercio
 
Lista UFSC - Idade Antiga
Lista UFSC - Idade AntigaLista UFSC - Idade Antiga
Lista UFSC - Idade Antiga
Elton Zanoni
 
Primeira aula 2 ano 2014
Primeira aula 2 ano 2014Primeira aula 2 ano 2014
Primeira aula 2 ano 2014
ferreiraITOR
 
Correcoes livro
Correcoes livroCorrecoes livro
Historia atividade-6-ano
Historia atividade-6-anoHistoria atividade-6-ano
Historia atividade-6-ano
Kerollen Hagnys
 
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
KellyCarvalho2011
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia
Kerol Brombal
 
245925757 exercicio-roma-2 (1)
245925757 exercicio-roma-2 (1)245925757 exercicio-roma-2 (1)
245925757 exercicio-roma-2 (1)
Aimara Gutierres Machado
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
Daniel Alves Bronstrup
 
Questões de história enem
Questões de história enemQuestões de história enem
Questões de história enem
Isabel Aguiar
 
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
Elton Zanoni
 
Fenícios e hebreus
Fenícios e hebreusFenícios e hebreus
Fenícios e hebreus
Eduardo Mariño Rial
 
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbiaMesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
Eduardo Mariño Rial
 
Resumão história antiga
Resumão história antigaResumão história antiga
Resumão história antiga
Karoline Oliveira
 

Mais procurados (19)

A civilização romana
A civilização romanaA civilização romana
A civilização romana
 
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O EgitoCorreção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
Correção do Teste de Avaliação As Civilizações dos Grandes Rios_O Egito
 
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
2.º teste 7 a 2014 2015 - correção
 
Crise no império romano
Crise no império romanoCrise no império romano
Crise no império romano
 
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º diaCobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
Cobertura Total - Vestibular UPE 2013 - Provas do 3º dia
 
UPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro diaUPE - Prova vestibular terceiro dia
UPE - Prova vestibular terceiro dia
 
Lista UFSC - Idade Antiga
Lista UFSC - Idade AntigaLista UFSC - Idade Antiga
Lista UFSC - Idade Antiga
 
Primeira aula 2 ano 2014
Primeira aula 2 ano 2014Primeira aula 2 ano 2014
Primeira aula 2 ano 2014
 
Correcoes livro
Correcoes livroCorrecoes livro
Correcoes livro
 
Historia atividade-6-ano
Historia atividade-6-anoHistoria atividade-6-ano
Historia atividade-6-ano
 
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
2 Prova Semestral - 1.4 Gabarito
 
3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia3˚ano: exercícios Grécia
3˚ano: exercícios Grécia
 
245925757 exercicio-roma-2 (1)
245925757 exercicio-roma-2 (1)245925757 exercicio-roma-2 (1)
245925757 exercicio-roma-2 (1)
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Questões de história enem
Questões de história enemQuestões de história enem
Questões de história enem
 
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
Apostila de História - UFSC 2017 [amostra]
 
Fenícios e hebreus
Fenícios e hebreusFenícios e hebreus
Fenícios e hebreus
 
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbiaMesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
Mesopotâmia, sumérios, e reino da núbia
 
Resumão história antiga
Resumão história antigaResumão história antiga
Resumão história antiga
 

Destaque

Questões de vestibulares e enem: Pré-história
Questões de vestibulares e enem: Pré-históriaQuestões de vestibulares e enem: Pré-história
Questões de vestibulares e enem: Pré-história
Zé Knust
 
A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
Edenilson Morais
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Suelen Freitas
 
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercíciosA arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
VIVIAN TROMBINI
 
A arte na pré história 6º ano
A arte na pré história 6º anoA arte na pré história 6º ano
A arte na pré história 6º ano
josivaldopassos
 
Introdução a história objetivas
Introdução a história   objetivasIntrodução a história   objetivas
Introdução a história objetivas
Zé Knust
 
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigoQuestões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
Zé Knust
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
Geo Honório
 
