SlideShare uma empresa Scribd logo
ABCdaAgriculturaFamiliar
Como cultivar
a bananeira
Como cultivar
a bananeira
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Embrapa Informação Tecnológica
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Embrapa Informação Tecnológica
Brasília, DF
2006
Como cultivar a bananeira. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2006.
22 p. : il. – (ABC da Agricultura Familiar, 6).
Compilação e edição, CW Produções Ltda.
ISBN 85-7383-343-2
1. Adubação. 2. Banana. 3. Doença. 4. Plantio. 5. Praga.
Todos os direitos reservados.
A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em
parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei no. 9.610).
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP
Embrapa Informação Tecnológica
CDD 634.772
Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na:
Embrapa Informação Tecnológica
Parque Estação Biológica (PqEB), Av. W3 Norte (final)
CEP 70770-901 Brasília, DF
Fone: (61) 3340-9999
Fax: (61) 3340-2753
vendas@sct.embrapa.br
www.sct.embrapa.br
Coordenação geral
Fernando do Amaral Pereira
Coordenação editorial
Lillian Alvares
Lucilene Maria de Andrade
Compilação e edição
CW Produções Ltda.
Revisão técnica
Marisa de Goes
Revisão de texto
Wesley José da Rocha
1ª edição
1ª impressão (2006): 1.000 exemplares
Editoração eletrônica
Mário César Moura de Aguiar
Capa
Carlos Eduardo Felice Barbeiro
Ilustração da capa
CW Produções Ltda.
(Eloi Neves Gameleira
Paulo Sérgio Soares)
©Embrapa2006
Apresentação
Empenhada em auxiliar o pequeno produtor, a
Embrapa lança o ABC da Agricultura Familiar, que
oferece valiosas instruções sobre o trabalho no campo.
Elaboradas em linguagem simples e objetiva,
as publicações abordam temas relacionados à
agropecuária e mostram como otimizar a atividade
rural. A criação de animais, técnicas de plantio,
práticas de controle de pragas e doenças, adubação
alternativa e fabricação de conservas de frutas são
alguns dos assuntos tratados.
De forma independente ou reunidas em
associações, as famílias poderão beneficiar-se
dessas informações e, com isso, diminuir custos,
aumentar a produção de alimentos, criar outras fontes
de renda e agregar valor a seus produtos.
Assim, a Embrapa cumpre o propósito adicional
de ajudar a fixar o homem no campo, pois coloca a
pesquisa a seu alcance e oferece alternativas de
melhoria na qualidade de vida.
Fernando do Amaral Pereira
Gerente-Geral
Embrapa InformaçãoTecnológica
Sumário
Preparo do solo......................................... 7
Adubação ................................................. 8
Como conseguir boas mudas.................. 11
Como preparar e plantar a muda
tipo batata ............................................... 12
Como cuidar do bananal ......................... 13
Doenças e pragas................................... 15
Colheita .................................................. 19
Medidas práticas de comprimento,
largura e altura ........................................ 20
6
7
Preparo do solo
A bananeira exige que a terra seja bem
preparada para que suas raízes se
desenvolvam bem e para que a planta possa
retirar dela a água e os nutrientes para seu
sustento.
Faça as covas com dois palmos de boca
por três palmos de profundidade, deixando
detrêsaquatropassosdedistânciaentreuma
planta e outra.
Terra de cima Terra de baixo
1,5 palmo
1,5 palmo
CWProduçõesLtda.
(PauloCésarRocha)
8
• Coloque a terra de cima, misturada
com adubo, no fundo da cova. Isso é
muito importante, pois assim a melhor
terra ficará em contato com as raízes.
• Use a terra de baixo para fazer uma
“bacia” em volta da cova, o que serve
para juntar água.
Adubação
É importante adubar as bananeiras para
que elas se desenvolvam e produzam bons
frutos.
O uso de adubos químicos deve ser
praticado somente depois dos resultados da
análise química da terra, pois o resultado
mostrará quais os nutrientes que existem no
solo e em que quantidades; indicará, também,
se existe necessidade de correção da acidez.
Peça a orientação de um técnico da
Emater, da Embrapa, da prefeitura ou de
alguma organização que preste assistência
aos agricultores.
9
Adubação da cova
Estercos
Na cova de plantio, utilize 10 litros de
esterco de curral (pode ser de vaca, de bode
oudecarneiro)bemcurtido,misturando-ocom
a primeira metade da terra retirada da cova.
Se utilizar esterco de aves, use no máximo
cinco litros de esterco bem curtido por cova.
Cinzas
As cinzas podem ser usadas para
corrigir a acidez da terra, substituindo o
calcário. Podem ser de olaria, de padaria, de
carvoaria e até mesmo do fogão de sua casa.
Além de corrigir a acidez, elas são um bom
