SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Contexto HIStÓRICo euRopeu queContexto HIStÓRICo euRopeu que
levou a expanSão maRítImalevou a expanSão maRítIma
prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
RENASCIMENTO
• Movimento científico-cultural ocorrido na Europa
durante a transição entre as idades Média e
Moderna e que representou as aspirações da
burguesia.
 Humanismo: forma mais terrena, concreta, de
pensar a ciência, a moral, a religião etc.
 Individualismo: valorização da capacidade de
criação e o espírito de competição.
 Racionalismo: sobreposição da ciência
(experimentalismo) sobre a fé (dogmas).
prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
O MAR TENEBROSO E O RENASCIMENTO
MERCANTILISMO
• Capitalismo Comercial
• Europeus em busca de especiarias (cravo, canela, pimenta
etc.)
1492
1499
1519
1535-1542
1519-1522
PIONEIRISMO PORTUGUÊS
• Costa voltada para o Oceano Atlântico
• Escola de Sagres “centro de estudos náuticos”.
• Apoio dos Reis(impostos) e da Igreja(fiéis)
• Conhecimentos de Astronomia: árabes e italianos.
• Desenvolvimento de instrumentos de navegação
“astrolábio e a bússola”.
• Melhorias nas caravelas
• Superação da mentalidade Teocêntrica da época
pelo Antropocentrismo
prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
VIAGENS PORTUGUESAS
• Conquista de Ceuta no norte da África-1415
• Vasco da Gama – Calicute – 1498
• Cabral – 1500 –
“descoberta
casual do Brasil”.
 Extração predatória do pau-brasil.
 Mão de obra indígena (escambo )
 Produto estancado (monopólio),
explorado no sistema de
Feitorias.
O BRASIL PRÉ-COLONIAL
( 1500-1530 )
 O comércio oriental era muito lucrativo
 O Brasil, aparentemente, não tinha ouro
 Os nativos não praticavam o comércio
 Era preciso investir muito para explorar a terra
RAZÕES DO DESINTERESSE PORTUGUÊS
 O declínio do comércio oriental
 A ameaça dos piratas (corsários): holandeses, ingleses...
franceses (expedições guarda-costas, em 1516 e 1526)
O QUE LEVOU PORTUGAL A SE INTERESSAR PELO
BRASIL A PARTIR DE 1530?
A transferência do ônus da
colonização para a iniciativa
privada
“O sol brilha para todos e
desconheço a cláusula do
testamento de Adão que
dividiu o mundo entre
portugueses e espanhóis”.
(Francisco I, Rei França)
1530: EXPEDIÇÃO DE MARTIM AFONSO DE SOUSA
 5 embarcações – 400 pessoas
 Objetivo: proteger o litoral contra invasões
estrangeiras, estabelecer núcleos de povoamento,
buscar novas riquezas (pedras e metais preciosos).
 Sementes de cana-de-açúcar,
 Instrumentos agrícolas
 Mudas de plantas e animais domesticados
 Escravos africanos (ilegal)
 Gado
 1532: Fundação da vila de São Vicente – fixação de
colonos e início da produção agrícola.
 1533 primeiro engenho de cana-de-açúcar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilDouglas Barraqui
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítimaClaudenilson da Silva
 
O império colonial português do séc
O império colonial português do sécO império colonial português do séc
O império colonial português do sécSilvia Lino
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5anabelasilvasobral
 
Comércio mundial
Comércio  mundialComércio  mundial
Comércio mundialMaria Gomes
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroanabelasilvasobral
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundocattonia
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmoscattonia
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesSusana Simões
 
Os Portugueses na África negra
Os Portugueses na África negraOs Portugueses na África negra
Os Portugueses na África negraAlê Maldonado
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansãoLucilia Fonseca
 
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
Condicionalismos e motivos da Expansão PortuguesaMaria Gomes
 
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesPecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesValéria Shoujofan
 
Comércio à escala mundial
Comércio à escala mundialComércio à escala mundial
Comércio à escala mundialMaria Gomes
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansaocattonia
 
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaOs motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaMaria Gomes
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialSusana Simões
 
