SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
Trabalhos em altura NR 35
Conceito de trabalho em altura
NR 35.1.2 Considera-se trabalho em altura
toda atividade executada acima de 2,00 m
(dois metros) do nível inferior, onde haja
risco de queda.
3
Principais áreas com grande
risco de queda
- coberturas - rampas silos / reservatórios - plataformas móveis - coletivo / individual
- pontes-rolantes / sacadas- galerias / tanques- torres / chaminés
4
- indústria petroquímicacaminhões / vagõeshorizontal + vertical
Principais áreas com grande risco de
queda
Objetivo do treinamento
Prevenir acidentes decorrentes de quedas de
alturas elevadas quando do trabalho sobre
telhados, pinturas de paredes, caixas d´água e
chaminés, etc., provocados por:
Rompimento de telhas ou pisos de baixa
resistência;
Mal posicionamento de dispositivos de
segurança;
 Plataforma molhada;
 Mau súbito do funcionário;
 Calçado impregnado de óleo ou graxa;
 Içamento de materiais para cobertura;
 Ofuscamento da visão por reflexões solares;
Objetivo do treinamento
 Agentes químicosmecânicos oriundos
dos processos;
 Inclinação da plataforma de trabalho;
 Desequilíbrio.
Objetivo do treinamento
Aplicação
Aplicável para todas as empresas e
profissionais que realizam trabalho em alturas.
Esta publicação tem caráter informativo e sua
utilização não exime as empresas e
profissionais no cumprimento das
determinações formais de suas
responsabilidades na utilização de
equipamentos, capacitação de pessoas e
atendimento às exigências legais.
 Calçado de segurança;
 Óculos de segurança com lentes rayban,
tonalidade um, para evitar ofuscamento
causado por incidência de raios solares;
 Cinto de segurança tipo paraquedista;
 Luva de acordo com a atividade a ser
realizada;
 Dispositivo trava quedas retratil específico.
EPI‘s
6.1 Para os fins de aplicação desta Norma
Regulamentadora - NR, considera-se
Equipamento de Proteção Individual - EPI,
todo dispositivo ou produto, de uso
individual utilizado pelo trabalhador,
destinado à proteção de riscos suscetíveis de
ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
NR 6 - Equipamentos de
proteção individual
NR 6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos
empregados, gratuitamente, EPI adequado ao
risco, em perfeito estado de conservação e
funcionamento, nas seguintes circunstâncias:
a) sempre que as medidas de ordem geral não
ofereçam completa proteção contra os riscos
de acidentes do trabalho ou de doenças
profissionais e do trabalho;
NR 6 - Equipamentos de
proteção individual
b) enquanto as medidas de proteção coletiva
estiverem sendo implantadas; e,
c) para atender a situações de emergência.
NR 6 - Equipamentos de
proteção individual
Observação:
Como observamos acima a NR 6 dá preferencia
clara ao EPC em relação ao EPI. O EPI só deve ser
indicado quando as medidas coletivas não forem
viáveis. O ideal é fazer o máximo para evitar o
trabalho em altura
NR 6.7.1 Cabe ao empregado quanto ao EPI:
a)usar, utilizando-o apenas para a finalidade a
que se destina;
b) responsabilizar-se pela guarda e
conservação;
NR 6.7 Responsabilidade dos
funcionários quanto ao EPI
c) comunicar ao empregador qualquer
alteração que o torne impróprio p/ uso; e,
d) cumprir as determinações do empregador
sobre o uso adequado.
NR 6.7 Responsabilidade dos
funcionários quanto ao EPI
NR 35.2.2 Cabe aos trabalhadores:
a) cumprir as disposições legais e
regulamentares sobre trabalho em altura,
inclusive os procedimentos expedidos pelo
empregador;
b) colaborar com o empregador na
implementação das disposições contidas nesta
Norma;
Sobre os deveres dos funcionários
c) interromper suas atividades exercendo o
direito de recusa, sempre que constatarem
evidências de riscos graves e iminentes para
sua segurança e saúde ou a de outras pessoas,
comunicando imediatamente o fato a seu
superior hierárquico, que diligenciará as
medidas cabíveis;
d) zelar pela sua segurança e saúde e a de
outras pessoas que possam ser afetadas por
suas ações ou omissões no trabalho.
Sobre o direito dos funcionários
Controle médico
Todo funcionário que executa serviços em
alturas elevadas, deverá submeter-se
mensalmente a um controle médico para
verificação da pressão arterial e de
problemas neurológicos, e por ocasião do
exame admissional e periódico submeter-se
a exames indicados pelo Médico do Trabalho
quando forem constatadas alterações
clínicas neurológicas.
Procedimentos
As Empreiteiras e prestadoras de serviço
deverão apresentar os exames solicitados
pelo Médico do Trabalho que foram
descritos no PCMSO.
Procedimentos
Planejamento de serviços
Situação de resistência do local de trabalho;
Pontos para fixação dos trava-quedas,
moitões e prancha para locomoção;
Cuidado dobrado com trabalho sobre o
piso molhado
Todos os serviços deverão ser planejados
com antecedência, para verificação dos
seguintes itens:
Isolamento por meio de sinalização adequada
da área para içamento e descida de
materiais;
Trajeto dos pontos de trabalho, visando reduzir
ao máximo as caminhadas sobre a altura;
Presença de agentes químicos implicando na
necessidade de parada temporária do processo
e/ou execução em datas e horários próprios;
Planejamento de serviços
Observar as condições físicas do funcionário. Se
