Isaac newton

3.106 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.106
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Isaac newton

  1. 1. ISAAC NEWTOM<br />GISELE TEIXEIRA DA SILVA<br />JANAÍNA ALVES DO SANTOS<br />SABRINA AMÂNCIO DA SILVA<br />SABRINA GIORI<br />TAINAN CAROLINE <br />THAISE MOURÃO DOS SANTOS<br />
  2. 2. A vida DE ISAAC NEWTON<br />Isaac Newton nasceu em 25 de dezembro de 1642 (esta data corresponde ao CALENDÁRIO ANTIGO, com o CALENDÁRIO GREGORIANO atual em 04 de janeiro de 1643) em Woolsthorpe, Lincoln Shire, 150 quilômetros ao norte de Londres, Inglaterra. Seu pai, um fazendeiro puritano, morreu de pneumonia antes de seu nascimento e sua educação estava nas mãos de sua mãe e sua avó, deixando ao cuidado deste último, quando sua mãe se casou e deixou o pequeno com á avó até 1653, ano em que morreu seu padrasto e sua mãe voltou para casa.<br />
  3. 3.
  4. 4. A vida de Newton<br />Isaac Newton foi eleito em 1703 presidente da ROYAL SOCIETY, uma posição que ele ganhou todos os anos seguintes até 1727. Em 1705 foi condecorado pela rainha ANNE. <br />Na noite de 20 de março de 1727,aos 84 anos morreu Isaac Newton, após sofrer desconfortos físicos, graves problemas renais. <br />
  5. 5. AS OBRAS<br />Isaac Newton foi um astrônomo,físico,químico,filosofo,teólogo e matemática diferenciado as leis da mecânica clássica, o inventor do calculo diferencial e integral, generalizada de leis de Kepler da gravitação universal e contribui significativamente para o estudo da luz<br />Sua obra,philosophiae naturais principia mathemática,é considerada uma das mais influentes na historia da ciências . Publicada em 1687 , esta obra descreve a lei da gravitação universal e as três lei de Newton , que fundamentaram a mecânica clássica. <br />
  6. 6. as leis de Newton<br />Primeira Lei:<br />Inércia= é baseada na enunciada por Galileo, embora Galileo não tenha realmente chegado ao conceito de inércia. Na ausência de forças externas, um objeto em repouso permanece em repouso, e um objeto em movimento permanece em movimento, ficando em movimento retilíneo e com velocidade constante. Esta propriedade do corpo que resiste à mudança, chama-se inércia. A medida da inércia de um corpo é seu momentum. Newton definiu o momentum de um objeto como sendo proporcional à sua velocidade. A constante de proporcionalidade, que é a sua propriedade que resiste à mudança, é a sua massa: <br />
  7. 7. Segunda Lei: <br />Lei da Força= relaciona a mudança de velocidade do objeto com a força aplicada sobre ele. A força líquida aplicada a um objeto é igual à massa do objeto vezes a aceleração causada ao corpo por esta força. A aceleração é na mesma direção da força. <br />
  8. 8. Terceira Lei:<br />Ação e Reação= estabelece que se o objeto exerce uma força sobre outro objeto, este outro exerce uma força igual e contrária. <br />
  9. 9.
  10. 10. A aceleração orbita<br />Aceleração em órbitas circulares: o holandês Christiaan Huygens(1629-1695), em 1673 e, independentemente, Newton, em 1665 (mas publicado apenas em 1687, no Philosophiae naturalis principia mathematica 27 a b MFR) descreveram a aceleração centrípeta<br />
  11. 11. Gravitação Universal<br />Obviamente a Terra exerce uma atração sobre os objetos que estão sobre sua superfície. Newton se deu conta de que esta força se estendia até a Lua e produzia a aceleração centrípeta necessária para manter a Lua em órbita. O mesmo acontece com o Sol e os planetas. Então Newton formulou a hipótese da existência de uma força de atração universal entre os corpos em qualquer parte do Universo. <br />A força centrípeta que o Sol exerce sobre um planeta de massa m, que se move com velocidade v à uma distância r do Sol, é dada por: f=m-tr<br />
  12. 12. UM pouco mais de história<br /> Em 1668 Newton construiu um telescópio refletor, usado atualmente em todos os observatórios profissionais, com um espelho curvo ao invés de uma lente, usadas nos telescópios refratores de Galileo e Kepler. O telescópio de Galileo, construído em 1609 era composto de uma lente convexa e uma lenta côncava. Kepler, no livro Diopitrice, publicado em 1611, explicou que seria melhor construir um telescópio com duas lentes convexas, como se usa atualmente. A explicação de Newton da decomposição da luz branca, mostrando que a luz branca é a combinação de luz de cores diferentes, cada uma com seu indice de refração, é a base da espectros COPIA .<br />
