Projeto Jequitibá

650 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
650
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto Jequitibá

  1. 1. Polo Jequitibá<br />Projeto: Itajaí, Eu Faço<br /> Parte Desta História<br />C E CacildoRomagnoni<br />C E Pedro Rizzi<br />E B Elias Adaime<br />E B Martinho Gervasi<br />E B Padre José de Anchieta<br />NEC Emílio Gazaniga Jr<br />
  2. 2. Objetivo Geral<br />Integrar as escolas do polo em uma ação educativa resultante de <br />pesquisas desenvolvidas nos diferentes bairros que o compõe, <br />em um trabalho que possibilite a aproximação entre escola, <br />família e sociedade; com atividades voltadas à busca de <br />conhecimentos sobre a história e cultura das diferentes <br />comunidades que valorizem a semana alusiva ao aniversário<br /> de Itajaí.<br />1.1:Objetivos específicos:<br /><ul><li> Conhecer a história local e sua identidade;
  3. 3. Estimular a cooperação e a integração das escolas do Polo;
  4. 4. Oferecer às comunidades a oportunidade de mostrar sua cultura, suas potencialidades e apontar suas principais necessidades;
  5. 5. Colaborar para a identificação de possibilidades na solução </li></ul>de seus problemas emergentes. <br />
  6. 6. Justificativa<br /> No início de 2011 as escolas da Rede Municipal de Educação foram reorganizadas em seus polos. Esta nova organização prevê a integração entre escolas com realidades, necessidades e potencialidades diferentes. No ano Internacional das Florestas, estes polos receberam nomes de árvores. O Polo Jequitibá, composto por escolas dos bairros Cidade Nova, Canhanduba e Brilhante, traz como principais características aquelas que fazem da árvore símbolo um “gigante das florestas”: raízes sólidas construídas no coletivo, resistência às adversidades, sem no entanto perder a delicadeza nas ações e relações com seus semelhantes.<br /> A Educação histórica tem a capacidade ímpar de despertar nos indivíduos a percepção de sua realidade, fragilidades e potencialidades. Um povo que conhece seu passado pode entender a origem de seus problemas e, mesmo que não possa solucioná-los, permite, ao menos, enquadrá-los de forma adequada.<br /> As comunidades onde estão inseridas as escolas participantes do projeto apresentam realidades bastante distintas. O bairro Cidade Nova, popularmente chamado de Promorar, apresenta sérios problemas no parcelamento e uso do solo, característicos de áreas de expansão urbana, enquanto o bairro Canhanduba e Brilhante encontram-se na área rural de Itajaí, que apesar da aparente qualidade e quantidade de área verde, encontram-se em acelerado processo de degradação ambiental.<br />
  7. 7. Apesar das diferenças geográficas, as três comunidades identificaram um problema comum: a falta de sentimento de pertença. Os moradores não identificam a importância de suas comunidades para o restante da cidade, para o desenvolvimento do município, assim como não se percebem como parte da história. <br /> Carregam consigo estigmas impostos por seu processo de estruturação, colonização ou ocupação. Conhecidas por aspectos negativos, como a marginalidade, tráfico de drogas ou indicadas de forma pejorativa como “meio do mato”, estas comunidades tem função essencial no desenvolvimento e manutenção da cidade a que pertencem: Itajaí.<br /> Seja pela água disponível, pelas instalações de serviços essenciais à população ou por proporcionarem moradia, estes espaços tem nomes e história a ser contada. Histórias que permitem que passado e presente se aproximem e suscitem a busca por um futuro melhor.<br /> Na tentativa de iniciar um processo de mudança desta forma de se ver, valorizar o espaço em que vivem e se reconhecerem importantes para o município de Itajaí, este trabalho procura identificar as potencialidades e necessidades das comunidades em questão.<br /> Neste contexto, as escolas desempenham importante papel, uma vez que recebem todas as crianças e adolescentes, onde se reúnem todas as religiões, raças, crenças. É a escola um dos poucos lugares em que se pode experimentar a vida em uma sociedade ideal, uma sociedade de iguais.<br /> Pensando nas parcerias com as diferentes instituições e secretarias, as escolas utilizarão como roteiro de pesquisa uma adaptação do material elaborado para pesquisa do Museu Etno Arqueológico de Itajaí.<br />