alimento para as bananeiras, ajudando no
desenvolvimento e na produção de melhores
cachos. Pode ser utilizado até um quilo de
cinzas por planta.
Farinha de ossos
A farinha de ossos queimados aplicada
no plantio é uma alternativa barata e eficiente
10
para complementar da adubação da bana-
neira. Use meio quilo por planta, misturando
bem com aquela primeira metade da terra
retirada da cova. Molhe por 15 dias antes do
plantio e, só depois, coloque o esterco e a
cinza. Molhe por mais três dias e então plante.
Adubação verde e proteção do solo
Algumas plantas leguminosas como
feijão-de-porco, guandu, feijão-caupi (feijão-
de-corda ou feijão-de-macáçar) e mucuna
podem ser utilizadas para melhorar as áreas
de plantio. Elas produzem grande quantidade
de folhas, que podem ser misturadas à terra,
com o uso de um arado, para melhorar as
condições do cultivo, ou podem ser utilizadas
como cobertura de proteção para o solo.
Como cobertura, elas mantêm o solo molhado
por mais tempo e fornecem matéria orgânica,
que contém nitrogênio e outros alimentos
indispensáveis.
11
Como conseguir
boas mudas
Você deve adquirir mudas sadias, sem
sintomas de doenças, obtidas de moitas
vigorosas.
Os tipos de mudas mais utilizadas são:
• Chifrinho (até dois palmos de altura).
• Chifre (de dois a três palmos).
• Chifrão (com mais de três palmos).
• Muda tipo “rizoma”, ou batata da
bananeira, tirada de plantas adultas
que ainda não produziram cacho.
Esse tipo é o mais utilizado. FranciscoRicardoFerreira
CWProduçõesLtda.
(MarceloB.Lima)
12
Como preparar e plantar
a muda tipo batata
Com uma faca, limpe bem a batata da
bananeira, cortando todas as raízes e
eliminando a terra grudada. Com a muda
limpa, observe se há manchas escuras na
batata. Se houver, retire a parte contaminada,
mas o ideal é descartar a muda, porque essas
manchas podem significar a presença de
doenças ou pragas.
No plantio, coloque a muda dentro da
cova, já com aquela primeira metade da terra
retiradaemisturadacomosadubos;centralize
e acomode bem a muda no fundo da cova.
Em seguida, cubra todo o rizoma com a
segunda metade da terra. Firme bem a muda
e, com os pés, pressione a terra em volta dela
paraevitarburacosvaziosjuntoàsraízes.Isso
não deixa acumular água das chuvas, o que
apodreceria as raízes, resultando na perda
da muda.
13
O plantio deve coincidir com o início das
chuvas, para que as plantinhas possam
desfrutar da água disponível durante todo o
período chuvoso.
Cuidados com as mudas no campo
De quatro a seis meses após o plantio,
começa o perfilhamento da bananeira, isto é,
surgem os primeiros filhos ou rebentos,
formando uma família. Você deve escolher
um ou dois filhos para formar a touceira,
eliminandoosdemaiscommuitocuidadopara
não ferir a planta mãe.
É aconselhável molhar as mudas pelo
menos três vezes por semana. Assim, elas
crescerão mais rapidamente e se tornarão
plantas vigorosas e produtivas.
Como cuidar do bananal
É preciso molhar as bananeiras, limpar
o mato em volta delas, eliminar o excesso de
filhos, eliminar as folhas doentes, secas e
quebradas, e escorar as plantas de porte alto.
14
Com a enxada, faça uma limpeza em
volta da bananeira. Se o mato crescer junto
da planta, ele vai usar a água e os adubos
colocados para a bananeira.
Nas linhas de plantio, o mato deve ser
roçado e espalhado por todo o bananal,
formandoumacoberturaqueprotegeráaterra
das ações do vento, das chuvas, de
enxurradas e do sol forte. Além disso, a
cobertura deixará a área úmida por mais
tempo.
Uma touceira de bananeiras deve ser
conduzida com uma planta mãe, uma planta
filha e outra planta neta (filha da filha da planta
mãe). Pode ser uma touceira com uma planta
mãe e dois seguidores, filhos da planta mãe.
Escolha a forma de conduzir seu
bananal e elimine o excesso de filhotes.
Corte em pequenos pedaços as plantas
já colhidas, folhas secas e quebradas e todo
o resto da planta. Espalhe no bananal sem
deixar amontoar no pé da planta, para não
atrapalhar na ocasião da adubação. Os restos
15
da cultura podem formar cobertura de matéria
orgânica, que ajuda a manter por mais tempo
a umidade dentro do bananal, além de se
transformar em adubos que serão utilizados
pelas plantas.
A bananeira apresenta uma inclinação
para o lado da saída do cacho, podendo
chegar ao tombamento pela ação dos ventos
fortes associada a seu peso, principalmente
quando o porte da planta é alto. Quando
necessário, coloque uma ou mais escoras.
Doenças e pragas
As bananeiras podem ser atacadas por
doenças e por pragas. Para evitar sua
ocorrência, recomenda-se:
• Usar mudas sadias (que não
apresentem sinais de doenças).
• Se for possível, escolher variedades
mais adequadas ao Semi-Árido
