SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Operador Agrícola
UFCD 6280
Destinatários:
Pessoas combaixos rendimentos, desempregados de longa duração e
beneficiários doRSI, baixos níveis de qualificação,ex-reclusos, jovens
sujeitos a medidas tutelares educativas e cidadãos sujeitos a medidas
tutelares executadas na comunidade, sem abrigo, pessoas com
comportamentos aditivos e dependências; Os adultos que não sejam
detentores das competências básicas de leitura, escrita, cálculoe TIC.
Évora, julho de 2019
Curso/Módulo: Operador Agrícola
Módulo: UFCD 6280
Elaborado por: Manuel Russo
Entidade Formadora:
Operador Agrícola-UFCD 6280
2
Objetivos gerais:
 Proceder à sementeira, plantação e instalação de culturas, conduzindo,
operando, regulando e afinando as máquinas e os equipamentos
agrícolas adequados às atividades a realizar.
 Efectuar a manutenção das máquinas de sementeira e de plantação.
Objetivos específicos:
 Identificar tipos de sementeira – a lanço e em linhas
 Identificar a densidade de sementeira e de plantação
 Distinguir semeadores/distribuidores –tipos,constituição e
funcionamento
 Distinguir plantadores –tipos, constituição efuncionamento
 Distinguir rolos –tipos,constituição efuncionamento
 Efetuar cálculos de sementeira e de débitos
 Efetuar a manutenção, conservação e pequenas reparações
 Reconhecer boas práticas de segurança, higiene e saúde no trabalho
Operador Agrícola-UFCD 6280
3
Índice
Índice................................................................................................................................. 3
Principais Técnicas de Produção agrícola....................................................................... 4
A agricultura Sustentável.................................................................................................. 6
Produção Integrada .......................................................................................................... 7
Proteção integrada ........................................................................................................... 8
- Proteção Integrada......................................................................................................... 9
Agricultura Biológica....................................................................................................... 10
Bibliografia ...................................................................................................................... 14
Operador Agrícola-UFCD 6280
4
Principais Técnicas de Produção agrícola
As principais técnicas de produção agrícola são:
 A produção convencional
 O modo de produção integrada
 O método de proteção integrada
 O modo de produção biológico
Todas as técnicas de produção para terem sucesso dependem de vários
fatores:
 Condições edafo-climáticas
 Disponibilidade de água
 Acessos
 Condições de mercado
 Disponibilidade de mão de obra
 Energia
 Infra estruturas
 Grau de experiência e formação do agricultor
 Condições financeiras
A produção convencional
É denominada assim porque:
 Utiliza técnicas tradicionais;
 Cujo principal objetivo é a utilização de recursos de modo a obter o
máximo rendimento
 Quer seja ao nível produtivo, quer seja ao nível financeiro
Esta agricultura requer muitos imputs:
 Recursos naturais (água, solo e combustíveis)
 Recursos humanos
 Recursos financeiros
 Equipamentos
 Fertilizantes e fitofármacos
Operador Agrícola-UFCD 6280
5
Algumas das vezes a agricultura convencional é vista como opositora de outros
modos de agricultura, nomeadamente biológica.
As operações culturais (preparação do solo, sementeiras, regas, sachas,
mondas, adubações, tratamentos fitossanitários e colheitas).
São feitas de forma linear, descorando algumas vezes a proteção ambiental e
segurança alimentar.
Caraterização do modo de produção em Hidroponia.
A hidroponia é um modo de produção agrícola considerado inovador pois:
As plantas desenvolvem-se sem solo.
As raízes recebem uma solução nutritiva a qual possui todos os nutrientes
essenciais para o desenvolvimento da cultura e da produção.
Em hidroponia as plantas jovens são retiradas das covetes, colocadas em
tubos, nalguns casos em canais, onde circula uma solução nutritiva, composta
por água e nutrientes que foram previamente dissolvidos em quantidades
individuais.
De acordo com a necessidade de cada cultura instalada na estufa ou na
exploração agrícola.
Na hidroponia as raízes podem estar suspensas em meio líquido ou apoiadas
em substrato inerte.
Vantagens vs Desvantagens
Vantagens
 Não necessita grandes áreas de terreno.
 Não é necessário preocupação com as condições edafo climáticas para
a instalação de cultura.
 Diminuição das operações culturais.
 Não é necessário preocupações com a rotatividade das culturas.
 Produtividade maior.
 Produção uniforme.
 Melhor previsão/ planeamento da produção.
 Maior aproveitamento da água e dos nutrientes.
Operador Agrícola-UFCD 6280
6
 Trabalho Mais leve e mais limpo.
Desvantagens
 Investimento inicial elevado.
 Conhecimentos técnicos adequados.
 Dependência da energia elétrica.
 Exige um trabalho diário.
 Sistema vulnerável que não admite falhas.
