SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Doenças relacionadas com a água
Segundo a Organização Mundial de
Saúde, cerca de 80% de todas as
doenças que se alastram nos países
em desenvolvimento são
provenientes da água de má
qualidade.
As doenças mais comuns, de
transmissão Hídrica, são as
seguintes:
Microorganismos que podem contaminar a água
Protozoário:
Ameba
Protozoário:
Giardia lamblia
Protozoário:
Criptosporídio
Vírus:
Norwalk
Vírus:
Rotavírus
Bactéria:
Escherichia coli
Bactéria:
Salmonella typhi
Bactéria:
Vibrio cholerae
Protozoário:
Ciliado peduncular
Amebíase
Amebíase é uma doença
endêmica em grande parte do
território brasileiro e
amplamente disseminada por
todo o mundo.
Agente causador: é o
protozoário Entamoeba
histolytica, um típico exemplo
de protozoário rizópoda, isto
é, protozoa destituído de
flagelos ou cílios.
Transmissão: Eliminados com as
fezes pelas pessoas doentes, os
cistos contaminam a água dos rios
e, levados por esta ou pela poeira e
pelas moscas, baratas e outros
animais, também contaminam
frutos, verduras e diversos
alimentos, permitindo o
alastramento dessa protozoose.
Ciclo: As amebas se desenvolvem
ou proliferam notadamente no
intestino grosso, embora possam
ser encontradas também no
intestino delgado.
Amebíase
Quadro clínico: diarréia.
Profilaxia: Há medicação específica para essa
doença. Mas a profilaxia depende também de:
Cuidados pessoais de
higiene
Limpeza das mãos e dos
alimentos
Saneamento básico nas
regiões onde a pobreza e
a promiscuidade facilitam
a dispersão da endemia.
Ancilostomose ou amarelão
Agente causador:
Ancylostoma duodenale
e Necator americanus.
Transmissão: pela penetração de larvas
dos vermes pela pele ou ingestão de ovos
do parasita através de água e alimentos
contaminados.
Ciclo: no intestino, a fêmea adulta põe
ovos que são eliminados pelas fezes. No
solo formam-se larvas que podem
atravessar a pele humana. As larvas caem
na circulação, chegam ao coração,
pulmões, atravessam a parede dos
alvéolos, sobem à árvore respiratória,
chegam à faringe e são deglutidas
chegando ao intestino e formam vermes
adultos.
Amarelão
Quadro clínico: O verme se alimenta de sangue, há anemia, fraqueza, emagrecimento,
desânimo, pele cor amarelada (amarelão). Pode surgir pervesão do apetite como hábito de
comer terra, dores abdominais, vômito, diarréia e às vezes desinteria.
Profilaxia
Higiene
alimentar
Uso de
calçado
Instalações
sanitárias
adequadas
Saneamento
básico
Educação
sanitária
Tratamento
dos doentes.
L
Ascaridíase ou Lombriga
Agente causador:
Ascaris lumbricoides,
conhecido como
lombriga.
Transmissão: pela ingestão de água e
alimentos contaminados com ovos da
lombriga.
Ciclo: os ovos são ingeridos, chegam ao
intestino do hospedeiro onde se abrem e
liberam larvas que atravessam a parede
intestinal, caem na circulação, passam para
o fígado e pulmões. Nos pulmões
atravessam os alvéolos, sobem pela árvore
respiratória até chegar à faringe e são
deglutidas. No intestino delgado
transformam-se em vermes adultos.
Ascaridíase
Quadro clinico: quase não há problemas. Quando o número de
vermes é grande, pode haver perigo de obstrução intestinal.
Profilaxia
Higiene
alimentar
Instalações
sanitárias
adequadas
Educação
sanitária
Tratamento
dos
doentes
Doenças Hídricas: Causas e Sintomas
Doenças Hídricas: Causas e Sintomas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

As principais parasitoses humanas
As principais parasitoses humanasAs principais parasitoses humanas
As principais parasitoses humanas
 
Doenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminadaDoenças causadas por água contaminada
Doenças causadas por água contaminada
 
Ancilostomose 2º ano C
Ancilostomose 2º ano CAncilostomose 2º ano C
Ancilostomose 2º ano C
 
Doenças de veiculação hidrica
Doenças de veiculação hidricaDoenças de veiculação hidrica
Doenças de veiculação hidrica
 
