SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
A N O S D E C H U M B O
Anos 70 no Brasil
Emílio Garrastazu Médici
 Emílio Garrastazu Médici nasceu em Bagé, 4
de dezembro de 1905 e faleceu no Rio de
Janeiro, 9 de outubro de 1985. Foi um militar
e político brasileiro. Foi Presidente do Brasil
entre 30 de outubro de 1969 e 15 de março de
1974, durante o regime militar do país.
Obteve a patente de General-de-Exército.
Seu período na presidência ficou conhecido
historicamente como Anos de Chumbo.
 No governo Médici, observamos o auge da
ação dos instrumentos de repressão e tortura
instalados a partir de 1968. Ao mesmo
tempo, no governo de Médici observamos o
uso massivo dos meios de comunicação para
instituir uma visão positiva sobre o Governo
Militar.
Política
 No campo político, porém, o país vive na passagem de década o clímax da
intolerância, com censura à imprensa e atos violentos contra a oposição. O
presidente general Emílio Garrastazu Médici comanda uma política
determinada a exterminar os grupos de esquerda, que criou núcleos regionais
de repressão entrando em ação também a Oban, organização paramilitar
financiada por empresários e que era composta por integrantes das Forças
Armadas, Polícia Federal e polícias estaduais. Com objetivos: a prisão, torturar
a assassinato dos ativistas de esquerda.
 O período militar ocorreu no Brasil no período de 1964 a 1984. O golpe dá aos
militares um imenso poder.
 A crise que levou ao golpe de 64 começa com a renúncia do presidente Jânio
Quadros em julho de 1961, após sete meses de governo, que se mostrava de
esquerda para os políticos que eram contra o Comunismo, Jânio perdeu o apoio
político que precisava para se manter no governo. Seu vice João Goulart
assumiu a presidência depois de muitos conflitos.
 Em março de 1964, depois de rebeliões, da perda da sustentação popular e da
perda do apoio dos políticos, militares e políticos de direita se unem e
derrubam o governo de João Goulart, e instauram uma ditadura militar que
cuidou rapidamente de desprezar os políticos e as instituições.
 Nesse período no cenário político internacional acontecia a Guerra Fria.
 A influência norte-americana no golpe militar do Brasil foi determinante. Os
Estados Unidos na intenção de conter o comunismo na América Latina,
afirmava que a democracia era incapaz de evitar a eclosão deste tipo de regime.
 Após a tomada do golpe, o governo passou a considerar como “inimigo
interno” todos os que discordavam do regime. A violência atingiu a homens e
mulheres, muitas delas grávidas, e também crianças.
 Para garantir e controlar a sociedade dentro das regras do regime, o governo
criou um espetacular sistema de repressão que se baseava em divisões de
tarefas.
 Médici dá início, em 30 de outubro de 1969, ao governo que representará o
período mais absoluto de repressão, violência e supressão das liberdades civis
de nossa história republicana.
 Um balanço ainda precário registra a prisão de 50 mil pessoas. Pelo menos 20
mil sofreram torturas. Além dos 320 militantes da esquerda mortos
“desaparecidos”. No fim do governo Geisel existiam cerca de 10 mil exilados. As
cassações atingiram 4.682 cidadãos. Foram expulsos das faculdades 243
estudantes.
 A ditadura militar agia violentamente contra qualquer pessoa que viesse a se
manifestar contra o sistema.
Formas de torturas
Cultura
 Após o golpe militar de 64, o Cinema Novo passou a refletir sobre o papel da
própria esquerda, focalizando a classe média urbana. Nos anos 70, com a
assimilação da contracultura, a cultura jovem se dividiu e se sofisticou com o
rock progressivo, o heavy metal e a discothèque. Reagindo a essa tendência,
surgiu o movimento punk, vinculado à juventude proletária das grandes
cidades, que iria reciclar o rock, tocando-o de forma menos sofisticada.
 Como reflexo da onda hippie dos anos 60, o movimento de contracultura no
Brasil surgiu na década de 70, em um momento de intensa repressão pela
ditadura militar. Esse movimento era denominado de “cultura marginal” e foi
difundida através de publicações alternativas com Pasquim, Bondinho, Rolling
Stone entre outras.
 Na área cinematográfica, iniciou-se a produção de um cinema “marginal” que
procurava revolucionar a linguagem através de um discurso fragmentado
incorporando elementos de kich e absurdos.
 Nos anos 70 era moda ter flores nos cabelos, calçar sandálias. Os jovens dos
anos 70 traziam o idealismo dos anos 60. Em 70 era época de Dancing Days e
também do movimento hippie. Tinha uma grande diversidade de cores,
texturas, formas e o estilo psicodélico na moda, representando assim, uma
nova geração. Houve no tempo uma onda de Glitter, dando um visual, espacial,
metálico e futurista. As calças também eram apertadas e as camisas abertas.
Economia
 O início dos anos 70 é marcado pelo chamado "milagre econômico" brasileiro.
 Com a criação da Siderbras, em 1973, e os fortes investimentos no setor
petroquímico cresceu a necessidade da cobertura do seguro e resseguro, que
marcou presença como autores da sustentação do crescimento econômico.
 O marco dessa época foi a construção da maior hidrelétrica do mundo, Itaipu
(PR)
 Na década de 70, o IRB viveu uma fase de ouro.
Inauguração – UAIC – Subsidiária em Nova Iorque (10/12/1976)
Deu origem ao Decreto lei nº 1.115, em
julho de 1970 regulamentado pelo
Decreto nº 67.447, de 27 de outubro de
1970.
Estimulou a fusão e a concentração
através de incentivos fiscais.
Fortalecimento do mercado e redução da
concorrência.
Em 1975, o Brasil registrou o superávit
de US$ 3,5 milhões na conta de Seguros
do Balanço de Pagamentos.
O IRB, através do escritório de Londres,
registrou, em 1975, faturamento de US$
50 milhões.
Vista parcial da Companhia Vale do Rio Doce em Itabira – MG (1974)
E.E.E.F.M. Cel Aluízio Pinheiro Ferreira
 Alunos:
Ise Mayara 10
Saul 18
Yorrane 28
 Professora : Cledionora
 Série : 2º ano A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Anos rebeldes 1960 e 1970
Anos rebeldes 1960 e 1970Anos rebeldes 1960 e 1970
Anos rebeldes 1960 e 1970
 
