Gestão do planejamento estratégico

15.878 visualizações

Publicada em

Gestão do planejamento estratégico

Publicada em: Educação

Gestão do planejamento estratégico

  1. 1. GESTÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
  2. 2. o que é Planejamento? É preciso que haja planos para que a organização tenha seus objetivos e para que se estabeleça a melhor maneira de alcança- los. Os primeiros passos do Planejamento envolvem a seleção de objetivos para a organização.
  3. 3. O que é Estratégia? Estratégia é o programa geral para a consecução dos objetivos de uma organização e, portanto, para o desempenho de sua missão. Também se pode definir Estratégia como o padrão de resposta da organização ao seu ambiente no tempo.
  4. 4. O que é Estratégia Empresarial? Estratégia Empresarial pode ser caracterizada pela conjugação produto/mercado, isto é, a especificação dos produtos com os quais a empresa pretende atingir seus objetivos e dos mercados onde ela pretende operar para colocá-los ou vendê- los.
  5. 5. O que Planejamento Estratégico? Planejamento estratégico é o processo de seleção dos objetivos de uma organização. É a determinação das políticas e dos programas estratégicos necessários para se atingir objetivos específicos rumo à consecução das metas: e o estabelecimento dos métodos necessários para assegurar a execução das políticas e dos programas estratégicos
  6. 6. Características lida com questões fundamentais ou básicas. estabelece um quadro de referência para o planejamento mais detalhado e para as decisões administrativas do dia-a-dia. dá um sentido de coerência e força aos atos e decisões da organização no tempo é uma atividade de nível superior no sentido de que a direção tem que ter uma participação ativa nele.
  7. 7. Operacional x Estratégico Planejamento Operacional Planejamento Estratégico Enfoque Problemas operacionais Sobrevivência e desenvolvimento em longo prazo Objetivo Lucros atuais Lucros futuros Restrições Ambiente de recursos atuais Ambiente de recursos futuros Recompensas Eficiência, estabilidade Desenvolvimento do potencial futuro Informações Ramo de atividade atual Oportunidades futuras Organização Burocrático/ estável Empresarial/flexível Liderança Conservadora Inspira mudança radical Solução de Reage, confia na experiência passada Prevê, descobre novas orientaçõesproblemas Baixo risco Maior risco
  8. 8. Decisão em utilizar O sucesso do Planejamento Estratégico depende muito da decisão pela diretoria a favor de sua utilização e do início do processo. "Agora não é o momento propício; vamos aguardar que o ambiente fique menos turbulento ou que acabe a recessão." "Agora não podemos planejar porque estamos arrumando a casa, esperando um novo diretor, revendo a estrutura, etc."
  9. 9. Decisão em Utilizar Isto é, sempre vai haver alguma pendência ou dificuldade. Não deixe que estas "desculpas" impeçam sua empresa de alcançar o sucesso. a decisão seja divulgada para toda a empresa esclarecendo o trabalho a ser realizado, evitando-se assim o surgimento de boatos.
  10. 10. Organização do Processo Quem participa e com que atribuições? Com qual roteiro o Plano Estratégico será formulado? Para qual horizonte o Plano Estratégico será formulado? Que glossário utilizar para formular o Plano Estratégico? Qual o cronograma para formular o Plano Estratégico? Quem participa e com que atribuições?
  11. 11. O processo deve serparticipativo na formulação, não na decisão. Participar não é decidir Participar é ser ouvido,questionar, opinar e acatar as decisões de quem de direito.
  12. 12. Metodologia Básica
  13. 13. EtapasEtapas do Plano Estratégico ConceitoNegócio Âmbito de atuação da empresaMissão Papel desempenhado pela empresa no seu Negócio. Balizamentos para o processo decisório e oPrincípios comportamento da empresa no cumprimento de sua Missão. Processo de identificação das Oportunidades, Ameaças, Forças e Fraquezas que afetam a empresa no cumprimento de sua Missão. Oportunidades Situações externas, atuais ou futuras que, se adequadamente aproveitadas pela empresa, podem influenciá-la positivamente. Ameaças Situações externas, atuais ou futuras que, se nãoAnálise do Ambiente eliminadas, minimizadas ou evitadas pela empresa, podem afeta-la negativamente. Forças Características da empresa, tangíveis ou não, que podem influenciar positivamente seu desempenho. Fraquezas Características da empresa, tangíveis ou não, que influenciam negativamente seu desempenho. Resultados quantitativos e/ou qualitativos que a empresa precisa alcançar, em prazo determinado, noObjetivos contexto do seu ambiente, para cumprir sua Missão. O que a empresa decide fazer, considerando o ambiente, para atingir os Objetivos, respeitando osEstratégias Princípios, visando cumprir a Missão no Negócio.
