SlideShare uma empresa Scribd logo
Projeto InterdisciplinarMatemática / Artes / Geografia “Nós e o lixo que produzimos” Destinado ao 9º ano do Ensino Fundamental
Esta proposta de projeto de ensino e aprendizagem tem por finalidade expandir o conhecimento do aluno de 9º ano sobre o lixo que produzimos no decorrer de nossas vidas. Trazendo como base o ensino de Matemática e interagindo com as disciplinas de Artes e Geografia, obtém-se uma nova visão de como lidamos com o meio ambiente juntamente com tudo que consumimos.   Introdução:
De acordo com a concepção de sustentabilidade disseminada no século XXl, é de suma importância convidar o aluno a ter um posicionamento crítico de idéias e atitudes sobre o assunto. O aluno necessita associar a quais reflexos estamos expostos vivendo em um mundo consumista e totalmente voltado para a economia de mercado. Justificativa:
		É inegável que nos últimos trinta anos o Brasil tem assistido a um intenso movimento de reformas curriculares para o ensino de matemática.  		Como nos diz Pires (200, p.35)*, referindo-se a essas reformas, [...] o homem parece começar a tomar consciência 		da iminência do desastre planetário, da explosão 			demográfica, da 	redução dos recursos naturais. Desse 		modo, novos paradigmas 	emergem e trazem, como 		consequência, desafios à educação e, em 	particular ao 		ensino de Matemática. Objetivos Gerais: * A Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental, pág 16 – Coleção Tendências em Educação Matemática
		Dentre os aspectos positivos no que se refere ao ensino de Matemática para o 9º ano do ensino fundamental, destacamos os seguintes: ,[object Object]
A concepção de noções de estatística;
A percepção de que a matemática é uma linguagem;
Um esforço para embasar a proposta em estudos recentes de educação matemática;
A percepção de que a função da Matemática escolar é preparar o cidadão para uma atuação na sociedade em que vive.,[object Object]
		Ainda na LDB, em seu artigo 32, é afirmado que o ensino fundamental tem por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: I – o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II – a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
		O PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais, volume 3, área de Matemática, publicado em 1997 pela Secretaria de Educação Fundamental – Brasília: MEC/SEF, trouxe sem dúvida, questões inovadoras quanto ao ensino de matemática, dentre as quais: ,[object Object]
O reconhecimento dessa área do conhecimento como estimuladora do “interesse, curiosidade, espírito de investigação e o desenvolvimento da capacidade de resolver problemas”.,[object Object]
		Sendo assim, a rede estadual de ensino de Minas Gerais definiu os Conteúdos Básicos Comuns (CBC) para os anos finais de ensino fundamental e para o ensino médio, o que constitui uma passo importante no sentido de tornar a rede de ensino num sistema de alto desempenho. Os CBC’s não esgotam todos os conteúdos a serem abordados na escola, mas expressam os aspectos fundamentais de cada disciplina, que não podem deixar de ser ensinados e que o aluno não pode deixar de aprender.
		O CBC trata o ensino de Matemática numa perspectiva de caráter dinâmico, em constante evolução. O educando precisa comunicar-se matematicamente, ou seja, descrever, representar e apresentar resultados, com precisão e argumentar sobre suas conjecturas, fazendo uso da linguagem oral e estabelecer relações entre ela e diferentes representações matemáticas. O objetivo é levar o aluno a raciocinar e expressar-se matematicamente, ou seja, reconhecer situações que podem ser descritas em linguagem matemática e ser capaz de aplicar métodos matemáticos para resolvê-las.
	Dessa forma, esse projeto apresenta uma proposta de ensino e aprendizagem em Matemática com uma intenção construtivista, ou seja, ele sugere a criação de um ambiente em que o aluno possa construir conceitos matemáticos. “Fazer é compreender, a aprendizagem é uma construção”.                                                    Jean Piaget
Metodologia e Procedimentos:
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
No nível básico encontram-se as ações que possibilitam a apreensão das características e propriedades permanentes e simultâneas de objetos comparáveis, isto é, que propiciam a construção dos conceitos. Consideramos competências de Nível Básico, por exemplo: ,[object Object]
Identificar, reconhecer, indicar, apontar dentre diversos objetos, aquele que corresponde a um conceito ou a uma descrição, ou identificar uma descrição que corresponde a um conceito ou às características típicas de objetos da fala de diferentes tipos de texto, etc.		Isto é interpretar e entender o objeto do conhecimento de acordo com a intencionalidade do tema proposto e a ação que o verbo exerce ao ser aplicado.
No nível operacional encontram-se ações coordenadas que pressupõem o estabelecimento de relações entre os objetos; fazem parte deste nível os esquemas operatórios que se coordenam em estruturas reversíveis. Estas competências, que, em geral atingem o nível da compreensão e explicação, mas que o saber fazer supõem alguma tomada de consciência dos instrumentos e procedimentos utilizados possibilitando sua aplicação a outros contextos. Dentre as competências do Nível Operacional, podem-se distinguir: Classificar – Organizar (separando), objetos, fatos, fenômenos, acontecimentos e suas representações de acordo com o critério único incluindo as relações de transitividade; além de conservar algumas propriedades de objetos, figuras, etc.; quando o todo se modifica.
No nível global encontram-se ações e operações mais complexas, que envolvem a aplicação de conhecimentos a situações diferentes e a resolução de problemas inéditos. 		Pertencem, geralmente, a Nível Global as seguintes competências: Analisar objetos, fatos, acontecimentos, situações, com base em princípios, padrões e valores. Além deste, alguns outros verbos como: Criticar, julgar, explicar causas e efeitos, proporcionam e auxiliam os alunos a criar, construir, fazer generalizações (construtivas e indutivas) fundamentando o seu aprendizado e desenvolvendo as competências necessárias.
Eixo Temático: Tratamento de Dados Tema: Representação Gráfica Objetivos e Estratégias de Ensino em Matemática de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum
Organização e Apresentação de um conjunto de dados em tabelas ou gráficos; Porcentagem. Tópicos:
Fase: Mobilização	 Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar primeiramente o conteúdo de porcentagem, suas aplicações juntamente com problemas propostos; Relacionar como são solucionados os problemas que envolvem porcentagem; Revisar e associar esse conteúdo a interpretação dos gráficos demonstrativos.  Apresentação do vídeo “A História das coisas”. Estudo dos conteúdos contidos no livro didático e outras fontes de pesquisa (jornais, revistas, etc). Aula expositiva baseada em dados anteriores. Quantidade de aulas: 02
Fase: Elaboração	 Habilidade: Técnicas de Ensino: Classificar os gráficos e seus modelos, expondo-os de forma clara; Diferenciar cada um deles e suas aplicações; Criar cada gráfico de acordo com percentuais encontrados ou definidos; Esquematizar uma apresentação final dos dados encontrados. Estudo dirigido com análises de gráficos em livros didáticos e outros; Atividade em grupo, montagem do gráfico Individual de acordo com pesquisa do grupo. Debate em mesa redonda com análise dos resultados. Quantidade de aulas: 02
Fase: Expressão	 Habilidade: Técnicas de Ensino: Apresentar os dados de acordo com sua realidade e através disso criar um gráfico, juntamente com os problemas propostos. Seminário com demonstração de cada gráfico com comentário conclusivo de acordo com sua pesquisa. Quantidade de aulas: 02
