46 a crise dos anos 30

796 visualizações

Publicada em

Crash da bolsa de Wall Street
Crise de superprodução
Mundialização da crise
Problemas sociais
New Deal
Outras soluções para a crise.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

46 a crise dos anos 30

  1. 1. H I S T Ó R I A 9 º A N O P R O F . C A R L A F R E I T A S A CRISE DOS ANOS 30
  2. 2. DA EUFORIA DOS ANOS 20
  3. 3. À CRISE DOS ANOS 30
  4. 4. “Cada indivíduo aumenta a sua fortuna sem medo do futuro, sem inveja do vizinho. Todos atingiram a mesma meta. […] Ricos e pobres jogavam na bolsa. […] Todas as manhãs os americanos abriam o jornal e cada um deles estava um pouco mais rico do que na véspera. Na realidade, desde 1920 que o sistema estava num equilíbrio instável. A prosperidade não era construída sobre alicerces reais mas sobre frágeis esperanças. Cada um tinha comprado muito acima das suas possibilidades. Em Nova Iorque deitavam-se abaixo edifícios ainda novos para construir outros mais altos e mais caros. Os empresários pediam dinheiro emprestado para a construção.” A. Maurois, Chantiers Américans (adaptado) CAUSAS  Especulação bolsista (o valor das ações era superior ao lucro real das empresas).  Crise de Superprodução, na agricultura e na indústria devido à Diminuição do consumo provocado pela:  Saturação dos mercados internos devido à Mecanização e aos novos métodos de produção;  Diminuição das exportações devido à recuperação económica da Europa em meados da década de 20 Diminuição da produção Baixa de preços (deflação) Redução de salários Falências
  5. 5. CAUSAS  Crash da Bolsa de valores de Wall Street  Outubro - 40 milhões de acções foram postas à venda a preço baixo. Pânico dos investidores  24 de Outubro de 1929 (quinta- feira negra) - 13 milhões de acções foram postas à venda abaixo do seu valor real e não foram compradas, Crash Falências “O Crash A quinta-feira de 24 de Outubro é o primeiro dia que a história se identifica com o pânico de 1929. (…) Nesse dia, 12.894.650 acções mudaram de dono, muitas delas a preços que destruíram os sonhos e as esperanças dos que as possuíam. […] Cerca das onze horas, o mercado tinha degenerado numa confusão doida e desenfreada para vender [..]. Às onze e meia era verdadeiramente o pânico. […] Ajuntamentos formaram- se em volta das sucursais das firmas dos correctores na cidade e por todo o país […] Os suicídios sucediam-se e onze especuladores bem conhecidos tinham já morrido.” J. K. Galraith, A crise económica de 1929 (adaptado)
  6. 6. Exigência do pagamento das dívidas Diminuição do consumo Diminuição do poder de compra CICLO VICIOSO CRISE DE SUPERPRODUÇÃO Mais oferta do que procura Acumulação de stocks Diminuição dos preços Diminuição dos lucros Aumento do desemprego Crash Bolsa de Wall Street Falência de bancos Restrição ao crédito Falência de empresas Queda do preço das ações
  7. 7. MUNDIALIZAÇÃO DA CRISE
  8. 8. MUNDIALIZAÇÃO DA CRISE
  9. 9. «Na América Latina, o café dependia do mercado norte- americano, da sua capacidade de consumo e dos seus preços (...), por isso, deixando de ser exportado, passou a utilizar- se nas locomotivas em vez de carvão. (...) A crise de 1929 estalou sem avisar. Os preços do café e da banana desabaram eo volume de vendas teve a mesma sorte.» Traduzido de E. Galeano, Les Veines Ouvertes de l’Amerique Latine, col. ‘’pocket Terre Humaine’’, nº3022, Pocket, 2001 MUNDIALIZAÇÃO DA CRISE Motivos • Retirada de capitais americanos da Europa • Levou à falência de muitos bancos e de muitas empresas que dependiam dos empréstimos bancários. • Crise chega à Europa • Retração do comércio mundial • A maior parte dos países reduziu ao máximo as suas compras ao estrangeiro. • Os países industrializados não conseguiam escoar os seus produtos. • Os países subdesenvolvidos não conseguiam exportar as suas matérias-primas e produtos agrícolas Crise atinge todo o Mundo
  10. 10. CRISE SOCIAL • Ruínas de pequenos investidores e reformados que ficaram sem as suas poupanças. • Destriuição de stocks para tentar aumentar os preços dos produtos; • Desemprego • despedimentos em massa; • Fome • Sopa dos pobres • Miséria • muita mão-de-obra disponível que se oferecia para trabalhar por baixos salários; • Hoovervilles • Aumento da mendicidade, da criminalidade, da prostituição e dos suicídios; • Aumento dos movimentos racistas • KKK (Ku Klux Klan) • Aumento da agitação social, pedindo ao Estado intervenção urgente; “A produção das vides e das árvores deve ser destruída para que se mantenham os preços. Isto é uma abominação que ultrapassa todas as outras. Carregamentos de laranjas são lançados não importa onde. As pessoas vêm de longe para as apanhar, mas não lhes é permitido fazê- lo. […] Homens munidos de mangueiras regam com petróleo os montes de laranjas […]. Queima-se café nas caldeiras. Queima-se milho para aquecimento. Lançam-se batatas ao rio […]. Enterram-se porcos acabados de matar […]. As crianças atingidas pela pelagra morrem porque cada laranja tem de dar lucro. E as autoridades inscrevem na certidão de óbito: morto por subnutrição, e tudo isto porque os alimentos apodrecem, tudo isto porque é preciso deixá-los apodrecer.” John Steinbeck, As Vinhas da Ira.
  11. 11. NEW DEAL INTERVENÇÃO DO ESTADO NA ECONOMIA 1933 Franklin Roosevelt implantou o New Deal uma nova política económica, que defendia o intervencionismo do Estado na economia e o proteccionismo • Redução das importações e aumento das exportações • Defendia a intervenção do estado para dinamizar a economia com: • Diminuição do desemprego • Aumento do poder de compra. • Aumento do consumo
  12. 12. NEW DEAL - MEDIDAS • Combate ao desemprego: • Programa de obras públicas (barragens, canais, escolas, estradas, pontes, caminhos-de-ferro…) • Diminuição do horário de trabalho semanal para 40 horas • Domínio social: • Estabelecimento do salário mínimo • Criação do Welfare State (Estado Providência) ou segurança social: subsídios de desemprego, de doença, de velhice e de invalidez. Construção da barragem de Wilson - Alabama
  13. 13. NEW DEAL - MEDIDAS • Na indústria: • limitou os níveis de produção, • fixou preços mínimos para os produtos, • baixou as taxas de juro do crédito bancário • diminuiu os impostos; • Na agricultura: • concessão de indemnizações aos agricultores que reduziram as suas áreas de cultivo a fim de diminuírem a produção; • concessão de créditos agrícolas para pagamento de dívidas; • Nas Finanças • legislação para controlar a actividade da Bolsa e dos Bancos;
  14. 14. NEW DEAL - RESULTADOS Diminuição do desemprego (baixou cerca de 50% entre 1933 e 1937) • Aumento do poder de compra • Retoma do consumo Aumento da produção industrial; Recuperação da economia Reforço do poder do Estado (proteccionista). O desemprego nos E.U.A. 1,4 12,6 11,9 7,9 4,2 10,9 10,2 8,5 7,2 9,9 8,8 0 2 4 6 8 10 12 14 1929 1930 1931 1932 1933 1934 1935 1936 1937 1938 1939 Milhões
  15. 15. Aumento do poder de compra Aumento dos lucros Aumento da produção NEW DEAL Ciclo de prosperidade Mais procura do que oferta Aumento do Consumo Aumento do emprego Aumento dos preços
  16. 16. NA EUROPA • Medidas proteccionistas: • Grã-Bretanha • França • Desenvolvimento de regimes nacionalistas e totalitários • Itália • Alemanha • Portugal
  17. 17. Superprodução – Produção em quantidade superior às possibilidades de absorção do mercado, excesso de produção. Especulação – Operação comercial que visa obter lucros exagerados ou pouco legítimos. Deflação – Situação em que ocorre uma baixa sensível do nível geral dos preços, acompanhada de quebra do ritmo das atividades económicas, como consequência da diminuição da procura em relação à oferta. Hoovervilles – Nome popular dado aos bairros construídos por pessoas sem abrigo durante a crise dos anos 30 nos EUA. O nome deriva do presidente americano da época, Herbert Hoover, acusado de ter deixado o país mergulhar na depressão. Ku Klux Klan – Nome de uma organização racista dos EUA que apoia a supremacia branca e o protestantismo. No seu período de maior ação localizava-se sobretudo no sul dos EUA. Protecionismo –Sistema que protege a industria e o comércio de um país, através da criação de leis que não autorizam, ou dificultam, a importação de certos produtos, geralmente pela aplicação de altas taxas aos produtos estrangeiros. CONCEITOS A RETER
  18. 18. 1. Explicar as causas da crise dos anos 30. 2. Descrever os ciclo vicioso da crise. 3. Justificar a mundialização da crise. 4. Descrever os efeitos sociais da crise. 5. Explicar o que foi o New Deal. 6. Avaliar os resultados do New Deal. 7. Identificar outras soluções para a crise. METAS O QUE DEVES SABER DESTA MATÉRIA

×