Crise de 1929 oficial

526 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Crise de 1929 oficial

  1. 1. A CRISE DE 1929
  2. 2. A prosperidade dos anos 20  Inovações tecnológicas  Aumento da produção agrícola e industrial  Crescimento financeiro • Aumento do poder de compra • Investimento na Bolsa Empréstimos bancários
  3. 3. A crise de superprodução Aumento da produção não é acompanhado pelo aumento do consumo Diminuição dos preços e dos lucros Falência de empresas
  4. 4. O Crash de Outubro de 1929 Notícias nos jornais dão conta da especulação financeira O VALOR DAS ACÇÕES NÃO CORRESPONDIA AO LUCRO DAS EMPRESAS 24 de Outubro – 16,4 milhões de acções foram colocadas à venda, sem compradores CRASH NA BOLSA DE NOVA IORQUE A “Quinta- Feira Negra”
  5. 5. As consequências da crise  Os bancos abriram falência porque ninguém podia pagar os empréstimos  As empresas e as fábricas, dependentes de empréstimos, foram à falência O CICLO VICIOSO DA CRISE
  6. 6. O CICLO VICIOSO DA CRISE Falência de empresas Desemprego Diminuição do consumo
  7. 7. A GRANDE DEPRESSÃO  Gravidade  Extensão geográfica Desemprego Fome Pobreza Europa África Ásia América Latina
  8. 8. A “grande depressão”: a mundialização daA “grande depressão”: a mundialização da crisecrise
  9. 9. A “grande depressão”: a mundialização da criseA “grande depressão”: a mundialização da crise Principais razõesPrincipais razões::  Retirada dos capitais americanos na Europa. - Com a crise os EUA retiraram os seus capitais da Europa, o que levou à falência de muitos bancos, sobretudo na Áustria, na Alemanha e na Inglaterra, e de muitas empresas que dependiam dos empréstimos bancários. .
  10. 10. Retração do comércio mundial- Com a crise a maior parte dos países reduziu ao máximo as suas compras ao estrangeiro. O comércio mundial sofreu, como tal, uma enorme diminuição, que afectou quer os países industrializados, que não conseguiam escoar os seus produtos, quer os países subdesenvolvidos, que não conseguiam exportar as suas matérias- primas e produtos agrícolas (Ex: café no Brasilcafé no Brasil, lã na Austrália, cereais na Argentina, etc).
  11. 11. A CRISE SOCIALA CRISE SOCIAL Principais vítimasPrincipais vítimas Ruína dos acionistas. Falência de bancos (5000 entre 1929-32 Falência de pequenas e médias empresas. ▪ Ruína dos agricultores e da classe média (pois perderam as poupanças que tinham nos bancos). ▪Despedimento dos trabalhadores. Principais problemas sociaisPrincipais problemas sociais ▪Aumento do desemprego. ▪ Fome (“Sopa dos pobres”) e miséria (“Hoovervilles”). ▪ Suicídios. ▪Aumento da criminalidade. ▪ Agitação social. ▪Ressurgimento das práticas racistas. Principais vítimasPrincipais vítimas
  12. 12. AS RESPOSTAS À CRISE: A INTERVENÇÃO DO ESTADO NAAS RESPOSTAS À CRISE: A INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIAECONOMIA Estados Unidos da AméricaEstados Unidos da América O presidente dos E.U.A., Franklin Roosevelt, incrementou, a partir de inícios de 1933, uma nova política económica, o New DealNew Deal (Nova Distribuição), que defendia o intervencionismo do Estado na economia baseada nas teorias do economicista inglês John Keynes. Objetivos:diminuir o desemprego para aumentar o poder de compra e, como tal, o consumo.
  13. 13. Medidas:  concessão de indenizações aos agricultores que reduziram as suas áreas de cultivo a fim de diminuírem a produção;  concessão de créditos agrícolas para pagamento de dívidas;  fixação dos níveis de produção e dos preços de venda ao público;  criação de legislação para controlar a atividade da Bolsa e dos Bancos;  realização de grandes obras públicas (barragens, canais, escolas, estradas, pontes, caminhos-de-ferro…) para combater o desemprego;  diminuição do horário de trabalho para 40 horas semanais;
  14. 14.  estabelecimento do salário mínimo nacional;  criação do Welfare State (Estado Providência) ou segurança social: subsídios de desemprego, de doença, de velhice e de invalidez. Resultados:  diminuição do desemprego (baixou cerca de 50% entre 1933 e 1937);  aumento da produção industrial;  recuperação da economia e reforço do poder do Estado (protecionista). O desemprego nos E.U.A. 1,4 12,6 11,9 7,9 4,2 10,9 10,2 8,5 7,2 9,9 8,8 0 2 4 6 8 10 12 14 1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939 Milhões
  15. 15. Uma fila de desempregados espera a distribuição de comida por uma instituição de caridade.
  16. 16. Oferta de trabalho por 1 dólar por semana (1930).
  17. 17. “Sopa dos pobres”.
  18. 18. “Sopa dos pobres”.
  19. 19. “Hoovervilles”. Eram bairros-de-lata e foram assim chamados por ironia ao presidente Herbert Hoover
  20. 20. Marcha contra o desemprego (Inglaterra).
  21. 21. Ku Klux Klan (KKK) é um movimento racista, fundado em 1865 nos E.U.A., que apoia a supremacia branca e o protestantismo. A KKK, no seu período mais forte, actuou principalmente na região sul dos E.U.A., em estados como o Texas e o Mississipi.
  22. 22. Utilização do café como combustível (Brasil).

×