Comissionamento como Ferramenta do
Processo de Controle de Qualidade em
Contratos de EPC
Rodrigo Mendes Gandra, MSc, PMP, ...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Motivações e Objetivos
Motivações
• Falta de consenso quanto à definição do termo Comissionamento, gerando
interpretação v...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
As 9 Áreas de Conhecimento do Gerenciamento de Projetos
(PMBoK / PMI)
Escopo
CustoTempo
Qualidade
Integração
RiscoRH
Aquis...
Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8)
• Gerenciamento da Qualidade inclui as atividades que determina...
Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8)
• 8.2 Realizar a Garantia da Qualidade - aplicação de atividade...
Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8)
• Deve ser realizado durante todo o ciclo de vida do projeto
• ...
Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8)
• Inspeção e Revisão de Reparo de Defeito
– Inspeção (revisão /...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Comissionamento como Fase de Projeto
Fase
de
Projeto
Fonte: SCOTTMADDEN (2009)
Comissionamento como Ferramenta e Técnica
(Visão Convencional)
Fonte: GAETE e PRATES (2007)
Comissionamento como Ferramenta e Técnica
(Visão Atual)
Fonte: GAETE e PRATES (2007)
Comissionamento como Ferramenta e Técnica
(Visão Atual)
Fonte: GAETE e PRATES (2007)
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Condicionamento
Comissionamento
Partida
Operação
Assistida
GRANDE COMISSIONAMENTO
Visão Proposta - Divisão em Atividades I...
Visão Proposta - Divisão em Atividades Independentes
Planejamento e Design Construção &
Montagem
Entrega Operação
Comissio...
Atividades Propostas: Condicionamento / Preservação
• Geralmente são conhecidos por: testes sem carga (“a frio”).
• Aplica...
Atividades Propostas: Comissionamento / Pré-Operação
• Geralmente são conhecidos por: testes com carga (“a quente”).
• Apl...
Atividades Propostas: Partida / Startup
• Partida é definida como uma atividade e não como marco / milestone
• Atividade o...
Atividades Propostas: Operação Assistida / Estabilização
• Esta atividade ocorre após a partida, cujo objetivo é a estabil...
Entrega (Fase Transição) e Verificação do Escopo
• Fase de Transição entre C&M e Operação, onde ocorre o Processo de
Verif...
Visão Proposta - Divisão em Atividades Independentes
Planejamento e Design Construção &
Montagem
Entrega Operação
Comissio...
Planejamento
• Se as atividades (Condicionamento, Comissionamento, Partida e Operação
Assistida) requerem um conjunto de t...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Cadeia Produtiva de Oil and Gas
Refinaria
Distribuição
de Gás
Transporte de Gás
Importação
de Derivados
Transporte
Derivad...
Projeto de E&P
EPC
Projeto de Refino
Unidades
Contratadas
porEPC
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Contratos a Preço Fixo / “lump-sum”
Aconselhável quando os requisitos e o escopo estão bem
definidos => transferência do r...
Custos e prazos acima do previsto,
baixa qualidade das entregas,
e conflitos contratuais
entre as partes
Baixa definição d...
Roteiro
• Motivações e Objetivos
• Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI)
• Visões sobre o Comissionamento
• ...
Maiores Causas de Insucessos de Projetos
Mirando no Alvo
Aumentar Grau
de Definição do
Projeto
Receber as
Entregas do
Projeto
com
Qualidade
Envolver “EPCista” na
O...
Bibliografia Utilizada
MERNA, A.; SMITH, N. J., Project managers and use of turnkey contracts. International Journal of Pr...
Obrigado!
Rodrigo Mendes Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP
Consultor em Avaliação e Gerenciamento de Projetos
e-mail: rodgandra@gm...
Mini Currículo
• Mestre em Economia pela Universidade Federal
Fluminense (UFF);
• Bacharel em Economia pela Universidade F...
Resumo Geral
Apresentar uma proposta de definição para a atividade de comissionamento
de sistemas e subsistemas industriai...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Comissionamento como Ferramenta do Processo de Controle de Qualidade em Contratos de EPC

1.727 visualizações

Publicada em

Apresentar uma proposta de definição para a atividade de comissionamento de sistemas e subsistemas industriais, inserindo-o como uma ferramenta do processo de Controle da Qualidade. Tem por propósito contribuir com o alcance de maior convergência conceitual a fim de reduzir conflitos por conta de imprecisões contratuais. Serão discutidas, também, as principais dificuldades de se gerenciar projetos (assim como, o próprio comissionamento) quando se utiliza contratos do tipo EPC (Engineering, Procurement, and Construction), tomando como exemplo projetos de E&P e Refino.

