SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 82
Sejam Bem Vindos,
Sejam Bem Vindos,
UNIVERSIDADE CORPORATIVA
EM REDE (UCR)
Agenda
 Desafios.
 Estágios de Evolução .
 Valores distintivos deste
Modelo.
 Passos para a Implantação.
 ... 2 convites!
17 DESAFIOS
UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
... quantos você enfrenta?
DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
1. Ser reconhecida como ferramenta
estratégica da organização.
2. Desenhar e gerenciar a Cadeia de
Valor deT&D.
3. Selecionar e propor ações deT&D
alinhadas à estratégia
organizacional, de maneira
colaborativa e compartilhada.
4. Priorizar as ações educativas com
base em critérios não políticos e de
interesses individuais.
DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
5. Construir o Projeto Político
Pedagógico com o planejamento
dos Programas Educacionais e suas
trilhas de aprendizagem que
contenham cursos e eventos que
realmente motivem a aprender.
6. Desenvolver parcerias com
Universidades Acadêmicas para
certificação e oferta de cursos de
pós-graduação – LATO E STRICTO
SENSU.
DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
7. Desenvolver Lideranças
Inspiradoras e Intra
empreendedoras em um mundo
competitivo e político.
8. Desenvolver indivíduos
conscientes da importância do
autodesenvolvimento.
9. Gerenciar a aplicação, na
prática do trabalho, do
conhecimento adquirido nos
Programas Educacionais.
DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
10. Definir critérios de avaliação da
aprendizagem além do “satisfação
das expectativas”.
11. Avaliar os resultados das ações
educativas das Universidades
Corporativas e Escolas de Governo.
12.Vivenciar a cultura da
mensuração e acompanhamento
do desenvolvimento humano e seu
impacto no desenvolvimento
organizacional.
Conhecimento
confiança
comparti lhamento
consciência
colaboração
comunicação
cultura
competência
DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
13. Institucionalizar a Universidade
Corporativa, além do “título”.
14.Construir a cultura colaborativa e de
compartilhamento – 8C.
15. Motivar paraAprender,
Compartilhar eTransferir para a prática.
16. Definir as tecnologias educacionais,
os objetivos de aprendizagem
integrativos, interativos e inclusivos.
17. Criar e Governar a Rede de
Aprendizagem interna e externa.
17 DESAFIOS
UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO
... quantos você enfrenta?
!!!! DESAFIO !!!!
UCR © - Freire et al, 2016
Cada vez menos uma “fábrica de cursos livres”,
Cada vez mais um “Ambiente de rede interna e externa de
aprendizagem interinstitucional, auto sustentável, para o
desenvolvimento do capital humano, relacional e social da
organização”.
!!!! E AINDA SER RESPEITADO POR ISSO !!!!
6 ESTÁGIOS DE EVOLUÇÃO
DO SISTEMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA
CAPACITAR O SISTEMA PARAVENCER ESTES DESAFIOS!
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
inicial
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
inicialAvanço para a educação a distância
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégico
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
2. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
3. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem
• Utiliza a aprendizagem em
rede fundadas nas relações e
interações por meio da
colaboração.
8. GC como disciplina transversal às
ações de UC;
9. EC como estratégia para a
Instrumentalização da UC
10. UCR como unidade formadora de
memória da rede.
inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.Com parcerias formais com universidades
1º 2º 3ª 4º 5º 6º
Departamento
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidade
Corporativa
Stakeholder
University
Universidade Corporativa em
Rede ©
1. Reconhecimento
do Capital
Humano
2. ALCANCE
atores internos.
3. Baixa
INTERCONEXÃO
4. Baixo uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO.
5. FOCO Estreito
para aTAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento
do Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS
DE EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Sem alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
1. Reconhecimento do
Capital Humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO Estreito para
a TAREFA.
6. NÍVEL de cursos
livre
7. Com alinhamento
entre
ESTRATÉGIA
organizacional e
de aprendizagem
1. Reconhecimento do
capital humano
2. ALCANCE
direcionado aos
atores internos e
EXTERNOS da
cadeia produtiva.
3. Média/Alta
INTERCONEXÃO
4. Alto uso de
TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO da tarefa
para a GESTÃO e
ESTRATÉGIA.
6. NÍVEL de cursos livre
7. Com alinhamento
entre ESTRATÉGIA
de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza
uma CULTURA DE
APRENDIZAGEM.
1. Reconhecimento do capital
humano e SOCIAL.
2. ALCANCE direcionado aos
STAKEHOLDERS da Rede.
3. Alta INTERCONEXÃO
• integração de P,D, I e GC.
• UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
certificação
• Atores FIXO E DE LONGO
PRAZO
4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
5. FOCO na tarefa, Gestão e
estratégia.
6. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
7. Institucionaliza uma CULTURA
DE APRENDIZAGEM EM REDE
fundadas na COLABORAÇÃO.
1. FOCO NA REDE DE
APRENDIZAGEM
2. Reconhecimento do capital
humano, social e RELACIONAL.
3. ALCANCE direcionado aos atores
internos e extemos amplos da
REDE.
4. Alta INTERCONEXÃO
• Alta interação dos atores com
foco na integração de P,D, I e
GC.
• Inclui a UNIVERSIDADE
ACADÊMICA para
COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO
• Atores FLUIDOS
5. Alto uso de TECNOLOGIAS DE
EDUCAÇÃO
6. FOCO na TAREFA, Gestão e
estratégia.
7. Com alinhamento entre
ESTRATÉGIA de negócios e de
aprendizagem
8. Institucionaliza uma cultura de
aprendizagem Utiliza a
aprendizagem em rede fundadas nas
relações e interações por meio da
colaboração.
9. GC como disciplina
indispensável às ações de UC.
inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.Com parcerias formais com universidadesRede de Aprendizagem para a coprodução de resultados para o ecossistema organizacional
CAPITAL
RELACIONAL
CAPITAL
DE
NEGÓCIO
CAPITAL
SOCIAL
(Bueno, 2003; Freire, 2013)
Capital
Humano
CAPITAL
RELACIONAL
CAPITAL
DE
NEGÓCIO
CAPITAL
SOCIAL
(Bueno, 2003; Freire, 2013)
IDENTIDADE CORPORATIVA
Redes para consolidar as Relações com:
Cliente
Fornecedores
Parceiros
Concorrentes
Meios de comunicação e imagem corporativa
Instituições de promoção e melhorias da qualidade
Universidades Acadêmicas.
Capital
Humano
CAPITAL
RELACIONAL
CAPITAL
DE
NEGÓCIO
CAPITAL
SOCIAL
(Bueno, 2003; Freire, 2013)
REPUTAÇÃO CORPORATIVA
Redes para consolidar as Relações com:
acionistas, instituições de controle
administradores públicos e políticos
defesa do meio ambiente
Comunidades, Sindicatos, Cooperativas e Associações
Sociedade em geral
Capital
Humano
‘
Rede interna de Aprendizagem
INTERDEPARTAMENTAL
Rede externa de Aprendizagem
INTERINSTITUCIONAL
HUB
DESAFIO: FORMAÇÃO de Redes de Aprendizagem
MODELO UNIVERSIDADE CORPORATIVA EM REDE
Ambientes de Aprendizagem em
Rede, não necessariamente
físico, que gerencia e institucionaliza
uma cultura colaborativa e de
compartilhamento, com o objetivo
de desenvolvimento humano e
organizacional.
VALORES DISTINTIVOS
UNIVERSIDADE CORPORATIVA EM REDE
Rede de Colaboração entre Universidades
Acadêmicas e Corporativas
1
Rede de Aprendizagem entre
UniversidadesAcadêmicas e Corporativas
