SlideShare uma empresa Scribd logo

Flyer curso entre ouro e pedrarias_2016

curso,PIN

1 de 1
Baixar para ler offline
5as feiras, das 18h30 às 19h30
dias 18 e 25
de fevereiro
3, 10 e 17 de março
2016
Local
Sociedade Nacional de Belas Artes
Rua Barata Salgueiro 36,
1250-044 Lisboa
Inscrições
pin@pin.pt
secretaria da SNBA
Minimo de inscrições:15
Preço
75,00€
60,00€ membros da PIN
e membros da SNBA
Prof. Doutor
Gonçalo de Vasconcelos e Sousa
Professor Catedrático da Escola das Artes
da Universidade Católica Portuguesa
ENTRE OURO
E PEDRARIAS...
TESOUROS DA JOALHARIA
EM PORTUGAL E NO BRASIL
Curso
.
QUESTÕES INTRODUTÓRIAS
1 – Ourivesaria, prataria, joalharia e vária
2 – O papel socioeconómico da jóia
3 – Materiais em joalharia: metais, gemas e outros
4 – Joalharia popular versus joalharia erudita;
a questão da chamada ourivesaria Popular
5 – Ourives do ouro, ourives da prata, cravador
de pedraria, lapidário; comerciante de ourivesaria
6 – De aprendiz a oficial, de oficial a mestre no ofício
de ourives do ouro
7 – Da oficina à casa de ourivesaria
8 – Marca de Ensaiador Municipal, marca da
contrastaria, marca do ourives Fabricante
9 – Ensaiador e Contraste do ouro
10 – O Regimento do Ensaiador do ouro de 1693
11 – Principais centros produtores de Ourivesaria
em Portugal e no Brasil
12 – A Confraria de Santo Elói dos Ourives do Ouro
13 – Fontes para o estudo da ourivesaria em Portugal
e no Brasil
MILÉNIOS DE EVOLUÇÃO HISTÓRICA
1 – Joalharia Na Idade Dos Metais
1.1. As Jóias Proto-históricas Não-castrejas
1.2. As Jóias na Sociedade Castreja
1.3. Tipologias
1.4 Os Tesouros Descobertos
2 – Joalharia Romana
2.1. A Joalharia e a Sociedade Romana
2.2. Tipologias de Peças
3 – Ourivesaria Medieval
3.1. Os Tesouros Reais
3.2. O Tesouro da Rainha Santa Isabel
4 – Joalharia Quinhentista
4.1. Os Objectos Vindos da Índia
4.2. Os Dotes Das Infantas
4.3. Uma Grande Coleccionadora:
A Rainha D. Catarina
4.4. Tipologias de Peças
5 – Joalharia Seiscentista
5.1. Tipologias de Peças e Gemas Utilizadas
5.2. As Jóias de D. Luísa De Gusmão
5.3. As Jóias de D. Catarina de Bragança
6 - O Barroco e o Rococó e a Explosão das Formas
6.1. Uma Visão da Joalharia Internacional
nos Séculos XVII e XVIII
6.2. As Jóias de D. Catarina de Bragança,
Rainha de Inglaterra
6.3. O Ouro e os Diamantes do Brasil;
O Ciclo do Milho
6.4. As Jóias da Casa Real
6.5. Tipologias de Jóias
6.6. A «festa da Cor»: As Gemas do Brasil
na Joalharia Portuguesa e o Comércio
de Jóias com o Brasil
6.7. – As Jóias realizadas na cidade no Porto:
Os Laços e uso dos Esmaltes
6.8. – A Joalharia no Retrato e o papel
da Gravura
7 – Joalharia Neoclássica
7.1. Tipologias de Peças
7.2. Principais Gemas Utilizadas
7.3. O papel do Retrato e o uso Corporal
da Jóia nos Finais de Setecentos e Primrio
Terço de Oitocentos
7.4. Os Livros de Desenhos de Jóias como
Catálogos dos Ourives
8 – Os Revivalismos no Século Xix
8.1. O uso de novos materiais
8.2. Tipologias de Peças
8.3. As Jóias no Retrato de aparato Masculino
e Feminino
8.4. Jóias de Crioula Versus Joalharia Popular
9 – Arte Nova d Art Déco
10 – As grandes casas da Joalharia
10.1. A Casa Leitão & Irmão
10.2. A Casa De José Rosas
10.3. A Casa Reis & Filhos
10.4. Luiz Ferreira
10.5. Casa Michel (S. Paulo)
O conhecimento da História
da Joalharia em Portugal e no Brasil
envolve um conjunto de realidades
relacionadas com os ofícios de ourives
do ouro, cravador e lapidário, para além
do estudo da evolução estética, das
tipologias de peças e do relacionamento
com as mentalidades e a sociedade
das distintas épocas.
Da época proto-histórica à joalharia
contemporânea, desenvolveu-se uma
das Artes Decorativas Portuguesas
e Brasileiras que mais entusiasmo causa
aos apreciadores e estudiosos estrangeiros.
A perícia de execução, bem como
a riqueza das formas e a variedade
das gemas utilizadas transportam
a Joalharia Portuguesa e Brasileira
para um universo de luxo e de aparato,
que este Curso Livre visa dar a conhecer
com a actualidade que as últimas
investigações neste tema têm permitido.
Programa
+ info
www.pin.pt
www.ideia.pt
organização: apoio:parceiro:

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Flyer curso entre ouro e pedrarias_2016

Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Maria Franco
 
Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Maria Franco
 
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4ABCursos OnLine
 
Artesanato em Sintra (2).pptx
Artesanato em Sintra (2).pptxArtesanato em Sintra (2).pptx
Artesanato em Sintra (2).pptxssuserd10da8
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaiurypreto
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaHugo Galvão
 
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercíciosA arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercíciosVIVIAN TROMBINI
 
Curso design de_joias_sp__27241
Curso design de_joias_sp__27241Curso design de_joias_sp__27241
Curso design de_joias_sp__27241Wallemberg Araújo
 
Jb news informativo nr. 0412
Jb news   informativo nr. 0412Jb news   informativo nr. 0412
Jb news informativo nr. 0412JB News
 
Arte pré histórica no brasil
Arte pré histórica no brasilArte pré histórica no brasil
Arte pré histórica no brasilEd de Souza
 
Indústria da cerâmica e porcelana
Indústria da cerâmica e porcelanaIndústria da cerâmica e porcelana
Indústria da cerâmica e porcelanaHugo Galvão
 
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-Zôo
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-ZôoSaiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-Zôo
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-ZôoEstudio Click
 
Aula prática com os alunos do colégio lobo
Aula prática com os alunos do colégio loboAula prática com os alunos do colégio lobo
Aula prática com os alunos do colégio loboEstudio Click
 
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEAPOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEVIVIAN TROMBINI
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaPavel Mocan
 
Apostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaApostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaLuis Silva
 

Semelhante a Flyer curso entre ouro e pedrarias_2016 (20)

Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016
 
Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016Flyer curso ouro popular portugues_2016
Flyer curso ouro popular portugues_2016
 
Empoderar
EmpoderarEmpoderar
Empoderar
 
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4
Curso de confeccionar bijuterias - Parte 1/4
 
Artesanato em Sintra (2).pptx
Artesanato em Sintra (2).pptxArtesanato em Sintra (2).pptx
Artesanato em Sintra (2).pptx
 
Pagela ourivesaria arcaica web 22.05.2013
Pagela ourivesaria arcaica web 22.05.2013Pagela ourivesaria arcaica web 22.05.2013
Pagela ourivesaria arcaica web 22.05.2013
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
 
A bijuteria ap
A bijuteria  apA bijuteria  ap
A bijuteria ap
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
 
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.MAULA 5 - ARTE - 1º E.M
AULA 5 - ARTE - 1º E.M
 
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercíciosA arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
A arte na Pré-História - aula 2 - com exercícios
 
Curso design de_joias_sp__27241
Curso design de_joias_sp__27241Curso design de_joias_sp__27241
Curso design de_joias_sp__27241
 
Jb news informativo nr. 0412
Jb news   informativo nr. 0412Jb news   informativo nr. 0412
Jb news informativo nr. 0412
 
Arte pré histórica no brasil
Arte pré histórica no brasilArte pré histórica no brasil
Arte pré histórica no brasil
 
Indústria da cerâmica e porcelana
Indústria da cerâmica e porcelanaIndústria da cerâmica e porcelana
Indústria da cerâmica e porcelana
 
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-Zôo
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-ZôoSaiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-Zôo
Saiba como foi a aula prática no Museu Nacional e no Rio-Zôo
 
Aula prática com os alunos do colégio lobo
Aula prática com os alunos do colégio loboAula prática com os alunos do colégio lobo
Aula prática com os alunos do colégio lobo
 
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTEAPOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
APOSTILA HISTÓRIA DA ARTE
 
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelanaIndústria da-cerâmica-e-porcelana
Indústria da-cerâmica-e-porcelana
 
Apostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte novaApostila de historia da arte nova
Apostila de historia da arte nova
 

Mais de Maria Franco

jornal de leiria.pdf
jornal de leiria.pdfjornal de leiria.pdf
jornal de leiria.pdfMaria Franco
 
sou mais AMOR e mais CÂO
sou mais AMOR e mais CÂOsou mais AMOR e mais CÂO
sou mais AMOR e mais CÂOMaria Franco
 
Jornal de Leiria fev 2017
Jornal de Leiria fev 2017Jornal de Leiria fev 2017
Jornal de Leiria fev 2017Maria Franco
 
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel Maria Franco
 
Maria joão franc3 listagem com preços 2017
Maria joão franc3 listagem com preços 2017Maria joão franc3 listagem com preços 2017
Maria joão franc3 listagem com preços 2017Maria Franco
 
Scripto sensu e post
Scripto sensu e postScripto sensu e post
Scripto sensu e postMaria Franco
 
Mariocabritagil convite
Mariocabritagil conviteMariocabritagil convite
Mariocabritagil conviteMaria Franco
 
OLHARES de Rocha de Sousa
OLHARES de Rocha de SousaOLHARES de Rocha de Sousa
OLHARES de Rocha de SousaMaria Franco
 
Jean Charlet -Martelli
Jean Charlet -MartelliJean Charlet -Martelli
Jean Charlet -MartelliMaria Franco
 
Jcm version web (1) (1) (1)
Jcm version web (1) (1) (1)Jcm version web (1) (1) (1)
Jcm version web (1) (1) (1)Maria Franco
 
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Maria Franco
 
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...Maria Franco
 
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)Maria Franco
 
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Maria Franco
 
Arc 16 galeria convite
Arc 16 galeria conviteArc 16 galeria convite
Arc 16 galeria conviteMaria Franco
 
Obras teresa mendonça arc16 galeria
Obras teresa mendonça arc16 galeriaObras teresa mendonça arc16 galeria
Obras teresa mendonça arc16 galeriaMaria Franco
 
Exposição junho maria joão franco
Exposição junho maria joão francoExposição junho maria joão franco
Exposição junho maria joão francoMaria Franco
 
Croco04 2014 final
Croco04 2014 finalCroco04 2014 final
Croco04 2014 finalMaria Franco
 
MARIA JOÃO FRANCO - O MOTIM /1 preçario com imagens
 MARIA JOÃO FRANCO  - O MOTIM  /1 preçario com imagens MARIA JOÃO FRANCO  - O MOTIM  /1 preçario com imagens
MARIA JOÃO FRANCO - O MOTIM /1 preçario com imagensMaria Franco
 

Mais de Maria Franco (20)

jornal de leiria.pdf
jornal de leiria.pdfjornal de leiria.pdf
jornal de leiria.pdf
 
sou mais AMOR e mais CÂO
sou mais AMOR e mais CÂOsou mais AMOR e mais CÂO
sou mais AMOR e mais CÂO
 
Jornal de Leiria fev 2017
Jornal de Leiria fev 2017Jornal de Leiria fev 2017
Jornal de Leiria fev 2017
 
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel
Expo conv esp santo 01 maria joao franco desdobravel
 
Maria joão franc3 listagem com preços 2017
Maria joão franc3 listagem com preços 2017Maria joão franc3 listagem com preços 2017
Maria joão franc3 listagem com preços 2017
 
Scripto sensu e post
Scripto sensu e postScripto sensu e post
Scripto sensu e post
 
Mariocabritagil convite
Mariocabritagil conviteMariocabritagil convite
Mariocabritagil convite
 
OLHARES de Rocha de Sousa
OLHARES de Rocha de SousaOLHARES de Rocha de Sousa
OLHARES de Rocha de Sousa
 
Jean Charlet -Martelli
Jean Charlet -MartelliJean Charlet -Martelli
Jean Charlet -Martelli
 
Jcm version web (1) (1) (1)
Jcm version web (1) (1) (1)Jcm version web (1) (1) (1)
Jcm version web (1) (1) (1)
 
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
 
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...
Antonio canau exp individual vii bienal internacional de gravura do douro 201...
 
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)
Cartaz bienalinternacional gravura douro 2014 vfinal (3)
 
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
Antonio canau exp comisssarios vii bienal internacional de gravura do douro 2014
 
Arc 16 galeria convite
Arc 16 galeria conviteArc 16 galeria convite
Arc 16 galeria convite
 
Obras teresa mendonça arc16 galeria
Obras teresa mendonça arc16 galeriaObras teresa mendonça arc16 galeria
Obras teresa mendonça arc16 galeria
 
Exposição junho maria joão franco
Exposição junho maria joão francoExposição junho maria joão franco
Exposição junho maria joão franco
 
Altar dos dias
Altar dos diasAltar dos dias
Altar dos dias
 
Croco04 2014 final
Croco04 2014 finalCroco04 2014 final
Croco04 2014 final
 
MARIA JOÃO FRANCO - O MOTIM /1 preçario com imagens
 MARIA JOÃO FRANCO  - O MOTIM  /1 preçario com imagens MARIA JOÃO FRANCO  - O MOTIM  /1 preçario com imagens
MARIA JOÃO FRANCO - O MOTIM /1 preçario com imagens
 

Último

CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 

Último (20)

CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 

Flyer curso entre ouro e pedrarias_2016

  • 1. 5as feiras, das 18h30 às 19h30 dias 18 e 25 de fevereiro 3, 10 e 17 de março 2016 Local Sociedade Nacional de Belas Artes Rua Barata Salgueiro 36, 1250-044 Lisboa Inscrições pin@pin.pt secretaria da SNBA Minimo de inscrições:15 Preço 75,00€ 60,00€ membros da PIN e membros da SNBA Prof. Doutor Gonçalo de Vasconcelos e Sousa Professor Catedrático da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa ENTRE OURO E PEDRARIAS... TESOUROS DA JOALHARIA EM PORTUGAL E NO BRASIL Curso . QUESTÕES INTRODUTÓRIAS 1 – Ourivesaria, prataria, joalharia e vária 2 – O papel socioeconómico da jóia 3 – Materiais em joalharia: metais, gemas e outros 4 – Joalharia popular versus joalharia erudita; a questão da chamada ourivesaria Popular 5 – Ourives do ouro, ourives da prata, cravador de pedraria, lapidário; comerciante de ourivesaria 6 – De aprendiz a oficial, de oficial a mestre no ofício de ourives do ouro 7 – Da oficina à casa de ourivesaria 8 – Marca de Ensaiador Municipal, marca da contrastaria, marca do ourives Fabricante 9 – Ensaiador e Contraste do ouro 10 – O Regimento do Ensaiador do ouro de 1693 11 – Principais centros produtores de Ourivesaria em Portugal e no Brasil 12 – A Confraria de Santo Elói dos Ourives do Ouro 13 – Fontes para o estudo da ourivesaria em Portugal e no Brasil MILÉNIOS DE EVOLUÇÃO HISTÓRICA 1 – Joalharia Na Idade Dos Metais 1.1. As Jóias Proto-históricas Não-castrejas 1.2. As Jóias na Sociedade Castreja 1.3. Tipologias 1.4 Os Tesouros Descobertos 2 – Joalharia Romana 2.1. A Joalharia e a Sociedade Romana 2.2. Tipologias de Peças 3 – Ourivesaria Medieval 3.1. Os Tesouros Reais 3.2. O Tesouro da Rainha Santa Isabel 4 – Joalharia Quinhentista 4.1. Os Objectos Vindos da Índia 4.2. Os Dotes Das Infantas 4.3. Uma Grande Coleccionadora: A Rainha D. Catarina 4.4. Tipologias de Peças 5 – Joalharia Seiscentista 5.1. Tipologias de Peças e Gemas Utilizadas 5.2. As Jóias de D. Luísa De Gusmão 5.3. As Jóias de D. Catarina de Bragança 6 - O Barroco e o Rococó e a Explosão das Formas 6.1. Uma Visão da Joalharia Internacional nos Séculos XVII e XVIII 6.2. As Jóias de D. Catarina de Bragança, Rainha de Inglaterra 6.3. O Ouro e os Diamantes do Brasil; O Ciclo do Milho 6.4. As Jóias da Casa Real 6.5. Tipologias de Jóias 6.6. A «festa da Cor»: As Gemas do Brasil na Joalharia Portuguesa e o Comércio de Jóias com o Brasil 6.7. – As Jóias realizadas na cidade no Porto: Os Laços e uso dos Esmaltes 6.8. – A Joalharia no Retrato e o papel da Gravura 7 – Joalharia Neoclássica 7.1. Tipologias de Peças 7.2. Principais Gemas Utilizadas 7.3. O papel do Retrato e o uso Corporal da Jóia nos Finais de Setecentos e Primrio Terço de Oitocentos 7.4. Os Livros de Desenhos de Jóias como Catálogos dos Ourives 8 – Os Revivalismos no Século Xix 8.1. O uso de novos materiais 8.2. Tipologias de Peças 8.3. As Jóias no Retrato de aparato Masculino e Feminino 8.4. Jóias de Crioula Versus Joalharia Popular 9 – Arte Nova d Art Déco 10 – As grandes casas da Joalharia 10.1. A Casa Leitão & Irmão 10.2. A Casa De José Rosas 10.3. A Casa Reis & Filhos 10.4. Luiz Ferreira 10.5. Casa Michel (S. Paulo) O conhecimento da História da Joalharia em Portugal e no Brasil envolve um conjunto de realidades relacionadas com os ofícios de ourives do ouro, cravador e lapidário, para além do estudo da evolução estética, das tipologias de peças e do relacionamento com as mentalidades e a sociedade das distintas épocas. Da época proto-histórica à joalharia contemporânea, desenvolveu-se uma das Artes Decorativas Portuguesas e Brasileiras que mais entusiasmo causa aos apreciadores e estudiosos estrangeiros. A perícia de execução, bem como a riqueza das formas e a variedade das gemas utilizadas transportam a Joalharia Portuguesa e Brasileira para um universo de luxo e de aparato, que este Curso Livre visa dar a conhecer com a actualidade que as últimas investigações neste tema têm permitido. Programa + info www.pin.pt www.ideia.pt organização: apoio:parceiro: