SlideShare uma empresa Scribd logo
FUNDAMENTOS
EM
AGROECOLOGIA
Professora: Cristianne Burgo
FUNDAMENTOS
EM AGROECOLOGIA
- Transferência de
Energia
- Capacidade de Suporte
Agrícola
FATORES DA PRODUTIVIDADE
AGRÍCOLA
FATORES DA PRODUTIVIDADE
PECUÁRIA
CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA):
está intimamente relacionada à questão da sustentabilidade.
Maia, 2012
AGRICULTURA SUSTENTÁVEL
o Manutenção da produtividade e lucratividade das unidades de produção agrícola
o Mitigar os riscos e impactos ambientais indesejáveis
o Promover equidade social
o Garantir segurança alimentar dos produtos agrícolas ofertados à sociedade
Altieri, 2004
Maia, 2012
O Desenvolver uma agricultura mais sustentável é medida de
prevenção a um mundo que vem se deteriorando.
O Cultivar de maneira mais consciente, utilizando técnicas mais
apropriadas, de maneira que sejam colhidos os frutos, não somente na
produção em questão, mas futuramente, é a chave para a
sustentabilidade no setor
CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA):
Sem aumentar muito a área cultivada, elevar a produtividade e a
produção
Como
ocorreu
isso?
Estudo da sustentabilidade na agricultura brasileira
= a partir do aumento do nível de conscientização da
sociedade
= alcançar uma agricultura mais desenvolvida
sustentavelmente, que respeite o meio ambiente,
preservando-o, que utilize bases e técnicas mais
eficientes, é fator essencial para o propósito
de um planeta mais sustentável.
= como a sustentabilidade está modificando a
agricultura e quais resultados estas estão trazendo
para a agricultura nacional
MAIA, 2012
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA PERSPECTIVA NAAGRICULTURA NACIONAL
Monografia submetida ao Curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Santa
Catarina, como requisito obrigatório para a obtenção do grau de Bacharelado.
Orientador: Professor Doutor Francisco Gelinski Neto Florianópolis, 2012
Sistemas que possibilitam desenvolver
a sustentabilidade no setor da
agricultura nacional:
- Integração Lavoura-Pecuária (ILP)
- Sistema de Plantio Direto (SPD)
- Integração Lavoura-Pecuária-
Floresta (ILPF)
Integração Lavoura Pecuária
integrando a cultura de grãos, como soja, milho, trigo,
arroz e feijão, com a pecuária
permite ganhos para
a produção
para a natureza
ganhos diretos para o
consumidor
melhor utilização
dos recursos
disponíveis na
própria
propriedade
permitindo com
investimentos baixos,
otimizar o uso dos
recursos necessários,
desenvolvendo
as duas atividades
Integração Lavoura Pecuária
NÃO HÁ NECESSIDADE DE
AVANÇAR MAIS HECTARES
PARACONSEGUIR UMA
PRODUÇÃO MAIOR, BASTA
RECUPERARAS PASTAGENS
DEGRADADAS, UTILIZANDO A
TÉCNICA DE CONSÓRCIO
ENTRE LAVOURA-PECUÁRIA,
NÃO EXISTINDO JUSTIFICATIVA
PARAO DESMATAMENTO
= Fazendas com sistemas comuns o gado demora cerca de 30 a 32 meses para chegar
ao peso de 18 arrobas
= Fazendas com sistema de integração o gado demora cerca de 20 a 22 meses para
chegar ao mesmo peso.
integração “está inserida no rol de experiências de sucesso do agronegócio brasileiro”,
Sistema de Plantio Direto
Sistema de Plantio Direto na Palha
consiste na utilização da própria
palha, resultante do pós-colheitas das
safras anteriores, como adubo natural
ao solo
No sistema tradicional de
plantio o agricultor tem
que fazer todo ano uma
nova aração, um novo
revolvimento de terra,
“assim, o solo fica
exposto por um longo
período, até que a cultura
a ser plantada se
estabeleça na terra”,
ficando sem proteção
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Integração Lavoura-
Pecuária-Floresta
 aumentando a produção, sem ter que avançar na floresta, não sendo
necessário desmatar promover o reflorestamento sem perdas de
produção, reflorestamento que contribui no curto, médio e longo prazo
para o meio ambiente
 (TÉCNICAS, 2012, s.p.)
DESENVOLVER AGRICULTURA E PECUÁRIA COM BASES
MAIS INTENSIVAS, USANDO TECNOLOGIAS
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA):
está intimamente relacionada à questão da sustentabilidade.
Maia, 2012
AGRICULTURA SUSTENTÁVEL – Capacidade de suporte agrícola
o Manutenção da produtividade e lucratividade das unidades de produção agrícola
o Mitigar os riscos e impactos ambientais indesejáveis
o Promover equidade social
o Garantir segurança alimentar dos produtos agrícolas ofertados à sociedade
Altieri, 2004
Maia, 2012
• Desenvolver uma agricultura mais sustentável é medida de prevenção a um
mundo que vem se deteriorando.
• Cultivar de maneira mais consciente, utilizando técnicas mais apropriadas, de
maneira que sejam colhidos os frutos, não somente na produção em questão,
mas futuramente, é a chave para a sustentabilidade no setor
Maia, 2012
AGRICULTURA
SUSTENTÁVEL...
-
CRESCIMENTO
ECONÔMICO
-
EQUIDADE
SOCIAL
-
RESPEITO AO
MEIO
AMBIENTE
Triple Bottom Line (Elkington,
1998)
INTEGRAÇÃO ENTRE
Altieri, 2002
Doran e
Safley, 1997
Compreensão
dos elementos
bióticos e
abióticos,
incluindo
agricultor e
consumidor com
dimensões:
socioeconômicas,
ambientais e de
saúde pública
Marques, Skopura e
Ferraz, 2003
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
Sucessão
ecológica
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
COMPOSIÇÃO DOS SISTEMAS AGROFLORESTAIS
Categorização por intensidade
- Quintais ou hortas agroflorestais: 0,5 a 2 hectares dominante
- Espécies frutíferas ou de árvores fertilizadoras podadas de forma
frequente
- SAF’s extensos: 4 a 15 ha
- Mata ou foi raleada ou recomposta por manejo da regeneração
- Ocorre algum nível de manejo madeireiro (extração de lenha e
madeira de construção, utilizada nas unidades produtivas
- Alguns casos, há também coleta de sementes, resinas
(borracha), cacau silvestre e castanha.
- Essas configurações, com maior ou menor intensidade de uso,
apresentam marcada variação nos principais indicadores
ecológicos e econômicos (Figura 1).
Funções ecológicas e econômicas de sistemas agroflorestais Jorge Luiz Vivan Agriculturas jun 2011 V.8 n.2
Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx
NO SISTEMAAGROECOLÓGICO A
CAPACIDADE DE SUPORTE
AGRÍCOLA VARIA DE ACORDO COM
A COMPOSIÇÃO DOS SISTEMAS
AGROFLORESTAIS
IMPLICANDOALTERAÇÕES NOS
INDICADORES :
- AMBIENTAIS (FAUNA E FLORA)
- SOCIAL: INTENSIDADE DA MÃO
DE OBRA
- ECONÔMICO: DA RENDA DO
AGRICULTOR

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx

2. manual aidiaufcd6280
2. manual   aidiaufcd62802. manual   aidiaufcd6280
2. manual aidiaufcd6280
Florinda Russo
 
Tinoco
TinocoTinoco
Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1
MalinkaNav
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
blog2012
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Pib 14 04_09
Pib 14 04_09Pib 14 04_09
Pib 14 04_09
Real Verdejante
 
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itepAgricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
MilenaAlmeida74
 
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e ExtensivaResumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
Michel 000
 
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite AgroecologicoApostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
Daniel Mol
 
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José PerdomoCiência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Oxya Agro e Biociências
 
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e AgricultoresManual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
Sérgio Amaral
 
Comprovante matricula 2013
Comprovante matricula 2013Comprovante matricula 2013
Comprovante matricula 2013
gepaunipampa
 
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
gepaunipampa
 
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
Ezequiel Redin
 
Slide - Pronto.pptx
Slide - Pronto.pptxSlide - Pronto.pptx
Slide - Pronto.pptx
RosanaRocha49
 
Trabalho informat felipe
Trabalho informat felipeTrabalho informat felipe
Trabalho informat felipe
felipeagrouenp
 
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
blog2012
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
Larissa Azevedo Milward
 
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura BrasileiraEnfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
Oxya Agro e Biociências
 

Semelhante a Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx (20)

2. manual aidiaufcd6280
2. manual   aidiaufcd62802. manual   aidiaufcd6280
2. manual aidiaufcd6280
 
Tinoco
TinocoTinoco
Tinoco
 
Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1Relatório - Parte 3 - 1
Relatório - Parte 3 - 1
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2017)
 
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
Alunos da Escola "Santa do Prado Maximiano"
 
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
O Espaço Rural no Brasil - 7º Ano (2018)
 
Pib 14 04_09
Pib 14 04_09Pib 14 04_09
Pib 14 04_09
 
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itepAgricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
Agricultura_Orgânica. Slide turma 03 itep
 
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e ExtensivaResumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
Resumo Agricultura e Pecuária Intensiva e Extensiva
 
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite AgroecologicoApostila Produçao de Leite Agroecologico
Apostila Produçao de Leite Agroecologico
 
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José PerdomoCiência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
Ciência e Inovação para alimentar o mundo - José Perdomo
 
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e AgricultoresManual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
Manual de Agricultura de Conservação para Técnicos e Agricultores
 
Comprovante matricula 2013
Comprovante matricula 2013Comprovante matricula 2013
Comprovante matricula 2013
 
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
Jornal o momento.(10 ago2013).n01 (2)
 
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
Periódico Extensão Rural (Santa Maria) 2014-2
 
Slide - Pronto.pptx
Slide - Pronto.pptxSlide - Pronto.pptx
Slide - Pronto.pptx
 
Trabalho informat felipe
Trabalho informat felipeTrabalho informat felipe
Trabalho informat felipe
 
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
Alunos da Escola Rural "Gil Alexandre Borges"
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura BrasileiraEnfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
Enfisa 2014 - O Futuro do Desenvolvimento Tecnológico da Agricultura Brasileira
 

Mais de CRISTIANNE BURGO MORAES

Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdfApresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
CRISTIANNE BURGO MORAES
 
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptxtrabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
CRISTIANNE BURGO MORAES
 
Aula Introdução a Genética.ppt
Aula Introdução a Genética.pptAula Introdução a Genética.ppt
Aula Introdução a Genética.ppt
CRISTIANNE BURGO MORAES
 
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptxSlides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
CRISTIANNE BURGO MORAES
 
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdfSlides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
CRISTIANNE BURGO MORAES
 
Plantas daninhas semana 3.pdf
Plantas daninhas semana 3.pdfPlantas daninhas semana 3.pdf
Plantas daninhas semana 3.pdf
CRISTIANNE BURGO MORAES
 

Mais de CRISTIANNE BURGO MORAES (6)

Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdfApresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
Apresentacao FIDirrigação e drenagem 2.pdf
 
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptxtrabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
trabalho de Hidráulica Irrigação e Drenagem.pptx
 
Aula Introdução a Genética.ppt
Aula Introdução a Genética.pptAula Introdução a Genética.ppt
Aula Introdução a Genética.ppt
 
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptxSlides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
Slides_Unidade_2__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas.pptx
 