 Exige que as plantas estejam isentas de qualquer problema
fitossanitário.
A agriculturaSustentável
Segundo o relatório da OCDE :
“ A agricultura que permite a satisfação das necessidades das gerações atuais
sem comprometer a capacidade das gerações futuras virem a satisfazerem as
suas.”
A agricultura sustentável aparece ligada a várias preocupações:
 Eficiência de produção
 Qualidade da produção
 Conservação dos recursos
 Proteção ambiental
 Competitividade comercial
 Segurança alimentar
 Qualidade de vida do agricultor
Duas modalidades de agricultura sustentável são:
 Produção integrada
 A agricultura biológica
A produção integrada e a agricultura biológica tem preocupações similares em
relação dos seguintes aspetos:
 Biodiversidade
 Fertilidade do solo
Operador Agrícola-UFCD 6280
7
 Estabilidade dos ecossistemas
 O bem estar dos animais
 A poluição
 A qualidade de vida e a formação do agricultor
Produção Integrada
A produção integrada “é um sistema agrícola de produção de alimentos de alta
qualidade e de outros produtos utilizando recursos naturais e mecanismos de
regulação natural em substituição de fatores de produção prejudiciais ao
ambiente e de modo a assegurar, a longo prazo uma agricultura viável.
A produção integrada deve ser posta em prática no conjunto da exploração e
não só numa cultura.
As caraterísticas da produção integrada e as estreitas afinidades com o conceito
de agricultura sustentável são evidenciados pelo conjunto de 11 princípios.
1. A produção integrada visa a regulação dos ecossistemas o bem estar dos
animais e a preservação dos recursos naturais.
2. Minimização dos efeitos secundários decorrentes das atividades
agrícolas.
3. A exploração agrícola no seu conjunto é a unidade de implementação da
produção integrada.
4. A reciclagem regular dos conhecimentos do empresário agrícola sobre
produção integrada.
5. A estabilidade dos ecossistemas deve ser assegurada.
6. O equilíbrio do ciclo dos elementos nutritivos deve ser assegurada,
reduzindo ao mínimo as perdas de nutrientes.
7. A preservação e a melhoria da fertilidade do solo.
8. Na produção integrada, a proteção integrada é a orientação obrigatória
adotada na proteção das plantas.
Operador Agrícola-UFCD 6280
8
9. A biodiversidade, a nível genético, das espécies e do ecossistema é
considerada a espinha dorsal da estabilidade do ecossistema, dos fatores
de regulação natural e da qualidade da paisagem.
10.A qualidade dos produtos obtidos em produção integrada abrange não só
fatores externos e internos, mas também a natureza do sistema de
exploração e do tipo de produção.
11.As normas do bem estar dos animais mantidos na exploração devem ser
asseguradas.
Proteção integrada
Com o objetivo essencialmente de produção.
Medidas tipo I
Fertilizações adequadas
Teor adequado de matéria orgânica
Regas de acordo com as necessidades das plantas
Monda de frutos
Orientações a adotar em produção integrada
II Orientações visando a produção com caráter de medidas indiretas de luta na
área da proteção integrada
 O uso ótimo de recursos naturais
 Práticas culturais sem impacto negativo nos ecossistemas agrários
 A proteção e o aumento de auxiliares
III Na proteção integrada através de meios diretos de luta
Os meios de luta diretos só o devemos adotar quando indispensável
Operador Agrícola-UFCD 6280
9
Meios de luta direta:
 Luta física (mecânica)
 Luta cultural
 Luta biológica
 Luta biotécnica
 Luta química
- Proteção Integrada
A proteção integrada é definida como:
“ A aplicação racional de uma combinação de medidas biológicas, biotécnicas.
Químicas, físicas, culturais ou relativas à seleção dos vegetais, em que a
utilização de produtos químicos fitofarmacêuticos é limitada ao estritamente
necessário para manter a presença de organismos nocivos abaixo do nível a
partir do qual surgem prejuízos ou perdas economicamente inaceitáveis.”
Inimigos das culturas
Fatores bióticos Fatores abióticos
Doenças parasitárias Infestantes Climáticos Acidentes
Pragas edáficos
A natureza do conceito de proteção integrada tem por base três ideias chave:
1. A estimativa de risco
2. O nível económico de ataque
3. A escolha dos meios de proteção
Operador Agrícola-UFCD 6280
10
AgriculturaBiológica
A agricultura biológica é definida como:
Um modo de produção que respeita os mecanismos ambientais de controlo de
pragas e doenças, há produção vegetal e na criação de animais, evitando o uso
de pesticidas sintéticas, herbicidas e fertilizantes químicos, hormonas de
crescimento, antibióticos e manipulação genéticas; em vez destes antibióticos os
agricultores utilizam, na produção biológica, diferentes técnicas que constituem
para o equilíbrio do ecossistema e para reduzir a poluição.
Foi a partir dos anos sessenta que a agricultura biológica começou o seu
desenvolvimento, as razões que o influenciaram foram:
- Razões sociais / perdas de postos de trabalho na agricultura;
- Razões ambientais / perda de espécies, poluição desequilíbrio ambiental;
- Razões de saúde devido aos resíduos de pesticidas nos alimentos;
Atualmente, estas razões têm cada vez mais importância e a estas acrescentam-
se:
- Os excedentes agrícolas;
- A falta de rentabilidade de agricultura convencional;
- A procura do consumidor, motivada pela falta de qualidade e segurança
alimentar da produção convencional;
O que é necessário para converter uma exploração agrícola convencional para
agricultura biológica?
Na convenção ocorre uma simples substituição de fatores de produção, por
exemplo, dos adubos químicos por adubos orgânicos?
É necessário pôr em prática técnicas adequadas ao modo de produção biológica.
O período de convenção é definido por legislação comunitária.
- 2 anos em culturas anuais
- 3 anos de culturas perenes (pomares e vinhas)
A certificação no modo de produção biológica significa que:
Operador Agrícola-UFCD 6280
11
- Foram cumpridas as regras de produção
- Foram feitos os controlos exigidos
As frequências dos controlos são determinadas pela entidade certificadora com
base numa avaliação dos riscos de ocorrência de irregularidades e de infrações
no que respeita ao cumprimento dos requisitos estabelecidos neste modo de
produção.
Em qualquer caso, podem os operadores ser sujeitos a uma verificação do
cumprimento pelo menos uma vez por ano.
A totalidade de exploração agrícola é gerida em conformidade com os requisitos
aplicáveis á produção biológica, assim como todas as fases posteriores á
produção, como sejam o armazenamento, a preparação, o transporte e a
distribuição.
Na agricultura biológica a fertilidade do solo deve ser mantida e/ou melhorada,
através dos meios disponíveis na própria exploração, principalmente através de:
- Rotações
- Consociações
- Compostagem com aproveitamento de resíduos vegetais e animais
- Adubação verde
- Cobertura do solo
- Mobilizações mínimas
Rotação de culturas- Sequência de culturas no mesmo terreno ao longo dos
anos.
A rotação é importante principalmente por razões:
- De fertilidade
- Sanidade das culturas
Consiação – plantação de pelo menos duas espécies de plantas ao mesmo
tempo no mesmo terreno – Essas espécies devem ter uma ação favorável em
relação uma á outra.
Exemplo- milho com feijão; cenoura com alho
Melhor combate às pragas
Melhor utilização de nutrientes
Menos infestantes
Operador Agrícola-UFCD 6280
12
Adubação verde
Plantas cultivadas, com o objetivo principal de adubar a cultura seguinte,
incorporadas ao solo no estado de floração, pouco tempo antes da cultura
fertilizar.
As plantas mais utilizadas são as leguminosas como a fava, a ervilha e o
tremoço.
Cobertura do solo
É feita com materiais não vivos de origem vegetal.
Compostagem
É um processo natural de degradação da matéria orgânica em presença de
oxigénio, efetuado por microrganismos que transportam resíduos orgânicos em
produtos estáveis que podem ser aplicados no solo como fertilizantes ou
corretivos.
Materiais que podem ser compostados
- Todos os resíduos orgânicos
- Lenha de podas, matos secos, serradura, palha de milho e outros materiais
ricos em carbono
- Folhas, estrumes, bagaço de uva e outros materiais ricos em azoto restos de
legumes e frutas.
A recolha de resíduos que se pretende compostar, deve ser realizada de forma
a evitar a contaminação com outros resíduos não orgânicos.
Deverá garantir-se uma mistura tão completa quanto possível.
Ao misturar os resíduos deve garantir-se também a regra da mistura á qual
deverá ficar humedecido, mas sem escorrências.
A frequência do revolvimento pode ser variável, no início o composto deve ser
revolvido com maior frequência e depois vai diminuindo ao longo do tempo.
O processo deverá estar completo após 4 a 5 meses de compostagem, no
entanto deverá assegurar-se que, ao recolher a pilha esta já não liberta vapor e
que o composto:
Apresenta um aspeto homogéneo, não sendo possível distinguir os resíduos.
Operador Agrícola-UFCD 6280
13
Não devemos esquecer que a fertilidade de um solo depende:
- Boas propriedades físicas
- Boas propriedades químicas
- Boas propriedades biológicas
Na agricultura biológica os “auxiliares” são organismos que auxiliam o agricultor
no combate às pragas e doenças das culturas.
Grupos auxiliares
Aves, mamíferos, répteis, batráquios, insetos e microrganismos.
As sebes
As sebes são corta-ventos feitos com plantas.
As sebes têm várias funções:
 Proteção microclimática
 Controlo de erosão
 A manutenção do equilíbrio biológico, pelo aumento da diversidade da
flora e da fauna, com vantagens para os auxiliares
- Produção de madeira, frutos e mel.
Na agricultura biológica também podemos utilizar produtos fitofarmacêuticos
com a condição que separam autoridades/homologadas para a agricultura
biológica.
Operador Agrícola-UFCD 6280
14
Bibliografia
AMARO, P e M. BAGGIOLINI (Eds). (1992). Introdução à Protecção Integrada.
FAO/DGPPA, Lisboa.
DIEHL, R. (1975). Agricultura Geral. Colocção Técnica Agrária. Clássica
Editora, Lisboa.
ÉLIARD, J. L. (1979). Manual Geral de Agricultura. Colocção Euroagro.
Publicações Europa-América, Mem Martins.
SANTOS, J. Q. (1983). Fertilizantes. Fundamentos e aspectos práticos da sua
aplicação. Publicações Europa-América, Mem Martins.
Operador Agrícola-UFCD 6280
15
Operador Agrícola-UFCD 6280
16
Operador Agrícola-UFCD 6280
17
Operador Agrícola-UFCD 6280
18

