O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

LBJ LIÇÃO 6 - A institucionalização da adoração e do louvor

10.352 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

LBJ LIÇÃO 6 - A institucionalização da adoração e do louvor

  1. 1. TEXTO DO DIA "Assim, nós, teu povo e ovelhas de teu pasto, te louvaremos eternamente; de geração em geração cantaremos os teus louvores." (Sl 79.13)
  2. 2. SÍNTESE A institucionalização da adoração e do louvor foi um processo pelo qual o povo de Israel teve de passar para enfrentar o desafio do crescimento e amadurecimento no meio de sua jornada no deserto.
  3. 3. TEXTO BÍBLICO Deuteronômio 12.1-7
  4. 4. 1. Estes são os estatutos e os juízos que tereis cuidado em fazer na terra que vos deu o SENHOR, Deus de vossos pais, para a possuirdes todos os dias que viverdes sobre a terra. 2. Totalmente destruireis todos os lugares onde as nações que possuireis serviram os seus deuses, sobre as altas montanhas, e sobre os outeiros, e debaixo de toda árvore verde; 3. e derribareis os seus altares, e quebrareis as suas estátuas, e os seus bosques queimareis a fogo, e abatereis as imagens esculpidas dos seus deuses, e apagareis o seu nome daquele lugar. 4. Assim não fareis para com o SENHOR, vosso Deus, 5. mas buscareis o lugar que o SENHOR, vosso Deus, escolher de todas as vossas tribos, para ali pôr o seu nome e sua habitação; e ali vireis. 6. E ali trareis os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta alçada da vossa mão, e os vossos votos, e as vossas ofertas voluntárias, e os primogênitos das vossas vacas e das vossas ovelhas. 7. E ali comereis perante o SENHOR, vosso Deus, e vos alegrareis em tudo em que poreis a vossa mão, vós e as vossas casas, no que te abençoar o SENHOR, vosso Deus.
  5. 5. INTRODUÇÃO
  6. 6. INTRODUÇÃO • Esta aula tem como foco principal buscar compreender os efeitos da institucionalização da adoração e do louvor em Israel por meio instituições, normas e regras . • Nem toda instituição é uma máquina burocrática e, por isso, alheia às necessidades das pessoas. • Necessidade mínima de organização prévia para o desenvolvimento de qualquer atividade em grupo. • A importância da existência de uma estrutura institucional na igreja local, ágil e com a definição dos papeis de cada participante da estrutura.
  7. 7. I - ISRAEL, UM POVO CUJO ESTILO DE VIDA RESUME-SE EM ADORAÇÃO
  8. 8. 1. A pormenorização dos elementos devocionais em Israel. • Após a saída do povo do Egito, Deus por meio de Moisés, transmitiu ao povo, os preceitos centrais da verdadeira adoração. • O povo havia sido influenciado por aproximadamente 430 anos pela cultura egípcia(Êx 24-31). • O povo recebeu orientações jurídicas, cerimoniais, sociais e devocionais que excluía o politeísmo e incentivava a dedicação exclusiva à Yahweh. • Expressão do amor zeloso de Deus por seu povo.
  9. 9. 2. A institucionalização da adoração • Até aquele momento histórico, a adoração dos filhos de Israel eram semelhante às práticas das sociedades do oriente antigo. • Inicia-se então um longo processo de aprendizagem em que são fundadas instituições que regulamentarão a adoração do povo de Israel. • As ofertas e sacrifícios que era realizados de forma aleatória e pessoal passa a ser organizados por meio da instituição do sacerdócio com regras e critérios (Êx 28.1- 29). • A adoração e o louvor a Deus conecta-se diretamente com a vida cotidiana.
  10. 10. 3. Tudo é do Senhor • Uma das características fundamentais do culto que passa a ser estabelecido no meio do povo liberto do Egito é a gratidão. • As ofertas, celebrações e rituais apontam para o grande amor de Deus na libertação da escravidão e proteção contínua. • As três grandes festas judaicas eram festividades estabelecidas para desenvolver continuamente uma consciência grata ao Senhor (Êx 34.22-24). • A institucionalização da fé judaica teve como objetivo estabelecer um conjunto de garantias que assegurariam o desenvolvimento de uma fé saudável e equilibrada.
  11. 11. PENSE Se Deus não tivesse estabelecido um conjunto mínimo de normas e cerimoniais para a organização do culto a Ele, como comportar-se-ia aquela multidão de pessoas que caminhava no deserto no momento de adorar a Deus?
  12. 12. PONTO IMPORTANTE A institucionalização parece ser um processo inevitável para todo agrupamento de pessoas que cresce numericamente.
  13. 13. II - CRITÉRIOS, NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA A ADORAÇÃO EM ISRAEL
  14. 14. 1. Ofertas e sacrifícios específicos • O adorador deveria observar uma série de exigências. • Se fosse um sacrifício animal, havia animais puros e impuros (Lv 11.47); • Dependendo da cerimônia o sacrifício deveria ser feito com um animal próprio àquele momento (Nm 7.15-17); • Algumas partes do animal seriam descartadas enquanto outras seriam valorizadas (Lv 4.4-12); • O animal sacrificado não poderia ter falhas ou doenças (Dt 15.19- 23); • Oferta de produtos de origem vegetal tinha critérios de quantidade e da qualidade do que era trazido (Lv 6.20; Nm 5.15; Dt 18.4). • Essa série de requisitos exigia um cuidado contínuo do adorador e um envolvimento de sua rotina na adoração.