(Pacovan, Prata Comum, D’Angola,
Pacovan Ken e Preciosa).
16
• Usar mudas resistentes ou tolerantes
às doenças.
• Evitarplantaremlocaisonde,emanos
anteriores, ocorreram doenças e
pragas.
• Destruir ou queimar os restos de
cultura.
Algumas pragas são controladas pelos
inimigos naturais e outras podem ser
combatidas com inseticidas caseiros e com o
uso de iscas.
Aseguir, você encontrará uma indicação
das principais pragas e doenças.
Doenças
Sigatoca-amarela e sigatoca-negra
Causam manchas nas folhas, que
morrem precocemente por causa da necrose
no tecido. O controle mais eficiente é a
utilização de variedades resistentes ou
tolerantes. Outras formas de controle são o
17
combate às plantas daninhas, a eliminação
das folhas doentes e plantios em áreas
sombreadas, isto é, onde as bananeiras
recebem sombreamento de outras plantas.
Mal-do-panamá
Ataca a planta toda. Provoca amarele-
cimento das folhas mais velhas para as mais
novas, que depois murcham, secam e se
quebram junto do tronco, dando à planta uma
aparência de guarda-chuva fechado. Evite
usar mudas contaminadas. Evite também
plantar em áreas onde a doença já ocorreu.
Doenças provocadas por vírus
Evite mudas de plantas contaminadas.
Pragas
Aprincipalpragadabananeiraéabroca,
também conhecida como moleque-da-
bananeira.
18
É um besouro preto que tem um bico
longo. É na fase de larva, antes de se
transformar em besouro, que ele causa
prejuízo, brocando o rizoma da bananeira.
Antes do plantio, você deve fazer uma
limpeza das raízes, eliminando as partes
brocadas, os ovos e as larvas que forem
encontrados. Porém, o melhor é usar mudas
que não estejam atacadas.
Uma forma de controlar a broca é pelo
uso de iscas: corte pedaços de dois palmos
de comprimento de troncos de bananeira que
CWProduçõesLtda.(NiltonSanches)
19
já deram cacho (no máximo 15 dias após a
colheita); divida-os ao meio, dando-lhes a
forma de “telha” ou a de “queijo”, e coloque-
os ao lado das touceiras. Examine as iscas a
cada duas semanas, catando e destruindo os
insetos presentes.As iscas com mais de duas
semanas devem ser destruídas.
Quando achar que as plantas estão
doentes ou que alguma praga está atacando
as bananeiras, a melhor providência é
procurar ajuda de um vizinho que já enfrentou
o problema ou procurar um técnico. Assim,
você saberá que solução adotar.
Colheita
A colheita é feita cortando o cacho
quando os frutos estão de vez. É importante
não amontoar os cachos ou as pencas uns
sobre os outros, para que não fiquem
machucados ou manchados pela nódoa que
escorre das partes feridas.
20
Medidas práticas de
comprimento, largura
e altura
• Um palmo = 22 centímetros.
• Um passo = 75 centímetros a um
metro.
Documento principal para a elaboração deste
texto: CULTURA da banana. Brasília, DF:
Embrapa – SPI, 1998 (coleção plantar).
21
Atenção!
Para mais informações e esclarecimentos,
procure um técnico da extensão rural, da
Embrapa, da prefeitura ou de alguma
organização de assistência aos agricultores.
22
Forme uma associação
com seus vizinhos
Quando você se associa com outros
membros de sua comunidade, as vantagens
são muitas, pois:
• Fica mais fácil procurar as autoridades
e pedir apoio para os projetos.
• Os associados podem comprar
máquinas e aparelhos em conjunto.
• Fica mais fácil obter crédito.
• Juntos, os associados podem vender
melhor sua produção.
• Os associados podem organizar
mutirões.
A união faz a força!
23
Títulos lançados
• Como organizar uma associação
• Como plantar abacaxi
• Como plantar hortaliças
• Controle alternativo de pragas
e doenças das plantas
• Caupi: o feijão do Sertão
• Como cultivar a bananeira
• Adubação alternativa
• Cultivo de peixes
• Como produzir melancia
• Alimentação das criações na seca
• Conservas caseiras de frutas
Impressão e acabamento
Embrapa Informação Tecnológica
Informação Tecnológica
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
CGPE:5846
ISBN85-7383-343-2
Com o lançamento do ,
a Embrapa coloca à disposição do pequeno produtor
valiosas instruções sobre as atividades do campo.
Numa linguagem simples e objetiva, os títulos abordam
a criação de animais, técnicas de plantio, práticas
de controle de pragas e doenças, adubação alternativa
e fabricação de conservas de frutas, dentre outros
assuntos que exemplificam como otimizar o trabalho rural.
Inicialmente produzidas para atender demandas por
informação do Semi-Árido nordestino, as recomendações
apresentadas são de aplicabilidade prática também
em outras regiões do País.
Com o a Embrapa
demonstra o compromisso assumido com
o sucesso da agricultura familiar.
ABC da Agricultura Familiar
ABC da Agricultura Familiar,
9788573833430