1Competência Cognitiva
Competência Comportamental
Competência de
Transferência do
Aprendizado para a Prática
do Trabalho
- Aprender a Fazer
- Ambiente: Principal
responsabilidade das
Universidade
Corporativa.
- Aprender a Agir
- Ambiente: Aproximação
da Universidade
Acadêmica com a
Universidade
Corporativa.
- Aprender a pensar
- Ambiente: Principal
Responsabilidade da
Universidade
Acadêmica.
DEFINIÇÃO DO
Valor
Estratégico
Desenvolvimento
de competências
essenciais à
organização.
2 GESTÃO DA CADEIA DE VALOR
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização e
Proposição
Planejamento Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do
CAPITAL
RELACIONAL
para recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
3. Gestão de Projeto.
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação aos
diferentes
partícipes;
2. Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
3. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
4. Avaliação da
qualidade das ações
educativas;
5. Avaliação da
Maturidade da UCR.
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção Priorização e
Proposição
Planejamento Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob CRITÉRIOS
DE SELEÇÃO:
1. Pertinência
Temática;
2. Alinhamento
Estratégico;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
3. Gestão de Projeto.
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação aos
diferentes
partícipes;
2. Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
3. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
4. Avaliação da
qualidade das ações
educativas;
5. Avaliação da
Maturidade da UCR.
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização
e
Proposição
Planejamento Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e
classificação
para priorização
de investimento.
G.U.T.A.I
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
3. Gestão de Projeto.
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação aos
diferentes
partícipes;
2. Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
3. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
4. Avaliação da
qualidade das ações
educativas;
5. Avaliação da
Maturidade da UCR.
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização e
Proposição
Planeja-
mento
Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Plano de ações
educacionais
1. Identificação de
PERSONAS;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
EQUIPE;
4. Reunião Kick Off ;
5. AO, materiais de
apoio e avaliações;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
3. Gestão de projeto.
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação aos
diferentes
partícipes;
2. Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
3. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
4. Avaliação da
qualidade das ações
educativas;
5. Avaliação da
Maturidade da UCR.
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização e
Proposição
Planejamento
Produção
e oferta
Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Produção e
oferta da ação
educativa:
1. Realização
do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitora-
mento e
controle das
ações educativas;
3. GESTÃO DE
PROJETO.
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação aos
diferentes
partícipes;
2. Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
3. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
4. Avaliação da
qualidade das ações
educativas;
5. Avaliação da
Maturidade da UCR.
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização e
Proposição
Planejamento Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
AVALIAÇÃO MULTI
NÍVEL:
1. Aplicação dos
instrumentos
de avaliação
Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
2. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
3. Avaliação da
qualidade e
impacto das ações
educativas;
4. Avaliação da
Maturidade da UCR.
UCR © - Freire et al, 2016
MENSURAR ALÉM...
Atingiu as expectativas do aluno?
MODELO DE AVALIAÇÃO
MULTI NÍVEL
Coordenação
Pedagógica
Demandantes
de cursos
Funcionários
em geral
Stakeholders
externos
UCR © - Freire et al, 2016
Aprender a Fazer
Aprender a Pedir
Aprender a Aprender
ALCANCE DA REDE – INTERNA E EXTERNA4
UCR © - Freire et al, 2016
Departamento de
Treinamento
Plataforma
e-learning
Educação
Corporativa
Universidades
Corporativas
Stakeholder
University
Universidade
Corporativa em Rede
GOVERNANÇA DA REDE DE APRENDIZAGEM
funcionários
Funcionários
cross network
Funcionários
Fornecedores
Funcionários
Fornecedores
Clientes
Rede FIXA
organizacional
Rede fluída e
DINÂMICA
GC
IDENTIFICAR
Conheci-
mentos
MAPEAR
Stake
holder
DEFINIR
Proces-
sos de GC
APOIAR
Estratégia
de TIC e de
Gestão
Pessoas
ORIENTAR
Comunica
-ção
ESTABELECER
Sistema de
conhecimento
IMPLANTAR
Governança
Aprendizagem
APOIO DE M.T.F. de GESTÃO DO CONHECIMENTO
5
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
ALCANCE
Ações educativas incluem os stakeholders internos
e externos da organização.
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
INTERCONEXÃO
Tecnologias colaborativas são utilização para a
integração, inclusão e interatividade na rede.
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
RECONHECIMENTO DOS STAKEHOLDERS
As expectativas e necessidades dos stakeholders são
reconhecidas e atendidas.
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
FOCO
As ações educativas atendem proporcionalmente as
dimensões: operacional, tática e estratégica.
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
NÍVEL
Há oferta de cursos livres, ou equivalentes às
disciplinas com créditos universitários ou curso
certificado com diploma universitário
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS
INOVAÇÃO - Uso de tecnologias inovadoras na
modalidade presencial e à distância – realidade virtual
+ MOOC.
1
• Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo?
• Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem?
• Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como?
• Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico?
• Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e
interatividade necessária à aprendizagem?
• Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento?
• Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários?
• Como se posicionar como uma Escola de Excelência?
6
DIRETRIZES UCR
Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa
MTF GESTÃO DO CONHECIMENTO
Governança das redes de aprendizagem, Gestão da
avaliação, da comunicação e da memória
organizacional.
1
COMO SE DESENVOLVER PARA O ESTÁGIO UCR?
Criação, Participação e Gestão de Redes de Aprendizagem
CAPACITAÇÃO ORGANIZACIONAL
Criar, Participar e Gerenciar
Redes de Aprendizagem‘
Ser um GESTOR
da Rede interna de Aprendizagem
Ser um HUB
da Rede externa de Aprendizagem
HUB
SER UM GESTOR
DA REDE INTERNA DE APRENDIZAGEM
1Diagnósticos
2
Planejamento
3
ProduçãoeParcerias
4
Modelos
5
Capacitação
DIAGNÓSTICOS
PLANEJAMENTO
PRODUÇÃO
MODELOSCAPACITAÇÃO
Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras
Recepção Seleção
Priorização e
Proposição
Planejamento Execução e oferta Avaliação
Conselho Educacional
Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede
Análise das demandas
sob critérios de seleção:
1. Pertinência
Temática com o
PPP;
2. Alinhamento
Estratégico da
Organização;
3. Lacunas de
Competência;
4. Plano de Ação do
Setor/Parceiro.
Gestão do Capital
relacional pra recepção
de Demandas:
1. Planejamento
Estratégico;
2. Gestão por
