SlideShare uma empresa Scribd logo
Filogênese do Sistema Nervoso Liga de Neurociências Alunos: Ernane Magalhães Talles Van Der Maas
O que é filogênese? Consiste na origem e evolução dos seres vivos desde as formas mais simples até ao aparecimento dos seres mais complexos (homem).
Origem de alguns Reflexos Para os seres vivos se ajustarem ao meio ambiente, são necessárias três propriedades: Irritabilidade Condutibilidade Contratilidade
Amebas Se tocarmos uma ameba, observa-se que ela afasta-se do ponto onde foi tocada. Ela é  sensível  e  conduz  informações sobre o estímulo a outras partes da célula, determinando  retração  de um lado e emissão de pseudópodos do outro.
Em seres um pouco mais complexos como as  esponjas  parte do citoplasma se especializou para a contração e outra, na superfície, desenvolveu mais as propriedades de irritabilidade e condutibilidade.
Anêmona do mar Nos celenterados é provável que tenha surgido os primeiros neurônios e receptores nervosos.
Anelídeos e Platelmintos Centralização do sistema nervoso Neurônios aferentes e eferentes aparecem pela primeira vez.
Anelídeos Animal segmentado Contração de dois tipos: intra-segmentar e inter-segmentar. Neurônio de associação faz associação de um segmento com outro e possibilita a contração inter-segmentar.
Reflexos da Medula Espinhal Reflexo intra-segmentar: Parte aferente do arco reflexo liga-se à parte eferente no mesmo segmento ou em segmentos a adjacentes.  Ex: reflexo patelar.
Reflexo inter-segmentar: Impulso aferente chega à medula em um segmento e a resposta eferente se origina em segmentos distantes. Presença de neurônios de associação. Ex: reflexo de coçar do cão.
Evolução dos três neurônios fundamentais do Sistema Nervoso Neurônio aferente ou sensitivo: Conduz impulso da superfície ao centro Durante a filogênese tendência de centralização do corpo do neurônio.
Neurônio eferente ou motor: Conduz impulso nervoso ao órgão efetuador, músculo ou glândula. Durante a evolução a maioria dos corpos dos neurônios surgiram e permaneceram dentro do SNC, exceto os corpos dos neurônios que inervam os músculos lisos, músculo cardíaco ou glândulas, que se localizam nos gânglios viscerais e pertencem ao SNA.
Neurônios de associação ou internunciais: Situa-se entre o neurônio aferente e um neurônio eferente. Torna possível a grande variabilidade e complexidade das respostas frente a um estímulo nervoso. Aumento do número de sinapses. Ajudou a formar o encéfalo. Permitiu as funções mentais superiores. O ápice do sistema nervoso está no ser humano.
Embriologia, Divisões e Organização Geral do Sistema Nervoso
Origem do Sistema Nervoso   É originado do folheto embrionário ectoderma. Indícios da formação: 1º- da placa neural; 2º- do sulco neural; 3º- da goteira neural; 4º- do tubo e cristas neurais.
Cristas Neurais Formam o SNP e células em tecidos situados longe do SNC. São derivados das cristas neurais: gânglios sensitivos, gânglios motores viscerais, medula da glândula supra-renal, paragânglios, melanócitos, células de Schwann, células C da tireoíde.
Tubo Neural Origina elementos o SNC. A fusão dos lábios da goteira neural inicia no meio, sendo mais lento nas extremidades. Isso gera pequenos orifícios nas extremidades cranial e caudal, denominados, respectivamente, neuróporo rostral e neuróporo caudal.
A falha no fechamento do Neuroporo Anterior causa a má formação do encéfalo caracterizando o aparecimento de uma Anencefalia
A falha no fechamento do Neuroporo Posterior causa a má formação da medula espinhal o que caracteriza o aparecimento da Espinha Bífida.
Paredes do Tubo Neural Camada ependimária(interna)- origina o epêndima, epitélio de revestimento das cavidades ventriculares. Camada do manto(média) - origina a substância cinzenta da medula espinhal. Camada marginal(externa) - origina a substância branca da medula espinhal.
Estrutura da parede do Tubo Neural É formada por: duas lâminas alares, duas lâminas basais, uma lâmina do tecto e uma lâmina do assoalho. Nas lâminas alares: conexão de filamentos dos neurônios sensitivos. Nas lâminas basais: diferenciação de neurônios motores. Lâmina do tecto: origina o epêndima da tela corióide e dos plexos corióides. Lâmina do assoalho: forma o sulco mediano do assoalho do IV ventrículo.
Sulco limitante: separa as lâminas alares das lâminas basais. Áreas próximas do sulco: inervação das vísceras. Áreas mais afastadas inervam estruturas somáticas.
Dilatações do Tubo Neural Dilatação da parte cranial: encéfalo primitivo ou arquencéfalo. Parte caudal não dilata: medula primitiva. No arquencéfalo distingue-se três dilatações: prosencéfalo,mesencéfalo e rombencéfalo.
Dilatações do Tubo Neural Prosencéfalo divide-se em: telencéfalo e diencéfalo. Mesencéfalo não se modifica. Rombencéfalo origina: metencéfalo e o mielencéfalo.
Dilatações do Tubo Neural Telencéfalo: parte mediana e vesículas laterais. Estas crescem para formar os hemisférios cerebrais. Diencéfalo: apresenta 4 divertículos: dois laterais: vesículas ópticas,que forma a retina. um dorsal: forma o corpo pineal. um ventral: infundíbulo, que forma a neurohipófise.
Cavidade do Tubo Neural Cavidade dilatada do rombencéfalo forma o IV ventrículo. Cavidade do diencéfalo e parte mediana do telencéfalo formam o III ventrículo. A luz do mesencéfalo permanece estreita e forma o aqueduto cerebral ou de Sylvius, que une o III ao IV ventrículo. A luz das vesículas telencefálicas laterais formam os ventrículos laterais.
 
