SlideShare uma empresa Scribd logo
Segurança nos Trabalhos em alturas

Técnicos de Segurança do Trabalho:
Leandro Castro
Embasamento legal

    NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na
    Indústria da Construção:
   Item 18.12 – Escadas rampas e passarelas;
   Item 18.13 – Medidas de Proteção Contra Quedas de Alturas;
   Item 18.15 – Andaimes;
   Item 18.18 – Serviços em Telhados;

    NR 34 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na
    Indústria da Construção e Reparação Naval;
   Item 34.6 - Trabalho em Altura.

   NR 35 – Trabalho em Altura
Trabalho em altura

 Qualquer trabalho realizado acima de dois metros de altura do
piso, em que haja risco de queda do trabalhador.

  Toda atividade executada em níveis diferentes, e na qual haja
risco de queda capaz de causar lesão ao trabalhador.
Trabalho em altura

   Todo trabalho em altura deverá ser planejado, organizado e
    executado por trabalhador capacitado e autorizado.

   Trabalhador capacitado, aquele que tiver treinamento,
    teórico e prático, com carga horária mínima de 8h.

   Trabalhador autorizado, aquele capacitado e cujo estado de
    saúde foi avaliado, tendo sido considerado apto para
    executar essa atividade.

   Os trabalhadores deverão ser identificados.
Risco = Perigo X Fatores
(freqüência e probabilidade)

 O risco será proporcional às medidas de controle;
 Quanto maior as medidas de controle menores serão os riscos;
 Uma vez adotadas medidas de controle, o perigo continuará
existindo, mas os riscos de acidentes estarão controlados.
Atos e condições inseguras

  Atos inseguros - Está ligado ao fator pessoal de cada
indivíduo, é a maneira em que este se expõe a determinado
riscos de forma negligente e imprudente.

 Condições inseguras – é a condição no ambiente de
trabalho que ofereça riscos de acidentes.
Atos e condições inseguras
Atos e condições inseguras
Atos e condições inseguras
Escadas de mão
Escadas de mão
Trabalho em altura

 Acidentes por quedas em alturas são responsáveis por 1/3 de
todos            acidentes           de             trabalho...

 Em 75% dos acidentes por queda acima de 2m de altura
resultam em morte.

   Se não resultam em mortes, fazem verdadeiros estragos.
Medidas de controle contra quedas
Medidas de controle contra quedas
   É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houver
    risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais.
Medidas de controle contra quedas
Medidas de controle contra quedas

   As aberturas no piso devem ter fechamento provisório
    resistente.
Medidas de controle contra quedas
Escadas de mão
Inspeções de equipamentos e acessórios

   Oxidação/Corrosão de materiais metálicos;
   Encaixe de talabarte no cinto;
   Fixação de cabo-guia;
   Costuras em fitas;
   Etc...
Legislação

NR 18 – Condições e Meio Ambiente de
Trabalho na Indústria da Construção

18.23 EPI’s
 18.23 – A empresa é obrigada a fornecer gratuitamente
EPI’s adequados a atividade ...
Cinto de Segurança

 O cinto de segurança tipo pára-quedista deve ser utilizado em
atividades a mais de 2m de altura do piso, nas quais haja risco
de queda do trabalhador.
Modelos
 Cinturão       tipo pára-quedista  em
poliamida de alta densidade para
trabalhos em altura;
 Possui regulagem rápida em todos os
lados, proporcionando maior conforto ao
usuário.
 Muito     utilizado em    serviços  de
manutenção em postes de telefonia,
eletricidade e TV a cabo, subestações,
manutenção em andaime e escadas.
Características


 3 argolas “D”;
 Regulagem rápida de cintura e
coxa;
 Regulagem nos suspensórios
frontais;
 Fita    peitoral com engate
rápido;
 Cinta sub-pélvica.
Talabarte duplo

 Talabarte duplo tipo Y, com dois absorvedores de
energia, fita elástica e mosquetão com dupla trava
de segurança com abertura de 55 mm em ambas
extremidades para escaladas de locais que não
apresentam uma linha de vida permanentemente
instalada, por exemplo: andaimes, antenas de
telefonia, torres de transmissão elétrica, etc...
Talabarte com absorvedor de energia


     Video na pasta videos:
     Talabarte.avi
Fator de Queda

                           FQ = AQ
                                CT
   FQ = Fator de queda
   AQ = Altura da queda
   CT = Comprimento do talabarte/corda

   FQ existente é 1 e 2
   FQ = 2 (Risco grave e iminente)
Trava quedas para cabo 12mm
Trava quedas para cabo 12mm


        Vídeo na pasta videos:Trava
        queda para corda.wmv
Trava quedas retrátil
       Vídeo na pasta videos:Trava
       queda retrátil.avi
Conector de ancoragem em aço