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de Espanha
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de EspanhaOs descobrimentos Portugueses e a concorrência de Espanha
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de EspanhaRainha Maga
 

Mais procurados (19)

América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
 
O império colonial português do séc
O império colonial português do sécO império colonial português do séc
O império colonial português do séc
 
O império português do oriente parte 5
O império português do oriente  parte 5O império português do oriente  parte 5
O império português do oriente parte 5
 
Comércio mundial
Comércio  mundialComércio  mundial
Comércio mundial
 
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouroO ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
O ciclo do acúçar e o ciclo do ouro
 
O alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundoO alargamento do conhec do mundo
O alargamento do conhec do mundo
 
1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos1. uma europa a dois ritmos
1. uma europa a dois ritmos
 
A administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios PeninularesA administração dos Impérios Peninulares
A administração dos Impérios Peninulares
 
Colonização do brasil
Colonização do brasilColonização do brasil
Colonização do brasil
 
Os Portugueses na África negra
Os Portugueses na África negraOs Portugueses na África negra
Os Portugueses na África negra
 
A abertura ao mundo - expansão
A abertura ao mundo -  expansãoA abertura ao mundo -  expansão
A abertura ao mundo - expansão
 
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
Condicionalismos e motivos da Expansão Portuguesa
 
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de LimitesPecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
Pecuária, Entradas & Bandeiras, Tratados de Limites
 
Comércio à escala mundial
Comércio à escala mundialComércio à escala mundial
Comércio à escala mundial
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
 
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesaOs motivos que levaram à expansão portuguesa
Os motivos que levaram à expansão portuguesa
 
O comercio à escala mundial
O comercio à escala mundialO comercio à escala mundial
O comercio à escala mundial
 
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de Espanha
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de EspanhaOs descobrimentos Portugueses e a concorrência de Espanha
Os descobrimentos Portugueses e a concorrência de Espanha
 

Destaque

Destaque (20)

Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - ManausCuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
 
Descolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiáticaDescolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiática
 
Os domínios morfoclimáticos do brasil
Os domínios morfoclimáticos do brasilOs domínios morfoclimáticos do brasil
Os domínios morfoclimáticos do brasil
 
Resumo egito antigo
Resumo   egito antigoResumo   egito antigo
Resumo egito antigo
 
Análise sintática do período simples
Análise sintática do período simplesAnálise sintática do período simples
Análise sintática do período simples
 
Os quatro brasis
Os quatro brasisOs quatro brasis
Os quatro brasis
 
Guerra fria e globalização
Guerra fria e globalizaçãoGuerra fria e globalização
Guerra fria e globalização
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
 
Resumão Egito Antigo
Resumão Egito AntigoResumão Egito Antigo
Resumão Egito Antigo
 
Brasil colônia
Brasil colôniaBrasil colônia
Brasil colônia
 
Aula oriente médio2
Aula oriente médio2Aula oriente médio2
Aula oriente médio2
 
África nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlânticoÁfrica nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlântico
 
Dominio Caatinga
Dominio Caatinga Dominio Caatinga
Dominio Caatinga
 
Fenícios, Hebreus e Persas
Fenícios, Hebreus e PersasFenícios, Hebreus e Persas
Fenícios, Hebreus e Persas
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistasBrasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
 
Dominio Amazonico
Dominio AmazonicoDominio Amazonico
Dominio Amazonico
 
Hebreus e Fenicios
Hebreus e  FeniciosHebreus e  Fenicios
Hebreus e Fenicios
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
As primeiras civilizações
As primeiras civilizaçõesAs primeiras civilizações
As primeiras civilizações
 

Semelhante a Renascimento, expansão marítima e descobrimentos portugueses

Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IILucilia Fonseca
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IILucilia Fonseca
 
Expansão Maritima
Expansão MaritimaExpansão Maritima
Expansão Maritimaeiprofessor
 
Vida em Portugal e os Descobrimentos
Vida em Portugal e os DescobrimentosVida em Portugal e os Descobrimentos
Vida em Portugal e os DescobrimentosEBseis
 
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptx
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptxAs Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptx
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptxJulianaAparecidaCami
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansaocattonia
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...Sheila Soarte
 