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na secaABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na seca
Lenildo Araujo
 
ABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativaABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativa
Lenildo Araujo
 
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado MineiroManual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
Revista Cafeicultura
 
ABC Criação de bovinos de leite no semiarido
ABC Criação de bovinos de leite no semiaridoABC Criação de bovinos de leite no semiarido
ABC Criação de bovinos de leite no semiarido
Lenildo Araujo
 
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
Vida Agroecologia - Agricultura do Futuro
 
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioiTecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
Revista Cafeicultura
 
Situação atual do controle da broca do café julio césar de souza – pesquisad...
Situação atual do controle da broca do café  julio césar de souza – pesquisad...Situação atual do controle da broca do café  julio césar de souza – pesquisad...
Situação atual do controle da broca do café julio césar de souza – pesquisad...
Manejo Da Lavoura Cafeeira
 
Apostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferasApostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferas
Lenildo Araujo
 
ABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melanciaABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melancia
Lenildo Araujo
 
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Revista Cafeicultura
 
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - EcovidaCartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Maria Rê
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
Lenildo Araujo
 
Controle alternativo de pragas e doenças nas plantas
Controle alternativo de pragas e doenças nas  plantasControle alternativo de pragas e doenças nas  plantas
Controle alternativo de pragas e doenças nas plantas
João Siqueira da Mata
 
ABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliçasABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliças
Lenildo Araujo
 
Cultura da Mandioca
Cultura da MandiocaCultura da Mandioca
Cultura da Mandioca
João Felix
 
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na SecaManual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Sérgio Amaral
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula.
CETEP, FTC, FASA..
 

Mais procurados (17)

ABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na secaABC Alimentação das criações na seca
ABC Alimentação das criações na seca
 
ABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativaABC Adubação alternativa
ABC Adubação alternativa
 
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado MineiroManual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
Manual combate broca-do-café na Região do Cerrado Mineiro
 
ABC Criação de bovinos de leite no semiarido
ABC Criação de bovinos de leite no semiaridoABC Criação de bovinos de leite no semiarido
ABC Criação de bovinos de leite no semiarido
 
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
5 beneficios do uso de adubos verdes na agricultura organica
 
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioiTecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
Tecnologias para Produção de Mudas de Café - Emivaldo Pioi Fenicafé 2015 - pioi
 
Situação atual do controle da broca do café julio césar de souza – pesquisad...
Situação atual do controle da broca do café  julio césar de souza – pesquisad...Situação atual do controle da broca do café  julio césar de souza – pesquisad...
Situação atual do controle da broca do café julio césar de souza – pesquisad...
 
Apostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferasApostila propagacao de arvores frutiferas
Apostila propagacao de arvores frutiferas
 
ABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melanciaABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melancia
 
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
Palestra CAFEICULTOR: SAIBA COMO CONVIVER COM A BROCA-DO-CAFÉ SEM O INSETICID...
 
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - EcovidaCartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
Cartilha de Agricultura Ecológica - Ecovida
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
 
Controle alternativo de pragas e doenças nas plantas
Controle alternativo de pragas e doenças nas  plantasControle alternativo de pragas e doenças nas  plantas
Controle alternativo de pragas e doenças nas plantas
 
ABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliçasABC Como plantar hortaliças
ABC Como plantar hortaliças
 
Cultura da Mandioca
Cultura da MandiocaCultura da Mandioca
Cultura da Mandioca
 
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na SecaManual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
Manual de Criação de Caprinos e Ovinos na Seca
 
Cultivo de bananeiras notas de aula.
Cultivo de bananeiras   notas de aula. Cultivo de bananeiras   notas de aula.
Cultivo de bananeiras notas de aula.
 

Semelhante a Abc bananeira

Abc abacaxi
Abc abacaxiAbc abacaxi
Abc abacaxi
pauloweimann
 
Abc melancia
Abc melanciaAbc melancia
Abc melancia
pauloweimann
 
Abc caju
Abc cajuAbc caju
Abc caju
pauloweimann
 
Abc hortaliças
Abc hortaliçasAbc hortaliças
Abc hortaliças
pauloweimann
 
Apostila Embrapa Como plantar hortaliça
Apostila Embrapa Como plantar hortaliçaApostila Embrapa Como plantar hortaliça
Apostila Embrapa Como plantar hortaliça
Evelyn Golin
 
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp0221438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
Ronildo Barros Pereira
 
Abc umbuzeiro
Abc umbuzeiroAbc umbuzeiro
Abc umbuzeiro
pauloweimann
 
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno PorteComo Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
João Siqueira da Mata
 
Horta organica
Horta organicaHorta organica
Horta organica
Lindon Johnsons Lemos
 
Pragas em-hortas
Pragas em-hortasPragas em-hortas
Pragas em-hortas
IPVC.ESTG
 
Abc controle de pragas
Abc controle de pragasAbc controle de pragas
Abc controle de pragas
pauloweimann
 
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantasABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
Lenildo Araujo
 
Folha 319 mais uniformidade na formação do cafezal
Folha 319   mais uniformidade na formação do cafezalFolha 319   mais uniformidade na formação do cafezal
Folha 319 mais uniformidade na formação do cafezal
Gabriela Rodrigues
 
82. como fazer uma horta em casa
82. como fazer uma horta em casa82. como fazer uma horta em casa
82. como fazer uma horta em casa
Patty Melo
 
Abc guandu petrolina
Abc guandu petrolinaAbc guandu petrolina
Abc guandu petrolina
pauloweimann
 
Abc adubação alternativa
Abc adubação alternativaAbc adubação alternativa
Abc adubação alternativa
pauloweimann
 
abc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solosabc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solos
Leonardo Martins Santana
 
