SlideShare uma empresa Scribd logo
Curso Melhor Gestão
Melhor Ensino
 Grupo da Diretoria de Sertãozinho - SP
Construção de um situação
de aprendizagem com foco
em leitura.
Autor: Mário Prata
Objetivo
 Incentivar a leitura através de um texto com linguagem
simples e direta envolvendo a prática com uma visita
ao zoológico, no qual é possível o contato com todos
os tipos de animais, entre eles o avestruz, tema do
texto. Sendo possível a interdisciplinaridade com
Ciências, Matemática, Geografia, Artes.
 Público-alvo: 6º ano (5º série)
Avestruz – Mario Prata
O filho de uma grande amiga pediu, de presente pelos seus dez
anos, uma avestruz. Cismou, fazer o quê? Moram em um apartamento
em Higienópolis, São Paulo. E ela me mandou um e-mail dizendo que a
culpa era minha. Sim, porque foi aqui ao lado de casa, em Floripa, que
o menino conheceu as avestruzes. Tem uma plantação, digo, criação
deles. Aquilo impressionou o garoto.
Culpado, fui até o local saber se eles vendiam filhotes de
avestruzes. E se entregavam em domicílio.
E fiquei a observar a ave. Se é que podemos chamar aquilo de ave.
A avestruz foi um erro da natureza, minha amiga. Na hora de criar a
avestruz, deus devia estar muito cansado e cometeu alguns erros. Deve
ter criado primeiro o corpo, que se assemelha, em tamanho, a um boi.
Sabe quanto pesa uma avestruz? Entre 100 e 160 quilos, fui logo
avisando a minha amiga. E a altura pode chegar a quase três metros. 2,7
para ser mais exato.
Mas eu estava falando da sua criação por deus. Colocou um
pescoço que não tem absolutamente nada a ver com o corpo. Não devia
mais ter estoque de asas no paraíso, então colocou asas atrofiadas.
Talvez até sabiamente para evitar que saíssem voando em bandos por aí
assustando as demais aves normais.
Outra coisa que faltou foram dedos para os pés. Colocou apenas
dois dedos em cada pé.
Sacanagem, Senhor!
Depois olhou para sua obra e não sabia se era uma ave ou um
camelo. Tanto é que logo depois, Adão, dando os nomes a tudo que via
pela frente, olhou para aquele ser meio abominável e disse: Struthio
camelus australis. Que é o nome oficial da coisa. Acho que o struthio
deve ser aquele pescoço fino em forma de salsicha. Pois um animal
daquele tamanho deveria botar ovos proporcionais ao seu corpo. Outro
erro. É grande, mas nem tanto. E me explicava o criador que elas vivem
até os setenta anos e se reproduzem plenamente até os
quarenta, entrando depois na menopausa, não têm, portanto, TPM.
Uma avestruz com TPM é perigosíssima!
Podem gerar de dez a trinta crias por ano, expliquei ao
garoto, filho da minha amiga. Pois ele ficou mais animado
ainda, imaginando aquele bando de avestruzes correndo pela
sala do apartamento.
Ele insiste, quer que eu leve uma avestruz para ele de
avião, no domingo. Não sabia mais o que fazer.
Foi quando descobri que elas comem o que encontram pela
frente, inclusive pedaços de ferro e madeiras. Joguinhos
eletrônicos, por exemplo, máquina digital de fotografia, times
inteiros de futebol de botão e, principalmente, chuteiras. E, se
descuidar, um mouse de vez em quando cai bem.
Parece que convenci o garoto. Me telefonou e disse que
troca o avestruz por cinco gaivotas e um urubu.
Pedi para a minha amiga levar o garoto num psicólogo.
Afinal, tenho mais o que fazer do que ser gigolô de avestruz.
PRATA, Mário. Avestruz. 5ª série/ 6º ano vol. 2.
Caderno aluno p. 9. Caderno do Professor p. 18.
Antes da leitura
1) O professor de Ciências começa o trabalho com a
teoria sobre o Reino Animal.
2) O professor leva imagens/fotos no computador
sobre animais para os alunos.
3) Exibição do vídeo: O Homem e a Águia.
4) O educador de Língua Portuguesa trabalha a teoria do
que são fábulas e como analisá-las, além de mostrar
as lições e experiências que podemos retirar de tais
textos.
5) Levar a discussão sobre a mãe que faz tudo o que o
filho deseja. Até que ponto isso é bom ou ruim para
as crianças? Como elas lidarão com a negação na sua
vida adulta?
INTERTEXTUALIDADE
Trabalho com o poema Porquinho-da-Índia, de Manuel Bandeira.
Quando eu tinha seis anos
Ganhei um porquinho-da-índia.
Que dor de coração me dava
Porque o bichinho só queria estar debaixo do fogão!
Levava ele prá sala
Pra os lugares mais bonitos mais limpinhos
Ele não gostava:
Queria era estar debaixo do fogão.
Não fazia caso nenhum das minhas ternurinhas...
- O meu porquinho-da-índia foi minha primeira namorada.
Discussão sobre os animais de estimação que cada aluno possui.
Durante a leitura
 Leitura silenciosa e depois compartilhada.
 Uso do dicionário.
 Trabalho com a revista Terrinha da Gente para que os
alunos pesquisem animais que poderiam ser
domésticos.
 Questionamentos e interferências.
Depois da Leitura
 Produção de texto: Meu animal de estimação.
 Ilustração do texto: Como você imagina o avestruz?
 Visita monitorada ao zoológico, com os alunos
tomando notas do que é explicado.
 Criação de um livro ilustrado com as imagens dos
animais e registros colhidos no zoológico.
Para Complementar
 O professor pode ainda ampliar o tema colocando
vídeos sobre a criação do avestruz e de um desenho
animado que reflete bem as situações cometidas por
um avestruz.
 http://www.youtube.com/watch?v=OMu7AW7KmhI
 http://www.youtube.com/watch?v=MHw5nnrsYAw
Situação de aprendizagem avestruz
Referências
http://ascoisasdabiblio.blogspot.com.br/
2013/03/bpbl-realiza-seminario-sobre-
livro.html
http://metaforas.com.br/a-raposa-e-a-
mascara
http://www.casadobruxo.com.br/poesia/
m/porco.htm