Competências;
3. Parceiros da Rede
Interna;
4. Parceiros da Rede
Externa;
5. Retroalimentação
do próprio
macroprocesso
Análise e classificação
para priorização de
investimento.:
1. Gravidade
2. Urgência
3. Tendência
4. Abrangência
5. Impacto estratégico
6. Impacto em
resultados
operacionais;
7. Impacto
custo/financeiro;
8. Impacto – produção
ou homologação.
Elaboração do Plano de
Desenvolvimento das
ações educacionais
1. Identificação de
Personas;
2. Elaboração do PPP;
Projeto da Ação
(briefing), Mapa de
Conteúdos
Programáticos e
roteiros;
3. Seleção e
contratação de
equipe;
4. Reunião Kick Off ;
5. Objetos de
aprendizagem e
materiais de apoio;.
6. Ofícios de
solicitações
interdepartamentais
7. Capacitação de
equipes.
Realização e oferta da
ação educativa:
1. Realização do curso
propriamente dito,
seja presencial, à
distância ou
híbrido;
2. Monitoramento e
controle das ações
educativas;
Avaliação multi nível:
1. Aplicação dos
instrumentos de
avaliação
Classificação dos
dados pelas 3
dimensões de
análise;
2. Tratamentos dos
dados para
avaliação das 5
etapas.
3. Avaliação da
qualidade e
impacto das ações
educativas;
4. Avaliação da
Maturidade da UCR.
IMPLANTADA!!
UCR © - Freire et al, 2016
Qual o nível de alinhamento
estratégico?
Qual o alinhamento com o estágio
desejado para o sistema de
educação corporativa?
Foi elaborado com base no
Mapeamento de Competências?
Foram Identificadas as Lacunas?
Definiu-se Coordenador e Mentor?
Criaram-se Trilhas?
Elaboraram o Briefing por curso?
Descreveram o Conteúdo
Programático?
O Conteudista foi definido por
SABER ou por disponibilidade?
Produziram OA inclusivos?
Atingiu as expectativas do aluno?
Houve intenção de Aprender e há
intenção de Transferir?
Houve aprendizagem Cognitiva e
comportamental?
Houve transferência da
Aprendizagem para a prática do
trabalho?
O conhecimento adquirido foi
institucionalizado?
Qual o impacto da aprendizagem
para os resultados organizacionais?
CULTURA DA MENSURAÇÃO
IMPLANTADA!!
SER UM HUB
DA REDE EXTERNA DE APRENDIZAGEM
1CriaçãodaRede 2
Alinhamentodas
Universidadese
Escolas
3
MemóriadaRede
4
Ambientede
Colaboração
1. Criação da Rede interinstitucional de
aprendizagem.
1. Diagnóstico da LACUNA DE COMPETÊNCIAS
a serem superadas.
2. MAPEAMENTO DOS STAKEHOLDERS
próximos ao negócio (capital de negócio) e
outros agentes sociais (capital social).
3. INSTITUCIONALIZAÇÃO DA REDE
(estabelecer formalmente a rede; definir
estrutura e ferramentas de operação; elaborar
protocolos com regras de participação; definir
instrumentos de medida para verificar o
desempenho da rede)
4. Criação de VISÃO COMPARTILHADA para a
formação de trilhas de aprendizagem
interinstitucionais.
2Alinhamento dos Programas
Educacionais Interinstitucionais.
1. Elaboração do PPP DA REDE de
Aprendizagem.
2. Definição das DIRETRIZES COMUNS
dos cursos e eventos quanto ao:
alcance; interconexão; stakeholders;
tecnologia de educação; foco; nível e
gestão do conhecimento.
3. Elaboração de Programas Educacionais
compostos por cursos e eventos
COPRODUZIDOS pela rede.
4. Desenvolvimento do MODELO DE
GOVERNANÇA DA REDE de
Aprendizagem.
3. Desenvolvimento da Memória da Rede
de Aprendizagem.
1. Criação de uma REDE DE
COMPARTILHAMENTO de
conhecimentos essenciais.
2. Coprodução do BANCO DE OBJETOS DE
APRENDIZAGEM.
3. Elaboração dos ACORDOS DE
ARMAZENAMENTO, USO E
DISSEMINAÇÃO dos objetos de
aprendizagem do banco de memória da
Rede de Aprendizagem.
4. CAMPANHA DE DESENVOLVIMENTO
da Memória da Rede de Aprendizagem.
5. SENSIBILIZAÇÃO e CONSCIENTIZAÇÃO
4. Criação de ambientes de
colaboração e compartilhamento
para a Rede de Aprendizagem.
1. Criação de COMUNIDADES DE
PRÁTICA em ambiente de
aprendizagem livre, distribuídas
por tema de interesse para a
inovação tecnológica.
2. Elaboração do MANUAL PARA O
GERENCIAMENTO da comunidade
de prática.
Conhecimento
confiança
comparti lhamento
consciência
colaboração
comunicação
cultura
competência
IMPLANTADA!!IMPLANTADA!!
FUNDAMENTAÇÃOTEÓRICA
Não é uma aventura!
UNIVERSIDADE CORPORATIVA EM REDE
• Construtivismo Social
• Aprendizagem Organizacional,
• Andragogia - Heutagogia
• Gestão de Conhecimento.
Embasamento teórico interdisciplinar
Educação – Psicologia – Administração – Gestão do Conhecimento
a aprendizagem se processa com base nas relações
sociais;
Mediada por elementos humanos ou não humanos.
aprendizagem se inicia na mente humana, mas deve-se promover
a sua interpretação, integração e institucionalização em nível
organizacional.
- educação de jovens e adultos vinculados à sua prática de trabalho
- APA como o gestor e o protagonista de seu próprio processo de
aprendizagem.
MTF de Gestão do Capital humano e relacional.
casos
(1) Rede Interinstitucional e
Interdepartamental de Coprodução
Abordagem cultural
(Barroso, Gomes, RAP, 1999)
Aplicação de MTF de GC para a
reengenharia e gestão de
mudanças da ENAGRO/MAPA.
Consolidação das
Redes Internas
(2) CADEIA DEVALOR DA UCR
Versão 1 da Cadeia de Valor ANPRF
CADEIA DEVALOR
UCR © - Freire et al, 2016
UCR © - Freire et al, 2016
RELACIONAMENTO
INTERDEPARTAMENTAL
IDENTIFICAÇÃO DOS CONHECIMENTOS
ESSENCIAIS A SEREM GERENCIADOS
UCR © - Freire et al, 2016
(3) PARCERIAS
ENTRE UC E UA
UCR © - Freire et al, 2016
(3) PARCERIAS
ENTRE UC E UA
UCR © - Freire et al, 2016
curso equivalentes às disciplinas com créditos universitários
ou curso certificado com diploma universitário
CONVITE
CURSO DE CAPACITAÇÃO
MODELO UCR, O QUE MUDA NAS ORGANIZAÇÕES?
CONVITE ESPECIAL
2018
GRUPOS DE PESQUISAprojetos científicos e tecnológicos
A nova economia do conhecimento exige mudança na governança e na gestão.
É preciso adotar novos modelos que desenvolvam processos eficientes, tecnologias inteligentes e pessoas
conscientes e comprometidas com a efetividade da aprendizagem ativa e continuada.
São Modelos de Gestão Colaborativa e Governança para a Inovação
que estão nascendo nos laboratórios de pesquisa IGTI e ENGIN.
UNIVERSIDADECORPORATIVA EM REDE
• Construtivismo Social,
• Aprendizagem Organizacional,
• Andragogia,
• Gestão de Conhecimento.
Embasamento teórico interdisciplinar
Educação – Psicologia - Administração
a aprendizagem se processa pelas relações sociais
conhecimento se inicia na mente humana, mas é possível promover
momentos para a interpretação, integração e sua institucionalização.
educação de jovens e adultos vinculados à sua prática de trabalho
Gestão do Capital humano, social e relacional.
Pesquisa realizada pelo
Grupo de Pesquisa ENGIN
do Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC) da
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
CAPES 6 - REFERÊNCIA NACIONAL NOTEMA EGC.
Mais de 200 artigos publicados sobre temas associados e , em torno de 10 diretamente
relacionados à UCR.
Tendo alcançado já a aceitação de revistas A2 para publicação ainda neste ano de 2017.
TEORIAS MÉTODOS FERRAMENTAS
GOVERNANÇA INTELIGÊNCIA
GOVERNO
ICTI’s
EMPRESAS
ESCOLAS
DE GOVERNO
UNIVERSIDADES
CORPORATIVAS
CENTROS DE
INOVAÇÃO
INCUBADORAS
EMPREENDEDORES e
LÍDERES
GESTÃO E
GOVERNANÇA
DO CONHECIMENTO
MODELOS
DE MENSURAÇÃO
UCR
Universidade Corporativa
em Rede
IDEAÇÃO
Criação e Seleção de
Idéias e oportunidades
INOVAÇÃO E
MELHORIAS
IES Org.Públicas
Entre em contato,
patriciadesafreire@gmail.com.br
www.engin.ufsc.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 adm 1 - administração científica
Aula 3   adm 1 - administração científicaAula 3   adm 1 - administração científica
Aula 3 adm 1 - administração científica
PMY TECNOLOGIA LTDA
 