 Possibilita  fazer   um  ponto    de
ancoragem seguro, abraçando estruturas
de grandes dimensões;
 Possui    uma fita interna da cor
vermelha, para indicar o desgaste do
equipamento;
 Comprimento máximo 1,30 metros e
carga de ruptura de 22 KN.
Conector de ancoragem em fita

 Possibilita fazer um ponto de ancoragem seguro, abraçando
estruturas de grandes dimensões;
 Confeccionado em fita de poliamida, com alta resistência à
tração de 30 KN;
 Comprimento: 80 cm
Conectores de ancoragem
Cabo estático 12 mm

                       Corda    estática   sintética
                        confeccionada em poliamida
                        com diâmetro de 12 mm;
                       Rolo com 50 metros;
                       Possui resistência à ruptura
                        de 30 KN;
                       Para              atmosferas
                        potencialmente explosivas.
Mosquetão oval

 Mosquetão oval confeccionado em aço inox;
 Mosquetão com dupla trava de segurança e 18 mm de
abertura;
 Resistência à tração 22,2 KN.
Opção de utilização de capacete
 18.23.3.1 - O cinto de segurança deve ser dotado de
dispositivo trava-quedas e estar ligado a cabo de segurança
independente da estrutura do andaime.
Tipos de equipamentos


   Restrição ;

   Posicionamento (freio blocante);

   Suspenso (cadeirinha);
Restrição
Posicionamento
Suspenso
Procedimento para trabalhos em
          telhados
Telhados e coberturas

 devem ser utilizados dispositivos dimensionados por profissional
legalmente habilitado e que permitam a movimentação segura
dos trabalhadores.

  é obrigatória a instalação de cabo – guia ou cabo de segurança
para fixação de mecanismos de ligação por talabarte acoplado ao
cinto de segurança tipo pára-quedista.
Telhados e coberturas


 Os cabos-guias devem ter
  suas extremidades fixadas
  à estrutura definitiva da
  edificação por meio de
  suporte de aço inoxidável
  ou outro material de
  resistência e durabilidade
  equivalentes.
Telhados e coberturas

 As    extremidades     dos
  cabos - guias devem estar
  conectados em pontos
  fixos capazes de suportar
  2x o seu peso corporal;
 O cabo guia deve estar
  esticado sem a existência
  de barrigas.
Telhados e coberturas
 Nos locais sob as áreas onde se desenvolvam trabalhos em
telhados e ou coberturas, é obrigatória a existência de
sinalização de advertência e de isolamento das áreas capazes de
evitar a ocorrência de acidentes por eventual queda de
materiais, ferramentas e ou equipamentos.
Telhados e coberturas
 É proibido trabalhos em telhados em caso de ocorrências de
chuvas, ventos fortes ou superfícies escorregadias.
 Todo trabalho em telhados ou coberturas devem ser precedidos
de inspeção e de elaboração de OS - Ordens de Serviço ou
Permissões para Trabalho contendo os procedimentos a serem
adotados.
 É proibida a concentração de cargas em um mesmo ponto
sobre telhado ou cobertura.
Telhados e coberturas
Telhados e coberturas
Telhados e coberturas
Telhados e coberturas

 Utilize cinto de
  segurança com
  dois talabartes.
Telhados e coberturas

   Sempre que possível utilize pranchões de 30 cm ou escadas
    para caminhar sobre as telhas;
Telhados e coberturas

   É proibido trabalho noturno em telhados;
   Carregue sempre um conector de ancoragem;
   Somente execute um trabalho em telhados após liberação de
  seu supervisor;
   Exija sempre medidas preventivas para execução das
  atividades.
Telhados e coberturas
 Neste caso o ideal é utilizar cabo - guia para conecção do cinto
de segurança;
Telhados e coberturas
   Mas pode ser utilizado somente
    conectores de ancoragem desde
    que o cinto seja com dois
    talabarte;
Procedimento para trabalhos em
          andaimes
Andaimes
   O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de
    sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional
    legalmente habilitado.
   Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo
    a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que
    estarão sujeitos.
Andaimes
   O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa,
    antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e
    resistente.
Andaimes

   Devem ser tomadas precauções
    especiais, quando da montagem,
    desmontagem e movimentação de
    andaimes    próximos às   redes
    elétricas.

   O acesso aos andaimes deve ser
    feito de maneira segura.
 Para acesso a plataforma de trabalho do andaime escale a
torre utilizando dois talabarte, conectando-os um de cada vez
em pontos fixos sempre acima da linha da cabeça;
Andaimes
   A madeira para confecção de
    andaimes deve ser de boa
    qualidade, seca, sem apresentar
    nós     e     rachaduras     que
    comprometam a sua resistência,
    sendo proibido o uso de pintura
    que encubra imperfeições.
   É proibida a utilização de aparas
    de madeira na confecção de
    andaimes.
Andaimes
   Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé,
    inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, com exceção do
    lado da face de trabalho.
Andaimes
Andaimes

   É proibida, sobre o piso de
    trabalho    de   andaimes,    a
    utilização de escadas e outros
    meios para se atingirem lugares
    mais altos.
Andaimes simplesmente apoiados

   Os montantes dos andaimes
    devem ser apoiados em sapatas
    sobre base sólida capaz de resistir
    aos esforços solicitantes e às
    cargas transmitidas.
Andaimes simplesmente apoiados

   É proibido trabalho em andaimes apoiados sobre cavaletes que
    possuam altura superior a 2,00m (dois metros) e largura
    inferior a 0,90m (noventa centímetros).