1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.727
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
62
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comissionamento como Ferramenta do Processo de Controle de Qualidade em Contratos de EPC

  1. 1. Comissionamento como Ferramenta do Processo de Controle de Qualidade em Contratos de EPC Rodrigo Mendes Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP Consultor em Avaliação e Gerenciamento de Projetos
  2. 2. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  3. 3. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  4. 4. Motivações e Objetivos Motivações • Falta de consenso quanto à definição do termo Comissionamento, gerando interpretação variada: • uma fase do projeto? • uma área de conhecimento? • um processo de gerenciamento de projetos? • uma atividade? • Escassez de literatura sobre o tema Objetivos • Sugerir uma definição mais clara para o termo Comissionamento • Complementar a Área de Gerenciamento da Qualidade do PMBoK e do Construction Extension to The PMBoK • Debater as dificuldades de receber as entregas de um projeto com a qualidade contratada em contratos “lump-sum” (EPC e Turnkey)
  5. 5. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  6. 6. As 9 Áreas de Conhecimento do Gerenciamento de Projetos (PMBoK / PMI) Escopo CustoTempo Qualidade Integração RiscoRH AquisiçõesComunicação Foco
  7. 7. Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8) • Gerenciamento da Qualidade inclui as atividades que determinam responsabilidades, objetivos e políticas, de modo que o projeto atenda às necessidades que o motivaram Subdivide-se em 3 processos: • 8.1 Planejamento da Qualidade - documenta os padrões de qualidade relevantes e como satisfazê-los
  8. 8. Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8) • 8.2 Realizar a Garantia da Qualidade - aplicação de atividades e sistemáticas que garantem o atendimento aos requisitos estabelecidos para o satisfatório gerenciamento do projeto • Voltado para a melhoria contínua dos processos e procedimentos internos de gerenciamento do projeto a fim de eliminar atividades sem valor agregado • Deve ser realizado durante todo o ciclo de vida do projeto • Ferramentas: Análise de Processos e Auditorias de Qualidade
  9. 9. Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8) • Deve ser realizado durante todo o ciclo de vida do projeto • Ferramentas: Diagrama de Causa e Efeito (Espinha de Peixe), Gráficos de Controle, Fluxogramas, Histograma, Diagrama de Pareto (80/20), Amostragem Estatística, Diagrama de Dispersão, Inspeção e Revisão de Reparo de Defeito • 8.3 Realizar o Controle da Qualidade - focado na qualidade das entregas (produtos ou serviços) encomendados (conforme padrões e normas estabelecidos em contrato)
  10. 10. Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK - Capítulo 8) • Inspeção e Revisão de Reparo de Defeito – Inspeção (revisão / avaliação por pares / homologação): • é o exame de um produto para determinar se ele está de acordo com as normas (geralmente realizado in house => dentro do fornecedor) • são usadas para validar Reparos de Defeitos (caso haja não- conformidade) • 8.3 Realizar o Controle da Qualidade Necessidade de Complementar o PMBoK para o Caso de Projetos Industriais • Proposta: inclusão de outras atividades e ferramentas ... + Complementação
  11. 11. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  12. 12. Comissionamento como Fase de Projeto Fase de Projeto Fonte: SCOTTMADDEN (2009)
  13. 13. Comissionamento como Ferramenta e Técnica (Visão Convencional) Fonte: GAETE e PRATES (2007)
  14. 14. Comissionamento como Ferramenta e Técnica (Visão Atual) Fonte: GAETE e PRATES (2007)
  15. 15. Comissionamento como Ferramenta e Técnica (Visão Atual) Fonte: GAETE e PRATES (2007)
  16. 16. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação de Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  17. 17. Condicionamento Comissionamento Partida Operação Assistida GRANDE COMISSIONAMENTO Visão Proposta - Divisão em Atividades Independentes Complemento ao PMBoK para o Caso de Projetos Industriais
  18. 18. Visão Proposta - Divisão em Atividades Independentes Planejamento e Design Construção & Montagem Entrega Operação Comissionamento Suprimento Partida Operação Assistida Condicionamento Inspeção e Repar. Defeito EntregaFinal/Aceitação PlanejamentodoProjeto+ (Condicionamento/Comissionamento/Partida) Verificação do Escopo VFE Operação
  19. 19. Atividades Propostas: Condicionamento / Preservação • Geralmente são conhecidos por: testes sem carga (“a frio”). • Aplicação integrada de um conjunto de técnicas e procedimentos para inspecionar, limpar e preservar cada componente físico do empreendimento, desde os equipamentos individuais (peças, instrumentos e equipamentos), até os módulos, subsistemas e sistemas completos. • Exemplos: limpeza, pintura, lavagem, aplicação de regras de estocagem, energização de equipamentos, flushing de sistemas de lubrificação, inertização de equipamentos (por exemplo: através de injeção de hidrogênio para retirada de oxigênio e, portanto, de umidade a fim de evitar oxidação ou explosão).