o mesmo estiver com a mobilidade ou equilíbrio
reduzido, não permitir o trabalho;
Observar se o calçado do funcionário é o
adequado;
Segundo a NR 35.6. o empregador deve
providenciar equipe qualificada para casos de
resgate de emergência em altura;
Planejamento de serviços
Programar com antecedência as paradas
das linhas produtivas durante a
realização dos trabalhos que estão sendo
executados em alturas elevadas sobre as
linhas;
Necessidade de balancins para pintura de
paredes cadeiras de segurança para pintura
de caixa d´água, verificando pontos e
sistemas de fixação e Equipamentos de
Proteção Individual.
Planejamento de serviços
Programar com antecedência as paradas
das linhas produtivas durante a
realização dos trabalhos que estão sendo
executados em alturas elevadas sobre as
linhas;
Necessidade de balancins para pintura de
paredes cadeiras de segurança para pintura
de caixa d´água, verificando pontos e
sistemas de fixação e Equipamentos de
Proteção Individual.
Planejamento de serviços
Todo trabalho em altura deve ser precido de
uma Análise de Risco que deve considerar:
Condições metereológicas adversas;
Local onde os serviços serão executados;
Possibilidade de implantação de corrimões
EPC’s.
Procedimentos a serem
observados
Seleção do uso de EPI’s e EPC’s que atendam
a necessidade de segurança no momento da
queda;
As situações de emergência;
Autorização dos envolvidos;
Risco de queda de materiais;
Procedimentos a serem
observados
Sistema de comunicação dos envolvidos;
Treinamento dos envolvidos na NR 35;
Todo trabalho
em altura deve
ser supervisionado.
Procedimentos a serem
observados
O Serviço de Segurança deve ser notificado
previamente quando da execução de serviços
em alturas elevadas, para liberação dos
trabalhos utilizando-se do
formulário‚ „Permissão para trabalhos em
altura“
O acesso ao ambiente de trabalho em altura ou
a permanência sobre o mesmo, deverá ocorrer
nos dias secos sem a ocorrência de vento forte.
Escadas e andaimes deverão possuir guarda-
corpo, travas em toda sua extenção e estarem
Disposições Gerais
- Use apenas escadas que estiverem em bom
estado de conservação;
- Nunca coloque escadas em frente a abertura
de portas;
- Somente use escadas bem apoiadas. Evite
escorregões e quedas;
- Não coloque escada sobre superfícies
escorregadias;
Segurança no trabalho com
escadas
- Suba ou desca de frente para a escada;
- Não suba nos dois últimos degraus;
- Não suba estadas carregando cargas manuais.
Para esse fim use algum meio de transporte
apropriado.
- Não esqueça que o cinto é obrigatório em
trabalhos acima de 2 metros
Segurança no trabalho com
escadas
- Não faça gambiarras nas escadas;
Segurança no trabalho com
escadas
Definições de equipamentos
Trava-queda: Dispositivo automático de
travamento destinado à ligação do cinto de
segurança ao cabo de segurança.
Cabos de aço: Cabo ancorado à estrutura,
onde são fixadas as ligações dos cintos de
segurança.
Ganchos: Acessório para conectar o cabo
de aço.
Alguns tipos de cinto
Cinto com retardante a chamas
Sem rachaduras
Isentas de nós
Espessura – 40 mm
Tábuas
Içamento de telhas
Trava quedas na
escada
Trabalho com talabarte duplo
Na movimentação sempre pelo menos um
precisa estar conectado.
Como usar o cinto de
segurança paraquedista
Infelizmente não podemos aqui dar um passo a
passo sobre a colocação do cinto. Cada
modelo te sua forma de uso. A parte relativa
aos uso veremos no treinamento prático.
Aqui passaremos apenas as questões mais gerais
sobre o assunto.
INSPEÇÃO PRÉVIA
Recomendamos que antes de utilizar o
equipamento seja verificada a presença de
sinais de desgaste ou danos que possam
comprometer a segurança do usuário.
Como usar o cinto de
segurança tipo Paraquedista
ARMAZENAGEM E GUARDA
Guarde seu equipamento em local seco, limpo
e fora do alcance do sol.
Não guarde seu equipamento perto de fontes
de calor.
Não exponha seu equipamento a materiais
corrosivos e/ou químicos como líquidos de
baterias, ácidos, hidrocarbonetos, etc.
As partes do equipamento em fita devem ser
protegidas de objetos pontiagudos ou
cortantes.
Como usar o cinto de segurança
tipo Paraquedista
MANUTENÇÃO
O cinto de segurança pode ser lavado com
água morna e sabão neutro sempre que isso
for necessário.
A secagem deve ser natural e na sombra.
Não seque na máquina e nem exponha ao sol
para evitar os raios ultra-violeta.
Como usar o cinto de
segurança tipo Paraquedista
ADVERTÊNCIA SOBRE RISCO NO
USO INCORRETO
Este produto é projetado especialmente para
trabalhos em altura.
Você é responsável por suas próprias ações e
decisões.
Familiarize-se com as possibilidades e
limitações deste produto.
O equipamento tem prazo de validade que
varia conforme o seu uso.
Como usar o cinto de
segurança tipo Paraquedista
Destrua-o quando aposentá-lo para evitar seu
uso no futuro.
Utilize cordas, mosquetões e acessórios de
qualidade assegurada para não comprometer
seu cinto de segurança.
Sempre use capacete.
Procure manter-se atualizado, busque
instruções qualificadas, cursos e
treinamentos para trabalho em altura e
resgate.
Como usar o cinto de
segurança tipo Paraquedista
O DESRESPEITO A QUALQUER DOS
AVISOS ANTERIORES PODEM CAUSAR
LESÕES GRAVES OU MORTE!
Como usar o cinto de
segurança tipo Paraquedista

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho em Altura Consc.
Trabalho em Altura   Consc.Trabalho em Altura   Consc.
Trabalho em Altura Consc.Devania Silva
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IIClaudio Cesar Pontes ن
 
193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35Fabio Prado
 
Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35Fatima Silva
 
Curso trabalho em altura wel
Curso trabalho em altura welCurso trabalho em altura wel
Curso trabalho em altura welWelinton Tulio
 
3 e 4 epis e pcs utilizados nr35
3 e 4 epis e pcs  utilizados nr353 e 4 epis e pcs  utilizados nr35
3 e 4 epis e pcs utilizados nr35Thiago Balzana
 
Nr 35 ifam palestra (1)
Nr 35 ifam   palestra (1)Nr 35 ifam   palestra (1)
Nr 35 ifam palestra (1)Nestor Neto
 
Apresentação elcoeste
Apresentação elcoesteApresentação elcoeste
Apresentação elcoesteMiguel_S
 
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02Douglas Ribeiro
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....Roberta Soares
 
Trabalho em altura NR-35.
Trabalho em altura   NR-35. Trabalho em altura   NR-35.
Trabalho em altura NR-35. Alfredo Brito
 

Mais procurados (17)

Trabalho em Altura Consc.
Trabalho em Altura   Consc.Trabalho em Altura   Consc.
Trabalho em Altura Consc.
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Apostila revista nr35ok
Apostila revista nr35okApostila revista nr35ok
Apostila revista nr35ok
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
 
193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35193230964 apostila-nr-35
193230964 apostila-nr-35
 
Capacitação nr 35
Capacitação nr 35Capacitação nr 35
Capacitação nr 35
 
Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35Acesso por-corda-nr-35
Acesso por-corda-nr-35
 
Curso trabalho em altura wel
Curso trabalho em altura welCurso trabalho em altura wel
Curso trabalho em altura wel
 