Divisões do Sistema Nervoso Quanto aos critérios anatômicos : Divide-se em SNC e SNP. SNC localiza dentro do esqueleto axial(cavidade craniana e canal vertebral). SNP situado fora deste esqueleto.
SNC
SNP
Quanto aos critérios embriológicos:
Quanto aos critérios funcionais:
 
Quanto aos critérios de segmentação ou metameria : Sistema nervoso segmentar: SNP, medula espinhal e tronco encefálico. Sistema nervoso supra-segmentar:cérebro e cerebelo.
Organização morfo-funcional do Sistema Nervoso   1. Vias aferentes:  trazem informações ao sistema nervoso central. 2. Vias eferentes:  levam a resposta elaborada ao órgão efetuador da resposta (músculo ou glândula). 3. Vias de associação:  analisam as informações, armazenam-nas sob a forma de memória, elaboram padrões de resposta ou geram respostas espontâneas. Quanto mais neurônios de associação, mais refinada será a resposta.
Esquema simplificado da organização morfo-funcional do sistema nervoso
Tecido Nervoso
Neurônio
Classificação dos Neurônio   Neurônio Bipolar   Neurônio Multipolar   Neurônio Pseu-unipolar
Fluxo Axoplasmático Fluxo Axoplamático Anterógrado : Nutrientes em direção à terminação axônica; Fluxo Axoplasmático Retrógrado:  Nutrientes em direção ao pericário.
Sinapses Sinapses  são transmissões de impulsos nervosos de um neurônio para outro, e podem ser de duas formas: Sinapses Elétricas:  São raras em vertebrados e exclusivamente interneuronais.Ocorre comunicação entre os dois neurônios, através de canais iônicos . Sinapses Químicas:  Depende da liberação de neurotransmissores
Neurotransmissores e Vesículas Sinápticas Principais Neurotransmissores: Acetilcolina  Adrenalina Glicina  Histamina Glutamato  Substância P GABA  Aspartato Dopamina  Noradrenalina Vesículas Sinápticas é onde fica armazenado os neurotransmissores no neurônio pré-sináptico.
Sinapses Químicas Interneuronais Neurônio pré-sináptico que armazena e libera o neurotrasmissor Neurônio pós sináptico que contem receptores para os neurotrasmissores
Sinapses Químicas Neuroefetuadoras Envolvem axônios dos nervos perifericos e uma celula efetuadora não neuronal  Importante !!! Se a conexão se faz: com células musculares estriadas esqueléticas- junção neuroefetuadora somática;  com células musculares lisas ou cardíacas ou com células glandulares- junção neuroefetuadora visceral.
Mecanismo da Transmissão Sináptica Quando o impulso nervoso atinge a membrana do elemento pré-sináptico, ocorre a fusão de vesículas sinápticas com a membrana pré-sináptica. Ocorre, assim, a liberação de neurotransmissor na fenda sináptica e sua difusão, até atingir seus receptores na membrana pós-sináptica.
Inativação do Neurotransmissor A perfeita função das sinapses exige que o neurotransmissor seja rapidamente removido da fenda sináptica. Do contrário, ocorreria excitação ou inibição do elemento pós-sináptico por tempo prolongado.