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Agricultura biológica
Agricultura biológicaAgricultura biológica
Agricultura biológica
Paula Tomaz
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura Transmontana
Oxana Marian
 
Noção sistema agrário
Noção sistema agrárioNoção sistema agrário
Noção sistema agrário
Idalina Leite
 
O mundo rural em portugal
O mundo rural em portugalO mundo rural em portugal
O mundo rural em portugal
Cacilda Basto
 

Mais procurados (20)

A Agricultura
A AgriculturaA Agricultura
A Agricultura
 
A Politica AgríCola Comum
A Politica AgríCola ComumA Politica AgríCola Comum
A Politica AgríCola Comum
 
Agricultura biológica
Agricultura biológicaAgricultura biológica
Agricultura biológica
 
Agricultura e pecuária
Agricultura e pecuáriaAgricultura e pecuária
Agricultura e pecuária
 
PAC - Política Agrícola Comum
PAC - Política Agrícola ComumPAC - Política Agrícola Comum
PAC - Política Agrícola Comum
 
Características da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesaCaracterísticas da agricultura portuguesa
Características da agricultura portuguesa
 
Adm. rural 3
Adm. rural 3Adm. rural 3
Adm. rural 3
 
Introdução a-mecanização-agrícola22
Introdução a-mecanização-agrícola22Introdução a-mecanização-agrícola22
Introdução a-mecanização-agrícola22
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentável Agricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Poda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdfPoda de fruteiras pdf
Poda de fruteiras pdf
 
Integração Lavoura-Pecuária-Floresta(ILPF)
Integração Lavoura-Pecuária-Floresta(ILPF)Integração Lavoura-Pecuária-Floresta(ILPF)
Integração Lavoura-Pecuária-Floresta(ILPF)
 
AGRICULTURA BIOLÓGICA
AGRICULTURA BIOLÓGICAAGRICULTURA BIOLÓGICA
AGRICULTURA BIOLÓGICA
 
Agricultura aula
Agricultura aula Agricultura aula
Agricultura aula
 
Pac
PacPac
Pac
 
Agricultura biológica
Agricultura biológicaAgricultura biológica
Agricultura biológica
 
A pac ppt
A pac pptA pac ppt
A pac ppt
 
Pac
PacPac
Pac
 
Agricultura Transmontana
Agricultura TransmontanaAgricultura Transmontana
Agricultura Transmontana
 
Noção sistema agrário
Noção sistema agrárioNoção sistema agrário
Noção sistema agrário
 