Questoes pre historia
Questoes pre historiaQuestoes pre historia
Questoes pre historia
Dilson Luis Oliveira
 
Atividades pré história e uso de ferramentas
Atividades pré história e uso de ferramentasAtividades pré história e uso de ferramentas
Atividades pré história e uso de ferramentas
Doug Caesar
 
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Andreza Andrade
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
Isabel Aguiar
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
Isabel Aguiar
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
Isabel Aguiar
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 

Destaque (20)

Questões de vestibulares e enem: Pré-história
Questões de vestibulares e enem: Pré-históriaQuestões de vestibulares e enem: Pré-história
Questões de vestibulares e enem: Pré-história
 
A arte na Pré-História
A arte na Pré-HistóriaA arte na Pré-História
A arte na Pré-História
 
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabaritoExercício de revisão sobre história da arte com gabarito
Exercício de revisão sobre história da arte com gabarito
 
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercíciosA arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
 
A arte na pré história 6º ano
A arte na pré história 6º anoA arte na pré história 6º ano
A arte na pré história 6º ano
 
Introdução a história objetivas
Introdução a história   objetivasIntrodução a história   objetivas
Introdução a história objetivas
 
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigoQuestões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
Questões de vestibulares e ENEM sobre o Mediterrâneo antigo
 
Prova Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médioProva Artes 1 ano médio
Prova Artes 1 ano médio
 
Questoes pre historia
Questoes pre historiaQuestoes pre historia
Questoes pre historia
 
Atividades pré história e uso de ferramentas
Atividades pré história e uso de ferramentasAtividades pré história e uso de ferramentas
Atividades pré história e uso de ferramentas
 
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
Avaliações artes-primeiro-bimestre-.
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASILABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
ABOLIÇÃO E REPÚBLICA NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
Rebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blogRebelioes regenciais blog
Rebelioes regenciais blog
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIXA EUROPA NO SÉCULO XIX
A EUROPA NO SÉCULO XIX
 
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIOQUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
QUESTÕES DE HISTÓRIA - BRASIL IMPÉRIO
 
Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro Slide imigração e fim trafico negreiro
Slide imigração e fim trafico negreiro
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 

Semelhante a Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio

Prova comentada 3 Ano
Prova comentada  3 AnoProva comentada  3 Ano
Prova comentada 3 Ano
KellyCarvalho2011
 
Questões de vestibular povos nativos
Questões de vestibular   povos nativosQuestões de vestibular   povos nativos
Questões de vestibular povos nativos
Zé Knust
 
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
PedroHenrique208263
 
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdfHISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
professorRubenyoHist
 
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdfLISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
mariasilva2107
 
Exercícios extras antiguidade oriental
Exercícios extras   antiguidade orientalExercícios extras   antiguidade oriental
Exercícios extras antiguidade oriental
Breno Girotto
 
8. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.20158. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.2015
Ribamar Santos
 
Atividades
AtividadesAtividades
Atividades
Doug Caesar
 
EGITO ANTIGO
EGITO ANTIGOEGITO ANTIGO
EGITO ANTIGO
ElvisJohnR
 
Povos antigos morientais
Povos antigos morientaisPovos antigos morientais
Povos antigos morientais
Erica Helena Martins de Oliveira
 
A África antiga
A África antigaA África antiga
A África antiga
Ana Carvalho
 
O Egito antigo - Professor Luciano Barros
O Egito antigo - Professor Luciano BarrosO Egito antigo - Professor Luciano Barros
O Egito antigo - Professor Luciano Barros
luciano barros
 
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptxPROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
CaunBatista
 
As primeiras cidades e impérios
As primeiras cidades  e impériosAs primeiras cidades  e impérios
As primeiras cidades e impérios
Mary Alvarenga
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
Dismael Sagás
 
Mesopotamia disma
Mesopotamia dismaMesopotamia disma
Mesopotamia disma
Dismael Sagás
 
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianasQuestões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
Acrópole - História & Educação
 