  8. 8. Questão problema:<br /> Apesar das diferenças geográficas e históricas das comunidades onde estão inseridas as escolas, alguns aspectos são comuns a todas. Entre estes aspectos, o grupo destaca a ausência de identidade das comunidades o que permite que sejam mais conhecidas por seus aspectos negativos do que pelos positivos.<br />
  9. 9. Materiais e métodos<br />• Realizar pesquisa junto à comunidade a partir de um roteiro comum, destacando fatos característicos, geografia, crenças, educação;<br />• Sistematizar o resultado da pesquisa:<br />- Produção de painéis ( Formação do bairro, História do nome, Atividade produtiva/econômica, população atual, papel desempenhado pela escola e proposta de solução para o problema identificado);<br />- Criação de Blog;<br />- Produção de material impresso;<br />- Exposição e apresentações do resultado;<br />• Realizar um evento do Polo Jequitibá com a apresentação dos resultados encontrados, com a presença da comunidade, com oferta de serviços da Prefeitura Municipal e apresentações artísticas e culturais: Movimento Educativo Social.<br />• Identificação de parceiros: convite aos diferentes segmentos do serviço público municipal para atendimento ou esclarecimentos à população, às universidades e instituições de ensino, associações, artesão locais, imprensa, empresários.<br />
  10. 10. Resultados esperados<br />• Mobilização das equipes das escolas envolvidas;<br />• Envolvimento de (definir quantos) alunos;<br />• Produção de material de pesquisa de qualidade junto com os educandos;<br />• Identificar as potencialidades locais;<br />• Estimular uma visão de futuro positiva;<br />• Aproximar as escolas de bairros e realidades diferentes;<br />• Levantar necessidades locais e propor mudanças.<br />
  11. 11. Recursos necessários:<br />- Palco<br />- Som<br />- Cadeiras<br />- Mudas de flores e árvores<br />- Cartão do evento – para entrega aos participantes<br />- Camisetas<br />- Painéis – 1 por escola e um geral<br />- Lanche<br />- Livro de visitas<br />- Telão<br />- Projetor multimídia<br />
  12. 12. Cronograma de atividades<br />
  13. 13. Cronograma de Oficinas na sala de Arte<br />Dia: 09 – 06 – 2011<br />Horário: 11h00 às 16h00<br /> <br />Oficina 1: Pintura no rosto<br />Tempo: 60 minutos<br />Material: Lápis pinta cara ou lápis aquarela<br />Quantidade: 3 caixas.<br /> <br />Oficina 2: Modelagem com massa de modelar<br />Tema: Folclore da cidade<br />Tempo: 60 minutos<br />Material: 20 caixas com 6 cores de massa de modelar<br />6 caixas de palito de dente<br />1 pacote de palito de churrasco e um de palito de picolé<br /> <br />
  14. 14. Oficina 3: ponteira de lápis com EVA<br />Tempo: 60 minutos<br />Material: Retalhos de EVA;<br />10 colas instantâneas para EVA;<br />3 pistolas de cola quente;<br />50 lápis preto;<br />6 canetas permanentes de ponta fina.<br /> <br />Obs: As atividades serão realizadas de acordo com a idade do público a ser atendido. <br /> <br />Informações sobre o processo pré e pós-evento no blog: www.polojequitiba.blogspot.com <br />
  15. 15. O evento contará com espaços de divulgação e socialização dos resultados das pesquisas realizadas pelas escolas sobre a identidade dos bairros em questão:<br />• Espaço de memória (histórias e depoimentos sobre os bairros)<br />• Espaço cultural (apresentações artísticas e culturais dos bairros)<br />• Espaço cidadão (empresas e parceiros prestando serviços a comunidade cidade nova)<br />• Espaço de divulgação (divulgação dos parceiros)<br />• Espaço ecológico (vivências e distribuição de mudas)<br />• Espaço de futuro (árvore dos sonhos e cápsula do tempo)<br />• Espaço da comunidade (exposições de artesãos dos bairros)<br />
  16. 16. Avaliação<br />• Quantidade de pessoas envolvidas direta ou indiretamente;<br />• Formalização de parcerias (quantos e quem);<br />• Qualidade da pesquisa realizada (a aprendizagem foi significativa para os educandos?);<br />• Repercussão do evento ( a mídia valorizou o evento, na escola falam sobre?);<br />• Pesquisa de opinião;<br />

×