  13. 13. FLOGÃO E ISAAC NEWTOM<br />ISAAC NEWTON<br />Newton publicou muitos trabalhos no campo da ótica e da matemática. Revolucionou a ciência física formulando as três leis básicas da mecânica e a lei da gravitação universal. Newton descobriu também que a luz poderia se dividir em muitas cores, através de um prisma, fenômeno da dispersão da luz (fig. 1.2), e usou esse conceito experimental para analisar a luz. Modelo Corpuscular da LuzNo século XVII, Newton procurando uma resposta para concreta que diria o que era a luz, desenvolveu o modelo corpuscular da luz, que a princípio teve grande aceitação por muitos anos.<br />
  14. 14. Ao estudar a refração, por meio desse modelo, surgia inevitavelmente como conseqüência o fato da velocidade da luz em um meio material como a água deveria ser maior que no ar.Naquela época, Newton não tinha condições de medir a velocidade da luzem meios matérias, por este motivo não foi possível comprovar a veracidade da teoria. No século XIX, Foucault pode medir a velocidade da luz na água, e percebeu que Newton estava errado. Pois a velocidade da luz, em qualquer meio material é menor que no ar.<br />
  15. 15. PRINCÍPIOS MATEMÁTICOS DA FILOSOFIA NATURAL - DEFINIÇÕES<br />O primeiro conceito pode até parecer estranho, é o conceito de massa. Sim, até então havia muita confusão em relação ao assunto. Erroneamente a massa de um corpo era conhecida como peso. Mas peso é a força com que a terra atrai os corpos, assim, se sua massa é 10, será 10 aqui, na Lua e em Júpiter. Entretanto, seu peso variará de planeta para planeta. Seu peso será bem menor na Lua e muito, mas muito mesmo, maior em Júpiter. <br />A seguir, Newton prossegue com uma definição crucial: a quantidade de movimento. Pela definição de Newton, a quantidade de movimento de um corpo é o produto de sua massa por sua velocidade. Imagine uma mosca e uma moto viajando a 60 Km/h. Talvez você prefira interromper o vôo da mosca. A massa dela é menor, sua quantidade de movimento idem<br />
  16. 16. LEIS DE NEWTOM E A GRAVITAÇÃO UNIVERSAL<br />Pouco se sabia sobre gravitação até o século XVII, pois acreditava-se que leis diferentes governavam os céus e a Terra. A força que mantinha a Lua pendurada no céu nada tinha a ver com a força que nos mantém presos à Terra. Isaac Newton foi o primeiro a pensar na hipótese das duas forças possuírem as mesmas naturezas; até então, havia apenas a teoria magnetista de Johannes Kepler, que dizia que era o magnetismo que fazia os planetas orbitarem o Sol<br />Newton explica, "Todos os objectos no Universo atraem todos os outros objectos com uma força direccionada ao longo da linha que passa pelos centros dos dois objectos, e que é proporcional ao produto das suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da separação entre os dois objectos."<br />Newton acabou por publicar a sua, ainda hoje famosa, lei da gravitação universal, no seu Principia Mathematica, como:<br />
  17. 17. onde:<br />F = força gravitacional entre dois objectos<br />m1 = massa do primeiro objecto<br />m2 = massa do segundo objecto<br />r = distância entre os centros de massa dos objectos<br />G = constante universal da gravitação<br />A força de atração entre dois objetos é chamada de peso.<br />Rigorosamente falando, esta lei aplica-se apenas a objectos semelhantes a pontos. Se os objectos possuírem extensão espacial, a verdadeira força terá de ser encontrada pela integração das forças entre os vários pontos. Por outro lado, pode provar-se que para um objecto com uma distribuição de massa esfericamente simétrica, a integral resulta na mesma atracção gravitacional que teria se fosse uma massa pontual.<br />Foi este obstáculo que levou Newton a adiar por vários anos a publicação da sua teoria, já que ele não conseguia mostrar que a gravitação exercida pela Terra sobre um corpo à sua superfície era a mesma como se toda a massa da Terra estivesse concentrada em seu centro.[2]<br />
  18. 18. FORMA VETORIA<br />A forma acima descrita é uma versão simplificada. Ela é expressa mais propriamente pela forma que segue, a qual é vetorialmente completa. (Todas as grandezas em negrito representam grandezas vetoriais)<br />é a força exercida em m1 por m2<br />m1 e m2 são as massas<br />são os vectores posição das duas massas respectivas<br />G é a constante gravitacional<br />Para a força na massa dois, simplesmente tome o oposto do vetor<br />A principal diferença entre as duas formulações é que a segunda forma usa a diferença na posição para construir um vetor que aponta de uma massa para a outra, e de seguida divide o vetor pelo seu módulo para evitar que mude a magnitude da força.<br />

×