  14. 14. Levantamento de Informações A decisão para utilizar o Planejamento Estratégico. As participações no processo de planejamento com suas atribuições definidas. O cronograma das principais fases. A metodologia (roteiro) para formular o Plano Estratégico. O glossário para permitir uma linguagem uniforme. O horizonte para formular o Plano Estratégico. Outro componente importante para construir o futuro são as informações
  15. 15. Formulação Onde se reunir para formular o Plano Estratégico? Quanto tempo será preciso? Que apoio logístico será necessário? Onde se reunir para formular o Plano Estratégico?
  16. 16. Plano Estratégico
  17. 17. Missão "Uma empresa não se define pelo seu nome, estatuto ou produto que faz; ela se define pela sua missão. Somente uma definição clara da missão é razão de existir da organização e torna possíveis, claros e realistas os objetivos da empresa." Peter Drucker
  18. 18. Visão Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas acontece a mesma coisa: elas têm visão. É isso que lhes permite administrar a continuidade e a mudança simultaneamente. James Collins e Jerry Porras
  19. 19. Ideologia Central Ideologia central define o caráter permanente de uma organização – uma identidade coerente que transcende ciclos de vida de produtos ou de mercado, revoluções tecnológicas, modismos gerenciais ou lideranças individuais.
  20. 20. Valores Básicos Valores básicos são os preceitos essenciais e permanentes de uma organização. Formando um pequeno conjunto de princípios de orientação perenes, esses valores não requerem nenhuma justificativa externa: têm valor e importância intrínsecos e são importantes para aqueles que fazem parte da organização.
  21. 21. Perguntas Decisivas Uma empresa de alta tecnologia ficou em dúvida sobre se deveria incluir qualidade na lista de seus valores básicos. Os participantes da equipe de management entreolharam-se e acabaram respondendo que não. Depois disso, o mesmo grupo de executivos passou a discutir se devia considerar a criação de produtos de ponta como valor básico.
  22. 22. Finalidade Básica FINALIDADE BÁSICA DE EMPRESAS 3M Solucionar problemas não solucionados de maneira inovadora CARGILL Elevar o pradrão de vida mundial HEWLETT- Fazer contribuições técnicas para o avanço e bem estar da humanidadePACKARD McKINSEY Auxiliar corporações e governos líderes a obter mais sucesso& COMPANY MERCK Preservar e melhorar a vida humana NIKE Viver a alegria do avanço e suar tecnologia em benefício do público WAL-MART Das às pessoas comuns a oportunidade de comprar as mesmas coisas que os ricos WALT Alegrar as pessoasDISNEY
  23. 23. 5 Whys A discussão que se seguiu permitiu aos participantes da equipe perceber que seu sentimento de auto-realização provinha não só do auxílio dado aos clientes para conhecer melhor os mercados como também de sua contribuição para o sucesso de seus clientes.
  24. 24. Visualização de Futuro O segundo componente principal do conceito de visão é a visualização do futuro. Essa visualização ocorre em duas partes: a definição de metas de 10 a 30 anos e a descrição de qual será a realidade se a meta for atingida
  25. 25. Valores OS VALORES BÁSICOS DE EMPRESAS Nordstrom Walt Disney Serviço ao cliente acima de tudo Não-ceticismoTrabalho duro e produtividade individual Criatividade, sonhos e imaginaçãoNunca estar satisfeito Atenção fanática à coerência e aos detalhesExcelência em reputação, fazer parte de algo especial Preservação e controle da magia Disney Philip Morris Merck O direito de liberdade de escolha Responsabilidade corporativa e socialVencer/conquistar outros com uma briga limpa Excelência inequívoca em todos os aspectos daEncorajar iniciativas pessoais empresaOportunidade baseada no mérito; ninguém tem direitos Inovação baseadanaturais sobre nada e integridadeTrabalho duro e melhoria pessoal contínua Lucros, mas lucros provenientes de trabalho que beneficie a humanidade Sony Elevação da cultura japonesa e do status nacionalSer pioneira – não seguir outros, fazer o impossívelEncorajar a habilidade individual e criativa
