SlideShare uma empresa Scribd logo
Verminoses
Verminoses: conheça os tipos mais 
comuns 
De acordo com a Organização Mundial 
da Saúde (OMS) mais de dois bilhões de 
pessoas são portadoras de algum tipo 
de verme ou parasita. Estima-se que 
dois terços das causas de mortalidade 
mundial têm relação com as doenças 
de veiculação hídrica, como as 
parasitoses. 
São vários os parasitas – ou vermes 
- que podem infestar o ser humano. 
Muitas vezes, aliás, uma mesma 
pessoa pode ser portadora de mais 
de um tipo de verme.
Ancilostomose ou amarelão 
Os vermes causadores da doença são 
muito pequenos. 
A contaminação do homem depende da 
presença de fezes no solo e da 
temperatura quente do local. Por isso 
mesmo, é bastante comum em países 
de clima quente. 
- Principais sinais e sintomas na fase aguda: 
coceira acentuada no local da pele onde o 
verme penetrou, manchas vermelhas na 
pele, tosse e dores de barriga. 
- Principais sinais e sintomas na fase crônica: 
cansaço, tonturas, vômitos e diarreia. A pele 
adquire uma cor amarela causada pela 
anemia (por isso, o nome AMARELÃO). As 
crianças atingidas podem apresentar atraso 
no crescimento.
Ascaridíase 
Registrada praticamente 
no mundo todo, estima-se 
que cerca de 30% da 
população mundial possa 
estar infectada. 
O verme causador é o 
Ascaris lumbricoides, 
popularmente chamado 
de áscaris ou de lombriga.
Ascaridíase A transmissão mais comum da 
doença ocorre pela ingestão dos 
ovos do verme, presente em 
alimentos contaminados. 
Nas infecções leves, geralmente 
não há sintomas. Contudo, 
infecções mais graves podem levar 
o paciente, principalmente as 
crianças, a um quadro de 
abatimento, inclusive com 
desnutrição. 
Uma grave complicação de 
infestações maciças por áscaris é a 
obstrução intestinal causada pela 
formação de um "bolo de áscaris", 
requerendo intervenção médica 
urgente. Outras complicação é a 
infestação dos pulmões pelos 
áscaris, ocasionando um quadro 
semelhante à asma, chamado 
Síndrome de Loeffler.
Oxiurose 
É uma verminose 
muito comum no 
Brasil, atingindo 
crianças e jovens de 
ambos os sexos. 
O verme causador é 
o oxiúros.
Oxiurose A infecção ocorre pela boca, por 
meio da ingestão de poeira 
contendo ovos. Os ovos infectam 
os alimentos ou depositam-se em 
mãos e unhas. Alimentos mal 
lavados e a má higiene são então 
os responsáveis pela 
contaminação. 
Os oxiúros vivem no intestino 
humano, particularmente na 
região em torno do ânus, onde a 
fêmea deposita seus ovos. Nas 
mulheres, esse parasita pode ser 
encontrado na vagina, no útero e 
na bexiga. O sintoma mais 
freqüente é a coceira intensa ao 
redor do ânus. Nas mulheres, os 
oxiúros podem provocar infecções 
vaginais, com corrimento.
Teníase 
Também conhecida como 
solitária, a teníase é uma 
verminose causada por 
parasitas do gênero Taenia. 
Popularmente conhecido 
como tênia, este parasita 
infesta os porcos antes de se 
alojar no homem, considerado 
como o “hospedeiro 
definitivo”. No homem, se o 
parasita estiver presente na 
fase de larva (chamado de 
cisticerco) ou na fase adulta 
(quando é conhecido por 
tênia), será capaz de causar 
sintomas diferentes.
Teníase Infestação por parasitas na fase adulta ou 
tênias: as tênias causam principalmente 
cansaço, desânimo, tonturas, náuseas, 
vômitos, inchaço do abdome e perda de peso. 
Geralmente, não ocorrem grandes danos à 
saúde. As tênias são adquiridas pela ingestão 
de carne de porco crua, infectada com 
cisticercos. 
Infestação por parasitas na fase de larvas ou 
cisticercos: os cisticercos são responsáveis por 
vários sintomas, que variam em função de sua 
localização, número, tamanho e forma. É a 
chamada cisticercose. O crescimento das 
larvas no organismo pode levá-las a se 
alojarem no cérebro, provocando dores de 
cabeça, vômitos, dormência localizada, 
alterações mentais, convulsões e até mesmo 
coma. Quando se instalam no coração, os 
corações podem causar um mau 
funcionamento do mesmo, com alterações de 
seu ritmo e cansaço. Por fim, se alojados no 
olho, podem provocar deslocamento da retina 
e perda da visão.
Esquistossomose 
No Brasil, a 
esquistossomose, 
popularmente conhecida 
como barriga d'água, 
atinge milhões de 
pessoas. 
O parasita causador da 
doença pode ser 
encontrado em várias 
fases de seu ciclo 
evolutivo: verme adulto 
(macho e fêmea), ovo, 
miracídio, esporocisto e 
cercária.
Esquistossomose 
A transmissão ocorre pela penetração das cercárias através da 
pele dos pés e das pernas. Uma vez na circulação sanguínea do 
homem, os vermes chegam ao fígado, onde depositam seus 
ovos. Eliminados pelas fezes, os ovos podem contaminar a água, 
atingindo novamente o homem. 
Os sintomas variam em função do tipo e da quantidade de 
parasitas, da idade e do estado físico da pessoa. Antes do 
parasita depositar seus ovos, a pessoa infectada em geral sente 
um leve mal-estar, com ou sem febre, acompanhado de tosse e 
dores nos músculos. 
Na fase aguda (mais ou menos dois meses depois da infecção), 
após a colocação dos ovos, o paciente apresenta, além do mal-estar 
e da tosse, emagrecimento, diarréia e aumento do baço e 
fígado. 
Na fase crônica, destacam-se dores de barriga e diarréia, se a 
infecção tiver se instalado no intestino. O fígado aumenta de 
tamanho e fica doloroso; mas, com o passar do tempo, tende a 
diminuir de tamanho e ficar endurecido, perdendo suas funções. 
O organismo fica comprometido de maneira geral, acumula-se 
grande quantidade de líquido no abdômen (por isso, o nome 
barriga d'água) e, muitas vezes, até o esôfago fica 
comprometido, com a presença de intumescimento de suas 
veias (varizes do esôfago).
Sintomas gerais 
Independentemente do tipo de verminose, alguns 
sintomas estão quase sempre presentes. Dentre eles, 
destacam-se: 
- Indisposição geral (que pode ser confundida com 
preguiça); 
- Fraqueza; 
- Falta de apetite; 
- Enjôo (náuseas); 
- Vômitos; 
- Diarréia; 
- Cólicas intestinais; 
- Anemia; 
- Além dos sintomas específicos a cada tipo de verme.
Verminoses
Fonte: http://www.atmosferafeminina.com.br/ Imagens: Google imagens