Neuróglia Tanto no sistema nervoso central como no sistema nervoso periférico, os neurônios relacionam-se com células coletivamente denominadas neuróglia, glia ou gliócitos. Neuróglia  do SNC No sistema nervoso central, a neuróglia compreende: astrócitos, oligodendrócitos, microgliócitos e um tipo de glia com disposição epitelial, as células ependimárias.
Astrócitos: Apóiam-se em capilares sanguíneos na manutenção da barreira hemato-encefálica;  Oligodendrócitos:  responsáveis pela formação da bainha de mielina em axônios do SNC; Microgliócitos: Apresesnta funções fagocíticas; Células Ependemárias: Ajudam a constituir o plexos corióideos que iram forma o liquido cérebro espinhal.
Neuróglia do Sistema Nervoso Periférico A neuróglia periférica compreende as células satélites e as células de Schwann, cujas funções respectivamente são: envolver pericários dos neurônios dos gânglios sensitivos e formação da bainha de mielina e regeneração das fibras nervosas.
Fibras Nervosas As  fibras nervosas  são formadas pelos prolongamentos dos neurônios (dendritos ou axônios) e seus envoltórios, organizam-se em feixes. Cada feixe forma um nervo.   Quando envolvidas por bainha de mielina, os axônios são denominados fibras nervosas mielínicas e na ausência de mielina denominam-se fibras nervosas amielínicas.
Nervos Nervos são feixes resultantes dos prolongamentos dos neurônios (dendritos ou axônios) que são as fibras nervosas, revestidos por tecido conjuntivo.  Os nervos podem ser originários da medula espinhal (nervos raquidianos) ou do encéfalo (nervos cranianos).
Perguntas Quais estruturas são responsáveis pela formação do III ventrículo?  Quanto aos critérios anatômicos o sistema nervoso pode ser dividido em? As vesículas encefálicas primordiais do arquencéfalo são?  Cite dois elementos derivados da crista neural.
Perguntas “ O impulso aferente chega à medula em um segmento e a resposta eferente se origina em segmentos, às vezes, muito distantes”. De acordo com este texto, classifique o tipo de reflexo da medula espinhal.
Quais são basicamente os dois tipos celulares do Tecido Nervoso? Cite as 3 formações do neurônio? Os neurônios são classificados conforme seus prolongamentos, cite os 3 tipos de neurônio. O que é fluxo Axoplasmático? Quais os tipos de Neuróglia do SNC?
Respostas   Resposta 1: cavidade do diencéfalo e parte mediana do telencéfalo. Resposta 2: SNC e SNP Resposta 3:prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo Resposta 4: gânglios sensitivos, gânglios motores viscerais, medula da glândula supra-renal, paragânglios, melanócitos, células de Schwann, células C da tireoíde. Resposta 5:irritabilidade, condutibilidade e contratilidade Resposta 6: reflexo medular inter-segmentar Resposta7: sua centralização

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
Simone Alvarenga
 
Aula Sistema Nervoso
Aula Sistema NervosoAula Sistema Nervoso
Aula Sistema Nervoso
Eliando Oliveira
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Bio
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
psicologiaisecensa
 
Aula de Revisão - Neuroanatomia
Aula de Revisão - NeuroanatomiaAula de Revisão - Neuroanatomia
Nervos cranianos
Nervos cranianosNervos cranianos
Nervos cranianos
pauloalambert
 
Sistema nervoso slides
Sistema nervoso slidesSistema nervoso slides
Sistema nervoso slides
Fabiano Reis
 
Nucleos da base
Nucleos da baseNucleos da base
Nucleos da base
Natha Fisioterapia
 
Medresumos 2016 anatomia topográfica - pescoço
Medresumos 2016   anatomia topográfica - pescoçoMedresumos 2016   anatomia topográfica - pescoço
Medresumos 2016 anatomia topográfica - pescoço
Jucie Vasconcelos
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
Amália Beims
 
033 nervos-cranianos
033 nervos-cranianos033 nervos-cranianos
033 nervos-cranianos
Cleber Lima
 
Anatomia cardíaca
Anatomia cardíacaAnatomia cardíaca
Anatomia cardíaca
resenfe2013
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
Marília Gomes
 
Hipotálamo estrutura e função
Hipotálamo   estrutura e funçãoHipotálamo   estrutura e função
Hipotálamo estrutura e função
Alisson Vasconcelos Dos Anjos
 
Sistema nervoso visceral
Sistema nervoso visceralSistema nervoso visceral
Sistema nervoso visceral
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Medula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos EspinhaisMedula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos Espinhais
Vânia Caldeira
 
Medresumos 2016 neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
Medresumos 2016   neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhalMedresumos 2016   neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
Medresumos 2016 neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
Jucie Vasconcelos
 
Sensibilidade 14
Sensibilidade 14Sensibilidade 14
Sensibilidade 14
pauloalambert
 
Introdução Neuroanatomia
Introdução NeuroanatomiaIntrodução Neuroanatomia
Introdução Neuroanatomia
Olavo Valente
 
Anatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema NervosoAnatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema Nervoso
Ana Carolina Andrade
 

Mais procurados (20)

11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
 
Aula Sistema Nervoso
Aula Sistema NervosoAula Sistema Nervoso
Aula Sistema Nervoso
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Aula de Revisão - Neuroanatomia
Aula de Revisão - NeuroanatomiaAula de Revisão - Neuroanatomia
Aula de Revisão - Neuroanatomia
 
Nervos cranianos
Nervos cranianosNervos cranianos
Nervos cranianos
 
Sistema nervoso slides
Sistema nervoso slidesSistema nervoso slides
Sistema nervoso slides
 
Nucleos da base
Nucleos da baseNucleos da base
Nucleos da base
 
Medresumos 2016 anatomia topográfica - pescoço
Medresumos 2016   anatomia topográfica - pescoçoMedresumos 2016   anatomia topográfica - pescoço
Medresumos 2016 anatomia topográfica - pescoço
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
 
033 nervos-cranianos
033 nervos-cranianos033 nervos-cranianos
033 nervos-cranianos
 
Anatomia cardíaca
Anatomia cardíacaAnatomia cardíaca
Anatomia cardíaca
 
Sistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humanaSistema urinário - Anatomia humana
Sistema urinário - Anatomia humana
 
Hipotálamo estrutura e função
Hipotálamo   estrutura e funçãoHipotálamo   estrutura e função
Hipotálamo estrutura e função
 
Sistema nervoso visceral
Sistema nervoso visceralSistema nervoso visceral
Sistema nervoso visceral
 
Medula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos EspinhaisMedula e Nervos Espinhais
Medula e Nervos Espinhais
 
Medresumos 2016 neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
Medresumos 2016   neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhalMedresumos 2016   neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
Medresumos 2016 neuroanatomia 03 - microscopia da medula espinhal
 