  26. 26. Modelo de Plano de Ação
  27. 27. Análise de Ambiente "O futuro não é predeterminado. É, pelo menos em parte, sujeito à nossa influência. O nosso interesse deve ser, pois, focalizar futuros previsíveis tanto quanto os que são possíveis e prováveis." Alvin Toffler
  28. 28. Enfoque Estratégico - Evolução Er Período Enfoquea 1 1910/19 Estrutura 35 2 1935/19 Produtividade 55 3 1955/19 Sistemas 70 4 1970/19 Estratégia 80 5 1980/19 Cultura 85 6 1985/19 Inovação 89 7 1990 Administração da Complexidade
  29. 29. RoteiroRoteiro de etapas para análise do Ambiente Externo Definir o escopo do ambiente a ser analisado Selecionar as informações relevantes Escolher o cenário referência Identificar as oportunidades e ameaças no cenário referência Selecionar as oportunidades e ameaças relevantes para a empresa
  30. 30. Etapas Etapa 1: Definir o escopo do ambiente a ser analisado Etapa 2: Selecionar as informações relevantes Etapa 3: Escolher o "Cenário Referência“ Etapa 4: Identificar as Oportunidades e Ameaças no Cenário de Referência Etapa 5: Selecionar as Oportunidades e Ameaças relevantes para a Empresa
  31. 31. Influência Externas
  32. 32. Modelo De Porter
  33. 33. Analise de Ambiente Externo Uma vez declarada a missão da empresa, seus executivos devem conhecer as partes do ambiente que precisam monitorar para atingir suas metas. Oportunidades: Um importante propósito da análise ambiental é identificar novas oportunidades de marketing e mercado.
  34. 34. Ambiente Externo Ameaças: Alguns desenvolvimentos do ambiente externo representam ameaças. Ameaça Ambiental
  35. 35. Oportunidades x Ameaças
  36. 36. Ambiente Interno Uma coisa é discernir as oportunidades atraentes do ambiente; outra é possuir as competências necessárias para aproveitar bem essas oportunidades
  37. 37. SWOT
  38. 38. SWOT
  39. 39. SWOT
  40. 40. Metas e Objetivos São mensuráveis e específicas; Estão atreladas à missão e visão da empresa; Focam resultados; São desafiantes, porém realistas; São controláveis; Tem tempo limitado; São estratégicas; Foca no crescimento do negócio.
  41. 41. SMART
  42. 42. Metas X Objetivos Penetração de Mercado Manutenção de Mercado Expansão de Mercado Diversificação Utilização de capacidade Percentagem específica de lucros Maximização do lucro Estabelecer produtividade e retorno sobre patrimônio
  43. 43. Formulação Estratégica Até aqui, você definiu a missão e visão do seu negócio e definiu metas e objetivos visando atender sua missão em direção à visão declarada. Liderança total em custos Diferenciação Foco
  44. 44. FeedBack e Controle À medida que implementa sua estratégia, a empresa precisa rastrear os resultados e monitorar os novos desenvolvimentos nos ambientes interno e externo. Alguns ambientes mantêm-se estáveis de um ano para outro.
  45. 45. Planejar a Ação A ponte entre a intenção e a realização é a Ação. A Estratégia nada significa até que se transforme em Ação. Chegou o momento de detalhar as Estratégias, o que deve ser feito através dos Planos de Ação.
  46. 46. Projetos Estratégicos Qualidade Terceirização Internacionalização Sucessão Diversificação Unidades Estratégicas de Negócios Informatização
  47. 47. Orçamento Estratégico 1. Quanto custa? 2. Temos ou podemos captar esses recursos?
  48. 48. Aprovação Você poderá estranhar esta recomendação e se perguntar: Se o processo é participativo, inclusive contando com o primeiro escalão, para que aprovação formal? Observe que o processo é participativo na formulação do Plano, mas não quanto à decisão que cabe aos legalmente constituídos.
  49. 49. Divulgação Temos observado nas empresas, diferentes graus de abertura com relação à divulgação do Plano Estratégico. Cabe à diretoria da empresa decidir que grau de abertura é mais conveniente e estratégico para a divulgação do seu plano.
  50. 50. Ajuste Estrutura Ainda temos encontrado empresas tentando modificar sua estrutura (organograma) antes de ter o Plano Estratégico formulado.
  51. 51. Avaliação de Resultado Sugerimos utilizar como indicadores de desempenho os que se encontram definidos no quadro de Objetivos no Plano Estratégico. Considerando que os Planos de Ação são anuais, essa avaliação deve concentrar-se nos resultados, tendo em vista os resultados anuais a serem atingidos.
