SlideShare uma empresa Scribd logo
8/7/2008
1
SISTEMA NERVOSO 1 - SNC
Prof. Greicy Kiel
SISTEMA NERVOSO - SN
Sistema envolvido na coordenação e
regulação das funções corporais.
Linhagens celulares:
neurônios recepção e transmissão
dos estímulos do meio externo e interior
do corpo.do corpo.
células da glia (neuróglia) sustentação,
proteção, isolamento e nutrição dos neurônios.
Propriedades - Irritabilidade
- Condutibilidade
NEURÔNIOS
Célula composta por:
Corpo celular ou soma:
onde se localizam o
citoplasma, o citoesqueleto
e o núcleo.
Neuritos:
prolongamentos finos que
podem ser de dois tipos
dendritos e axônios.
NEURÔNIOS - SOMA
Aproximadamente 20 µm de diâmetro.
Membrana neuronal: ≈ 5 nm de
espessura repleta de proteínas
algumas bombeiam substâncias de dentro
para fora da célula; outras formam poros
que regulam a entrada de substâncias
composição protéica varia de acordo com a
região da célula: soma, dendritos ou
axônio.
Citoplasma:
Citosol: fluido aquoso coloidal rico emq
potássio, que preenche o interior do soma.
Organelas citoplasmáticas mais
abundantes: RE rugoso, RE liso, aparelho
de Golgi e mitocôndrias.
Citoesqueleto: dão a forma característica
aos neurônios microtúbulos,
microfilamentos e neurofilamentos
(filamentos intermediários).
Núcleo: contém o material genético e as
instruções para a síntese das proteínas
neuronais.
NEURÔNIOS - DENDRITOS
Assemelham-se a ramos de uma árvore à medida em
que se afastam do soma árvore dendrítica.
Funcionam como uma antena sua membrana
apresenta muitas moléculas de proteínas receptoras
especializados na recepção de informação.
Citoplasma:
preenchido com elementos dopreenchido com elementos do
citoesqueleto e mitocôndrias;
em alguns neurônios:
polirribossomos síntese de
proteínas de forma localizada.
NEURÔNIOS - AXÔNIOS
Estrutura altamente especializada na transferência
de informação entre pontos distantes do sistema
nervoso.
Segmento inicial: cone de implantação.
Segmento final: terminal axonal ou botão
terminal local onde o axônio entra em contato
com outros neurônios ou outras células – sinapses
– e passa informação para elese passa informação para eles.
Ausência de RE rugoso
Ausência ou carência
de ribossomos livres.
Composição protéica da membrana muito diferente
da do soma.
Apresentam comprimento e diâmetro variáveis.
Podem se ramificar colaterais.
Não há síntese protéica
8/7/2008
2
OS NEURÔNIOS E A ORGANIZAÇÃO DO SN
Os corpos celulares dos neurônios são geralmente
encontrados em áreas restritas do sistema nervoso
Sistema Nervoso Central (SNC – formado pelo
encéfalo e pela medula espinhal) e gânglios
nervosos (localizados próximo à coluna vertebral).
Do sistema nervoso central partem os prolongamentos
dos neurônios, formando feixes chamados nervos, que
constituem o Sistema Nervoso Periférico (SNP)constituem o Sistema Nervoso Periférico (SNP).
AXÔNIO – BAINHA DE MIELINA
No caso dos axônios mielinizados envolvidos
pelas células de Schwann, a parte celular da
bainha de mielina (citoplasma e núcleo)
constitui o chamado neurilema.
TIPOS DE NEURÔNIOS 1
1- De acordo com o número de
neuritos, os neurônios podem ser
classificados em:
unipolares: apresentam um
único neuritoúnico neurito.
bipolares: apresentam dois
neuritos.
multipolares: apresentam
três ou mais neuritos.
TIPOS DE NEURÔNIOS 2
2- De acordo com as conexões ou funções na
condução dos impulsos, os neurônios podem ser
classificados em:
Neurônios receptores ou sensitivos (aferentes):
são os que recebem estímulos sensoriais e conduzem o
impulso nervoso ao sistema nervoso central.
Neurônios motores ou efetuadores (eferentes):
transmitem os impulsos motores (respostas ao
estímulo).
Neurônios associativos ou interneurônios:
estabelecem ligações entre os neurônios receptores e
os neurônios motores.
TIPOS DE NEURÔNIOS 3 NEURÓGLIA (GLIA)
As células da neuróglia cumprem a função de sustentar,
proteger, isolar e nutrir os neurônios.
Há diversos tipos celulares, distintos quanto à morfologia,
a origem embrionária e às funções que exercem.
Distinguem-se, entre elas, os astrócitos,
oligodendrócitos, ependimárias, células de
Schwann, micróglia
8/7/2008
3
DIVISÃO DO SN O SISTEMA NERVOSO
O SNC recebe, analisa e
integra informações. É o
local onde ocorre a
tomada de decisões e o
envio de ordens.
O SNP carrega
informações dos órgãosinformações dos órgãos
sensoriais para o sistema
nervoso central e do
sistema nervoso central
para os órgãos efetores
(músculos e glândulas).
SNC - COMPONENTES
Encéfalo:
telencéfalo (cérebro e bulbo olfatório),
diencéfalo (tálamo, hipotálamo e corpo pineal),
tronco cefálico, que se divide em:
mesencéfalo, situado cranialmente;
bulbo (mielencéfalo), situado caudalmente;
ponte, situada entre ambos.
cerebelo. Metencéfalo
Prosencéfalo
Medula espinhal (raque).
SNC – SUBSTÂNCIAS BRANCA E CINZENTA
No SNC, existem as chamadas substâncias cinzenta
e branca.
A substância cinzenta é formada pelos corpos dos
neurônios e a branca, por seus prolongamentos.
Com exceção do bulbo e da medula, a substância
cinzenta ocorre mais externamente e a substância
branca, mais internamente.branca, mais internamente.
Encéfalo
Medula
8/7/2008
4
SNC – CRÂNIO E VÉRTEBRAS
Os órgãos do SNC são protegidos por estruturas esqueléticas e
por membranas.
Estruturas esqueléticas:
caixa craniana, protegendo o encéfalo;
coluna vertebral (vértebras), protegendo a medula
espinhal.
SNC - MENINGES
Membranas: meninges, situadas sob a proteção
esquelética:
dura-máter (a externa),
aracnóide (a do meio),
pia-máter (a interna).
Entre as meninges aracnóide e pia-máter há um espaço
preenchido pelo líquido cefalorraquidiano (LCR) ou
líquor.líquor.
DURA MÁTER
Mais externa
Mais espessa
Desempenha papel de proteção
Composta por células semelhantes a fibroblastos que
secretam colágeno em abundância
Divide-se em Lâmina periostal acopla o crâniop p
Lâmina meníngea Foice do cérebro separa
dois hemisférios
Tentório do cerebelo separa cerebelo dos HC
Tem continuidade e recobre a medula
ARACNÓIDE
Justaposta a dura máter
Não está de forma muito firme
Espaço entre aracnóide e dura
espaço subdural
PIA MATER
Mais interno
Muito delicada
Aderida a superfície do encéfalo e medula espinhal
Espaço subaracnóide filamentos da aracnóide se