Abc feijão caupi
Abc feijão caupiAbc feijão caupi
Abc feijão caupi
pauloweimann
 
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da culturaCultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Rural Pecuária
 
Cartilhaeucaliptoneo
CartilhaeucaliptoneoCartilhaeucaliptoneo
Cartilhaeucaliptoneo
Desireé Alvarez
 

Semelhante a Abc bananeira (20)

Abc abacaxi
Abc abacaxiAbc abacaxi
Abc abacaxi
 
Abc melancia
Abc melanciaAbc melancia
Abc melancia
 
Abc caju
Abc cajuAbc caju
Abc caju
 
Abc hortaliças
Abc hortaliçasAbc hortaliças
Abc hortaliças
 
Apostila Embrapa Como plantar hortaliça
Apostila Embrapa Como plantar hortaliçaApostila Embrapa Como plantar hortaliça
Apostila Embrapa Como plantar hortaliça
 
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp0221438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
21438184 como-plantar-hortalicas-131211194443-phpapp02
 
Abc umbuzeiro
Abc umbuzeiroAbc umbuzeiro
Abc umbuzeiro
 
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno PorteComo Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
Como Implantar e Conduzir uma Horta de Pequeno Porte
 
Horta organica
Horta organicaHorta organica
Horta organica
 
Pragas em-hortas
Pragas em-hortasPragas em-hortas
Pragas em-hortas
 
Abc controle de pragas
Abc controle de pragasAbc controle de pragas
Abc controle de pragas
 
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantasABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
ABC Controle alternativo de pragas e doenças das plantas
 
Folha 319 mais uniformidade na formação do cafezal
Folha 319   mais uniformidade na formação do cafezalFolha 319   mais uniformidade na formação do cafezal
Folha 319 mais uniformidade na formação do cafezal
 
82. como fazer uma horta em casa
82. como fazer uma horta em casa82. como fazer uma horta em casa
82. como fazer uma horta em casa
 
Abc guandu petrolina
Abc guandu petrolinaAbc guandu petrolina
Abc guandu petrolina
 
Abc adubação alternativa
Abc adubação alternativaAbc adubação alternativa
Abc adubação alternativa
 
abc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solosabc da agricultura familiar - solos
abc da agricultura familiar - solos
 
Abc feijão caupi
Abc feijão caupiAbc feijão caupi
Abc feijão caupi
 
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da culturaCultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
 
Cartilhaeucaliptoneo
CartilhaeucaliptoneoCartilhaeucaliptoneo
Cartilhaeucaliptoneo
 

Mais de pauloweimann

Mais e mais receitas
Mais e mais receitasMais e mais receitas
Mais e mais receitas
pauloweimann
 
Receitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outrasReceitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outras
pauloweimann
 
900 piadas
900 piadas900 piadas
900 piadas
pauloweimann
 
Rexetas
RexetasRexetas
Rexetas
pauloweimann
 
Muitas receitas
Muitas receitasMuitas receitas
Muitas receitas
pauloweimann
 
Ataque e defesa astral
Ataque e defesa astralAtaque e defesa astral
Ataque e defesa astral
pauloweimann
 
As ervas de a a z
As ervas de a a zAs ervas de a a z
As ervas de a a z
pauloweimann
 
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afinsApocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
pauloweimann
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
pauloweimann
 
A arca perdida da alianca tudor parfitt
A arca perdida da alianca   tudor parfittA arca perdida da alianca   tudor parfitt
A arca perdida da alianca tudor parfitt
pauloweimann
 
A abobada energetica k. h. scheer
A abobada energetica   k. h. scheerA abobada energetica   k. h. scheer
A abobada energetica k. h. scheer
pauloweimann
 
666 o limiar do inferno - jay anson
666   o limiar do inferno - jay anson666   o limiar do inferno - jay anson
666 o limiar do inferno - jay anson
pauloweimann
 
50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios
pauloweimann
 
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
pauloweimann
 
Receltas
ReceltasReceltas
Receltas
pauloweimann
 
Receituxas
ReceituxasReceituxas
Receituxas
pauloweimann
 
Receituxas variadas
Receituxas variadasReceituxas variadas
Receituxas variadas
pauloweimann
 
Receitouxas
ReceitouxasReceitouxas
Receitouxas
pauloweimann
 
Receitoukas
ReceitoukasReceitoukas
Receitoukas
pauloweimann
 
Receitolas
ReceitolasReceitolas
Receitolas
pauloweimann
 

Mais de pauloweimann (20)

Mais e mais receitas
Mais e mais receitasMais e mais receitas
Mais e mais receitas
 
Receitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outrasReceitobas sorvetes e outras
Receitobas sorvetes e outras
 
900 piadas
900 piadas900 piadas
900 piadas
 
Rexetas
RexetasRexetas
Rexetas
 
Muitas receitas
Muitas receitasMuitas receitas
Muitas receitas
 
Ataque e defesa astral
Ataque e defesa astralAtaque e defesa astral
Ataque e defesa astral
 
As ervas de a a z
As ervas de a a zAs ervas de a a z
As ervas de a a z
 
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afinsApocalipse para mosquitos moscas e afins
Apocalipse para mosquitos moscas e afins
 