Gestão de Mudança - Change Management
Gestão de Mudança - Change ManagementGestão de Mudança - Change Management
Gestão de Mudança - Change Management
INSTITUTO MVC
 

Mais procurados (20)

Planejamento Estrategico
Planejamento EstrategicoPlanejamento Estrategico
Planejamento Estrategico
 
ADM - Evolução do pensamento em administração
ADM - Evolução do pensamento em administraçãoADM - Evolução do pensamento em administração
ADM - Evolução do pensamento em administração
 
Qual é a tua obra?
Qual é a tua obra?Qual é a tua obra?
Qual é a tua obra?
 
e-book - Requisitos do Gestor de Formação
e-book - Requisitos do Gestor de Formaçãoe-book - Requisitos do Gestor de Formação
e-book - Requisitos do Gestor de Formação
 
7 A Entrevista de Desligamento
7 A Entrevista de Desligamento7 A Entrevista de Desligamento
7 A Entrevista de Desligamento
 
Responsabilidade e Pontualidade
Responsabilidade e PontualidadeResponsabilidade e Pontualidade
Responsabilidade e Pontualidade
 
Facilitando Diálogos com World Cafe
Facilitando Diálogos com World CafeFacilitando Diálogos com World Cafe
Facilitando Diálogos com World Cafe
 
Trabalho em Equipe
Trabalho em Equipe Trabalho em Equipe
Trabalho em Equipe
 
Aula 1 organograma e departamentalizacao
Aula 1   organograma e departamentalizacaoAula 1   organograma e departamentalizacao
Aula 1 organograma e departamentalizacao
 
Encontro SBGC Modelo de Maturidade em Gestão do Conhecimento - Beto do Valle ...
Encontro SBGC Modelo de Maturidade em Gestão do Conhecimento - Beto do Valle ...Encontro SBGC Modelo de Maturidade em Gestão do Conhecimento - Beto do Valle ...
Encontro SBGC Modelo de Maturidade em Gestão do Conhecimento - Beto do Valle ...
 
Aula 3 adm 1 - administração científica
Aula 3   adm 1 - administração científicaAula 3   adm 1 - administração científica
Aula 3 adm 1 - administração científica
 
Trabalho completo projeto de intervenção
Trabalho completo projeto de intervençãoTrabalho completo projeto de intervenção
Trabalho completo projeto de intervenção
 
Apresentção Tcc - A importância da aplicação de ferramentas do Endomarketing ...
Apresentção Tcc - A importância da aplicação de ferramentas do Endomarketing ...Apresentção Tcc - A importância da aplicação de ferramentas do Endomarketing ...
Apresentção Tcc - A importância da aplicação de ferramentas do Endomarketing ...
 
Gestão de Mudança - Change Management
Gestão de Mudança - Change ManagementGestão de Mudança - Change Management
Gestão de Mudança - Change Management
 
Modelos de Negócio
Modelos de NegócioModelos de Negócio
Modelos de Negócio
 
Visão sistemica
Visão sistemicaVisão sistemica
Visão sistemica
 
Business Model Canvas - Projeto HELP
Business Model Canvas - Projeto HELPBusiness Model Canvas - Projeto HELP
Business Model Canvas - Projeto HELP
 
A infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positivaA infância com disciplina positiva
A infância com disciplina positiva
 
Formação de equipes
Formação de equipesFormação de equipes
Formação de equipes
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 

Semelhante a Universidade Corporativa em Rede. Patricia de Sá freire. Suceg2017

The ideal online course
The ideal online course The ideal online course
The ideal online course
Telma Martins
 
Universidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
Universidade Corporativa I - Caminho para o AutodesenvolvimentoUniversidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
Universidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
INSTITUTO MVC
 
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre TicPrograma Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
TEODORO SOARES
 
A Biblioteca Escolar Em Mudanca
A Biblioteca Escolar Em MudancaA Biblioteca Escolar Em Mudanca
A Biblioteca Escolar Em Mudanca
Cristina Calado
 
Pré-Vestibular 2014
Pré-Vestibular 2014Pré-Vestibular 2014
Pré-Vestibular 2014
colegiocolag
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
Carina
 
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios oportu...
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios   oportu...Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios   oportu...
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios oportu...
Denise Paulsen
 
Plano ensino versao_aluno
Plano ensino versao_alunoPlano ensino versao_aluno
Plano ensino versao_aluno
Aulas Abel
 

Semelhante a Universidade Corporativa em Rede. Patricia de Sá freire. Suceg2017 (20)

Agenda Regional de Práticas Educacionais Abertas (PEA)
Agenda Regional de Práticas Educacionais Abertas (PEA)Agenda Regional de Práticas Educacionais Abertas (PEA)
Agenda Regional de Práticas Educacionais Abertas (PEA)
 
The ideal online course
The ideal online course The ideal online course
The ideal online course
 
The ideal online course
The ideal online course The ideal online course
The ideal online course
 
The ideal online course
The ideal online course The ideal online course
The ideal online course
 
Resumo universidade corporativa em rede - 2019
Resumo  universidade corporativa em rede - 2019Resumo  universidade corporativa em rede - 2019
Resumo universidade corporativa em rede - 2019
 
Universidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
Universidade Corporativa I - Caminho para o AutodesenvolvimentoUniversidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
Universidade Corporativa I - Caminho para o Autodesenvolvimento
 
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre TicPrograma Supervisao 08 09 Sobre Tic
Programa Supervisao 08 09 Sobre Tic
 
A Biblioteca Escolar Em Mudanca
A Biblioteca Escolar Em MudancaA Biblioteca Escolar Em Mudanca
A Biblioteca Escolar Em Mudanca
 
Atividade 1.4 tics
Atividade 1.4 ticsAtividade 1.4 tics
Atividade 1.4 tics
 
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...
 