3 e 4 epis e pcs utilizados nr35
3 e 4 epis e pcs  utilizados nr353 e 4 epis e pcs  utilizados nr35
3 e 4 epis e pcs utilizados nr35
 
Nr 35 ifam palestra (1)
Nr 35 ifam   palestra (1)Nr 35 ifam   palestra (1)
Nr 35 ifam palestra (1)
 
Treinamento nr35
Treinamento nr35Treinamento nr35
Treinamento nr35
 
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURANR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
 
Apresentação elcoeste
Apresentação elcoesteApresentação elcoeste
Apresentação elcoeste
 
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
Nr 35oficial-140820080757-phpapp02
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Cp nr 35 trabalho em altura 1
Cp nr 35 trabalho em altura 1Cp nr 35 trabalho em altura 1
Cp nr 35 trabalho em altura 1
 
Trabalho em altura NR-35.
Trabalho em altura   NR-35. Trabalho em altura   NR-35.
Trabalho em altura NR-35.
 

Destaque (20)

NR 35
NR 35NR 35
NR 35
 
Relatorio fotografico trabalho em altura nr-35
Relatorio   fotografico trabalho em altura nr-35Relatorio   fotografico trabalho em altura nr-35
Relatorio fotografico trabalho em altura nr-35
 
NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura NR - 35 Trabalho em altura
NR - 35 Trabalho em altura
 
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
 
Treinamento nr35
Treinamento nr35Treinamento nr35
Treinamento nr35
 
Treinamento nr 35
Treinamento nr 35Treinamento nr 35
Treinamento nr 35
 
Trabalho em Altura NR 35
Trabalho em Altura NR 35Trabalho em Altura NR 35
Trabalho em Altura NR 35
 
Palestra11
Palestra11Palestra11
Palestra11
 
Clovis veloso queiroz
Clovis veloso queirozClovis veloso queiroz
Clovis veloso queiroz
 
It ib-001-n1rev0
It ib-001-n1rev0It ib-001-n1rev0
It ib-001-n1rev0
 
Cpn sp trabalho em altura
Cpn sp   trabalho em alturaCpn sp   trabalho em altura
Cpn sp trabalho em altura
 
Palestranr 35 trabalho em altura
Palestranr 35 trabalho em alturaPalestranr 35 trabalho em altura
Palestranr 35 trabalho em altura
 
TREINAMENTO NR 35 EM SALVADOR
TREINAMENTO NR 35 EM SALVADORTREINAMENTO NR 35 EM SALVADOR
TREINAMENTO NR 35 EM SALVADOR
 
Relatorio fotografico curso nr 35 mic
Relatorio fotografico curso nr 35 micRelatorio fotografico curso nr 35 mic
Relatorio fotografico curso nr 35 mic
 
Amarração e escopo
Amarração e escopoAmarração e escopo
Amarração e escopo
 
Nr35
Nr35Nr35
Nr35
 
Ensaio dureza brinell
Ensaio dureza brinellEnsaio dureza brinell
Ensaio dureza brinell
 
Relatório ensaios mecânicos final
Relatório ensaios mecânicos finalRelatório ensaios mecânicos final
Relatório ensaios mecânicos final
 
dds solda
dds soldadds solda
dds solda
 
Trab em altura
Trab em alturaTrab em altura
Trab em altura
 

Semelhante a TrabalhoAlturaNR35

Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnNestor Neto
 
Trabalho em altura- escrevendo.....pptx
Trabalho em altura- escrevendo.....pptxTrabalho em altura- escrevendo.....pptx
Trabalho em altura- escrevendo.....pptxValmarOliveira2
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIARenan Biscaglia
 
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em altura
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em alturaTREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em altura
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em alturaGabrielTeixeira910068
 
Integração de trabalhos na prestados na Klabin Papeis
Integração de trabalhos na prestados na Klabin PapeisIntegração de trabalhos na prestados na Klabin Papeis
Integração de trabalhos na prestados na Klabin Papeisrobson adriano tourin
 
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHTREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHdanielasouzadegodoib
 
Treinamento NR-35.ppt
Treinamento NR-35.pptTreinamento NR-35.ppt
Treinamento NR-35.pptAdelmaSiles
 
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdf
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdfJHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdf
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdfJESUSBASILIOANTONIO
 