Sensibilidade 14
Sensibilidade 14Sensibilidade 14
Sensibilidade 14
 
Introdução Neuroanatomia
Introdução NeuroanatomiaIntrodução Neuroanatomia
Introdução Neuroanatomia
 
Anatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema NervosoAnatomia do Sistema Nervoso
Anatomia do Sistema Nervoso
 

Destaque

Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervosoIntrodução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Caio Maximino
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Alessandra Vidigal
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e Evolução
Caio Maximino
 
Origens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervosoOrigens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervoso
Carlos Frederico Almeida Rodrigues
 
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
rejanecardsouza
 
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- Poríferos
Andrea Barreto
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Rodrigo Sama
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Colégios particulares
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
Andrea Barreto
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º ano
escolabeatriz
 

Destaque (11)

Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
 
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervosoIntrodução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e Evolução
 
Origens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervosoOrigens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervoso
 
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
 
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- Poríferos
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º ano
 

Semelhante a Filogenese do Sistema Nervoso

introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
 introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
MarliaSousa8
 
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso HumanoAnatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
Egberto Neto
 
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
Joao Luiz Macedo
 
Sistema nervoso central
Sistema nervoso centralSistema nervoso central
Sistema nervoso central
Sebastiao Margarida
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Luis Silio
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Luis Silio
 
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
Laiz Cristina
 
Neuroanatomia Inicial
Neuroanatomia Inicial Neuroanatomia Inicial
Neuroanatomia Inicial
Janderson Physios
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Alisson Vasconcelos Dos Anjos
 
Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!
Ana Carolina
 
Aula 20 sistema nervoso
Aula 20   sistema nervosoAula 20   sistema nervoso
Aula 20 sistema nervoso
Jonatas Carlos
 
Tecido Nervoso Pris
Tecido Nervoso PrisTecido Nervoso Pris
Tecido Nervoso Pris
Natalianeto
 
Histo II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. NervosoHisto II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. Nervoso
Pedro Guarnier
 
693153
693153693153
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
FabianoDoVale
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Tânia Reis
 
Aula Anatomia
Aula AnatomiaAula Anatomia
Aula Anatomia
Elyane Oliveira
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
SamuelXavier27
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
Defesa da Classe Biomédica
 

Semelhante a Filogenese do Sistema Nervoso (20)

introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
 introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
introd a neuro, filogenese, embriologia e divisão do Sistema Nervosos
 
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso HumanoAnatomia do Sistema Nervoso Humano
Anatomia do Sistema Nervoso Humano
 
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
04 EMBRIOLOGIA SN.ppt
 
Sistema nervoso central
Sistema nervoso centralSistema nervoso central
Sistema nervoso central
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
FORMAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO
 
Neuroanatomia Inicial
Neuroanatomia Inicial Neuroanatomia Inicial
Neuroanatomia Inicial
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
 
Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!
 
Aula 20 sistema nervoso
Aula 20   sistema nervosoAula 20   sistema nervoso
Aula 20 sistema nervoso
 
Tecido Nervoso Pris
Tecido Nervoso PrisTecido Nervoso Pris
Tecido Nervoso Pris
 
Histo II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. NervosoHisto II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. Nervoso
 
693153
693153693153
693153
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Aula Anatomia
Aula AnatomiaAula Anatomia
Aula Anatomia
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
 

Último

ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão
 
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
barbosajucy47
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Divina Vitorino
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 

Último (7)

ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
 
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 

Filogenese do Sistema Nervoso

  • 1. Filogênese do Sistema Nervoso Liga de Neurociências Alunos: Ernane Magalhães Talles Van Der Maas
  • 2. O que é filogênese? Consiste na origem e evolução dos seres vivos desde as formas mais simples até ao aparecimento dos seres mais complexos (homem).
  • 3. Origem de alguns Reflexos Para os seres vivos se ajustarem ao meio ambiente, são necessárias três propriedades: Irritabilidade Condutibilidade Contratilidade
  • 4. Amebas Se tocarmos uma ameba, observa-se que ela afasta-se do ponto onde foi tocada. Ela é sensível e conduz informações sobre o estímulo a outras partes da célula, determinando retração de um lado e emissão de pseudópodos do outro.
  • 5. Em seres um pouco mais complexos como as esponjas parte do citoplasma se especializou para a contração e outra, na superfície, desenvolveu mais as propriedades de irritabilidade e condutibilidade.
  • 6. Anêmona do mar Nos celenterados é provável que tenha surgido os primeiros neurônios e receptores nervosos.
  • 7. Anelídeos e Platelmintos Centralização do sistema nervoso Neurônios aferentes e eferentes aparecem pela primeira vez.
  • 8. Anelídeos Animal segmentado Contração de dois tipos: intra-segmentar e inter-segmentar. Neurônio de associação faz associação de um segmento com outro e possibilita a contração inter-segmentar.
  • 9. Reflexos da Medula Espinhal Reflexo intra-segmentar: Parte aferente do arco reflexo liga-se à parte eferente no mesmo segmento ou em segmentos a adjacentes. Ex: reflexo patelar.
  • 10. Reflexo inter-segmentar: Impulso aferente chega à medula em um segmento e a resposta eferente se origina em segmentos distantes. Presença de neurônios de associação. Ex: reflexo de coçar do cão.
  • 11. Evolução dos três neurônios fundamentais do Sistema Nervoso Neurônio aferente ou sensitivo: Conduz impulso da superfície ao centro Durante a filogênese tendência de centralização do corpo do neurônio.
  • 12. Neurônio eferente ou motor: Conduz impulso nervoso ao órgão efetuador, músculo ou glândula. Durante a evolução a maioria dos corpos dos neurônios surgiram e permaneceram dentro do SNC, exceto os corpos dos neurônios que inervam os músculos lisos, músculo cardíaco ou glândulas, que se localizam nos gânglios viscerais e pertencem ao SNA.
  • 13. Neurônios de associação ou internunciais: Situa-se entre o neurônio aferente e um neurônio eferente. Torna possível a grande variabilidade e complexidade das respostas frente a um estímulo nervoso. Aumento do número de sinapses. Ajudou a formar o encéfalo. Permitiu as funções mentais superiores. O ápice do sistema nervoso está no ser humano.
  • 14. Embriologia, Divisões e Organização Geral do Sistema Nervoso
  • 15. Origem do Sistema Nervoso É originado do folheto embrionário ectoderma. Indícios da formação: 1º- da placa neural; 2º- do sulco neural; 3º- da goteira neural; 4º- do tubo e cristas neurais.
  • 16. Cristas Neurais Formam o SNP e células em tecidos situados longe do SNC. São derivados das cristas neurais: gânglios sensitivos, gânglios motores viscerais, medula da glândula supra-renal, paragânglios, melanócitos, células de Schwann, células C da tireoíde.
  • 17. Tubo Neural Origina elementos o SNC. A fusão dos lábios da goteira neural inicia no meio, sendo mais lento nas extremidades. Isso gera pequenos orifícios nas extremidades cranial e caudal, denominados, respectivamente, neuróporo rostral e neuróporo caudal.
  • 18. A falha no fechamento do Neuroporo Anterior causa a má formação do encéfalo caracterizando o aparecimento de uma Anencefalia
  • 19. A falha no fechamento do Neuroporo Posterior causa a má formação da medula espinhal o que caracteriza o aparecimento da Espinha Bífida.