Doenças Hidoveiculadas Dra. Clea
Doenças Hidoveiculadas Dra. CleaDoenças Hidoveiculadas Dra. Clea
Doenças Hidoveiculadas Dra. Clea
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
 
Amebíase e toxoplasmose
Amebíase e toxoplasmoseAmebíase e toxoplasmose
Amebíase e toxoplasmose
 
Amebáse ana carolina
Amebáse ana carolinaAmebáse ana carolina
Amebáse ana carolina
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Nematodeos Intestinais Ancil
Nematodeos Intestinais   AncilNematodeos Intestinais   Ancil
Nematodeos Intestinais Ancil
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Doenças causadas por vermes
Doenças causadas por vermesDoenças causadas por vermes
Doenças causadas por vermes
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Balantidiose
BalantidioseBalantidiose
Balantidiose
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oralDoencas infecciosas parte 1 via fecal oral
Doencas infecciosas parte 1 via fecal oral
 
Giardíase
GiardíaseGiardíase
Giardíase
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 

Destaque (8)

Doenças veiculação hídrica
Doenças veiculação hídricaDoenças veiculação hídrica
Doenças veiculação hídrica
 
Dia mundial da água slide
Dia mundial da água slideDia mundial da água slide
Dia mundial da água slide
 
A água slide
A água slideA água slide
A água slide
 
A MENINA GOTINHA DE ÁGUA
A MENINA GOTINHA DE ÁGUAA MENINA GOTINHA DE ÁGUA
A MENINA GOTINHA DE ÁGUA
 
A importancia da água
A importancia da águaA importancia da água
A importancia da água
 
Ciclo Da Agua
Ciclo Da AguaCiclo Da Agua
Ciclo Da Agua
 
A importância da água
A importância da águaA importância da água
A importância da água
 
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGuaEra Uma Vez Uma Gotinha De áGua
Era Uma Vez Uma Gotinha De áGua
 

Semelhante a Doenças Hídricas: Causas e Sintomas

Semelhante a Doenças Hídricas: Causas e Sintomas (20)

Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Apresentação 4
Apresentação 4Apresentação 4
Apresentação 4
 
Doenças água
Doenças águaDoenças água
Doenças água
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
6 - parasitologia
6 - parasitologia6 - parasitologia
6 - parasitologia
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
 
Filo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e NematodaFilo platyhelminthes e Nematoda
Filo platyhelminthes e Nematoda
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Filo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintosFilo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintos
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Solo saude - 6º ano - 1º bimestre
Solo saude - 6º ano - 1º bimestreSolo saude - 6º ano - 1º bimestre
Solo saude - 6º ano - 1º bimestre
 
O solo e a saúde do nosso corpo
O solo e a saúde do nosso corpoO solo e a saúde do nosso corpo
O solo e a saúde do nosso corpo
 
A água com má qualidade é responsável por 80
A água com má qualidade é responsável por 80A água com má qualidade é responsável por 80
A água com má qualidade é responsável por 80
 
Principais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptxPrincipais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptx
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Nematelmintes
NematelmintesNematelmintes
Nematelmintes
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 

Mais de SESI 422 - Americana (20)

Origem da vida e Evolução
Origem da vida e EvoluçãoOrigem da vida e Evolução
Origem da vida e Evolução
 
Genética de populações
Genética de populaçõesGenética de populações
Genética de populações
 
Bioquímica básica
Bioquímica básicaBioquímica básica
Bioquímica básica
 
Expressividade e penetrância
Expressividade e penetrânciaExpressividade e penetrância
Expressividade e penetrância
 
Alelos múltiplos
Alelos múltiplosAlelos múltiplos
Alelos múltiplos
 
Casos especiais de herança
Casos especiais de herançaCasos especiais de herança
Casos especiais de herança
 
Exercícios 2
Exercícios 2Exercícios 2
Exercícios 2
 
Probabilidades e heredogramas
Probabilidades e heredogramasProbabilidades e heredogramas
Probabilidades e heredogramas
 
Textos novas espécies
Textos novas espéciesTextos novas espécies
Textos novas espécies
 
Exercícios
ExercíciosExercícios
Exercícios
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
 
Cromossomos, genes e alelos
Cromossomos, genes e alelosCromossomos, genes e alelos
Cromossomos, genes e alelos
 
