SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
MODELOS ASSISTENCIAIS
EM SAÚDE
Saúde Pública
Profª. Cleonice Correa
SAÚDE PÚBLICA
Saúde Pública é a ciência e a arte de evitar
doenças, prolongar a vida e desenvolver a
saúde física e mental e a eficiência, através
de esforços organizados da comunidade para
o saneamento do meio ambiente, o controle
de infecções na comunidade, a organização
de serviços médicos para o diagnóstico
precoce e o tratamento preventivo de
doenças.
OBJETIVO
A Saúde Pública objetiva prevenir doenças
e promover saúde em populações através de
esforços comunitários, tendo como
principal instrumento a Epidemiologia.
4
Trajetória Histórica
1500 – COLONIZAÇÃO PELOS PORTUGUESES.
1800 – VINDA DA FAMÍLIA REAL.
 Controle dos navios e saúde dos portos.
 Quadro sanitário caótico.
 Propagação das Doenças – Conceitos
1900 – MODELO CAMPANHISTA
 Rodrigues Alves.
 Oswaldo Cruz .
 Sanitarismo Campanhista.
5
REVOLTA DA VACINA – anti-varíola.
 Surge: Carlos Chagas – sucessor de Oswaldo Cruz.
 Combate a tuberculose.
 Promoção: Educação Sanitária.
1921 – MISSÃO PARSONS
1923 – PREVIDÊNCIA SOCIAL
 Lei Eloi Chaves.
 CAP’S – Caixas de Aposentadorias e Pensões.
Lei Eloy Chaves- 1923
Organização das CAP’s (Caixas de Aposentadorias e
Pensões) marco inicial da Previdência Social no
Brasil.
Além das aposentadorias e pensões, os fundos
proviam os serviços funerários, Médicos, para
trabalhadores urbanos 3% dos rendimentos.
 1923 – CAP dos Ferroviários ( com carteira assinada
pelos 6 meses e o desconto era de 3% do salário)
 1926 – Portuários e Marítimos
7
1930 – CRISE DOS 30
 Revolução – política do café com leite – São Paulo e
Minas Gerais.
 Troca os CAP’S por IAP’S – Institutos de aposentadorias
e Pensões.
 Saúde Pública dos anos 30 aos 60 estagnou.
8
1945 – PÓS-GUERRA: aumenta o desemprego e agravam-
se as condições sociais do Brasil.
 Final dos anos 50: assistência médica previdenciária: passa
a consumir mais recursos;
 Aumento dos benefícios não foi acompanhado ↑ da receita
→ crise no sistema previdenciário → sistema deficitário a
partir de 1960;
1953: Criado o Ministério da Saúde.
9
1964 – GOLPE MILITAR – Ditadura.
 1966 – Modifica os IAP’S para INPS – Instituto Nacional
da Previdência Social.
 1974 – Epidemia de Poliomielite e Meningite.
 1974 – INAMPS – Instituto Nacional de Assistência
Médica da Previdência Social.
10
1985 – FIM DO REGIME MILITAR
 Movimento Diretas Já.
 Presidente voto direto – Tancredo Neves.
1986 – VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE.
 Lançou bases para Reforma Sanitária.
 Propôs uma Constituição Federal.
 Ideias da Criação de um Sistema Único de Saúde.
11
Comissão Nacional da Reforma Sanitária definiu as
diretrizes fundamentais:
 Reconhecimento do direito universal à promoção ativa
e permanente de condições que viabilizem a saúde;
 Criação de um Sistema Único de Saúde e
responsabilidade do Estado pela administração deste
sistema;
 Organização de um sistema de forma descentralizada,
articulando sua organização com a estrutura político-
administrativa do país;
Sistema Único e Descentralizado de Saúde
(SUDS)
1987 – Criação do SUDS, que teve como princípios:
 Universalização da assistência;
 Equidade no acesso aos serviços de saúde;
 Integração e a regionalização dos serviços de saúde;
 Integralidade dos cuidados assistenciais;
 Descentralização das ações de saúde;
 Integração dos serviços de saúde;
 Implementação de distritos sanitários;
 Constituição de instâncias colegiadas;
SUS
Na década de 1980, o movimento sanitário
desencadeado por intelectuais e
profissionais , impulsionou a realização da
VIII Conferência Nacional de Saúde
(1986), em Brasília.
Essa Conferência além de demarcar o
movimento sanitário, tornou-se um espaço
democrático onde o tema central pautou-se
na questão “Saúde como um direito do
cidadão e um dever do Estado”.
SUS
Os pontos mais importantes debatidos
durante a Conferência foram:
Universalização;
Unificação do sistema;
Integralidade;
Descentralização política e administrativa;
Hierarquização e
Participação popular.
SUS
O SUS é constituído pelo conjunto de
ações e serviços de saúde, prestados por
órgãos e instituições públicas federais,
estaduais e municipais, da administração
direta e indireta e das fundações mantidas
pelo Poder Público, podendo a iniciativa
privada participar em caráter
complementar.
Princípios do SUS
Universalidade: acesso garantido aos serviços de
saúde para toda a população, em todos os níveis de
complexidade do sistema.
Igualdade: assistência à saúde igualitária, livre de
preconceitos ou qualquer tipo de privilégios.
Equidade: igualdade na assistência à saúde, com
ações e serviços priorizados em função das
necessidades individuais de cada grupo. Oferecer
mais a quem tem menos, diminuindo assim a
desigualdade
Diretrizes do SUS
Descentralização político administrativa, com
direção única em cada esfera de governo( federal,
estadual e municipal): ênfase na descentralização
dos serviços para os municípios; regionalização e
hierarquização da rede de serviços de saúde.
Integridade da atenção à saúde: oferta de ações e
serviços das mais variadas naturezas e graus de
complexidade.
Participação da comunidade: no conhecimento do
processo saúde/doença e dos serviços, estimulando
a organização da comunidade para o controle
social na gestão do sistema, com representação
através dos conselhos de Saúde.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica Gladyanny Veras
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saudedavinci ras
 
Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemluzienne moraes
 
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.Silmara da Rocha Moura
 
SAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSobeMaria1
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoLaíz Coutinho
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaMario Gandra
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaWelisson Porto
 
Politica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulherPolitica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulherAlanna Alexandre
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoErivaldo Rosendo
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCentro Universitário Ages
 
Aula 3 história natural das doenças
Aula 3 história natural das doençasAula 3 história natural das doenças
Aula 3 história natural das doençasJesiele Spindler
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIAAna Carolina Costa
 

Mais procurados (20)

Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica vigilância epidemiológica
vigilância epidemiológica
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Ética e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagemÉtica e legislação em enfermagem
Ética e legislação em enfermagem
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.
Processo saúde doença e sua importância para promoção da saúde.
 
SAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptxSAUDE E DOENÇA.pptx
SAUDE E DOENÇA.pptx
 
SUS
SUSSUS
SUS
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológicaSaúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
Saúde Coletica - 5. vigilância epidemiológica
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
 
Politica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulherPolitica de saude nacional da mulher
Politica de saude nacional da mulher
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
Aula 3 história natural das doenças
Aula 3 história natural das doençasAula 3 história natural das doenças
Aula 3 história natural das doenças
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Aula 4 prevenção
Aula 4 prevençãoAula 4 prevenção
Aula 4 prevenção
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIADOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSORIA
 

Destaque

Modelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúdeModelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúdeLeticia Passos
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaRuth Milhomem
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Luis Dantas
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)apemfc
 

Destaque (6)

Os modelos de Atenção à Saúde_Eugenio Vilaça
Os modelos de Atenção à Saúde_Eugenio VilaçaOs modelos de Atenção à Saúde_Eugenio Vilaça
Os modelos de Atenção à Saúde_Eugenio Vilaça
 
Apresentação atenção básica esf
Apresentação atenção básica   esfApresentação atenção básica   esf
Apresentação atenção básica esf
 
Modelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúdeModelos assistenciais de saúde
Modelos assistenciais de saúde
 
Estratégia saúde da família
Estratégia saúde da famíliaEstratégia saúde da família
Estratégia saúde da família
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
Política Nacional de Atenção Básica (PNAB)
 

Semelhante a 1ª história da saúde pública

Saúde pública no Brasil
Saúde pública no BrasilSaúde pública no Brasil
Saúde pública no BrasilAndreia Morais
 
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)Políticas e práticas em saúde coletiva (2)
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)Feernascimento
 