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
Ricardo Jorge
 
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Soraya Gomes
 
2 Prova Semestral - Turma 1.5
2 Prova Semestral - Turma 1.52 Prova Semestral - Turma 1.5
2 Prova Semestral - Turma 1.5
KellyCarvalho2011
 

Semelhante a Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio (20)

Prova comentada 3 Ano
Prova comentada  3 AnoProva comentada  3 Ano
Prova comentada 3 Ano
 
Questões de vestibular povos nativos
Questões de vestibular   povos nativosQuestões de vestibular   povos nativos
Questões de vestibular povos nativos
 
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
33634_aa1a7b0876d9eb86c2aad93f256dc21d.pdf
 
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdfHISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
HISTÓRIA AFRICANA 7º ANO.pdf
 
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdfLISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
LISTA-REVISÃO-PRÉ-HISTÓRIA-AO-RENASCIMENTO.pdf
 
Exercícios extras antiguidade oriental
Exercícios extras   antiguidade orientalExercícios extras   antiguidade oriental
Exercícios extras antiguidade oriental
 
8. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.20158. o egito antigo.2015
8. o egito antigo.2015
 
Atividades
AtividadesAtividades
Atividades
 
EGITO ANTIGO
EGITO ANTIGOEGITO ANTIGO
EGITO ANTIGO
 
Povos antigos morientais
Povos antigos morientaisPovos antigos morientais
Povos antigos morientais
 
A África antiga
A África antigaA África antiga
A África antiga
 
O Egito antigo - Professor Luciano Barros
O Egito antigo - Professor Luciano BarrosO Egito antigo - Professor Luciano Barros
O Egito antigo - Professor Luciano Barros
 
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptxPROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA PARA VOCÊ ESTUDAR (1).pptx
 
As primeiras cidades e impérios
As primeiras cidades  e impériosAs primeiras cidades  e impérios
As primeiras cidades e impérios
 
Mesopotamia
Mesopotamia Mesopotamia
Mesopotamia
 
Mesopotamia disma
Mesopotamia dismaMesopotamia disma
Mesopotamia disma
 
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianasQuestões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
 
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
Simulado de-historia-geral-idade-media-2017
 
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
Mesopotmiaslideshare 110316160606-phpapp02
 
2 Prova Semestral - Turma 1.5
2 Prova Semestral - Turma 1.52 Prova Semestral - Turma 1.5
2 Prova Semestral - Turma 1.5
 

Mais de Francisco Antonio Machado Araujo

Objetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisaObjetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisa
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º anoProva de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º ano
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 anoProva historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 ano
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Prova de história geral 3 ano setembro
Prova de história  geral   3 ano  setembroProva de história  geral   3 ano  setembro
Prova de história geral 3 ano setembro
Francisco Antonio Machado Araujo
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandréDebate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Francisco Antonio Machado Araujo
 
Artigo arte rupestre
Artigo arte rupestreArtigo arte rupestre
Artigo arte rupestre
Francisco Antonio Machado Araujo
 

Mais de Francisco Antonio Machado Araujo (7)

Objetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisaObjetivos para a pesquisa
Objetivos para a pesquisa
 
Prova de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º anoProva de história geral outubro 3º ano
Prova de história geral outubro 3º ano
 
Prova historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 anoProva historia geral agosto 3 ano
Prova historia geral agosto 3 ano
 
Prova de história geral 3 ano setembro
Prova de história  geral   3 ano  setembroProva de história  geral   3 ano  setembro
Prova de história geral 3 ano setembro
 
PROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENAPROVA DE ARTE INDIGENA
PROVA DE ARTE INDIGENA
 
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandréDebate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
Debate musica pra não dizer que não falei das flores vandré
 
Artigo arte rupestre
Artigo arte rupestreArtigo arte rupestre
Artigo arte rupestre
 