  20. 20. Atividades Propostas: Comissionamento / Pré-Operação • Geralmente são conhecidos por: testes com carga (“a quente”). • Aplicação integrada de um conjunto de técnicas e procedimentos para verificar e testar cada componente físico do projeto (assim, como completação e integração entre eles), desde os equipamentos individuais (peças, instrumentos e equipamentos), até módulos, subsistemas e sistemas completos. • Exemplos: testes de malhas elétricas (loop test), testes hidrostáticos, testes de instrumentação, e testes de completação mecânica dos sistemas e subsistemas.
  21. 21. Atividades Propostas: Partida / Startup • Partida é definida como uma atividade e não como marco / milestone • Atividade onde serão aplicados (em um período de tempo) diversos procedimentos recomendados pelo fabricante das unidades • Segundo Parodi (2001): “Startup ends only when the project is in routine operation although not necessarily at full design capacity production”
  22. 22. Atividades Propostas: Operação Assistida / Estabilização • Esta atividade ocorre após a partida, cujo objetivo é a estabilização da operação das unidades ou do sistema atestando a confiabilidade da eficiência definida previamente entre as partes
  23. 23. Entrega (Fase Transição) e Verificação do Escopo • Fase de Transição entre C&M e Operação, onde ocorre o Processo de Verificação Final do Escopo (Aceitação do Cliente do Projeto como um todo) ainda no Grupo de Processos de Monitoramento e Controle • Mediante assinatura do Termo de Aceitação do Projeto, pode-se passar para os processos de Encerramento do Projeto (entrega de: arquivos de projetos, data book, as-built, plantas, desenhos, os registros de lições aprendidas, etc) e de Encerramento Contratual
  24. 24. Visão Proposta - Divisão em Atividades Independentes Planejamento e Design Construção & Montagem Entrega Operação Comissionamento Suprimento Partida Operação Assistida Condicionamento Inspeção e Repar. Defeito EntregaFinal/Aceitação PlanejamentodoProjeto+ (Condicionamento/Comissionamento/Partida) Verificação do Escopo VFE Operação “Grande Comissionamento” 100%
  25. 25. Planejamento • Se as atividades (Condicionamento, Comissionamento, Partida e Operação Assistida) requerem um conjunto de técnicas distintas para serem executadas, porque não separá-las em atividades independentes para melhor entendimento? • Lembrando que no Planejamento do Projeto, são gerados todos os planos e documentos de planejamento, incluindo: – Plano de Gerenciamento do Condicionamento, – Plano de Gerenciamento do Comissionamento, – Plano de Partida – Plano de Operação Assistida
  26. 26. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  27. 27. Cadeia Produtiva de Oil and Gas Refinaria Distribuição de Gás Transporte de Gás Importação de Derivados Transporte Derivados Armazenagem Distribuição Derivados Importação de Gás Exploração Desenvolvimento Produção Gás Óleo Nacional Importação de Óleo Cru Estoque de Óleo Cru Processamento de Gás
  28. 28. Projeto de E&P EPC
  29. 29. Projeto de Refino Unidades Contratadas porEPC
  30. 30. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  31. 31. Contratos a Preço Fixo / “lump-sum” Aconselhável quando os requisitos e o escopo estão bem definidos => transferência do risco para a contratada (mediante o pagamento de um prêmio de risco) Alta especialização (know-how) e escala das contratadas Foco do cliente na operação e não em implantação de projetos Poupa esforços, quando contratante não tem skills necessários para gerenciamento de projetos Quando a contratada faz Operação Assistida tende a comissionar com maior eficiência (reduz moral hazard) Reduz interfaces quando se contrata uma única empresa e há padronização do controle de qualidade Vantagens • Turnkey Clássico / Design-Build (“vira a chave”) => em geral, a contratada realiza design, planejamento, suprimento, (eventualmente