conectam com os da pia mater, dando aparência de
teia de aranha. O líquor circula neste espaço e banha
o encéfalo e medula espinhal
Funções circulatórias vasos e artérias que
recobrem o SNC estão no espaço subaracnóide
SISTEMA NERVOSO CENTRAL
8/7/2008
5
MEDULA ESPINHAL
Encontra-se no canal vertebral e funciona como centro nervoso
de atos involuntários e, também, como veículo condutor de
impulsos nervosos.
Possui dois sistemas de neurônios:
sistema descendente: controla funções motoras dos
músculos, regula funções como pressão e temperatura e
transporta sinais originados no cérebro até seu destino;
sistema ascendente: transporta sinais sensoriais das
extremidades do corpo até a medula e de lá para o cérebro.p p
Os corpos celulares dos neurônios se
concentram no cerne da medula
massa cinzenta.
Os axônios ascendentes e
descendentes localizam-se na
substância branca.
As duas regiões também abrigam
células da Glia.
TRONCO ENCEFÁLICO
Interpõe-se entre a medula e o diencéfalo, situando-se
ventralmente ao cerebelo.
Funções gerais:
(1) recebe informações sensitivas de nervos cranianos
e controla os músculos da cabeça;
(2) contém circuitos nervosos que transmitem informações da medula
espinhal até outras regiões encefálicas e, em direção contrária, do
encéfalo para a medula espinhalencéfalo para a medula espinhal.
(3) regula a atenção, o sono e a vigília e controla a postura corporal
função mediada pela formação reticular complexa malha de
neurônios e fibras que recebe aferências de várias regiões e ocupa a
parte central do tronco encefálico distribui-se desde o mesencéfalo
até o bulbo.
Além destas 3 funções gerais, as várias divisões do tronco encefálico
desempenham funções motoras e sensitivas específicas.
TRONCO ENCEFÁLICO TRONCO ENCEFÁLICO - CONSTITUIÇÃO
(1) corpos de neurônios que se agrupam em núcleos
muitos recebem ou emitem fibras nervosas que entram na
constituição dos nervos cranianos;
(2) fibras nervosas, se agrupam em feixes: tractos e
lemniscos.
Agrupamentos
neuronais e axonais
Descrição
neuronais e axonais
Núcleo
Massa neuronal claramente distingüível,
localizada geralmente na profundidade do
encéfalo.
Tracto
Grupamento de axônios do SNC que possui uma
mesma origem e um mesmo destino.
Lemnisco
Tracto que atravessa o encéfalo, de aspecto
semelhante a uma fita.
TRONCO ENCEFÁLICO - MESENCÉFALO
O mesencéfalo diferencia-se em tecto e tegmento.
No espaço preenchido com LCR no centro do mesencéfalo,
localiza-se o aqueduto cerebral.
MESENCÉFALO - TECTO
Diferencia-se em duas estruturas:
Colículo superior: também chamado tecto óptico recebe
aferências diretamente do olho controle dos movimentos
oculares.
Colículo inferior: recebe informação sensorial da orelha
importante estação retransmissora de informação auditiva a
caminho do tálamo.
8/7/2008
6
MESENCÉFALO - TEGMENTO
É uma das porções mas “coloridas” do encéfalo contém a
substância nigra e o núcleo rubro grupamentos celulares
envolvidos no controle do movimento voluntário.
Outros grupos dispersos no mesencéfalo possuem axônios que
se projetam por todo o SN e regulam o alerta consciente, o
humor, o prazer e a dor.
TRONCO ENCEFÁLICO - PONTE
Conecta o córtex cerebral ao cerebelo dos axônios descendentes que
passam pelo mesencéfalo, mais de 90% estabelecem sinapses em
neurônios da ponte retransmitem a informação ao cerebelo.
Participa de algumas atividades do bulbo, interferindo no controle da
respiração.
Serve de passagem para as fibras nervosas que ligam o encéfalo à
medula.
TRONCO ENCEFÁLICO - BULBO
Também chamado de bulbo raquídio ou medula oblonga.
Pirâmide bulbar: feixes grossos de axônios que descem do prosencéfalo
até a medula espinhal maioria origina-se no córtex cerebral
localizados no assoalho do quarto ventrículo contém os tractos córtico-
espinhais envolvidos no controle do movimento voluntário.
Porção rostral do bulbo: contém vários núcleos:
(1) Núcleos do sistema auditivo
(2) Oliva inferior importante( ) p
para o controle motor.
(3) Núcleo da rafe relevante na
modulação da dor, do humor e da
vigília.
BULBO MEDIAL
Porção medial do bulbo:
(1) Leminisco medial: contém axônios que levam informação sensorial
somática (tato) ao tálamo.
(2) Núcleo gustativo: onde chegam informações gustativas forma
parte do tracto solitário maior regula aspectos da função visceral (*).
(3) Núcleos vestibulares: envolvidos com o sentido do equilíbrio.
BULBO E FUNÇÕES VISCERAIS
Recebe informações de vários órgãos do corpo, controlando
as funções autônomas ou viscerais (a chamada vida
vegetativa): batimento cardíaco, respiração, pressão do
sangue, reflexos de salivação, tosse, espirro e o ato de
engolir.
BULBO - DECUSSAÇÃO
Cruzamento axonal no bulbo próximo onde
se une com a medula espinhal cada tracto
piramidal cruza de um lado para o outro da
linha média.
O espaço preenchido por LCR no centro do
bulbo é o quarto ventrículo.
8/7/2008
7
DIENCÉFALO
Tálamo, Hipotálamo e Corpo pineal.
DIENCÉFALO – TÁLAMO 1
Região de substância cinzenta localizada entre o tronco encefálico e o
cérebro.
Todas as mensagens sensoriais, com exceção das provenientes dos
receptores do olfato, passam pelo tálamo antes de atingir o córtex
cerebral.
Atua como estação retransmissora de impulsos nervosos para o córtex
cerebral.
É responsável pela condução dos
impulsos às regiões apropriadasp g p p
do cérebro onde eles devem ser
processados.
Também está relacionado com
alterações no comportamento
emocional; que decorre, não só da
própria atividade, mas também de
conexões com outras estruturas
do sistema límbico (que regula as
emoções).
DIENCÉFALO - HIPOTÁLAMO
Forma o assoalho do terceiro ventrículo centro vital de controle
de muitas funções corporais básicas:
relaciona-se de forma mais íntima com certas estruturas encefálicas,
como a amígdala envolvido com as emoções;
em situações de ameaça articula a resposta visceral de luta-ou-fuga;
comanda o Sistema Nervoso Autônomo (SNA);
após uma farta refeição assegura que o encéfalo esteja bem nutrido
comandos enviados ao SNA aumento do peristaltismo e
redirecionamento do sangue para o sistema digestório;
regula o sono, a sede, a fome e o
balanço hídrico do corpo;
papel-chave na motivação para a
busca de alimento e sexo em resposta