O mundo rural em portugal
O mundo rural em portugalO mundo rural em portugal
O mundo rural em portugal
 

Semelhante a 2. manual aidiaufcd6280

Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdfApresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
rayssaviccercal
 
Alimentos biológicos
Alimentos biológicosAlimentos biológicos
Alimentos biológicos
vitaminocas
 
Alimentos Biológicos
Alimentos BiológicosAlimentos Biológicos
Alimentos Biológicos
vitaminocas
 
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaaI.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
Judite Silva
 
Agricultura Sustentável
Agricultura SustentávelAgricultura Sustentável
Agricultura Sustentável
Michele Pó
 
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do SoloProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
Roberto Santos
 
I.4 Agricultura Biologica.pptx
I.4 Agricultura Biologica.pptxI.4 Agricultura Biologica.pptx
I.4 Agricultura Biologica.pptx
Judite Silva
 

Semelhante a 2. manual aidiaufcd6280 (20)

Culturas regionais modulo iii
Culturas regionais modulo iiiCulturas regionais modulo iii
Culturas regionais modulo iii
 
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite AgroecologicoApostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
 
Guia-Plano-Manejo-INT-edicao-29out2021.pdf
Guia-Plano-Manejo-INT-edicao-29out2021.pdfGuia-Plano-Manejo-INT-edicao-29out2021.pdf
Guia-Plano-Manejo-INT-edicao-29out2021.pdf
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
 
MODO DE PRODUÇÃO INTEGRADO
MODO DE PRODUÇÃO INTEGRADOMODO DE PRODUÇÃO INTEGRADO
MODO DE PRODUÇÃO INTEGRADO
 
Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdfApresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
Apresentação Verde e Branca de Conferência Agro (1).pdf
 
Cultivo 1
Cultivo 1Cultivo 1
Cultivo 1
 
Alimentos biológicos
Alimentos biológicosAlimentos biológicos
Alimentos biológicos
 
Alimentos Biológicos
Alimentos BiológicosAlimentos Biológicos
Alimentos Biológicos
 
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaaI.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
I.4 Agricultura Biologica.pptxclllappaaa
 
PRÁTICAS AGRÍCOLAS Sustentável
PRÁTICAS AGRÍCOLAS SustentávelPRÁTICAS AGRÍCOLAS Sustentável
PRÁTICAS AGRÍCOLAS Sustentável
 
Manual.biohorta.coimbra
Manual.biohorta.coimbraManual.biohorta.coimbra
Manual.biohorta.coimbra
 
Manual.biohorta.coimbra
Manual.biohorta.coimbraManual.biohorta.coimbra
Manual.biohorta.coimbra
 
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itepAgricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
 
Agricultura Sustentável
Agricultura SustentávelAgricultura Sustentável
Agricultura Sustentável
 
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do SoloProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
ProtecçãO E ConservaçãO Do Solo
 
Agricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticasAgricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticas
 
Apresenta..
Apresenta..Apresenta..
Apresenta..
 
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptxAula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
 
I.4 Agricultura Biologica.pptx
I.4 Agricultura Biologica.pptxI.4 Agricultura Biologica.pptx
I.4 Agricultura Biologica.pptx
 

Último

PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (14)

Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdf
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 