Objetivo:Interpretar e transmitir informações por meio de gráficos; utilizando a escala para dar precisão. Conteúdo: Gráfico de Barras Material Necessário: Dados coletados a partir da exibição do vídeo,  texto da revista Nova Escola “Sinal de Alerta” contextualizados com jornais, revistas e livros que tratem do assunto proposto. Desenvolvimento: Após a pesquisa e análise dos dados coletados, os alunos poderão ser divididos em grupos, ficando cada grupo com diversos tipos de gráficos: Introdução ao Estudo de Gráficos Linhas:
Pizza: Barras: Certifique-se de que os gráficos tratem do assunto proposto,  dos índices de produção de lixo, Índices de materiais recicláveis, e também os que classificam o nosso padrão de consumo.
Coloque no quadro algumas perguntas: ,[object Object]
Qual deles vocês julgam mais fácil de ler?
Por quê?Peça que registrem as informações no caderno e, em seguida, abra a discussão sobre as características e a adequação de cada formato à informações nele contidas. Peça que os alunos elejam o formato que lhes parece mais fácil.
Selecione alguns gráficos para uma análise detalhada. Procure representações que tragam diferentes escalas e intervalos -  um gráfico pode ter uma escala de zero a dez e marcações de dois e dois, outro pode variar de zero a cem, com intervalos de dez em dez, e assim por diante.   Comece perguntando: 1)Quais são as principais informações apresentadas? 2)O que mostra cada gráfico? 3)Do que se trata? Explique aos alunos que, na hora de criar um gráfico, é preciso pensar em uma escala em que caibam todas as informações que queremos. Se os dados que vamos inserir variam de zero a dez, o gráfico deve ter, pelo menos, uma escala com esses valores.
Partindo da explicação direcionada contextualizada com os dados do tema proposto, “Nós e o Lixo que produzimos”, os alunos sentirão seguros a elaborar seu próprio gráfico onde expressarão os resultados obtidos. Para isso é importantíssimo que as explicações e informações sejam sempre retomadas e acompanhadas pelo professor. O fechamento se dará no Seminário proposto aqui anteriormente, na fase de expressão.
Objetivos e Estratégias de Ensino em Artes de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum Eixo Temático: Conhecimento e Expressão em Artes Visuais Tema: Percepção Visual e Sensibilidade Estética
Análise e Crítica de Obras de Arte Tópico: Vik Muniz – Artista Plástico
Fase: Mobilização Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar os elementos de composição de obras de artes visuais: Apresentação do artista Vik Muniz, apreciação da obra; Reflexão sobre os objetos que consumimos e seus respectivos resíduos, os recicláveis e os não recicláveis; Identificação do lixo na obra de Vik Muniz. Reconhecer o lixo como matéria prima de uma forma de expressão. Aula expositiva Leitura de Imagens Problematização oral Quantidade de aulas: 01
Fase: Elaboração Habilidade: Técnicas de Ensino: Estabelecer relações entre análise formal, contextualização, pensamento artístico e identidade pessoal: Problematização: Por que Vik Muniz utilizou o lixo como matéria prima para o seu trabalho; Exibição do Filme-documentário: “Lixo Extraordinário”; Discussão da sinopse e idéia central do filme; Produção de texto individual baseado no filme; Contextualização oral das imagens apresentadas na aula anterior; Exibição do filme “Lixo Extraordinário”; Produção textual; Reflexão dos textos escritos contextualizados com o filme. Quantidade de aulas: 03
Fase: Expressão Habilidade: Técnicas de Ensino: Saber posicionar-se individualmente em relação às produções de artes visuais, sendo capaz de formular críticas fundamentais: Esboço de um projeto de criação, acompanhado pelo professor: organização de idéias e materiais. Produzir, em casa, um objeto de arte como elemento de comunicação e/ou denúncia utilizando materiais recicláveis podendo ser bidimensional ou tridimensional, respeitando os seguintes contextos: 1- O que quero comunicar? 2-Estou utilizando o material adequado? 3-Abordagem crítica do filme, obra de Vik Muniz e o lixo que produzimos. Elaboração do esboço e projeto de criação do objeto de arte, individual com acompanhamento do professor; Exposição contextualizada dos objetos produzidos. Quantidade de aulas: 02
Filmado ao longo de dois anos (agosto de 2007 a maio de 2009), Lixo Extraordinário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro.  Lá, ele fotografa um grupo de catadores de materiais recicláveis, com o objetivo inicial de retratá-los. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano.  Sinopse do Filme “Lixo Extraordinário”:
Quando viu seu retrato assinado pelo artista plástico Vik Muniz ser vendido por 34,8 mil (R$ 92 mil) num leilão em Londres, em 2009, o catador de lixo Sebastião Carlos dos Santos, o Tião, perguntou-se quando terminaria sua vida de Cinderela.Tião ganhou uma prorrogação da fama, com a indicação ao Oscar de "Lixo Extraordinário", documentário sobre a obra de Vik Muniz do qual participa.Tião é um dos catadores do Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, tema de uma série de fotografias de Muniz que estão hoje entre as mais valorizadas em sua carreira."Lixo Extraordinário", filmado enquanto Muniz produzia suas fotos, põe em perspectiva a trajetória do artista paulistano pobre, filho de retirantes nordestinos, que acabou se radicando em Nova York e virou estrela da arte contemporânea.
Tião posa para foto que dará origem a uma das obras do artista brasileiro Vik Muniz – Ao fundo, o Aterro Sanitário de Gramacho.
Vik Muniz retratou o catador de lixo “Tião” utilizando materiais encontrados no aterro sanitário de Gramacho. A obra é uma releitura contemporânea da obra “A morte de Marat” de Jacques-Lous David, de 1793.
Objetivos e Estratégias de Ensino em Geografia de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum Eixo Temático: Ambiente, Tecnologia e Sustentabilidade
Padrão de Produção e Consumo Tópico:
Fase: Mobilização Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar os padrões de produção e consumo em diversas dimensões escalares, avaliando-os sob a ótica da sustentabilidade; Partir do local, regional para entender o global. Apresentação do tema através do vídeo “A História das coisas”; Exposição do conteúdo didático a fim de buscar a motivação e sensibilização do educando. Sugestão ao professor:  Assistir ao vídeo do Prof. Dr. Marcos Francisco Martins, onde ele faz uma leitura pessoal sobre o filme “ A História das coisas”.  Quantidade de aulas: 01
Fase: Elaboração Habilidade: Técnicas de Ensino: Explicar a relação entre padrão de consumo, desequilíbrios dos ecossistemas terrestres e problemas ambientais contemporâneos; O padrão de desenvolvimento adotado pelos países ricos serviram de modelo para os países emergentes e em desenvolvimento (conhecer as causas e conseqüências). Organizar as idéias dos alunos conforme seus conhecimentos prévios atrelados as informações fornecidas pelo vídeo; Contextualizar os conhecimentos com o texto: “Sinal de Alerta”. Quantidade de aulas: 02
Fase: Expressão Habilidade: Técnicas de Ensino: Reconhecer padrões de produção e de consumo que têm tido como modelo um estilo poluidor e consumista. Elaborar trabalhos com os alunos para expor o aprendizado (Proposta: Apresentação de trabalho em grupo). Quantidade de aulas: 03
Texto “Sinal de Alerta” retirado da Revista Nova Escola, edição especial nº 31, editora abril, de Maio de 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto interdisciplinar de matemática
Projeto interdisciplinar de matemáticaProjeto interdisciplinar de matemática
Projeto interdisciplinar de matemáticaEdione Zelenka
 
