O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Lição 1 - O real significado da adoração e do louvor

440 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Lição 1 - O real significado da adoração e do louvor

  1. 1. TEXTO DO DIA "Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhemos diante do SENHOR que nos criou." (Sl 95.6)
  2. 2. SÍNTESE O louvor e a adoração são os atributos que o verdadeiro cristão consagra a Deus.
  3. 3. OBJETIVOS 1. APRESENTAR a busca pela adoração como algo essencial ao ser humano. 2. RELACIONAR adoração e louvor com amor e obediência. 3. DISCUTIR a respeito dos perigos que corre uma igreja quando não vive em adoração.
  4. 4. TEXTO BÍBLICO Marcos 12.28-34
  5. 5. 28. Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar e, sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? 29. E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. 30. Amarás, pois, ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. 31. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. 32. E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, e com verdade disseste que há um só Deus e que não há outro além dele; 33. e que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças e amar o próximo como a si mesmo é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios. 34. E Jesus, vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: Não estás longe do Reino de Deus. E já ninguém ousava perguntar-lhe mais nada.
  6. 6. INTRODUÇÃO
  7. 7. INTRODUÇÃO • Adoração e louvor = duas faces de uma mesma moeda = nosso relacionamento com Deus. • Durante os próximos três meses estudaremos a respeito dos fundamentos de nossa adoração e louvor a Deus. • O objetivo é aprofundar nossa relação com Deus.
  8. 8. I - A SINCERA DÚVIDA DE UM ESCRIBA
  9. 9. 1. A relação de Jesus com os líderes religiosos de sua época • Convivência tumultuada entre Jesus e as autoridades religiosas de sua época: • Quando de sua entrada triunfal em Jerusalém Ele foi criticado pelos fariseus (Lc 19.38-40). • Depois de expulsar os vendedores do Templo, escribas e sacerdotes tramaram matá-lo (Mc 11.17,18). • Sacerdotes, escribas e anciãos tentaram constituir provas para uma acusação de blasfêmia (Mc 11.27,28). • Sacerdotes e fariseus quiseram prendê-lo (Mt 21.45,46), herodianos e fariseus buscaram induzi-lo ao erro de insubordinação contra César (Mc 12.13-17) e saduceus procuraram embaraçá-lo com uma questão a respeito da interpretação da lei (Lc 20.27-33).
  10. 10. 2. A dúvida do escriba • Pergunta aparentemente genuína: "Qual é o primeiro de todos os mandamentos?" (Mc 12.28). • O questionamento era sobre qual o maior, o mais importante, o mandamento imprescindível. • Jesus cita o Shema Judaico, isto é, a clássica declaração de Deuteronômio 6.4-9 , uma espécie de "declaração de fé". • Conclusão do doutor da lei era dura para o sistema religioso tradicional: amar a Deus e ao próximo como a si mesmo é mais importante "do que todos os holocaustos e sacrifícios" (Mc 12.33).
  11. 11. 3. A declaração de Jesus • Diante da resposta do doutor da lei, Jesus lhe assegura que suas convicções o aproximam do Reino de Deus (Mc 12.34). • A adoração não tem relação com o que possuímos (financeiro, social ou intelectual), mas com aquilo que somos. • Se reconheço que não sou nada e que Deus é incomparável, então sou adorador! • Se percebo o outro como meu irmão, merecedor de toda a misericórdia e amor que necessito, estou louvando a Deus! • O que faço não deve ser consequência de uma cobiça por algo a receber, mas o resultado de um autoconhecimento básico: sou filho amado do Pai e membro do Corpo de Cristo.
  12. 12. PENSE É notório que boa parte dos conflitos que Jesus tinha com as pessoas que comandavam o mundo religioso de sua época estava relacionada à sua visão sobre adoração e louvor.
  13. 13. PONTO IMPORTANTE Ao ser indagado sobre o "maior mandamento", Jesus não declara apenas: "Adorar a Deus!", o Mestre preocupa-se em afastar sua resposta da pura teoria e procura contextualizá-la associando-a diretamente ao amor a Deus e ao próximo, conceitos muito mais acessíveis a qualquer pessoa.
  14. 14. II - A RESPEITO DA ADORAÇÃO INDIVIDUAL
  15. 15. 1. Possíveis definições para louvor e adoração? • Existem níveis e intensidades diferentes na adoração e louvor, não necessariamente uma hierarquia ou uma escala: • Provisória e precariamente, podemos descrever adoração e louvor como um estado de consciência onde se reconhece simultaneamente a grandiosidade de Deus e a efemeridade da condição humana. • É a busca insaciável por mais da pessoa de Deus, sem nenhum interesse alheio a esse fim. • É desejo pessoal de dedicar o máximo de si a Deus e ao próximo.
  16. 16. 2. A espontaneidade e simplicidade na adoração • Adoração não pode ser mecanizada. Cuidado com os apelos midiáticos ("tarde de adoração", "noite dos adoradores“, ...) • Nunca se deve associar a adoração e o louvor a uma sequência de protocolos a serem seguidos, e que não podem ser modificados. • A adoração e louvor estão relacionados a situações de fortes sentimentos, arrebatamentos, entre outros (Dn 10.7-10; At 22.7). • Ao falar a respeito do "perfeito louvor", Jesus cita a pureza e simplicidade das crianças (Mt 21.16). • Algo feito de forma espontânea, por meio da gratidão, quebrantamento e humilhação.
  17. 17. 3. Adoração como acesso individual a Deus • Não dá para adorar mais ou menos, "quase adorar" ou adora-se a Deus ou não! Não adiante se enganar! • A verdade é que aqueles que creem e buscam a Deus com simplicidade de coração, com certeza o acharão (Sl 119.7). • Deus convida-nos a adorá-lo, reconhecê-lo como único Senhor (Sl 29.2; 150.6; Is 55.6). • Exemplo bíblicos de adorações pessoais: • Isaías teve o pecado perdoado (Is 6.7); • Moisés conversou com Deus como quem dialoga com um amigo (Êx 33.11); • Jacó teve um encontro inesquecível com Deus (Gn 32.28); e • Paulo teve sua cosmovisão reorientada (2 Co 12.1-10).
  18. 18. PENSE Adoração e louvor não são uma sequência de protocolos a serem seguidos. Eles devem ser espontâneos e brotar de um coração inteiramente rendido ao Pai.
  19. 19. PONTO IMPORTANTE Cada pessoa é única e reage de maneira diferente ao sentir a presença de Deus nos momentos de adoração e louvor.
  20. 20. III - ALGUNS DESAFIOS NA ADORAÇÃO EM COMUNIDADE
  21. 21. 1. O cerimonialismo legalista contemporâneo • Normas para se prestar um culto são necessárias, e a própria Bíblia traz essas orientações. • Entretanto, um culto que se concentra em ritos e cerimônias tende a engessar a liberdade da adoração e do Espírito Santo em atuar na congregação. • A adoração não está diretamente vinculada à execução de determinadas formalidades espirituais.
  22. 22. 2. A irreverência assumida como elemento litúrgico • Em nome de uma suposta modernização algumas igrejas perderam suas identidades. Algumas reuniões são apenas meros ajuntamentos sociais. • Para certos grupos, ir ao shopping e ir à igreja significa a mesmíssima coisa, literalmente. • O louvor como espetáculo de pirotecnia espiritual - às vezes nada mais que muito choro e gritos ou pulos e aplausos. • Letras repetitivas à exaustão, vazias de conteúdo bíblico e até mesmo de sentido lógico, povoam certas igrejas. • Para atrair o público jovem o templo transforma-se em um local de entretenimento.
  23. 23. 3. O que significa realmente adoração e louvor? • O interesse pela verdadeira adoração pode conduzir a ela. Lembra do escriba cheio de dúvidas (v.34)? • Muito mais importante que saber o conceito é poder testemunhar as experiências de uma verdadeira adoração. • O verdadeiro adorador saberá quando sua adoração e louvor são aceitas por Deus.
  24. 24. PENSE Você se sente motivado a louvar e adorar a Deus durante as celebrações em sua igreja? De que forma você pode contribuir para que o ambiente comunitário em que você serve a Deus torne-se um espaço de vivências de adoração?
  25. 25. PONTO IMPORTANTE A moderação é uma palavra- chave na construção das liturgias coletivas em uma comunidade. A igreja não pode tornar-se um campo de combate de gostos e opiniões. Princípios como "cuidado com os mais fracos" e "misericórdia" sempre devem estar presentes.
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  27. 27. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nos aprendemos que: 1. Uma busca sincera pela verdadeira adoração e louvor leva a experiência com Deus. 2. A verdadeira adoração e louvor se dá de forma espontânea, por meio da gratidão, quebrantamento e humilhação. 3. A verdadeira adoração e louvor não ocorre motivada por legalismo e nem por shows “espectaculares”.
  28. 28. REFERÊNCIAS LIÇÕES BÍBLICAS JOVENS. XXXX. Comentarista: xxx . 4º Trim, Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016. SILVA. E. R. Adoração sem limite: Um coração aos pés de Cristo. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine. 7ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
  29. 29. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 (TIM)

×