Pré-Vestibular 2014
Pré-Vestibular 2014Pré-Vestibular 2014
Pré-Vestibular 2014
 
Academia Cisco Malha Atlântica (Projecto)
Academia Cisco Malha Atlântica (Projecto)Academia Cisco Malha Atlântica (Projecto)
Academia Cisco Malha Atlântica (Projecto)
 
Design didático
Design didáticoDesign didático
Design didático
 
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios oportu...
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios   oportu...Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios   oportu...
Uso de rea nas universidades corporativas do serpro caixa e correios oportu...
 
Plano ensino versao_aluno
Plano ensino versao_alunoPlano ensino versao_aluno
Plano ensino versao_aluno
 
Referenciaisde ead
Referenciaisde eadReferenciaisde ead
Referenciaisde ead
 
Proposta de plano de atividades ANPRI - bienio 2015 17
Proposta de plano de atividades ANPRI - bienio 2015 17Proposta de plano de atividades ANPRI - bienio 2015 17
Proposta de plano de atividades ANPRI - bienio 2015 17
 
Carlos Fernando
Carlos FernandoCarlos Fernando
Carlos Fernando
 
MOOC: um novo paradigma e modelo de ensino?
MOOC: um novo paradigma e modelo de ensino?MOOC: um novo paradigma e modelo de ensino?
MOOC: um novo paradigma e modelo de ensino?
 
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAçãoPlano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
Plano de Gestão - Chapa Unipampa ConsolidAção
 

Mais de Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng.

Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comumUniversidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng.
 
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng.
 

Mais de Patrícia de Sá Freire, PhD. Eng. (20)

Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comumUniversidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
Universidade Empreendedora como uma Plataforma para o Bem comum
 
Universidade Corporativa em Rede_Apresentação inicial deste mais evoluido mod...
Universidade Corporativa em Rede_Apresentação inicial deste mais evoluido mod...Universidade Corporativa em Rede_Apresentação inicial deste mais evoluido mod...
Universidade Corporativa em Rede_Apresentação inicial deste mais evoluido mod...
 
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
Governança Multinível em Redes Organizacionais, um novo modelo de governança ...
 
FREIRE, P.S. 2021_Gestão do Conhecimento_primeiros passos.pdf
FREIRE, P.S. 2021_Gestão do Conhecimento_primeiros passos.pdfFREIRE, P.S. 2021_Gestão do Conhecimento_primeiros passos.pdf
FREIRE, P.S. 2021_Gestão do Conhecimento_primeiros passos.pdf
 
Freire, p.s. 2021 gestão do conhecimento primeiros passos
Freire, p.s. 2021 gestão do conhecimento primeiros passosFreire, p.s. 2021 gestão do conhecimento primeiros passos
Freire, p.s. 2021 gestão do conhecimento primeiros passos
 
Modelo UCR como inovação em Gestão de Pessoas. Palestra ABRH.2020
Modelo UCR como inovação em Gestão de Pessoas. Palestra ABRH.2020Modelo UCR como inovação em Gestão de Pessoas. Palestra ABRH.2020
Modelo UCR como inovação em Gestão de Pessoas. Palestra ABRH.2020
 
inteligência_emocional_e_Iinovação em gestão_de_pessoas
 inteligência_emocional_e_Iinovação em gestão_de_pessoas inteligência_emocional_e_Iinovação em gestão_de_pessoas
inteligência_emocional_e_Iinovação em gestão_de_pessoas
 
Modelo de avaliação multinivel da universidade corporativa em rede. patricia ...
Modelo de avaliação multinivel da universidade corporativa em rede. patricia ...Modelo de avaliação multinivel da universidade corporativa em rede. patricia ...
Modelo de avaliação multinivel da universidade corporativa em rede. patricia ...
 
Diagnósticos de Maturidade e plano de ação de Gestão do Conhecimento.
Diagnósticos de Maturidade e plano de ação de Gestão do Conhecimento.Diagnósticos de Maturidade e plano de ação de Gestão do Conhecimento.
Diagnósticos de Maturidade e plano de ação de Gestão do Conhecimento.
 
Engenharia da Integração em Fusões e Aquisições - Patricia de Sá Freire
Engenharia da Integração em  Fusões e Aquisições -  Patricia de Sá FreireEngenharia da Integração em  Fusões e Aquisições -  Patricia de Sá Freire
Engenharia da Integração em Fusões e Aquisições - Patricia de Sá Freire
 
Gestão de Mudanças Organizacionais_patricia de sá freire
Gestão de Mudanças Organizacionais_patricia de sá freireGestão de Mudanças Organizacionais_patricia de sá freire
Gestão de Mudanças Organizacionais_patricia de sá freire
 
GOVERNANÇA DO CONHECIMENTO_implemente a gestão do conhecimento._patricia de s...
GOVERNANÇA DO CONHECIMENTO_implemente a gestão do conhecimento._patricia de s...GOVERNANÇA DO CONHECIMENTO_implemente a gestão do conhecimento._patricia de s...
GOVERNANÇA DO CONHECIMENTO_implemente a gestão do conhecimento._patricia de s...
 
Gestão do Conhecimento e Centro de Memórias
Gestão do Conhecimento e Centro de MemóriasGestão do Conhecimento e Centro de Memórias
Gestão do Conhecimento e Centro de Memórias
 
Vendas Modelo Responsabilidades DireçãO De OperaçãO De Vendas
Vendas Modelo  Responsabilidades   DireçãO De OperaçãO De VendasVendas Modelo  Responsabilidades   DireçãO De OperaçãO De Vendas
Vendas Modelo Responsabilidades DireçãO De OperaçãO De Vendas
 
Conhecimento como gerador de valor ao negócio patricia.de.sá.freire.ebx
Conhecimento como gerador de valor ao negócio patricia.de.sá.freire.ebxConhecimento como gerador de valor ao negócio patricia.de.sá.freire.ebx
Conhecimento como gerador de valor ao negócio patricia.de.sá.freire.ebx
 
Cultura Organizacional Grupos Colaborativos MudançA Organizacional
Cultura Organizacional Grupos Colaborativos MudançA OrganizacionalCultura Organizacional Grupos Colaborativos MudançA Organizacional
Cultura Organizacional Grupos Colaborativos MudançA Organizacional
 
Ambiente Colaborativo Benchmarking Interno Compartilhamento De Boas PráTicas.
Ambiente Colaborativo Benchmarking Interno  Compartilhamento De Boas PráTicas.Ambiente Colaborativo Benchmarking Interno  Compartilhamento De Boas PráTicas.
Ambiente Colaborativo Benchmarking Interno Compartilhamento De Boas PráTicas.
 