Saúde Pública Grupo 2
Saúde Pública Grupo 2Saúde Pública Grupo 2
Saúde Pública Grupo 2ANDRESSA-LOPES
 
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)ANDRESSA-LOPES
 
Histórico da Saúde Publica no Brasil
Histórico  da Saúde Publica no BrasilHistórico  da Saúde Publica no Brasil
Histórico da Saúde Publica no BrasilAdriano Maffessoni
 
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxFACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxTaisdeJesusSantos
 
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectiva
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectivaAapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectiva
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectivaKarinaMartins88
 
Aula de Revisão odontologia.ppt
Aula de Revisão odontologia.pptAula de Revisão odontologia.ppt
Aula de Revisão odontologia.pptWilberthLincoln1
 
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasil
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasilAula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasil
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasilGuilherme Araújo
 
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptx
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptxSC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptx
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptxssuser435ecb
 
Evolução Histórica daSaúde, Constituição
Evolução Histórica daSaúde, ConstituiçãoEvolução Histórica daSaúde, Constituição
Evolução Histórica daSaúde, ConstituiçãoKaiannyFelix
 

Semelhante a 1ª história da saúde pública (20)

Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Saúde pública no Brasil
Saúde pública no BrasilSaúde pública no Brasil
Saúde pública no Brasil
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Saúde Pública
Saúde PúblicaSaúde Pública
Saúde Pública
 
Slide da apresentação
Slide da apresentaçãoSlide da apresentação
Slide da apresentação
 
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)Políticas e práticas em saúde coletiva (2)
Políticas e práticas em saúde coletiva (2)
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Saúde Pública Grupo 2
Saúde Pública Grupo 2Saúde Pública Grupo 2
Saúde Pública Grupo 2
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)
A saúde coletiva no brasil slides atual 2.1 (1)
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Saúde pública
Saúde públicaSaúde pública
Saúde pública
 
Histórico da Saúde Publica no Brasil
Histórico  da Saúde Publica no BrasilHistórico  da Saúde Publica no Brasil
Histórico da Saúde Publica no Brasil
 
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxFACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
 
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectiva
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectivaAapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectiva
Aapostila de saúde publica no Brasil: breve restrospectiva
 
Aula de Revisão odontologia.ppt
Aula de Revisão odontologia.pptAula de Revisão odontologia.ppt
Aula de Revisão odontologia.ppt
 
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasil
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasilAula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasil
Aula 2 -_histria_da_sade_pblica_no_brasil
 
2 políticas públicas
2 políticas públicas2 políticas públicas
2 políticas públicas
 
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptx
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptxSC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptx
SC_2_2022_Traget_Pol_Saude_Seg_Alim_Nut.pptx
 
Evolução Histórica daSaúde, Constituição
Evolução Histórica daSaúde, ConstituiçãoEvolução Histórica daSaúde, Constituição
Evolução Histórica daSaúde, Constituição
 

1ª história da saúde pública

  • 1. MODELOS ASSISTENCIAIS EM SAÚDE Saúde Pública Profª. Cleonice Correa
  • 2. SAÚDE PÚBLICA Saúde Pública é a ciência e a arte de evitar doenças, prolongar a vida e desenvolver a saúde física e mental e a eficiência, através de esforços organizados da comunidade para o saneamento do meio ambiente, o controle de infecções na comunidade, a organização de serviços médicos para o diagnóstico precoce e o tratamento preventivo de doenças.
  • 3. OBJETIVO A Saúde Pública objetiva prevenir doenças e promover saúde em populações através de esforços comunitários, tendo como principal instrumento a Epidemiologia.
  • 4. 4 Trajetória Histórica 1500 – COLONIZAÇÃO PELOS PORTUGUESES. 1800 – VINDA DA FAMÍLIA REAL.  Controle dos navios e saúde dos portos.  Quadro sanitário caótico.  Propagação das Doenças – Conceitos 1900 – MODELO CAMPANHISTA  Rodrigues Alves.  Oswaldo Cruz .  Sanitarismo Campanhista.
  • 5. 5 REVOLTA DA VACINA – anti-varíola.  Surge: Carlos Chagas – sucessor de Oswaldo Cruz.  Combate a tuberculose.  Promoção: Educação Sanitária. 1921 – MISSÃO PARSONS 1923 – PREVIDÊNCIA SOCIAL  Lei Eloi Chaves.  CAP’S – Caixas de Aposentadorias e Pensões.
  • 6. Lei Eloy Chaves- 1923 Organização das CAP’s (Caixas de Aposentadorias e Pensões) marco inicial da Previdência Social no Brasil. Além das aposentadorias e pensões, os fundos proviam os serviços funerários, Médicos, para trabalhadores urbanos 3% dos rendimentos.  1923 – CAP dos Ferroviários ( com carteira assinada pelos 6 meses e o desconto era de 3% do salário)  1926 – Portuários e Marítimos
  • 7. 7 1930 – CRISE DOS 30  Revolução – política do café com leite – São Paulo e Minas Gerais.  Troca os CAP’S por IAP’S – Institutos de aposentadorias e Pensões.  Saúde Pública dos anos 30 aos 60 estagnou.
  • 8. 8 1945 – PÓS-GUERRA: aumenta o desemprego e agravam- se as condições sociais do Brasil.  Final dos anos 50: assistência médica previdenciária: passa a consumir mais recursos;  Aumento dos benefícios não foi acompanhado ↑ da receita → crise no sistema previdenciário → sistema deficitário a partir de 1960; 1953: Criado o Ministério da Saúde.
  • 9. 9 1964 – GOLPE MILITAR – Ditadura.  1966 – Modifica os IAP’S para INPS – Instituto Nacional da Previdência Social.  1974 – Epidemia de Poliomielite e Meningite.  1974 – INAMPS – Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social.
  • 10. 10 1985 – FIM DO REGIME MILITAR  Movimento Diretas Já.  Presidente voto direto – Tancredo Neves. 1986 – VIII CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE.  Lançou bases para Reforma Sanitária.  Propôs uma Constituição Federal.  Ideias da Criação de um Sistema Único de Saúde.
  • 11. 11 Comissão Nacional da Reforma Sanitária definiu as diretrizes fundamentais:  Reconhecimento do direito universal à promoção ativa e permanente de condições que viabilizem a saúde;  Criação de um Sistema Único de Saúde e responsabilidade do Estado pela administração deste sistema;  Organização de um sistema de forma descentralizada, articulando sua organização com a estrutura político- administrativa do país;
  • 12. Sistema Único e Descentralizado de Saúde (SUDS) 1987 – Criação do SUDS, que teve como princípios:  Universalização da assistência;  Equidade no acesso aos serviços de saúde;  Integração e a regionalização dos serviços de saúde;  Integralidade dos cuidados assistenciais;  Descentralização das ações de saúde;  Integração dos serviços de saúde;  Implementação de distritos sanitários;  Constituição de instâncias colegiadas;
  • 13. SUS Na década de 1980, o movimento sanitário desencadeado por intelectuais e profissionais , impulsionou a realização da VIII Conferência Nacional de Saúde (1986), em Brasília. Essa Conferência além de demarcar o movimento sanitário, tornou-se um espaço democrático onde o tema central pautou-se na questão “Saúde como um direito do cidadão e um dever do Estado”.
  • 14. SUS Os pontos mais importantes debatidos durante a Conferência foram: Universalização; Unificação do sistema; Integralidade; Descentralização política e administrativa; Hierarquização e Participação popular.
  • 15. SUS O SUS é constituído pelo conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, da administração direta e indireta e das fundações mantidas pelo Poder Público, podendo a iniciativa privada participar em caráter complementar.
  • 16. Princípios do SUS Universalidade: acesso garantido aos serviços de saúde para toda a população, em todos os níveis de complexidade do sistema. Igualdade: assistência à saúde igualitária, livre de preconceitos ou qualquer tipo de privilégios. Equidade: igualdade na assistência à saúde, com ações e serviços priorizados em função das necessidades individuais de cada grupo. Oferecer mais a quem tem menos, diminuindo assim a desigualdade
  • 17. Diretrizes do SUS Descentralização político administrativa, com direção única em cada esfera de governo( federal, estadual e municipal): ênfase na descentralização dos serviços para os municípios; regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde. Integridade da atenção à saúde: oferta de ações e serviços das mais variadas naturezas e graus de complexidade. Participação da comunidade: no conhecimento do processo saúde/doença e dos serviços, estimulando a organização da comunidade para o controle social na gestão do sistema, com representação através dos conselhos de Saúde.