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O avestruz
O avestruzO avestruz
O avestruz
czuzek
 
Texto avestruz mário prata (1) (2)
Texto avestruz mário prata (1) (2)Texto avestruz mário prata (1) (2)
Texto avestruz mário prata (1) (2)
ivanicesarino
 
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
Escola Estadual Joaquim Abarca -
 
Texto Avestruz - Mário Prata
Texto Avestruz - Mário PrataTexto Avestruz - Mário Prata
Texto Avestruz - Mário Prata
Rosangela Fulini Rodrigues
 
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário PrataSituação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
230608
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
regianescreis
 
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
Amigas do Saber
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
lmoreira13
 
Avestruz ppt
Avestruz pptAvestruz ppt
Avestruz ppt
taniatongnole
 
Sequência didática mário
Sequência didática márioSequência didática mário
Sequência didática mário
tcpthais
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
Mocinha05
 
Sequência didática curso n line 2013
Sequência didática   curso n line 2013Sequência didática   curso n line 2013
Sequência didática curso n line 2013
Cintia Sitta
 
Sequãšncia didãtica curso n line 2013
Sequãšncia didãtica   curso n line 2013Sequãšncia didãtica   curso n line 2013
Sequãšncia didãtica curso n line 2013
gis22
 
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
Carlos Teixeira
 
Situação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruzSituação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruz
mariaprui
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
washingtonac
 

Mais procurados (16)

O avestruz
O avestruzO avestruz
O avestruz
 
Texto avestruz mário prata (1) (2)
Texto avestruz mário prata (1) (2)Texto avestruz mário prata (1) (2)
Texto avestruz mário prata (1) (2)
 
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
PROJETO DE LEITURA - O AVESTRUZ (Mário Prata)
 
Texto Avestruz - Mário Prata
Texto Avestruz - Mário PrataTexto Avestruz - Mário Prata
Texto Avestruz - Mário Prata
 
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário PrataSituação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
Situação de aprendizagem - Leitura e análise do texto AVESTRUZ de Mário Prata
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
 
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
Análise, leitura e produção de texto plano de aula grupo 4
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
 
Avestruz ppt
Avestruz pptAvestruz ppt
Avestruz ppt
 
Sequência didática mário
Sequência didática márioSequência didática mário
Sequência didática mário
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
 
Sequência didática curso n line 2013
Sequência didática   curso n line 2013Sequência didática   curso n line 2013
Sequência didática curso n line 2013
 
Sequãšncia didãtica curso n line 2013
Sequãšncia didãtica   curso n line 2013Sequãšncia didãtica   curso n line 2013
Sequãšncia didãtica curso n line 2013
 
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
Avestruz seguimento 05 atualizada (1)
 
Situação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruzSituação de aprendizagem texto avestruz
Situação de aprendizagem texto avestruz
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
 

Semelhante a Situação de aprendizagem avestruz

Avestruz mgme
Avestruz   mgmeAvestruz   mgme
Avestruz mgme
Caroline Canales
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
queilebpromero
 
Ler, compreender e interpretar final2
Ler, compreender e interpretar final2Ler, compreender e interpretar final2
Ler, compreender e interpretar final2
Daniela Uehara
 