Curso Liderança para a Inovação Patriciasafreire
Curso Liderança para a Inovação PatriciasafreireCurso Liderança para a Inovação Patriciasafreire
Curso Liderança para a Inovação Patriciasafreire
 
Pdv. Operador Logístico
Pdv. Operador LogísticoPdv. Operador Logístico
Pdv. Operador Logístico
 
Planejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da InovaçãoPlanejamento Estratégico da Inovação
Planejamento Estratégico da Inovação
 

Universidade Corporativa em Rede. Patricia de Sá freire. Suceg2017

  • 4. Agenda  Desafios.  Estágios de Evolução .  Valores distintivos deste Modelo.  Passos para a Implantação.  ... 2 convites!
  • 5. 17 DESAFIOS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO ... quantos você enfrenta?
  • 6. DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO 1. Ser reconhecida como ferramenta estratégica da organização. 2. Desenhar e gerenciar a Cadeia de Valor deT&D. 3. Selecionar e propor ações deT&D alinhadas à estratégia organizacional, de maneira colaborativa e compartilhada. 4. Priorizar as ações educativas com base em critérios não políticos e de interesses individuais.
  • 7. DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO 5. Construir o Projeto Político Pedagógico com o planejamento dos Programas Educacionais e suas trilhas de aprendizagem que contenham cursos e eventos que realmente motivem a aprender. 6. Desenvolver parcerias com Universidades Acadêmicas para certificação e oferta de cursos de pós-graduação – LATO E STRICTO SENSU.
  • 8. DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO 7. Desenvolver Lideranças Inspiradoras e Intra empreendedoras em um mundo competitivo e político. 8. Desenvolver indivíduos conscientes da importância do autodesenvolvimento. 9. Gerenciar a aplicação, na prática do trabalho, do conhecimento adquirido nos Programas Educacionais.
  • 9. DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO 10. Definir critérios de avaliação da aprendizagem além do “satisfação das expectativas”. 11. Avaliar os resultados das ações educativas das Universidades Corporativas e Escolas de Governo. 12.Vivenciar a cultura da mensuração e acompanhamento do desenvolvimento humano e seu impacto no desenvolvimento organizacional.
  • 10. Conhecimento confiança comparti lhamento consciência colaboração comunicação cultura competência DESAFIOS DAS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO 13. Institucionalizar a Universidade Corporativa, além do “título”. 14.Construir a cultura colaborativa e de compartilhamento – 8C. 15. Motivar paraAprender, Compartilhar eTransferir para a prática. 16. Definir as tecnologias educacionais, os objetivos de aprendizagem integrativos, interativos e inclusivos. 17. Criar e Governar a Rede de Aprendizagem interna e externa.
  • 11. 17 DESAFIOS UNIVERSIDADES CORPORATIVAS E ESCOLAS DE GOVERNO ... quantos você enfrenta?
  • 12. !!!! DESAFIO !!!! UCR © - Freire et al, 2016 Cada vez menos uma “fábrica de cursos livres”, Cada vez mais um “Ambiente de rede interna e externa de aprendizagem interinstitucional, auto sustentável, para o desenvolvimento do capital humano, relacional e social da organização”. !!!! E AINDA SER RESPEITADO POR ISSO !!!!
  • 13. 6 ESTÁGIOS DE EVOLUÇÃO DO SISTEMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA CAPACITAR O SISTEMA PARAVENCER ESTES DESAFIOS!
  • 14. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede.
  • 15. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede. inicial
  • 16. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede. inicialAvanço para a educação a distância
  • 17. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede. inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégico
  • 18. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede. inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.
  • 19. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 3. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem • Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 8. GC como disciplina transversal às ações de UC; 9. EC como estratégia para a Instrumentalização da UC 10. UCR como unidade formadora de memória da rede. inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.Com parcerias formais com universidades
  • 20. 1º 2º 3ª 4º 5º 6º Departamento Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidade Corporativa Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede © 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE atores internos. 3. Baixa INTERCONEXÃO 4. Baixo uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO. 5. FOCO Estreito para aTAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Sem alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 1. Reconhecimento do Capital Humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO Estreito para a TAREFA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA organizacional e de aprendizagem 1. Reconhecimento do capital humano 2. ALCANCE direcionado aos atores internos e EXTERNOS da cadeia produtiva. 3. Média/Alta INTERCONEXÃO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO da tarefa para a GESTÃO e ESTRATÉGIA. 6. NÍVEL de cursos livre 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM. 1. Reconhecimento do capital humano e SOCIAL. 2. ALCANCE direcionado aos STAKEHOLDERS da Rede. 3. Alta INTERCONEXÃO • integração de P,D, I e GC. • UNIVERSIDADE ACADÊMICA para certificação • Atores FIXO E DE LONGO PRAZO 4. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 5. FOCO na tarefa, Gestão e estratégia. 6. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 7. Institucionaliza uma CULTURA DE APRENDIZAGEM EM REDE fundadas na COLABORAÇÃO. 1. FOCO NA REDE DE APRENDIZAGEM 2. Reconhecimento do capital humano, social e RELACIONAL. 3. ALCANCE direcionado aos atores internos e extemos amplos da REDE. 4. Alta INTERCONEXÃO • Alta interação dos atores com foco na integração de P,D, I e GC. • Inclui a UNIVERSIDADE ACADÊMICA para COCRIAÇÃO e COPRODUÇÃO • Atores FLUIDOS 5. Alto uso de TECNOLOGIAS DE EDUCAÇÃO 6. FOCO na TAREFA, Gestão e estratégia. 7. Com alinhamento entre ESTRATÉGIA de negócios e de aprendizagem 8. Institucionaliza uma cultura de aprendizagem Utiliza a aprendizagem em rede fundadas nas relações e interações por meio da colaboração. 9. GC como disciplina indispensável às ações de UC. inicialAvanço para a educação a distânciaCom alinhamento estratégicoE envolvendo a capacitação de atores externos.Com parcerias formais com universidadesRede de Aprendizagem para a coprodução de resultados para o ecossistema organizacional
  • 22. CAPITAL RELACIONAL CAPITAL DE NEGÓCIO CAPITAL SOCIAL (Bueno, 2003; Freire, 2013) IDENTIDADE CORPORATIVA Redes para consolidar as Relações com: Cliente Fornecedores Parceiros Concorrentes Meios de comunicação e imagem corporativa Instituições de promoção e melhorias da qualidade Universidades Acadêmicas. Capital Humano
  • 23. CAPITAL RELACIONAL CAPITAL DE NEGÓCIO CAPITAL SOCIAL (Bueno, 2003; Freire, 2013) REPUTAÇÃO CORPORATIVA Redes para consolidar as Relações com: acionistas, instituições de controle administradores públicos e políticos defesa do meio ambiente Comunidades, Sindicatos, Cooperativas e Associações Sociedade em geral Capital Humano
  • 24. ‘ Rede interna de Aprendizagem INTERDEPARTAMENTAL Rede externa de Aprendizagem INTERINSTITUCIONAL HUB DESAFIO: FORMAÇÃO de Redes de Aprendizagem