Projeto intervencao matemática
Projeto intervencao   matemáticaProjeto intervencao   matemática
Projeto intervencao matemáticaLeonaci Rios
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICAProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICAAdriana Melo
 
Atividades e jogos referentes aos números inteiros 7 ° ano
Atividades e jogos referentes aos números inteiros  7 ° anoAtividades e jogos referentes aos números inteiros  7 ° ano
Atividades e jogos referentes aos números inteiros 7 ° anoSENHORINHA GOI
 
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua Portuguesa e Matemá...
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua  Portuguesa  e Matemá...Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua  Portuguesa  e Matemá...
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua Portuguesa e Matemá...Mary Alvarenga
 
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptx
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptxTEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptx
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptxCledineiaCarvalhoSan1
 
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)orientadoresdeestudopaic
 
Plano de curso: Matemática 5º ano
Plano de curso: Matemática 5º ano Plano de curso: Matemática 5º ano
Plano de curso: Matemática 5º ano Mary Alvarenga
 
Plano intervenção
Plano intervençãoPlano intervenção
Plano intervençãojosihy
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anojose ebner
 
Trabalhando Matemática nos Anos Iniciais
Trabalhando Matemática nos Anos IniciaisTrabalhando Matemática nos Anos Iniciais
Trabalhando Matemática nos Anos Iniciaisluciany-nascimento
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religiãosimonclark
 
Desafio - Eu tenho. Quem tem?
Desafio - Eu tenho. Quem tem?Desafio - Eu tenho. Quem tem?
Desafio - Eu tenho. Quem tem?Mary Alvarenga
 
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptx
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptxFundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptx
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptxGlacemi Loch
 
Caça números com as quatro operações
Caça números com as quatro operaçõesCaça números com as quatro operações
Caça números com as quatro operaçõesMary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Projeto interdisciplinar de matemática
Projeto interdisciplinar de matemáticaProjeto interdisciplinar de matemática
Projeto interdisciplinar de matemática
 
Projeto intervencao matemática
Projeto intervencao   matemáticaProjeto intervencao   matemática
Projeto intervencao matemática
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICAProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICA
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas MATEMÁTICA
 
Atividades e jogos referentes aos números inteiros 7 ° ano
Atividades e jogos referentes aos números inteiros  7 ° anoAtividades e jogos referentes aos números inteiros  7 ° ano
Atividades e jogos referentes aos números inteiros 7 ° ano
 
Plano de ação 3º ano ferraz
Plano de ação 3º ano ferrazPlano de ação 3º ano ferraz
Plano de ação 3º ano ferraz
 
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua Portuguesa e Matemá...
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua  Portuguesa  e Matemá...Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua  Portuguesa  e Matemá...
Projeto interdisciplinar -Traçando Saberes entre Língua Portuguesa e Matemá...
 