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdfSlides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
Slides_Unidade_1__Biol._e_Cont._de_Plantas_Daninhas novo.pdf
 
Plantas daninhas semana 3.pdf
Plantas daninhas semana 3.pdfPlantas daninhas semana 3.pdf
Plantas daninhas semana 3.pdf
 

Último

Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Marco Zero Conteúdo
 
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdfApostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Ademir36
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Marco Zero Conteúdo
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
DeboraGomes73
 
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Geagra UFG
 
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
viictorrkk
 
Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
tyciavilela
 

Último (7)

Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdfMuro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
Muro Auto de Infração Sec. Patrimônio da União.pdf
 
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdfApostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
Apostila FEV-2008 - Micromorfologia de Solos.pdf
 
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdfMuro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
Muro Relatório de Fiscalização SPU 2024.pdf
 
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdfEconomia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
Economia Circular na Produção de Filmes e Revestimentos Comestíveis.pdf
 
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptxManejo de insetos-pragas sugadores .pptx
Manejo de insetos-pragas sugadores .pptx
 
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdfCIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
CIGAROSS DRA_SANDRA_DA_SILVA_MARQUES.pdf
 
Melhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatísticaMelhoramento animal genética e estatística
Melhoramento animal genética e estatística
 

Aula - Fundamentos agroecologia 2024.pptx

  • 2. FUNDAMENTOS EM AGROECOLOGIA - Transferência de Energia - Capacidade de Suporte Agrícola
  • 5. CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA): está intimamente relacionada à questão da sustentabilidade. Maia, 2012 AGRICULTURA SUSTENTÁVEL o Manutenção da produtividade e lucratividade das unidades de produção agrícola o Mitigar os riscos e impactos ambientais indesejáveis o Promover equidade social o Garantir segurança alimentar dos produtos agrícolas ofertados à sociedade Altieri, 2004 Maia, 2012 O Desenvolver uma agricultura mais sustentável é medida de prevenção a um mundo que vem se deteriorando. O Cultivar de maneira mais consciente, utilizando técnicas mais apropriadas, de maneira que sejam colhidos os frutos, não somente na produção em questão, mas futuramente, é a chave para a sustentabilidade no setor
  • 6. CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA): Sem aumentar muito a área cultivada, elevar a produtividade e a produção Como ocorreu isso?
  • 7. Estudo da sustentabilidade na agricultura brasileira = a partir do aumento do nível de conscientização da sociedade = alcançar uma agricultura mais desenvolvida sustentavelmente, que respeite o meio ambiente, preservando-o, que utilize bases e técnicas mais eficientes, é fator essencial para o propósito de um planeta mais sustentável. = como a sustentabilidade está modificando a agricultura e quais resultados estas estão trazendo para a agricultura nacional MAIA, 2012 DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UMA PERSPECTIVA NAAGRICULTURA NACIONAL Monografia submetida ao Curso de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Santa Catarina, como requisito obrigatório para a obtenção do grau de Bacharelado. Orientador: Professor Doutor Francisco Gelinski Neto Florianópolis, 2012
