Planejamento eficaz e controle organizacional

661 visualizações

Publicada em

Material sobre planejamento eficaz e controle organizacional destinado a estudantes e profissionais de Administração.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
661
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento eficaz e controle organizacional

  1. 1. PLANEJAMENTO EFICAZ & CONTROLE ORGANIZACIONAL Henrique Ferreira
  2. 2. O que e planejamento? - É entender a realidade, estudar os caminhos para serem traçados, focar numa referencia futura, ou seja, ter visão, saber onde se pretende chegar, construindo todo o trâmite propicio ao que se destina o planejamento. E o que é eficácia e eficiência? - Eficácia é alcançar um objetivo, meta ou resultado ao qual se planejou. - Eficiência é alcançar a eficácia com menos recursos possíveis, tais como: Custo, tempo, etc.
  3. 3. PLANEJAMENTO EFICAZ • Um planejamento se torna eficaz quando se realiza de forma a qual saiba o proposito do mesmo, público a qual irá atingir, demarcando prazos e metas para o alcance dos resultados, formando parcerias e avaliando todo o processo.
  4. 4. Os 10 pilares de um planejamento • 1° - Proposito; • 2° - Público Alvo; • 3° - Tenha visão, saiba onde quer chegar e como; • 4° - Defina objetivos e metas e o tempo para as mesmas; • 5° - Organização no papel, facilitará uma análise SWOT. • 6° - Analise do ambiente interno e externo; • 7° - Formar parcerias; • 8° - Formular estratégias; • 9° - Dinamizar o processo; • 10° - Avaliar todo o processo
  5. 5. • Proposito – Saber qual o objetivo para o planejamento, sabendo se o mesmo se faz necessário. • Público alvo – Saber a quem quer atingir. • Visão – É saber onde se quer chegar, como chegar. Enxergar as oportunidades que se abrem e saber aproveitá-las. “O “como” fará sentido quando você entender o “por que”. Proposito e visão andam juntos.” • Objetivos e metas – É um norte a se seguir para que se possa monitorar o progresso da organização.
  6. 6. • Organização – Organize tudo no papel e facilitará nas tomadas de decisões como uma análise SWOT, por exemplo. • Analise do ambiente Externo – Analisar tudo o que acontece fora da sua empresa, como seus concorrentes ou potenciais concorrentes, preço da matéria prima, taxas, etc. • Analise do ambiente interno – Averiguar as qualidades da equipe e os processos, avaliando o que se deve melhorar dentro da empresa, ou seja, averiguar sua performance interna. • Formar parcerias – Saber quem são os potenciais colaboradores para o sucesso do projeto.
  7. 7. • Formular estratégias – Com todos os dados em mãos, decidir quais os caminhos seguir dali por diante. • Dinamizar o processo – Não deixar o planejamento na gaveta. Faça com que o mesmo aconteça, sempre analisando e controlando os resultados. • Avaliar todo o processo – Este é o passo final. Tire todo o entendimento e avalie seu nível de eficácia. Servirá para que nos próximos planejamentos seus caminhos sejam mais curtos e assertivos.
  8. 8. FUNÇÃO OGANIZAÇÃO Organização como função administrativa é o ato de organizar, integralizar recursos e órgãos, estruturando os mesmos e atribuindo-os suas funções e estabelecendo relações.
  9. 9. Controle Organizacional • O que é? É o processo que irá orientar e nortear a equipe para o alcance dos objetivos e metas. Tipos: Controle preventivo, Simultâneo e por feedback.
  10. 10. • Controle preventivo - É utilizado para analisar as operações que serão projetadas para se atingir, mesmo que ainda não tenham começado, visando a veracidade e conformidade com os objetivos e recursos. • Controle Simultâneo – Esse é o mais comuns. São feitos durante o desenvolvimento de uma atividade, corrigindo os erros assim que aparecem. Ex: Supervisor direta. • Controle por feedback – São aqueles que são feitos após as ações. Neles se detectam as falhas e suas causas em relação ao plano original, fazendo com que as mesmas não aconteçam em atividades futuras semelhantes.
  11. 11. Ref. Bibliográfica • REBOUÇAS , Djalma de Pinho., "Planejamento Estratégico: Conceitos metodologia práticas”. São Paulo: Atlas, 2001.
  12. 12. OBRIGADO!

×