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Edvaldo S. Júnior
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
Danillo Rodrigues
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
Matheus Oliveira Santana
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
Escola Básica e Secundária de Vizela - Infias
 
Doenças Causadas Por Bactérias
Doenças Causadas Por BactériasDoenças Causadas Por Bactérias
Doenças Causadas Por Bactérias
Simone Miranda
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
emanuel
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
Pibid Biologia Cejad
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
Shirley Alencar
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Laís Hildebrand
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
Alinebrauna Brauna
 
Microrganismos
MicrorganismosMicrorganismos
Microrganismos
Raphaell Garcia
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
Jaqueline Almeida
 
7º ano cap 5 vírus
7º ano cap 5   vírus7º ano cap 5   vírus
7º ano cap 5 vírus
ISJ
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
Laboratório Sérgio Franco
 
Aula n° 4 leishmaniose
Aula n° 4   leishmanioseAula n° 4   leishmaniose
Aula n° 4 leishmaniose
Gildo Crispim
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
naiellyrodrigues
 
Aula 6 Teniase E Cisticercose
Aula 6   Teniase E CisticercoseAula 6   Teniase E Cisticercose
Aula 6 Teniase E Cisticercose
ITPAC PORTO
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
feraps
 
Helmintos - Enfermegem
Helmintos - EnfermegemHelmintos - Enfermegem
Helmintos - Enfermegem
João Paulo Viana
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
Ana Filadelfi
 

Mais procurados (20)

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
 
Infecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveisInfecções sexualmente transmissíveis
Infecções sexualmente transmissíveis
 