Último

Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Acrópole - História & Educação
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
GiselaAlves15
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
KeilianeOliveira3
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdflivro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
livro da EJA - 2a ETAPA - 4o e 5o ano. para análise do professorpdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da AlemanhaUnificação da Itália e a formação da Alemanha
Unificação da Itália e a formação da Alemanha
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdfos-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
os-lusiadas-resumo-os-lusiadas-10-ano.pdf
 
Química orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptxQuímica orgânica e as funções organicas.pptx
Química orgânica e as funções organicas.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 

Questao prova historia_geral_3_ano_chiquinho_apoio

  • 1. Interbits – SuperPro ® Web 1. (Fuvest 2015) Examine estas imagens produzidas no antigo Egito: As imagens revelam a) o caráter familiar do cultivo agrícola no Oriente Próximo, dada a escassez de mão de obra e a proibição, no antigo Egito, do trabalho compulsório. b) a inexistência de qualquer conhecimento tecnológico que permitisse o aprimoramento da produção de alimentos, o que provocava longas temporadas de fome. c) o prevalecimento da agricultura como única atividade econômica, dada a impossibilidade de caça ou pesca nas regiões ocupadas pelo antigo Egito. d) a dificuldade de acesso à água em todo o Egito, o que limitava as atividades de plantio e inviabilizava a criação de gado de maior porte. e) a importância das atividades agrícolas no antigo Egito, que ocupavam os trabalhadores durante aproximadamente metade do ano. 2. (Ufsm 2015) No período Neolítico, os caçadores e coletores já haviam adquirido razoável experiência cultural a fim de identificar animais para a caça e plantas para usos diversos. Nesse tempo, por volta de 10.000 a. C., além de caçar e coletar frutos e sementes, nossos antepassados passaram a ter condição de interferir ainda mais na natureza, domesticando animais e cultivando plantas. Pelos registros existentes, isso teria acontecido primeiramente nas regiões atualmente chamadas de China, América Central, Peru e Oriente Próximo. Essa transformação nas formas de vida no planeta é chamada de revolução a) ecológica, por ser o primeiro momento de contato entre os seres humanos e a natureza. b) urbana, por haver permitido a fixação e a sedentarização dos humanos. c) suméria, por ter sido realizada pelos sumérios antes de qualquer outro povo. d) agrícola, por ter permitido maior domínio sobre a natureza e surgimento das aldeias. e) iluminista, por ter se difundido rapidamente em todo o mundo como uma luz. 3. (G1 - ifsp 2014) Leia o texto, a seguir, que explica os mecanismos de escravização na Assíria da Antiguidade. Os pequenos cultivadores, que tomavam valores ou mercadorias emprestados, deviam encontrar-se constantemente na impossibilidade de reembolsar seus credores, os quais se ressarciam escravizando-os. O resultado dessa situação é que pessoas arruinadas vendiam seus filhos para subsistir. Entretanto, a grande massa de escravos provinha dos prisioneiros de guerra, resultados de operações militares. (GARELLI, Paul. Oriente próximo asiático: impérios mesopotâmicos, Israel. São Paulo: EDUSP, 1982, p.120. Adaptado) Considerando as informações apresentadas, é correto afirmar que a escravidão da Assíria antiga a) empregava predominantemente a mão de obra de negros africanos escravizados em batalhas. b) estava relacionada às práticas econômicas de empréstimos e às guerras de expansão territorial. Página 1 de 4
  • 2. Interbits – SuperPro ® Web c) resultava do excesso populacional na Assíria durante o período de expansão do Império Islâmico. d) baseava-se na discriminação racial aos povos de origem judaica que circulavam como nômades. e) organizava-se de acordo com o modelo econômico mercantilista, visando à acumulação de capitais. 4. (Ufsm 2013) O mapa acima indica os diversos caminhos do povo hebreu na Antiguidade, destacando a migração de Ur para a Palestina (por volta de 1900 a.C.), a ida ao Egito (1700 a.C.), o Êxodo (1200 a.C.), a deportação para a Babilônia e o regresso à Palestina (século VI a.C.). A partir desses dados, pode-se inferir: a) O povo hebreu realizou trocas comerciais e culturais com o Egito e a Mesopotâmia, e essas trocas influíram na sua formação cultural e religiosa. b) Como se percebiam como “povo eleito por Deus”, os hebreus recusavam qualquer influência das culturas e das religiões dos povos do Oriente Médio. c) A força política e militar dos hebreus se impôs sobre os reinos do Oriente Médio, originando uma cultura e religião dominantes na região. d) As migrações dos povos da Antiguidade eram raras, devido às péssimas condições das estradas e à precariedade dos meios de transporte. e) As migrações de povos tornaram-se possíveis com as facilidades criadas pelas sociedades estatais no Egito e Mesopotâmia. 5. (Ufrgs 2013) Durante o reinado de Hamurábi na Babilônia (1792 – 1750 a.C.), foi escrita uma relação de sentenças legais que, modernamente, é conhecida pelo nome de Código de Hamurábi. O objetivo da obra era a) estabelecer uma ordem constitucional para fundar o Estado imperial mesopotâmico. b) enaltecer a pessoa do rei, associando-a ao poder, à justiça e à sabedoria. c) proporcionar aos cidadãos do império um código legal universal e aplicável a todas as situações conflituosas. d) impor a lei do Talião como norma exclusiva para a ordem constitucional mesopotâmica. e) promover a igualdade jurídica entre todos os súditos do rei. Página 2 de 4
  • 3. Interbits – SuperPro ® Web Gabarito: Resposta da questão 1: [E] A agricultura – marca básica da passagem do Paleolítico para o Neolítico – foi a base das primeiras civilizações antigas, como o Egito Antigo. Parte central da economia egípcia, a agricultura movimentava todos os segmentos sociais egípcios, como mostram as imagens. Resposta da questão 2: [D] A chamada Revolução Neolítica ou Revolução Agrícola diz respeito ao advento da agricultura e suas consequências no período Neolítico. Resposta da questão 3: [B] O texto deixa bem claro os tipos de escravidão empregados na Assíria: (1) por razões financeiras (empréstimos ou dívidas) e (2) por motivos de guerra (conquistas territoriais). Resposta da questão 4: [A] A alternativa [A] apresenta informações corretas sobre o povo hebreu, no entanto, não tem relação direta com os deslocamentos apresentados no texto, muitos deles realizados por imposição de outros povos ou fugas de situações adversas. Resposta da questão 5: [B] O Código de Hamurabi é atualmente considerado não somente uma coleção de leis que deveriam ser aplicadas universalmente nos domínios do rei, como também como uma composição literária que visava enaltecer o seu poder e suas qualidades como justo e promotor da ordem. Servia como um paradigma, como exemplo do que leva a ser justo e a justiça no reino de Hamurabi. Tendo como centro o enaltecimento da pessoa sagrada do monarca, seu sentido é ir ao encontro da justificação do poder do rei. Portanto, conceitos como o de “cidadão”, “ordem constitucional” e “igualdade jurídica” são completamente estranhos àquele tipo de sociedade. Página 3 de 4
  • 4. Interbits – SuperPro ® Web Resumo das questões selecionadas nesta atividade Data de elaboração: 11/03/2015 às 09:06 Nome do arquivo: PROVA HISTÓRIA GERAL 3 ANO CHIQUINHO_APOIO Legenda: Q/Prova = número da questão na prova Q/DB = número da questão no banco de dados do SuperPro® Q/prova Q/DB Grau/Dif. Matéria Fonte Tipo 1.............135938.....Baixa.............História..........Fuvest/2015.........................Múltipla escolha 2.............137397.....Baixa.............História..........Ufsm/2015............................Múltipla escolha 3.............130410.....Baixa.............História..........G1 - ifsp/2014.......................Múltipla escolha 4.............124444.....Média.............História..........Ufsm/2013............................Múltipla escolha 5.............125457.....Média.............História..........Ufrgs/2013............................Múltipla escolha Página 4 de 4