Genética mendeliana básica
Genética mendeliana básicaGenética mendeliana básica
Genética mendeliana básica
 
Evidências da evolução
Evidências da evoluçãoEvidências da evolução
Evidências da evolução
 
Projeto terrário
Projeto terrárioProjeto terrário
Projeto terrário
 
Projeto paleontólogos
Projeto paleontólogosProjeto paleontólogos
Projeto paleontólogos
 
Garça branca
Garça brancaGarça branca
Garça branca
 
Reportagem jornalística – coalas
Reportagem jornalística – coalasReportagem jornalística – coalas
Reportagem jornalística – coalas
 
Capivara o maior roedor do mundo
Capivara o maior roedor do mundoCapivara o maior roedor do mundo
Capivara o maior roedor do mundo
 
Lírios
LíriosLírios
Lírios
 

Doenças Hídricas: Causas e Sintomas

  • 1.
  • 2. Doenças relacionadas com a água Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 80% de todas as doenças que se alastram nos países em desenvolvimento são provenientes da água de má qualidade. As doenças mais comuns, de transmissão Hídrica, são as seguintes:
  • 3. Microorganismos que podem contaminar a água Protozoário: Ameba Protozoário: Giardia lamblia Protozoário: Criptosporídio Vírus: Norwalk Vírus: Rotavírus Bactéria: Escherichia coli Bactéria: Salmonella typhi Bactéria: Vibrio cholerae Protozoário: Ciliado peduncular
  • 4. Amebíase Amebíase é uma doença endêmica em grande parte do território brasileiro e amplamente disseminada por todo o mundo. Agente causador: é o protozoário Entamoeba histolytica, um típico exemplo de protozoário rizópoda, isto é, protozoa destituído de flagelos ou cílios. Transmissão: Eliminados com as fezes pelas pessoas doentes, os cistos contaminam a água dos rios e, levados por esta ou pela poeira e pelas moscas, baratas e outros animais, também contaminam frutos, verduras e diversos alimentos, permitindo o alastramento dessa protozoose. Ciclo: As amebas se desenvolvem ou proliferam notadamente no intestino grosso, embora possam ser encontradas também no intestino delgado.
  • 5. Amebíase Quadro clínico: diarréia. Profilaxia: Há medicação específica para essa doença. Mas a profilaxia depende também de: Cuidados pessoais de higiene Limpeza das mãos e dos alimentos Saneamento básico nas regiões onde a pobreza e a promiscuidade facilitam a dispersão da endemia.
  • 6.
  • 7. Ancilostomose ou amarelão Agente causador: Ancylostoma duodenale e Necator americanus. Transmissão: pela penetração de larvas dos vermes pela pele ou ingestão de ovos do parasita através de água e alimentos contaminados. Ciclo: no intestino, a fêmea adulta põe ovos que são eliminados pelas fezes. No solo formam-se larvas que podem atravessar a pele humana. As larvas caem na circulação, chegam ao coração, pulmões, atravessam a parede dos alvéolos, sobem à árvore respiratória, chegam à faringe e são deglutidas chegando ao intestino e formam vermes adultos.
  • 8. Amarelão Quadro clínico: O verme se alimenta de sangue, há anemia, fraqueza, emagrecimento, desânimo, pele cor amarelada (amarelão). Pode surgir pervesão do apetite como hábito de comer terra, dores abdominais, vômito, diarréia e às vezes desinteria. Profilaxia Higiene alimentar Uso de calçado Instalações sanitárias adequadas Saneamento básico Educação sanitária Tratamento dos doentes.
  • 9. L
  • 10.
  • 11. Ascaridíase ou Lombriga Agente causador: Ascaris lumbricoides, conhecido como lombriga. Transmissão: pela ingestão de água e alimentos contaminados com ovos da lombriga. Ciclo: os ovos são ingeridos, chegam ao intestino do hospedeiro onde se abrem e liberam larvas que atravessam a parede intestinal, caem na circulação, passam para o fígado e pulmões. Nos pulmões atravessam os alvéolos, sobem pela árvore respiratória até chegar à faringe e são deglutidas. No intestino delgado transformam-se em vermes adultos.
  • 12. Ascaridíase Quadro clinico: quase não há problemas. Quando o número de vermes é grande, pode haver perigo de obstrução intestinal. Profilaxia Higiene alimentar Instalações sanitárias adequadas Educação sanitária Tratamento dos doentes