Doenças Causadas Por Bactérias
Doenças Causadas Por BactériasDoenças Causadas Por Bactérias
Doenças Causadas Por Bactérias
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
Microrganismos
MicrorganismosMicrorganismos
Microrganismos
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 
7º ano cap 5 vírus
7º ano cap 5   vírus7º ano cap 5   vírus
7º ano cap 5 vírus
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Aula n° 4 leishmaniose
Aula n° 4   leishmanioseAula n° 4   leishmaniose
Aula n° 4 leishmaniose
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Aula 6 Teniase E Cisticercose
Aula 6   Teniase E CisticercoseAula 6   Teniase E Cisticercose
Aula 6 Teniase E Cisticercose
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Helmintos - Enfermegem
Helmintos - EnfermegemHelmintos - Enfermegem
Helmintos - Enfermegem
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
 

Destaque

Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
Carolina Suisso
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
Ana Zani
 
Capítulo 04 a estrutura da terra
Capítulo 04   a estrutura da terraCapítulo 04   a estrutura da terra
Capítulo 04 a estrutura da terra
Igor Brant
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
Ana Filadelfi
 
Aula parasito
Aula parasitoAula parasito
Aula platelmintos e nematelmintos
Aula  platelmintos e nematelmintosAula  platelmintos e nematelmintos
Aula platelmintos e nematelmintos
Adrianne Mendonça
 
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+AnelideosPlatelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
Vitor Maciel
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
Sarah Lemes
 
Os nematelmintos 1º ano
Os nematelmintos 1º anoOs nematelmintos 1º ano
Os nematelmintos 1º ano
Marcia Bantim
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
letyap
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
URCA
 
Nematelmintos, novo
Nematelmintos, novoNematelmintos, novo
Nematelmintos, novo
Brenda Daniel
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
profatatiana
 
Zoologia: Nematelmintos
Zoologia: NematelmintosZoologia: Nematelmintos
Zoologia: Nematelmintos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
Gaspar Neto
 
Parasitoses Intestinais
Parasitoses IntestinaisParasitoses Intestinais
Parasitoses Intestinais
Jonas Cesar Andrade Barbosa
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
UNAM
 
Phyllum platelmintos
Phyllum platelmintosPhyllum platelmintos
Phyllum platelmintos
Rosa Ana Vespa Payno
 
Novo Ensino Médio - Escolas em Tempo Integral
Novo Ensino Médio -  Escolas em Tempo IntegralNovo Ensino Médio -  Escolas em Tempo Integral
Novo Ensino Médio - Escolas em Tempo Integral
Palácio do Planalto
 
Introdução a Parasitologia
Introdução a ParasitologiaIntrodução a Parasitologia
Introdução a Parasitologia
Safia Naser
 

Destaque (20)

Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Capítulo 04 a estrutura da terra
Capítulo 04   a estrutura da terraCapítulo 04   a estrutura da terra
Capítulo 04 a estrutura da terra
 
Cartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúdeCartilha higiene e saúde
Cartilha higiene e saúde
 
Aula parasito
Aula parasitoAula parasito
Aula parasito
 
Aula platelmintos e nematelmintos
Aula  platelmintos e nematelmintosAula  platelmintos e nematelmintos
Aula platelmintos e nematelmintos
 
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+AnelideosPlatelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
Platelmintos+Nematodeos+Moluscos+Anelideos
 
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
7 ano: Anelídeos, Platelmintos e nematelmintos
 
Os nematelmintos 1º ano
Os nematelmintos 1º anoOs nematelmintos 1º ano
Os nematelmintos 1º ano
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Nematelmintos, novo
Nematelmintos, novoNematelmintos, novo
Nematelmintos, novo
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Zoologia: Nematelmintos
Zoologia: NematelmintosZoologia: Nematelmintos
Zoologia: Nematelmintos
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 
Parasitoses Intestinais
Parasitoses IntestinaisParasitoses Intestinais
Parasitoses Intestinais
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Phyllum platelmintos
Phyllum platelmintosPhyllum platelmintos
Phyllum platelmintos
 
Novo Ensino Médio - Escolas em Tempo Integral
Novo Ensino Médio -  Escolas em Tempo IntegralNovo Ensino Médio -  Escolas em Tempo Integral
Novo Ensino Médio - Escolas em Tempo Integral
 
Introdução a Parasitologia
Introdução a ParasitologiaIntrodução a Parasitologia
Introdução a Parasitologia
 