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychauxAcessando o hemisfério direito do cérebro   lidia peychaux
Acessando o hemisfério direito do cérebro lidia peychaux
 
A arca perdida da alianca tudor parfitt
A arca perdida da alianca   tudor parfittA arca perdida da alianca   tudor parfitt
A arca perdida da alianca tudor parfitt
 
A abobada energetica k. h. scheer
A abobada energetica   k. h. scheerA abobada energetica   k. h. scheer
A abobada energetica k. h. scheer
 
666 o limiar do inferno - jay anson
666   o limiar do inferno - jay anson666   o limiar do inferno - jay anson
666 o limiar do inferno - jay anson
 
50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios50 chás-e-seus-benefícios
50 chás-e-seus-benefícios
 
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos22 regras-de-ouro-para-adivinhos
22 regras-de-ouro-para-adivinhos
 
Receltas
ReceltasReceltas
Receltas
 
Receituxas
ReceituxasReceituxas
Receituxas
 
Receituxas variadas
Receituxas variadasReceituxas variadas
Receituxas variadas
 
Receitouxas
ReceitouxasReceitouxas
Receitouxas
 
Receitoukas
ReceitoukasReceitoukas
Receitoukas
 
Receitolas
ReceitolasReceitolas
Receitolas
 

Último

Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 

Abc bananeira

  • 2. Como cultivar a bananeira Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Informação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2006
  • 3. Como cultivar a bananeira. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2006. 22 p. : il. – (ABC da Agricultura Familiar, 6). Compilação e edição, CW Produções Ltda. ISBN 85-7383-343-2 1. Adubação. 2. Banana. 3. Doença. 4. Plantio. 5. Praga. Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei no. 9.610). Dados Internacionais de Catalogação na Publicação – CIP Embrapa Informação Tecnológica CDD 634.772 Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na: Embrapa Informação Tecnológica Parque Estação Biológica (PqEB), Av. W3 Norte (final) CEP 70770-901 Brasília, DF Fone: (61) 3340-9999 Fax: (61) 3340-2753 vendas@sct.embrapa.br www.sct.embrapa.br Coordenação geral Fernando do Amaral Pereira Coordenação editorial Lillian Alvares Lucilene Maria de Andrade Compilação e edição CW Produções Ltda. Revisão técnica Marisa de Goes Revisão de texto Wesley José da Rocha 1ª edição 1ª impressão (2006): 1.000 exemplares Editoração eletrônica Mário César Moura de Aguiar Capa Carlos Eduardo Felice Barbeiro Ilustração da capa CW Produções Ltda. (Eloi Neves Gameleira Paulo Sérgio Soares) ©Embrapa2006
  • 4. Apresentação Empenhada em auxiliar o pequeno produtor, a Embrapa lança o ABC da Agricultura Familiar, que oferece valiosas instruções sobre o trabalho no campo. Elaboradas em linguagem simples e objetiva, as publicações abordam temas relacionados à agropecuária e mostram como otimizar a atividade rural. A criação de animais, técnicas de plantio, práticas de controle de pragas e doenças, adubação alternativa e fabricação de conservas de frutas são alguns dos assuntos tratados. De forma independente ou reunidas em associações, as famílias poderão beneficiar-se dessas informações e, com isso, diminuir custos, aumentar a produção de alimentos, criar outras fontes de renda e agregar valor a seus produtos. Assim, a Embrapa cumpre o propósito adicional de ajudar a fixar o homem no campo, pois coloca a pesquisa a seu alcance e oferece alternativas de melhoria na qualidade de vida. Fernando do Amaral Pereira Gerente-Geral Embrapa InformaçãoTecnológica
  • 5.
  • 6. Sumário Preparo do solo......................................... 7 Adubação ................................................. 8 Como conseguir boas mudas.................. 11 Como preparar e plantar a muda tipo batata ............................................... 12 Como cuidar do bananal ......................... 13 Doenças e pragas................................... 15 Colheita .................................................. 19 Medidas práticas de comprimento, largura e altura ........................................ 20
  • 7. 6
  • 8. 7 Preparo do solo A bananeira exige que a terra seja bem preparada para que suas raízes se desenvolvam bem e para que a planta possa retirar dela a água e os nutrientes para seu sustento. Faça as covas com dois palmos de boca por três palmos de profundidade, deixando detrêsaquatropassosdedistânciaentreuma planta e outra. Terra de cima Terra de baixo 1,5 palmo 1,5 palmo CWProduçõesLtda. (PauloCésarRocha)
  • 9. 8 • Coloque a terra de cima, misturada com adubo, no fundo da cova. Isso é muito importante, pois assim a melhor terra ficará em contato com as raízes. • Use a terra de baixo para fazer uma “bacia” em volta da cova, o que serve para juntar água. Adubação É importante adubar as bananeiras para que elas se desenvolvam e produzam bons frutos. O uso de adubos químicos deve ser praticado somente depois dos resultados da análise química da terra, pois o resultado mostrará quais os nutrientes que existem no solo e em que quantidades; indicará, também, se existe necessidade de correção da acidez. Peça a orientação de um técnico da Emater, da Embrapa, da prefeitura ou de alguma organização que preste assistência aos agricultores.