Síntese da expansão
Síntese da expansãoSíntese da expansão
Síntese da expansãoMaria Gomes
 
A afirmação do expansionismo europeu
A afirmação do expansionismo europeuA afirmação do expansionismo europeu
A afirmação do expansionismo europeuhelenacompleto
 
Aula 7 – navegações brasil portugues i
Aula 7 –  navegações brasil portugues iAula 7 –  navegações brasil portugues i
Aula 7 – navegações brasil portugues isenhorp
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegaçõesJanayna Lira
 

Semelhante a Renascimento, expansão marítima e descobrimentos portugueses (20)

Idade moderna i
Idade moderna iIdade moderna i
Idade moderna i
 
Expansão Marítima Europeia
Expansão Marítima EuropeiaExpansão Marítima Europeia
Expansão Marítima Europeia
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
 
Expansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João IIExpansão a partir de D. João II
Expansão a partir de D. João II
 
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdfAS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
AS GRANDES NAVEGAÇÕES..pdf
 
Expansão Maritima
Expansão MaritimaExpansão Maritima
Expansão Maritima
 
Vida em Portugal e os Descobrimentos
Vida em Portugal e os DescobrimentosVida em Portugal e os Descobrimentos
Vida em Portugal e os Descobrimentos
 
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptx
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptxAs Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptx
As Grandes Navegações_2022 (1)-1.pptx
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 
2 navegacoes
2 navegacoes2 navegacoes
2 navegacoes
 
Exp mari
Exp mariExp mari
Exp mari
 
Conseq expansao
Conseq expansaoConseq expansao
Conseq expansao
 
As Grandes Navegações
As Grandes NavegaçõesAs Grandes Navegações
As Grandes Navegações
 
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
HISTÓRIA DO BRASIL COLONIAL: descobrimento, impactos, conflitos e ciclos econ...
 
2 america portuguesa
2 america portuguesa2 america portuguesa
2 america portuguesa
 
Expansão marítima européia
Expansão marítima européiaExpansão marítima européia
Expansão marítima européia
 
Síntese da expansão
Síntese da expansãoSíntese da expansão
Síntese da expansão
 
A afirmação do expansionismo europeu
A afirmação do expansionismo europeuA afirmação do expansionismo europeu
A afirmação do expansionismo europeu
 
Aula 7 – navegações brasil portugues i
Aula 7 –  navegações brasil portugues iAula 7 –  navegações brasil portugues i
Aula 7 – navegações brasil portugues i
 
As grandes navegações
As grandes navegaçõesAs grandes navegações
As grandes navegações
 

Mais de Portal do Vestibulando

Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, AstecasSociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, AstecasPortal do Vestibulando
 
Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)
Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)
Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)Portal do Vestibulando
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPortal do Vestibulando
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIPortal do Vestibulando
 
Amazônia indígena nos séculos xvi e xvii
Amazônia indígena nos séculos xvi e xviiAmazônia indígena nos séculos xvi e xvii
Amazônia indígena nos séculos xvi e xviiPortal do Vestibulando
 
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da Amazônia
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da AmazôniaEstrutura geológica, relevo e riquezas minerais da Amazônia
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da AmazôniaPortal do Vestibulando
 
Clima, vegetação e hidrografia do Amazonas
Clima, vegetação e hidrografia do AmazonasClima, vegetação e hidrografia do Amazonas
Clima, vegetação e hidrografia do AmazonasPortal do Vestibulando
 

Mais de Portal do Vestibulando (20)

Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, AstecasSociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)
Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)
Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)
 
07 revolução mexicana
07   revolução mexicana07   revolução mexicana
07 revolução mexicana
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
Guerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - AtualizadaGuerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - Atualizada
 
Senhora
SenhoraSenhora
Senhora
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Questão Palestina
Questão PalestinaQuestão Palestina
Questão Palestina
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
 
Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
 
Novo acordo ortográfico
Novo acordo ortográficoNovo acordo ortográfico
Novo acordo ortográfico
 
Trovadorismo ao Barroco
Trovadorismo ao BarrocoTrovadorismo ao Barroco
Trovadorismo ao Barroco
 
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XIIA expansão e presença  islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
A expansão e presença islâmica no norte da África nos séculos VII e XII
 