Semelhante a Verminoses

Trabalho de biologia 2
Trabalho de biologia 2Trabalho de biologia 2
Trabalho de biologia 2
adrianapaulon
 
Trab de biologia
Trab de biologiaTrab de biologia
Trab de biologia
2° Ta - cotuca
 
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptxDoenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
RaquelOlimpio1
 
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptxDoenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
RaquelOlimpio1
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
Tiago Silva
 
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdfAula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Giza Carla Nitz
 
Doenças
DoençasDoenças
Doenças
crishmuler
 
Trab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-CotucaTrab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-Cotuca
eld09
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Thúlio Bezerra
 
Feira da cultura
Feira da culturaFeira da cultura
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
laiscarlini
 
Trabalho esquistossomose
Trabalho esquistossomoseTrabalho esquistossomose
Trabalho esquistossomose
Jeferson Almeida
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
eld09
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
Adriano Antonholi
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
crishmuler
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
crishmuler
 
Pragas
PragasPragas
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
3a2011
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasDoenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
Rafael Serafim
 
SLIDES 12 e 14 BACTERIOSES antibioticos.pptx
SLIDES 12 e 14  BACTERIOSES  antibioticos.pptxSLIDES 12 e 14  BACTERIOSES  antibioticos.pptx
SLIDES 12 e 14 BACTERIOSES antibioticos.pptx
Luiz BORGES
 

Semelhante a Verminoses (20)

Trabalho de biologia 2
Trabalho de biologia 2Trabalho de biologia 2
Trabalho de biologia 2
 
Trab de biologia
Trab de biologiaTrab de biologia
Trab de biologia
 
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptxDoenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
 
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptxDoenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
Doenças transmitidas pela falta de tratamento da água.pptx
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdfAula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
Aula 9 - Doenças Transmitidas Por Vetores.pdf
 
Doenças
DoençasDoenças
Doenças
 
Trab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-CotucaTrab Bio Doenças-Cotuca
Trab Bio Doenças-Cotuca
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
 
Feira da cultura
Feira da culturaFeira da cultura
Feira da cultura
 
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
0508 ascaridíase, escabiose, pediculose - rose
 
Trabalho esquistossomose
Trabalho esquistossomoseTrabalho esquistossomose
Trabalho esquistossomose
 
Doenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCADoenças-Biologia-COTUCA
Doenças-Biologia-COTUCA
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Pragas
PragasPragas
Pragas
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasDoenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
 
SLIDES 12 e 14 BACTERIOSES antibioticos.pptx
SLIDES 12 e 14  BACTERIOSES  antibioticos.pptxSLIDES 12 e 14  BACTERIOSES  antibioticos.pptx
SLIDES 12 e 14 BACTERIOSES antibioticos.pptx
 

Mais de pratesclaudio

Qual a origem da história do Papai Noel?
Qual a origem da história do Papai Noel?Qual a origem da história do Papai Noel?
Qual a origem da história do Papai Noel?
pratesclaudio
 
Semana nacional do trânsito
Semana nacional do trânsitoSemana nacional do trânsito
Semana nacional do trânsito
pratesclaudio
 
Plantas comestíveis e ornamentais
Plantas comestíveis e ornamentaisPlantas comestíveis e ornamentais
Plantas comestíveis e ornamentais
pratesclaudio
 
Punks e Skinheads
Punks e SkinheadsPunks e Skinheads
Punks e Skinheads
pratesclaudio
 
Primavera
PrimaveraPrimavera
Primavera
pratesclaudio
 
Órgãos do sentido
Órgãos do sentidoÓrgãos do sentido
Órgãos do sentido
pratesclaudio
 
Lenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
Lenda Calção de Couro - Goianésia GoiásLenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
Lenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
pratesclaudio
 
Paraguai
ParaguaiParaguai
Paraguai
pratesclaudio
 
O marimbondo zangado - Eunice Braido
O marimbondo zangado - Eunice BraidoO marimbondo zangado - Eunice Braido
O marimbondo zangado - Eunice Braido
pratesclaudio
 
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio PratesCopa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
pratesclaudio
 
História: "A escola que chorava".
História: "A escola que chorava".História: "A escola que chorava".
História: "A escola que chorava".
pratesclaudio
 