  • 8. Sistemas que possibilitam desenvolver a sustentabilidade no setor da agricultura nacional: - Integração Lavoura-Pecuária (ILP) - Sistema de Plantio Direto (SPD) - Integração Lavoura-Pecuária- Floresta (ILPF)
  • 9. Integração Lavoura Pecuária integrando a cultura de grãos, como soja, milho, trigo, arroz e feijão, com a pecuária permite ganhos para a produção para a natureza ganhos diretos para o consumidor melhor utilização dos recursos disponíveis na própria propriedade permitindo com investimentos baixos, otimizar o uso dos recursos necessários, desenvolvendo as duas atividades
  • 11. NÃO HÁ NECESSIDADE DE AVANÇAR MAIS HECTARES PARACONSEGUIR UMA PRODUÇÃO MAIOR, BASTA RECUPERARAS PASTAGENS DEGRADADAS, UTILIZANDO A TÉCNICA DE CONSÓRCIO ENTRE LAVOURA-PECUÁRIA, NÃO EXISTINDO JUSTIFICATIVA PARAO DESMATAMENTO
  • 12. = Fazendas com sistemas comuns o gado demora cerca de 30 a 32 meses para chegar ao peso de 18 arrobas = Fazendas com sistema de integração o gado demora cerca de 20 a 22 meses para chegar ao mesmo peso. integração “está inserida no rol de experiências de sucesso do agronegócio brasileiro”,
  • 14. Sistema de Plantio Direto na Palha consiste na utilização da própria palha, resultante do pós-colheitas das safras anteriores, como adubo natural ao solo No sistema tradicional de plantio o agricultor tem que fazer todo ano uma nova aração, um novo revolvimento de terra, “assim, o solo fica exposto por um longo período, até que a cultura a ser plantada se estabeleça na terra”, ficando sem proteção
  • 18.  aumentando a produção, sem ter que avançar na floresta, não sendo necessário desmatar promover o reflorestamento sem perdas de produção, reflorestamento que contribui no curto, médio e longo prazo para o meio ambiente  (TÉCNICAS, 2012, s.p.) DESENVOLVER AGRICULTURA E PECUÁRIA COM BASES MAIS INTENSIVAS, USANDO TECNOLOGIAS
  • 21. CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA (ECOSSISTEMA): está intimamente relacionada à questão da sustentabilidade. Maia, 2012 AGRICULTURA SUSTENTÁVEL – Capacidade de suporte agrícola o Manutenção da produtividade e lucratividade das unidades de produção agrícola o Mitigar os riscos e impactos ambientais indesejáveis o Promover equidade social o Garantir segurança alimentar dos produtos agrícolas ofertados à sociedade Altieri, 2004 Maia, 2012 • Desenvolver uma agricultura mais sustentável é medida de prevenção a um mundo que vem se deteriorando. • Cultivar de maneira mais consciente, utilizando técnicas mais apropriadas, de maneira que sejam colhidos os frutos, não somente na produção em questão, mas futuramente, é a chave para a sustentabilidade no setor Maia, 2012
  • 23. Altieri, 2002 Doran e Safley, 1997 Compreensão dos elementos bióticos e abióticos, incluindo agricultor e consumidor com dimensões: socioeconômicas, ambientais e de saúde pública Marques, Skopura e Ferraz, 2003
  • 27. COMPOSIÇÃO DOS SISTEMAS AGROFLORESTAIS Categorização por intensidade - Quintais ou hortas agroflorestais: 0,5 a 2 hectares dominante - Espécies frutíferas ou de árvores fertilizadoras podadas de forma frequente - SAF’s extensos: 4 a 15 ha - Mata ou foi raleada ou recomposta por manejo da regeneração - Ocorre algum nível de manejo madeireiro (extração de lenha e madeira de construção, utilizada nas unidades produtivas - Alguns casos, há também coleta de sementes, resinas (borracha), cacau silvestre e castanha. - Essas configurações, com maior ou menor intensidade de uso, apresentam marcada variação nos principais indicadores ecológicos e econômicos (Figura 1). Funções ecológicas e econômicas de sistemas agroflorestais Jorge Luiz Vivan Agriculturas jun 2011 V.8 n.2
  • 29. NO SISTEMAAGROECOLÓGICO A CAPACIDADE DE SUPORTE AGRÍCOLA VARIA DE ACORDO COM A COMPOSIÇÃO DOS SISTEMAS AGROFLORESTAIS IMPLICANDOALTERAÇÕES NOS INDICADORES : - AMBIENTAIS (FAUNA E FLORA) - SOCIAL: INTENSIDADE DA MÃO DE OBRA - ECONÔMICO: DA RENDA DO AGRICULTOR