Slide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militarSlide educação da ditadura militar
Slide educação da ditadura militar
 
Aula ditadura Militar no Brasil
Aula ditadura Militar no Brasil Aula ditadura Militar no Brasil
Aula ditadura Militar no Brasil
 
Cultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - pptCultura e tribos urbanas - ppt
Cultura e tribos urbanas - ppt
 
A arte da fotografia
A arte da fotografiaA arte da fotografia
A arte da fotografia
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Apresentação bossa nova
Apresentação   bossa novaApresentação   bossa nova
Apresentação bossa nova
 
Dança de rua
Dança de ruaDança de rua
Dança de rua
 
O movimento hippie
O movimento hippieO movimento hippie
O movimento hippie
 
Minorias Sociais
Minorias SociaisMinorias Sociais
Minorias Sociais
 
VIOLÊNCIA E SOCIEDADE
VIOLÊNCIA E SOCIEDADEVIOLÊNCIA E SOCIEDADE
VIOLÊNCIA E SOCIEDADE
 
Década de 60
Década de 60Década de 60
Década de 60
 
Artes cênicas
Artes cênicasArtes cênicas
Artes cênicas
 
Diversidade cultural e multiculturalismo
Diversidade cultural e multiculturalismoDiversidade cultural e multiculturalismo
Diversidade cultural e multiculturalismo
 
Padroes de beleza
Padroes de belezaPadroes de beleza
Padroes de beleza
 
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia - Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
Atividade de Reflexão 2 - Sociologia -
 
O corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e culturalO corpo e a expressão artística e cultural
O corpo e a expressão artística e cultural
 
Movimentos juvenis e a arte
Movimentos juvenis e a arteMovimentos juvenis e a arte
Movimentos juvenis e a arte
 
Mapa conceitual - Ética
Mapa conceitual - ÉticaMapa conceitual - Ética
Mapa conceitual - Ética
 
Breve conceito e histórico de direitos humanos slides
Breve conceito e histórico de direitos humanos   slidesBreve conceito e histórico de direitos humanos   slides
Breve conceito e histórico de direitos humanos slides
 

Destaque (19)

História da arte - Arte Moderna - resumo
História da arte - Arte Moderna -  resumoHistória da arte - Arte Moderna -  resumo
História da arte - Arte Moderna - resumo
 
Frida Kahlo
Frida KahloFrida Kahlo
Frida Kahlo
 
Mutantes I
Mutantes IMutantes I
Mutantes I
 
A geometria das artes
A geometria das artesA geometria das artes
A geometria das artes
 
Kandinsky
KandinskyKandinsky
Kandinsky
 
Autoretrato Lourencoezidio Inocencia
Autoretrato Lourencoezidio InocenciaAutoretrato Lourencoezidio Inocencia
Autoretrato Lourencoezidio Inocencia
 
Partitura gráfica fernanda chaves
Partitura gráfica fernanda chavesPartitura gráfica fernanda chaves
Partitura gráfica fernanda chaves
 
Exposiçao: Kandinsky - Tudo começa num ponto
Exposiçao: Kandinsky - Tudo começa num pontoExposiçao: Kandinsky - Tudo começa num ponto
Exposiçao: Kandinsky - Tudo começa num ponto
 
Kandinsky
KandinskyKandinsky
Kandinsky
 
Slide autorretrato
Slide autorretratoSlide autorretrato
Slide autorretrato
 
Autoretrato
AutoretratoAutoretrato
Autoretrato
 
Pop rock brasil
Pop rock brasilPop rock brasil
Pop rock brasil
 
Sinestesia
SinestesiaSinestesia
Sinestesia
 
Analise das obras de arte para o pas 2 etapa
Analise das obras de arte para o pas 2 etapaAnalise das obras de arte para o pas 2 etapa
Analise das obras de arte para o pas 2 etapa
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Retrato e auto retrato
Retrato e auto retratoRetrato e auto retrato
Retrato e auto retrato
 
Sebastião salgado
Sebastião salgadoSebastião salgado
Sebastião salgado
 
Arte Indígena Brasileira
Arte Indígena BrasileiraArte Indígena Brasileira
Arte Indígena Brasileira
 
Historia da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumoHistoria da arte - período Renascimento - resumo
Historia da arte - período Renascimento - resumo
 

Semelhante a Anos 70 no brasil

Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilJainny F.
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilguiurey
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaMateus Cabral
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar dismaDismael Sagás
 
Os Governos Militares do Brasil.ppt
Os Governos Militares do Brasil.pptOs Governos Militares do Brasil.ppt
Os Governos Militares do Brasil.pptFranciscaSousa77
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militarguest12728e
 
Ditadura militar parte 2-6
Ditadura militar   parte 2-6Ditadura militar   parte 2-6
Ditadura militar parte 2-6cemem
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte iiSilvia Basso
 

Semelhante a Anos 70 no brasil (20)

Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
Resumo e atividades sobre ditadura militar
Resumo e atividades sobre ditadura militarResumo e atividades sobre ditadura militar
Resumo e atividades sobre ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
Os Governos Militares do Brasil.ppt
Os Governos Militares do Brasil.pptOs Governos Militares do Brasil.ppt
Os Governos Militares do Brasil.ppt
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Ditadura militar parte 2-6
Ditadura militar   parte 2-6Ditadura militar   parte 2-6
Ditadura militar parte 2-6
 
Ditadura Militar
Ditadura Militar Ditadura Militar
Ditadura Militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
 

Mais de Maria Cledionora Tavares Tavares (20)

Cledionora brasil
Cledionora brasilCledionora brasil
Cledionora brasil
 
Esse 2ª ano
Esse 2ª anoEsse 2ª ano
Esse 2ª ano
 
Geologia = apf
Geologia = apfGeologia = apf
Geologia = apf
 
Indústria
IndústriaIndústria
Indústria
 
Indústria.
Indústria.Indústria.
Indústria.
 
