Transferência da corte portuguesa para o brasil

12.077 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.077
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.414
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
342
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Transferência da corte portuguesa para o brasil

  1. 1. A transferência da Corte Portuguesa e o governo de D. João VI no Brasil (1808-1821)
  2. 2. 1. Antecedentes:> As Guerras Napoleônicas e o Bloqueio Continental (1806);
  3. 3. > A “Convenção Secreta”(1807) e a “Fuga”.Napoleão Bonaparte O embarque da Corte Portuguesa (27/novembro/1807)
  4. 4. A travessia do Atlântico levou quase dois meses General Junot
  5. 5. 2. As primeiras medidas tomadas pelo prínciperegente D. João ao chegar ao Brasil:> Abertura dos Portos às Nações Amigas (28 dejaneiro de 1808);> Revogação do Alvará de 1785;> Criação do Banco do Brasil. Porto do Rio de Janeiro e Paço Imperial (antigo Palácio dos Vice-Reis)
  6. 6. Paço Imperial D. Maria IDesembarque da Corte em Salvador Príncipe regente D. João Carlota Joaquina
  7. 7. Distribuição de títulos de nobrezaCerimônia do Beija-Mão, no Palácio de São Cristóvão
  8. 8. 3. Outras medidas:> Criação de diversos órgãos públicos (a saber). Faculdade de Medicina e Anatomia de Salvador
  9. 9. Biblioteca Real, Rio de Janeiro
  10. 10. Os tratados de 1810 com a Inglaterra:> Aliança e Amizade;> Comércio e Navegação. Inglaterra: 15% Portugal: 16% Demais países: 24%Por aqui entravam as mercadorias dos mais diversos países
  11. 11. Observe adiversidadedosprodutosimportadospelo Brasilno início doséc. XIX Observe o crescimento demográfico da capital da colônia durante a estada da Corte no Brasil.
  12. 12. 4. A elevação do Brasil a Reino Unido a Portugale Algarves (1815) Reunião do Congresso de Viena (1815)
  13. 13. A aclamação de D. João VI, após a morte de sua mãe, D. Maria I (1816) D. Maria I e D. Pedro III
  14. 14. 6. Revolução Pernambucana de 1817 "Sem grande corte na Corte Não se goza um bem geral; Que o corte é que nos faz bem, A Corte, é quem nos faz mal."
  15. 15. 6.1. Principais fatores do movimento: > A decadência político-econômica do Nordeste; > A influência do Iluminismo e da RevoluçãoFrancesa; > O aumento da tributação para sustentar oconforto da Corte instalada no Brasil. Recife, início do séc. XIXRecife, início do séc. XIX D. João e Carlota Joaquina
  16. 16. CiprianoLiderança: Barata Manuel de Carvalho Paes de Andrade Padre Miguelinho Frei Caneca
  17. 17. 7. Revolução “liberal” do Porto (1820)7.1. Principais exigências feitas a D. João VI: > retorno imediato para Portugal; > reconhecimento da Constituição (limitação de seus poderes); > recolonização do Brasil. Lord William BERESFORD
  18. 18. 8. O retorno de D.João VI para Portugal e a Regência de D. Pedro José Bonifácio, Patrono da Independência
  19. 19. > D. Pedro passa a sofrer pressões das Cortesportuguesas, já que seu retorno seria a condiçãoessencial para o projeto de recolonização;> A aristocracia brasileira, que compôs o PartidoBrasileiro, articulou-se para segurar D. Pedro no Brasil;8.2. A divisão do Partido Brasileiro: radicais econservadores. Gonçalves Lêdo José Bonifácio
  20. 20. O Dia do “Fico”9 de janeiro de 1822
  21. 21. “Independência ou morte!”
  22. 22. 9. Limites da independência:> Apesar da emancipação política, a estruturasocioeconômica do Brasil permaneceuinalterada, ou seja, o latifúndio agro-exportador eescravista foi mantido de acordo com os anseios daaristocracia;> Permanecemos fiéis à “divisão internacional dotrabalho exportando matérias-primas e importandomanufaturados. Adam Smith, defensor da liberdade de comércio e da divisão internacional do trabalho

×