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptx
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptxTEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptx
TEMAS INTEGRADORES E PLANEJAMENTO (1).pptx
 
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)
JOGOS MATEMÁTICOS 3º 4º 5º ANO PAIC + VOLUME I(PROFESSOR)
 
Plano de curso: Matemática 5º ano
Plano de curso: Matemática 5º ano Plano de curso: Matemática 5º ano
Plano de curso: Matemática 5º ano
 
Plano intervenção
Plano intervençãoPlano intervenção
Plano intervenção
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Plano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferrazPlano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferraz
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
Trabalhando Matemática nos Anos Iniciais
Trabalhando Matemática nos Anos IniciaisTrabalhando Matemática nos Anos Iniciais
Trabalhando Matemática nos Anos Iniciais
 
Plano de ensino religião
Plano de ensino  religiãoPlano de ensino  religião
Plano de ensino religião
 
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
 
Desafio - Eu tenho. Quem tem?
Desafio - Eu tenho. Quem tem?Desafio - Eu tenho. Quem tem?
Desafio - Eu tenho. Quem tem?
 
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptx
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptxFundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptx
Fundamentos e metodologia do ensino de matemática.pptx
 
Caça números com as quatro operações
Caça números com as quatro operaçõesCaça números com as quatro operações
Caça números com as quatro operações
 

Destaque

Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e Artes
Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e ArtesInterdisciplinaridade: Matematica, Historia e Artes
Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e ArtesPREVI
 
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciências
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciênciasPlano de aula interdisciplinar matemática e ciências
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciênciasolgacileia
 
Projeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar  prontoProjeto interdisciplinar  pronto
Projeto interdisciplinar prontokarinacancado
 
Matemática, geografia e língua portuguesa
Matemática, geografia e língua portuguesaMatemática, geografia e língua portuguesa
Matemática, geografia e língua portuguesaAngela Machado Verissimo
 
A Matemática na Geografia
A Matemática na GeografiaA Matemática na Geografia
A Matemática na Geografiaguest86e30ea
 
Projeto interdisciplinar educação ambiental
Projeto interdisciplinar educação ambientalProjeto interdisciplinar educação ambiental
Projeto interdisciplinar educação ambientalSimone Lucas
 
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdo
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdoProjeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdo
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdoLuiz Henrique
 
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"mbl2012
 
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhor
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhorProjeto reciclar é bom, reutilizar é melhor
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhorMarilia Andrade Feitosa
 
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamental
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamentalCompetências e habilidades, matemática, ensino fundamental
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamentalpibiduergsmontenegro
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesJúlia Gama
 
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010Abraão Matos
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTESProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTESAdriana Melo
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoRaquel Barboza
 

Destaque (20)

Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e Artes
Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e ArtesInterdisciplinaridade: Matematica, Historia e Artes
Interdisciplinaridade: Matematica, Historia e Artes
 
Interdisciplinaridade
InterdisciplinaridadeInterdisciplinaridade
Interdisciplinaridade
 
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciências
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciênciasPlano de aula interdisciplinar matemática e ciências
Plano de aula interdisciplinar matemática e ciências
 
Projeto interdisciplinar pronto
Projeto interdisciplinar  prontoProjeto interdisciplinar  pronto
Projeto interdisciplinar pronto
 
Matemática, geografia e língua portuguesa
Matemática, geografia e língua portuguesaMatemática, geografia e língua portuguesa
Matemática, geografia e língua portuguesa
 
A Matemática na Geografia
A Matemática na GeografiaA Matemática na Geografia
A Matemática na Geografia
 
Projeto interdisciplinar educação ambiental
Projeto interdisciplinar educação ambientalProjeto interdisciplinar educação ambiental
Projeto interdisciplinar educação ambiental
 
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdo
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdoProjeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdo
Projeto interdisciplinar - José Antônio FigueirÊdo
 
Projetos interdisciplinares
Projetos interdisciplinaresProjetos interdisciplinares
Projetos interdisciplinares
 
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinar
 
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"
Projeto interdisciplinar "Preservando o meio ambiente através da reciclagem"
 
Projeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinarProjeto interdisciplinar
Projeto interdisciplinar
 
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhor
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhorProjeto reciclar é bom, reutilizar é melhor
Projeto reciclar é bom, reutilizar é melhor
 
Plano De Aula Interdisciplinar
Plano De Aula InterdisciplinarPlano De Aula Interdisciplinar
Plano De Aula Interdisciplinar
 
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamental
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamentalCompetências e habilidades, matemática, ensino fundamental
Competências e habilidades, matemática, ensino fundamental
 
Projeto matemática na vida
Projeto matemática na vidaProjeto matemática na vida
Projeto matemática na vida
 
Projeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artesProjeto interdisciplinar artes
Projeto interdisciplinar artes
 
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010
Projeto de ensino; operações matemáticas na cesta básica. 2010
 
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTESProjeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
Projeto ler e escrever compromisso de todas as áreas ARTES
 
Projeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educaçãoProjeto interdisciplinar arte e educação
Projeto interdisciplinar arte e educação
 