Geografiatalyta
GeografiatalytaGeografiatalyta
Geografiatalyta
 
Trab. geo
Trab. geoTrab. geo
Trab. geo
 
Erro
ErroErro
Erro
 
Anos 60
Anos 60Anos 60
Anos 60
 
Brasil nos anos 80f
Brasil nos anos 80fBrasil nos anos 80f
Brasil nos anos 80f
 
Anos 90
Anos 90Anos 90
Anos 90
 
Anos 80
Anos 80Anos 80
Anos 80
 
Apresentação13
Apresentação13Apresentação13
Apresentação13
 
Anos 50
Anos 50Anos 50
Anos 50
 
Europa blod 1
Europa blod 1Europa blod 1
Europa blod 1
 
Atualidadeuniaoblog 1
Atualidadeuniaoblog 1Atualidadeuniaoblog 1
Atualidadeuniaoblog 1
 
9º ano
9º ano9º ano
9º ano
 
1ª série e.m benec11
1ª série e.m benec111ª série e.m benec11
1ª série e.m benec11
 
Nive 4 2013
Nive 4 2013Nive 4 2013
Nive 4 2013
 
Nivel 2
Nivel 2Nivel 2
Nivel 2
 

Último

COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfInocencioHoracio3
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoMarcio Venturelli
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 

Último (9)

COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 

Anos 70 no brasil

  • 1. A N O S D E C H U M B O Anos 70 no Brasil
  • 2. Emílio Garrastazu Médici  Emílio Garrastazu Médici nasceu em Bagé, 4 de dezembro de 1905 e faleceu no Rio de Janeiro, 9 de outubro de 1985. Foi um militar e político brasileiro. Foi Presidente do Brasil entre 30 de outubro de 1969 e 15 de março de 1974, durante o regime militar do país. Obteve a patente de General-de-Exército. Seu período na presidência ficou conhecido historicamente como Anos de Chumbo.  No governo Médici, observamos o auge da ação dos instrumentos de repressão e tortura instalados a partir de 1968. Ao mesmo tempo, no governo de Médici observamos o uso massivo dos meios de comunicação para instituir uma visão positiva sobre o Governo Militar.
  • 3. Política  No campo político, porém, o país vive na passagem de década o clímax da intolerância, com censura à imprensa e atos violentos contra a oposição. O presidente general Emílio Garrastazu Médici comanda uma política determinada a exterminar os grupos de esquerda, que criou núcleos regionais de repressão entrando em ação também a Oban, organização paramilitar financiada por empresários e que era composta por integrantes das Forças Armadas, Polícia Federal e polícias estaduais. Com objetivos: a prisão, torturar a assassinato dos ativistas de esquerda.
  • 4.  O período militar ocorreu no Brasil no período de 1964 a 1984. O golpe dá aos militares um imenso poder.  A crise que levou ao golpe de 64 começa com a renúncia do presidente Jânio Quadros em julho de 1961, após sete meses de governo, que se mostrava de esquerda para os políticos que eram contra o Comunismo, Jânio perdeu o apoio político que precisava para se manter no governo. Seu vice João Goulart assumiu a presidência depois de muitos conflitos.  Em março de 1964, depois de rebeliões, da perda da sustentação popular e da perda do apoio dos políticos, militares e políticos de direita se unem e derrubam o governo de João Goulart, e instauram uma ditadura militar que cuidou rapidamente de desprezar os políticos e as instituições.  Nesse período no cenário político internacional acontecia a Guerra Fria.  A influência norte-americana no golpe militar do Brasil foi determinante. Os Estados Unidos na intenção de conter o comunismo na América Latina, afirmava que a democracia era incapaz de evitar a eclosão deste tipo de regime.
  • 5.  Após a tomada do golpe, o governo passou a considerar como “inimigo interno” todos os que discordavam do regime. A violência atingiu a homens e mulheres, muitas delas grávidas, e também crianças.  Para garantir e controlar a sociedade dentro das regras do regime, o governo criou um espetacular sistema de repressão que se baseava em divisões de tarefas.  Médici dá início, em 30 de outubro de 1969, ao governo que representará o período mais absoluto de repressão, violência e supressão das liberdades civis de nossa história republicana.  Um balanço ainda precário registra a prisão de 50 mil pessoas. Pelo menos 20 mil sofreram torturas. Além dos 320 militantes da esquerda mortos “desaparecidos”. No fim do governo Geisel existiam cerca de 10 mil exilados. As cassações atingiram 4.682 cidadãos. Foram expulsos das faculdades 243 estudantes.  A ditadura militar agia violentamente contra qualquer pessoa que viesse a se manifestar contra o sistema.
  • 7. Cultura  Após o golpe militar de 64, o Cinema Novo passou a refletir sobre o papel da própria esquerda, focalizando a classe média urbana. Nos anos 70, com a assimilação da contracultura, a cultura jovem se dividiu e se sofisticou com o rock progressivo, o heavy metal e a discothèque. Reagindo a essa tendência, surgiu o movimento punk, vinculado à juventude proletária das grandes cidades, que iria reciclar o rock, tocando-o de forma menos sofisticada.  Como reflexo da onda hippie dos anos 60, o movimento de contracultura no Brasil surgiu na década de 70, em um momento de intensa repressão pela ditadura militar. Esse movimento era denominado de “cultura marginal” e foi difundida através de publicações alternativas com Pasquim, Bondinho, Rolling Stone entre outras.  Na área cinematográfica, iniciou-se a produção de um cinema “marginal” que procurava revolucionar a linguagem através de um discurso fragmentado incorporando elementos de kich e absurdos.
  • 8.  Nos anos 70 era moda ter flores nos cabelos, calçar sandálias. Os jovens dos anos 70 traziam o idealismo dos anos 60. Em 70 era época de Dancing Days e também do movimento hippie. Tinha uma grande diversidade de cores, texturas, formas e o estilo psicodélico na moda, representando assim, uma nova geração. Houve no tempo uma onda de Glitter, dando um visual, espacial, metálico e futurista. As calças também eram apertadas e as camisas abertas.
  • 9.
  • 10. Economia  O início dos anos 70 é marcado pelo chamado "milagre econômico" brasileiro.  Com a criação da Siderbras, em 1973, e os fortes investimentos no setor petroquímico cresceu a necessidade da cobertura do seguro e resseguro, que marcou presença como autores da sustentação do crescimento econômico.  O marco dessa época foi a construção da maior hidrelétrica do mundo, Itaipu (PR)  Na década de 70, o IRB viveu uma fase de ouro.
  • 11. Inauguração – UAIC – Subsidiária em Nova Iorque (10/12/1976) Deu origem ao Decreto lei nº 1.115, em julho de 1970 regulamentado pelo Decreto nº 67.447, de 27 de outubro de 1970. Estimulou a fusão e a concentração através de incentivos fiscais. Fortalecimento do mercado e redução da concorrência. Em 1975, o Brasil registrou o superávit de US$ 3,5 milhões na conta de Seguros do Balanço de Pagamentos. O IRB, através do escritório de Londres, registrou, em 1975, faturamento de US$ 50 milhões.
  • 12. Vista parcial da Companhia Vale do Rio Doce em Itabira – MG (1974)
  • 13. E.E.E.F.M. Cel Aluízio Pinheiro Ferreira  Alunos: Ise Mayara 10 Saul 18 Yorrane 28  Professora : Cledionora  Série : 2º ano A