  • 20. Paredes do Tubo Neural Camada ependimária(interna)- origina o epêndima, epitélio de revestimento das cavidades ventriculares. Camada do manto(média) - origina a substância cinzenta da medula espinhal. Camada marginal(externa) - origina a substância branca da medula espinhal.
  • 21. Estrutura da parede do Tubo Neural É formada por: duas lâminas alares, duas lâminas basais, uma lâmina do tecto e uma lâmina do assoalho. Nas lâminas alares: conexão de filamentos dos neurônios sensitivos. Nas lâminas basais: diferenciação de neurônios motores. Lâmina do tecto: origina o epêndima da tela corióide e dos plexos corióides. Lâmina do assoalho: forma o sulco mediano do assoalho do IV ventrículo.
  • 22. Sulco limitante: separa as lâminas alares das lâminas basais. Áreas próximas do sulco: inervação das vísceras. Áreas mais afastadas inervam estruturas somáticas.
  • 23. Dilatações do Tubo Neural Dilatação da parte cranial: encéfalo primitivo ou arquencéfalo. Parte caudal não dilata: medula primitiva. No arquencéfalo distingue-se três dilatações: prosencéfalo,mesencéfalo e rombencéfalo.
  • 24. Dilatações do Tubo Neural Prosencéfalo divide-se em: telencéfalo e diencéfalo. Mesencéfalo não se modifica. Rombencéfalo origina: metencéfalo e o mielencéfalo.
  • 25. Dilatações do Tubo Neural Telencéfalo: parte mediana e vesículas laterais. Estas crescem para formar os hemisférios cerebrais. Diencéfalo: apresenta 4 divertículos: dois laterais: vesículas ópticas,que forma a retina. um dorsal: forma o corpo pineal. um ventral: infundíbulo, que forma a neurohipófise.
  • 26. Cavidade do Tubo Neural Cavidade dilatada do rombencéfalo forma o IV ventrículo. Cavidade do diencéfalo e parte mediana do telencéfalo formam o III ventrículo. A luz do mesencéfalo permanece estreita e forma o aqueduto cerebral ou de Sylvius, que une o III ao IV ventrículo. A luz das vesículas telencefálicas laterais formam os ventrículos laterais.
  • 27.  
  • 28. Divisões do Sistema Nervoso Quanto aos critérios anatômicos : Divide-se em SNC e SNP. SNC localiza dentro do esqueleto axial(cavidade craniana e canal vertebral). SNP situado fora deste esqueleto.
  • 29. SNC
  • 30. SNP
  • 31. Quanto aos critérios embriológicos:
  • 32. Quanto aos critérios funcionais:
  • 33.  
  • 34. Quanto aos critérios de segmentação ou metameria : Sistema nervoso segmentar: SNP, medula espinhal e tronco encefálico. Sistema nervoso supra-segmentar:cérebro e cerebelo.
  • 35. Organização morfo-funcional do Sistema Nervoso 1. Vias aferentes: trazem informações ao sistema nervoso central. 2. Vias eferentes: levam a resposta elaborada ao órgão efetuador da resposta (músculo ou glândula). 3. Vias de associação: analisam as informações, armazenam-nas sob a forma de memória, elaboram padrões de resposta ou geram respostas espontâneas. Quanto mais neurônios de associação, mais refinada será a resposta.
  • 36. Esquema simplificado da organização morfo-funcional do sistema nervoso
  • 39. Classificação dos Neurônio Neurônio Bipolar Neurônio Multipolar Neurônio Pseu-unipolar
  • 40. Fluxo Axoplasmático Fluxo Axoplamático Anterógrado : Nutrientes em direção à terminação axônica; Fluxo Axoplasmático Retrógrado: Nutrientes em direção ao pericário.
  • 41. Sinapses Sinapses são transmissões de impulsos nervosos de um neurônio para outro, e podem ser de duas formas: Sinapses Elétricas: São raras em vertebrados e exclusivamente interneuronais.Ocorre comunicação entre os dois neurônios, através de canais iônicos . Sinapses Químicas: Depende da liberação de neurotransmissores
  • 42. Neurotransmissores e Vesículas Sinápticas Principais Neurotransmissores: Acetilcolina Adrenalina Glicina Histamina Glutamato Substância P GABA Aspartato Dopamina Noradrenalina Vesículas Sinápticas é onde fica armazenado os neurotransmissores no neurônio pré-sináptico.