Introdução a química
Introdução a químicaIntrodução a química
Introdução a química
 
Tabela Periódica
Tabela PeriódicaTabela Periódica
Tabela Periódica
 
Amazônia indígena nos séculos xvi e xvii
Amazônia indígena nos séculos xvi e xviiAmazônia indígena nos séculos xvi e xvii
Amazônia indígena nos séculos xvi e xvii
 
Solos do Amazonas
Solos do AmazonasSolos do Amazonas
Solos do Amazonas
 
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da Amazônia
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da AmazôniaEstrutura geológica, relevo e riquezas minerais da Amazônia
Estrutura geológica, relevo e riquezas minerais da Amazônia
 
Clima, vegetação e hidrografia do Amazonas
Clima, vegetação e hidrografia do AmazonasClima, vegetação e hidrografia do Amazonas
Clima, vegetação e hidrografia do Amazonas
 

Último

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 

Último (20)

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 

Renascimento, expansão marítima e descobrimentos portugueses

  • 1. Contexto HIStÓRICo euRopeu queContexto HIStÓRICo euRopeu que levou a expanSão maRítImalevou a expanSão maRítIma prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
  • 2. RENASCIMENTO • Movimento científico-cultural ocorrido na Europa durante a transição entre as idades Média e Moderna e que representou as aspirações da burguesia.  Humanismo: forma mais terrena, concreta, de pensar a ciência, a moral, a religião etc.  Individualismo: valorização da capacidade de criação e o espírito de competição.  Racionalismo: sobreposição da ciência (experimentalismo) sobre a fé (dogmas). prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
  • 3. O MAR TENEBROSO E O RENASCIMENTO
  • 4. MERCANTILISMO • Capitalismo Comercial • Europeus em busca de especiarias (cravo, canela, pimenta etc.)
  • 10.
  • 11. PIONEIRISMO PORTUGUÊS • Costa voltada para o Oceano Atlântico • Escola de Sagres “centro de estudos náuticos”. • Apoio dos Reis(impostos) e da Igreja(fiéis) • Conhecimentos de Astronomia: árabes e italianos. • Desenvolvimento de instrumentos de navegação “astrolábio e a bússola”. • Melhorias nas caravelas • Superação da mentalidade Teocêntrica da época pelo Antropocentrismo prof.augusto.csd@hotmail.com www.portaldovestibulando.com
  • 12. VIAGENS PORTUGUESAS • Conquista de Ceuta no norte da África-1415 • Vasco da Gama – Calicute – 1498 • Cabral – 1500 – “descoberta casual do Brasil”.
  • 13.
  • 14.  Extração predatória do pau-brasil.  Mão de obra indígena (escambo )  Produto estancado (monopólio), explorado no sistema de Feitorias. O BRASIL PRÉ-COLONIAL ( 1500-1530 )
  • 15.  O comércio oriental era muito lucrativo  O Brasil, aparentemente, não tinha ouro  Os nativos não praticavam o comércio  Era preciso investir muito para explorar a terra RAZÕES DO DESINTERESSE PORTUGUÊS
  • 16.  O declínio do comércio oriental  A ameaça dos piratas (corsários): holandeses, ingleses... franceses (expedições guarda-costas, em 1516 e 1526) O QUE LEVOU PORTUGAL A SE INTERESSAR PELO BRASIL A PARTIR DE 1530? A transferência do ônus da colonização para a iniciativa privada “O sol brilha para todos e desconheço a cláusula do testamento de Adão que dividiu o mundo entre portugueses e espanhóis”. (Francisco I, Rei França)
  • 17. 1530: EXPEDIÇÃO DE MARTIM AFONSO DE SOUSA  5 embarcações – 400 pessoas  Objetivo: proteger o litoral contra invasões estrangeiras, estabelecer núcleos de povoamento, buscar novas riquezas (pedras e metais preciosos).  Sementes de cana-de-açúcar,  Instrumentos agrícolas  Mudas de plantas e animais domesticados  Escravos africanos (ilegal)  Gado  1532: Fundação da vila de São Vicente – fixação de colonos e início da produção agrícola.  1533 primeiro engenho de cana-de-açúcar