  15. 15. 2. Lugares especiais • A adoração cerimonial foi concentrada em um lugar comunitário em que todas as pessoas podiam adorar ao mesmo Deus. • Num contexto politeísta, a designação de um só local para adoração oficial reforçava, nos corações e mentes dos israelitas, que só havia um Deus a ser reverenciado. • Inicialmente este "local" foi o tabernáculo, o ambiente de adoração portátil que o Senhor ordenou que Moisés construísse (Êx 25.8,9). • Posteriormente este local de adoração foi "fixado" no Templo em Jerusalém (2 Cr 7).
  16. 16. 3. Pessoas separadas • A institucionalização da adoração em Israel se deu por meio da separação de uma tribo inteira para os serviços relativos ao louvor e adoração e de uma família para o exercício do sacerdócio (Nm 3.6-10). • Um enorme privilégio, contudo, acompanhado de uma também enorme responsabilidade e resignação. • Os filhos de Levi não teriam parte na herança que todo o povo receberia (Dt 10.9; 12.12; 14.27; Js 18.7). • Se todo o povo vivia impulsionado pela fé, muito mais os levitas, que passaram a depender das ofertas do povo.
  17. 17. PENSE Você estaria disposto a abrir mão de todo conforto e bem-estar pessoal para viver inteiramente para o serviço de Deus?
  18. 18. PONTO IMPORTANTE Como acabamos de estudar, a institucionalização do judaísmo fortaleceu os vínculos sociais e enfraqueceu o politeísmo.
  19. 19. III - A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA FÉ HOJE
  20. 20. 1. A inevitável institucionalização • As igrejas evangélicas brasileiras multiplicaram-se de maneira notável durante o século XX. • De denominações que se reuniam em casas, geralmente da periferia, tornaram-se em grandes instituições espalhadas em todo o território nacional. • As igrejas precisaram se organizarem civilmente na aquisição de imóveis, contratação de pessoal, compra de bens móveis. • A institucionalização como algo necessário e irreversível. • A natureza essencial da Igreja é espiritual, por isso mesmo, quando ela trata de assuntos materiais deve fazer tudo com ética, lisura e justiça (Mt 22.17-21; Tt 3.1; 1 Pe 2.13-15).
  21. 21. 2. "Na minha igreja, só quem canta e prega são os oficiais" • Infelizmente esta frase sintetiza a realidade de muitas igrejas locais. • Organização Vs formalismo. • A Bíblia deixa bem claro que através da obra de Cristo somos todos sacerdotes da Nova Aliança, por isso universalmente capacitados para falar de Cristo (Ap 1.6; 20.6). • A beleza do pentecostalismo sempre foi a espontaneidade da participação leiga no anuncio publico do Evangelho de Jesus.
  22. 22. 3. Perigos contemporâneos da igreja enquanto instituição • A relação Igreja-Estado-Sociedade Civil torna-se perniciosa quando existe troca de favores, deixando de obedecer a Palavra de Deus. • Nesse caso, a ética cristã é ferida, priorizando mais os homens que o Reino de Deus. • Tais relações trazem escândalos e são uma das principais causas de abandono da fé. • A vida em comunidade é a essência do Cristianismo (Jo 17.22).
  23. 23. PENSE Sem dúvida alguma os "desigrejados" não possuem fundamento real para suas argumentações, isto porque a razão de nossa fé é Cristo e ninguém mais.
  24. 24. PONTO IMPORTANTE A natureza espiritual e o aspecto legal são duas faces inegáveis desse plano amoroso criado por Deus para a humanidade denominado Igreja. Já houve um tempo, quando as instituições civis eram menos desenvolvidas, que a Igreja não necessitava de estrutura institucional, hoje isso não é mais possível.
  25. 25. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nos aprendemos que: 1. Após a libertação do povo de Israel da escravidão do Egito, Deus estabelece regras e critérios para organizar o estilo de vida e adoração do seu povo. 2. Foram definidos procedimentos específicos para cada sacrifício, além de lugares exclusivos e grupo de pessoas com dedicação exclusiva para liderarem a adoração e louvor, com exercerem o sacerdócio. 3. A institucionalização da igreja é uma necessidade e irreversível, mas não precisa se tornar em um formalismo exagerado.
  27. 27. REFERÊNCIAS CABRAL, Elienai. Abraão: As experiências de nosso pai na fé. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. COLSON, Charles & PEARCEY, Nancy. E Agora Como Viveremos? Rio de Janeiro: CPAD, 2000. DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. KESSLER, Nemuel. Deus não desistiu de você. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. Em espírito e em verdade: a essência da adoração cristã. Comentarista: Thiago Brazil. 4º Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016. PALMER, Michael D. (Ed.). Panorama do Pensamento Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2001 SILVA. E. R. Adoração sem limite: Um coração aos pés de Cristo. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine. 7ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
  28. 28. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 (TIM)

×