  • 25. MODELO UNIVERSIDADE CORPORATIVA EM REDE Ambientes de Aprendizagem em Rede, não necessariamente físico, que gerencia e institucionaliza uma cultura colaborativa e de compartilhamento, com o objetivo de desenvolvimento humano e organizacional.
  • 27. Rede de Colaboração entre Universidades Acadêmicas e Corporativas 1
  • 28. Rede de Aprendizagem entre UniversidadesAcadêmicas e Corporativas 1Competência Cognitiva Competência Comportamental Competência de Transferência do Aprendizado para a Prática do Trabalho - Aprender a Fazer - Ambiente: Principal responsabilidade das Universidade Corporativa. - Aprender a Agir - Ambiente: Aproximação da Universidade Acadêmica com a Universidade Corporativa. - Aprender a pensar - Ambiente: Principal Responsabilidade da Universidade Acadêmica.
  • 30. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do CAPITAL RELACIONAL para recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; 3. Gestão de Projeto. Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação aos diferentes partícipes; 2. Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 3. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 4. Avaliação da qualidade das ações educativas; 5. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 31. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob CRITÉRIOS DE SELEÇÃO: 1. Pertinência Temática; 2. Alinhamento Estratégico; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; 3. Gestão de Projeto. Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação aos diferentes partícipes; 2. Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 3. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 4. Avaliação da qualidade das ações educativas; 5. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 32. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento. G.U.T.A.I 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; 3. Gestão de Projeto. Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação aos diferentes partícipes; 2. Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 3. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 4. Avaliação da qualidade das ações educativas; 5. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 33. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planeja- mento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Plano de ações educacionais 1. Identificação de PERSONAS; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de EQUIPE; 4. Reunião Kick Off ; 5. AO, materiais de apoio e avaliações;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; 3. Gestão de projeto. Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação aos diferentes partícipes; 2. Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 3. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 4. Avaliação da qualidade das ações educativas; 5. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 34. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Produção e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Produção e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitora- mento e controle das ações educativas; 3. GESTÃO DE PROJETO. Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação aos diferentes partícipes; 2. Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 3. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 4. Avaliação da qualidade das ações educativas; 5. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 35. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; AVALIAÇÃO MULTI NÍVEL: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 2. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 3. Avaliação da qualidade e impacto das ações educativas; 4. Avaliação da Maturidade da UCR.
  • 36. UCR © - Freire et al, 2016 MENSURAR ALÉM... Atingiu as expectativas do aluno? MODELO DE AVALIAÇÃO MULTI NÍVEL
  • 37. Coordenação Pedagógica Demandantes de cursos Funcionários em geral Stakeholders externos UCR © - Freire et al, 2016 Aprender a Fazer Aprender a Pedir Aprender a Aprender ALCANCE DA REDE – INTERNA E EXTERNA4
  • 38. UCR © - Freire et al, 2016 Departamento de Treinamento Plataforma e-learning Educação Corporativa Universidades Corporativas Stakeholder University Universidade Corporativa em Rede GOVERNANÇA DA REDE DE APRENDIZAGEM funcionários Funcionários cross network Funcionários Fornecedores Funcionários Fornecedores Clientes Rede FIXA organizacional Rede fluída e DINÂMICA GC IDENTIFICAR Conheci- mentos MAPEAR Stake holder DEFINIR Proces- sos de GC APOIAR Estratégia de TIC e de Gestão Pessoas ORIENTAR Comunica -ção ESTABELECER Sistema de conhecimento IMPLANTAR Governança Aprendizagem APOIO DE M.T.F. de GESTÃO DO CONHECIMENTO 5
  • 39. Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6
  • 40. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa 1
  • 41. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa ALCANCE Ações educativas incluem os stakeholders internos e externos da organização. 1
  • 42. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa INTERCONEXÃO Tecnologias colaborativas são utilização para a integração, inclusão e interatividade na rede. 1
  • 43. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa RECONHECIMENTO DOS STAKEHOLDERS As expectativas e necessidades dos stakeholders são reconhecidas e atendidas. 1
  • 44. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa FOCO As ações educativas atendem proporcionalmente as dimensões: operacional, tática e estratégica. 1
  • 45. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa NÍVEL Há oferta de cursos livres, ou equivalentes às disciplinas com créditos universitários ou curso certificado com diploma universitário 1
  • 46. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS INOVAÇÃO - Uso de tecnologias inovadoras na modalidade presencial e à distância – realidade virtual + MOOC. 1
  • 47. • Qual deve ser o alcance da Rede– interno e externo? • Quem são os participes da Rede – suas expectativas e necessidades de aprendizagem? • Quais lacunas de conhecimentos essenciais devem ser gerenciadas e como? • Qual o foco crítico dos Programas educacionais – operacional, tático ou estratégico? • Quais tecnologias devem ser utilizadas para promover a integração, inclusão e interatividade necessária à aprendizagem? • Como escolher asTE para apoiar a criação do conhecimento? • Como promover a certificação de cursos livres, certificados e diplomas universitários? • Como se posicionar como uma Escola de Excelência? 6 DIRETRIZES UCR Apoio à tomada de decisão do gestor do Sistema de Educação Corporativa MTF GESTÃO DO CONHECIMENTO Governança das redes de aprendizagem, Gestão da avaliação, da comunicação e da memória organizacional. 1
  • 48.
  • 49. COMO SE DESENVOLVER PARA O ESTÁGIO UCR? Criação, Participação e Gestão de Redes de Aprendizagem
  • 50. CAPACITAÇÃO ORGANIZACIONAL Criar, Participar e Gerenciar Redes de Aprendizagem‘ Ser um GESTOR da Rede interna de Aprendizagem Ser um HUB da Rede externa de Aprendizagem HUB
  • 51. SER UM GESTOR DA REDE INTERNA DE APRENDIZAGEM