2. manual aidiaufcd6280

  • 1. Operador Agrícola UFCD 6280 Destinatários: Pessoas combaixos rendimentos, desempregados de longa duração e beneficiários doRSI, baixos níveis de qualificação,ex-reclusos, jovens sujeitos a medidas tutelares educativas e cidadãos sujeitos a medidas tutelares executadas na comunidade, sem abrigo, pessoas com comportamentos aditivos e dependências; Os adultos que não sejam detentores das competências básicas de leitura, escrita, cálculoe TIC. Évora, julho de 2019 Curso/Módulo: Operador Agrícola Módulo: UFCD 6280 Elaborado por: Manuel Russo Entidade Formadora:
  • 2. Operador Agrícola-UFCD 6280 2 Objetivos gerais:  Proceder à sementeira, plantação e instalação de culturas, conduzindo, operando, regulando e afinando as máquinas e os equipamentos agrícolas adequados às atividades a realizar.  Efectuar a manutenção das máquinas de sementeira e de plantação. Objetivos específicos:  Identificar tipos de sementeira – a lanço e em linhas  Identificar a densidade de sementeira e de plantação  Distinguir semeadores/distribuidores –tipos,constituição e funcionamento  Distinguir plantadores –tipos, constituição efuncionamento  Distinguir rolos –tipos,constituição efuncionamento  Efetuar cálculos de sementeira e de débitos  Efetuar a manutenção, conservação e pequenas reparações  Reconhecer boas práticas de segurança, higiene e saúde no trabalho
  • 3. Operador Agrícola-UFCD 6280 3 Índice Índice................................................................................................................................. 3 Principais Técnicas de Produção agrícola....................................................................... 4 A agricultura Sustentável.................................................................................................. 6 Produção Integrada .......................................................................................................... 7 Proteção integrada ........................................................................................................... 8 - Proteção Integrada......................................................................................................... 9 Agricultura Biológica....................................................................................................... 10 Bibliografia ...................................................................................................................... 14
  • 4. Operador Agrícola-UFCD 6280 4 Principais Técnicas de Produção agrícola As principais técnicas de produção agrícola são:  A produção convencional  O modo de produção integrada  O método de proteção integrada  O modo de produção biológico Todas as técnicas de produção para terem sucesso dependem de vários fatores:  Condições edafo-climáticas  Disponibilidade de água  Acessos  Condições de mercado  Disponibilidade de mão de obra  Energia  Infra estruturas  Grau de experiência e formação do agricultor  Condições financeiras A produção convencional É denominada assim porque:  Utiliza técnicas tradicionais;  Cujo principal objetivo é a utilização de recursos de modo a obter o máximo rendimento  Quer seja ao nível produtivo, quer seja ao nível financeiro Esta agricultura requer muitos imputs:  Recursos naturais (água, solo e combustíveis)  Recursos humanos  Recursos financeiros  Equipamentos  Fertilizantes e fitofármacos
  • 5. Operador Agrícola-UFCD 6280 5 Algumas das vezes a agricultura convencional é vista como opositora de outros modos de agricultura, nomeadamente biológica. As operações culturais (preparação do solo, sementeiras, regas, sachas, mondas, adubações, tratamentos fitossanitários e colheitas). São feitas de forma linear, descorando algumas vezes a proteção ambiental e segurança alimentar. Caraterização do modo de produção em Hidroponia. A hidroponia é um modo de produção agrícola considerado inovador pois: As plantas desenvolvem-se sem solo. As raízes recebem uma solução nutritiva a qual possui todos os nutrientes essenciais para o desenvolvimento da cultura e da produção. Em hidroponia as plantas jovens são retiradas das covetes, colocadas em tubos, nalguns casos em canais, onde circula uma solução nutritiva, composta por água e nutrientes que foram previamente dissolvidos em quantidades individuais. De acordo com a necessidade de cada cultura instalada na estufa ou na exploração agrícola. Na hidroponia as raízes podem estar suspensas em meio líquido ou apoiadas em substrato inerte. Vantagens vs Desvantagens Vantagens  Não necessita grandes áreas de terreno.  Não é necessário preocupação com as condições edafo climáticas para a instalação de cultura.  Diminuição das operações culturais.  Não é necessário preocupações com a rotatividade das culturas.  Produtividade maior.  Produção uniforme.  Melhor previsão/ planeamento da produção.  Maior aproveitamento da água e dos nutrientes.