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptx
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptxRISCOS ADICIONAIS NR10.pptx
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptxTiago724
 
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfFICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfPedro B. Sousa
 
Risco em Altura Mkall.pptx
Risco em Altura Mkall.pptxRisco em Altura Mkall.pptx
Risco em Altura Mkall.pptxLucianoMachado59
 
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.pptRoberto Junior
 
Trabalho em-altura-nr-35
Trabalho em-altura-nr-35Trabalho em-altura-nr-35
Trabalho em-altura-nr-35NicodemosFuly
 
O.+s.+caldeireiro
O.+s.+caldeireiroO.+s.+caldeireiro
O.+s.+caldeireirorenansants
 

Semelhante a TrabalhoAlturaNR35 (20)

Segurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwnSegurança do Trabalho nwn
Segurança do Trabalho nwn
 
Trabalho em altura- escrevendo.....pptx
Trabalho em altura- escrevendo.....pptxTrabalho em altura- escrevendo.....pptx
Trabalho em altura- escrevendo.....pptx
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
 
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em altura
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em alturaTREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em altura
TREINAMENTO EM NR-35 - trabalho em altura
 
Integração de trabalhos na prestados na Klabin Papeis
Integração de trabalhos na prestados na Klabin PapeisIntegração de trabalhos na prestados na Klabin Papeis
Integração de trabalhos na prestados na Klabin Papeis
 
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJHTREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
TREINAMENTO NR 35.HKKMKKJKLHGUJBUJGBJHJH
 
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptxCAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
CAPACITAÇÃO NR35 - Denis.pptx
 
Treinamento NR-35.ppt
Treinamento NR-35.pptTreinamento NR-35.ppt
Treinamento NR-35.ppt
 
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdf
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdfJHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdf
JHA08_De-Ethanizer Section Pavement Execution_Rev00 PT.pdf
 
TRABALHO EM ALTURA.pdf
TRABALHO EM ALTURA.pdfTRABALHO EM ALTURA.pdf
TRABALHO EM ALTURA.pdf
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptx
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptxRISCOS ADICIONAIS NR10.pptx
RISCOS ADICIONAIS NR10.pptx
 
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdfFICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
FICHA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA - SA MACHADO 07 2022.pdf
 
Risco em Altura Mkall.pptx
Risco em Altura Mkall.pptxRisco em Altura Mkall.pptx
Risco em Altura Mkall.pptx
 
Regras de ouro
Regras de ouroRegras de ouro
Regras de ouro
 
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt
398915376-Apresentacao-NR-35-Trabalho-em-altura-ppt.ppt
 
trabalho em altura.pptx
trabalho em altura.pptxtrabalho em altura.pptx
trabalho em altura.pptx
 
Trabalho em-altura-nr-35
Trabalho em-altura-nr-35Trabalho em-altura-nr-35
Trabalho em-altura-nr-35
 
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
Ebook regras gerais_da_seguranca (1)
 
O.+s.+caldeireiro
O.+s.+caldeireiroO.+s.+caldeireiro
O.+s.+caldeireiro
 

Último

Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaaulasgege
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 

Último (20)

Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologiaAula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
Aula - 1º Ano - Émile Durkheim - Um dos clássicos da sociologia
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 