  • 54. Gestão de Pessoas Infra estrutura LogísticaTecnologia Adm. financeiro Compras Recepção Seleção Priorização e Proposição Planejamento Execução e oferta Avaliação Conselho Educacional Cadeia de Valor da Universidade Corporativa em Rede Análise das demandas sob critérios de seleção: 1. Pertinência Temática com o PPP; 2. Alinhamento Estratégico da Organização; 3. Lacunas de Competência; 4. Plano de Ação do Setor/Parceiro. Gestão do Capital relacional pra recepção de Demandas: 1. Planejamento Estratégico; 2. Gestão por Competências; 3. Parceiros da Rede Interna; 4. Parceiros da Rede Externa; 5. Retroalimentação do próprio macroprocesso Análise e classificação para priorização de investimento.: 1. Gravidade 2. Urgência 3. Tendência 4. Abrangência 5. Impacto estratégico 6. Impacto em resultados operacionais; 7. Impacto custo/financeiro; 8. Impacto – produção ou homologação. Elaboração do Plano de Desenvolvimento das ações educacionais 1. Identificação de Personas; 2. Elaboração do PPP; Projeto da Ação (briefing), Mapa de Conteúdos Programáticos e roteiros; 3. Seleção e contratação de equipe; 4. Reunião Kick Off ; 5. Objetos de aprendizagem e materiais de apoio;. 6. Ofícios de solicitações interdepartamentais 7. Capacitação de equipes. Realização e oferta da ação educativa: 1. Realização do curso propriamente dito, seja presencial, à distância ou híbrido; 2. Monitoramento e controle das ações educativas; Avaliação multi nível: 1. Aplicação dos instrumentos de avaliação Classificação dos dados pelas 3 dimensões de análise; 2. Tratamentos dos dados para avaliação das 5 etapas. 3. Avaliação da qualidade e impacto das ações educativas; 4. Avaliação da Maturidade da UCR. IMPLANTADA!!
  • 55. UCR © - Freire et al, 2016 Qual o nível de alinhamento estratégico? Qual o alinhamento com o estágio desejado para o sistema de educação corporativa? Foi elaborado com base no Mapeamento de Competências? Foram Identificadas as Lacunas? Definiu-se Coordenador e Mentor? Criaram-se Trilhas? Elaboraram o Briefing por curso? Descreveram o Conteúdo Programático? O Conteudista foi definido por SABER ou por disponibilidade? Produziram OA inclusivos? Atingiu as expectativas do aluno? Houve intenção de Aprender e há intenção de Transferir? Houve aprendizagem Cognitiva e comportamental? Houve transferência da Aprendizagem para a prática do trabalho? O conhecimento adquirido foi institucionalizado? Qual o impacto da aprendizagem para os resultados organizacionais? CULTURA DA MENSURAÇÃO IMPLANTADA!!
  • 56. SER UM HUB DA REDE EXTERNA DE APRENDIZAGEM
  • 58. 1. Criação da Rede interinstitucional de aprendizagem. 1. Diagnóstico da LACUNA DE COMPETÊNCIAS a serem superadas. 2. MAPEAMENTO DOS STAKEHOLDERS próximos ao negócio (capital de negócio) e outros agentes sociais (capital social). 3. INSTITUCIONALIZAÇÃO DA REDE (estabelecer formalmente a rede; definir estrutura e ferramentas de operação; elaborar protocolos com regras de participação; definir instrumentos de medida para verificar o desempenho da rede) 4. Criação de VISÃO COMPARTILHADA para a formação de trilhas de aprendizagem interinstitucionais.
  • 59. 2Alinhamento dos Programas Educacionais Interinstitucionais. 1. Elaboração do PPP DA REDE de Aprendizagem. 2. Definição das DIRETRIZES COMUNS dos cursos e eventos quanto ao: alcance; interconexão; stakeholders; tecnologia de educação; foco; nível e gestão do conhecimento. 3. Elaboração de Programas Educacionais compostos por cursos e eventos COPRODUZIDOS pela rede. 4. Desenvolvimento do MODELO DE GOVERNANÇA DA REDE de Aprendizagem.
  • 60. 3. Desenvolvimento da Memória da Rede de Aprendizagem. 1. Criação de uma REDE DE COMPARTILHAMENTO de conhecimentos essenciais. 2. Coprodução do BANCO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM. 3. Elaboração dos ACORDOS DE ARMAZENAMENTO, USO E DISSEMINAÇÃO dos objetos de aprendizagem do banco de memória da Rede de Aprendizagem. 4. CAMPANHA DE DESENVOLVIMENTO da Memória da Rede de Aprendizagem. 5. SENSIBILIZAÇÃO e CONSCIENTIZAÇÃO
  • 61. 4. Criação de ambientes de colaboração e compartilhamento para a Rede de Aprendizagem. 1. Criação de COMUNIDADES DE PRÁTICA em ambiente de aprendizagem livre, distribuídas por tema de interesse para a inovação tecnológica. 2. Elaboração do MANUAL PARA O GERENCIAMENTO da comunidade de prática.
  • 64. UNIVERSIDADE CORPORATIVA EM REDE • Construtivismo Social • Aprendizagem Organizacional, • Andragogia - Heutagogia • Gestão de Conhecimento. Embasamento teórico interdisciplinar Educação – Psicologia – Administração – Gestão do Conhecimento a aprendizagem se processa com base nas relações sociais; Mediada por elementos humanos ou não humanos. aprendizagem se inicia na mente humana, mas deve-se promover a sua interpretação, integração e institucionalização em nível organizacional. - educação de jovens e adultos vinculados à sua prática de trabalho - APA como o gestor e o protagonista de seu próprio processo de aprendizagem. MTF de Gestão do Capital humano e relacional.
  • 65. casos
  • 66. (1) Rede Interinstitucional e Interdepartamental de Coprodução
  • 67. Abordagem cultural (Barroso, Gomes, RAP, 1999) Aplicação de MTF de GC para a reengenharia e gestão de mudanças da ENAGRO/MAPA. Consolidação das Redes Internas
  • 69. Versão 1 da Cadeia de Valor ANPRF CADEIA DEVALOR
  • 70. UCR © - Freire et al, 2016
  • 71. UCR © - Freire et al, 2016 RELACIONAMENTO INTERDEPARTAMENTAL
  • 72. IDENTIFICAÇÃO DOS CONHECIMENTOS ESSENCIAIS A SEREM GERENCIADOS UCR © - Freire et al, 2016
  • 73. (3) PARCERIAS ENTRE UC E UA UCR © - Freire et al, 2016
  • 74. (3) PARCERIAS ENTRE UC E UA UCR © - Freire et al, 2016 curso equivalentes às disciplinas com créditos universitários ou curso certificado com diploma universitário
  • 76. CURSO DE CAPACITAÇÃO MODELO UCR, O QUE MUDA NAS ORGANIZAÇÕES? CONVITE ESPECIAL 2018
  • 77.
  • 78. GRUPOS DE PESQUISAprojetos científicos e tecnológicos A nova economia do conhecimento exige mudança na governança e na gestão. É preciso adotar novos modelos que desenvolvam processos eficientes, tecnologias inteligentes e pessoas conscientes e comprometidas com a efetividade da aprendizagem ativa e continuada. São Modelos de Gestão Colaborativa e Governança para a Inovação que estão nascendo nos laboratórios de pesquisa IGTI e ENGIN.
  • 79. UNIVERSIDADECORPORATIVA EM REDE • Construtivismo Social, • Aprendizagem Organizacional, • Andragogia, • Gestão de Conhecimento. Embasamento teórico interdisciplinar Educação – Psicologia - Administração a aprendizagem se processa pelas relações sociais conhecimento se inicia na mente humana, mas é possível promover momentos para a interpretação, integração e sua institucionalização. educação de jovens e adultos vinculados à sua prática de trabalho Gestão do Capital humano, social e relacional. Pesquisa realizada pelo Grupo de Pesquisa ENGIN do Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). CAPES 6 - REFERÊNCIA NACIONAL NOTEMA EGC. Mais de 200 artigos publicados sobre temas associados e , em torno de 10 diretamente relacionados à UCR. Tendo alcançado já a aceitação de revistas A2 para publicação ainda neste ano de 2017.
  • 80. TEORIAS MÉTODOS FERRAMENTAS GOVERNANÇA INTELIGÊNCIA GOVERNO ICTI’s EMPRESAS ESCOLAS DE GOVERNO UNIVERSIDADES CORPORATIVAS CENTROS DE INOVAÇÃO INCUBADORAS EMPREENDEDORES e LÍDERES GESTÃO E GOVERNANÇA DO CONHECIMENTO MODELOS DE MENSURAÇÃO UCR Universidade Corporativa em Rede IDEAÇÃO Criação e Seleção de Idéias e oportunidades INOVAÇÃO E MELHORIAS IES Org.Públicas
  • 81.