às necessidades corporais;
comanda as respostas corporais por
intermédio de conexões com a hipófise
liberação de hormônios tróficos na
corrente sangüínea;
controla a temperatura corporal.
CORPOS MAMILARES HIPOTALÂMICOS
Proeminentes
na superfície
ventral do
encéfalo
armazenamentoarmazenamento
da memória
são o maior
alvo dos
axônios do
fórnix.
DIENCÉFALO- CORPO PINEAL
Localizado dorsalmente ao tálamo.
Secreta melatonina relacionada com a
regulação do sono e comportamento sexual.
CEREBELO
O cerebelo ou “pequeno cérebro” é um importante centro de controle do
movimento.
Recebe aferências maciças da medula espinhal e da ponte.
aferências medulares: trazem informação a respeito da posição do corpo
no espaço.
aferências pontinas: levam informação do córtex cerebral especificando a
meta do movimento pretendido o cerebelo compara as informações e calcula
as seqüências de contrações musculares necessárias para se atingir a meta de
movimento.
õLesões no cerebelo resultam em movimentos descoordenados e imprecisos.
8/7/2008
8
SISTEMA LÍMBICO
Consiste na região do córtex ao redor do corpo caloso,
principalmente o giro cingulado (giro do cíngulo) e o córtex na
superfície medial do lobo temporal inclui tálamo, hipotálamo
(com corpos mamilares), amígdala, hipocampo.
Todas estas áreas são muito importantes para a emoção e
reações emocionais.
O hipocampo também é importante para a memória e o
aprendizado.
TELENCÉFALO
O telencéfalo ou cérebro
é dividido em dois
hemisférios cerebraishemisférios cerebrais
bastante desenvolvidos.
GIROS, SULCOS E FISSURAS
Destaca-se pela sua superfície enrugada saliências são
chamadas giros; reentrâncias são chamadas sulcos.
Sulcos muito profundos são denominados fissuras.
Neurônios do giro pré-central: controlam os movimentos
voluntários.
Neurônios do giro pós-central: sensação somática (tato).
Neurônios do giro temporal superior: relacionados à audição.
LOBOS CEREBRAIS E ÍNSULA
Por convenção, o cérebro é subdividido em lobos, nomeados em
relação aos ossos do crânio que estão logo acima deles.
O sulco central separa o lobo frontal do parietal.
O lobo temporal localiza-se ventralmente à fissura lateral.
O lobo occipital, localizado na região caudal do cérebro, é
circundado pelos lobos parietal e temporal.
A ínsula (do latim: ilha) é uma porção oculta do córtex
cerebral, que pode ser visualizada se as margens da fissura
lateral forem afastadas limita e separa os lobos temporal elateral forem afastadas limita e separa os lobos temporal e
frontal.
LOBO FRONTAL
Importante no controle motor e na sensibilidade
corporal (tato e dor)
Regula ações mecânicas simples dos movimentos
(força)
Interfere na decisão de quais movimentos serão
executados para alcançar um determinado objetivo
Córtexmotor está no giro pré central
Superfície lateral importante em funções
cognitivas e nas emoções
Bulbo olfatório na superfície anterior
Corpo caloso integra as funções dos dois
hemisférios
LOBO PARIETAL
Percepção do tato, dor e posição dos membros
Integra experiências sensoriais da pele, múculo e
articulações
Percebe tamanho e forma dos objetos
Presença do córtex sensorial somático
Lobo parietal superior auto imagem completa ep p g p
interações comportamentais com o mundo (lesão
gera negação de parte do corpo no lado oposto)
Lobo parietal inferior fala e percepção
8/7/2008
9
LOBO OCCIPITAL
Essencial para a percepção visual
Córtex adjacente forma e cor dos
objetos
Importante para reconhecimento de
facesfaces
Lesões podem gerar confusão na
identificação de faces e objetos
inanimados
LOBO TEMPORAL
Memória e emoções
Córtex auditivo percepção e
localização dos sons
Centro cortical reconhecimento da
palavra (área Wernicke) que estápalavra (área Wernicke), que está
conectada com a área frontal da
linguagem (área de Broca articulação
da palavra)
Giro temporal inferior percepção de
formas visuais e da cor.
ÁREAS FUNCIONAIS DO NEOCÓRTEX
Áreas funcionais:
Visuais: encontram-se no lobo
occipital.
Sensoriais somáticas:
localizam-se no lobo parietal.
Auditivas: situam-se no lobo
parietal.
Gustativas: encontram-se ocultas
junto com a ínsula.junto com a ínsula.
Motoras: localizam-se no lobo
frontal, anteriormente ao sulco central.
Associativas: não estão
envolvidas diretamente com funções
motoras ou sensoriais algumas das
áreas associativas mais importantes são
o córtex pré-frontal, o córtex parietal
posterior e o córtex temporal inferior.
AMÍGDALA E HIPOCAMPO
A amígdala e o hipocampo situam-se sob o córtex não podem ser
observadas diretamente da superfície:
Amígdala: importante estrutura relacionada com a memória e que
regula os estados emocionais (sistema límbico).
Hipocampo: desempenha papel importante no aprendizado e na
memória.
CORPO CALOSO E FÓRNIX
Podem ser observados examinando-se a superfície medial do cérebro:
Corpo caloso: imenso feixe de axônios que conecta os dois
hemisférios do cérebro.
Fórnix (do latim: arco): feixe proeminente de fibras que conecta o
hipocampo com o hipotálamo alguns axônios participam da
regulação do armazenamento da memória.
QUIASMA ÓPTICO
Quiasma óptico: em
forma de X,
imediatamente anterior
ao hipotálamo onde
muitos axônios que
provêm dos olhos
atravessam de um lado
para o outro:
Os feixes axonais
anteriores ao quiasma,anteriores ao quiasma,
que emergem da região
posterior do olho, são os
nervos ópticos.
Os feixes situados
posteriormente ao
quiasma, que
desaparecem dentro do
tálamo, são os tractos
ópticos.
8/7/2008
10
VENTRÍCULOS CEREBRAIS
O canal neural persiste nos adultos, correspondendo
aos ventrículos cerebrais, no interior do encéfalo,
e ao canal do epêndimo, no interior da medula.
SISTEMA VENTRICULAR
Nome dado às cavidades encefálicas e canais + fluido
que as preenche.
Fluido que preenche e percorre o sistema líquido
céfalo-raquidiano (LCR) ou líqüor produzido por
um tecido especial – os plexos coróides – nos
ventrículos dos hemisférios cerebrais nutrição,
proteção e excreção do sistema nervoso.p ç ç
SISTEMA VENTRICULAR
COMPONENTES ESTRUTURAS ENVOLVIDAS
Ventrículos laterais
Córtex cerebral
Telencéfalo basal
Terceiro ventrículo
Tálamo
Hipotálamo
Aqueduto cerebral Mesencéfalo (Tecto e Tegmento)
Quarto ventrículo
Cerebelo
Ponte
Bulbo
Canal ependimário Medula espinhal