construção), montagem, desenvolvimento, condicionamento, comissionamento, partida e operação assistida (Merna & Smith, 1990), Silva (1984) apud Ferreira (1998) Desaconselhável quando não os requisitos e o escopo não estão bem definidos (contratante retém o risco) Necessidade de auditoria da capacidade financeira da contratada Problemas de moral hazard no processo de licitação por critério de preços => gerando claims na implantação Baixa influência do contratante no projeto (custo, prazo, qualidade e desempenho) Estimativas das contratadas são feitas em termos globais com pouco detalhamento Desvantagens • Engineering, Procurement, and Construction (EPC) => O design e a Operação Assistida ficam por conta do cliente. Pode variar dependendo do contrato • Caracterizados por definição prévia de Prazo e Custo (pode haver ajuste econômico)
  32. 32. Custos e prazos acima do previsto, baixa qualidade das entregas, e conflitos contratuais entre as partes Baixa definição do projeto pela contratante Modelo falho de licitação baseado em critério de preços (gerando moral hazard e claims) Falta de cultura de planejamento e contratual de ambas as partes Mudança de escopo e requisitos durante a fase de implantação Agressividade na política de lucro das empresas (tendência em fazer projetos fast track) Falta de precisão no detalhamento de custo e prazo pelas contratadas Falta de análise de riscos de ambas as partes Baixa qualidade do produto entregue e problemas de carryover Pouco envolvimento da contratante no Comissionamento O pouco envolvimento da contratada na Operação Assistida, leva à perda de foco no Comissionamento Causas GeraisProblemas Usuais Contratos a Preço Fixo / “lump-sum”
  33. 33. Roteiro • Motivações e Objetivos • Gerenciamento da Qualidade do Projeto (PMBoK / PMI) • Visões sobre o Comissionamento • Proposta de Definição de Atividades Independentes: Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida • Aplicação do Comissionamento em Projetos na Indústria de Oil and Gas • Dificuldades de Implementar o Controle de Qualidade em Contratos “lump sum” • Lições Aprendidas
  34. 34. Maiores Causas de Insucessos de Projetos
  35. 35. Mirando no Alvo Aumentar Grau de Definição do Projeto Receber as Entregas do Projeto com Qualidade Envolver “EPCista” na Operação Assistida Definir as atividades e as responsabilidades de Comissionamento / Condicionamento / Partida / Operação Assistida Participar do Comissionamento junto “EPCista” Aumentar a Cultura de Planejamento e de Contratação Pensar em Estratégias Eficientes (Incentivo x Punição) Procurar outras Formas de Licitação (não focadas em preço) Aumentar o Papel de Integrador (Análise de make or buy) p/ Empresas Intensivas em Capital (Projetos)
  36. 36. Bibliografia Utilizada MERNA, A.; SMITH, N. J., Project managers and use of turnkey contracts. International Journal of Project Management, vol. 8, n. 3. August 1990, p. 183-189. DA SILVA, M. A. A. A. High Differentiation and High Integration of Larger Projects: The reasons For and Essence of Overall Project Management. Massachuts: Massachuts Institute of Technology, 1984 (Master of Science Thesis). FERREIRA, Miguel Luiz Ribeiro. Contratação Turnkey em Empreendimentos de Implantação de Plantas de Processo. In.: V Semana de Engenharia (V Semenge) TPC: Programa de Pós-Graduação de Engenharia Civil. Niterói (RJ): Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFF), 1999. FERREIRA, Miguel Luiz Ribeiro. Gerenciamento da Qualidade pela Contratante na Montagem Industrial de Plantes de Processo. São Paulo: Escola Técnica da Universidade de São Paulo, 1998 (Tese de Doutorado). FERRARI Jr., José. EPC contracts for FPUs - what really matters? Hart Energy Publishing, vol. 80, issue 1. Houston (Texas): January 2007, p. 15-19. ALMEIDA JÚNIOR, João Antônio de.; MARTINS, Geovane Mendes. Claims no Gerenciamento de Projetos. Belo Horizonte (MG): Hormigon & Almeida Consultores Associados, Janeiro de 2008. DE SOUZA, Gil Fábio. Proposta de um Modelo para Gerenciamento das Comunicações na Gestão de Projetos para Empresas de Tecnologia. Florianópolis (SC), Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina: Dez/2002 (Dissertação de Mestrado). GAETE, Luciano; e PRATES, Antonio João. Ferramentas de TI para o Comissionamento de Empreendimentos Industriais. In: Apresentação para XX COPINAVAL - Congresso Pan-americano de Engenharia Naval, Transporte Marítimo e Engenharia Portuária. São Paulo (Brasil) realizado no dia 26/Out/2007 (disponível no site da internet: http://www.copinaval.com/downloads/XX/4I/FERRAMENTAS.pdf no dia 14/11/2008). OPERADOR NACIONAL DO SISTEMA ELÉTRICO (ONS). Estudos de comissionamento de instalações da rede de operação. Sub-módulo 21.3, Revisão 1 de 12/09/2005 (disponível no site da internet: http://www.ons.org.br). PARODI, Felix J. Lessons From Quantitative Competitive Benchmarking to Impact the Capital Effectiveness of the Latin American Forest, Pulp and Paper Industry. In: 34º Congresso Anual de Celulose e Papel (Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel - ABTCP). São Paulo (Brasil): Out/2001. PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (PMI). Construction Extension to The PMBoK ® Guide Third Edition. USA: 2007 (Second Edition). PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (PMI). Project Management Body of Knowledge PMBoK ®. USA: 2008 (Fourth Edition). SCOTTMADDEN, INC. Project Controls: Managing and Controlling Large Projects. Atlanta (USA): Jan/2009 (apresentação disponível em 03/06/2009 no site: http://scottmadden.com/insight/267/Project-Controls.html). GANDRA, Rodrigo Mendes; e LOPES, Raphael de Oliveira Albergarias. Comissionamento como uma Ferramenta do Processo de Controle de Qualidade em Projetos Industriais. Novembro de 2008.
  37. 37. Obrigado! Rodrigo Mendes Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP Consultor em Avaliação e Gerenciamento de Projetos e-mail: rodgandra@gmail.com http://lattes.cnpq.br/0304981009912385
  38. 38. Mini Currículo • Mestre em Economia pela Universidade Federal Fluminense (UFF); • Bacharel em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); • + 6 anos de experiência trabalhando em Avaliação Econômica (Valuation) e em Gerenciamento de Projetos upstream (exploração e produção) e downstream (refino) através do Project Management Officers (PMOs); • + 2 anos de experiência em análise macroeconômica; • Certificado como Project Management Professional (PMP) pelo Project Management Institute (PMI); • Certificado como Risk Management Professional (PMI-RMP) pelo Project Management Institute (PMI); • 1° Lugar no XI Prêmio Brasil de Economia em 2003 com Dissertação de Mestrado; • Dezenas de artigos técnicos e científicos publicados, palestras ministradas e 1 co- orientação de dissertação; • Professor Docente na matéria de Gerenciamento de Riscos de Projetos no curso de Pós-Graduação em Engenharia de Equipamentos Onshore e Offshore da FUNCEFET. • Para maiores detalhes, consultar Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/0304981009912385 Rodrigo Mendes Gandra, MSc, PMP, PMI-RMP Consultor em Avaliação e Gerenciamento de Projetos e-mail: rodgandra@gmail.com
  39. 39. Resumo Geral Apresentar uma proposta de definição para a atividade de comissionamento de sistemas e subsistemas industriais, inserindo-o como uma ferramenta do processo de Controle da Qualidade. Tem por propósito contribuir com o alcance de maior convergência conceitual a fim de reduzir conflitos por conta de imprecisões contratuais. Serão discutidas, também, as principais dificuldades de se gerenciar projetos (assim como, o próprio comissionamento) quando se utiliza contratos do tipo EPC (Engineering, Procurement, and Construction), tomando como exemplo projetos de E&P e Refino.

×