Situação de aprendizagem avestruz - cópia
Situação de aprendizagem avestruz - cópiaSituação de aprendizagem avestruz - cópia
Situação de aprendizagem avestruz - cópia
luassuani
 
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
marisacamargoorru
 
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
Roberta Marcon
 
Atividade avestruz
Atividade avestruzAtividade avestruz
Atividade avestruz
LHJR78
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
Mocinha05
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
Mocinha05
 
Bárbara avestruz
Bárbara avestruzBárbara avestruz
Bárbara avestruz
Anaayres
 
Bárbara avestruz
Bárbara avestruzBárbara avestruz
Bárbara avestruz
Anaayres
 
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
queilebpromero
 
Sequência didática curso n line 2013
Sequência didática   curso n line 2013Sequência didática   curso n line 2013
Sequência didática curso n line 2013
Cintia Sitta
 
Sequência didática avestruz
Sequência didática avestruzSequência didática avestruz
Sequência didática avestruz
Célia Polotto
 
Melhor gestão, melhor ensino. 2
Melhor gestão, melhor ensino. 2Melhor gestão, melhor ensino. 2
Melhor gestão, melhor ensino. 2
limpmari
 
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
aracelinogueira
 
Situação de aprendizagem (1)a
Situação de aprendizagem (1)aSituação de aprendizagem (1)a
Situação de aprendizagem (1)a
Roberta Marcon
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
regianescreis
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
regianescreis
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
Pacinicelia
 

Semelhante a Situação de aprendizagem avestruz (20)

Avestruz mgme
Avestruz   mgmeAvestruz   mgme
Avestruz mgme
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
 
Ler, compreender e interpretar final2
Ler, compreender e interpretar final2Ler, compreender e interpretar final2
Ler, compreender e interpretar final2
 
Situação de aprendizagem avestruz - cópia
Situação de aprendizagem avestruz - cópiaSituação de aprendizagem avestruz - cópia
Situação de aprendizagem avestruz - cópia
 
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
Situaã§ã£o de aprendizagem-avestruz_-_curso_mgme_-_cã³pia2_(2)
 
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
Situação de aprendizagem avestruz - curso mgme - cópia2
 
Atividade avestruz
Atividade avestruzAtividade avestruz
Atividade avestruz
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
 
Sequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de márioSequência didática com base no texto de mário
Sequência didática com base no texto de mário
 
Bárbara avestruz
Bárbara avestruzBárbara avestruz
Bárbara avestruz
 
Bárbara avestruz
Bárbara avestruzBárbara avestruz
Bárbara avestruz
 
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
Avestruz.trabalho final.grupo 6 (3) (1)
 
Sequência didática curso n line 2013
Sequência didática   curso n line 2013Sequência didática   curso n line 2013
Sequência didática curso n line 2013
 
Sequência didática avestruz
Sequência didática avestruzSequência didática avestruz
Sequência didática avestruz
 
Melhor gestão, melhor ensino. 2
Melhor gestão, melhor ensino. 2Melhor gestão, melhor ensino. 2
Melhor gestão, melhor ensino. 2
 
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
Melhor gestão, melhor ensino. 2 3
 
Situação de aprendizagem (1)a
Situação de aprendizagem (1)aSituação de aprendizagem (1)a
Situação de aprendizagem (1)a
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
 
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruzSituação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
Situação de aprendizagem desenvolvida a partir da crônica avestruz
 
Avestruz
AvestruzAvestruz
Avestruz
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 

Situação de aprendizagem avestruz

  • 1. Curso Melhor Gestão Melhor Ensino  Grupo da Diretoria de Sertãozinho - SP
  • 2. Construção de um situação de aprendizagem com foco em leitura.
  • 4. Objetivo  Incentivar a leitura através de um texto com linguagem simples e direta envolvendo a prática com uma visita ao zoológico, no qual é possível o contato com todos os tipos de animais, entre eles o avestruz, tema do texto. Sendo possível a interdisciplinaridade com Ciências, Matemática, Geografia, Artes.  Público-alvo: 6º ano (5º série)
  • 5. Avestruz – Mario Prata O filho de uma grande amiga pediu, de presente pelos seus dez anos, uma avestruz. Cismou, fazer o quê? Moram em um apartamento em Higienópolis, São Paulo. E ela me mandou um e-mail dizendo que a culpa era minha. Sim, porque foi aqui ao lado de casa, em Floripa, que o menino conheceu as avestruzes. Tem uma plantação, digo, criação deles. Aquilo impressionou o garoto. Culpado, fui até o local saber se eles vendiam filhotes de avestruzes. E se entregavam em domicílio. E fiquei a observar a ave. Se é que podemos chamar aquilo de ave. A avestruz foi um erro da natureza, minha amiga. Na hora de criar a avestruz, deus devia estar muito cansado e cometeu alguns erros. Deve ter criado primeiro o corpo, que se assemelha, em tamanho, a um boi. Sabe quanto pesa uma avestruz? Entre 100 e 160 quilos, fui logo avisando a minha amiga. E a altura pode chegar a quase três metros. 2,7 para ser mais exato.
  • 6. Mas eu estava falando da sua criação por deus. Colocou um pescoço que não tem absolutamente nada a ver com o corpo. Não devia mais ter estoque de asas no paraíso, então colocou asas atrofiadas. Talvez até sabiamente para evitar que saíssem voando em bandos por aí assustando as demais aves normais. Outra coisa que faltou foram dedos para os pés. Colocou apenas dois dedos em cada pé. Sacanagem, Senhor! Depois olhou para sua obra e não sabia se era uma ave ou um camelo. Tanto é que logo depois, Adão, dando os nomes a tudo que via pela frente, olhou para aquele ser meio abominável e disse: Struthio camelus australis. Que é o nome oficial da coisa. Acho que o struthio deve ser aquele pescoço fino em forma de salsicha. Pois um animal daquele tamanho deveria botar ovos proporcionais ao seu corpo. Outro erro. É grande, mas nem tanto. E me explicava o criador que elas vivem até os setenta anos e se reproduzem plenamente até os quarenta, entrando depois na menopausa, não têm, portanto, TPM. Uma avestruz com TPM é perigosíssima!
  • 7. Podem gerar de dez a trinta crias por ano, expliquei ao garoto, filho da minha amiga. Pois ele ficou mais animado ainda, imaginando aquele bando de avestruzes correndo pela sala do apartamento. Ele insiste, quer que eu leve uma avestruz para ele de avião, no domingo. Não sabia mais o que fazer. Foi quando descobri que elas comem o que encontram pela frente, inclusive pedaços de ferro e madeiras. Joguinhos eletrônicos, por exemplo, máquina digital de fotografia, times inteiros de futebol de botão e, principalmente, chuteiras. E, se descuidar, um mouse de vez em quando cai bem. Parece que convenci o garoto. Me telefonou e disse que troca o avestruz por cinco gaivotas e um urubu. Pedi para a minha amiga levar o garoto num psicólogo. Afinal, tenho mais o que fazer do que ser gigolô de avestruz. PRATA, Mário. Avestruz. 5ª série/ 6º ano vol. 2. Caderno aluno p. 9. Caderno do Professor p. 18.
  • 8. Antes da leitura 1) O professor de Ciências começa o trabalho com a teoria sobre o Reino Animal. 2) O professor leva imagens/fotos no computador sobre animais para os alunos. 3) Exibição do vídeo: O Homem e a Águia.
  • 9. 4) O educador de Língua Portuguesa trabalha a teoria do que são fábulas e como analisá-las, além de mostrar as lições e experiências que podemos retirar de tais textos. 5) Levar a discussão sobre a mãe que faz tudo o que o filho deseja. Até que ponto isso é bom ou ruim para as crianças? Como elas lidarão com a negação na sua vida adulta?
  • 10. INTERTEXTUALIDADE Trabalho com o poema Porquinho-da-Índia, de Manuel Bandeira. Quando eu tinha seis anos Ganhei um porquinho-da-índia. Que dor de coração me dava Porque o bichinho só queria estar debaixo do fogão! Levava ele prá sala Pra os lugares mais bonitos mais limpinhos Ele não gostava: Queria era estar debaixo do fogão. Não fazia caso nenhum das minhas ternurinhas... - O meu porquinho-da-índia foi minha primeira namorada. Discussão sobre os animais de estimação que cada aluno possui.
  • 11. Durante a leitura  Leitura silenciosa e depois compartilhada.  Uso do dicionário.  Trabalho com a revista Terrinha da Gente para que os alunos pesquisem animais que poderiam ser domésticos.  Questionamentos e interferências.
  • 12. Depois da Leitura  Produção de texto: Meu animal de estimação.  Ilustração do texto: Como você imagina o avestruz?  Visita monitorada ao zoológico, com os alunos tomando notas do que é explicado.  Criação de um livro ilustrado com as imagens dos animais e registros colhidos no zoológico.
  • 13. Para Complementar  O professor pode ainda ampliar o tema colocando vídeos sobre a criação do avestruz e de um desenho animado que reflete bem as situações cometidas por um avestruz.  http://www.youtube.com/watch?v=OMu7AW7KmhI  http://www.youtube.com/watch?v=MHw5nnrsYAw