Dengue
DengueDengue
Trânsito
TrânsitoTrânsito
Trânsito
pratesclaudio
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
pratesclaudio
 
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
pratesclaudio
 
Higiene - Prof. Cláudio Prates
Higiene - Prof. Cláudio PratesHigiene - Prof. Cláudio Prates
Higiene - Prof. Cláudio Prates
pratesclaudio
 
Partes da planta
Partes da plantaPartes da planta
Partes da planta
pratesclaudio
 
Profissões e salário
Profissões e salárioProfissões e salário
Profissões e salário
pratesclaudio
 
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
pratesclaudio
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
pratesclaudio
 

Mais de pratesclaudio (20)

Qual a origem da história do Papai Noel?
Qual a origem da história do Papai Noel?Qual a origem da história do Papai Noel?
Qual a origem da história do Papai Noel?
 
Semana nacional do trânsito
Semana nacional do trânsitoSemana nacional do trânsito
Semana nacional do trânsito
 
Plantas comestíveis e ornamentais
Plantas comestíveis e ornamentaisPlantas comestíveis e ornamentais
Plantas comestíveis e ornamentais
 
Punks e Skinheads
Punks e SkinheadsPunks e Skinheads
Punks e Skinheads
 
Primavera
PrimaveraPrimavera
Primavera
 
Órgãos do sentido
Órgãos do sentidoÓrgãos do sentido
Órgãos do sentido
 
Lenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
Lenda Calção de Couro - Goianésia GoiásLenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
Lenda Calção de Couro - Goianésia Goiás
 
Paraguai
ParaguaiParaguai
Paraguai
 
O marimbondo zangado - Eunice Braido
O marimbondo zangado - Eunice BraidoO marimbondo zangado - Eunice Braido
O marimbondo zangado - Eunice Braido
 
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio PratesCopa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
Copa do mundo 2014 - Prof. Cláudio Prates
 
História: "A escola que chorava".
História: "A escola que chorava".História: "A escola que chorava".
História: "A escola que chorava".
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Trânsito
TrânsitoTrânsito
Trânsito
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
História da Cidade de Goianésia - Prof. Cláudio Prates.
 
Higiene - Prof. Cláudio Prates
Higiene - Prof. Cláudio PratesHigiene - Prof. Cláudio Prates
Higiene - Prof. Cláudio Prates
 
Partes da planta
Partes da plantaPartes da planta
Partes da planta
 
Profissões e salário
Profissões e salárioProfissões e salário
Profissões e salário
 
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
Animais Selvagens e Domésticos - Prof. Cláudio Prates.
 