  • 43. Sinapses Químicas Interneuronais Neurônio pré-sináptico que armazena e libera o neurotrasmissor Neurônio pós sináptico que contem receptores para os neurotrasmissores
  • 44. Sinapses Químicas Neuroefetuadoras Envolvem axônios dos nervos perifericos e uma celula efetuadora não neuronal Importante !!! Se a conexão se faz: com células musculares estriadas esqueléticas- junção neuroefetuadora somática; com células musculares lisas ou cardíacas ou com células glandulares- junção neuroefetuadora visceral.
  • 45. Mecanismo da Transmissão Sináptica Quando o impulso nervoso atinge a membrana do elemento pré-sináptico, ocorre a fusão de vesículas sinápticas com a membrana pré-sináptica. Ocorre, assim, a liberação de neurotransmissor na fenda sináptica e sua difusão, até atingir seus receptores na membrana pós-sináptica.
  • 46. Inativação do Neurotransmissor A perfeita função das sinapses exige que o neurotransmissor seja rapidamente removido da fenda sináptica. Do contrário, ocorreria excitação ou inibição do elemento pós-sináptico por tempo prolongado.
  • 47. Neuróglia Tanto no sistema nervoso central como no sistema nervoso periférico, os neurônios relacionam-se com células coletivamente denominadas neuróglia, glia ou gliócitos. Neuróglia do SNC No sistema nervoso central, a neuróglia compreende: astrócitos, oligodendrócitos, microgliócitos e um tipo de glia com disposição epitelial, as células ependimárias.
  • 48. Astrócitos: Apóiam-se em capilares sanguíneos na manutenção da barreira hemato-encefálica; Oligodendrócitos: responsáveis pela formação da bainha de mielina em axônios do SNC; Microgliócitos: Apresesnta funções fagocíticas; Células Ependemárias: Ajudam a constituir o plexos corióideos que iram forma o liquido cérebro espinhal.
  • 49. Neuróglia do Sistema Nervoso Periférico A neuróglia periférica compreende as células satélites e as células de Schwann, cujas funções respectivamente são: envolver pericários dos neurônios dos gânglios sensitivos e formação da bainha de mielina e regeneração das fibras nervosas.
  • 50. Fibras Nervosas As fibras nervosas são formadas pelos prolongamentos dos neurônios (dendritos ou axônios) e seus envoltórios, organizam-se em feixes. Cada feixe forma um nervo. Quando envolvidas por bainha de mielina, os axônios são denominados fibras nervosas mielínicas e na ausência de mielina denominam-se fibras nervosas amielínicas.
  • 51. Nervos Nervos são feixes resultantes dos prolongamentos dos neurônios (dendritos ou axônios) que são as fibras nervosas, revestidos por tecido conjuntivo. Os nervos podem ser originários da medula espinhal (nervos raquidianos) ou do encéfalo (nervos cranianos).
  • 52. Perguntas Quais estruturas são responsáveis pela formação do III ventrículo? Quanto aos critérios anatômicos o sistema nervoso pode ser dividido em? As vesículas encefálicas primordiais do arquencéfalo são? Cite dois elementos derivados da crista neural.
  • 53. Perguntas “ O impulso aferente chega à medula em um segmento e a resposta eferente se origina em segmentos, às vezes, muito distantes”. De acordo com este texto, classifique o tipo de reflexo da medula espinhal.
  • 54. Quais são basicamente os dois tipos celulares do Tecido Nervoso? Cite as 3 formações do neurônio? Os neurônios são classificados conforme seus prolongamentos, cite os 3 tipos de neurônio. O que é fluxo Axoplasmático? Quais os tipos de Neuróglia do SNC?
  • 55. Respostas Resposta 1: cavidade do diencéfalo e parte mediana do telencéfalo. Resposta 2: SNC e SNP Resposta 3:prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo Resposta 4: gânglios sensitivos, gânglios motores viscerais, medula da glândula supra-renal, paragânglios, melanócitos, células de Schwann, células C da tireoíde. Resposta 5:irritabilidade, condutibilidade e contratilidade Resposta 6: reflexo medular inter-segmentar Resposta7: sua centralização