   É proibido o trabalho em andaimes na periferia da edificação
    sem que haja proteção adequada fixada à estrutura da
    mesma.
Andaimes simplesmente apoiados

   É proibido o deslocamento das estruturas dos andaimes com
    trabalhadores sobre os mesmos.
Andaimes simplesmente apoiados

   Os andaimes cujos pisos de trabalho estejam situados a mais
    de 1,50m (um metro e cinqüenta centímetros) de altura devem
    ser providos de escadas ou rampas.
   Os andaimes de madeira não podem ser utilizados em obras
    acima de 3 (três) pavimentos ou altura equivalente, podendo
    ter o lado interno apoiado na própria edificação.
Andaimes simplesmente apoiados


   O ponto de instalação de qualquer
    aparelho de içar materiais deve ser
    escolhido, de modo a não
    comprometer a estabilidade e
    segurança do andaime.
Andaimes simplesmente apoiados


   As torres de andaimes não
    podem exceder, em altura, 4
    (quatro)  vezes     a menor
    dimensão da base de apoio,
    quando não estaiadas.
Andaimes simplesmente apoiados

   A      estrutura    dos
    andaimes      deve  ser
    fixada à construção por
    meio de amarração e
    entroncamento,       de
    modo a resistir aos
    esforços a que estará
    sujeita.
Andaimes fachadeiros

   Os andaimes fachadeiros não devem receber cargas superiores
    às especificadas pelo fabricante. Sua carga deve ser distribuída
    de modo uniforme, sem obstruir a circulação de pessoas e ser
    limitada pela resistência da forração da plataforma de trabalho.
Andaimes fachadeiros

   Os acessos verticais ao
    andaime fachadeiro devem
    ser feitos em escada
    incorporada a sua própria
    estrutura ou por meio de
    torre de acesso.
Andaimes fachadeiros

   A movimentação vertical de componentes e acessórios para a
    montagem e/ou desmontagem de andaime fachadeiro deve
    ser feita por meio de cordas ou por sistema próprio de
    içamento.
Andaimes fachadeiros

   Os montantes, assim como
    todas as peças do andaime
    fachadeiro devem ter seus
    encaixes      travados       com
    parafusos,           contrapinos,
    braçadeiras ou similar.
Andaimes fachadeiros

   As peças de contraventamento
    devem     ser    fixadas    nos
    montantes     por meio de
    parafusos, braçadeiras ou por
    encaixe        em        pinos,
    devidamente     travados     ou
    contrapinados, de modo que
    assegurem a estabilidade e a
    rigidez     necessárias      ao
    andaime.
Andaimes fachadeiros
   Os andaimes fachadeiros devem dispor de proteção com tela
    de arame galvanizado ou material de resistência e durabilidade
    equivalentes, desde a primeira plataforma de trabalho até pelo
    menos 2,00m (dois metros) acima da última plataforma de
    trabalho.
Andaimes móveis
   Os rodízios dos andaimes devem ser providos de travas, de
    modo a evitar deslocamentos acidentais.
   Os andaimes móveis somente poderão ser utilizados em
    superfícies planas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentesCartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
Larissa Ferreira Romualdo
 
Trabalho em Locais de Difícil Acesso
Trabalho em Locais de Difícil AcessoTrabalho em Locais de Difícil Acesso
Trabalho em Locais de Difícil Acesso
Rostiene Justino Magalhães
 
Cpn sp trabalho em altura
Cpn sp   trabalho em alturaCpn sp   trabalho em altura
Cpn sp trabalho em altura
EvandroPFonseca
 
Tecnicas verticais
Tecnicas verticaisTecnicas verticais
Tecnicas verticais
Francirlei Lima
 
Trabalho em altura NR-35.
Trabalho em altura   NR-35. Trabalho em altura   NR-35.
Trabalho em altura NR-35.
Alfredo Brito
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em altura
Rubens Souza
 
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
Lorena Incutto Bastos
 
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
tojocarlos
 
Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35
Fatima Silva
 
Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35
Fabiano Micaella
 
Cart altiseg
Cart altisegCart altiseg
Cart altiseg
Nestor Neto
 
Trabalho em altura1
Trabalho em altura1Trabalho em altura1
Trabalho em altura1
Leandro Guimarães de Toledo
 
Guia para analise de risco nr-35 gulin
Guia para analise de risco  nr-35 gulinGuia para analise de risco  nr-35 gulin
Guia para analise de risco nr-35 gulin
Fabiano Luciano
 
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Beatriz Bauer Bauer
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
Josiel Leite
 
193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35
Fabio Prado
 
Trabalho em altura 2015
Trabalho em altura 2015Trabalho em altura 2015
Trabalho em altura 2015
Leandro Guimarães de Toledo
 
Sistemas de ancoragem como planejar e implementar
Sistemas de ancoragem como planejar e implementarSistemas de ancoragem como planejar e implementar
Sistemas de ancoragem como planejar e implementar
SAFETY POINT ANCORAGEM PREDIAL Ltda.
 