  • 6. Operador Agrícola-UFCD 6280 6  Trabalho Mais leve e mais limpo. Desvantagens  Investimento inicial elevado.  Conhecimentos técnicos adequados.  Dependência da energia elétrica.  Exige um trabalho diário.  Sistema vulnerável que não admite falhas.  Exige que as plantas estejam isentas de qualquer problema fitossanitário. A agriculturaSustentável Segundo o relatório da OCDE : “ A agricultura que permite a satisfação das necessidades das gerações atuais sem comprometer a capacidade das gerações futuras virem a satisfazerem as suas.” A agricultura sustentável aparece ligada a várias preocupações:  Eficiência de produção  Qualidade da produção  Conservação dos recursos  Proteção ambiental  Competitividade comercial  Segurança alimentar  Qualidade de vida do agricultor Duas modalidades de agricultura sustentável são:  Produção integrada  A agricultura biológica A produção integrada e a agricultura biológica tem preocupações similares em relação dos seguintes aspetos:  Biodiversidade  Fertilidade do solo
  • 7. Operador Agrícola-UFCD 6280 7  Estabilidade dos ecossistemas  O bem estar dos animais  A poluição  A qualidade de vida e a formação do agricultor Produção Integrada A produção integrada “é um sistema agrícola de produção de alimentos de alta qualidade e de outros produtos utilizando recursos naturais e mecanismos de regulação natural em substituição de fatores de produção prejudiciais ao ambiente e de modo a assegurar, a longo prazo uma agricultura viável. A produção integrada deve ser posta em prática no conjunto da exploração e não só numa cultura. As caraterísticas da produção integrada e as estreitas afinidades com o conceito de agricultura sustentável são evidenciados pelo conjunto de 11 princípios. 1. A produção integrada visa a regulação dos ecossistemas o bem estar dos animais e a preservação dos recursos naturais. 2. Minimização dos efeitos secundários decorrentes das atividades agrícolas. 3. A exploração agrícola no seu conjunto é a unidade de implementação da produção integrada. 4. A reciclagem regular dos conhecimentos do empresário agrícola sobre produção integrada. 5. A estabilidade dos ecossistemas deve ser assegurada. 6. O equilíbrio do ciclo dos elementos nutritivos deve ser assegurada, reduzindo ao mínimo as perdas de nutrientes. 7. A preservação e a melhoria da fertilidade do solo. 8. Na produção integrada, a proteção integrada é a orientação obrigatória adotada na proteção das plantas.
  • 8. Operador Agrícola-UFCD 6280 8 9. A biodiversidade, a nível genético, das espécies e do ecossistema é considerada a espinha dorsal da estabilidade do ecossistema, dos fatores de regulação natural e da qualidade da paisagem. 10.A qualidade dos produtos obtidos em produção integrada abrange não só fatores externos e internos, mas também a natureza do sistema de exploração e do tipo de produção. 11.As normas do bem estar dos animais mantidos na exploração devem ser asseguradas. Proteção integrada Com o objetivo essencialmente de produção. Medidas tipo I Fertilizações adequadas Teor adequado de matéria orgânica Regas de acordo com as necessidades das plantas Monda de frutos Orientações a adotar em produção integrada II Orientações visando a produção com caráter de medidas indiretas de luta na área da proteção integrada  O uso ótimo de recursos naturais  Práticas culturais sem impacto negativo nos ecossistemas agrários  A proteção e o aumento de auxiliares III Na proteção integrada através de meios diretos de luta Os meios de luta diretos só o devemos adotar quando indispensável
  • 9. Operador Agrícola-UFCD 6280 9 Meios de luta direta:  Luta física (mecânica)  Luta cultural  Luta biológica  Luta biotécnica  Luta química - Proteção Integrada A proteção integrada é definida como: “ A aplicação racional de uma combinação de medidas biológicas, biotécnicas. Químicas, físicas, culturais ou relativas à seleção dos vegetais, em que a utilização de produtos químicos fitofarmacêuticos é limitada ao estritamente necessário para manter a presença de organismos nocivos abaixo do nível a partir do qual surgem prejuízos ou perdas economicamente inaceitáveis.” Inimigos das culturas Fatores bióticos Fatores abióticos Doenças parasitárias Infestantes Climáticos Acidentes Pragas edáficos A natureza do conceito de proteção integrada tem por base três ideias chave: 1. A estimativa de risco 2. O nível económico de ataque 3. A escolha dos meios de proteção
  • 10. Operador Agrícola-UFCD 6280 10 AgriculturaBiológica A agricultura biológica é definida como: Um modo de produção que respeita os mecanismos ambientais de controlo de pragas e doenças, há produção vegetal e na criação de animais, evitando o uso de pesticidas sintéticas, herbicidas e fertilizantes químicos, hormonas de crescimento, antibióticos e manipulação genéticas; em vez destes antibióticos os agricultores utilizam, na produção biológica, diferentes técnicas que constituem para o equilíbrio do ecossistema e para reduzir a poluição. Foi a partir dos anos sessenta que a agricultura biológica começou o seu desenvolvimento, as razões que o influenciaram foram: - Razões sociais / perdas de postos de trabalho na agricultura; - Razões ambientais / perda de espécies, poluição desequilíbrio ambiental; - Razões de saúde devido aos resíduos de pesticidas nos alimentos; Atualmente, estas razões têm cada vez mais importância e a estas acrescentam- se: - Os excedentes agrícolas; - A falta de rentabilidade de agricultura convencional; - A procura do consumidor, motivada pela falta de qualidade e segurança alimentar da produção convencional; O que é necessário para converter uma exploração agrícola convencional para agricultura biológica? Na convenção ocorre uma simples substituição de fatores de produção, por exemplo, dos adubos químicos por adubos orgânicos? É necessário pôr em prática técnicas adequadas ao modo de produção biológica. O período de convenção é definido por legislação comunitária. - 2 anos em culturas anuais - 3 anos de culturas perenes (pomares e vinhas) A certificação no modo de produção biológica significa que:
  • 11. Operador Agrícola-UFCD 6280 11 - Foram cumpridas as regras de produção - Foram feitos os controlos exigidos As frequências dos controlos são determinadas pela entidade certificadora com base numa avaliação dos riscos de ocorrência de irregularidades e de infrações no que respeita ao cumprimento dos requisitos estabelecidos neste modo de produção. Em qualquer caso, podem os operadores ser sujeitos a uma verificação do cumprimento pelo menos uma vez por ano. A totalidade de exploração agrícola é gerida em conformidade com os requisitos aplicáveis á produção biológica, assim como todas as fases posteriores á produção, como sejam o armazenamento, a preparação, o transporte e a distribuição. Na agricultura biológica a fertilidade do solo deve ser mantida e/ou melhorada, através dos meios disponíveis na própria exploração, principalmente através de: - Rotações - Consociações - Compostagem com aproveitamento de resíduos vegetais e animais - Adubação verde - Cobertura do solo - Mobilizações mínimas Rotação de culturas- Sequência de culturas no mesmo terreno ao longo dos anos. A rotação é importante principalmente por razões: - De fertilidade - Sanidade das culturas Consiação – plantação de pelo menos duas espécies de plantas ao mesmo tempo no mesmo terreno – Essas espécies devem ter uma ação favorável em relação uma á outra. Exemplo- milho com feijão; cenoura com alho Melhor combate às pragas Melhor utilização de nutrientes Menos infestantes
  • 12. Operador Agrícola-UFCD 6280 12 Adubação verde Plantas cultivadas, com o objetivo principal de adubar a cultura seguinte, incorporadas ao solo no estado de floração, pouco tempo antes da cultura fertilizar. As plantas mais utilizadas são as leguminosas como a fava, a ervilha e o tremoço. Cobertura do solo É feita com materiais não vivos de origem vegetal. Compostagem É um processo natural de degradação da matéria orgânica em presença de oxigénio, efetuado por microrganismos que transportam resíduos orgânicos em produtos estáveis que podem ser aplicados no solo como fertilizantes ou corretivos. Materiais que podem ser compostados - Todos os resíduos orgânicos - Lenha de podas, matos secos, serradura, palha de milho e outros materiais ricos em carbono - Folhas, estrumes, bagaço de uva e outros materiais ricos em azoto restos de legumes e frutas. A recolha de resíduos que se pretende compostar, deve ser realizada de forma a evitar a contaminação com outros resíduos não orgânicos. Deverá garantir-se uma mistura tão completa quanto possível. Ao misturar os resíduos deve garantir-se também a regra da mistura á qual deverá ficar humedecido, mas sem escorrências. A frequência do revolvimento pode ser variável, no início o composto deve ser revolvido com maior frequência e depois vai diminuindo ao longo do tempo. O processo deverá estar completo após 4 a 5 meses de compostagem, no entanto deverá assegurar-se que, ao recolher a pilha esta já não liberta vapor e que o composto: Apresenta um aspeto homogéneo, não sendo possível distinguir os resíduos.
  • 13. Operador Agrícola-UFCD 6280 13 Não devemos esquecer que a fertilidade de um solo depende: - Boas propriedades físicas - Boas propriedades químicas - Boas propriedades biológicas Na agricultura biológica os “auxiliares” são organismos que auxiliam o agricultor no combate às pragas e doenças das culturas. Grupos auxiliares Aves, mamíferos, répteis, batráquios, insetos e microrganismos. As sebes As sebes são corta-ventos feitos com plantas. As sebes têm várias funções:  Proteção microclimática  Controlo de erosão  A manutenção do equilíbrio biológico, pelo aumento da diversidade da flora e da fauna, com vantagens para os auxiliares - Produção de madeira, frutos e mel. Na agricultura biológica também podemos utilizar produtos fitofarmacêuticos com a condição que separam autoridades/homologadas para a agricultura biológica.
  • 14. Operador Agrícola-UFCD 6280 14 Bibliografia AMARO, P e M. BAGGIOLINI (Eds). (1992). Introdução à Protecção Integrada. FAO/DGPPA, Lisboa. DIEHL, R. (1975). Agricultura Geral. Colocção Técnica Agrária. Clássica Editora, Lisboa. ÉLIARD, J. L. (1979). Manual Geral de Agricultura. Colocção Euroagro. Publicações Europa-América, Mem Martins. SANTOS, J. Q. (1983). Fertilizantes. Fundamentos e aspectos práticos da sua aplicação. Publicações Europa-América, Mem Martins.