  • 10. 9 Adubação da cova Estercos Na cova de plantio, utilize 10 litros de esterco de curral (pode ser de vaca, de bode oudecarneiro)bemcurtido,misturando-ocom a primeira metade da terra retirada da cova. Se utilizar esterco de aves, use no máximo cinco litros de esterco bem curtido por cova. Cinzas As cinzas podem ser usadas para corrigir a acidez da terra, substituindo o calcário. Podem ser de olaria, de padaria, de carvoaria e até mesmo do fogão de sua casa. Além de corrigir a acidez, elas são um bom alimento para as bananeiras, ajudando no desenvolvimento e na produção de melhores cachos. Pode ser utilizado até um quilo de cinzas por planta. Farinha de ossos A farinha de ossos queimados aplicada no plantio é uma alternativa barata e eficiente
  • 11. 10 para complementar da adubação da bana- neira. Use meio quilo por planta, misturando bem com aquela primeira metade da terra retirada da cova. Molhe por 15 dias antes do plantio e, só depois, coloque o esterco e a cinza. Molhe por mais três dias e então plante. Adubação verde e proteção do solo Algumas plantas leguminosas como feijão-de-porco, guandu, feijão-caupi (feijão- de-corda ou feijão-de-macáçar) e mucuna podem ser utilizadas para melhorar as áreas de plantio. Elas produzem grande quantidade de folhas, que podem ser misturadas à terra, com o uso de um arado, para melhorar as condições do cultivo, ou podem ser utilizadas como cobertura de proteção para o solo. Como cobertura, elas mantêm o solo molhado por mais tempo e fornecem matéria orgânica, que contém nitrogênio e outros alimentos indispensáveis.
  • 12. 11 Como conseguir boas mudas Você deve adquirir mudas sadias, sem sintomas de doenças, obtidas de moitas vigorosas. Os tipos de mudas mais utilizadas são: • Chifrinho (até dois palmos de altura). • Chifre (de dois a três palmos). • Chifrão (com mais de três palmos). • Muda tipo “rizoma”, ou batata da bananeira, tirada de plantas adultas que ainda não produziram cacho. Esse tipo é o mais utilizado. FranciscoRicardoFerreira CWProduçõesLtda. (MarceloB.Lima)
  • 13. 12 Como preparar e plantar a muda tipo batata Com uma faca, limpe bem a batata da bananeira, cortando todas as raízes e eliminando a terra grudada. Com a muda limpa, observe se há manchas escuras na batata. Se houver, retire a parte contaminada, mas o ideal é descartar a muda, porque essas manchas podem significar a presença de doenças ou pragas. No plantio, coloque a muda dentro da cova, já com aquela primeira metade da terra retiradaemisturadacomosadubos;centralize e acomode bem a muda no fundo da cova. Em seguida, cubra todo o rizoma com a segunda metade da terra. Firme bem a muda e, com os pés, pressione a terra em volta dela paraevitarburacosvaziosjuntoàsraízes.Isso não deixa acumular água das chuvas, o que apodreceria as raízes, resultando na perda da muda.
  • 14. 13 O plantio deve coincidir com o início das chuvas, para que as plantinhas possam desfrutar da água disponível durante todo o período chuvoso. Cuidados com as mudas no campo De quatro a seis meses após o plantio, começa o perfilhamento da bananeira, isto é, surgem os primeiros filhos ou rebentos, formando uma família. Você deve escolher um ou dois filhos para formar a touceira, eliminandoosdemaiscommuitocuidadopara não ferir a planta mãe. É aconselhável molhar as mudas pelo menos três vezes por semana. Assim, elas crescerão mais rapidamente e se tornarão plantas vigorosas e produtivas. Como cuidar do bananal É preciso molhar as bananeiras, limpar o mato em volta delas, eliminar o excesso de filhos, eliminar as folhas doentes, secas e quebradas, e escorar as plantas de porte alto.
  • 15. 14 Com a enxada, faça uma limpeza em volta da bananeira. Se o mato crescer junto da planta, ele vai usar a água e os adubos colocados para a bananeira. Nas linhas de plantio, o mato deve ser roçado e espalhado por todo o bananal, formandoumacoberturaqueprotegeráaterra das ações do vento, das chuvas, de enxurradas e do sol forte. Além disso, a cobertura deixará a área úmida por mais tempo. Uma touceira de bananeiras deve ser conduzida com uma planta mãe, uma planta filha e outra planta neta (filha da filha da planta mãe). Pode ser uma touceira com uma planta mãe e dois seguidores, filhos da planta mãe. Escolha a forma de conduzir seu bananal e elimine o excesso de filhotes. Corte em pequenos pedaços as plantas já colhidas, folhas secas e quebradas e todo o resto da planta. Espalhe no bananal sem deixar amontoar no pé da planta, para não atrapalhar na ocasião da adubação. Os restos