TrabalhoAlturaNR35

  • 2. Conceito de trabalho em altura NR 35.1.2 Considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde haja risco de queda.
  • 3. 3 Principais áreas com grande risco de queda - coberturas - rampas silos / reservatórios - plataformas móveis - coletivo / individual - pontes-rolantes / sacadas- galerias / tanques- torres / chaminés
  • 4. 4 - indústria petroquímicacaminhões / vagõeshorizontal + vertical Principais áreas com grande risco de queda
  • 5. Objetivo do treinamento Prevenir acidentes decorrentes de quedas de alturas elevadas quando do trabalho sobre telhados, pinturas de paredes, caixas d´água e chaminés, etc., provocados por: Rompimento de telhas ou pisos de baixa resistência; Mal posicionamento de dispositivos de segurança;
  • 6.  Plataforma molhada;  Mau súbito do funcionário;  Calçado impregnado de óleo ou graxa;  Içamento de materiais para cobertura;  Ofuscamento da visão por reflexões solares; Objetivo do treinamento
  • 7.  Agentes químicosmecânicos oriundos dos processos;  Inclinação da plataforma de trabalho;  Desequilíbrio. Objetivo do treinamento
  • 8. Aplicação Aplicável para todas as empresas e profissionais que realizam trabalho em alturas. Esta publicação tem caráter informativo e sua utilização não exime as empresas e profissionais no cumprimento das determinações formais de suas responsabilidades na utilização de equipamentos, capacitação de pessoas e atendimento às exigências legais.
  • 9.  Calçado de segurança;  Óculos de segurança com lentes rayban, tonalidade um, para evitar ofuscamento causado por incidência de raios solares;  Cinto de segurança tipo paraquedista;  Luva de acordo com a atividade a ser realizada;  Dispositivo trava quedas retratil específico. EPI‘s
  • 10. 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho. NR 6 - Equipamentos de proteção individual
  • 11. NR 6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias: a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; NR 6 - Equipamentos de proteção individual
  • 12. b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e, c) para atender a situações de emergência. NR 6 - Equipamentos de proteção individual Observação: Como observamos acima a NR 6 dá preferencia clara ao EPC em relação ao EPI. O EPI só deve ser indicado quando as medidas coletivas não forem viáveis. O ideal é fazer o máximo para evitar o trabalho em altura
  • 13. NR 6.7.1 Cabe ao empregado quanto ao EPI: a)usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; b) responsabilizar-se pela guarda e conservação; NR 6.7 Responsabilidade dos funcionários quanto ao EPI
  • 14. c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio p/ uso; e, d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado. NR 6.7 Responsabilidade dos funcionários quanto ao EPI
  • 15. NR 35.2.2 Cabe aos trabalhadores: a) cumprir as disposições legais e regulamentares sobre trabalho em altura, inclusive os procedimentos expedidos pelo empregador; b) colaborar com o empregador na implementação das disposições contidas nesta Norma; Sobre os deveres dos funcionários
  • 16. c) interromper suas atividades exercendo o direito de recusa, sempre que constatarem evidências de riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou a de outras pessoas, comunicando imediatamente o fato a seu superior hierárquico, que diligenciará as medidas cabíveis; d) zelar pela sua segurança e saúde e a de outras pessoas que possam ser afetadas por suas ações ou omissões no trabalho. Sobre o direito dos funcionários
  • 17. Controle médico Todo funcionário que executa serviços em alturas elevadas, deverá submeter-se mensalmente a um controle médico para verificação da pressão arterial e de problemas neurológicos, e por ocasião do exame admissional e periódico submeter-se a exames indicados pelo Médico do Trabalho quando forem constatadas alterações clínicas neurológicas. Procedimentos
  • 18. As Empreiteiras e prestadoras de serviço deverão apresentar os exames solicitados pelo Médico do Trabalho que foram descritos no PCMSO. Procedimentos
  • 19. Planejamento de serviços Situação de resistência do local de trabalho; Pontos para fixação dos trava-quedas, moitões e prancha para locomoção; Cuidado dobrado com trabalho sobre o piso molhado Todos os serviços deverão ser planejados com antecedência, para verificação dos seguintes itens:
  • 20. Isolamento por meio de sinalização adequada da área para içamento e descida de materiais; Trajeto dos pontos de trabalho, visando reduzir ao máximo as caminhadas sobre a altura; Presença de agentes químicos implicando na necessidade de parada temporária do processo e/ou execução em datas e horários próprios; Planejamento de serviços
  • 21. Observar as condições físicas do funcionário. Se o mesmo estiver com a mobilidade ou equilíbrio reduzido, não permitir o trabalho; Observar se o calçado do funcionário é o adequado; Segundo a NR 35.6. o empregador deve providenciar equipe qualificada para casos de resgate de emergência em altura; Planejamento de serviços
  • 22. Programar com antecedência as paradas das linhas produtivas durante a realização dos trabalhos que estão sendo executados em alturas elevadas sobre as linhas; Necessidade de balancins para pintura de paredes cadeiras de segurança para pintura de caixa d´água, verificando pontos e sistemas de fixação e Equipamentos de Proteção Individual. Planejamento de serviços
  • 23. Programar com antecedência as paradas das linhas produtivas durante a realização dos trabalhos que estão sendo executados em alturas elevadas sobre as linhas; Necessidade de balancins para pintura de paredes cadeiras de segurança para pintura de caixa d´água, verificando pontos e sistemas de fixação e Equipamentos de Proteção Individual. Planejamento de serviços
  • 24. Todo trabalho em altura deve ser precido de uma Análise de Risco que deve considerar: Condições metereológicas adversas; Local onde os serviços serão executados; Possibilidade de implantação de corrimões EPC’s. Procedimentos a serem observados
  • 25. Seleção do uso de EPI’s e EPC’s que atendam a necessidade de segurança no momento da queda; As situações de emergência; Autorização dos envolvidos; Risco de queda de materiais; Procedimentos a serem observados
  • 26. Sistema de comunicação dos envolvidos; Treinamento dos envolvidos na NR 35; Todo trabalho em altura deve ser supervisionado. Procedimentos a serem observados
  • 27. O Serviço de Segurança deve ser notificado previamente quando da execução de serviços em alturas elevadas, para liberação dos trabalhos utilizando-se do formulário‚ „Permissão para trabalhos em altura“ O acesso ao ambiente de trabalho em altura ou a permanência sobre o mesmo, deverá ocorrer nos dias secos sem a ocorrência de vento forte. Escadas e andaimes deverão possuir guarda- corpo, travas em toda sua extenção e estarem Disposições Gerais
  • 28. - Use apenas escadas que estiverem em bom estado de conservação; - Nunca coloque escadas em frente a abertura de portas; - Somente use escadas bem apoiadas. Evite escorregões e quedas; - Não coloque escada sobre superfícies escorregadias; Segurança no trabalho com escadas
  • 29. - Suba ou desca de frente para a escada; - Não suba nos dois últimos degraus; - Não suba estadas carregando cargas manuais. Para esse fim use algum meio de transporte apropriado. - Não esqueça que o cinto é obrigatório em trabalhos acima de 2 metros Segurança no trabalho com escadas
  • 30. - Não faça gambiarras nas escadas; Segurança no trabalho com escadas
  • 31. Definições de equipamentos Trava-queda: Dispositivo automático de travamento destinado à ligação do cinto de segurança ao cabo de segurança. Cabos de aço: Cabo ancorado à estrutura, onde são fixadas as ligações dos cintos de segurança. Ganchos: Acessório para conectar o cabo de aço.
  • 34. Sem rachaduras Isentas de nós Espessura – 40 mm Tábuas
  • 35. Içamento de telhas Trava quedas na escada
  • 36. Trabalho com talabarte duplo Na movimentação sempre pelo menos um precisa estar conectado.
  • 37. Como usar o cinto de segurança paraquedista
  • 38. Infelizmente não podemos aqui dar um passo a passo sobre a colocação do cinto. Cada modelo te sua forma de uso. A parte relativa aos uso veremos no treinamento prático. Aqui passaremos apenas as questões mais gerais sobre o assunto. INSPEÇÃO PRÉVIA Recomendamos que antes de utilizar o equipamento seja verificada a presença de sinais de desgaste ou danos que possam comprometer a segurança do usuário. Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista
  • 39. ARMAZENAGEM E GUARDA Guarde seu equipamento em local seco, limpo e fora do alcance do sol. Não guarde seu equipamento perto de fontes de calor. Não exponha seu equipamento a materiais corrosivos e/ou químicos como líquidos de baterias, ácidos, hidrocarbonetos, etc. As partes do equipamento em fita devem ser protegidas de objetos pontiagudos ou cortantes. Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista
  • 40. MANUTENÇÃO O cinto de segurança pode ser lavado com água morna e sabão neutro sempre que isso for necessário. A secagem deve ser natural e na sombra. Não seque na máquina e nem exponha ao sol para evitar os raios ultra-violeta. Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista
  • 41. ADVERTÊNCIA SOBRE RISCO NO USO INCORRETO Este produto é projetado especialmente para trabalhos em altura. Você é responsável por suas próprias ações e decisões. Familiarize-se com as possibilidades e limitações deste produto. O equipamento tem prazo de validade que varia conforme o seu uso. Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista
  • 42. Destrua-o quando aposentá-lo para evitar seu uso no futuro. Utilize cordas, mosquetões e acessórios de qualidade assegurada para não comprometer seu cinto de segurança. Sempre use capacete. Procure manter-se atualizado, busque instruções qualificadas, cursos e treinamentos para trabalho em altura e resgate. Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista
  • 43. O DESRESPEITO A QUALQUER DOS AVISOS ANTERIORES PODEM CAUSAR LESÕES GRAVES OU MORTE! Como usar o cinto de segurança tipo Paraquedista