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 06 sistema nervoso central-snc

Histo II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. NervosoHisto II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. Nervoso
Pedro Guarnier
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Alisson Vasconcelos Dos Anjos
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Colégios particulares
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
Defesa da Classe Biomédica
 
Sistema neuro hormonal - 9 ano
Sistema neuro hormonal - 9 anoSistema neuro hormonal - 9 ano
Sistema neuro hormonal - 9 ano
Ana Tapadinhas
 
11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
Simone Alvarenga
 
Est.mov. m3 - sistema nervoso
Est.mov.   m3 - sistema nervosoEst.mov.   m3 - sistema nervoso
Est.mov. m3 - sistema nervoso
Filipe Matos
 
Aula Anatomia
Aula AnatomiaAula Anatomia
Aula Anatomia
Elyane Oliveira
 
Sistemanervoso1 (2)
Sistemanervoso1 (2)Sistemanervoso1 (2)
Sistemanervoso1 (2)
AnailtOn Silva Jr.
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
AnailtOn Silva Jr.
 
Filogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema NervosoFilogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema Nervoso
Liga de neurociências
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
Ramon Bispo
 
Sist Neurohormonal
Sist NeurohormonalSist Neurohormonal
Sist Neurohormonal
marco :)
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
Luciano Souza
 
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptxAula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
ToysCyberCaf
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Natha Fisioterapia
 
AULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptxAULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptx
EdsondaRitaEgidioArm
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
FabianoDoVale
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
Eduardo Saboia
 
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaAula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Marília Gomes
 

Semelhante a 06 sistema nervoso central-snc (20)

Histo II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. NervosoHisto II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. Nervoso
 
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e NeurofisiologiaIntrodução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
Introdução a Neuroanatomia e Neurofisiologia
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
 
Sistema neuro hormonal - 9 ano
Sistema neuro hormonal - 9 anoSistema neuro hormonal - 9 ano
Sistema neuro hormonal - 9 ano
 
11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
 
Est.mov. m3 - sistema nervoso
Est.mov.   m3 - sistema nervosoEst.mov.   m3 - sistema nervoso
Est.mov. m3 - sistema nervoso
 
Aula Anatomia
Aula AnatomiaAula Anatomia
Aula Anatomia
 
Sistemanervoso1 (2)
Sistemanervoso1 (2)Sistemanervoso1 (2)
Sistemanervoso1 (2)
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Filogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema NervosoFilogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema Nervoso
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Sist Neurohormonal
Sist NeurohormonalSist Neurohormonal
Sist Neurohormonal
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptxAula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
Aula 12 - Revisão Neuroanatomofisiologia.pptx
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
AULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptxAULA 7 sistema nervoso.pptx
AULA 7 sistema nervoso.pptx
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaAula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
 

Mais de Andrezza Belota Lopes Machado

A produção científica na sobredotação miranda, almeida, guenther
A produção científica na sobredotação   miranda, almeida, guentherA produção científica na sobredotação   miranda, almeida, guenther
A produção científica na sobredotação miranda, almeida, guenther
Andrezza Belota Lopes Machado
 
O in sucesso escolar das crianças sobredotadas
O in sucesso escolar das crianças sobredotadasO in sucesso escolar das crianças sobredotadas
O in sucesso escolar das crianças sobredotadas
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Contributos da psicologia para o estudo da excelência
Contributos da psicologia para o estudo da excelênciaContributos da psicologia para o estudo da excelência
Contributos da psicologia para o estudo da excelência
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
Andrezza Belota Lopes Machado
 
A globalização e_seus_efeitos (2)
A globalização e_seus_efeitos (2)A globalização e_seus_efeitos (2)
A globalização e_seus_efeitos (2)
Andrezza Belota Lopes Machado
 
A obra magna (atualizada) o despertar da consciencia - v. m. uriel
A obra magna (atualizada)   o despertar da consciencia - v. m. urielA obra magna (atualizada)   o despertar da consciencia - v. m. uriel
A obra magna (atualizada) o despertar da consciencia - v. m. uriel
Andrezza Belota Lopes Machado
 
A linguagem dos deuses antônio farjani
A linguagem dos deuses   antônio farjaniA linguagem dos deuses   antônio farjani
A linguagem dos deuses antônio farjani
Andrezza Belota Lopes Machado
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
Andrezza Belota Lopes Machado
 
Como funciona seu cerebro
  Como funciona seu cerebro  Como funciona seu cerebro
Como funciona seu cerebro
Andrezza Belota Lopes Machado
 

Mais de Andrezza Belota Lopes Machado (11)

A produção científica na sobredotação miranda, almeida, guenther
A produção científica na sobredotação   miranda, almeida, guentherA produção científica na sobredotação   miranda, almeida, guenther
A produção científica na sobredotação miranda, almeida, guenther
 
O in sucesso escolar das crianças sobredotadas
O in sucesso escolar das crianças sobredotadasO in sucesso escolar das crianças sobredotadas
O in sucesso escolar das crianças sobredotadas
 
Contributos da psicologia para o estudo da excelência
Contributos da psicologia para o estudo da excelênciaContributos da psicologia para o estudo da excelência
Contributos da psicologia para o estudo da excelência
 
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
Características de sobredotação e criatividade percecionadas por educadores d...
 
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
Cidadania em função da dotação (sobredotação versus infradotação)ao longo da ...
 
A globalização e_seus_efeitos (2)
A globalização e_seus_efeitos (2)A globalização e_seus_efeitos (2)
A globalização e_seus_efeitos (2)
 
A obra magna (atualizada) o despertar da consciencia - v. m. uriel
A obra magna (atualizada)   o despertar da consciencia - v. m. urielA obra magna (atualizada)   o despertar da consciencia - v. m. uriel
A obra magna (atualizada) o despertar da consciencia - v. m. uriel
 
A linguagem dos deuses antônio farjani
A linguagem dos deuses   antônio farjaniA linguagem dos deuses   antônio farjani
A linguagem dos deuses antônio farjani
 
A literatura infantil e seus caminhos
A literatura infantil e seus caminhosA literatura infantil e seus caminhos
A literatura infantil e seus caminhos
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
 
Como funciona seu cerebro
  Como funciona seu cerebro  Como funciona seu cerebro
Como funciona seu cerebro
 

06 sistema nervoso central-snc

  • 1. 8/7/2008 1 SISTEMA NERVOSO 1 - SNC Prof. Greicy Kiel SISTEMA NERVOSO - SN Sistema envolvido na coordenação e regulação das funções corporais. Linhagens celulares: neurônios recepção e transmissão dos estímulos do meio externo e interior do corpo.do corpo. células da glia (neuróglia) sustentação, proteção, isolamento e nutrição dos neurônios. Propriedades - Irritabilidade - Condutibilidade NEURÔNIOS Célula composta por: Corpo celular ou soma: onde se localizam o citoplasma, o citoesqueleto e o núcleo. Neuritos: prolongamentos finos que podem ser de dois tipos dendritos e axônios. NEURÔNIOS - SOMA Aproximadamente 20 µm de diâmetro. Membrana neuronal: ≈ 5 nm de espessura repleta de proteínas algumas bombeiam substâncias de dentro para fora da célula; outras formam poros que regulam a entrada de substâncias composição protéica varia de acordo com a região da célula: soma, dendritos ou axônio. Citoplasma: Citosol: fluido aquoso coloidal rico emq potássio, que preenche o interior do soma. Organelas citoplasmáticas mais abundantes: RE rugoso, RE liso, aparelho de Golgi e mitocôndrias. Citoesqueleto: dão a forma característica aos neurônios microtúbulos, microfilamentos e neurofilamentos (filamentos intermediários). Núcleo: contém o material genético e as instruções para a síntese das proteínas neuronais. NEURÔNIOS - DENDRITOS Assemelham-se a ramos de uma árvore à medida em que se afastam do soma árvore dendrítica. Funcionam como uma antena sua membrana apresenta muitas moléculas de proteínas receptoras especializados na recepção de informação. Citoplasma: preenchido com elementos dopreenchido com elementos do citoesqueleto e mitocôndrias; em alguns neurônios: polirribossomos síntese de proteínas de forma localizada. NEURÔNIOS - AXÔNIOS Estrutura altamente especializada na transferência de informação entre pontos distantes do sistema nervoso. Segmento inicial: cone de implantação. Segmento final: terminal axonal ou botão terminal local onde o axônio entra em contato com outros neurônios ou outras células – sinapses – e passa informação para elese passa informação para eles. Ausência de RE rugoso Ausência ou carência de ribossomos livres. Composição protéica da membrana muito diferente da do soma. Apresentam comprimento e diâmetro variáveis. Podem se ramificar colaterais. Não há síntese protéica
  • 2. 8/7/2008 2 OS NEURÔNIOS E A ORGANIZAÇÃO DO SN Os corpos celulares dos neurônios são geralmente encontrados em áreas restritas do sistema nervoso Sistema Nervoso Central (SNC – formado pelo encéfalo e pela medula espinhal) e gânglios nervosos (localizados próximo à coluna vertebral). Do sistema nervoso central partem os prolongamentos dos neurônios, formando feixes chamados nervos, que constituem o Sistema Nervoso Periférico (SNP)constituem o Sistema Nervoso Periférico (SNP). AXÔNIO – BAINHA DE MIELINA No caso dos axônios mielinizados envolvidos pelas células de Schwann, a parte celular da bainha de mielina (citoplasma e núcleo) constitui o chamado neurilema. TIPOS DE NEURÔNIOS 1 1- De acordo com o número de neuritos, os neurônios podem ser classificados em: unipolares: apresentam um único neuritoúnico neurito. bipolares: apresentam dois neuritos. multipolares: apresentam três ou mais neuritos. TIPOS DE NEURÔNIOS 2 2- De acordo com as conexões ou funções na condução dos impulsos, os neurônios podem ser classificados em: Neurônios receptores ou sensitivos (aferentes): são os que recebem estímulos sensoriais e conduzem o impulso nervoso ao sistema nervoso central. Neurônios motores ou efetuadores (eferentes): transmitem os impulsos motores (respostas ao estímulo). Neurônios associativos ou interneurônios: estabelecem ligações entre os neurônios receptores e os neurônios motores. TIPOS DE NEURÔNIOS 3 NEURÓGLIA (GLIA) As células da neuróglia cumprem a função de sustentar, proteger, isolar e nutrir os neurônios. Há diversos tipos celulares, distintos quanto à morfologia, a origem embrionária e às funções que exercem. Distinguem-se, entre elas, os astrócitos, oligodendrócitos, ependimárias, células de Schwann, micróglia
  • 3. 8/7/2008 3 DIVISÃO DO SN O SISTEMA NERVOSO O SNC recebe, analisa e integra informações. É o local onde ocorre a tomada de decisões e o envio de ordens. O SNP carrega informações dos órgãosinformações dos órgãos sensoriais para o sistema nervoso central e do sistema nervoso central para os órgãos efetores (músculos e glândulas). SNC - COMPONENTES Encéfalo: telencéfalo (cérebro e bulbo olfatório), diencéfalo (tálamo, hipotálamo e corpo pineal), tronco cefálico, que se divide em: mesencéfalo, situado cranialmente; bulbo (mielencéfalo), situado caudalmente; ponte, situada entre ambos. cerebelo. Metencéfalo Prosencéfalo Medula espinhal (raque). SNC – SUBSTÂNCIAS BRANCA E CINZENTA No SNC, existem as chamadas substâncias cinzenta e branca. A substância cinzenta é formada pelos corpos dos neurônios e a branca, por seus prolongamentos. Com exceção do bulbo e da medula, a substância cinzenta ocorre mais externamente e a substância branca, mais internamente.branca, mais internamente. Encéfalo Medula
  • 4. 8/7/2008 4 SNC – CRÂNIO E VÉRTEBRAS Os órgãos do SNC são protegidos por estruturas esqueléticas e por membranas. Estruturas esqueléticas: caixa craniana, protegendo o encéfalo; coluna vertebral (vértebras), protegendo a medula espinhal. SNC - MENINGES Membranas: meninges, situadas sob a proteção esquelética: dura-máter (a externa), aracnóide (a do meio), pia-máter (a interna). Entre as meninges aracnóide e pia-máter há um espaço preenchido pelo líquido cefalorraquidiano (LCR) ou líquor.líquor. DURA MÁTER Mais externa Mais espessa Desempenha papel de proteção Composta por células semelhantes a fibroblastos que secretam colágeno em abundância Divide-se em Lâmina periostal acopla o crâniop p Lâmina meníngea Foice do cérebro separa dois hemisférios Tentório do cerebelo separa cerebelo dos HC Tem continuidade e recobre a medula ARACNÓIDE Justaposta a dura máter Não está de forma muito firme Espaço entre aracnóide e dura espaço subdural PIA MATER Mais interno Muito delicada Aderida a superfície do encéfalo e medula espinhal Espaço subaracnóide filamentos da aracnóide se conectam com os da pia mater, dando aparência de teia de aranha. O líquor circula neste espaço e banha o encéfalo e medula espinhal Funções circulatórias vasos e artérias que recobrem o SNC estão no espaço subaracnóide SISTEMA NERVOSO CENTRAL
  • 5. 8/7/2008 5 MEDULA ESPINHAL Encontra-se no canal vertebral e funciona como centro nervoso de atos involuntários e, também, como veículo condutor de impulsos nervosos. Possui dois sistemas de neurônios: sistema descendente: controla funções motoras dos músculos, regula funções como pressão e temperatura e transporta sinais originados no cérebro até seu destino; sistema ascendente: transporta sinais sensoriais das extremidades do corpo até a medula e de lá para o cérebro.p p Os corpos celulares dos neurônios se concentram no cerne da medula massa cinzenta. Os axônios ascendentes e descendentes localizam-se na substância branca. As duas regiões também abrigam células da Glia. TRONCO ENCEFÁLICO Interpõe-se entre a medula e o diencéfalo, situando-se ventralmente ao cerebelo. Funções gerais: (1) recebe informações sensitivas de nervos cranianos e controla os músculos da cabeça; (2) contém circuitos nervosos que transmitem informações da medula espinhal até outras regiões encefálicas e, em direção contrária, do encéfalo para a medula espinhalencéfalo para a medula espinhal. (3) regula a atenção, o sono e a vigília e controla a postura corporal função mediada pela formação reticular complexa malha de neurônios e fibras que recebe aferências de várias regiões e ocupa a parte central do tronco encefálico distribui-se desde o mesencéfalo até o bulbo. Além destas 3 funções gerais, as várias divisões do tronco encefálico desempenham funções motoras e sensitivas específicas. TRONCO ENCEFÁLICO TRONCO ENCEFÁLICO - CONSTITUIÇÃO (1) corpos de neurônios que se agrupam em núcleos muitos recebem ou emitem fibras nervosas que entram na constituição dos nervos cranianos; (2) fibras nervosas, se agrupam em feixes: tractos e lemniscos. Agrupamentos neuronais e axonais Descrição neuronais e axonais Núcleo Massa neuronal claramente distingüível, localizada geralmente na profundidade do encéfalo. Tracto Grupamento de axônios do SNC que possui uma mesma origem e um mesmo destino. Lemnisco Tracto que atravessa o encéfalo, de aspecto semelhante a uma fita. TRONCO ENCEFÁLICO - MESENCÉFALO O mesencéfalo diferencia-se em tecto e tegmento. No espaço preenchido com LCR no centro do mesencéfalo, localiza-se o aqueduto cerebral. MESENCÉFALO - TECTO Diferencia-se em duas estruturas: Colículo superior: também chamado tecto óptico recebe aferências diretamente do olho controle dos movimentos oculares. Colículo inferior: recebe informação sensorial da orelha importante estação retransmissora de informação auditiva a caminho do tálamo.
  • 6. 8/7/2008 6 MESENCÉFALO - TEGMENTO É uma das porções mas “coloridas” do encéfalo contém a substância nigra e o núcleo rubro grupamentos celulares envolvidos no controle do movimento voluntário. Outros grupos dispersos no mesencéfalo possuem axônios que se projetam por todo o SN e regulam o alerta consciente, o humor, o prazer e a dor. TRONCO ENCEFÁLICO - PONTE Conecta o córtex cerebral ao cerebelo dos axônios descendentes que passam pelo mesencéfalo, mais de 90% estabelecem sinapses em neurônios da ponte retransmitem a informação ao cerebelo. Participa de algumas atividades do bulbo, interferindo no controle da respiração. Serve de passagem para as fibras nervosas que ligam o encéfalo à medula. TRONCO ENCEFÁLICO - BULBO Também chamado de bulbo raquídio ou medula oblonga. Pirâmide bulbar: feixes grossos de axônios que descem do prosencéfalo até a medula espinhal maioria origina-se no córtex cerebral localizados no assoalho do quarto ventrículo contém os tractos córtico- espinhais envolvidos no controle do movimento voluntário. Porção rostral do bulbo: contém vários núcleos: (1) Núcleos do sistema auditivo (2) Oliva inferior importante( ) p para o controle motor. (3) Núcleo da rafe relevante na modulação da dor, do humor e da vigília. BULBO MEDIAL Porção medial do bulbo: (1) Leminisco medial: contém axônios que levam informação sensorial somática (tato) ao tálamo. (2) Núcleo gustativo: onde chegam informações gustativas forma parte do tracto solitário maior regula aspectos da função visceral (*). (3) Núcleos vestibulares: envolvidos com o sentido do equilíbrio. BULBO E FUNÇÕES VISCERAIS Recebe informações de vários órgãos do corpo, controlando as funções autônomas ou viscerais (a chamada vida vegetativa): batimento cardíaco, respiração, pressão do sangue, reflexos de salivação, tosse, espirro e o ato de engolir. BULBO - DECUSSAÇÃO Cruzamento axonal no bulbo próximo onde se une com a medula espinhal cada tracto piramidal cruza de um lado para o outro da linha média. O espaço preenchido por LCR no centro do bulbo é o quarto ventrículo.
  • 7. 8/7/2008 7 DIENCÉFALO Tálamo, Hipotálamo e Corpo pineal. DIENCÉFALO – TÁLAMO 1 Região de substância cinzenta localizada entre o tronco encefálico e o cérebro. Todas as mensagens sensoriais, com exceção das provenientes dos receptores do olfato, passam pelo tálamo antes de atingir o córtex cerebral. Atua como estação retransmissora de impulsos nervosos para o córtex cerebral. É responsável pela condução dos impulsos às regiões apropriadasp g p p do cérebro onde eles devem ser processados. Também está relacionado com alterações no comportamento emocional; que decorre, não só da própria atividade, mas também de conexões com outras estruturas do sistema límbico (que regula as emoções). DIENCÉFALO - HIPOTÁLAMO Forma o assoalho do terceiro ventrículo centro vital de controle de muitas funções corporais básicas: relaciona-se de forma mais íntima com certas estruturas encefálicas, como a amígdala envolvido com as emoções; em situações de ameaça articula a resposta visceral de luta-ou-fuga; comanda o Sistema Nervoso Autônomo (SNA); após uma farta refeição assegura que o encéfalo esteja bem nutrido comandos enviados ao SNA aumento do peristaltismo e redirecionamento do sangue para o sistema digestório; regula o sono, a sede, a fome e o balanço hídrico do corpo; papel-chave na motivação para a busca de alimento e sexo em resposta