  52. 52. Acompanhamento Através dos Relatórios de Acompanhamento do Plano de Ação (quadro abaixo) e de Acompanhamento dos Projetos Estratégicos, (quadro subseqüente) a diretoria toma conhecimento do andamento do Plano de Ação de cada Objetivo e dos Projetos Estratégicos. Com base naquelas informações a diretoria decide o que deve ser feito, registrando no mesmo relatório as providências, os prazos e as responsabilidades.
  53. 53. Monitoramento Para monitorar, isto é, para ser proativo com relação ao ambiente, nas reuniões de Avaliação de Resultados e de Correção de Rota devem ser identificados os fatos e tendências relevantes dos ambientes externo e interno que, a curto prazo, podem provocar impacto na empresa.
  54. 54. Atualizar o Plano Se o Plano Estratégico faz sintonia entre o ambiente e a empresa, ele precisa ser atualizado periodicamente para acompanhar as mudanças relevantes do ambiente. Balanço anual Orçamento Relatório de Acompanhamento dos Planos de Ação Relatório de Acompanhamento dos Projetos Estratégicos.
  55. 55. Recomendações Considerar efetivamente o plano no processo decisório. Assegurar a participação efetiva da diretoria Mentalizar que "planeja quem executa". Evitar o excesso de formalismo ou informalismo no processo Evitar que a impunidade mate o processo.
  56. 56. Recomendações Acompanhar e avaliar efetivamente a implantação do plano. Assegurar a divulgação "estratégica" do Plano Estratégico. Assegurar a alocação de recursos, pessoas e tempo necessários para serem atingidos os Objetivos. Ajustar a estrutura para viabilizar o plano.
  57. 57. Recomendações Manter o plano atualizado. Lembrar sempre que o planejamento também é um processo político. Manter o plano realista, porém desafiante. Manter a transparência do processo. Reconhecer os resultados obtidos.
  58. 58. Recomendações Tornar o processo independente de pessoas. Lembrar-se do plano e do processo nos momentos de crise ou de muito sucesso. Não considerar o Planejamento Estratégico um instrumento para resolver todos os problemas da empresa. Ter sempre em mente o conceito de Planejamento Estratégico para evitar desvirtuar seu grande objetivo que é otimizar o desempenho da empresa como um todo. Dedicar atenção especial à constituição do G.P.E. (Grupo de Planejamento Estratégico).
  59. 59. Recomendações Ter a preocupação de associar o Planejamento Estratégico ao processo de administração, incorporando-o ao dia-a-dia da empresa. Cuidar para que o processo de formulação do plano seja o mais participativo possível, mantendo a decisão nos níveis hierárquicos competentes. Utilizar sistema de controle e avaliação de fácil entendimento, ao implantar o Plano Estratégico. Considerar também os aspectos de curto e médio prazo ao formular e implantar o plano. Desenvolver planos contingenciais. Apoiar, incentivar e avaliar a função do "guardião do processo".
  60. 60. Negócio "Não me ofereça coisas. Não me ofereça sapatos. Ofereça-me a comodidade para meus pés e o prazer de caminhar. Não me ofereça casa. Ofereça-me segurança, conforto e um lugar que prime pela limpeza e felicidade. Não me ofereça livros. Ofereça-me horas de prazer e o benefício do conhecimento. Não me ofereça discos. Ofereça-me lazer e a sonoridade da música. Não me ofereça ferramentas. Ofereça-me o benefício e o prazer de fazer coisas bonitas. Não me ofereça móveis. Ofereça-me conforto e tranqüilidade de um ambiente aconchegante. Não me ofereça coisas. Ofereça-me idéias, emoções, ambiência, sentimentos e benefícios. Por favor, não me ofereça coisas." Autor desconhecido
  61. 61. Qual é o negócio? Qual é mesmo o nosso Negócio? Há quanto tempo não dedicamos tempo para refletir sobre a pergunta "Qual é mesmo o nosso Negócio?".
  62. 62. Negócio Preço Embalagem Localização Horário Funcionamento Diferenciação Diversificação
  63. 63. Organização Organizações são unidades sociais deliberadamente construídas para perseguir objetivos específicos. Amitai Etzioni
  64. 64. Dificuldades Durante o processo de implementação da estratégia, através do alinhamento estratégico, pode-se encontrar uma série de dificuldades. Estas devem ser tratadas uma a uma, e priorizadas de acordo com a necessidade de cada organização.
  65. 65. Dificuldades As pessoas não entendem o que deve ser feito Resistência à mudança Limitação dos sistemas existentes Falta de comprometimento gerencial Falta de capacitação gerencial Expectativas pouco realistas Falta de cooperação entre equipes Cronogramas com marcos muito exigentes e pouco viáveis

×