319468322 protecao-contra-quedas
319468322 protecao-contra-quedas319468322 protecao-contra-quedas
319468322 protecao-contra-quedas
Simone Coelho dos Santos
 
E book trabalho em altura
E book trabalho em alturaE book trabalho em altura
E book trabalho em altura
Ilton Belissimo
 

Mais procurados (20)

Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentesCartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
Cartilha- Trabalho em altura Prevenção de acidentes
 
Trabalho em Locais de Difícil Acesso
Trabalho em Locais de Difícil AcessoTrabalho em Locais de Difícil Acesso
Trabalho em Locais de Difícil Acesso
 
Cpn sp trabalho em altura
Cpn sp   trabalho em alturaCpn sp   trabalho em altura
Cpn sp trabalho em altura
 
Tecnicas verticais
Tecnicas verticaisTecnicas verticais
Tecnicas verticais
 
Trabalho em altura NR-35.
Trabalho em altura   NR-35. Trabalho em altura   NR-35.
Trabalho em altura NR-35.
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em altura
 
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
86932278 apostila-de-trabalho-em-altura-16-hrs
 
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
Treinamento seguranca-trabalhos-altura-nr 35
 
Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35
 
Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35Guia para analise de risco - NR 35
Guia para analise de risco - NR 35
 
Cart altiseg
Cart altisegCart altiseg
Cart altiseg
 
Trabalho em altura1
Trabalho em altura1Trabalho em altura1
Trabalho em altura1
 
Guia para analise de risco nr-35 gulin
Guia para analise de risco  nr-35 gulinGuia para analise de risco  nr-35 gulin
Guia para analise de risco nr-35 gulin
 
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35
 
Trabalho em altura 2015
Trabalho em altura 2015Trabalho em altura 2015
Trabalho em altura 2015
 
Sistemas de ancoragem como planejar e implementar
Sistemas de ancoragem como planejar e implementarSistemas de ancoragem como planejar e implementar
Sistemas de ancoragem como planejar e implementar
 
319468322 protecao-contra-quedas
319468322 protecao-contra-quedas319468322 protecao-contra-quedas
319468322 protecao-contra-quedas
 
E book trabalho em altura
E book trabalho em alturaE book trabalho em altura
E book trabalho em altura
 

Destaque

Programa de treinamento interno nr 18
Programa de treinamento interno   nr 18Programa de treinamento interno   nr 18
Programa de treinamento interno nr 18
Universidade Federal Fluminense
 
Integração construção civil
Integração construção civilIntegração construção civil
Integração construção civil
Thalles Henrique Marcelino
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
Larissa Aguiar
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
David Silvestre
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Ana Paula Santos de Jesus Souza
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
xandaobyte
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
Claudio Cesar Pontes ن
 

Destaque (7)

Programa de treinamento interno nr 18
Programa de treinamento interno   nr 18Programa de treinamento interno   nr 18
Programa de treinamento interno nr 18
 
Integração construção civil
Integração construção civilIntegração construção civil
Integração construção civil
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
 
Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18Treinamento Segurança NR-18
Treinamento Segurança NR-18
 
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção Nr 18 Segurança na Industria da Construção
Nr 18 Segurança na Industria da Construção
 
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de ObrasA Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
A Cartilha Orientativa para Implantação de Segurança no Canteiro de Obras
 
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)NR - 18 Construção Civil (Oficial)
NR - 18 Construção Civil (Oficial)
 

Semelhante a 05a trabemalturas

Apost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdfApost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdf
Tiago Morais
 
Apostila altura
Apostila alturaApostila altura
Apostila altura
Ringo Rodrigues
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_12550044686 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
Orlando Junior Binda
 
Trabalhos altura
Trabalhos alturaTrabalhos altura
Trabalhos altura
Trabalhos alturaTrabalhos altura
Trabalhos altura
arghus
 
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .pptTrabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
AlexsandroRocha22
 
Conect instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
Conect   instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratilConect   instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
Conect instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
CONECT
 
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptxnr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
FlvioSegredo
 
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdfcopy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
AlineOliveira182218
 
Epi na construção civil
Epi na construção civilEpi na construção civil
Epi na construção civil
Fatima Silva
 
2531727
25317272531727
NR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).pptNR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).ppt
Tiago Almeida
 
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
juamis morais
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
Rodrigo Camilo Araujo
 