às necessidades corporais; comanda as respostas corporais por intermédio de conexões com a hipófise liberação de hormônios tróficos na corrente sangüínea; controla a temperatura corporal. CORPOS MAMILARES HIPOTALÂMICOS Proeminentes na superfície ventral do encéfalo armazenamentoarmazenamento da memória são o maior alvo dos axônios do fórnix. DIENCÉFALO- CORPO PINEAL Localizado dorsalmente ao tálamo. Secreta melatonina relacionada com a regulação do sono e comportamento sexual. CEREBELO O cerebelo ou “pequeno cérebro” é um importante centro de controle do movimento. Recebe aferências maciças da medula espinhal e da ponte. aferências medulares: trazem informação a respeito da posição do corpo no espaço. aferências pontinas: levam informação do córtex cerebral especificando a meta do movimento pretendido o cerebelo compara as informações e calcula as seqüências de contrações musculares necessárias para se atingir a meta de movimento. õLesões no cerebelo resultam em movimentos descoordenados e imprecisos.
  • 8. 8/7/2008 8 SISTEMA LÍMBICO Consiste na região do córtex ao redor do corpo caloso, principalmente o giro cingulado (giro do cíngulo) e o córtex na superfície medial do lobo temporal inclui tálamo, hipotálamo (com corpos mamilares), amígdala, hipocampo. Todas estas áreas são muito importantes para a emoção e reações emocionais. O hipocampo também é importante para a memória e o aprendizado. TELENCÉFALO O telencéfalo ou cérebro é dividido em dois hemisférios cerebraishemisférios cerebrais bastante desenvolvidos. GIROS, SULCOS E FISSURAS Destaca-se pela sua superfície enrugada saliências são chamadas giros; reentrâncias são chamadas sulcos. Sulcos muito profundos são denominados fissuras. Neurônios do giro pré-central: controlam os movimentos voluntários. Neurônios do giro pós-central: sensação somática (tato). Neurônios do giro temporal superior: relacionados à audição. LOBOS CEREBRAIS E ÍNSULA Por convenção, o cérebro é subdividido em lobos, nomeados em relação aos ossos do crânio que estão logo acima deles. O sulco central separa o lobo frontal do parietal. O lobo temporal localiza-se ventralmente à fissura lateral. O lobo occipital, localizado na região caudal do cérebro, é circundado pelos lobos parietal e temporal. A ínsula (do latim: ilha) é uma porção oculta do córtex cerebral, que pode ser visualizada se as margens da fissura lateral forem afastadas limita e separa os lobos temporal elateral forem afastadas limita e separa os lobos temporal e frontal. LOBO FRONTAL Importante no controle motor e na sensibilidade corporal (tato e dor) Regula ações mecânicas simples dos movimentos (força) Interfere na decisão de quais movimentos serão executados para alcançar um determinado objetivo Córtexmotor está no giro pré central Superfície lateral importante em funções cognitivas e nas emoções Bulbo olfatório na superfície anterior Corpo caloso integra as funções dos dois hemisférios LOBO PARIETAL Percepção do tato, dor e posição dos membros Integra experiências sensoriais da pele, múculo e articulações Percebe tamanho e forma dos objetos Presença do córtex sensorial somático Lobo parietal superior auto imagem completa ep p g p interações comportamentais com o mundo (lesão gera negação de parte do corpo no lado oposto) Lobo parietal inferior fala e percepção
  • 9. 8/7/2008 9 LOBO OCCIPITAL Essencial para a percepção visual Córtex adjacente forma e cor dos objetos Importante para reconhecimento de facesfaces Lesões podem gerar confusão na identificação de faces e objetos inanimados LOBO TEMPORAL Memória e emoções Córtex auditivo percepção e localização dos sons Centro cortical reconhecimento da palavra (área Wernicke) que estápalavra (área Wernicke), que está conectada com a área frontal da linguagem (área de Broca articulação da palavra) Giro temporal inferior percepção de formas visuais e da cor. ÁREAS FUNCIONAIS DO NEOCÓRTEX Áreas funcionais: Visuais: encontram-se no lobo occipital. Sensoriais somáticas: localizam-se no lobo parietal. Auditivas: situam-se no lobo parietal. Gustativas: encontram-se ocultas junto com a ínsula.junto com a ínsula. Motoras: localizam-se no lobo frontal, anteriormente ao sulco central. Associativas: não estão envolvidas diretamente com funções motoras ou sensoriais algumas das áreas associativas mais importantes são o córtex pré-frontal, o córtex parietal posterior e o córtex temporal inferior. AMÍGDALA E HIPOCAMPO A amígdala e o hipocampo situam-se sob o córtex não podem ser observadas diretamente da superfície: Amígdala: importante estrutura relacionada com a memória e que regula os estados emocionais (sistema límbico). Hipocampo: desempenha papel importante no aprendizado e na memória. CORPO CALOSO E FÓRNIX Podem ser observados examinando-se a superfície medial do cérebro: Corpo caloso: imenso feixe de axônios que conecta os dois hemisférios do cérebro. Fórnix (do latim: arco): feixe proeminente de fibras que conecta o hipocampo com o hipotálamo alguns axônios participam da regulação do armazenamento da memória. QUIASMA ÓPTICO Quiasma óptico: em forma de X, imediatamente anterior ao hipotálamo onde muitos axônios que provêm dos olhos atravessam de um lado para o outro: Os feixes axonais anteriores ao quiasma,anteriores ao quiasma, que emergem da região posterior do olho, são os nervos ópticos. Os feixes situados posteriormente ao quiasma, que desaparecem dentro do tálamo, são os tractos ópticos.
  • 10. 8/7/2008 10 VENTRÍCULOS CEREBRAIS O canal neural persiste nos adultos, correspondendo aos ventrículos cerebrais, no interior do encéfalo, e ao canal do epêndimo, no interior da medula. SISTEMA VENTRICULAR Nome dado às cavidades encefálicas e canais + fluido que as preenche. Fluido que preenche e percorre o sistema líquido céfalo-raquidiano (LCR) ou líqüor produzido por um tecido especial – os plexos coróides – nos ventrículos dos hemisférios cerebrais nutrição, proteção e excreção do sistema nervoso.p ç ç SISTEMA VENTRICULAR COMPONENTES ESTRUTURAS ENVOLVIDAS Ventrículos laterais Córtex cerebral Telencéfalo basal Terceiro ventrículo Tálamo Hipotálamo Aqueduto cerebral Mesencéfalo (Tecto e Tegmento) Quarto ventrículo Cerebelo Ponte Bulbo Canal ependimário Medula espinhal