O slideshow foi denunciado.
Ponte Vasco da Gama Criação de uma Fundação Uma responsabilidade Expropriações
Uma responsabilidade Objectivos da Fundação Divulgação Actividade formativa Desenvolvimento de  Zonas Húmidas Investigação...
Estratégia de Desenvolvimento sustentável Ambiente Social Economia Hortas sociais Forragens biológicas Aquacultura Reconve...
Uma responsabilidade...Estratégia de Conservação da Natureza   Zona dos grandes lagos – Samouco Marinha da Restinga e Alco...
Conservação da Natureza   trabalho realizado na Marinha do Canto Um prazer...
Programa AGRIS Plano Global de Intervenção, no âmbito da Medida 7.1. “Recuperação e Valorização do Património, da Paisagem...
As parcerias <ul><li>Câmara Municipal de Alcochete  </li></ul><ul><li>Reserva Natural do Estuário do Tejo </li></ul>Uma hi...
Uma história <ul><li>Quais os objectivos  </li></ul><ul><li>das Hortas Sociais? </li></ul><ul><li>Possibilitar o acesso à ...
Uma história <ul><li>Estruturar o interface rural/urbano </li></ul><ul><li>Criação de uma cortina de protecção das salinas...
Uma história
O que são? Talhões de terra para a produção agrícola sem fins lucrativos, cedidos à população do Concelho de Alcochete, co...
<ul><li>A ideia foi colocada à empresa Ambiência, que elaborou: </li></ul><ul><li>Um Plano de Ordenamento </li></ul><ul><l...
<ul><li>Deverá cumprir um  Regulamento , cujas regras principais são: </li></ul><ul><li>Plantar hortícolas, para consumo p...
Uma história <ul><li>Critérios de selecção: </li></ul><ul><li>Eleitores do concelho de Alcochete </li></ul><ul><li>Idosos ...
Uma história Reserva Natural do Estuário do Tejo Arquitecto Ricardo Espírito Santo Plano Global de Intervenção Sítio do Ch...
Criação de  18 talhões de terreno , “ agros ”, com áreas variáveis entre 300 e 500 m2 Área total do terreno : 11 800 m2 Ár...
Estruturas das Hortas Sociais Apoios Agrícolas, um total de nove elementos proporcionando 18 Apoios Realizados em materiai...
Vista do terreno após o enfardamento da palha Marcação dos eixos ou “montagem do cangalho” Colocação dos blocos de betão d...
Montagem do entablamento inferior Entablamento inferior, sendo visível o apoio sobre os blocos de betão Montagem de um dos...
Enchimento da caixa-de-solo com cerca de 1 m3 de brita Vista de conjunto com ambos os topos montados e com a 1ª fileira de...
Exterior e interior com as cinco fileiras de fardos montadas
Exterior e interior com as cinco fileiras de fardos montadas
 
Experiências com o reboco Os rebocos utilizados neste módulo, revestem-se da particularidade de integrarem materiais pozol...
Após a colocação da estrutura de telhado e das portas, o  módulo  adquire a sua imagem morfológica final O peso do  módulo...
Estrutura de  suporte do telhado , executada com barrotes de pinho Pormenor dos  apoios interior, central e exterior  de s...
O  módulo  inicial após a aplicação dos rebocos interiores e exteriores Após a conclusão dos rebocos do  módulo  inicial, ...
L i n h a  d e  a p o i o s  a g r í c o l a s  :  l a d o  N o r t e L i n h a  d e  a p o i o s  a g r í c o l a s  :  l...
Módulo  inicial com rebocos interiores e telhado aplicados Módulo  da extrema Norte
Visualização a partir do local do furo de água com aerodínamo virtual
Vista a partir da estrada Alcochete / Samouco   (EN 501)
O espaço interior, um pouco mais de 6 m2, será ainda dotado de um sistema de prateleiras realizado em elementos de madeira...
Fundação  para a Gestão e Protecção Ambiental das  Salinas do Samouco Instituto da Conservação da Natureza :  Reserva Natu...
<ul><li>Apoios Agrícolas </li></ul><ul><li>Utilização de materiais produzidos nas actividades agrícolas </li></ul><ul><li>...
<ul><li>Apoios Agrícolas </li></ul><ul><li>Agrupamento em construções binárias, dando cada construção apoio a duas hortas,...
Utilização de fardos de palha Estas construções são muito resistentes ao fogo e aos insectos xilófagos,  devido à densidad...
Enquanto material de construção apresenta: elevados níveis de eficácia energética, resistência às cargas,  excelente isola...
As hortas serão inauguradas  durante  as Festas do Barrete Verde e das Salinas,  em Agosto de 2005 A presença da Fundação ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Hortas Sociais e Agricultura Urbana

2.707 visualizações

Publicada em

Apresentação de José Palma, Fundação Salinas do Samouco
Agricultura Urbana e Sustentabilidade Local
Seminário realizado em 19 de Maio de 2005
Casa do Ambiente e do Cidadão
Instituto do Ambiente
Organização: Humaneasy Consulting e Ambiência

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Hortas Sociais e Agricultura Urbana

  1. 1. Ponte Vasco da Gama Criação de uma Fundação Uma responsabilidade Expropriações
  2. 2. Uma responsabilidade Objectivos da Fundação Divulgação Actividade formativa Desenvolvimento de Zonas Húmidas Investigação Científica Educação Ambiental Desenvolvimento Sustentável Conservação da Natureza
  3. 3. Estratégia de Desenvolvimento sustentável Ambiente Social Economia Hortas sociais Forragens biológicas Aquacultura Reconversão da actividade salineira Formação de Animadores de Educação Ambiental Formação de A. Salineiros Turismo de Natureza Optimização das condições de nidificação e invernada da avifauna aquática Educação Ambiental LIFE-Natureza LEADER + MARE AGRIS Formação FSE PIDDAC
  4. 4. Uma responsabilidade...Estratégia de Conservação da Natureza   Zona dos grandes lagos – Samouco Marinha da Restinga e Alcochete Restauro / Reconstituição – funcionamento há 40 anos Reformulação da morfologia da zona Investimento Marinhas: Canto, Praia e Cova, Providência             antigas salinas, baixa profundidade  Gestão níveis de água, nidificação artificial frente mar e zona de pequenos espaços salinidade, pequena profundidade produção de sal e produtos co-relacionados nidificação, mas predação Manutenção amplos espaços baixos níveis de salinidade gestão dos níveis de água semi automática introdução de amplos espaços artificiais de nidificação Zona dos grandes lagos – Samouco
  5. 5. Conservação da Natureza trabalho realizado na Marinha do Canto Um prazer...
  6. 6. Programa AGRIS Plano Global de Intervenção, no âmbito da Medida 7.1. “Recuperação e Valorização do Património, da Paisagem e dos Núcleos Populacionais em Meio Rural” Melhoria do Acesso ao Complexo – vedação e caminho . Recuperação do Palácio dos Pinheirinhos Criação de Hortas Sociais Uma história Museu do Sal Requalificação da envolvente da Ermida Nª Srª Conceição Circuito Pedonal do Samouco
  7. 7. As parcerias <ul><li>Câmara Municipal de Alcochete </li></ul><ul><li>Reserva Natural do Estuário do Tejo </li></ul>Uma história Criação de Hortas Sociais
  8. 8. Uma história <ul><li>Quais os objectivos </li></ul><ul><li>das Hortas Sociais? </li></ul><ul><li>Possibilitar o acesso à terra a antigos trabalhadores agrícolas </li></ul><ul><li>Criação de mecanismos de compensação económica </li></ul><ul><li>Reforço e expansão de uma cultura agrícola, num espaço originalmente rural </li></ul><ul><li>Solidariedade social e envolvimento e valorização dos idosos </li></ul>
  9. 9. Uma história <ul><li>Estruturar o interface rural/urbano </li></ul><ul><li>Criação de uma cortina de protecção das salinas </li></ul><ul><li>Apoiar a integração de uma nova população urbana </li></ul><ul><li>Abertura à população de um espaço que pertence à memória </li></ul><ul><li>colectiva </li></ul>Objectivos da Fundação:
  10. 10. Uma história
  11. 11. O que são? Talhões de terra para a produção agrícola sem fins lucrativos, cedidos à população do Concelho de Alcochete, com interesse na utilização de uma horta nos tempos livres. Uma história
  12. 12. <ul><li>A ideia foi colocada à empresa Ambiência, que elaborou: </li></ul><ul><li>Um Plano de Ordenamento </li></ul><ul><li>Um Manual de Boas Práticas Agro- </li></ul><ul><li>Ambientais </li></ul><ul><li>Uma proposta de Regulamento </li></ul>Uma história
  13. 13. <ul><li>Deverá cumprir um Regulamento , cujas regras principais são: </li></ul><ul><li>Plantar hortícolas, para consumo próprio </li></ul><ul><li>Não usar adubos ou fertilizantes químicos </li></ul><ul><li>Limpar e organizar o talhão e a área de caminho </li></ul><ul><li>Manter a casinha de apoio </li></ul>Uma história Os utilizadores das Hortas Sociais pagarão um aluguer simbólico, comprometendo-se a não utilizar o espaço para fins comerciais.
  14. 14. Uma história <ul><li>Critérios de selecção: </li></ul><ul><li>Eleitores do concelho de Alcochete </li></ul><ul><li>Idosos </li></ul><ul><li>Reformados da agricultura </li></ul><ul><li>Neo-rurais </li></ul><ul><li>Ex-proprietários de salinas </li></ul><ul><li>Famílias numerosas </li></ul>
  15. 15. Uma história Reserva Natural do Estuário do Tejo Arquitecto Ricardo Espírito Santo Plano Global de Intervenção Sítio do Chão das Feiticeiras
  16. 16. Criação de 18 talhões de terreno , “ agros ”, com áreas variáveis entre 300 e 500 m2 Área total do terreno : 11 800 m2 Área total de cultivo “ agros ” : 8 100 m2 Área verde de utilização comum: 1 500 m2 Área de circulação mista (auto+pedonal) : 1 700 m2 Área dos Apoios Agrícolas e área agregada : 580 m2 Elementos de estruturação principal – Tanque+aerodínamo+compostagem
  17. 17. Estruturas das Hortas Sociais Apoios Agrícolas, um total de nove elementos proporcionando 18 Apoios Realizados em materiais ligeiros : Fardos de Palha : Madeira de Pinho Apoio Agrícola
  18. 18. Vista do terreno após o enfardamento da palha Marcação dos eixos ou “montagem do cangalho” Colocação dos blocos de betão do embasamento
  19. 19. Montagem do entablamento inferior Entablamento inferior, sendo visível o apoio sobre os blocos de betão Montagem de um dos topos
  20. 20. Enchimento da caixa-de-solo com cerca de 1 m3 de brita Vista de conjunto com ambos os topos montados e com a 1ª fileira de fardos colocada Vista do interior, notando-se os tramos de verga de aço utilizados para reforço na fixação das várias fileiras de fardos
  21. 21. Exterior e interior com as cinco fileiras de fardos montadas
  22. 22. Exterior e interior com as cinco fileiras de fardos montadas
  23. 24. Experiências com o reboco Os rebocos utilizados neste módulo, revestem-se da particularidade de integrarem materiais pozolânicos, isto é de origem vulcânica. Esta particularidade aumenta a capacidade de resistência à humidade destes materiais de revestimento
  24. 25. Após a colocação da estrutura de telhado e das portas, o módulo adquire a sua imagem morfológica final O peso do módulo impôs-se na paisagem e os passantes interrogam-se: O que é? Para quê? Em palha ?
  25. 26. Estrutura de suporte do telhado , executada com barrotes de pinho Pormenor dos apoios interior, central e exterior de suporte do telhado
  26. 27. O módulo inicial após a aplicação dos rebocos interiores e exteriores Após a conclusão dos rebocos do módulo inicial, iniciou-se o processo de construção dos restantes oito apoios agrícolas
  27. 28. L i n h a d e a p o i o s a g r í c o l a s : l a d o N o r t e L i n h a d e a p o i o s a g r í c o l a s : l a d o S u l
  28. 29. Módulo inicial com rebocos interiores e telhado aplicados Módulo da extrema Norte
  29. 30. Visualização a partir do local do furo de água com aerodínamo virtual
  30. 31. Vista a partir da estrada Alcochete / Samouco (EN 501)
  31. 32. O espaço interior, um pouco mais de 6 m2, será ainda dotado de um sistema de prateleiras realizado em elementos de madeira, bem como de uma rampa/banco, para acesso de carros-de-mão. Aspecto actual dos apoios agrícolas esperando a conclusão dos trabalhos
  32. 33. Fundação para a Gestão e Protecção Ambiental das Salinas do Samouco Instituto da Conservação da Natureza : Reserva Natural do Estuário do Tejo Câmara Municipal de Alcochete Plano b : arquitectura alternativa Dezembro : 2004 Ricardo Espírito Santo : arquitecto
  33. 34. <ul><li>Apoios Agrícolas </li></ul><ul><li>Utilização de materiais produzidos nas actividades agrícolas </li></ul><ul><li>Mínima utilização de materiais de construção sujeitos a processos </li></ul><ul><li>industriais </li></ul><ul><li>Baixo custo de construção e facilidade de manutenção pelo utilizador </li></ul>Uma história
  34. 35. <ul><li>Apoios Agrícolas </li></ul><ul><li>Agrupamento em construções binárias, dando cada construção apoio a duas hortas, procurando a economia de projecto, a economia visual sobre a paisagem e promovendo as relações de vizinhança; </li></ul><ul><li>Criação de um ritmo de construção ao longo do eixo viário, num efeito cénico bastante forte que identifica o lugar e as actividades nele desenvolvidas. </li></ul><ul><li>Criação de uma área coberta de aproximadamente 6 m2. </li></ul>Uma história
  35. 36. Utilização de fardos de palha Estas construções são muito resistentes ao fogo e aos insectos xilófagos, devido à densidade com que os materiais são enfardados e aos rebocos posteriormente aplicados. Uma história
  36. 37. Enquanto material de construção apresenta: elevados níveis de eficácia energética, resistência às cargas, excelente isolante térmico e acústico. Uma história Utilização de fardos de palha
  37. 38. As hortas serão inauguradas durante as Festas do Barrete Verde e das Salinas, em Agosto de 2005 A presença da Fundação das Salinas do Samouco, pretende enriquecer, não só o património natural, mas também o património cultural e humano de Alcochete.

×