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.pptTRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
Felipelipilef2nd
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwn
Nestor Neto
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
EvandroPFonseca
 
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editarProcedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
Isaline Oliveira
 

Semelhante a 05a trabemalturas (20)

Apost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdfApost. Trabalho em Alturas.pdf
Apost. Trabalho em Alturas.pdf
 
Apostila altura
Apostila alturaApostila altura
Apostila altura
 
Apostila trabalho em altura
Apostila trabalho em alturaApostila trabalho em altura
Apostila trabalho em altura
 
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_12550044686 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
6 pagina saude_do_trabalhador_1255004468
 
Trabalhos altura
Trabalhos alturaTrabalhos altura
Trabalhos altura
 
Trabalhos altura
Trabalhos alturaTrabalhos altura
Trabalhos altura
 
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .pptTrabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
Trabalho em altura adaptado - NR 35 .ppt
 
Conect instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
Conect   instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratilConect   instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
Conect instruções de uso e manutenção do trava-quedas retratil
 
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptxnr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
nr18-andaimes-151001145109-lva1-app6892 (1).pptx
 
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdfcopy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
copy_of_NR35Trabalhoemaltura.pdf
 
Epi na construção civil
Epi na construção civilEpi na construção civil
Epi na construção civil
 
2531727
25317272531727
2531727
 
NR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).pptNR18 3 (1).ppt
NR18 3 (1).ppt
 
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
 
NR18.ppt
NR18.pptNR18.ppt
NR18.ppt
 
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
TREINAMENTO INTRODUTÓRIO NR18 INDUSTRIA CONSTRUÇÃO CIVIL.
 
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.pptTRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
TRABALHO EM ALTURA NOVO.ppt
 
Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwn
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
 
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editarProcedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
Procedimento para trabalhos em altura falta finalizar e editar
 

Mais de Devanir Miranda

APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdfAPRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
Devanir Miranda
 
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdfinstrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
Devanir Miranda
 
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdfConforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
Devanir Miranda
 
RTP 01 FUNDACENTRO.pdf
RTP 01 FUNDACENTRO.pdfRTP 01 FUNDACENTRO.pdf
RTP 01 FUNDACENTRO.pdf
Devanir Miranda
 
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra  Grupo Mega Segurança do trabalho.pptNR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra  Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
Devanir Miranda
 
CQSMOD SOLDADOR.doc
CQSMOD SOLDADOR.docCQSMOD SOLDADOR.doc
CQSMOD SOLDADOR.doc
Devanir Miranda
 
NR-35 Cartilha de bolso.pdf
NR-35 Cartilha de bolso.pdfNR-35 Cartilha de bolso.pdf
NR-35 Cartilha de bolso.pdf
Devanir Miranda
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).pptPRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
Devanir Miranda
 
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.docCERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
Devanir Miranda
 
AGENTES QUIMICOS PPT.ppt
AGENTES QUIMICOS PPT.pptAGENTES QUIMICOS PPT.ppt
AGENTES QUIMICOS PPT.ppt
Devanir Miranda
 
NR35-2711.ppt
NR35-2711.pptNR35-2711.ppt
NR35-2711.ppt
Devanir Miranda
 
Plano de Emergencia (1).ppt
Plano de Emergencia (1).pptPlano de Emergencia (1).ppt
Plano de Emergencia (1).ppt
Devanir Miranda
 
treinamento integraçºao motorista.pdf
treinamento integraçºao motorista.pdftreinamento integraçºao motorista.pdf
treinamento integraçºao motorista.pdf
Devanir Miranda
 
Cqsmod soldador
Cqsmod soldadorCqsmod soldador
Cqsmod soldador
Devanir Miranda
 
For com-002 - protocolo de entrega
For com-002 - protocolo de entregaFor com-002 - protocolo de entrega
For com-002 - protocolo de entrega
Devanir Miranda
 
Agentes quimicos
Agentes quimicosAgentes quimicos
Agentes quimicos
Devanir Miranda
 
Analise de risco frente e verso
Analise de risco frente e versoAnalise de risco frente e verso
Analise de risco frente e verso
Devanir Miranda
 
Sobremesa especial de morangos receita bia
Sobremesa especial de morangos receita biaSobremesa especial de morangos receita bia
Sobremesa especial de morangos receita bia
Devanir Miranda
 
Tcc josé devanir. segurança no trabalho
Tcc josé devanir. segurança no trabalhoTcc josé devanir. segurança no trabalho
Tcc josé devanir. segurança no trabalho
Devanir Miranda
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
Devanir Miranda
 

Mais de Devanir Miranda (20)

APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdfAPRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
APRESENTAÇÃO-NR13-SENAI-EX.-LAUDO-rev.01.pdf
 
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdfinstrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
instrucao_tecnica_12_2a_edicao.pdf
 
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdfConforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
Conforto Térmico nos Ambientes de Trabalho-pdf.pdf
 
RTP 01 FUNDACENTRO.pdf
RTP 01 FUNDACENTRO.pdfRTP 01 FUNDACENTRO.pdf
RTP 01 FUNDACENTRO.pdf
 
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra  Grupo Mega Segurança do trabalho.pptNR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra  Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
NR 35 Trabalho em Altura 2017 ...palestra Grupo Mega Segurança do trabalho.ppt
 
CQSMOD SOLDADOR.doc
CQSMOD SOLDADOR.docCQSMOD SOLDADOR.doc
CQSMOD SOLDADOR.doc
 
NR-35 Cartilha de bolso.pdf
NR-35 Cartilha de bolso.pdfNR-35 Cartilha de bolso.pdf
NR-35 Cartilha de bolso.pdf
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).pptPRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt
 
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.docCERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
CERTIFICADO DE INTEGRAÇÃO.doc
 
AGENTES QUIMICOS PPT.ppt
AGENTES QUIMICOS PPT.pptAGENTES QUIMICOS PPT.ppt
AGENTES QUIMICOS PPT.ppt
 
NR35-2711.ppt
NR35-2711.pptNR35-2711.ppt
NR35-2711.ppt
 
Plano de Emergencia (1).ppt
Plano de Emergencia (1).pptPlano de Emergencia (1).ppt
Plano de Emergencia (1).ppt
 
treinamento integraçºao motorista.pdf
treinamento integraçºao motorista.pdftreinamento integraçºao motorista.pdf
treinamento integraçºao motorista.pdf
 
Cqsmod soldador
Cqsmod soldadorCqsmod soldador
Cqsmod soldador
 
For com-002 - protocolo de entrega
For com-002 - protocolo de entregaFor com-002 - protocolo de entrega
For com-002 - protocolo de entrega
 
Agentes quimicos
Agentes quimicosAgentes quimicos
Agentes quimicos
 
Analise de risco frente e verso
Analise de risco frente e versoAnalise de risco frente e verso
Analise de risco frente e verso
 
Sobremesa especial de morangos receita bia
Sobremesa especial de morangos receita biaSobremesa especial de morangos receita bia
Sobremesa especial de morangos receita bia
 
Tcc josé devanir. segurança no trabalho
Tcc josé devanir. segurança no trabalhoTcc josé devanir. segurança no trabalho
Tcc josé devanir. segurança no trabalho
 
Manual contra quedas
Manual contra quedasManual contra quedas
Manual contra quedas
 