Semelhante a Projeto Interdisciplinar Partindo do Ensino da Matemática

A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008
A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008
A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008Nanci Rodrigues
 
Projeto seminário
Projeto seminárioProjeto seminário
Projeto seminárioClara Dias
 
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptx
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptxLABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptx
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptxBeatriceSalles
 
Monografia Ademiton Matemática 2010
Monografia Ademiton Matemática 2010Monografia Ademiton Matemática 2010
Monografia Ademiton Matemática 2010Biblioteca Campus VII
 
Aula questões dissertativas
Aula   questões dissertativasAula   questões dissertativas
Aula questões dissertativasEduardo Lopes
 
Monografia Antonio Costa Matemática 2010
Monografia Antonio Costa Matemática 2010Monografia Antonio Costa Matemática 2010
Monografia Antonio Costa Matemática 2010Biblioteca Campus VII
 
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...Anderson Oliveira
 
Fichas de trabalho Matematica do 5º.ano
Fichas de  trabalho Matematica do 5º.anoFichas de  trabalho Matematica do 5º.ano
Fichas de trabalho Matematica do 5º.anoMartaPinto89
 
Considerações sobre matemática camara e figueiredo
Considerações sobre matemática   camara e figueiredoConsiderações sobre matemática   camara e figueiredo
Considerações sobre matemática camara e figueiredoDouglas Barbosa
 
Conteudos de matematica ensino fundamen
Conteudos de matematica ensino fundamenConteudos de matematica ensino fundamen
Conteudos de matematica ensino fundamenFabiana Mocarzel
 
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS NOVIDADES EM MATEMÁ...
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS   NOVIDADES EM MATEMÁ...NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS   NOVIDADES EM MATEMÁ...
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS NOVIDADES EM MATEMÁ...LOCIMAR MASSALAI
 
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdf
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdfAprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdf
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdfPatrciaS19
 
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...ARIANECARLOS2
 
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIASBNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIASDeusirene Magalhaes
 
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Abraão Matos
 

Semelhante a Projeto Interdisciplinar Partindo do Ensino da Matemática (20)

10 macs convertido
10 macs convertido10 macs convertido
10 macs convertido
 
A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008
A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008
A Historia da Matemática e a Geometria na Educação de Jovens e Adultos/2008
 
Projeto seminário
Projeto seminárioProjeto seminário
Projeto seminário
 
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptx
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptxLABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptx
LABORATÓRIO DE MATEMÁTICA.pptx
 
Trabalho tanise 2014 2 semestre
Trabalho tanise 2014 2 semestreTrabalho tanise 2014 2 semestre
Trabalho tanise 2014 2 semestre
 
Monografia Ademiton Matemática 2010
Monografia Ademiton Matemática 2010Monografia Ademiton Matemática 2010
Monografia Ademiton Matemática 2010
 
Aula questões dissertativas
Aula   questões dissertativasAula   questões dissertativas
Aula questões dissertativas
 
Monografia Antonio Costa Matemática 2010
Monografia Antonio Costa Matemática 2010Monografia Antonio Costa Matemática 2010
Monografia Antonio Costa Matemática 2010
 
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...
CONTEXTUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO QUÍMICO: UMA ALTERNATIVA PARA PROMOVER MUDAN...
 
Prof20 blog
Prof20 blogProf20 blog
Prof20 blog
 
Prof20 blog
Prof20 blogProf20 blog
Prof20 blog
 
Fichas de trabalho Matematica do 5º.ano
Fichas de  trabalho Matematica do 5º.anoFichas de  trabalho Matematica do 5º.ano
Fichas de trabalho Matematica do 5º.ano
 
Considerações sobre matemática camara e figueiredo
Considerações sobre matemática   camara e figueiredoConsiderações sobre matemática   camara e figueiredo
Considerações sobre matemática camara e figueiredo
 
Conteudos de matematica ensino fundamen
Conteudos de matematica ensino fundamenConteudos de matematica ensino fundamen
Conteudos de matematica ensino fundamen
 
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS NOVIDADES EM MATEMÁ...
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS   NOVIDADES EM MATEMÁ...NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS   NOVIDADES EM MATEMÁ...
NOVOS TEMAS E REORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS SÃO AS PRINCIPAIS NOVIDADES EM MATEMÁ...
 
Aplicaoes ensino medio
Aplicaoes ensino medioAplicaoes ensino medio
Aplicaoes ensino medio
 
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdf
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdfAprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdf
AprendizEssenciaisMat_7a_2021-08-19.pdf
 
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...
Novos temas-e-reorganizacao-das-areas-sao-as-principais-novidades-em-matemati...
 
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIASBNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS
BNCC, BASE LEGAL, TECNOLOGIAS E METODOLOGIAS
 
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
 

Último

Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdfedjailmax
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 

Último (20)

Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 

Projeto Interdisciplinar Partindo do Ensino da Matemática

  • 1. Projeto InterdisciplinarMatemática / Artes / Geografia “Nós e o lixo que produzimos” Destinado ao 9º ano do Ensino Fundamental
  • 2. Esta proposta de projeto de ensino e aprendizagem tem por finalidade expandir o conhecimento do aluno de 9º ano sobre o lixo que produzimos no decorrer de nossas vidas. Trazendo como base o ensino de Matemática e interagindo com as disciplinas de Artes e Geografia, obtém-se uma nova visão de como lidamos com o meio ambiente juntamente com tudo que consumimos. Introdução:
  • 3. De acordo com a concepção de sustentabilidade disseminada no século XXl, é de suma importância convidar o aluno a ter um posicionamento crítico de idéias e atitudes sobre o assunto. O aluno necessita associar a quais reflexos estamos expostos vivendo em um mundo consumista e totalmente voltado para a economia de mercado. Justificativa:
  • 4. É inegável que nos últimos trinta anos o Brasil tem assistido a um intenso movimento de reformas curriculares para o ensino de matemática. Como nos diz Pires (200, p.35)*, referindo-se a essas reformas, [...] o homem parece começar a tomar consciência da iminência do desastre planetário, da explosão demográfica, da redução dos recursos naturais. Desse modo, novos paradigmas emergem e trazem, como consequência, desafios à educação e, em particular ao ensino de Matemática. Objetivos Gerais: * A Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental, pág 16 – Coleção Tendências em Educação Matemática
  • 5.
  • 6. A concepção de noções de estatística;
  • 7. A percepção de que a matemática é uma linguagem;
  • 8. Um esforço para embasar a proposta em estudos recentes de educação matemática;
  • 9.
  • 10. Ainda na LDB, em seu artigo 32, é afirmado que o ensino fundamental tem por objetivo a formação básica do cidadão, mediante: I – o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II – a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
  • 11.
  • 12.
  • 13. Sendo assim, a rede estadual de ensino de Minas Gerais definiu os Conteúdos Básicos Comuns (CBC) para os anos finais de ensino fundamental e para o ensino médio, o que constitui uma passo importante no sentido de tornar a rede de ensino num sistema de alto desempenho. Os CBC’s não esgotam todos os conteúdos a serem abordados na escola, mas expressam os aspectos fundamentais de cada disciplina, que não podem deixar de ser ensinados e que o aluno não pode deixar de aprender.
  • 14. O CBC trata o ensino de Matemática numa perspectiva de caráter dinâmico, em constante evolução. O educando precisa comunicar-se matematicamente, ou seja, descrever, representar e apresentar resultados, com precisão e argumentar sobre suas conjecturas, fazendo uso da linguagem oral e estabelecer relações entre ela e diferentes representações matemáticas. O objetivo é levar o aluno a raciocinar e expressar-se matematicamente, ou seja, reconhecer situações que podem ser descritas em linguagem matemática e ser capaz de aplicar métodos matemáticos para resolvê-las.
  • 15. Dessa forma, esse projeto apresenta uma proposta de ensino e aprendizagem em Matemática com uma intenção construtivista, ou seja, ele sugere a criação de um ambiente em que o aluno possa construir conceitos matemáticos. “Fazer é compreender, a aprendizagem é uma construção”. Jean Piaget
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. Identificar, reconhecer, indicar, apontar dentre diversos objetos, aquele que corresponde a um conceito ou a uma descrição, ou identificar uma descrição que corresponde a um conceito ou às características típicas de objetos da fala de diferentes tipos de texto, etc. Isto é interpretar e entender o objeto do conhecimento de acordo com a intencionalidade do tema proposto e a ação que o verbo exerce ao ser aplicado.
  • 21. No nível operacional encontram-se ações coordenadas que pressupõem o estabelecimento de relações entre os objetos; fazem parte deste nível os esquemas operatórios que se coordenam em estruturas reversíveis. Estas competências, que, em geral atingem o nível da compreensão e explicação, mas que o saber fazer supõem alguma tomada de consciência dos instrumentos e procedimentos utilizados possibilitando sua aplicação a outros contextos. Dentre as competências do Nível Operacional, podem-se distinguir: Classificar – Organizar (separando), objetos, fatos, fenômenos, acontecimentos e suas representações de acordo com o critério único incluindo as relações de transitividade; além de conservar algumas propriedades de objetos, figuras, etc.; quando o todo se modifica.
  • 22. No nível global encontram-se ações e operações mais complexas, que envolvem a aplicação de conhecimentos a situações diferentes e a resolução de problemas inéditos. Pertencem, geralmente, a Nível Global as seguintes competências: Analisar objetos, fatos, acontecimentos, situações, com base em princípios, padrões e valores. Além deste, alguns outros verbos como: Criticar, julgar, explicar causas e efeitos, proporcionam e auxiliam os alunos a criar, construir, fazer generalizações (construtivas e indutivas) fundamentando o seu aprendizado e desenvolvendo as competências necessárias.
  • 23. Eixo Temático: Tratamento de Dados Tema: Representação Gráfica Objetivos e Estratégias de Ensino em Matemática de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum
  • 24. Organização e Apresentação de um conjunto de dados em tabelas ou gráficos; Porcentagem. Tópicos:
  • 25. Fase: Mobilização Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar primeiramente o conteúdo de porcentagem, suas aplicações juntamente com problemas propostos; Relacionar como são solucionados os problemas que envolvem porcentagem; Revisar e associar esse conteúdo a interpretação dos gráficos demonstrativos. Apresentação do vídeo “A História das coisas”. Estudo dos conteúdos contidos no livro didático e outras fontes de pesquisa (jornais, revistas, etc). Aula expositiva baseada em dados anteriores. Quantidade de aulas: 02
