Maria João Franco no meu silêncio vejo-te em palavras      14 de abril a 22 de maio de 2012-04-21            Edifício do B...
Dr. Raul Castro, Presidente da C. M. Leiria, Maria João Franco, Luís Capinha                      Dr. Raul Castro, Preside...
Dr. Guilherme Valente, Maria João Franco, Fernanda Sal
Francisco Paulo Vieira e Maria João FrancoRui Portugal, Marília Figueiredo, Maria Manuela, Maria João Franco, Lena Boavida
Rosário Varela, Maria João Franco e Dr. Gonçalo Lopes, vice-presidente da C. M. Leiria
BREVE VIAGEMPELA OBRA DE MARIA JOÃO FRANCO       Não é fácil falar da obra de Maria João Franco, mesmo para quem julgaconh...
que simultaneamente se afastam (ou mesclam) pela vivência individual de uma    mente peculiar — fruto simbiótico, talvez n...
“MoMarte” – Vila do Conde;/ I Aniversário da Galeria VO –Lisboa ;/ “I Bienal de Gravura daAmadora “ –C.M. Amadora, Galeria...
2011- Galeria Pepper´s-Caldas da Rainha/Portugal.-Feira de Internacional de Arte de Xangai /Galeria 57 /Leiria/PortugalLM ...
REPRESENTAÇÕES Museu de Setúbal; Cooperativa dos Gravadores Portugueses, Gravura emLisboa;Culturgest, Lisboa; Museu Armind...
Maria joão franco  no meu silencio3
Maria joão franco  no meu silencio3
Maria joão franco  no meu silencio3
Maria joão franco  no meu silencio3
Maria joão franco  no meu silencio3
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Maria joão franco no meu silencio3

623 visualizações

Publicada em

MIGUEL FRANCO_exposição de MAria João Franco em homenagem a MIGUEL FRANCO no seu 94º aniversário_14 de abril de 2012

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
623
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maria joão franco no meu silencio3

  1. 1. Maria João Franco no meu silêncio vejo-te em palavras 14 de abril a 22 de maio de 2012-04-21 Edifício do Banco de Portugal Leiriaem homenagem a MIGUEL FRANCO
  2. 2. Dr. Raul Castro, Presidente da C. M. Leiria, Maria João Franco, Luís Capinha Dr. Raul Castro, Presidente da C. M. Leiria, Maria João Franco, Dr. Guilherme Valente
  3. 3. Dr. Guilherme Valente, Maria João Franco, Fernanda Sal
  4. 4. Francisco Paulo Vieira e Maria João FrancoRui Portugal, Marília Figueiredo, Maria Manuela, Maria João Franco, Lena Boavida
  5. 5. Rosário Varela, Maria João Franco e Dr. Gonçalo Lopes, vice-presidente da C. M. Leiria
  6. 6. BREVE VIAGEMPELA OBRA DE MARIA JOÃO FRANCO Não é fácil falar da obra de Maria João Franco, mesmo para quem julgaconhecê-la na sua essência. Uma obra assim pungente, abismo de verdadesinenarráveis, grita-nos, através das suas formas, parte da história do mundo,contendo as dilacerações mais profundas da condenação sisifiana, tragédias quevêm de longe, dos primórdios, não sei bem donde, revelando que a vida pode serfeita e refeita, vezes sem conta, nascimento ou renascimento, obra que seconstrói e desconstrói até atingir a soma do que realmente importa: um «tu nãodizes, quanto eu te encontro» — marca inequívoca e basilar da incessanteprocura humana pela eternidade possível.A obra de Maria João Franco possui um global efeito abstractizante, contudo,parece interiorizar alguns indícios de uma erudição académica, denunciandoinsofismavelmente, desde logo, a fuga à iniciação a fim de correr livremente peladiversidade imagética de um universo plástico muito próprio, sombrio eagonizante. Nestas telas, entretanto, Bacon parece espreitar. Farreras tambémmas sem perder as bases da sua identidade. Este ponto de vista tenta explicar adificuldade que temos em separar as influências, vínculos que são perenes mas
  7. 7. que simultaneamente se afastam (ou mesclam) pela vivência individual de uma mente peculiar — fruto simbiótico, talvez nascido entre a diferença e a semelhança, reflectindo na tela, apesar dos paradoxos inerentes, uma força telúrica e estranha de cunho antropomórfico. Mesmo quando a autora representa os nus envelhecidos por cima da sua intocável frescura. Maria João Franco consegue dissimular, de maneira esplendorosa e única, a fecundidade, gerando assim, por meio de uma poesia plástica, a sua própria e inexorável procura, onde a semiótica persuade o fruidor a olhar para além da sua própria solidão, do seu próprio sofrimento. Aquilo que os nossos olhos costumam reconhecer por defeito, é aqui, em geral, representado por oposição, vivenciando um espaço que Maria João Franco preenche em pureza, em oração, em intimidade. Talvez um dia o mundo (re) conheça o notável talento desta artista portuguesa e universal e lhe conceda o merecido espaço, mas, talvez, só depois de fundado um novo mundo, após destruídas as ruidosas cidades e falsos paradigmas da nossa sangrenta civilização. MIGUEL BAGANHAMaria João Franco nasceu em Leiria em 1945.Tem o curso de Pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa.Frequentou o curso de Arquitectura de Belas Artes do Porto.EXPOSIÇÕES COLECTIVAS1982- “Pequeno Formato”- SNBA (Sociedade Nacional de Belas Artes),Lisboa.1983- “Pequeno Formato”- SNBA (Sociedade Nacional de Belas Artes),Lisboa.“Artistas da SNBA”- Lisboa.1984- “Exposição comemorativa do 10º Aniversário do 25 de Abril” , Lisboa“Portugal em Abril”- Palácio da Cidadela , Cascais.1984/85-“Homenagem dos Artistas Portugueses a Almada Negreiros” , Lisboa.1985- “II Bienal Nacional de Desenho “- Cooperativa Arvore, Porto;SNBA, Lisboa;“Jovens Pintores” Galeria Almada Negreiros, Lisboa.1986- “III Exposição de Artes Plásticas”- 30º Aniversário da FundaçãoCalouste Gulbenkian , Lisboa.1987- “IV Prémio da Grabado Maximo Ramos”- Ferrol/Corunha, Espanha;/ “IV Exposição deGravura”-Cooperativa de Gravadores Portugueses , Gravura/Fundação Calouste Gulbenkian – Lisboa /Exposiçãode Gravura comemorativa do Ano Europeu do Ambiente – Portugal, Espanha ;França, Inglaterra eAlemanha; / “Colectiva de Pintura”- Museu Grão Vasco./ “I Concurso de Desenho Perez Villaamil”-Museu Municipal , Bello Piñero, Ferrol (Corunha), Espanha; / “III Bienal Nacional de Desenho”-Cooperativa Arvore, Porto./ Colectiva da Inauguração da Galeria VO- Lisboa.1988- “Risco Inadiável”- ESBAL;/ Inauguração da Galeria Municipal de Vila Franca de Xira;/ “VPrémio deGrabado Maximo Ramos”- Ferrol (Corunha), Espanha./ “Salão de Gravura Luso – Brasileira” –Estoril;/
  8. 8. “MoMarte” – Vila do Conde;/ I Aniversário da Galeria VO –Lisboa ;/ “I Bienal de Gravura daAmadora “ –C.M. Amadora, Galeria Municipal Amadora /Arvore , Porto;/ “II Concurso de Desenho ArtísticoPerezVillaamil” – Ferrol (Corunha), Espanha.1989- “III Bienal de Escultura e Desenho das Caldas da Rainha”- Atelier MuseuAntónio Duarte, Caldas da Rainha;/ “Mulheres Pintoras” – Galeria Municipal de Vila Franca deXira;/ “VIIPrémio de Grabado Maximo Ramos” –Ferrol(Corunha) ,Espanha;/ “Colectiva de Gravura” GaleriaMunicipal de Almada.1990- “Colectiva de Pintura” - Galeria S. Francisco, Lisboa; / “Colectiva de Desenho”- Galeria S.Francisco, Lisboa;1990/91 – “Colectiva de Pintura no Aniversário da Morte de José RégioGaleria Municipal de Portalegre.1991- “9+2+3”-Galeria Neupergama, Torres Novas.1992- “Unidade e Conflito na Arte Contemporânea”- Galeria Municipal de Almada;/“Arte Contemporânea” – Galeria Santa Justa, Lisboa;/ Galeria Quattro –Leiria.1993- “4ª Bienal das Caldas da Rainha”- Galeria Quattro- Leiria.1994- Galeria Quattro – Leiria.1995- Galeria Quattro – Leiria; /“Bienal da Festa do Avante”- Lisboa.1997- “I Bienal do Alentejo”- Beja, Vendas Novas;/ “I Salão de Arte Internacional da Moita”- Moita;/“XBienal da Festa do Avante” – Lisboa; “25º Aniversário da A.P.D.” – Lisboa;/ Inauguração da Galeria57 –Leiria.1998- Colectiva de Pintores de Leiria – Galeria 57, Leiria;/Exposição no congresso de SexologiaClínica –Hospital Júlio de Matos , Lisboa;/ Desenho e Pintura Galeria Trema – Lisboa;/ II Exposição doespólio daCâmara Municipal da Amadora.1999 - “ArsMultiplica” Rheine ,Alemanha /Leiria , Portugal2000- Colectiva “500 anos depois”- Galeria de exposições Hotel Meridian, Salvador daBahia ./ Galeria 57 – Leiria (com o alto patrocínio da presidência da República)/ IntercâmbioCulturalPalácio das Artes, Belo Horizonte – galeria 57- Leiria;/ Aniversário da Galeria 57, Leiria ; / ColectivadaGaleria Trema – FAC (Feira de Arte Contemporânea), Lisboa;/ Colectiva de Natal – Galeria 57,Leiria/Colectiva Galeria 57 – Leiria –Expo salão, Batalha.2001- Galeria Trema – Lisboa/ Galeria 65-A – Lisboa2002- Galeria VO- Lisboa /Galeria Sacramento – Aveiro2003- Galeria Sacramento – Aveiro /Galeria Perve –Lisboa2005 - "universos femininos" Galeria Corrente dArte –Lisboa / Feira de Arte Contemporânea-GaleriaSãoFrancisco - Lisboa2006 - Arte na Planície - Montemor o Novo2007 – ART MADRID – Homenagem a Mário Cesariny – FEIRA DE ARTECONTEMPORÂNEA DE MADRID2008- Colectiva de Verão do MAC-Movimento Arte Contemporânea-Lisboa;/Colectiva de verão daGaleria São Mamede-Lisboa;/ Colectiva de Natal do MAC-Movimento Arte Contemporânea-Lisboa2009 - “8 MULHERES”- Fundação Oriente-Delegação de Macau-China/Galeria 57-Leiria-Portugal;/Kun Start 2009 ,Bolzano – Galeria 57,Leiria.Potugal/Bolzano-Itália;/ 13th Shanghai Art Fair – Galeria 57Leiria. Portugal/Shangai-China; / “A Arte não se mede aos palmos” – NUNO SACRAMENTO –GaleriadeArte;/Contemporânea-Aveiro-Portugal;/“ MAC’15ºAniversárioMAC-Movimen-to Arte Contemporânea-Lisboa;/Colectiva de Verão – Galeria São Mamede – Lisboa2010_ “Os anjos desceram à cidade” Galeria Paula Cabral /LisboaColectiva de Natal -MAC-Movimento Arte Contemporânea/Lisboa/Portugal
  9. 9. 2011- Galeria Pepper´s-Caldas da Rainha/Portugal.-Feira de Internacional de Arte de Xangai /Galeria 57 /Leiria/PortugalLM Galeria de Arte-Sintra / PortugalGaleria Patricia Muñoz/ Barcelona /Espanha–EXPOSIÇÔES INDIVIDUAIS1985-“A Galeria”, Cascais;1987- “Casa de Bocage”, Setúbal;1988- Galeria Voz do Operário , Lisboa;Galeria Quattro , Leiria ;Galeria S. Francisco, Lisboa.1989- Galeria Quattro , Leiria.1990 - Alfa Mixta , Lisboa;Galeria Municipal de Portalegre , Portalegre.1991 - Galeria S. Francisco , Lisboa;Galeria da Praça , Porto.1993 - Convento do Baeto , Lisboa.1994 – Galeria Quattro, Leiria.1995 - Galeria do Casino da Figueira da Foz.1996 – Galeria 65A, Lisboa.1997 – “Um olhar de Pele” – Galeria Municipal da Amadora;Edifício Chiado, Coimbra;“Memórias” – Inauguração da casa Miguel Franco;“Estórias do Corpo”- Museu Municipal Dr. Santos Rocha , Figueira da Foz. 1998 – “NovosFragmentos” –Galeria Municipal Gymnasio , Lisboa;“Nós, os outros”- Galeria 65A , Lisboa.1999 – “Corpos Estranhos” Galeria Trema, Lisboa;“Percursos”- Cooperativa Arvore, Porto;“Tempo de o senso e o Ser” – Galeria 57, Leiria.2002 – “Novas Estórias do Corpo” – Galeria 65A – Lisboa2004 – “Nós, os Nús e os outros objectos” – Galeria Perve – Lisboa.“ Lírica do nu entre as sombras” – Galeria Sacramento – Aveiro2005 –“lugar dos desencontros ou sítios da memória” – Espaço Chiado - Coimbra"lugar dos desencontros ou sítios da memória"2 - Espaço Alfama - Lisboa2005 - "tu vens tão perto que a distância existe" - Centro de Arte Contemporânea da Amadora2006 - "MULHER E EU" - MAC- Movimento Arte Contemporânea –Lisboa2007 – “ENCONTROS estórias…” - MAC Movimento Arte Contemporânea2008- “Tu não aconteces quando eu te quero”Museu da Água da EPAL-LisboaMAC-Movimento Arte Contemporânea-Lisboa2009-“não!não abro mão da minha maré” MAC-Movimento Arte Contemporânea-Lisboa2010-“esta pele que dispo para nela te envolver” Galeria Municipal Artur Bual – Amadora“o rio largo da minha memória” – ARC16 galeria – Faro2010- “ à tua espera ,sim!” Arquivo Museu Municipal de Vila Real de Santo António2012- “ no meu silêncio vejo-te em palavras” Edifício do Banco de Portugal/ LeiriaPRÉMIOS 1987 – Prémio de edição na “IV Exposição Nacional de Gravura” – Gravura/FundaçãoCalousteGulbenkian, Lisboa; 1º Prémio do concurso de Gravura Integrado no Ano Europeu do AmbienteSetúbal/Beauvais.2006 – Prémio MAC Carreira 2006 – MAC Movimento Arte Contemporânea – Lisboa2007- Prémio MAC Prestígio 2007 – MAC Movimento Arte Contemporânea – Lisboa2008 - Prémio MAC Prestígio 2008 – MAC Movimento Arte Contemporânea – LisboaPrémio MAC Pintura 2008 – MAC Movimento Arte Contemporânea – Lisboa2009- Prémio MAC Prestígio2 009 - MAC Movimento Arte Contemporânea – Lisboa
  10. 10. REPRESENTAÇÕES Museu de Setúbal; Cooperativa dos Gravadores Portugueses, Gravura emLisboa;Culturgest, Lisboa; Museu Armindo Teixeira Lopes, Mirandela; Acervo da C.M. Lisboa, Coimbra,Amadora e Abrantes; Teatro Miguel Franco, com painel alusivo à obra “O Motim”, daquele autor;Coleções particulares em Portugal, Itália, Espanha, França, Suíça, Brasil, EUA e Holanda. Museu daÁgua da EPAL, LisboaEm 1997 executou um cartão de tapeçaria para Manufatura de Tapeçarias de Portalegre,da República cujo 1º exemplar faz parte do acervo do Sr. Presidente, Dr. Jorge Sampaio.Trabalha em cerâmica artística a convite da Keramos – Condeixa.Convidada pela Foundation for the Support of Monastery Bentlage a participar no InternationalSummer Workshop em Rheine – Alemanha Agosto 2005.2011 – Edição de uma serigrafia a convite do Município de Castro Marimwww.mariajoaofranco.blogspot.comfranco.mariajoao@gmail.comFotos cedidas por Sandra Costa/ C.M. Leiria

×