05a trabemalturas

  • 1. Segurança nos Trabalhos em alturas Técnicos de Segurança do Trabalho: Leandro Castro
  • 2. Embasamento legal NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção:  Item 18.12 – Escadas rampas e passarelas;  Item 18.13 – Medidas de Proteção Contra Quedas de Alturas;  Item 18.15 – Andaimes;  Item 18.18 – Serviços em Telhados; NR 34 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval;  Item 34.6 - Trabalho em Altura.  NR 35 – Trabalho em Altura
  • 3. Trabalho em altura  Qualquer trabalho realizado acima de dois metros de altura do piso, em que haja risco de queda do trabalhador.  Toda atividade executada em níveis diferentes, e na qual haja risco de queda capaz de causar lesão ao trabalhador.
  • 4. Trabalho em altura  Todo trabalho em altura deverá ser planejado, organizado e executado por trabalhador capacitado e autorizado.  Trabalhador capacitado, aquele que tiver treinamento, teórico e prático, com carga horária mínima de 8h.  Trabalhador autorizado, aquele capacitado e cujo estado de saúde foi avaliado, tendo sido considerado apto para executar essa atividade.  Os trabalhadores deverão ser identificados.
  • 5. Risco = Perigo X Fatores (freqüência e probabilidade)  O risco será proporcional às medidas de controle;  Quanto maior as medidas de controle menores serão os riscos;  Uma vez adotadas medidas de controle, o perigo continuará existindo, mas os riscos de acidentes estarão controlados.
  • 6. Atos e condições inseguras  Atos inseguros - Está ligado ao fator pessoal de cada indivíduo, é a maneira em que este se expõe a determinado riscos de forma negligente e imprudente.  Condições inseguras – é a condição no ambiente de trabalho que ofereça riscos de acidentes.
  • 7. Atos e condições inseguras
  • 8. Atos e condições inseguras
  • 9. Atos e condições inseguras
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Trabalho em altura  Acidentes por quedas em alturas são responsáveis por 1/3 de todos acidentes de trabalho...  Em 75% dos acidentes por queda acima de 2m de altura resultam em morte.  Se não resultam em mortes, fazem verdadeiros estragos.
  • 25.
  • 26. Medidas de controle contra quedas
  • 27. Medidas de controle contra quedas
  • 28. É obrigatória a instalação de proteção coletiva onde houver risco de queda de trabalhadores ou de projeção de materiais.
  • 29. Medidas de controle contra quedas
  • 30. Medidas de controle contra quedas  As aberturas no piso devem ter fechamento provisório resistente.
  • 31. Medidas de controle contra quedas
  • 33. Inspeções de equipamentos e acessórios  Oxidação/Corrosão de materiais metálicos;  Encaixe de talabarte no cinto;  Fixação de cabo-guia;  Costuras em fitas;  Etc...
  • 34. Legislação NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção 18.23 EPI’s  18.23 – A empresa é obrigada a fornecer gratuitamente EPI’s adequados a atividade ...
  • 35. Cinto de Segurança  O cinto de segurança tipo pára-quedista deve ser utilizado em atividades a mais de 2m de altura do piso, nas quais haja risco de queda do trabalhador.
  • 36. Modelos  Cinturão tipo pára-quedista em poliamida de alta densidade para trabalhos em altura;  Possui regulagem rápida em todos os lados, proporcionando maior conforto ao usuário.  Muito utilizado em serviços de manutenção em postes de telefonia, eletricidade e TV a cabo, subestações, manutenção em andaime e escadas.
  • 37. Características  3 argolas “D”;  Regulagem rápida de cintura e coxa;  Regulagem nos suspensórios frontais;  Fita peitoral com engate rápido;  Cinta sub-pélvica.
  • 38. Talabarte duplo  Talabarte duplo tipo Y, com dois absorvedores de energia, fita elástica e mosquetão com dupla trava de segurança com abertura de 55 mm em ambas extremidades para escaladas de locais que não apresentam uma linha de vida permanentemente instalada, por exemplo: andaimes, antenas de telefonia, torres de transmissão elétrica, etc...
  • 39. Talabarte com absorvedor de energia Video na pasta videos: Talabarte.avi
  • 40. Fator de Queda FQ = AQ CT  FQ = Fator de queda  AQ = Altura da queda  CT = Comprimento do talabarte/corda  FQ existente é 1 e 2  FQ = 2 (Risco grave e iminente)
  • 41.
  • 42. Trava quedas para cabo 12mm
  • 43. Trava quedas para cabo 12mm Vídeo na pasta videos:Trava queda para corda.wmv
  • 44. Trava quedas retrátil Vídeo na pasta videos:Trava queda retrátil.avi
  • 45. Conector de ancoragem em aço  Possibilita fazer um ponto de ancoragem seguro, abraçando estruturas de grandes dimensões;  Possui uma fita interna da cor vermelha, para indicar o desgaste do equipamento;  Comprimento máximo 1,30 metros e carga de ruptura de 22 KN.
  • 46. Conector de ancoragem em fita  Possibilita fazer um ponto de ancoragem seguro, abraçando estruturas de grandes dimensões;  Confeccionado em fita de poliamida, com alta resistência à tração de 30 KN;  Comprimento: 80 cm
  • 48. Cabo estático 12 mm  Corda estática sintética confeccionada em poliamida com diâmetro de 12 mm;  Rolo com 50 metros;  Possui resistência à ruptura de 30 KN;  Para atmosferas potencialmente explosivas.
  • 49. Mosquetão oval  Mosquetão oval confeccionado em aço inox;  Mosquetão com dupla trava de segurança e 18 mm de abertura;  Resistência à tração 22,2 KN.
  • 50. Opção de utilização de capacete
  • 51.  18.23.3.1 - O cinto de segurança deve ser dotado de dispositivo trava-quedas e estar ligado a cabo de segurança independente da estrutura do andaime.
  • 52.
  • 53.
  • 54.
  • 55. Tipos de equipamentos  Restrição ;  Posicionamento (freio blocante);  Suspenso (cadeirinha);
  • 60. Telhados e coberturas  devem ser utilizados dispositivos dimensionados por profissional legalmente habilitado e que permitam a movimentação segura dos trabalhadores.  é obrigatória a instalação de cabo – guia ou cabo de segurança para fixação de mecanismos de ligação por talabarte acoplado ao cinto de segurança tipo pára-quedista.