  • 26. Fase: Elaboração Habilidade: Técnicas de Ensino: Classificar os gráficos e seus modelos, expondo-os de forma clara; Diferenciar cada um deles e suas aplicações; Criar cada gráfico de acordo com percentuais encontrados ou definidos; Esquematizar uma apresentação final dos dados encontrados. Estudo dirigido com análises de gráficos em livros didáticos e outros; Atividade em grupo, montagem do gráfico Individual de acordo com pesquisa do grupo. Debate em mesa redonda com análise dos resultados. Quantidade de aulas: 02
  • 27. Fase: Expressão Habilidade: Técnicas de Ensino: Apresentar os dados de acordo com sua realidade e através disso criar um gráfico, juntamente com os problemas propostos. Seminário com demonstração de cada gráfico com comentário conclusivo de acordo com sua pesquisa. Quantidade de aulas: 02
  • 28. Objetivo:Interpretar e transmitir informações por meio de gráficos; utilizando a escala para dar precisão. Conteúdo: Gráfico de Barras Material Necessário: Dados coletados a partir da exibição do vídeo, texto da revista Nova Escola “Sinal de Alerta” contextualizados com jornais, revistas e livros que tratem do assunto proposto. Desenvolvimento: Após a pesquisa e análise dos dados coletados, os alunos poderão ser divididos em grupos, ficando cada grupo com diversos tipos de gráficos: Introdução ao Estudo de Gráficos Linhas:
  • 29. Pizza: Barras: Certifique-se de que os gráficos tratem do assunto proposto, dos índices de produção de lixo, Índices de materiais recicláveis, e também os que classificam o nosso padrão de consumo.
  • 30.
  • 31. Qual deles vocês julgam mais fácil de ler?
  • 32. Por quê?Peça que registrem as informações no caderno e, em seguida, abra a discussão sobre as características e a adequação de cada formato à informações nele contidas. Peça que os alunos elejam o formato que lhes parece mais fácil.
  • 33. Selecione alguns gráficos para uma análise detalhada. Procure representações que tragam diferentes escalas e intervalos - um gráfico pode ter uma escala de zero a dez e marcações de dois e dois, outro pode variar de zero a cem, com intervalos de dez em dez, e assim por diante. Comece perguntando: 1)Quais são as principais informações apresentadas? 2)O que mostra cada gráfico? 3)Do que se trata? Explique aos alunos que, na hora de criar um gráfico, é preciso pensar em uma escala em que caibam todas as informações que queremos. Se os dados que vamos inserir variam de zero a dez, o gráfico deve ter, pelo menos, uma escala com esses valores.
  • 34. Partindo da explicação direcionada contextualizada com os dados do tema proposto, “Nós e o Lixo que produzimos”, os alunos sentirão seguros a elaborar seu próprio gráfico onde expressarão os resultados obtidos. Para isso é importantíssimo que as explicações e informações sejam sempre retomadas e acompanhadas pelo professor. O fechamento se dará no Seminário proposto aqui anteriormente, na fase de expressão.
  • 35. Objetivos e Estratégias de Ensino em Artes de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum Eixo Temático: Conhecimento e Expressão em Artes Visuais Tema: Percepção Visual e Sensibilidade Estética
  • 36. Análise e Crítica de Obras de Arte Tópico: Vik Muniz – Artista Plástico
  • 37. Fase: Mobilização Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar os elementos de composição de obras de artes visuais: Apresentação do artista Vik Muniz, apreciação da obra; Reflexão sobre os objetos que consumimos e seus respectivos resíduos, os recicláveis e os não recicláveis; Identificação do lixo na obra de Vik Muniz. Reconhecer o lixo como matéria prima de uma forma de expressão. Aula expositiva Leitura de Imagens Problematização oral Quantidade de aulas: 01
  • 38. Fase: Elaboração Habilidade: Técnicas de Ensino: Estabelecer relações entre análise formal, contextualização, pensamento artístico e identidade pessoal: Problematização: Por que Vik Muniz utilizou o lixo como matéria prima para o seu trabalho; Exibição do Filme-documentário: “Lixo Extraordinário”; Discussão da sinopse e idéia central do filme; Produção de texto individual baseado no filme; Contextualização oral das imagens apresentadas na aula anterior; Exibição do filme “Lixo Extraordinário”; Produção textual; Reflexão dos textos escritos contextualizados com o filme. Quantidade de aulas: 03
  • 39. Fase: Expressão Habilidade: Técnicas de Ensino: Saber posicionar-se individualmente em relação às produções de artes visuais, sendo capaz de formular críticas fundamentais: Esboço de um projeto de criação, acompanhado pelo professor: organização de idéias e materiais. Produzir, em casa, um objeto de arte como elemento de comunicação e/ou denúncia utilizando materiais recicláveis podendo ser bidimensional ou tridimensional, respeitando os seguintes contextos: 1- O que quero comunicar? 2-Estou utilizando o material adequado? 3-Abordagem crítica do filme, obra de Vik Muniz e o lixo que produzimos. Elaboração do esboço e projeto de criação do objeto de arte, individual com acompanhamento do professor; Exposição contextualizada dos objetos produzidos. Quantidade de aulas: 02
  • 40. Filmado ao longo de dois anos (agosto de 2007 a maio de 2009), Lixo Extraordinário acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro. Lá, ele fotografa um grupo de catadores de materiais recicláveis, com o objetivo inicial de retratá-los. No entanto, o trabalho com esses personagens revela a dignidade e o desespero que enfrentam quando sugeridos a reimaginar suas vidas fora daquele ambiente. A equipe tem acesso a todo o processo e, no final, revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano. Sinopse do Filme “Lixo Extraordinário”:
  • 41. Quando viu seu retrato assinado pelo artista plástico Vik Muniz ser vendido por 34,8 mil (R$ 92 mil) num leilão em Londres, em 2009, o catador de lixo Sebastião Carlos dos Santos, o Tião, perguntou-se quando terminaria sua vida de Cinderela.Tião ganhou uma prorrogação da fama, com a indicação ao Oscar de "Lixo Extraordinário", documentário sobre a obra de Vik Muniz do qual participa.Tião é um dos catadores do Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, tema de uma série de fotografias de Muniz que estão hoje entre as mais valorizadas em sua carreira."Lixo Extraordinário", filmado enquanto Muniz produzia suas fotos, põe em perspectiva a trajetória do artista paulistano pobre, filho de retirantes nordestinos, que acabou se radicando em Nova York e virou estrela da arte contemporânea.
  • 42. Tião posa para foto que dará origem a uma das obras do artista brasileiro Vik Muniz – Ao fundo, o Aterro Sanitário de Gramacho.
  • 43. Vik Muniz retratou o catador de lixo “Tião” utilizando materiais encontrados no aterro sanitário de Gramacho. A obra é uma releitura contemporânea da obra “A morte de Marat” de Jacques-Lous David, de 1793.
  • 44. Objetivos e Estratégias de Ensino em Geografia de acordo com o CBC – Currículo Básico Comum Eixo Temático: Ambiente, Tecnologia e Sustentabilidade
  • 45. Padrão de Produção e Consumo Tópico:
  • 46. Fase: Mobilização Habilidade: Técnicas de Ensino: Identificar os padrões de produção e consumo em diversas dimensões escalares, avaliando-os sob a ótica da sustentabilidade; Partir do local, regional para entender o global. Apresentação do tema através do vídeo “A História das coisas”; Exposição do conteúdo didático a fim de buscar a motivação e sensibilização do educando. Sugestão ao professor: Assistir ao vídeo do Prof. Dr. Marcos Francisco Martins, onde ele faz uma leitura pessoal sobre o filme “ A História das coisas”. Quantidade de aulas: 01
  • 47. Fase: Elaboração Habilidade: Técnicas de Ensino: Explicar a relação entre padrão de consumo, desequilíbrios dos ecossistemas terrestres e problemas ambientais contemporâneos; O padrão de desenvolvimento adotado pelos países ricos serviram de modelo para os países emergentes e em desenvolvimento (conhecer as causas e conseqüências). Organizar as idéias dos alunos conforme seus conhecimentos prévios atrelados as informações fornecidas pelo vídeo; Contextualizar os conhecimentos com o texto: “Sinal de Alerta”. Quantidade de aulas: 02
  • 48. Fase: Expressão Habilidade: Técnicas de Ensino: Reconhecer padrões de produção e de consumo que têm tido como modelo um estilo poluidor e consumista. Elaborar trabalhos com os alunos para expor o aprendizado (Proposta: Apresentação de trabalho em grupo). Quantidade de aulas: 03
  • 49. Texto “Sinal de Alerta” retirado da Revista Nova Escola, edição especial nº 31, editora abril, de Maio de 2010.
  • 50.
  • 51.
  • 52.
  • 53. Através deste trabalho, espera-se que o aluno possa se voltar, para uma nova concepção de sua própria realidade. Quando nos referimos ao “Lixo que produzimos” e tomamos como ponto de partida os dados coletados do filme “A História das Coisas” o que podemos perceber claramente é que existe uma conexão entre o que é necessário e “por quê” é necessário, onde parte de tudo o que compramos torna-se sem precisão em pouco espaço de tempo. Portanto, é preciso que através de novas intervenções o aluno possa de fato contextualizar-se com o tema proposto. Juntamente com o projeto interdisciplinar, visa-se o enriquecimento da aprendizagem, concluindo que através de uma metodologia de ensino diferenciada é necessário que haja interação por áreas afins ao tema explorado. Conclusão:
  • 54. A busca por novos resultados, onde o aluno desenvolve suas competências cognitivas e os níveis de ensino, sendo básico, operacional e global, torna o conceito de ensino mais amplo. Dessa forma, quando nos apropriamos de outras disciplinas, trazemos uma nova maneira de não estar limitando um conteúdo a somente uma determinada área. Associa-se um conceito a outro, pretendendo assim a aquisição de um conhecimento articulado, ou seja, cada disciplina traz uma contribuição para um aprendizado geral, mais eficaz e mais próximo da realidade. O professor mediador tem o papel central em todo este processo, pois é o responsável por criar um “ambiente motivador e estimulante em que a aula deve transcorrer”*, ao nosso ver, seria o “ambiente da aprendizagem”*. * A Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental – Coleção Tendências em Educação Matemática
  • 55. Karla Rodrigues Valadão Professora de Matemática Licenciatura Plena em Matemática, em 2009, pela FAVALE-UEMG, Carangola / MG. Pós-Graduada em Gestão Integrada, em 2011, pela CESAP, Vitória / ES. Fabíola Garcia de Oliveira Arte-Educadora Licenciatura Plena em Educação Artística, em 2004, pelo UBM - Centro Universitário de Barra Mansa / RJ. Pós-Graduada em Ensino de Arte, Estética Moderna e Contemporânea, em 2007, pelo UBM – Centro Universitário de Barra Mansa / RJ. Natrícia Rocha Soares Professora de Geografia Licenciatura Plena em Geografia em 2007, pela FAVALE-UEMG, Carangola / MG. Elaboradoras deste Projeto:
  • 56. Lei 9394/96, Diretrizes e Bases da Educação Nacional. PCN’s – Parâmetros Curriculares Nacionais CBC – Currículo Básico Comum – Disciplina: Matemática – SEE/MG CBC – Currículo Básico Comum – Disciplina: Artes – SEE/MG CBC – Currículo Básico Comum – Disciplina: Geografia – SEE/MG Nacarato, Adair. Mengali, Brenda. Passos, Cármen Lúcia. A Matemática nos anos iniciais do ensino fundamental – Tecendo fios de ensinar e do aprender. FNDE, 2010. Mirian Celeste, GisaPicosque e M. Terezinha Telles, Didática do Ensino de Arte; Proença, Graça. História da Arte. Editora Ática; 2006. Revista Nova Escola, edição especial nº 31, editora abril, de Maio de 2010. Haidt, Regina Célia, Curso de Didática Geral, Série Educação. Editora Ática. Matrizes Curriculares de Referência – SAEB – 2ª edição, 1999. Referências Bibliográficas: