Modernismo em portugal

1.563 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.563
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modernismo em portugal

  1. 1. MODERNISMO EM PORTUGAL (1910 – 1940)
  2. 2.  Orfeu - Revista considerada o marco inicial do Modernismo em PortugalFoi idealizada por Fernando Pessoa e RonaldCarvalho (brasileiro)
  3. 3. Três fases: Primeira geração: Orfismo Segunda geração: Presencismo Terceira geração: Neorrealismo
  4. 4. Primeira geração: Orfismo Ousadia e irreverênciaOrfeu surgiu em 1915. Manteve os princípios doFuturismo de Marinetti. Texto com construção inovadora (sintaxe) Escandaliza os conservadores Ausência de métrica Desprezo pelo uso da razão Valorização do subconsciente
  5. 5. Fernando Pessoa: o poeta de múltiplas faces Utiliza um recurso inovador: a heteronímia(Nome falso, outro nome, que representa outrapessoa criada pelo artista)Ele escreve como: Ele mesmo Alberto Caeiro Álvaro de Campos Ricardo Reis
  6. 6. Épico MensagemOrtônimo Cancioneiro Fernando Pessoa –   Poemas Franceses Literato Lírico Poemas Ingleses Traduções Textos em Prosa Ricardo Reis – o médico - Odes  Clássico Álvaro de Campos -  o Heterônimos Poesias engenheiro – Ficções de Moderno/RevolucionárioInterlúdioInter-ludus O Guardador de  Rebanhos Alberto Caeiro – o homem  O Pastor Amoroso do campo  Poemas Inconjuntos
  7. 7. Sistema heteronímico/ abarcar o mundo pólo da + objetividade - sensação ALBERTO CAEIRO presente/simplicidade/cultura elementar/campo. RICARDO REIS passado/classicizante/cultura humanística/formal ÁLVARO DE CAMPOS presente/cidade//conflitos modernos, crises pólo da + subjetividade - pensar
  8. 8. O próprio Fernando Pessoa escreveu:Criei em mim várias personalidades. Crio personalidadesconstantemente. Cada sonho meu é imediatamente, logo aoaparecer sonhado, encarnado numa outra pessoa, que passa asonhá-lo, e eu não. [...] Sou a cena viva onde passam váriosatores representando várias peças. (Desassossego)
  9. 9. Ricardo ReisAlberto Caeiro Álvaro de Campos
  10. 10. Os três heterônimos (AlbertoCaeiro, Ricardo Reis, Álvaro deCampos) e “O Menino da sua Mãe"Desenho a esferográfica de AlmadaNegreiros 
  11. 11. Alberto Caeiro Pretenso mestre dos outros heterônimos. Caeiro pretende surgir-nos como um homem de visão ingênua, instintiva, gostosamente entregue à infinita variedade do espetáculo das sensações, principalmente visuais, por hipótese desfrutáveis por um rural clássico reinventado.
  12. 12. Álvaro dos CamposEngenheiro naval "franzino e civilizado", o maisfecundo e versátil heterônimo de Fernando Pessoa,é também o mais nervoso e emotivo, que porvezes vai até à histeria.Álvaro de Campos é o futurista da exaltação da energia , davelocidade e da força da civilização mecânica do futuro,patentes na "Ode Triunfal".É o sensacionalista que pretende "sentir tudo de todas asmaneiras", ultrapassar a fragmentaridade numa "histeria desensações".
  13. 13. Poema em Linha Reta ..... Toda a gente que eu conheço e que fala comigo Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho, Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida... Quem me dera ouvir de alguém a voz humana Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia; Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia! Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam. Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil? Ó príncipes, meus irmãos, Arre, estou farto de semideuses! Onde é que há gente no mundo? Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?
  14. 14. Ricardo Reis De formação clássica, "pagão por caráter", segue Caeiro no amor da vida rústica, junto da natureza. Mas, enquanto o Mestre, menos culto e complicado é (oupretende ser) um homem franco, alegre.Reis é um ressentido que sofre e vive o drama datransitoriedade doendo-lhe o desprezo dos deuses. Afligem-noa imagem antecipada da Morte e a dureza do Fado.
  15. 15. Outros autores Almada Negreiros – artista eclético Mário de Sá-Carneiro – conflito interior
  16. 16. Segunda geração: presencismo Revista Presença: apregoava a libertação do academicismo e a prática de uma arte mais original. Introspecção A arte deveria expressar o individual em lugar do coletivo e o psicológico e o intuitivo deveria estar acima do racional.
  17. 17. Representantes José Régio Tema recorrente em suas obras: o conflito entre Deus e o homem. João Gaspar Simões Divulgou os autores da primeira geração, levando o público a uma maior compreensão deles.
  18. 18. Terceira geração: Neorrealismo Características: expor questões sociais preocupantes, como a injustiça, a luta de classes e os conflitos gerados pelos sistemas de governo vigentes. O texto neorrealista português apresenta alguma semelhança com a literatura brasileira no que diz respeito à denúncia das injustiças sociais.
  19. 19. Autores Alves RedolObra: Gaibéus: retrata a situação dos camponesesnos arrozais. Ferreira de CastroViveu no Brasil. Trabalhou nos seringais na Amazônia,em condições de semiescravidão.Obra mais importante: A selva
  20. 20.  Jorge de Sena Viveu situações de conflito geradas pela Guerra Civil Espanhola. Ele refletiu em seus poemas o trauma eu marcou a sua infância. Morou no Brasil e depois nos EUA. Seus escritos são marcados pelo desassossego de um mundo em constante turbulência. Obras mais importantes: O indesejado (1945) e As evidências (poema, 1955)

×