SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Evolução do modelo
atómico
Evolução do modelo atómico
Átomos
Toda a matéria é constituída por átomos. Os átomos são muito
pequenos: só são visíveis com microscópios especiais.
Núcleo
(+)
Nuvem eletrónica
(-)
Protões
(Carga +1)
Neutrões
(Carga 0)
Eletrões
(Carga -1)
Nucleões
Nº nucleões = Nº protões + Nº neutrões
Os protões, neutrões e eletrões são partículas constituintes do átomo,
ou seja partículas subatómicas, com características diferentes e
descobertas em diferentes datas.
Evolução do modelo atómico
n.º de protões = n.º eletrões
Os átomos não têm carga elétrica, são eletricamente neutros.
Evolução do modelo atómico
Num átomo …
massa do protão = massa do neutrão
A massa dos átomos está praticamente toda concentrada no núcleo.
Evolução do modelo atómico
Num átomo …
>> massa do eletrão
Núcleo atómico tem um tamanho
muito menor que a nuvem eletrónica
A nuvem eletrónica é responsável pelo tamanho do átomo..
Evolução do modelo atómico
Num átomo …
Evolução do modelo atómico
Resumindo as principais ideias sobre o modelo atómico atual:
Evolução do modelo atómico
A descoberta da constituição dos átomos, até à
elaboração do modelo atual, foi um processo lento
que se deveu a vários cientistas.
Modelo da nuvem
eletrónica
Bohr
Séc. V a.C. Início séc. XIX Finais séc. XIX Início séc. XX Atualmente
Dalton Rutherford
Thomson
Demócrito
Surgiu na Grécia Antiga, no século V (a.C.).
Toda a matéria seria constituída por pequeníssimos corpúsculos
aos quais chamaram “átomos”, palavra que vem do grego
a + thomos (significa “sem divisão”).
Os seus principais defensores foram Leucipo e Demócrito.
Evolução do modelo atómico
Atomismo
Depois durante muitos séculos esta ideia foi esquecida.
Modelo atómico de Dalton
Surgiu em 1803 com o químico inglês John Dalton.
Um átomo seria uma porção esférica de matéria indivisível.
Átomos de elementos químicos diferentes tinham massas diferentes e
propriedades químicas distintas.
As substâncias compostas seriam associações de átomos de
elementos diferentes.
As reações químicas explicavam-se com base na Lei de
Lavoisier.
Rearranjo de átomos, em conformidade com Lei de Lavoisier da
conservação da massa.
Evolução do modelo atómico
Dalton, é considerado o pai da Teoria atómica.
Surgiu em 1904 após a descoberta do eletrão
(em 1897), pelo físico inglês Joseph Thomson.
O átomo seria uma esfera de carga positiva onde estavam
mergulhados pequeninas esferas de carga negativa – os
eletrões.
Este modelo ficou conhecido como o modelo do “ bolo de passas”.
Eletrões
(carga -)
Esfera de
carga
positiva
Evolução do modelo atómico
Modelo atómico de Thomson
Contributo de Thomson:
descoberta do eletrão (carga negativa).
Modelo atómico de Rutherford
Na experiência de Rutherford «dispararam-se» partículas α (alfa),
provenientes de uma amostra radioativa, contra folhas muito finas de ouro.
Evolução do modelo atómico
Fonte de
partículas 
Detetor de
partículas
Lâmina de
ouro
Átomos de
ouro
Rutherford verificou que quase todas as partículas alfa
atravessavam a folha metálica sem se desviarem, enquanto
outras partículas desviavam-se.
Das conclusões da experiência surgiu um modelo que considerava:
 A carga positiva do átomo estava concentrada no seu centro –
núcleo atómico.
 No núcleo estava concentrada quase toda a massa do átomo.
 O tamanho do núcleo era muito pequeno comparado com o
tamanho do átomo.
 À volta do núcleo moviam-se os eletrões em órbitas.
Evolução do modelo atómico
Modelo atómico de Rutherford
(modelo planetário) Núcleo
Eletrão
Contributo de Rutherford (1º modelo nuclear):
descoberta do núcleo do átomo (e dos protões).
 O átomo não é uma esfera compacta, pois tem muito espaço
vazio.
Surgiu com o físico dinamarquês Niels Bohr, que adotou parte do
modelo de Rutherford.
Os eletrões descreviam órbitas em torno do núcleo mas só algumas
eram possíveis.
Os eletrões que descreviam órbitas de maior raio tinham maior
energia.
Evolução do modelo atómico
Modelo atómico de Bohr
Núcleo
Eletrão
Energia crescente
Só determinados valores de energia para os eletrões são possíveis.
Contributo de Bohr:
Quantificação da energia dos eletrões.
Este modelo surgiu mais tarde por se concluir que a noção de
órbita não era apropriada.
A probabilidade eletrónica por unidade de volume é maior junto ao
núcleo.
Zona onde é mais provável
encontrar os eletrões
Evolução do modelo atómico
Modelo da nuvem eletrónica
(modelo atual)
Núcleo
Nuvem
eletrónica
Os eletrões movem-se, na nuvem eletrónica, de modo desconhecido
com velocidades muito elevadas.
Só determinados valores de energia para os eletrões são possíveis.
Não é possível saber ao mesmo tempo a posição e energia do
eletrão.
É mais provável encontra-lo próximo do núcleo. À zona de
maior probabilidade em encontrar o eletrão chama-se orbital.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1 - Evolução do modelo atómico .ppt

Resumo conceitos fundamentais e teorias atomicas
Resumo   conceitos fundamentais e teorias atomicasResumo   conceitos fundamentais e teorias atomicas
Resumo conceitos fundamentais e teorias atomicasProfª Alda Ernestina
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Karol Maia
 
Evolução do átomo
Evolução do átomoEvolução do átomo
Evolução do átomoErlenmeyer
 
Evolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo AtómicoEvolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo Atómico713773
 
Modelos atômicos ( 2 ano)
Modelos atômicos ( 2 ano)Modelos atômicos ( 2 ano)
Modelos atômicos ( 2 ano)Karol Maia
 
Evolução do modelo atómico (final)
Evolução do modelo atómico (final)Evolução do modelo atómico (final)
Evolução do modelo atómico (final)ct-esma
 
Estrutura Atomica Coc 2010
Estrutura Atomica Coc 2010Estrutura Atomica Coc 2010
Estrutura Atomica Coc 2010Coc2010
 
Apresentação modelos atômicos elenice
Apresentação modelos atômicos  eleniceApresentação modelos atômicos  elenice
Apresentação modelos atômicos eleniceEEB Paulo Bauer
 
Evolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicosEvolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicosfranciscaf
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
Modelos atômicos 1
Modelos atômicos 1Modelos atômicos 1
Modelos atômicos 1vania2012
 
Trabalho de quimica
Trabalho de quimicaTrabalho de quimica
Trabalho de quimicaAndre020203
 
Estrutura atômica para apresntação
Estrutura atômica para apresntaçãoEstrutura atômica para apresntação
Estrutura atômica para apresntaçãosimone1444
 

Semelhante a 1 - Evolução do modelo atómico .ppt (20)

Estrutura atomica 2012
Estrutura atomica 2012Estrutura atomica 2012
Estrutura atomica 2012
 
Resumo conceitos fundamentais e teorias atomicas
Resumo   conceitos fundamentais e teorias atomicasResumo   conceitos fundamentais e teorias atomicas
Resumo conceitos fundamentais e teorias atomicas
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Evolução do átomo
Evolução do átomoEvolução do átomo
Evolução do átomo
 
Evolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo AtómicoEvolução do Modelo Atómico
Evolução do Modelo Atómico
 
Modelos atômicos ( 2 ano)
Modelos atômicos ( 2 ano)Modelos atômicos ( 2 ano)
Modelos atômicos ( 2 ano)
 
Evolução do modelo atómico (final)
Evolução do modelo atómico (final)Evolução do modelo atómico (final)
Evolução do modelo atómico (final)
 
O átomo
O átomoO átomo
O átomo
 
Estrutura Atomica Coc 2010
Estrutura Atomica Coc 2010Estrutura Atomica Coc 2010
Estrutura Atomica Coc 2010
 
Apresentação modelos atômicos elenice
Apresentação modelos atômicos  eleniceApresentação modelos atômicos  elenice
Apresentação modelos atômicos elenice
 
Evolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicosEvolução dos modelos atómicos
Evolução dos modelos atómicos
 
Física - Calorimetria
Física - CalorimetriaFísica - Calorimetria
Física - Calorimetria
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
Modelos atômicos 1
Modelos atômicos 1Modelos atômicos 1
Modelos atômicos 1
 
Trabalho de quimica
Trabalho de quimicaTrabalho de quimica
Trabalho de quimica
 
Estrutura atômica para apresntação
Estrutura atômica para apresntaçãoEstrutura atômica para apresntação
Estrutura atômica para apresntação
 
Evolução do modelo atômico
Evolução do modelo atômicoEvolução do modelo atômico
Evolução do modelo atômico
 
1350
13501350
1350
 
Aula atomistica
Aula atomisticaAula atomistica
Aula atomistica
 

Último

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 

Último (20)

v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 

1 - Evolução do modelo atómico .ppt

  • 2. Evolução do modelo atómico Átomos Toda a matéria é constituída por átomos. Os átomos são muito pequenos: só são visíveis com microscópios especiais. Núcleo (+) Nuvem eletrónica (-) Protões (Carga +1) Neutrões (Carga 0) Eletrões (Carga -1) Nucleões Nº nucleões = Nº protões + Nº neutrões
  • 3. Os protões, neutrões e eletrões são partículas constituintes do átomo, ou seja partículas subatómicas, com características diferentes e descobertas em diferentes datas. Evolução do modelo atómico
  • 4. n.º de protões = n.º eletrões Os átomos não têm carga elétrica, são eletricamente neutros. Evolução do modelo atómico Num átomo …
  • 5. massa do protão = massa do neutrão A massa dos átomos está praticamente toda concentrada no núcleo. Evolução do modelo atómico Num átomo … >> massa do eletrão
  • 6. Núcleo atómico tem um tamanho muito menor que a nuvem eletrónica A nuvem eletrónica é responsável pelo tamanho do átomo.. Evolução do modelo atómico Num átomo …
  • 7. Evolução do modelo atómico Resumindo as principais ideias sobre o modelo atómico atual:
  • 8. Evolução do modelo atómico A descoberta da constituição dos átomos, até à elaboração do modelo atual, foi um processo lento que se deveu a vários cientistas. Modelo da nuvem eletrónica Bohr Séc. V a.C. Início séc. XIX Finais séc. XIX Início séc. XX Atualmente Dalton Rutherford Thomson Demócrito
  • 9. Surgiu na Grécia Antiga, no século V (a.C.). Toda a matéria seria constituída por pequeníssimos corpúsculos aos quais chamaram “átomos”, palavra que vem do grego a + thomos (significa “sem divisão”). Os seus principais defensores foram Leucipo e Demócrito. Evolução do modelo atómico Atomismo Depois durante muitos séculos esta ideia foi esquecida.
  • 10. Modelo atómico de Dalton Surgiu em 1803 com o químico inglês John Dalton. Um átomo seria uma porção esférica de matéria indivisível. Átomos de elementos químicos diferentes tinham massas diferentes e propriedades químicas distintas. As substâncias compostas seriam associações de átomos de elementos diferentes. As reações químicas explicavam-se com base na Lei de Lavoisier. Rearranjo de átomos, em conformidade com Lei de Lavoisier da conservação da massa. Evolução do modelo atómico Dalton, é considerado o pai da Teoria atómica.
  • 11. Surgiu em 1904 após a descoberta do eletrão (em 1897), pelo físico inglês Joseph Thomson. O átomo seria uma esfera de carga positiva onde estavam mergulhados pequeninas esferas de carga negativa – os eletrões. Este modelo ficou conhecido como o modelo do “ bolo de passas”. Eletrões (carga -) Esfera de carga positiva Evolução do modelo atómico Modelo atómico de Thomson Contributo de Thomson: descoberta do eletrão (carga negativa).
  • 12. Modelo atómico de Rutherford Na experiência de Rutherford «dispararam-se» partículas α (alfa), provenientes de uma amostra radioativa, contra folhas muito finas de ouro. Evolução do modelo atómico Fonte de partículas  Detetor de partículas Lâmina de ouro Átomos de ouro
  • 13. Rutherford verificou que quase todas as partículas alfa atravessavam a folha metálica sem se desviarem, enquanto outras partículas desviavam-se. Das conclusões da experiência surgiu um modelo que considerava:  A carga positiva do átomo estava concentrada no seu centro – núcleo atómico.  No núcleo estava concentrada quase toda a massa do átomo.  O tamanho do núcleo era muito pequeno comparado com o tamanho do átomo.  À volta do núcleo moviam-se os eletrões em órbitas. Evolução do modelo atómico Modelo atómico de Rutherford (modelo planetário) Núcleo Eletrão Contributo de Rutherford (1º modelo nuclear): descoberta do núcleo do átomo (e dos protões).  O átomo não é uma esfera compacta, pois tem muito espaço vazio.
  • 14. Surgiu com o físico dinamarquês Niels Bohr, que adotou parte do modelo de Rutherford. Os eletrões descreviam órbitas em torno do núcleo mas só algumas eram possíveis. Os eletrões que descreviam órbitas de maior raio tinham maior energia. Evolução do modelo atómico Modelo atómico de Bohr Núcleo Eletrão Energia crescente Só determinados valores de energia para os eletrões são possíveis. Contributo de Bohr: Quantificação da energia dos eletrões.
  • 15. Este modelo surgiu mais tarde por se concluir que a noção de órbita não era apropriada. A probabilidade eletrónica por unidade de volume é maior junto ao núcleo. Zona onde é mais provável encontrar os eletrões Evolução do modelo atómico Modelo da nuvem eletrónica (modelo atual) Núcleo Nuvem eletrónica Os eletrões movem-se, na nuvem eletrónica, de modo desconhecido com velocidades muito elevadas. Só determinados valores de energia para os eletrões são possíveis. Não é possível saber ao mesmo tempo a posição e energia do eletrão. É mais provável encontra-lo próximo do núcleo. À zona de maior probabilidade em encontrar o eletrão chama-se orbital.