  • 61. Telhados e coberturas  Os cabos-guias devem ter suas extremidades fixadas à estrutura definitiva da edificação por meio de suporte de aço inoxidável ou outro material de resistência e durabilidade equivalentes.
  • 62. Telhados e coberturas  As extremidades dos cabos - guias devem estar conectados em pontos fixos capazes de suportar 2x o seu peso corporal;  O cabo guia deve estar esticado sem a existência de barrigas.
  • 63. Telhados e coberturas  Nos locais sob as áreas onde se desenvolvam trabalhos em telhados e ou coberturas, é obrigatória a existência de sinalização de advertência e de isolamento das áreas capazes de evitar a ocorrência de acidentes por eventual queda de materiais, ferramentas e ou equipamentos.
  • 64. Telhados e coberturas  É proibido trabalhos em telhados em caso de ocorrências de chuvas, ventos fortes ou superfícies escorregadias.  Todo trabalho em telhados ou coberturas devem ser precedidos de inspeção e de elaboração de OS - Ordens de Serviço ou Permissões para Trabalho contendo os procedimentos a serem adotados.  É proibida a concentração de cargas em um mesmo ponto sobre telhado ou cobertura.
  • 68. Telhados e coberturas  Utilize cinto de segurança com dois talabartes.
  • 69. Telhados e coberturas  Sempre que possível utilize pranchões de 30 cm ou escadas para caminhar sobre as telhas;
  • 70. Telhados e coberturas  É proibido trabalho noturno em telhados;  Carregue sempre um conector de ancoragem;  Somente execute um trabalho em telhados após liberação de seu supervisor;  Exija sempre medidas preventivas para execução das atividades.
  • 71. Telhados e coberturas  Neste caso o ideal é utilizar cabo - guia para conecção do cinto de segurança;
  • 72.
  • 73. Telhados e coberturas  Mas pode ser utilizado somente conectores de ancoragem desde que o cinto seja com dois talabarte;
  • 75. Andaimes  O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado.  Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos.
  • 76. Andaimes  O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa, antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e resistente.
  • 77. Andaimes  Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas.  O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura.
  • 78.  Para acesso a plataforma de trabalho do andaime escale a torre utilizando dois talabarte, conectando-os um de cada vez em pontos fixos sempre acima da linha da cabeça;
  • 79.
  • 80. Andaimes  A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.  É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção de andaimes.
  • 81. Andaimes  Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, com exceção do lado da face de trabalho.
  • 83. Andaimes  É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilização de escadas e outros meios para se atingirem lugares mais altos.
  • 84. Andaimes simplesmente apoiados  Os montantes dos andaimes devem ser apoiados em sapatas sobre base sólida capaz de resistir aos esforços solicitantes e às cargas transmitidas.
  • 85.
  • 86. Andaimes simplesmente apoiados  É proibido trabalho em andaimes apoiados sobre cavaletes que possuam altura superior a 2,00m (dois metros) e largura inferior a 0,90m (noventa centímetros).  É proibido o trabalho em andaimes na periferia da edificação sem que haja proteção adequada fixada à estrutura da mesma.
  • 87. Andaimes simplesmente apoiados  É proibido o deslocamento das estruturas dos andaimes com trabalhadores sobre os mesmos.
  • 88. Andaimes simplesmente apoiados  Os andaimes cujos pisos de trabalho estejam situados a mais de 1,50m (um metro e cinqüenta centímetros) de altura devem ser providos de escadas ou rampas.  Os andaimes de madeira não podem ser utilizados em obras acima de 3 (três) pavimentos ou altura equivalente, podendo ter o lado interno apoiado na própria edificação.
  • 89. Andaimes simplesmente apoiados  O ponto de instalação de qualquer aparelho de içar materiais deve ser escolhido, de modo a não comprometer a estabilidade e segurança do andaime.
  • 90. Andaimes simplesmente apoiados  As torres de andaimes não podem exceder, em altura, 4 (quatro) vezes a menor dimensão da base de apoio, quando não estaiadas.
  • 91. Andaimes simplesmente apoiados  A estrutura dos andaimes deve ser fixada à construção por meio de amarração e entroncamento, de modo a resistir aos esforços a que estará sujeita.
  • 92. Andaimes fachadeiros  Os andaimes fachadeiros não devem receber cargas superiores às especificadas pelo fabricante. Sua carga deve ser distribuída de modo uniforme, sem obstruir a circulação de pessoas e ser limitada pela resistência da forração da plataforma de trabalho.
  • 93. Andaimes fachadeiros  Os acessos verticais ao andaime fachadeiro devem ser feitos em escada incorporada a sua própria estrutura ou por meio de torre de acesso.
  • 94. Andaimes fachadeiros  A movimentação vertical de componentes e acessórios para a montagem e/ou desmontagem de andaime fachadeiro deve ser feita por meio de cordas ou por sistema próprio de içamento.
  • 95. Andaimes fachadeiros  Os montantes, assim como todas as peças do andaime fachadeiro devem ter seus encaixes travados com parafusos, contrapinos, braçadeiras ou similar.
  • 96. Andaimes fachadeiros  As peças de contraventamento devem ser fixadas nos montantes por meio de parafusos, braçadeiras ou por encaixe em pinos, devidamente travados ou contrapinados, de modo que assegurem a estabilidade e a rigidez necessárias ao andaime.
  • 97. Andaimes fachadeiros  Os andaimes fachadeiros devem dispor de proteção com tela de arame galvanizado ou material de resistência e durabilidade equivalentes, desde a primeira plataforma de trabalho até pelo menos 2,00m (dois metros) acima da última plataforma de trabalho.
  • 98. Andaimes móveis  Os rodízios dos andaimes devem ser providos de travas, de modo a evitar deslocamentos acidentais.  Os andaimes móveis somente poderão ser utilizados em superfícies planas.