  • 16. 15 da cultura podem formar cobertura de matéria orgânica, que ajuda a manter por mais tempo a umidade dentro do bananal, além de se transformar em adubos que serão utilizados pelas plantas. A bananeira apresenta uma inclinação para o lado da saída do cacho, podendo chegar ao tombamento pela ação dos ventos fortes associada a seu peso, principalmente quando o porte da planta é alto. Quando necessário, coloque uma ou mais escoras. Doenças e pragas As bananeiras podem ser atacadas por doenças e por pragas. Para evitar sua ocorrência, recomenda-se: • Usar mudas sadias (que não apresentem sinais de doenças). • Se for possível, escolher variedades mais adequadas ao Semi-Árido (Pacovan, Prata Comum, D’Angola, Pacovan Ken e Preciosa).
  • 17. 16 • Usar mudas resistentes ou tolerantes às doenças. • Evitarplantaremlocaisonde,emanos anteriores, ocorreram doenças e pragas. • Destruir ou queimar os restos de cultura. Algumas pragas são controladas pelos inimigos naturais e outras podem ser combatidas com inseticidas caseiros e com o uso de iscas. Aseguir, você encontrará uma indicação das principais pragas e doenças. Doenças Sigatoca-amarela e sigatoca-negra Causam manchas nas folhas, que morrem precocemente por causa da necrose no tecido. O controle mais eficiente é a utilização de variedades resistentes ou tolerantes. Outras formas de controle são o
  • 18. 17 combate às plantas daninhas, a eliminação das folhas doentes e plantios em áreas sombreadas, isto é, onde as bananeiras recebem sombreamento de outras plantas. Mal-do-panamá Ataca a planta toda. Provoca amarele- cimento das folhas mais velhas para as mais novas, que depois murcham, secam e se quebram junto do tronco, dando à planta uma aparência de guarda-chuva fechado. Evite usar mudas contaminadas. Evite também plantar em áreas onde a doença já ocorreu. Doenças provocadas por vírus Evite mudas de plantas contaminadas. Pragas Aprincipalpragadabananeiraéabroca, também conhecida como moleque-da- bananeira.
  • 19. 18 É um besouro preto que tem um bico longo. É na fase de larva, antes de se transformar em besouro, que ele causa prejuízo, brocando o rizoma da bananeira. Antes do plantio, você deve fazer uma limpeza das raízes, eliminando as partes brocadas, os ovos e as larvas que forem encontrados. Porém, o melhor é usar mudas que não estejam atacadas. Uma forma de controlar a broca é pelo uso de iscas: corte pedaços de dois palmos de comprimento de troncos de bananeira que CWProduçõesLtda.(NiltonSanches)
  • 20. 19 já deram cacho (no máximo 15 dias após a colheita); divida-os ao meio, dando-lhes a forma de “telha” ou a de “queijo”, e coloque- os ao lado das touceiras. Examine as iscas a cada duas semanas, catando e destruindo os insetos presentes.As iscas com mais de duas semanas devem ser destruídas. Quando achar que as plantas estão doentes ou que alguma praga está atacando as bananeiras, a melhor providência é procurar ajuda de um vizinho que já enfrentou o problema ou procurar um técnico. Assim, você saberá que solução adotar. Colheita A colheita é feita cortando o cacho quando os frutos estão de vez. É importante não amontoar os cachos ou as pencas uns sobre os outros, para que não fiquem machucados ou manchados pela nódoa que escorre das partes feridas.
  • 21. 20 Medidas práticas de comprimento, largura e altura • Um palmo = 22 centímetros. • Um passo = 75 centímetros a um metro. Documento principal para a elaboração deste texto: CULTURA da banana. Brasília, DF: Embrapa – SPI, 1998 (coleção plantar).
  • 22. 21 Atenção! Para mais informações e esclarecimentos, procure um técnico da extensão rural, da Embrapa, da prefeitura ou de alguma organização de assistência aos agricultores.
  • 23. 22 Forme uma associação com seus vizinhos Quando você se associa com outros membros de sua comunidade, as vantagens são muitas, pois: • Fica mais fácil procurar as autoridades e pedir apoio para os projetos. • Os associados podem comprar máquinas e aparelhos em conjunto. • Fica mais fácil obter crédito. • Juntos, os associados podem vender melhor sua produção. • Os associados podem organizar mutirões. A união faz a força!
  • 24. 23 Títulos lançados • Como organizar uma associação • Como plantar abacaxi • Como plantar hortaliças • Controle alternativo de pragas e doenças das plantas • Caupi: o feijão do Sertão • Como cultivar a bananeira • Adubação alternativa • Cultivo de peixes • Como produzir melancia • Alimentação das criações na seca • Conservas caseiras de frutas
  • 25. Impressão e acabamento Embrapa Informação Tecnológica
  • 26. Informação Tecnológica Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CGPE:5846 ISBN85-7383-343-2 Com o lançamento do , a Embrapa coloca à disposição do pequeno produtor valiosas instruções sobre as atividades do campo. Numa linguagem simples e objetiva, os títulos abordam a criação de animais, técnicas de plantio, práticas de controle de pragas e doenças, adubação alternativa e fabricação de conservas de frutas, dentre outros assuntos que exemplificam como otimizar o trabalho rural. Inicialmente produzidas para atender demandas por informação do Semi-Árido nordestino, as recomendações apresentadas são de aplicabilidade prática também em outras regiões do País. Com o a Embrapa demonstra o compromisso assumido com o sucesso da agricultura familiar. ABC da Agricultura Familiar ABC da Agricultura Familiar, 9788573833430