SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistema Nervoso
SNC e SNP
Sistema Nervoso Humano
• A comunicação entre os diversos órgãos
e células do organismo ocorre graças a
dois eficientes sistemas de integração
corporal:
• O sistema nervoso
• O sistema endócrino
Organização
do sistema nervoso humano
• Sistema nervoso central
(SNC) Encéfalo
Medula espinhal
• Sistema nervoso periférico
(SNP) Nervos
e gânglios
• Processamento e
integração de
informações
• Condução de
informações entre órgãos
receptores, o SNC e
órgãos efetuadores
(músculos).
Sistema nervoso central (SNC)
O encéfalo
• O encéfalo humano tem cerca de 1,4 kg nas
pessoas adultas e preenche totalmente a caixa
craniana. O encéfalo forma-se no inicio do
desenvolvimento embrionário. As principais partes
do encéfalo humano:
• Cérebro
• Cerebelo -meninges
• Ponte tronco -líquido cérebro
• Bulbo raquidiano encefálico espinhal
MENINGES
As meninges são três membranas concêntricas
sobrepostas, que revestem o encéfalo e a medula espinal
com o intuito de os protegerem. As três membranas, cada
uma de diferente consistência, denominam-se dura-máter,
aracnóide e pia-máter.
 Dura-máter: é a membrana mais externa, espessa e
resistente, estando diretamente ligada a superfície interior do
crânio e a face interior das paredes do canal vertebral onde
se encontra a medula espinhal.
 Aracnóide: é a membrana média, fina e elástica, cuja
estrutura forma uma rede semelhante a de uma "teia de
aranha".
 Pia-máter: é a membrana interna, muito fina e delicada,
firmemente fixada a superfície do encéfalo e da medula
espinal, de tal forma que penetra em todas as dobras e
sulcos cerebrais e espinais.
Cérebro
• É a parte mais desenvolvida
do encéfalo humano,
constituindo entre 85% e
90% da massa encefálica
do crânio.
• Sua superfície é
intensamente pregueada,
marcada por sulcos e
depressões, que definem os
giros, ou circunvoluções
cerebrais.
• Um profundo sulco
longitudinal divide quase
que completamente o
cérebro em pela metade,
formando os hemisférios
cerebrais direito e esquerdo.
Circunvoluções
Cérebro
• A camada mais externa dos hemisférios cerebrais, é o
córtex cerebral, constituído por mais de 20 bilhões de
corpos celulares de neurônios; o córtex, por sua
aparência, recebeu no passado o nome de substância
cinzenta.
• A região mais interna dos hemisférios cerebrais é
constituída por dendritos e axônio (neurofibras) que
levam informações ao córtex e trazem dele instruções
para o funcionamento corporal; por sua aparência mais
clara que a do córtex, recebeu o nome de substância
branca.
Córtex cerebral  massa cinzenta
 presença de corpos de neurônios
Medula cerebral
 massa branca
 presença de
axônios
• Cerebelo: manutenção das funções
motoras, como a locomoção, o equilíbrio
corporal e do tônus e o vigor muscular
• Ponte: onde ocorre o cruzamento das vias
motoras, que passam a ocupar, na medula
espinhal, o lado contrário do que ocupam no
cérebro.
• Bulbo: presença de centro nervosos
relacionados com batimentos cardíacos,
movimentos respiratórios e do tubo digestivo
Medula espinhal
• Liga o encéfalo aos nervos
espinhais
• Fio de aproximadamente 40
cm de comprimento.
• Protegido pelas vértebras,
meninges e líquido
raquidiano.
• Relacionada com os atos
reflexos – respostas rápidas
sem participação do encéfalo.
Sistema Nervoso Periférico
SNP é formado pelas vias que conduzem os estímulos
ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores as
ordens emanadas da porção central. SNP compreende
os nervos cranianos (12) e espinhais (33), os gânglios e
as terminações nervosas.
- Nervos: feixes de fibras nervosas
envoltas por tecido conjuntivo
- Gânglios: aglomerados de corpos
de neurônios fora do SNC
Sistema Nervoso Periférico
• Nervos sensitivos são os que contêm somente fibras
sensitivas, que conduzem impulsos dos órgãos
sensitivos para o sistema nervoso central.
• Nervos motores são os que contêm somente fibras
motoras, que conduzem impulsos do sistema nervoso
central até os órgãos efetuadores (músculos ou
glândulas).
• Nervos mistos contêm tanto fibras sensitivas quanto
motoras.
SNP: Voluntário e Autônomo
• SNP Voluntário : tem como função reagir a estímulos
provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por
fibras motoras que conduzem impulsos do sistema
nervoso central aos músculos esqueléticos
• SNP Autônomo: tem por função regular o ambiente
interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas
digestivos, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele
contém fibras nervosas que conduzem impulsos do
sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras
e à musculatura do coração
Sistema Nervoso Periférico
Autônomo (SNPA)
O SNP autônomo (SNPA) é dividido em dois ramos:
simpático e parassimpático, que se distinguem tanto pela
estrutura quanto pela função.
• SNPA simpático: os gânglios localizam-se ao lado da
medula espinhal, distantes do órgão efetuador. Estimula
ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo
responder a situações de estresse.
• SNPA parassimpático: os gânglios das vias
parassimpáticas estão longe do sistema nervoso central e
próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador. Estimula
principalmente atividades relaxantes, como a redução do
ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
SNPA: Parassimpático e Simpático
Tecido nervoso
• Tipos celulares:
- Neurônios – condução de impulsos nervosos
- Células da Neuróglia/Glia – manutenção dos
neurônios
Neurônio
• Neurônio é a unidade morfológica e fisiológica do
sistema nervoso. É uma célula composta de um corpo
celular, onde está o núcleo, e de finos prolongamentos
celulares, que podem ser dendritos ou axônios.
• dendritos são prolongamentos geralmente muito
ramificados e que atuam como receptores de estímulos.
• axônios atuam como condutores dos impulsos nervosos
e só possuem ramificações na extremidade.
Morfologia do neurônio
O axônio é envolvido por um tipo celular denominado célula
de Schwann.
• Células de Schwann: determinam a formação da bainha
de mielina (invólucro lipídico), que atua como isolante
elétrico e facilita a transmissão do impulso nervoso.
• Nódulo de Ranvier: região de descontinuidade da
bainha de mielina, localizada entre uma célula de
Schwann e outra, que acarreta a existência de uma
constrição (estrangulamento).
• Neurilema: A parte celular da bainha de mielina, onde
estão o citoplasma e o núcleo da célula de Schwann.
NEURÔNIO
Tipos de Neurônios
• Neurônios aferentes (sensitivo): normalmente situados no epitélio
da superfície do animal, apresentando a característica de
irritabilidade, detectando as modificações do meio ambiente, tanto
interno como externo, ou seja, são sensíveis aos estímulos externos
ou internos.
• Neurônios eferentes ou motores: são especializados na condução
do impulso nervoso ao órgão efetuador, que pode ser um músculo ou
uma glândula, no caso dos mamíferos.
• Neurônio de associação: faz sinapse com o axônio do neurônio
aferente de um determinado segmento do animal, passando pela
corda ventral do animal e fazendo sinapse com o neurônio motor do
segmento vizinho, permitindo que um estímulo recebido em um
segmento provoque resposta em outro. A concentração dos neurônios
de associação aumentou consideravelmente o número de sinapses,
permitindo a formação dos gânglios cerebróides nos invertebrados e
do encéfalo nos vertebrados.
Tipos de Neurônios
Condução do impulso nervoso
O percurso do impulso nervoso no neurônio é sempre no
sentido dendrito --> corpo celular --> axônio.
Sinapses
• Interneuronais: neurônio – neurônio
• Neuromusculares: neurônio – músculo
• Neuroglandulares: neurônio – célula
glandular
Neurotransmissores
estão presentes em
vesículas na
terminação do axônio.
Chegada do impulso na
terminação resulta na
liberação dos
neurotransmissores na
fenda sináptica
Os neurotransmissores
atingem o outro neurônio
desencadeando impulso
nervoso
SINAPSE
Células da Glia
• Também chamadas de neuróglia
• Menores que os neurônios
• Mais numerosas
• Várias funções: • Sustentação do tecido
• Produção de mielina
• Remoção de excretas
• Fornecimento de substâncias
nutritivas aos neurônios
• Fagocitose de restos celulares
• Isolamento dos neurônios
Células da Neuróglia
Neuróglia Central (SNC)
- Gliócitos livres
a - Macróglia
. Astrócitos
- Protoplasmáticos
- Fibrosos
. Oligodendrócitos
b - Micróglia
Ato reflexo
• Permitem a reação rápido do organismo em
casos de emergência
• Resposta rápida sem a participação do encéfalo
• Participam o nervo sensorial, medula (nervoso
associativo) e nervo motor.
Tálamo e Hipotálamo
• O tálamo e o hipotálamo,
estão localizados
embaixo do cérebro.O
tálamo atua como uma
estação integradora e
retransmissora de
impulsos nervosos para o
córtex cerebral; é um
papel importante na
regulação do estado de
consciência, alerta e
atenção.
• O hipotálamo é um
estrutura do tamanho de
um grão de ervilha.Ele
regula a homeostase
corporal; controla a
temperatura, o apetite e o
equilíbrio hídrico, centro
de expressão emocional
e do comportamento
sexual. Faz integração
com os sistemas nervoso
e endócrino.
NERVOS CRANIANOS
Nervos cranianos
partem do encéfalo, em
doze pares,
conectando-o a órgãos
do sentido e músculos,
principalmente aos
localizados na região
da cabeça.
SÃO ELES:
I – Nervo olfatório
É um nervo sensitivo e, como sugere seu nome, transmite impulsos
relacionados ao olfato.
II – Nervo óptico
Também sensitivo. Suas fibras estão relacionadas aos impulsos
visuais.
III- Nervo óculo-motor
IV- Nervo troclear
VI- Nervo abducente
Nervos predominantemente do tipo motor, responsáveis por
informações relacionadas aos movimentos dos olhos, incluindo
também o ajustamento do foco e de luz. Algumas fibras sensitivas
atuam no que se diz respeito a informações relativas às condições
musculares do indivíduo.
V- Nervo trigêmeo
É um nervo misto: fibras motoras estão relacionadas aos músculos
da mastigação; e as do tipo sensitivas, enviam mensagens dos
olhos, glândulas lacrimais, pálpebras, dentes, gengivas, lábios,
palato, pele da face e couro cabeludo.
VII- Nervo facial
Nervo misto. Fibras motoras fornecem impulsos relacionados à
expressão facial e liberação de lágrimas e saliva. Fibras sensitivas
são responsáveis por aspectos relacionados à gustação.
VIII- Nervo vestíbulococlear
Sensitivo. Está relacionado ao equilíbrio corporal e audição.
IX- Nervo glossofaríngeo
Do tipo misto, sendo que as fibras sensitivas são responsáveis
pelos impulsos originários da faringe, tonsilas, língua e carótidas; e
as motoras, por levar impulsos às glândulas salivares e músculos
faríngeos.
X- Nervo vago
Misto. Relacionado aos batimentos cardíacos, funcionamento dos
pulmões e sistema digestório, fala e deglutição.
XI- Nervo acessório
Do tipo motor, enviando mensagens aos ombros, pescoço, faringe,
laringe e palato mole.
XII- Nervo hipoglosso
Também motor, sendo responsável pelos movimentos dos
músculos da língua, faringe e laringe.
NERVOS PERIFÉRICOS
O Sistema Nervoso periférico é responsável pela
transmissão dos estímulos do corpo ao cérebro e vice-versa;
compreende as fibras motoras e sensitivas dos nervos
espinhais e cranianos, e também os gânglios. Os nervos
apresentam-se aos pares, porque um deles (nervo sensitivo)
transporta o estímulo e o outro (nervo motor) a resposta.
Alguns nervos cranianos apresentam-se de forma diferente,
com os nervos acumulando a função sensitiva e motora
(nervos mistos). Os nervos espinhais localizam-se dentro do
canal vertebral e saem pelos forames intervertebrais.
Todos os nervos ramificam-se e como as células do
corpo localizam-se próximo a uma ramificação nervosa,
possibilita às células enviar e receber os estímulos de forma
contínua.
TERMINOLOGIA
• ATAXIA: falta de coordenação motora;
• CONVULSÃO: contrações involuntárias, agitação
desordenada;
• DISESTESIA: distúrbio da sensibilidade superficial tátil;
• DISTONIA: perturbação na tonicidade dos músculos;
• HEMIPLEGIA: paralisação de metade do corpo;
• HIPERALGESIA: sensibilidade exagerada a dor;
• HIPOTONIA: tonicidade muscular diminuída;
• NISTAGMO: movimento involuntário, rápido e repetitivo
do globo ocular.
• PARAPLEGIA: paralisia dos MMII;
• PARESTESIA: alteração da sensibilidade, com
sensações anormais;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
14 o sistema nervoso
14   o sistema nervoso14   o sistema nervoso
14 o sistema nervoso
 
Sistema sensorial humano
Sistema sensorial humanoSistema sensorial humano
Sistema sensorial humano
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso slides
Sistema nervoso slidesSistema nervoso slides
Sistema nervoso slides
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso periférico
Sistema nervoso periféricoSistema nervoso periférico
Sistema nervoso periférico
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Sistema nervoso periférico
Sistema nervoso periféricoSistema nervoso periférico
Sistema nervoso periférico
 
Aula sm (sn)
Aula sm (sn)Aula sm (sn)
Aula sm (sn)
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
 
Aula 05 sistema muscular esquelético
Aula 05   sistema muscular esqueléticoAula 05   sistema muscular esquelético
Aula 05 sistema muscular esquelético
 
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema EndócrinoFisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
Fisiologia Humana 8 - Sistema Endócrino
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervoso
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervoso Sistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Semelhante a 11 ¬ aula slides sistema nervoso

Semelhante a 11 ¬ aula slides sistema nervoso (20)

Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema Neurológico
Sistema NeurológicoSistema Neurológico
Sistema Neurológico
 
SISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptxSISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptx
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
 
Sistema Nervoso.
Sistema Nervoso.Sistema Nervoso.
Sistema Nervoso.
 
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
 
M5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptxM5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptx
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso HumanoAnatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
 
Sistema neurohormonal
Sistema neurohormonalSistema neurohormonal
Sistema neurohormonal
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
 
Sistema neuro hormonal
Sistema neuro hormonalSistema neuro hormonal
Sistema neuro hormonal
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Filogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema NervosoFilogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema Nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptxVet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
 
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 1/1
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 1/1[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 1/1
[Instituto Interage - Curso de Psicofarmacologia] Aula 1/1
 

Mais de Simone Alvarenga

instrumentação cirurgica
instrumentação cirurgicainstrumentação cirurgica
instrumentação cirurgicaSimone Alvarenga
 
Insuficiência respiratória
Insuficiência respiratóriaInsuficiência respiratória
Insuficiência respiratóriaSimone Alvarenga
 
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02Simone Alvarenga
 
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01Simone Alvarenga
 
Trabalho202 110816190049-phpapp02
Trabalho202 110816190049-phpapp02Trabalho202 110816190049-phpapp02
Trabalho202 110816190049-phpapp02Simone Alvarenga
 
2ª aula slides avaliação inicial da vitima
2ª aula slides   avaliação inicial da vitima2ª aula slides   avaliação inicial da vitima
2ª aula slides avaliação inicial da vitimaSimone Alvarenga
 
17ª aula slides sistema digestório
17ª aula slides sistema digestório17ª aula slides sistema digestório
17ª aula slides sistema digestórioSimone Alvarenga
 
6ª aula sistema urinário
6ª aula sistema urinário6ª aula sistema urinário
6ª aula sistema urinárioSimone Alvarenga
 
2ª aula slides sinais vitais
2ª aula slides   sinais vitais2ª aula slides   sinais vitais
2ª aula slides sinais vitaisSimone Alvarenga
 
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Simone Alvarenga
 
Aula slides micologia geral
Aula slides   micologia geralAula slides   micologia geral
Aula slides micologia geralSimone Alvarenga
 
Aula slides introdu+º+úo a microbiologia
Aula slides   introdu+º+úo a microbiologiaAula slides   introdu+º+úo a microbiologia
Aula slides introdu+º+úo a microbiologiaSimone Alvarenga
 
16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genitalSimone Alvarenga
 

Mais de Simone Alvarenga (17)

instrumentação cirurgica
instrumentação cirurgicainstrumentação cirurgica
instrumentação cirurgica
 
Insuficiência respiratória
Insuficiência respiratóriaInsuficiência respiratória
Insuficiência respiratória
 
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02
Anatomiaii sistemacardiovascular-120831120501-phpapp02
 
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01
Fisiologiaeanatomiadosistemacardiovascular 090707113151-phpapp01
 
Trabalho202 110816190049-phpapp02
Trabalho202 110816190049-phpapp02Trabalho202 110816190049-phpapp02
Trabalho202 110816190049-phpapp02
 
2ª aula slides avaliação inicial da vitima
2ª aula slides   avaliação inicial da vitima2ª aula slides   avaliação inicial da vitima
2ª aula slides avaliação inicial da vitima
 
17ª aula slides sistema digestório
17ª aula slides sistema digestório17ª aula slides sistema digestório
17ª aula slides sistema digestório
 
6ª aula sistema urinário
6ª aula sistema urinário6ª aula sistema urinário
6ª aula sistema urinário
 
2ª aula slides sinais vitais
2ª aula slides   sinais vitais2ª aula slides   sinais vitais
2ª aula slides sinais vitais
 
Sistema linfático
Sistema linfáticoSistema linfático
Sistema linfático
 
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
Powerpointsistemacirculatrio parteiii-090506093501-phpapp02
 
Aula slides virologia
Aula slides   virologiaAula slides   virologia
Aula slides virologia
 
Aula slides micologia geral
Aula slides   micologia geralAula slides   micologia geral
Aula slides micologia geral
 
Aula slides introdu+º+úo a microbiologia
Aula slides   introdu+º+úo a microbiologiaAula slides   introdu+º+úo a microbiologia
Aula slides introdu+º+úo a microbiologia
 
16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital16 ¬ aula slides sistema genital
16 ¬ aula slides sistema genital
 
Aula slides bacteriologia
Aula slides   bacteriologiaAula slides   bacteriologia
Aula slides bacteriologia
 
Alzheimer
AlzheimerAlzheimer
Alzheimer
 

11 ¬ aula slides sistema nervoso

  • 2. Sistema Nervoso Humano • A comunicação entre os diversos órgãos e células do organismo ocorre graças a dois eficientes sistemas de integração corporal: • O sistema nervoso • O sistema endócrino
  • 3. Organização do sistema nervoso humano • Sistema nervoso central (SNC) Encéfalo Medula espinhal • Sistema nervoso periférico (SNP) Nervos e gânglios • Processamento e integração de informações • Condução de informações entre órgãos receptores, o SNC e órgãos efetuadores (músculos).
  • 4.
  • 5. Sistema nervoso central (SNC) O encéfalo • O encéfalo humano tem cerca de 1,4 kg nas pessoas adultas e preenche totalmente a caixa craniana. O encéfalo forma-se no inicio do desenvolvimento embrionário. As principais partes do encéfalo humano: • Cérebro • Cerebelo -meninges • Ponte tronco -líquido cérebro • Bulbo raquidiano encefálico espinhal
  • 6. MENINGES As meninges são três membranas concêntricas sobrepostas, que revestem o encéfalo e a medula espinal com o intuito de os protegerem. As três membranas, cada uma de diferente consistência, denominam-se dura-máter, aracnóide e pia-máter.  Dura-máter: é a membrana mais externa, espessa e resistente, estando diretamente ligada a superfície interior do crânio e a face interior das paredes do canal vertebral onde se encontra a medula espinhal.  Aracnóide: é a membrana média, fina e elástica, cuja estrutura forma uma rede semelhante a de uma "teia de aranha".  Pia-máter: é a membrana interna, muito fina e delicada, firmemente fixada a superfície do encéfalo e da medula espinal, de tal forma que penetra em todas as dobras e sulcos cerebrais e espinais.
  • 7.
  • 8. Cérebro • É a parte mais desenvolvida do encéfalo humano, constituindo entre 85% e 90% da massa encefálica do crânio. • Sua superfície é intensamente pregueada, marcada por sulcos e depressões, que definem os giros, ou circunvoluções cerebrais. • Um profundo sulco longitudinal divide quase que completamente o cérebro em pela metade, formando os hemisférios cerebrais direito e esquerdo. Circunvoluções
  • 9. Cérebro • A camada mais externa dos hemisférios cerebrais, é o córtex cerebral, constituído por mais de 20 bilhões de corpos celulares de neurônios; o córtex, por sua aparência, recebeu no passado o nome de substância cinzenta. • A região mais interna dos hemisférios cerebrais é constituída por dendritos e axônio (neurofibras) que levam informações ao córtex e trazem dele instruções para o funcionamento corporal; por sua aparência mais clara que a do córtex, recebeu o nome de substância branca.
  • 10. Córtex cerebral  massa cinzenta  presença de corpos de neurônios Medula cerebral  massa branca  presença de axônios
  • 11. • Cerebelo: manutenção das funções motoras, como a locomoção, o equilíbrio corporal e do tônus e o vigor muscular • Ponte: onde ocorre o cruzamento das vias motoras, que passam a ocupar, na medula espinhal, o lado contrário do que ocupam no cérebro. • Bulbo: presença de centro nervosos relacionados com batimentos cardíacos, movimentos respiratórios e do tubo digestivo
  • 12.
  • 13. Medula espinhal • Liga o encéfalo aos nervos espinhais • Fio de aproximadamente 40 cm de comprimento. • Protegido pelas vértebras, meninges e líquido raquidiano. • Relacionada com os atos reflexos – respostas rápidas sem participação do encéfalo.
  • 14. Sistema Nervoso Periférico SNP é formado pelas vias que conduzem os estímulos ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores as ordens emanadas da porção central. SNP compreende os nervos cranianos (12) e espinhais (33), os gânglios e as terminações nervosas. - Nervos: feixes de fibras nervosas envoltas por tecido conjuntivo - Gânglios: aglomerados de corpos de neurônios fora do SNC
  • 15. Sistema Nervoso Periférico • Nervos sensitivos são os que contêm somente fibras sensitivas, que conduzem impulsos dos órgãos sensitivos para o sistema nervoso central. • Nervos motores são os que contêm somente fibras motoras, que conduzem impulsos do sistema nervoso central até os órgãos efetuadores (músculos ou glândulas). • Nervos mistos contêm tanto fibras sensitivas quanto motoras.
  • 16. SNP: Voluntário e Autônomo • SNP Voluntário : tem como função reagir a estímulos provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos esqueléticos • SNP Autônomo: tem por função regular o ambiente interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas digestivos, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele contém fibras nervosas que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras e à musculatura do coração
  • 17. Sistema Nervoso Periférico Autônomo (SNPA) O SNP autônomo (SNPA) é dividido em dois ramos: simpático e parassimpático, que se distinguem tanto pela estrutura quanto pela função. • SNPA simpático: os gânglios localizam-se ao lado da medula espinhal, distantes do órgão efetuador. Estimula ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo responder a situações de estresse. • SNPA parassimpático: os gânglios das vias parassimpáticas estão longe do sistema nervoso central e próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador. Estimula principalmente atividades relaxantes, como a redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
  • 19. Tecido nervoso • Tipos celulares: - Neurônios – condução de impulsos nervosos - Células da Neuróglia/Glia – manutenção dos neurônios
  • 20. Neurônio • Neurônio é a unidade morfológica e fisiológica do sistema nervoso. É uma célula composta de um corpo celular, onde está o núcleo, e de finos prolongamentos celulares, que podem ser dendritos ou axônios. • dendritos são prolongamentos geralmente muito ramificados e que atuam como receptores de estímulos. • axônios atuam como condutores dos impulsos nervosos e só possuem ramificações na extremidade.
  • 21. Morfologia do neurônio O axônio é envolvido por um tipo celular denominado célula de Schwann. • Células de Schwann: determinam a formação da bainha de mielina (invólucro lipídico), que atua como isolante elétrico e facilita a transmissão do impulso nervoso. • Nódulo de Ranvier: região de descontinuidade da bainha de mielina, localizada entre uma célula de Schwann e outra, que acarreta a existência de uma constrição (estrangulamento). • Neurilema: A parte celular da bainha de mielina, onde estão o citoplasma e o núcleo da célula de Schwann.
  • 23. Tipos de Neurônios • Neurônios aferentes (sensitivo): normalmente situados no epitélio da superfície do animal, apresentando a característica de irritabilidade, detectando as modificações do meio ambiente, tanto interno como externo, ou seja, são sensíveis aos estímulos externos ou internos. • Neurônios eferentes ou motores: são especializados na condução do impulso nervoso ao órgão efetuador, que pode ser um músculo ou uma glândula, no caso dos mamíferos. • Neurônio de associação: faz sinapse com o axônio do neurônio aferente de um determinado segmento do animal, passando pela corda ventral do animal e fazendo sinapse com o neurônio motor do segmento vizinho, permitindo que um estímulo recebido em um segmento provoque resposta em outro. A concentração dos neurônios de associação aumentou consideravelmente o número de sinapses, permitindo a formação dos gânglios cerebróides nos invertebrados e do encéfalo nos vertebrados.
  • 25. Condução do impulso nervoso O percurso do impulso nervoso no neurônio é sempre no sentido dendrito --> corpo celular --> axônio.
  • 26. Sinapses • Interneuronais: neurônio – neurônio • Neuromusculares: neurônio – músculo • Neuroglandulares: neurônio – célula glandular
  • 27. Neurotransmissores estão presentes em vesículas na terminação do axônio. Chegada do impulso na terminação resulta na liberação dos neurotransmissores na fenda sináptica Os neurotransmissores atingem o outro neurônio desencadeando impulso nervoso SINAPSE
  • 28. Células da Glia • Também chamadas de neuróglia • Menores que os neurônios • Mais numerosas • Várias funções: • Sustentação do tecido • Produção de mielina • Remoção de excretas • Fornecimento de substâncias nutritivas aos neurônios • Fagocitose de restos celulares • Isolamento dos neurônios
  • 29. Células da Neuróglia Neuróglia Central (SNC) - Gliócitos livres a - Macróglia . Astrócitos - Protoplasmáticos - Fibrosos . Oligodendrócitos b - Micróglia
  • 30. Ato reflexo • Permitem a reação rápido do organismo em casos de emergência • Resposta rápida sem a participação do encéfalo • Participam o nervo sensorial, medula (nervoso associativo) e nervo motor.
  • 31. Tálamo e Hipotálamo • O tálamo e o hipotálamo, estão localizados embaixo do cérebro.O tálamo atua como uma estação integradora e retransmissora de impulsos nervosos para o córtex cerebral; é um papel importante na regulação do estado de consciência, alerta e atenção. • O hipotálamo é um estrutura do tamanho de um grão de ervilha.Ele regula a homeostase corporal; controla a temperatura, o apetite e o equilíbrio hídrico, centro de expressão emocional e do comportamento sexual. Faz integração com os sistemas nervoso e endócrino.
  • 32.
  • 33. NERVOS CRANIANOS Nervos cranianos partem do encéfalo, em doze pares, conectando-o a órgãos do sentido e músculos, principalmente aos localizados na região da cabeça.
  • 34. SÃO ELES: I – Nervo olfatório É um nervo sensitivo e, como sugere seu nome, transmite impulsos relacionados ao olfato. II – Nervo óptico Também sensitivo. Suas fibras estão relacionadas aos impulsos visuais. III- Nervo óculo-motor IV- Nervo troclear VI- Nervo abducente Nervos predominantemente do tipo motor, responsáveis por informações relacionadas aos movimentos dos olhos, incluindo também o ajustamento do foco e de luz. Algumas fibras sensitivas atuam no que se diz respeito a informações relativas às condições musculares do indivíduo.
  • 35. V- Nervo trigêmeo É um nervo misto: fibras motoras estão relacionadas aos músculos da mastigação; e as do tipo sensitivas, enviam mensagens dos olhos, glândulas lacrimais, pálpebras, dentes, gengivas, lábios, palato, pele da face e couro cabeludo. VII- Nervo facial Nervo misto. Fibras motoras fornecem impulsos relacionados à expressão facial e liberação de lágrimas e saliva. Fibras sensitivas são responsáveis por aspectos relacionados à gustação. VIII- Nervo vestíbulococlear Sensitivo. Está relacionado ao equilíbrio corporal e audição.
  • 36. IX- Nervo glossofaríngeo Do tipo misto, sendo que as fibras sensitivas são responsáveis pelos impulsos originários da faringe, tonsilas, língua e carótidas; e as motoras, por levar impulsos às glândulas salivares e músculos faríngeos. X- Nervo vago Misto. Relacionado aos batimentos cardíacos, funcionamento dos pulmões e sistema digestório, fala e deglutição. XI- Nervo acessório Do tipo motor, enviando mensagens aos ombros, pescoço, faringe, laringe e palato mole. XII- Nervo hipoglosso Também motor, sendo responsável pelos movimentos dos músculos da língua, faringe e laringe.
  • 37.
  • 38. NERVOS PERIFÉRICOS O Sistema Nervoso periférico é responsável pela transmissão dos estímulos do corpo ao cérebro e vice-versa; compreende as fibras motoras e sensitivas dos nervos espinhais e cranianos, e também os gânglios. Os nervos apresentam-se aos pares, porque um deles (nervo sensitivo) transporta o estímulo e o outro (nervo motor) a resposta. Alguns nervos cranianos apresentam-se de forma diferente, com os nervos acumulando a função sensitiva e motora (nervos mistos). Os nervos espinhais localizam-se dentro do canal vertebral e saem pelos forames intervertebrais. Todos os nervos ramificam-se e como as células do corpo localizam-se próximo a uma ramificação nervosa, possibilita às células enviar e receber os estímulos de forma contínua.
  • 39.
  • 40.
  • 41. TERMINOLOGIA • ATAXIA: falta de coordenação motora; • CONVULSÃO: contrações involuntárias, agitação desordenada; • DISESTESIA: distúrbio da sensibilidade superficial tátil; • DISTONIA: perturbação na tonicidade dos músculos; • HEMIPLEGIA: paralisação de metade do corpo; • HIPERALGESIA: sensibilidade exagerada a dor; • HIPOTONIA: tonicidade muscular diminuída; • NISTAGMO: movimento involuntário, rápido e repetitivo do globo ocular. • PARAPLEGIA: paralisia dos MMII; • PARESTESIA: alteração da sensibilidade, com sensações anormais;