Páscoa
PáscoaPáscoa
Páscoa
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 

Verminoses

  • 2. Verminoses: conheça os tipos mais comuns De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) mais de dois bilhões de pessoas são portadoras de algum tipo de verme ou parasita. Estima-se que dois terços das causas de mortalidade mundial têm relação com as doenças de veiculação hídrica, como as parasitoses. São vários os parasitas – ou vermes - que podem infestar o ser humano. Muitas vezes, aliás, uma mesma pessoa pode ser portadora de mais de um tipo de verme.
  • 3. Ancilostomose ou amarelão Os vermes causadores da doença são muito pequenos. A contaminação do homem depende da presença de fezes no solo e da temperatura quente do local. Por isso mesmo, é bastante comum em países de clima quente. - Principais sinais e sintomas na fase aguda: coceira acentuada no local da pele onde o verme penetrou, manchas vermelhas na pele, tosse e dores de barriga. - Principais sinais e sintomas na fase crônica: cansaço, tonturas, vômitos e diarreia. A pele adquire uma cor amarela causada pela anemia (por isso, o nome AMARELÃO). As crianças atingidas podem apresentar atraso no crescimento.
  • 4. Ascaridíase Registrada praticamente no mundo todo, estima-se que cerca de 30% da população mundial possa estar infectada. O verme causador é o Ascaris lumbricoides, popularmente chamado de áscaris ou de lombriga.
  • 5. Ascaridíase A transmissão mais comum da doença ocorre pela ingestão dos ovos do verme, presente em alimentos contaminados. Nas infecções leves, geralmente não há sintomas. Contudo, infecções mais graves podem levar o paciente, principalmente as crianças, a um quadro de abatimento, inclusive com desnutrição. Uma grave complicação de infestações maciças por áscaris é a obstrução intestinal causada pela formação de um "bolo de áscaris", requerendo intervenção médica urgente. Outras complicação é a infestação dos pulmões pelos áscaris, ocasionando um quadro semelhante à asma, chamado Síndrome de Loeffler.
  • 6. Oxiurose É uma verminose muito comum no Brasil, atingindo crianças e jovens de ambos os sexos. O verme causador é o oxiúros.
  • 7. Oxiurose A infecção ocorre pela boca, por meio da ingestão de poeira contendo ovos. Os ovos infectam os alimentos ou depositam-se em mãos e unhas. Alimentos mal lavados e a má higiene são então os responsáveis pela contaminação. Os oxiúros vivem no intestino humano, particularmente na região em torno do ânus, onde a fêmea deposita seus ovos. Nas mulheres, esse parasita pode ser encontrado na vagina, no útero e na bexiga. O sintoma mais freqüente é a coceira intensa ao redor do ânus. Nas mulheres, os oxiúros podem provocar infecções vaginais, com corrimento.
  • 8. Teníase Também conhecida como solitária, a teníase é uma verminose causada por parasitas do gênero Taenia. Popularmente conhecido como tênia, este parasita infesta os porcos antes de se alojar no homem, considerado como o “hospedeiro definitivo”. No homem, se o parasita estiver presente na fase de larva (chamado de cisticerco) ou na fase adulta (quando é conhecido por tênia), será capaz de causar sintomas diferentes.
  • 9. Teníase Infestação por parasitas na fase adulta ou tênias: as tênias causam principalmente cansaço, desânimo, tonturas, náuseas, vômitos, inchaço do abdome e perda de peso. Geralmente, não ocorrem grandes danos à saúde. As tênias são adquiridas pela ingestão de carne de porco crua, infectada com cisticercos. Infestação por parasitas na fase de larvas ou cisticercos: os cisticercos são responsáveis por vários sintomas, que variam em função de sua localização, número, tamanho e forma. É a chamada cisticercose. O crescimento das larvas no organismo pode levá-las a se alojarem no cérebro, provocando dores de cabeça, vômitos, dormência localizada, alterações mentais, convulsões e até mesmo coma. Quando se instalam no coração, os corações podem causar um mau funcionamento do mesmo, com alterações de seu ritmo e cansaço. Por fim, se alojados no olho, podem provocar deslocamento da retina e perda da visão.
  • 10. Esquistossomose No Brasil, a esquistossomose, popularmente conhecida como barriga d'água, atinge milhões de pessoas. O parasita causador da doença pode ser encontrado em várias fases de seu ciclo evolutivo: verme adulto (macho e fêmea), ovo, miracídio, esporocisto e cercária.
  • 11. Esquistossomose A transmissão ocorre pela penetração das cercárias através da pele dos pés e das pernas. Uma vez na circulação sanguínea do homem, os vermes chegam ao fígado, onde depositam seus ovos. Eliminados pelas fezes, os ovos podem contaminar a água, atingindo novamente o homem. Os sintomas variam em função do tipo e da quantidade de parasitas, da idade e do estado físico da pessoa. Antes do parasita depositar seus ovos, a pessoa infectada em geral sente um leve mal-estar, com ou sem febre, acompanhado de tosse e dores nos músculos. Na fase aguda (mais ou menos dois meses depois da infecção), após a colocação dos ovos, o paciente apresenta, além do mal-estar e da tosse, emagrecimento, diarréia e aumento do baço e fígado. Na fase crônica, destacam-se dores de barriga e diarréia, se a infecção tiver se instalado no intestino. O fígado aumenta de tamanho e fica doloroso; mas, com o passar do tempo, tende a diminuir de tamanho e ficar endurecido, perdendo suas funções. O organismo fica comprometido de maneira geral, acumula-se grande quantidade de líquido no abdômen (por isso, o nome barriga d'água) e, muitas vezes, até o esôfago fica comprometido, com a presença de intumescimento de suas veias (varizes do esôfago).
  • 12. Sintomas gerais Independentemente do tipo de verminose, alguns sintomas estão quase sempre presentes. Dentre eles, destacam-se: - Indisposição geral (que pode ser confundida com preguiça); - Fraqueza; - Falta de apetite; - Enjôo (náuseas); - Vômitos; - Diarréia; - Cólicas intestinais; - Anemia; - Além dos sintomas específicos a cada tipo de verme.