17.ago topázio 15.30_276_coelba

360 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
56
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

17.ago topázio 15.30_276_coelba

  1. 1. Definição de Fatores de Carga e de Demanda Típicos de Unidades Consumidoras Comerciais de Baixa Tensão da Região Metropolitana de Salvador Ricardo A. M. Flor e André Alcântara, COELBA Mônica Silveira e Pedro R. P.Dantas, CONSULTE Consulte Consulte Energia Energia
  2. 2. Introdução <ul><li>Situação Atual </li></ul><ul><li>Informações defasadas; </li></ul><ul><li>Desgaste do relacionamento concessionária/cliente. </li></ul><ul><li>Necessidade de adequação e melhoria </li></ul><ul><li>Atualização dos fatores através de pesquisa de campo; </li></ul><ul><li>Adequação à cultura e características da região; </li></ul><ul><li>Estimativa de consumo mais próxima ao valor real. </li></ul><ul><li>Ganhos </li></ul><ul><li>Estimativa de consumo mais precisa; </li></ul><ul><li>Diminuição de reclamações </li></ul>
  3. 3. Introdução Objetivo Desenvolvimento de metodologia para definição de fatores de carga e de demanda típicos de atividades específicas. Universo escolhido : Região metropolitana de Salvador Atividades escolhidas : Açougue, Bar, Lanchonete e Padaria. Adequações Universo: município de Feira de Santana Atualização cadastral Exclusão da atividade Açougue
  4. 4. Introdução Situação atual Atividade Fator de carga Fator de demanda Bar 0,44 0,60 Lanchonete 0,34 0,63 Padaria 0,32 0,54
  5. 5. Metodologia <ul><li>Etapas </li></ul><ul><li>Definição de Atividades </li></ul><ul><li>Recadastramento do Universo </li></ul><ul><li>Levantamento de campo </li></ul><ul><li>Análise Qualitativa dos Dados </li></ul><ul><li>Definição dos Fatores de Carga e de Demanda </li></ul><ul><li>Validação </li></ul><ul><li>Definição de Atividades </li></ul><ul><li>Incidência de problemas de medição (especificamente fraude). </li></ul>
  6. 6. Metodologia Recadastramento do Universo <ul><li>Levantamento de Campo </li></ul><ul><li>Treinamento de equipes; </li></ul><ul><li>Inspeção nas UCs, instalação de medidores com m. massa (7 dias) e levantamento de carga instalada; </li></ul>451 84 125 248 Amostra 1.004 112 198 694 Total Atividade Bar Lanchonete Padaria total
  7. 7. Metodologia <ul><li>Análise Qualitativa </li></ul><ul><li>Consistência dos dados </li></ul><ul><ul><li>consumo médio 12meses; </li></ul></ul><ul><ul><li>carga instalada; </li></ul></ul><ul><ul><li>demandas. </li></ul></ul><ul><li>Dispersão de consumo, carga instalada e demanda máxima; </li></ul><ul><li>Separação em duas amostras: análise (90%) e validação (10%); </li></ul>
  8. 8. Metodologia <ul><li>Definição dos Fatores de Carga e de Demanda </li></ul><ul><li>Definição de pontos de corte para faixas de carga; </li></ul><ul><li>Cálculo dos valores médios das grandezas por faixa de carga; </li></ul><ul><li>Cálculo dos fatores de carga e de demanda por faixa de carga; </li></ul><ul><li>Cálculo dos erros absolutos. </li></ul><ul><li>Validação </li></ul><ul><li>Comparação entre o consumo médio real e os consumos estimados utilizando os fatores determinados no projeto. </li></ul>
  9. 9. Metodologia Resultados: Atividade Bar  Amostras de campo 1,65 448,40 2,06 Desvio Padrão 1,47 383,20 2,05 Médio 0,17 34,92 0,22 Mínimo 14,21 2.624,00 15,18 Máximo Demanda máxima (kW) Consumo mensal (kWh) Carga instalada (kW) Característica Válido Suprimido Final 248 2 246
  10. 10. Metodologia Dispersão: Atividade Bar
  11. 11. Metodologia <ul><li>Análise do gráfico de dispersão (Atividade bar) </li></ul><ul><li>74% das unidades com carga até 2,5 kW; </li></ul><ul><li>dispersão das unidades com carga superior a 8,0 kW. </li></ul>
  12. 12. Metodologia Comparativo dos erros entre os consumos medidos e estimados (Atividade bar) <ul><li>Cortes propiciam diminuição dos erros médios; </li></ul><ul><li>Escolhida estimativa 1; </li></ul><ul><ul><li>Poucas unidades com carga acima de 8,0 kW (estimativa 2) </li></ul></ul>48,79% 25,89% Estimativa 2 – Corte em 2,5 kW e 8,0 kW 49,65% 27,03% Estimativa 1 – Corte em 2,5 kW 51,25% 29,45% Estimativa 0 – Sem Corte Erro absoluto médio (%) Erro médio (%) Simulação
  13. 13. Metodologia Cálculo dos fatores FCxFD utilizando estimativa 1 (atividade bar) Validação (10% do total da amostra)  Fatores atuais  erro absoluto médio de 34,2%.  Simulação  erro absoluto médio de 23,93%. 0,36 0,69 2,5 ┤15,0 0,35 0,76 0 ┤2,5 FC FD Faixa de carga instalada (kW)
  14. 14. Resultados Fatores Determinados 0,28 0,31 0,38 0,33 0,31 0,36 0,35 FC 44,0% 41,7% 34,2% % Erro médio (FCxFD atual) 35,8% 15,6% 23,9% % Erro médio (Simulação) 0,49 1,3 ┤4,8 0,49 4,8 ┤10,5 0,69 2,5 ┤15,0 0,74 0 ┤1,3 Lanchonete 0,62 0 ┤6,0 Padaria 0,49 6,0 ┤45,0 0,76 0 ┤2,5 Bar FD Faixa de carga instalada (kW) Atividade
  15. 15. Conclusões e Sugestões <ul><li>Conclusões </li></ul><ul><ul><li>Os fatores determinados conduzem a estimativas mais precisas; </li></ul></ul><ul><ul><li>A carga instalada não deve ser o único parâmetro para a determinação de consumos estimados; </li></ul></ul><ul><ul><li>Divisão dos fatores por faixas de carga possibilitou menores taxas de erro; </li></ul></ul><ul><li>Sugestões </li></ul><ul><ul><li>Estudo de outros fatores que impactam no consumo de energia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprofundamento deste estudo para outros ramos de atividade. </li></ul></ul>
  16. 16. Conclusões e Sugestões Obrigado! COELBA: Ricardo A. M. Flor (rmaciel@coelba.com.br) André Alcântara (alalcantara@coelba.com.br) CONSULTE: Mônica Silveira (monica.silveira@consultenergia.com.br) Pedro R. P. Dantas (pedro.dantas@consultenergia.com.br)

×